Página 1 dos resultados de 38 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Ação de cupins de madeira seca (Cryptotermes brevis) e de solo (Nasutitermes corniger) nas madeiras termorretificadas de Pinus taeda e de Corymbia citriodora; Action of dry wood termite (Cryptotermes brevis) and subterranean termite (Nasutitermes corniger) on the thermorectified wood of Pinus taeda and Corymbia citriodora

Brito, Juliana Pires
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/05/2015 PT
Relevância na Pesquisa
67.74%
A termorretificação ou retificação térmica é uma técnica auxiliar na preservação da madeira, sendo um processo controlado de pirólise, em temperaturas que variam entre 140°C a 220°C. No presente trabalho, foi testada a hipótese de que a termorretificação na temperatura de 200ºC aumenta a resistência da madeira em relação ao ataque de cupins, buscando identificar se tal efeito é resultante da menor disponibilidade de água ou da deposição de substâncias tóxicas ou repelentes formadas durante a degradação térmica. Foi constatado que as alterações provocadas pela termorretificação reduzem a capacidade de adsorção de água pela madeira e, consequentemente, o seu teor de umidade de equilíbrio. As substâncias geradas durante o processo de termorretificação, extraídas em água quente, tem efeito preservativo quando aplicadas à madeira natural, com diferentes resultados entre as espécies florestais. A termorretificação reduziu a capacidade de ação do Cryptotermes brevis, com efeito mais acentuado no Pinus taeda. A remoção dos extrativos da madeira termorretificada, por si só, não implicou no aumento da intensidade da ação dos cupins, o que somente se tornou mais evidente quando aumentou o teor de umidade do material. Em relação ao Nasutitermes corniger...

Cryptotermes brevis (Isoptera, Kalotermitidae): biologia e polimorfismo de imaturos

Pedro, Laís Pereira Alvarez
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 44 f.
POR
Relevância na Pesquisa
47.18%
Cryptotermes brevis (Walker, 1853) é um cupim de madeira seca exótico no Brasil, pertencente a família Kalotermitidae e que possui uma distribuição geográfica bastante ampla, sendo encontrada somente em ambientes sinantrópicos. Esta espécie de cupim de madeira seca vive dentro de pedaços de madeira onde escava suas galerias por meio da alimentação. Estes insetos se alimentam do próprio ninho onde vivem e sua infestação é percebida pela formação de grânulos fecais sólidos que são expulsos de peças de madeira infestadas. Dessa forma, C. brevis causa grandes danos econômicos em áreas urbanas, infestando peças de mobiliários manufaturados pelo homem e estruturas de madeira como batentes, forros, rodapés, etc. Em uma colônia de cupins de madeira seca existem castas morfofisiologicamente diferentes, as quais realizam tarefas distintas. Entre elas estão as castas ápteras (soldados e falsos operários), e os reprodutores (rei e rainha). A maioria das castas de cupins são cegas e exibem comportamentos característicos que são utilizados na comunicação entre eles, como por exemplo trofalaxia estomodeal e proctodeal, “grooming”, antenação, “butting”, etc. Devido ao reduzido conhecimento da biologia dessa importante praga urbana...

Prospecção de Térmitas (Insecta: Isoptera) na Ilha de São Jorge

Amaral, João J. S.; Cabeceiras, Sara C.; Borges, Annabella
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Relatório
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
47.18%
XV Expedição Científica do Departamento de Biologia - São Jorge 2011.; As térmitas são um grupo de insectos de introdução recente nos Açores e assumem características de praga. A única espécie reconhecida para a ilha de São Jorge é Cryptotermes brevis, identificada em 2009, ocorrendo nalgumas habitações da Calheta. Neste trabalho, pretendemos prospectar a ocorrência e distribuição deste grupo de insectos. Confirmámos a ocorrência desta espécie e que a sua distribuição se restringe a quatro edifícios localizados na Calheta. Não detectámos mais nenhuma espécie deste grupo. As colónias de C. brevis infestam mobiliários e estruturas de madeira dos edifícios com consequências económicas muito importantes, consideramos que urge tomar medidas numa tentativa de erradicação da praga.

Sumário executivo

Borges, Paulo A. V.; Arroz, Ana Margarida Moura; Bettencourt, Ana
Fonte: Principia Publicador: Principia
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
47.34%
Três espécies de térmitas são conhecidas actualmente nos Açores: Kalotermes flavicollis (térmita de madeira húmida europeia), Cryptotermes brevis (térmita de madeira seca das Índias Ocidentais), Reticulitermes grassei (térmita subterrânea europeia). Destas, duas, a Cryptotermes brevis e a Reticulitermes grassei estão a provocar grandes prejuízos nas cidades principais dos Açores (Angra do Heroísmo, Ponta Delgada e Horta) e prevê-se que nas próximas décadas possam igualmente ocorrer noutras partes do arquipélago

Voo e fundação de colónias pelas térmites dos Açores, com ênfase na Cryptotermes brevis

Guerreiro, Orlando; Myles, Timothy G.; Ferreira, Maria T.; Borges, Annabella; Borges, Paulo A. V.
Fonte: Principia Publicador: Principia
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
47.47%
Cada uma das três espécies de térmitas existentes no arquipélago açoriano apresenta um comportamento de voo em momentos distintos ao longo do dia e ao longo do ano. A Cryptotermes brevis tem o seu período de dispersão (de voo) entre os meses de Junho e Agosto no crepúsculo vespertino, a Kalotermes flavicollis de Setembro a Outubro, durante a tarde, e a Reticulitermes grassei tem o seu período de enxameamento na Primavera, durante a manhã. Das espécies referidas, a que apresenta maior importância, por constituir uma praga de dimensões consideráveis em algumas das ilhas, é a C. brevis, a única que tem um comportamento de voo nocturno, tornando, assim, possível o uso de armadilhas luminosas. As experiências aqui apresentadas contêm vários testes com diferentes tipos de luzes, fluorescentes e incandescentes, diferentes cores de armadilhas pegajosas, bem como diferentes tipos de colas e fitas colantes. Após o período de voo, as térmitas exibem uma sequência de comportamentos que foram observados e analisados. Foi estudado o tempo para cada um dos seguintes padrões de comportamento: libertação das asas, comportamento de procura (de um parceiro), formação de pares, selagem da câmara de reprodução (ou ninho)...

Consumo de madeiras e produção de partículas fecais pelas espécies de térmitas açorianas da família Kalotermitidae: Kalotermes flavicollis e Cryptotermes brevis

Ferreira, Maria T.; Myles, Timothy G.; Borges, Annabella; Guerreiro, Orlando; Borges, Paulo A. V.
Fonte: Principia Publicador: Principia
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
47.8%
Existem nos Açores duas espécies de térmitas da família Kalotermitidae: a Kalotermes flavicollis é uma térmita de madeira verde e é uma praga urbana menor. A Cryptotermes brevis é uma térmita de madeira seca e é uma importante praga para mobiliário e estruturas. São analisadas as espécies de madeira consumidas por cada espécie nos Açores sendo descritas diferenças na cor, tamanho, forma, e modo de despejo das partículas fecais. A taxa de consumo de madeira e a produção de partículas fecais para a espécie Cryptotermes brevis foram estudadas em 49 tipos diferentes de madeiras. Verificou-se que duas espécies de madeira produzidas localmente e muito usadas na construção, Cryptomeria japonica e Eucalyptus sp., foram das mais consumidas, indicando a importância do desenvolvimento de um sistema local para tratamento por pressão em autoclave das madeiras. Entre as madeiras menos consumidas (mais resistentes) encontram-se espécies tropicais, como o Jatobá e a Maçaranduba. As partículas fecais que são expulsas das galerias pelas térmitas são a forma mais conspícua de detectar infestações por Cryptotermes brevis, dando bons meios para monitorizar a localização de térmitas, o tamanho da colónia e a sua actividade. Foi verificado que a expulsão de partículas fecais é descontínua. Contudo...

Eficácia de diferentes insecticidas no combate à Cryptotermes brevis

Myles, Timothy G.; Borges, Annabella; Ferreira, Maria T.; Guerreiro, Orlando; Borges, Paulo A. V.
Fonte: Principia Publicador: Principia
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
67.53%
Foram realizados testes laboratoriais e alguns testes em estruturas com seis insecticidas contra a térmita de madeira seca Cryptotermes brevis. Os seis produtos utilizados foram o XILOFENE, TERMINATE, TERMIDOR, XT-2000, WOCOSEN e BOROWOOD. Várias experiências em laboratório foram realizadas com o objectivo de comparar os produtos, usando diferentes critérios. Os testes de contacto e vapor foram realizados com térmitas colocadas em papel de filtro em caixas de Petri. Os testes de difusão e repelência foram efectuados em blocos de madeira tratados. Os critérios designados por “escapabilidade” e “afastamento” foram efectuados num bloco de madeira com cinco câmaras. Todos os produtos, com excepção do BOROWOOD, mataram 100% das térmitas em 24 h., no teste de contacto. No teste de vapor, o XT-2000 provocou a mortalidade mais elevada. No teste de difusão, o TERMIDOR provocou a mortalidade mais elevada. No teste de repelência, o TERMINATE e o XILOFENE produziram elevada mortalidade, mesmo nas térmitas libertadas no extremo do bloco não tratado. No teste do bloco de madeira com cinco câmaras, no extremo tratado, todos os produtos, com excepção do BOROWOOD, mataram 100% das térmitas em 24 h., pelo que as térmitas não “escapam” a nenhum dos produtos...

Comportamento de diferentes tipos de madeiras face à aplicação de diferentes produtos de combate às populações de térmitas de madeira seca (Cryptotermes brevis) nos Açores

Lopes, David João Horta; Borges, Annabella; Guerreiro, Orlando; Ferreira, Maria T.; Myles, Timothy G.; Borges, Paulo A. V.
Fonte: Principia Publicador: Principia
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
67.53%
A térmita de madeira seca das Índias Ocidentais, a Cryptotermes brevis (Walker, 1953) (Isoptera: Kalotermitidae) está perfeitamente estabelecida nos Açores, sendo considerada uma praga urbana com grande impacto económico e social pelos graves prejuízos que causa, através da destruição estrutural, principalmente das madeiras de suporte dos telhados. Espera-se com esta contribuição: i) determinar qual o produto com a maior taxa de absorção em todas as madeiras usadas na estrutura dos telhados açorianos; ii) contribuir de uma forma decisiva para que as empresas dos Açores possam adoptar esta prática no tratamento de todas as madeiras a usar nas estruturas; iii) contribuir, indirectamente, para a redução do ataque das térmitas nas madeiras, através do seu tratamento com estes produtos, tendo em vista o controlo desta praga nas zonas urbanas afectadas. De todos os seis produtos utilizados, o XT-2000 (d-limonene), líquido com propriedades insecticidas extraído da casca de citrinos, foi o que melhor foi absorvido e se difundiu no interior da madeira tratada em todas as modalidades ensaiadas. Analisando esta capacidade de difusão no interior da madeira por cada tipo de produto e atendendo ao facto de se tratar de madeira do cerne ou do borne (superfície)...

Tratamento das mobílias atacadas por Cryptotermes brevis com calor, fumigantes sólidos e gases inertes

Borges, Annabella; Guerreiro, Orlando; Ferreira, Maria T.; Myles, Timothy G.; Borges, Paulo A. V.
Fonte: Principia Publicador: Principia
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
67.47%
A Cryptotermes brevis é uma térmita extraordinária na sua capacidade única de atacar madeira extremamente seca. É, igualmente, extraordinária na capacidade de atacar uma grande variedade de tipos de madeira, o que nos leva a concluir como sendo a única espécie de térmitas que é facilmente encontrada em mobílias. Como tal, é muito fácil a sua dispersão aquando do transporte de mobílias infestadas, de lugar para lugar, e esta é uma das principais razões pela qual esta térmita consegue ter uma distribuição tão ampla em áreas urbanas, em praticamente todo mundo. É muito provável que a sua introdução nos Açores tenha sido através de mobília infestada e que a dispersão contínua que se tem verificado de cidade para cidade seja devido a essa razão. Ou seja, o tratamento de mobílias é uma componente importante de um programa integrado para lidar com o controlo e contenção desta espécie de térmita. O objectivo deste trabalho é apresentar os resultados obtidos de três tipos de experiências para tratamento de mobílias infestadas com a Cryptotermis brevis. A primeira experiência consistiu num método muito simples, envolvendo o selar de um objecto infestado dentro de um saco de plástico preto, sendo este colocado num local fora do laboratório...

Estratégias para combate e gestão das térmitas nos Açores

Borges, Paulo A. V.; Myles, Timothy G.; Lopes, David João Horta; Ferreira, Maria T.; Borges, Annabella; Guerreiro, Orlando; Simões, Ana M.
Fonte: Principia Publicador: Principia
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
47.65%
As térmitas estão perfeitamente estabelecidas nos Açores e constituem já uma praga de dimensões apreciadas nas zonas urbanas. Com base no conhecimento actual, é impossível erradicar as térmitas dos Açores. São conhecidas, actualmente, três espécies de térmitas nos Açores: uma térmita de madeira seca, a Cryptotermes brevis, uma térmita de madeira viva, a Kalotermes flavicollis, e uma térmita subterrânea, a Reticulitermes grassei. Qualquer que seja a estratégia de infestação, todas estas espécies irão causar grandes prejuízos económicos aos açorianos, nas próximas décadas, sendo as formas de combate e gestão diferentes para as três espécies. Com base na investigação científica realizada no último ano, em relação à espécie de térmita de madeira seca, Cryptotermes brevis, torna-se claro que as principais estratégias de gestão passam por: 1) evitar a dispersão das espécies entre ilhas; 2) melhorar as medidas de quarentena para, assim, evitar a entrada de novas espécies no arquipélago; 3) melhorar as técnicas de inspecção e treinar novos inspectores; 4) educar as pessoas para lidarem com a gestão dos insectos alados; 5) tratar o mobiliário com uma série de técnicas recentemente disponibilizadas (Bolhas de gás com CO2 ou N2) ou através do simples uso do frio...

Termites (Isoptera) in the Azores: an overview of the four invasive species currently present in the archipelago

Ferreira, Maria T.; Borges, Paulo A. V.; Nunes, Lina; Myles, Timothy G.; Guerreiro, Orlando; Scheffrahn, Rudolf H.
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013 ENG
Relevância na Pesquisa
47.05%
In this contribution we summarize the current status of the known termites of the Azores (North Atlantic; 37-40° N, 25-31° W). Since 2000, four species of termites have been identified in the Azorean archipelago. These are spreading throughout the islands and becoming common structural and agricultural pests. Two termites of the Kalotermitidae family, Cryptotermes brevis (Walker) and Kalotermes flavicollis (Fabricius) are found on six and three of the islands, respectively. The other two species, the subterranean termites Reticulitermes grassei Clemént and R. flavipes (Kollar) of the Rhinotermitidae family are found only in confined areas of the cities of Horta (Faial) and Praia da Vitória (Terceira) respectively. Due to its location and weather conditions the Azorean archipelago is vulnerable to colonization by invasive species. The fact that there are four different species of termites in the Azores, all of them considered pests, is a matter of concern. Here we present a comparative description of these species, their known distribution in the archipelago, which control measures are being used against them, and what can be done in the future to eradicate and control these pests in the Azores.

Unidos pelo SOS: biólogos, psicólogos, designers e entomólogos numa aliança estratégica para o controlo de uma praga urbana

Arroz, Ana Margarida Moura; São Marcos, Rita; Gabriel, Rosalina; Borges, Paulo A. V.
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 17/01/2013 POR
Relevância na Pesquisa
47.05%
Colóquio Internacional "Artes e Ciências em Diálogo". Universidade do Algarve, Campus de Gambelas, Faro, Portugal, 17 e 18 de janeiro de 2013.; A Cryptotermes brevis é das pragas de insetos que maiores danos causam ao ser capaz de consumir toda a infraestrutura em madeira de uma habitação. $120 milhões são gastos anualmente nos EUA para o seu controlo e inumeráveis somas no resto do globo. Nos Açores, 17 freguesias de 6 ilhas estão delimitadas como áreas de risco de infestação e desconhece-se a situação em muitos locais de várias ilhas.

Imanes & armadilhas: envolvimento de munícipes açorianos no controlo de uma praga urbana

São Marcos, Rita; Arroz, Ana Margarida Moura; Neves, Isabel; Silva, Paulo Rogério; Gabriel, Rosalina; Guerreiro, Orlando; Borges, Paulo A. V.
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 13/04/2012 POR
Relevância na Pesquisa
47.05%
Fórum Internacional de Pedagogia II (FIPED) - "Investigar é conhecer". Universidade dos Açores, Angra do Heroísmo, Portugal, 13 e 14 de Abril de 2012.; A Cryptotermes brevis é das pragas de insetos que maiores danos causam ao ser capaz de consumir toda a infraestrutura em madeira de uma habitação. $120 milhões são gastos anualmente nos EUA para o seu controlo e inumeráveis somas no resto do globo. Nos Açores, 17 freguesias de 6 ilhas estão delimitadas como áreas de risco de infestação e desconhece-se a situação em muitos locais de várias ilhas.

AGRUPAI-T – Como tornar comum um problema de todos nós? Um estudo de caso para a facilitação da participação e envolvimento público na gestão de uma praga urbana

São Marcos, Rita; Arroz, Ana Margarida Moura; Neves, Isabel; Silva, Paulo Rogério; Gabriel, Rosalina; Borges, Paulo A. V.
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /10/2011 POR
Relevância na Pesquisa
47.05%
Workshop: Prevenção e controlo de espécies invasoras. Universidade dos Açores, Angra do Heroísmo (ilha Terceira), Portugal, 27 a 29 de Outubro de 2011.; Ver Livro de Resumos / Book of Abstracts no repositório institucional (RUAc): URI http://hdl.handle.net/10400.3/1650; A Cryptotermes brevis é das pragas de insetos que maiores danos causam ao ser capaz de consumir toda a infraestrutura em madeira de uma habitação. $120 milhões são gastos anualmente nos EUA para o seu controlo e inumeráveis somas no resto do globo.

Influência da idade na resistência natural da madeira de Eucalyptus grandis W. Hill ex. Maiden ao ataque de cupim de madeira seca (Cryptotermes brevis)

Silva,José de Castro; Caballeira Lopez,Antônio Gonzalo; Oliveira,José Tarcísio da Silva
Fonte: Sociedade de Investigações Florestais Publicador: Sociedade de Investigações Florestais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2004 PT
Relevância na Pesquisa
67.34%
Este trabalho objetivou testar a resistência natural da madeira de Eucalyptus grandis de quatro diferentes idades (10, 14, 20 e 25 anos) ao ataque de cupins de madeira seca. As amostras foram retiradas da prancha diametral, na região próxima ao cerne mais externo, em número de seis unidades por tora, de cada uma das 16 árvores (quatro de cada idade). Cada par de amostras foi colocado em contato com 40 indivíduos, da espécie Cryptotermes brevis (cupim de madeira seca), avaliando-se cada par comparativamente com corpos-de-prova de madeira altamente suscetível ao ataque de cupins, no caso a madeira de Pinus elliottii, sob idênticas condições laboratoriais, mediante observações em intervalos periódicos. Ao término do ensaio foram registrados a porcentagem de cupins mortos e o número de furos, além do desgaste produzido por esses insetos. Verificou-se que a madeira de 10 anos foi a mais severamente atacada, com desgaste semelhante ao da testemunha. As madeiras de 14, 20 e 25 anos não diferiram estatisticamente entre si, quanto à resistência natural ao ataque de cupim de madeira seca, todas classificadas como de desgaste acentuado. A madeira de todas as idades mostrou-se altamente suscetível ao ataque de cupins, revelando a baixa resistência natural da espécie.

Resistência das madeiras de pinus, cedro australiano e seus produtos derivados ao ataque de Cryptotermes brevis

Ribeiro,Marcelo Xisto; Bufalino,Lina; Mendes,Lourival Marin; Sá,Vania Aparecida de; Santos,Alexandre dos; Tonoli,Gustavo Henrique Denzin
Fonte: UFLA - Universidade Federal de Lavras Publicador: UFLA - Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
47.34%
Neste trabalho, objetivou-se comparar a resistência das madeiras de cedro australiano (Toona ciliata) e pinus (Pinus sp.) e de painéis aglomerados produzidos com essas espécies ao ataque do cupim de madeira seca Cryptotermes brevis, bem como quantificar a mortalidade dos insetos. Foram colocados 30 pseudo-operários em placas de Petri de acrílico de 9,5 cm de diâmetro, contendo as amostras (1,5 x 1,5 x 0,5 cm) e folhas de algodão posicionadas sobre as tampas perfuradas umedecidas diariamente com 5 ml de água. As placas foram acondicionadas em BOD (Biological Oxygen Demand) a 24±5ºC e escotofase de 24 h. Uma amostra testemunha sem fonte de alimentação foi incluída no bioensaio. O cálculo do índice de deterioração (ID) das amostras e a avaliação da mortalidade foram realizados após 60 dias. Os cupins da amostra testemunha apresentaram mortalidade maior em relação aos cupins dos demais tratamentos, os quais não se diferenciaram entre si. A madeira de Toona ciliata foi mais resistente ao ataque de Cryptotermes brevis em relação à madeira de Pinus sp. Os índices de deterioração médios foram de 1,74% e 6,62% para essas madeiras respectivamente. O índice de deterioração médio do painel produzido com 100% de Toona ciliata (ID=1...

Durabilidade natural de espécies florestais madeireiras ao ataque de cupim de madeira seca

Gonçalves,Fabricio Gomes; Pinheiro,Dênniel Trajinelli Coelho; Paes,Juarez Benigno; Carvalho,Acácio Geraldo de; Oliveira,Gisely de Lima
Fonte: Instituto de Florestas da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Florestas da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
47.18%
Esta pesquisa objetivou avaliar a resistência de dez madeiras ao térmita, Cryptotermes brevis, em condições de laboratório. As espécies estudadas foram amoreira (Chlorophora tinctoria), angelim-pedra (Hymenolobium petraeum), angico-vermelho (Anadenanthera columbrinavar. cebil), angico-verdadeiro (Anadenanthera peregrina), jacarandá-da-bahia (Dalbergia nigra), parajú (Manilkara longifolia), roxinho (Peltogine nitens), pau-brasil (Caesalpiniaechinata), Eucalyptus cloeziana e Eucalyptus torelliana. As madeiras estudadas foram susceptíveis ao ataque de C. brevis, à exceção das madeiras de A. columbrina e M. Longifolia; H. petraeum, D. nigra e C. echinata apresentaram mortalidade inferior à média das demais espécies. As madeiras de D. nigra, H. petraeum, C. echinata e E. Cloeziana foram as mais consumidas pelos cupins. C. tinctoria, P. nitens e E. torelliana apresentaramdesgastes superficiais. Nas madeiras de maior densidade e maiores teores de extrativos e de cinzas, observaram-se maiores valores de mortalidade dos cupins. Não existe, porém, uma característica única, que permita ser empregada visando a relacionar o ataque provocado pelos cupins nas madeiras estudadas.

Influência do campo eletromagnético no comportamento de cupins de madeira seca (Cryptotermes brevis)

Giovanella, Rodrigo
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
47.34%
Resumo: Este trabalho teve como objetivo determinar a relação e influência do campo eletromagnético sobre o organismo de cupins da espécie Cryptotermes brevis, ordem Isoptera, família Kalotermitidae, tendo como base o funcionamento fisiológico de seus sistemas. Para isto diferentes cupins foram submetidos a um campo eletromagnético máximo sob distintas temperaturas ambientes para avaliar a relação deste campo com o potencial elétrico biológico (teoria envolvida no desenvolvimento da equação de Nerst). Posteriormente, avaliou-se a variação da intensidade do campo eletromagnético, sob uma mesma temperatura, com o intuito de verificar a sensibilidade dos insetos ao mesmo. A partir dos resultados observou-se que os cupins são capazes de sentir a presença de um campo eletromagnético e responder a seus estímulos, por meio de taxia negativa e movimentações de corpo que se adaptam às variações de campo ao longo da região de exposição, como uma consequência da lei de Faraday de indução magnética e da hipótese ferromagnética, a qual se baseia na presença de partículas magnéticas no organismo que funcionam como sensores de campos. O campo eletromagnético fez com que os cupins tivessem descontrole de segmentos e de membros acessórios e alterações na estrutura de seus corpos. Estas alterações foram desencadeadas pela à influência do campo eletromagnético no sistema fisiológico que provocaram inchaço abdominal...

Resistência das madeiras de pinus, cedro australiano e seus produtos derivados ao ataque de Cryptotermes brevis; Resistance of pine, australian red cedar woods and their derivate products to Cryptotermes brevis attack

Fonte: UFLA - Universidade Federal de Lavras Publicador: UFLA - Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
PT
Relevância na Pesquisa
47.74%
The aim of this work was to compare the resistance of Australian red cedar (Toona ciliata) and pine (Pinus sp.) woods and particleboards made from these species to dry-wood termite Cryptotermes brevis attack, as much as to quantify the mortality of the insects. 30 termite pseudo-workers were put in each 9,5 cm-diameter Petri dishes containing the samples (1,5 x 1,5 x 0,5 cm) and cotton sheets positioned on the perforated covers, daily moisturized with 5 ml of water. The dishes were maintained in BOD (Biological Oxygen Demand) at 24±5 ºC and 24 h of escotophase. A control sample without any feed source was included in the bioassay. The deterioration index (ID) and mortality of the insects were evaluated after 60 days. Termites from the control sample presented higher termite mortality than the other treatments, which did not differ among each other. Toona ciliata wood was more resistant than Pinus sp. wood to Cryptotermes brevis attack. The average deterioration indexes were 1.74% and 6.62% respectively for those woods. The average deterioration index of the panels made with 100% Toona ciliata (ID=1.58%) was similar to the deterioration index of particleboards made with this specie mixed with Pinus sp. (ID=1.87%).; Neste trabalho...

Science, society, politics, and the media: joining efforts to manage the risk of termite infestation in the Azores

Arroz, Ana Margarida Moura; Palos, Ana Cristina Pires; Rego, Isabel Estrela; Borges, Paulo A. V.
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2008 ENG
Relevância na Pesquisa
47.18%
SRA 2008 Annual Meeting. Sunday, 7 December 2008 to Wednesday, 10 December 2008.; Termites are well-established and serious pests of structural wood infestation in different parts of the world. Presently, in the Azores archipelago (Portugal), the drywood termite Cryptotermes brevis (Insecta, Isoptera) has been referred to four of the nine islands, and the damages to the buildings and other artefacts are severe and constitute a serious threat, especially in its main towns. In order to control the situation there has been a considerable scientific and political investment to survey and classify the infestation, and to develop mitigation strategies, over the last five years. Nevertheless, the infestation is far from being controlled and, also, most of the Azorean citizens are still unaware of the dangers and risks associated to this urban pest. If, however, effective educational and management practices are initiated soon, the losses from C. brevis can be greatly reduced. Therefore, the major aims of this research project are: (i) to understand people’s perspectives about the consequences of the termite infestation and their appraisal about the effectiveness of the proposed and existing management strategies; (ii) to understand the functions of the media in the making of public opinion; (iii) to develop simple ways of communicating complex technical information according to people’s perception of who is accountable and trustworthy...