Página 1 dos resultados de 230 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Avaliação da resposta vasodilatadora em crianças obesas portadoras de polimorfismo dos receptores beta 2-adrenérgico; Evaluation the muscle vasodilatory responses in obese children with beta 2-adrenoceptor

Silva, Alexandre Galvão da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
47.02%
A obesidade é um dos maiores fatores de risco para o desenvolvimento de comprometimentos cardiovasculares. Essas alterações também são encontradas em crianças. Recentemente, estudos citam prejuízos cardiovasculares em crianças obesas. Estudos prévios in vitro e in vivo, sugeriram que alguns polimorfismos para o receptor beta 2-adrenérgico podem afetar de forma distinta as respostas à estimulação adrenérgica, levando a diferentes modulações cardiovasculares e metabólicas. No presente estudo, nós avaliamos a pressão arterial média, fluxo sangüíneo muscular e condutância vascular em resposta a estresse mental e exercício em crianças obesas homozigotas para Arg16 e Gln27 (Arg16/Gln27), Gly16 e Gln27 (Gly16/Gln27), e Gly16 e Glu27 (Gly16/Glu27) no receptor beta 2-adrenérgico. Inicialmente, foram pré-selecionadas 110 crianças obesas voluntárias do Ambulatório de Endocrinologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Essas crianças foram genotipadas para os alelos Arg 16, Gly16, Glu27 e Gln27 do beta 2-adrenoreceptor. No estudo, foram detectadas 40 crianças obesas em homozigoze para os alelos 16 e 27 do receptor beta 2-adrenérgico. Vinte e três eram homozigotas para Arg16/Gln27...

Efeito da perda de peso associada ao treinamento físico na eficiência ventilatória durante o exercício físico progressivo em crianças obesas; Effect of the weight loss associated with exercise training on ventilatory efficiency during graded exercise in obese children

Prado, Danilo Marcelo Leite do
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/09/2008 PT
Relevância na Pesquisa
47.03%
Crianças obesas apresentam redução da capacidade cardiorrespiratória e o excesso de peso corporal pode levar a uma diminuição da eficiência ventilatória. Assim, testamos as hipóteses que em crianças obesas: 1) A eficiência ventilatória está diminuída; 2) a perda de peso associada à dieta hipocalórica melhora a eficiência ventilatória em crianças obesas durante o exercício físico progressivo; e 3) a perda de peso associada à dieta hipocalórica mais ao treinamento físico restaura a eficiência ventilatória durante o exercício físico progressivo para os níveis observados em crianças eutróficas. Estudamos 38 crianças obesas (10,2±0,2 anos; IMC>95%) que foram divididas aleatoriamente em dois grupos: dieta (n=17; IMC= 30±1 kg/m2) e dieta associada ao treinamento físico (n=21; 28±1 kg/m2). Dez crianças eutróficas controle foram incluídas no estudo (9,9±0,3 anos; 17± 0,5 kg/m2). Todas as crianças realizaram teste cardiorrespiratório máximo em esteira para determinação do limiar anaeróbio ventilatório e da capacidade cardiorrespiratória. A eficiência ventilatória foi determinada pelo método do equivalente ventilatório de dióxido de carbono (VE/VCO2) no limiar anaeróbio ventilatório. Crianças obesas mostraram reduzida capacidade cardiorrespiratória e menor eficiência ventilatória em comparação as controle (25...

Efeito do treinamento físico no controle autonômico e nas variáveis hemodinâmicas de crianças obesas; Effect the exercise training in the autonomic control and homodynamic variables of the obese children

Ribeiro, Mauricio Maltez
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/08/2006 PT
Relevância na Pesquisa
56.98%
Introdução. O efeito da dieta e da dieta associada ao treinamento físico na resposta vasodilatadora e no controle autonômico cardíaco durante manobras fisiológicas ainda não foram estudados em crianças obesas. Portanto, o objetivo deste estudo foi demonstrar que: 1) o controle autonômico cardíaco pode estar alterado na criança obesa; 2) a resposta de pressão arterial e a resposta vasodilatadora podem estar alteradas na criança obesa durante o exercício isométrico e o estresse mental; 3) dieta e treinamento físico podem melhorar o controle autonômico cardíaco; e 4) dieta associada ao treinamento físico restaura a resposta de pressão arterial e a resposta vasodilatadora durante manobras fisiológicas em crianças obesas. Métodos e Resultados. Trinta e nove crianças obesas (10±0,2 anos) foram randomizadas e divididas em dois grupos: Dieta associada ao Treinamento Físico (n=21, IMC=28±0,5 kg/m2) e Dieta (n=18, IMC=30±0,4 kg/m2). Dez crianças controles magras, da mesma idade, também foram estudadas (IMC=17±0,5 kg/m2). O controle autonômico foi estudado pela variabilidade da freqüência cardíaca. O fluxo sangüíneo do antebraço (FSA) foi mensurado pela técnica de Pletismografia de Oclusão Venosa. A pressão arterial (PA) foi monitorada de forma não-invasiva. O exercício isométrico no "Handgrip" foi realizado à 30% da Contração Voluntária Máxima (CVM) por 3 minutos. "Stroop color word test" foi realizado durante 4 minutos. Neste estudo...

Efeitos de um programa de intervenção motora em crianças, obesas e não obesas, nos parâmetros motores, nutricionais e psicossociais

Berleze, Adriana
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
47.02%
O objetivo desta pesquisa, de delineamento quase-experimental, foi investigar os efeitos de um Programa de Intervenção Motora, em crianças obesas e não-obesas, nos parâmetros motores, nutricionais e psicossociais. A amostra desta pesquisa foi de 78 crianças (38 crianças do grupo interventivo e 40 crianças do grupo controle), com idades de 5 a 7 anos. Para as avaliações das crianças, foram utilizadas a avaliação antropométrica, tendo como referência os padrões do National Center for Health and Statistics; a avaliação motora no teste e em contexto de aprendizagem, por meio do Test of Gross Motor Development-2 (TGMD-2) (ULRICH, 2000); a escala Pictorial Scale of Perceived Competence and Acceptance for Young Children (HARTER; PIKE, 1980); e as categorias descritoras de respostas (RINK, 1996). O programa foi desenvolvido em 28 semanas, implementando os pressupostos da estrutura TARGET à aprendizagem das habilidades motoras básicas. General Linear Model com medidas repetidas no fator tempo foi conduzido para avaliar os efeitos do programa no estado nutricional, no desempenho motor, nos níveis de percepção de competência e nas categorias descritoras de respostas. Análise de variância com medidas repetidas no fator tempo...

Respostas termorregulatórias de meninas pré-puberes magras e obesas que pedalam em condição termoneutra e de calor

Leites, Gabriela Tomedi
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.89%
Crianças frequentemente realizam atividades físicas em ambientes quentes. O calor pode afetar o desempenho, conforto subjetivo, tolerância ao exercício e ser preocupante para a saúde. Além disso, parece que crianças obesas, comparadas com as magras, apresentam desvantagens ao se exercitarem no calor. Devido à importância do exercício aeróbio para o manejo da obesidade e promoção da saúde, essas diferenças merecem ser elucidadas, principalmente em meninas, devido à escassez de informações. Objetivo: Comparar as respostas termorregulatórias e perceptivas de meninas pré-púberes magras e obesas durante e após uma sessão de exercício, de similar intensidade relativa, em condição ambiental termoneutra e de calor. Métodos: Para a revisão da literatura, foram selecionados artigos com as palavras chaves: thermoregulation, obesity, children, girls, sweating, exercise, heat, hydration e acclimatization. No estudo experimental, vinte e sete meninas ativas e aclimatizadas, alocadas nos grupos magras e obesas conforme a adiposidade (≤ 25% para as magras e  30% para as obesas) medida pelo DXA, participaram do estudo. Elas pedalaram (carga de 55% do VO2pico) e recuperaram (sentadas) por 30 minutos numa condição termoneutra e outra de calor...

Intervenção multidisciplinar no perfil de risco cardiovascular, aptidão física e qualidade de vida relacionada à saúde de crianças obesas

Poeta, Lisiane Schilling
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 137 p.| il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
56.76%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Desportos, Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Florianópolis, 2011; O objetivo do estudo foi avaliar os efeitos de um programa de intervenção multidisciplinar no perfil de risco cardiovascular, aptidão física e qualidade de vida relacionada à saúde de crianças obesas. Métodos: 44 crianças com idades entre oito e 11 anos foram divididas em dois grupos: grupo caso (n=22) e grupo controle (n=22), pareados por sexo e idade. Mensuraram-se antes e após o programa: intensidade de atividade física e consumo alimentar, massa corporal, estatura, circunferência abdominal, colesterol total, HDL-colesterol, LDL-colesterol, triglicérides, glicemia, proteína C cutâneas (bíceps, tríceps, subescapular, suprailíaca, abdominal e panturrilha medial), perímetros (braço, panturrilha e quadril), desempenho dos testes de aptidão física (flexibilidade, força abdominal e força de preensão manual) e qualidade de vida relacionada à saúde autorreferida nos domínios físico, emocional, escolar, social, psicossocial e qualidade de vida geral. O grupo caso participou de um programa de 12 semanas consecutivas de exercício físico com atividades recreativas em três sessões semanais de 60 minutos e uma sessão semanal de orientação nutricional aos pais e às crianças. O grupo controle não participou da intervenção...

Níveis de actividade física habitual em crianças obesas sujeitas a um programa de exercício

Aires, L.; Santos, P.; Ribeiro, J.; Rego, C.; Mota, J.
Fonte: Revista Nacer e Crescer Publicador: Revista Nacer e Crescer
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2004 POR
Relevância na Pesquisa
56.71%
RESUMO Este estudo tem como objectivo analisar as diferenças nos níveis de actividade física: 1) em dias úteis com sessões de actividade física orientada; 2) dias úteis sem sessões de actividade física orientada e 3) fim-de-semana. A amostra é constituída por 35 crianças e adolescentes (18 rapazes e 17 raparigas) com excesso de peso e obesidade, com idades compreendidas entre os 6 e os 14 anos, recrutadas de um grupo de atendimento hospitalar e participantes no Projecto ACORDA. O Acelerómetros foi utilizado como medida objectiva da actividade física habitual, durante 7 dias consecutivos. Os resultados mostram que os dias úteis com aula têm um volume superior e estatisticamente significativo (p≤0,05) de actividade (counts.min-1) em relação aos dias úteis sem aula e fim-desemana. A percentagem de tempo despendido em actividades moderadas, vigorosas e muito vigorosas (MVMV) nos dias úteis com aulas é superior à dos dias úteis sem aulas e ao fim de semana sem, contudo, apresentar diferenças estatisticamente significativas. Verifica- -se ainda uma homogeneidade dos padrões de actividade nos dias úteis com e sem intervenção e no fim-de-semana, com um pico de intensidade entre as 17h e às 19h no momento de actividade programada. Os resultados sugerem que um programa de actividade física pode ajudar a aumentar os níveis de actividade física em crianças obesas...

Avaliação da medida do perímetro braquial como metodologia de triagem de crianças pré-escolares obesas

Almeida,Carlos A.N. de; Del Ciampo,Luiz A.; Ricco,Rubens G.; Silva Jr.,Sergio M.; Naves,Rosiane B.; Pina,Jennifer F.
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2003 PT
Relevância na Pesquisa
46.9%
OBJETIVOS: O presente estudo visou a avaliar se o perímetro braquial poderia ser utilizado para a triagem de crianças obesas na idade pré-escolar. MÉTODOS: 1.090 crianças com idades entre 12 e 59,99 meses foram estudadas, obtendo-se informações pessoais, além de peso, estatura e perímetro braquial. Foram obtidas as sensibilidades e especificidades de diferentes escores z de perímetro braquial para idade e perímetro braquial para estatura, para a detecção de crianças obesas, definidas como aquelas que apresentaram escore z de peso para estatura acima de 2. RESULTADOS: Das 1.090 crianças avaliadas, 6,6% apresentaram escore z de peso para estatura acima de 2. O escore z de 0,7 do indicador perímetro braquial para idade determina a melhor associação entre sensibilidade (76,5%) e especificidade (77,9%), para a detecção das crianças obesas. O escore z de 0,6 do indicador perímetro braquial para estatura determina a melhor associação entre sensibilidade (79,4%) e especificidade (77,6%) para a detecção das crianças obesas. CONCLUSÕES: Não se observou vantagem do uso do perímetro braquial relacionado à estatura quando comparado à sua relação com a idade. Dessa forma, propõem-se pontos de corte, utilizando-se apenas o indicador perímetro braquial para idade que...

Variabilidade da frequência cardíaca, lípides e capacidade física de crianças obesas e não-obesas

Paschoal,Mário Augusto; Trevizan,Patrícia Fernandes; Scodeler,Natália Folco
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
46.86%
FUNDAMENTO: A obesidade pode afetar a modulação autonômica cardíaca, os lípides do sangue e a capacidade física. OBJETIVO: Estudar a interferência da obesidade sobre a variabilidade da frequência cardíaca (VFC), os lípides do sangue e a capacidade física de crianças obesas. MÉTODOS: Foram estudadas 30 crianças com idades entre 9 a 11 anos, divididas em dois grupos: a) 15 crianças obesas (O) com 10,2 ± 0,7 anos de idade e índice de massa corporal (IMC) no percentil entre 95 e 97; b) 15 crianças não-obesas (NO) com 9,8 ± 0,7 anos de idade e IMC no percentil entre 5 e 85. Todas foram submetidas a avaliação antropométrica e clínica, análise da VFC ao repouso e a um protocolo de esforço (PE). Utilizaram-se testes não-paramétricos para comparar as variáveis entre os grupos, e o nível de significância aplicado foi de p < 0,05. RESULTADOS: A circunferência abdominal e os níveis de triglicérides foram maiores em O. A atividade simpática cardíaca, na posição bípede, em unidades normalizadas - BFun, foi maior para os O, com 71,4 %, quando comparada aos 56,3% de NO; e a razão baixa/alta frequência (BF/AF) foi de 3,8 para O e 1,7 para NO. No PE constataram-se diferenças entre os grupos, com maiores valores para as crianças NO...

Avaliação de depressão, problemas de comportamento e competência social em crianças obesas

Luiz,Andreia Mara Angelo Gonçalves; Gorayeb,Ricardo; Liberatore Júnior,Raphael Del Roio
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.98%
O objetivo deste estudo foi avaliar a ocorrência de depressão, problemas comportamentais e competência social em crianças obesas, comparativamente a crianças não obesas. Participaram do estudo 90 crianças, das quais 60 eram obesas e 30 não eram, com idade entre 7 e 13 anos. Na coleta de dados foram utilizados: Ficha de Identificação, Inventário de Depressão para Crianças e Inventário de Comportamentos da Infância e Adolescência. Os dados foram analisados quantitativamente, com testes estatísticos não paramétricos e paramétricos, com nível de significância de 0,05. Os resultados apontaram diferença significativa entre as crianças obesas e as crianças não obesas em relação às variáveis psicológicas estudadas. Na análise multivariada, a depressão e os distúrbios internalizantes foram as variáveis que mais discriminaram as crianças obesas das não obesas. Os dados indicam, portanto, a necessidade de uma intervenção precoce e a realização de programas de prevenção.

Auto conceito e imagem corporal em crianças obesas

Carvalho,Ana Maria Pimenta; Cataneo,Caroline; Galindo,Elizângela Moreira Careta; Malfará,Carolina Tomain
Fonte: Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2005 PT
Relevância na Pesquisa
56.92%
Este trabalho teve como objetivo descrever o que pensam crianças obesas sobre seus corpos. Para tanto o delineamento metodológico incluiu um grupo de obesos e outro de não obesos. As crianças responderam a dois instrumentos que tocam nessas questões de forma sistematizada - Escala Piers Harris de Auto-Conceito e Eating Behviours and Body Image Test. O grupo de crianças obesas era composto por 14 meninas e 13 meninos, com idades entre 10 a 12 anos e índice de massa corporal variando de P85 a P95 ou acima; o de não obesas era composto por 15 meninas e 12 meninos, com a mesma faixa etária e índice de massa corporal entre P5 a P<85. Os resultados mostraram que as crianças obesas estão mais insatisfeitas com seu corpo e aparência. Entretanto, elas identificam em si características físicas positivas e outros atributos pessoais. Embora menos preocupadas, as crianças não obesas também manifestam insatisfação, possivelmente devido às pressões culturais sobre a aparência física.

Qualidade de vida relacionada à saúde de crianças obesas

Poeta,Lisiane Schilling; Duarte,Maria de Fátima da Silva; Giuliano,Isabela de Carlos Back
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.96%
OBJETIVO: Avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde de crianças obesas. MÉTODOS: A pesquisa é do tipo descritiva e de corte transversal. A amostra foi composta por 131 crianças com idades entre 8 e 12 anos, sendo 50 crianças obesas (grupo de estudo) e 81 eutróficas (grupo controle). Todas as crianças participaram da avaliação antropométrica (massa corporal e estatura) para verificação do Índice de Massa Corporal, utilizando os critérios do NCHS-CDC para caracterização do estado nutricional. Para a avaliação da qualidade de vida foi utilizado o questionário PedsQL - versão genérica para crianças, validado para a população brasileira. Foi utilizada a estatística descritiva, o Teste U de Mann Whitney e o teste t de Student não pareado, com nível de significância p < 0,05. RESULTADOS: O grupo de crianças obesas apresentou qualidade de vida inferior em todos os quatro domínios em relação às crianças eutróficas, com diferença significante nos domínios físico, emocional, social, psicossocial e na qualidade de vida geral. De um total de 100 pontos, a mediana da qualidade de vida geral das crianças obesas foi 69,9 enquanto que das eutróficas foi 82,2. CONCLUSÃO: Na nossa amostra, as crianças obesas apresentaram pior qualidade de vida relacionada à saúde quando comparadas às crianças eutróficas...

Influência da vitamina C na modulação autonômica cardíaca no repouso e durante o exercício isométrico em crianças obesas

Lira,Fabio Alexandre dos Santos; Brasileiro-Santos,Maria do Socorro; Borba,Vanessa Vieira Lopes; Costa,Maria José Carvalho; Dantas,Pricilla Regina Oliveira Fernandes; Santos,Amilton da Cruz
Fonte: Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira Publicador: Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.93%
OBJETIVOS: comparar, entre obesos e eutróficos, os parâmetros de modulação autonômica cardíaca e analisar o efeito da suplementação da vitamina C na modulação autonômica cardíaca em crianças obesas, no repouso e durante o exercício isométrico respectivamente. MÉTODOS: participaram oito crianças eutróficas (IMC = 18 ± 1Kg/cm²) e 21 obesas (IMC = 29 ± 1Kg/cm²), com idade entre 8 e 11 anos, ambos os gêneros, distribuídas em dois grupos: suplementadas com 500 mg de vitamina C (n=11), e placebo (n=10), durante 45 dias. Modulação autonômica cardíaca foi avaliada por análise espectral da variabilidade da frequência cardíaca em repouso e durante o exercício isométrico. RESULTADOS: crianças obesas, no repouso e durante o exercício isométrico, apresentaram uma maior ativação simpática cardíaca e uma menor atividade vagal. Quando se comparou os componentes espectrais de baixa e alta frequência entre os grupos avaliados, observaram-se diferenças significativas. Após suplementação com vitamina C, os componentes espectrais foram similares àqueles observados nas crianças eutróficas, tanto no repouso como durante o exercício isométrico. CONCLUSÕES: crianças obesas apresentam uma maior atividade simpática e menor atividade vagal no repouso e durante o exercício isométrico quando comparada as crianças eutróficas. Como também...

Avaliação de depressão, problemas de comportamento e competência social em crianças obesas; Evaluation of depression, behavioral problems and social skills in obese children

LUIZ, Andreia Mara Angelo Gonçalves; GORAYEB, Ricardo; LIBERATORE JÚNIOR, Raphael Del Roio
Fonte: PPG em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: PPG em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.98%
O objetivo deste estudo foi avaliar a ocorrência de depressão, problemas comportamentais e competência social em crianças obesas, comparativamente a crianças não obesas. Participaram do estudo 90 crianças, das quais 60 eram obesas e 30 não eram, com idade entre 7 e 13 anos. Na coleta de dados foram utilizados: Ficha de Identificação, Inventário de Depressão para Crianças e Inventário de Comportamentos da Infância e Adolescência. Os dados foram analisados quantitativamente, com testes estatísticos não paramétricos e paramétricos, com nível de significância de 0,05. Os resultados apontaram diferença significativa entre as crianças obesas e as crianças não obesas em relação às variáveis psicológicas estudadas. Na análise multivariada, a depressão e os distúrbios internalizantes foram as variáveis que mais discriminaram as crianças obesas das não obesas. Os dados indicam, portanto, a necessidade de uma intervenção precoce e a realização de programas de prevenção.; The objective of the study was to evaluate the occurrence of depression, behavioral problems and social skills in obese children, contrasting to children who are not obese. Ninety children, ages between 7 and 13, participated in this study; 60 were obese and 30 were not. Data was collected using the following methods: Identity Cards; Children's Depression Inventory and the Child Behavior Checklist. Data analysis was performed quantitatively...

Avaliação da ecogenicidade hepática através de análise computadorizada em crianças obesas e eutróficas

Soder, Ricardo Bernardi
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
56.91%
OBJETIVOS: Até o momento, não existe um método simples que avalie a ecogenicidade hepática por análise computadorizada. O objetivo desse estudo é propor uma metodologia acessível e reprodutível para quantificação da ecogenicidade hepática em crianças obesas e eutróficas através de análise computadorizada, estabelecendo uma correlação com os exames laboratoriais. MATERIAIS E MÉTODOS: O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa de nossa instituição e todos os pais ou responsáveis legais pelas crianças assinaram o termo de consentimento para participar do estudo. Vinte e duas crianças entre 6 e 11 anos foram alocadas em dois grupos de 11 crianças, emparelhadas por sexo e idade. Todas as crianças realizaram ultra-sonografia abdominal, medidas antropométricas e exames laboratoriais. Utilizou-se um programa de análise computadorizada de imagens (ImageJ) para calcular o índice hepatorrenal (IHR), que representa a diferença de ecogenicidade entre o parênquima hepático e o córtex renal. Para análise estatística, foram utilizados o teste t de Student e o teste de Mann-Whitney. RESULTADOS: O IHR foi estatisticamente diferente entre as crianças obesas e eutróficas (33. 9±6. 6 versus 14. 1±6. 1...

Autoestima e relações familiares e sociais de crianças obesas

Baleeiro, Michele Santos
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.9%
A obesidade vem sendo tratada como um problema de saúde pública, não apenas no Brasil, mas também em outros países. Observa-se um aumento no número de crianças obesas em nosso país, principalmente na faixa etária entre 5 e 9 anos de idade. Esse fato pode estar relacionado com o cotidiano, o estilo de vida das famílias, a vida corrida dos pais e características da vida moderna. Com esses indicadores elencados, a autoestima das crianças é tratada como um dos fatores primordiais para a saúde psíquica e física do indivíduo levando-se em conta o meio em que estão inseridas. A família também pode estar sendo afetada por essas questões e por isso pode encontrar alguns obstáculos para lidar com essas demandas. O objetivo deste trabalho foi estudar a autoestima de crianças obesas, identificando os sentimentos e a forma como percebem o próprio corpo e as relações com a família e amigos/escola. Participaram do estudo 5 crianças com idade entre 7 e 11 anos de famílias que fazem parte de um projeto de pesquisa em andamento na UCB. O referido projeto envolve várias atividades com a família das crianças, porém no presente trabalho vamos apresentar uma análise dos dados levantados no grupo de crianças que teve 4 encontros com temas e objetivos específicos. Os dados foram analisados por meio do método construtivo - interpretativo e discutidos de acordo com a abordagem sistêmica da família. Os resultados mostraram que as crianças obesas percebem os maus-tratos por parte da família e de colegas relacionados com a obesidade; percebem que são ‘grandes’; mostram o desejo de mudar seus corpos; apresentam autoestima baixa; expressam motivação para mudar seus comportamentos com vista a emagrecer; conseguem distinguir entre alimentos saudáveis e não saudáveis. Os dados sobre a dinâmica familiar revelam que os pais parecem não saber como lidar com xingamentos e apelidos usados pelos irmãos...

Auto conceito e imagem corporal em crianças obesas; Self concept and body image in obese children

Carvalho, Ana Maria Pimenta; Cataneo, Caroline; Galindo, Elizângela Moreira Careta; Malfará, Carolina Tomain
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2005 POR
Relevância na Pesquisa
56.79%
Este trabalho teve como objetivo descrever o que pensam crianças obesas sobre seus corpos. Para tanto o delineamento metodológico incluiu um grupo de obesos e outro de não obesos. As crianças responderam a dois instrumentos que tocam nessas questões de forma sistematizada - Escala Piers Harris de Auto-Conceito e Eating Behviours and Body Image Test. O grupo de crianças obesas era composto por 14 meninas e 13 meninos, com idades entre 10 a 12 anos e índice de massa corporal variando de P85 a P95 ou acima; o de não obesas era composto por 15 meninas e 12 meninos, com a mesma faixa etária e índice de massa corporal entre P5 a P; This study aimed to describe what obese children think about their bodies. The methodological design included two groups - obese and non obese children. The children were asked to answer two instruments that offer a systemized treatment of these questions - the Piers-Harris Self Concept Scale and the Eating Behaviors and Body Image Test. The obese group consisted of 14 girls and 13 boys between 10 and 12 years old, whose body mass index ranged from P85 to P95 or higher. The non obese group consisted of 15 girls and 12 boys in the same age range, whose body mass index ranged from P5 and P

Caracterização do arco longitudinal plantar de crianças obesas por meio de índices da impressão plantar; Characterization of the longitudinal plantar arch of obese children using plantar print indexes

Souza, Priscila S.; João, Silvia M. A.; Sacco, Isabel de C. N.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2007 POR
Relevância na Pesquisa
46.93%
OBJETIVO: descrever o desenvolvimento do arco longitudinal medial (ALM) do pé de crianças obesas e verificar a concordância entre 5 índices da impressão plantar que caracterizam este arco. MÉTODOS: 156 crianças obesas, ambos os sexos, idade entre 4 e 10 anos, pertencentes a escolas pública e privada da cidade de São Paulo, Brasil. As crianças classificadas como obesas foram selecionadas entre 1535 crianças estudantes de cinco escolas, com idade entre 4 e 10 anos. Em seguida foram coletadas as impressões plantares de cada criança e calculados índices que caracterizaram o ALM: índice de Cavanagh e Rodgers - CR, índice de Staheli - IS1 e IS2, índice de Chipaux-Smirak ICS e ângulo alfa de Clarke - AA. RESULTADOS: CR, IS e ICS mostraram que a grande alteração na forma do ALM ocorre na transição dos 8 para os 9 anos e o AA mostra dois momentos, passagem dos 6 para os 7 anos e dos 8 para os 9 anos. De uma maneira geral, a classificação IS1 foi a mais discrepante para classificar o ALM nessas crianças e o CR a mais constante. CONCLUSÕES: Observou-se que o ALM se forma mais tardiamente em crianças obesas (8 para 9 anos) em relação às crianças não obesas (5 para 6 anos). Quanto aos índices, houve semelhança na descrição do desenvolvimento do ALM entre CR...

PARÂMETROS ESPAÇO-TEMPORAIS DO ANDAR EM CRIANÇAS OBESAS E COM PESO NORMAL DE ACORDO COM O SEXO; SPACE-TEMPORAL PARAMETERS OF GAIT IN OBESE AND NON-OBESE CHILDREN ACCORDING TO THEIR SEX

Kleiner, Ana F. R.; Gobbi, Lilian T. B.; Menucchi, Marcos T. P.; Oliveira, Maria D. T. de; Pieruccini-Faria, Frederico
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 19/12/2004 POR
Relevância na Pesquisa
56.55%
Características corporais interferem no desempenho motor. Para analisar os parâmetros espaço-temporais do andar em crianças obesas e de peso normal, por sexo, 23 crianças entre 7 e 10 anos de idade, foram intencionalmente selecionadas e distribuídas em dois grupos: obeso (OB, n=9) e normal (N, n=14). Marcadores reflexivos foram afixados em pontos anatómicos(quinto metatarso, maléolo lateral e calcando). Os participantes andaram sobre uma passarela de 8m de comprimento na velocidade preferida e foram filmados no plano sagital. As variaveis descritivas analisadas foram: comprimento da passada (CP), comprimento da passada normalizado pela estatura (CPN) duração da passada (DP), velocidade da passada (VP), duração da fase de balanço (DFB) e duração da fase de suporte (DFS). Os resultados revelaram que: grupo isoladamente interfere em CPN e DP; sexo isoladamente afeta CP, CPN, VP; grupo e sexo afetam CPN, DFB, DP. Assim, o aumento da massa corporal ocasiona mudanças nos parâmetros espaço- temporais do andar quando sexo é considerado.; Considering that body features interfere in motor performance, the aim of this study was to analyze the changes in spatial and temporal parameters of gait in obese, and non-obese children according to the gender.23 children intentionally selected participated in this study and they were distributed between two experimental groups according to their body mass index:obese (OB...

Estudo da distribuição das pressões plantares em crianças obesas: efeitos de um programa de intervenção; A study on the plantar pressure distribution in obese children: effects of an intervention program

Filippin, Nadiesca Taisa; Sacco, Isabel de Camargo Neves; Barbosa, Vera Lúcia Perino; Costa, Paula Hentschel Lobo da
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Educação Física e Esporte Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Educação Física e Esporte
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2008 ENG
Relevância na Pesquisa
56.71%
A condição de obesidade está associada com riscos à integridade estrutural e funcional de membros inferiores e as medidas de pressão plantar são ferramentas importantes para avaliar tais riscos. O estudo teve como objetivo analisar o efeito de um programa de intervenção multidisciplinar para o controle da obesidade sobre o comportamento da distribuição das pressões plantares em crianças obesas. Foram avaliadas 20 crianças, divididas em dois grupos (grupo experimental e grupo controle), de ambos os sexos, com idades entre nove e 11 anos. Os dados foram coletados antes e depois de um período de intervenção, que teve duração de três meses. As avaliações incluíram medidas das variáveis de pressão plantar, em seis áreas anatômicas dos pés, na postura ereta e na marcha por meio do sistema Pedar (Novel, GMbH). A partir dos resultados obtidos constatou-se que a massa corporal está minimamente correlacionada com a pressão plantar, o que pode explicar, parcialmente, a ausência de efeitos do programa especificamente delineado para este estudo sobre as variáveis selecionadas. Especula-se, porém, que modificações na distribuição das pressões plantares iniciem-se na região do médio-pé. Dessa forma, recomenda-se que programas de intervenção sejam associados ao treino das funções estáticas e dinâmicas dos pés...