Página 1 dos resultados de 2634 itens digitais encontrados em 0.036 segundos

Percepção das crianças em idade escolar sobre o profissional de enfermagem

Dias, Rui Jorge Barbosa
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
105.99%
Projeto de Graduação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Licenciado em Enfermagem; O presente projecto de graduação e integração profissional, desenvolvido no âmbito da Licenciatura em Enfermagem, tenta aprofundar a questão da percepção das crianças em idade escolar, nomeadamente a frequentar o terceiro e quarto ano do primeiro ciclo, relativamente ao profissional de Enfermagem. No presente trabalho serão abordadas definições como a de Enfermagem e consequentemente o papel do profissional da área, a de percepção, a de criança, entre outras que serão pertinentes para o desenvolvimento deste projecto. Dentro dos objectivos do investigador este tenta perceber se as crianças reconhecem os diferentes papéis desenvolvidos pelo Enfermeiro de cuidados gerais, se mencionam a sua importância social e se identificam as suas funções para além da sua componente prática e especificamente se indicam o papel de educador do profissional. The present research project and professional integration, developed under the Nursing Degree, try to understand the perception of school-age children, specifically the third and fourth year of the first cycle...

Exposição gestacional ao etanol e avaliação de níveis de cortisol salivar em crianças em idade escolar; Gestational exposure to ethanol and assessment of salivary cortisol levels in school age children

Rodriguez, Isela Iveth González
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/10/2014 PT
Relevância na Pesquisa
106.08%
INTRODUÇÃO: Consumo de álcool na gestação é um sério problema de saúde pública envolvendo grande risco de embriotoxicidade e teratogenicidade fetal. Exposição fetal ao álcool causa liberação de glicocorticóides (GC) pela suprarrenal como conseqüência da ativação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (HPA). Cortisol é o principal glicocorticóide endógeno capaz de interferir na atividade orgânica, influenciando a retroinibição do eixo HPA. Álcool consumido na gravidez pode alterar indiretamente o desenvolvimento fetal ao perturbar as interações hormonais normais dos eixos hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA), hipotálamo-hipófise-tireoidal (HPT), hipotálamo-hipófise-gonadal (HPG), entre mãe e feto. OBJETIVOS: Comparar dosagens de cortisol salivar em crianças em idade escolar, com e sem histórico prévio de exposição intrauterina ao álcool, e sua relação com risco materno para Fetal Alcohol Spectrum Disorder (FASD) e intensidade do uso de álcool na gestação. METODOLOGIA: Amostra foi constituída de 76 pares de crianças e mães, de doze a treze anos de idade. Para análise do cortisol, foi coletada saliva e feitas análises por radioimunoensaio. RESULTADOS: Em relação à caracterização da amostra em função do risco materno se obteve significância para "mãe praticante de religião" (X²: 5...

Construindo um processo cuidativo-educativo em enfermagem a partir da percepção de saúde em crianças em idade escolar de um bairro periférico de Florianópolis

Silva, Rafaela Reis da
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: [173] f.| tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
96.14%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.; Trata-se de uma prática assistencial refletida, que se desenrolou através da construção de um processo cuidativo-educativo a partir da percepção de saúde de crianças em idade escolar. Realizou-se num bairro periférico com crianças carentes participantes de um projeto de educação complementar no município de Florianópolis. Teve como objetivo construir um processo cuidativo-educativo em enfermagem a partir da percepção de saúde de crianças em idade escolar. A fundamentação teórica apresenta: conceitos de crescimento e desenvolvimento e sua relação com a realidade da criança brasileira e as atividades educativas em saúde junto à criança em idade escolar, o marco conceitual é apresentado com base nos autores Paulo Freire e Lennart Nordenfelt. O processo cuidativo-educativo constituiu-se de um processo de enfermagem aliado ao Círculo da Cultura de Paulo Freire e ao conceito de saúde de Nordenfelt. No histórico do processo desvelou-se a percepção de bem e mal-estar das crianças, o que possibilitou a detecção de seus objetivos de saúde. Estas percepções foram captadas por depoimentos orais...

Análise do desenvolvimento linguístico de crianças em idade escolar

Cadório, Inês Ribeiro
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
126.19%
O presente trabalho tem como objetivo principal fornecer dados de referência sobre as competências de compreensão auditiva e de expressão verbal oral nos domínios da semântica e morfossintaxe, e metalinguagem nos domínios da semântica, morfossintaxe e fonologia de crianças em idade escolar. O estudo pretende, também, analisar a influência de variáveis extralinguísticas (e.g., género, idade, meio, ESE e método de alfabetização) no desenvolvimento linguístico das crianças. A amostra é constituída por 80 crianças falantes do Português Europeu, com idades compreendidas entre os 6 anos e 0 meses e os 6 anos e 11 meses e com um desenvolvimento linguístico normal. Na fase de pré-avaliação foram utilizados dois instrumentos: um questionário de caraterização sociocultural dirigido aos professores titulares e um questionário de caraterização socioeconómica dirigido aos cuidadores das crianças. A recolha de dados foi efetuada através do Teste de Linguagem – Avaliação de Linguagem Pré-Escolar (TL-ALPE). Os dados obtidos mostram que: as crianças do género feminino apresentaram um melhor desempenho em todos os domínios avaliados; o grupo de crianças mais velhas obteve melhores resultados comparativamente ao grupo de crianças mais novas...

Caracterização do nível de consciência fonológica em idade escolar

Leitão, Gina Alexandra Vinagre
Fonte: Instituto Politécnico de Setúbal. Escola Superior de Saúde Publicador: Instituto Politécnico de Setúbal. Escola Superior de Saúde
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /03/2013 POR
Relevância na Pesquisa
96.15%
Dissertação de Mestrado em Desenvolvimento e Perturbações da Linguagem na Criança; Este estudo tem como principal objetivo descrever o desempenho de crianças em idade escolar (1º, 2º e 3º ano de escolaridade) em tarefas de consciência fonológica, assim como contribuir para a validação de um instrumento de avaliação de consciência fonológica em idade pré-escolar e escolar. Foram analisados os desempenhos em tarefas de consciência fonológica relativos a 30 crianças do 1º ano de escolaridade, 30 crianças do 2º ano e 31 crianças do 3º ano, com desenvolvimento típico da linguagem, falantes monolingues do português europeu, com boa capacidade de discriminação auditiva, sem défices cognitivos nem dificuldades na aquisição da leitura e escrita e que não frequentem, ou que já tenham frequentado terapia da fala. O estudo é descritivo, experimental e multifactorial, e teve por base um instrumento de avaliação constituído por dezassete provas, que testam cinco níveis de consciência fonológica (consciência lexical, silábica, intrassilábica, fonémica e de acento). Os dados foram analisados segundo a comparação do desempenho dos diferentes anos escolares nas diferentes provas. Verificou-se que, em idade escolar...

Interpretações de ameaça e estratégias de coping em crianças em idade escolar face a situações ambíguas

Cabral, Andreia Carina Nunes
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
126.17%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica da Saúde e da Doença), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011; De acordo com alguns modelos cognitivos (Beck et al., 1985, cit. por Puliafico & Kendall, 2006; Kendall, 1985, cit in. por Muris & Doorn, 2001), a ansiedade patológica resulta da hiperactivação crónica de esquemas relacionados com a vulnerabilidade pessoal e o perigo, levando os indivíduos, quando confrontados com algum tipo de ameaça, novidade ou ambiguidade, a direccionarem os seus recursos atencionais e de processamento da informação para o estímulo ameaçador, dando origem a distorções cognitivas. Uma das metodologias utilizadas para a avaliação dos enviesamentos de interpretação baseia-se no paradigma das situações ambíguas - breve descrição de situações de conteúdo ambíguo facilmente reconhecidas do quotidiano de uma criança -, através do qual é avaliado o tipo de interpretações efectuadas face a situações de conteúdo ambíguo e as estratégias utilizadas para lidar com as mesmas. O presente trabalho integra dois estudos. O primeiro tem por objectivo o desenvolvimento da versão portuguesa do Questionário de Situações Ambíguas (QSA - versão experimental de Pereira...

Paternidade na infância : envolvimento paterno e estilos parentais educativos em pais de crianças em idade escolar

Arsénio, Catarina Isabel Frasquilho
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
116.04%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2012; Este estudo foca o envolvimento paterno e os estilos parentais educativos num grupo de homens com filhos em idade escolar. Pretende-se: caracterizar estas dimensões em função do sexo e da idade da criança; analisar se os estilos parentais se constituem como preditores do envolvimento paterno; averiguar a relação de cada uma das dimensões com (a) variáveis sociodemográficas do pai e o tipo de família, (b) a perspetiva paterna sobre o relacionamento com os progenitores (infância/atualidade) e com a educação recebida. O envolvimento paterno foi avaliado com a Escala de Envolvimento Paterno (Simões, Leal, & Maroco, 2010) e os estilos parentais educativos com uma adaptação portuguesa do Questionário de Estilos e Dimensões Parentais - versão reduzida (Miguel, Valentim, & Carugati, 2010; Robinson et al., 2001). Foi construída uma ficha para recolha de informação sociodemográfica e respeitante aos progenitores do próprio pai (relação/educação). Os participantes foram 153 homens com idades entre os 28 e os 59 anos (M=41.2; DP=5.10), com pelo menos um filho em idade escolar (6-10 anos). Os resultados indicaram que não existem diferenças no envolvimento paterno e nos estilos parentais educativos em função do sexo e idade da criança (6-7 anos vs. 8-10 anos). Verificou-se que os estilos parentais (Democrático e Autoritário) predizem o envolvimento paterno (Total). Observaram-se associações entre domínios do envolvimento paterno e a idade do homem...

Motivações parentais para a prestação de cuidados e vinculação em crianças em idade escolar

Correia, Tânia Alexandra Martinho
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
126.11%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; A presente investigação visa contribuir para a compreensão mais aprofundada da complexidade do sistema de prestação de cuidados e subsequente ligação ao sistema de vinculação. Articulando a Teoria da Vinculação e a Teoria da Autodeterminação, esta investigação parte da avaliação das motivações parentais, enquanto componentes explicativas dos diferentes tipos de comportamentos de prestação de cuidados parentais a crianças em idade escolar. Para o efeito, através de uma amostra de 128 progenitores, foi adaptada a versão portuguesa da Escala de Motivação dos Pais para se Envolverem nos Cuidados aos Filhos (EMPECF), destinada originalmente apenas a pais (sexo masculino) de crianças em idade pré-escolar. Na análise fatorial da escala, em consonância com a versão original, emergiram quatro fatores, correspondentes aos tipos de motivação externa, introjetada, identificada e intrínseca. A EMPECF apresenta boas qualidades psicométricas, tornando adequada a sua aplicação na população portuguesa, em ambos os progenitores. Os resultados da EMPECF representam um contributo pertinente para a literatura respeitante às diferenças de género na prestação de cuidados às crianças...

Vinculação do adulto e envolvimento paterno em homens com filhos em idade escolar

Rosa, Rafaela Alexandra Policarpo da
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
116.01%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; A presente investigação, no âmbito da paternidade, tem os seguintes objectivos: (1) caracterizar a vinculação do adulto e o envolvimento paterno num grupo de homens com filhos em idade escolar; (2) determinar se a vinculação prediz o envolvimento paterno; (3) analisar a relação das dimensões em estudo quer com variáveis sociodemográficas do pai e da criança, quer com variáveis da relação com a companheira (Satisfação) e com a criança (Proximidade). Foi utilizada a Escala de Vinculação do Adulto (Canavarro, 1997) e a Escala de Envolvimento Paterno (Simões, Leal, & Maroco, 2010a, 2010b), utilizando-se ainda uma Entrevista de Recolha de Dados para a obtenção da informação sociodemográfica e relacional. Os participantes (N = 94) tinham idades compreendidas entre os 25 e os 55 anos (M = 40.34; DP = 5.56) e eram pais de crianças em idade escolar (5-10 anos). Os resultados mostraram que os pais da amostra estudada obtiveram resultados significativamente mais elevados na subescala Ansiedade (vinculação) e valores significativamente mais baixos na subescala Cuidados (envolvimento paterno) face aos alcançados com as amostras do estudo dos respectivos instrumentos. Verificou-se que a vinculação (subescala Confiança nos Outros) tem um contributo significativo na predição do envolvimento paterno (subescala Cuidados)...

Qualidade da vinculação percebida por mães e crianças em idade escolar provenientes de diferentes tipos de família

Simões, Sónia Catarina Carvalho; Filipe, Filipa Nunes Vicente Filipe de Oliveira; Farate, Carlos Manuel da Cruz
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
126.07%
A literatura tem referido que as crianças de famílias nucleares apresentam uma vinculação mais segura comparativamente às de famílias monoparentais ou reconstituídas. Foram objetivos deste estudo investigar a qualidade da vinculação em crianças em idade escolar pertencentes a famílias nucleares, monoparentais e reconstituídas e observar a convergência entre perceção materna dos comportamentos de vinculação e representação da qualidade de vinculação das crianças. É um estudo transversal, com 168 crianças dos 8 aos 11 anos (M=9.17) e respetivas mães. O protocolo de investigação incluiu o Separation Anxiety Test (SAT) e a Escala de Perceção Materna do Comportamento de Vinculação da Criança (PCV-M). Os resultados mostram não haver convergência significativa entre a perceção materna dos comportamentos de vinculação e a representação da vinculação pela criança. Somente nas famílias monoparentais houve diferenças no comportamento base segura do PCV-M em função da representação da vinculação da criança (segura/insegura). Não se observou uma associação entre o tipo de família e a representação da vinculação da criança, nem diferenças na perceção materna dos comportamentos de vinculação entre os diferentes tipos de família. Em conclusão...

Caracterização do nível de consciência fonológica em crianças de idade escolar. Contributo para a validação de um instrumento de avaliação

Leitão, Gina Alexandra Vinagre
Fonte: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /03/2013 POR
Relevância na Pesquisa
96.17%
Dissertação apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Desenvolvimento e Perturbações da Linguagem na Criança – Área de Especialização em Terapia da Fala e Perturbações da Linguagem; Este estudo tem como principal objetivo descrever o desempenho de crianças em idade escolar (1º, 2º e 3º ano de escolaridade) em tarefas de consciência fonológica, assim como contribuir para a validação de um instrumento de avaliação de consciência fonológica em idade pré-escolar e escolar. Foram analisados os desempenhos em tarefas de consciência fonológica relativos a 30 crianças do 1º ano de escolaridade, 30 crianças do 2º ano e 31 crianças do 3º ano, com desenvolvimento típico da linguagem, falantes monolingues do português europeu, com boa capacidade de discriminação auditiva, sem défices cognitivos nem dificuldades na aquisição da leitura e escrita e que não frequentem, ou que já tenham frequentado terapia da fala. O estudo é descritivo, experimental e multifactorial, e teve por base um instrumento de avaliação constituído por dezassete provas, que testam cinco níveis de consciência fonológica (consciência lexical, silábica, intrassilábica, fonémica e de acento). Os dados foram analisados segundo a comparação do desempenho dos diferentes anos escolares nas diferentes provas. Verificou-se que...

A representação social da maternidade de crianças em idade escolar

Sampaio,Juliana; Santos,Maria de Fátima de Souza; Silva,Maria Rejane Ferreira da
Fonte: Conselho Federal de Psicologia Publicador: Conselho Federal de Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 PT
Relevância na Pesquisa
126.03%
As representações sociais são conhecimentos socialmente articulados que dão sentido à realidade. A criança, ao se apropriar da realidade, compartilha significados, dá sentido à figura materna e, em conseqüência, ao seu próprio papel de filho/a. Este estudo investiga o conteúdo e a estrutura da representação social da maternidade de crianças em idade escolar de classe social média-alta. Foram aplicadas entrevistas semidirigidas, solicitados desenho e história sobre mãe e aplicado o teste de tri-hierarquização de itens, de Abric (1994), para 16 crianças de ambos os sexos, entre 8 e 10 anos, de uma escola particular do Recife. Observou-se que a representação social de mãe está calcada no amor e abnegação incondicionais ao filho, que respaldam tarefas como dar limites, educar, passear, dar carinho. Conclui-se que o amor e a abnegação são o núcleo central da representação da maternidade e têm conseqüências diretas na estruturação da identidade de crianças e mulheres.

Qualidade da vinculação percebida por mães e crianças em idade escolar provenientes de diferentes tipos de família

Simões, Sónia Catarina Carvalho; Instituto Superior Miguel Torga (ISMT) CEPESE (membro integrado deste centro de investigação); Filipe, Filipa Nunes Vicente Filipe de Oliveira; Instituto Superior Miguel Torga; Farate, Carlos Manuel da Cruz; Instituto
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 14/12/2014 POR
Relevância na Pesquisa
116.02%
A literatura tem referido que as crianças de famílias nucleares apresentam uma vinculação mais seguracomparativamente às de famílias monoparentais ou reconstituídas.Foram objetivos deste estudo investigar a qualidade da vinculação em crianças em idade escolarpertencentes a famílias nucleares, monoparentais e reconstituídas e observar a convergência entreperceção materna dos comportamentos de vinculação e representação da qualidade de vinculação dascrianças.É um estudo transversal, com 168 crianças dos 8 aos 11 anos (M=9.17) e respetivas mães. O protocolode investigação incluiu o Separation Anxiety Test (SAT) e a Escala de Perceção Materna doComportamento de Vinculação da Criança (PCV-M).Os resultados mostram não haver convergência significativa entre a perceção materna doscomportamentos de vinculação e a representação da vinculação pela criança. Somente nas famíliasmonoparentais houve diferenças no comportamento base segura do PCV-M em função darepresentação da vinculação da criança (segura/insegura). Não se observou uma associação entre otipo de família e a representação da vinculação da criança, nem diferenças na perceção materna doscomportamentos de vinculação entre os diferentes tipos de família.Em conclusão...

Hábitos de sono das crianças em idade pré-escolar

Apóstolo, Jorge Manuel Amado
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 22/07/2014 POR
Relevância na Pesquisa
96.2%
Introdução Observamos crescentemente problemas de sono na infância, associados a hábitos não saudáveis. No entanto, dormir é uma necessidade psicobiológica a satisfazer de forma imprescindível. A alternância sono-vigília permite a recuperação celular, evidenciando a sua função protetora e de manutenção da homeostasia, reguladora das funções do cérebro e do organismo em geral (Fernandes, 2006; Cordeiro, 2010). A maturação do sono na infância requer processos evolutivos e adaptativos, ligados a múltiplos fatores: temperamento; nível de desenvolvimento; ambiente familiar e sociocultural da criança. Objetivos Inserida numa investigação mais abrangente e tendo como pano de fundo que os hábitos de sono das nossas crianças estão em mudança, nem sempre na melhor direcção e que os problemas de sono na primeira infância resultam de rotinas pouco eficientes, definimos como objetivo principal: 1. Identificar os hábitos de sono das crianças em idade pré-escolar, nomeadamente o número de horas de sono e a prática de co-sleeping. Metodologia Tratou-se de uma investigação quantitativa descritiva e correlacional. A amostra foi constituída por 158 pais do concelho da Figueira da Foz. O instrumento seleccionado "Inventário dos Hábitos de Sono para Crianças Pré-escolares" é um questionário desenvolvido e validado por Croewell e colaboradores na Universidade de Maine - USA...

Compreensão de metáforas por crianças com síndrome de Asperger : um estudo com crianças em idade escolar

Gomes, Andreia Duarte
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
116.08%
A investigação vigente constitui um estudo piloto sobre a compreensão metafórica com crianças com Síndrome de Asperger em idade escolar. A realização deste estudo advém da necessidade da procura de soluções que possam contribuir para a delineação do processo de intervenção terapêutico e educacional, visando dotar estas crianças com ferramentas de apoio à sua integração social. Objetivos: O estudo corrente pretende [1a] verificar o efeito da Síndrome de Asperger na compreensão de metáforas primárias (MP), comparando com crianças com desenvolvimento típico e [1b] verificar se existem diferenças na compreensão das MP; [2] investigar o efeito do contexto linguístico verbal oral, em que as MP se encontram integradas, no processamento metafórico; e [3] analisar o efeito do tipo de tarefa na compreensão das MP. Método: Neste trabalho de natureza quantitativa, procedeu-se a uma análise descritivo-correlacional das competências no processamento metafórico em 6 crianças com Síndrome de Asperger e a 10 crianças com desenvolvimento típico entre os 8 e os 13 anos. Os dados foram recolhidos após a obtenção de autorizações para a recolha de dados, mediante a aplicação de uma grelha de caracterização da amostra; e a aplicação de um instrumento de avaliação da compreensão de MP (Teste de Compreensão de MP adaptado). Resultados: Os resultados obtidos [1] Indicam haver efeito da SA na compreensão de MP; [2] sugerem a existência de variabilidade na compreensão das MP; [3] apontam para a influência da complexidade do contexto linguístico verbal oral na compreensão de MP das crianças com SA; e [4] sugerem a ausência do efeito de tarefa na compreensão metafórica. Conclusões: O estudo piloto corrente permitiu concluir que as crianças com SA apresentam dificuldades na compreensão metafórica comparativamente aos seus pares com desenvolvimento típico...

Hábitos de sono e estratégias facilitadoras do adormecimento em crianças de idade escolar : estudo com crianças e pais

Ribeiro, Andreia
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
116.07%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica da Saúde e da Doença), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; O sono é uma necessidade básica e um importante determinante do desenvolvimento físico, cognitivo e emocional da criança. Este estudo surge da revisão de literatura e da escassa informação sobre as crenças infantis acerca do sono, surgindo no seguimento da dissertação de Januário (2012) que destacou a importância das estratégias adormecimento na qualidade de sono da criança. Deste modo, este estudo visa compreender a forma como as crianças em idade escolar percebem e reconhecem as estratégias de adormecimento que utilizam e que significações têm sobre as mesmas. Assim, a amostra foi recolhida na Escola de Ensino Básico da Flamenga, situada no Concelho de Loures, e no Externato Champagnat, situado no Concelho de Lisboa. Numa primeira fase participaram 303 pais, que responderam a um questionário sociodemográfico, preencheram o Children´s Sleep Habits Questionnaire (Owens, 2000, adaptação portuguesa de Silva, 2011) e o Questionário de Hábitos de Sono, elaborado para este estudo. Na segunda fase deste estudo, foi aplicado o Sleep Self Report a todas as crianças sendo que posteriormente foram seleccionadas aleatoriamente 45 crianças a quem foi realizada uma entrevista semiestruturada que pretendia compreender quais as estratégias por elas utilizadas para adormecer. Finalmente...

Discrepância e acordo entre informadores na avaliação da ansiedade em crianças em idade escolar : discrepância e acordo mãe criança

Oliveira, Patrícia Isabel Simões
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
105.99%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica da Saúde e da Doença), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011; As Perturbações de Ansiedade têm uma elevada prevalência na infância e na adolescência. Na sua avaliação são verificadas discrepâncias na informação recolhida aos vários informadores. Este trabalho teve por objectivo o estudo da discrepância e acordo mãe-criança na avaliação da ansiedade nas crianças através de um estudo quantitativo, e a análise das atribuições para a discrepância através de um estudo qualitativo. No estudo quantitativo participaram 253 crianças dos 7 aos 13 anos e as suas mães. Recorreu-se ao Questionário de Avaliação de Perturbações Emocionais Relacionadas com a Ansiedade em Crianças (SCARED-R), versão criança e pais para avaliação da discrepância; ao Questionário de Estilos Educativos Parentais (EMBU-C) para avaliar o suporte emocional da mãe; e ao Inventário de Estado-Traço de Ansiedade (STAI-Y) para avaliar a ansiedade traço da mãe. No estudo qualitativo foi usada uma subamostra de 7 mães. Recorreu-se à ADIS-P (Anxiety Disorder Interview Scheduale for Parents) versão pais...

A influência do contexto familiar no aparecimento de dor espinal em crianças do concelho da Maia

Lucas, Cátia
Fonte: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto Publicador: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
96.14%
A dor espinal em crianças e jovens constitui um problema cujas dimensões e prevalência tem vindo aumentar nas últimas décadas. Esta problemática parece ser tanto mais significativa se for tido em consideração que os episódios de dor espinal na idade escolar se perpetuam e estão relacionados com os que acontecem na idade adulta. Desta forma, os investigadores alertam para a necessidade de identificar potenciais factores de risco para o desenvolvimento de dor espinal em crianças e jovens de idade escolar. Assim, o presente estudo pretende identificar qual a importância assumida pelo contexto familiar na presença de queixas dolorosas espinais nas crianças em idade escolar do concelho da Maia. A amostra é constituída pelos pais de 1017 crianças do 1º ciclo do Ensino Básico do Concelho da Maia que foram avaliadas relativamente à postura, numa fase anterior do estudo. Desta população constituiu amostra 636 pais que concordaram participar no estudo, tendo obtido resposta de 226, obtendo uma percentagem de adesão de 35,5%. Para a obtenção dos dados qualitativos foi utilizado um método de amostragem estratégica de forma a seleccionar dez pais representativos de todas as categorias possíveis (pais com e sem dor e filhos com e sem dor). Esta amostra foi seleccionada tendo em conta os dados obtidos no questionário Parental Pain e Questionário de Bournemouth...

A Qualidade da Vinculação em Idade Escolar: Perspectivas cruzadas de mães e filhos

Oliveira, Filipa Nunes Vicente Filipe de
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
116.11%
Introdução: A qualidade da vinculação da criança aos pais é fundamental para o seu desenvolvimento sócio-emocional, na medida em que lhe permite explorar o meio envolvente, relacionar-se com outras pessoas e fazer novas aprendizagens. No que respeita ao estudo da vinculação em diferentes tipos de família, a literatura tem indicado que as crianças de famílias nucleares apresentam uma vinculação mais segura em relação às crianças de famílias monoparentais ou reconstituídas. Objectivo: Este estudo tem por objectivos investigar a qualidade da vinculação em crianças em idade escolar pertencentes a diferentes tipos de família e observar a convergência entre a percepção materna dos comportamentos de vinculação e a representação da qualidade de vinculação por parte das crianças em estudo. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal, cuja amostra é composta por 168 crianças em idade escolar (8-11 anos) e respectivas mães. O protocolo de investigação é constituído por 3 instrumentos: Questionário sócio-demográfico, Separation Anxiety Test (SAT) e Escala de Percepção Materna do Comportamento de Vinculação da Criança (PCV-M). Resultados: Os resultados mostram não haver convergência significativa entre a percepção materna dos comportamentos de vinculação e a representação da vinculação por parte da criança. Somente nas famílias monoparentais são observáveis correlações entre a subescala Comportamento Base Segura do PCV-M (p=.001...

Qualidade da vinculação percebida por mães e crianças em idade escolar provenientes de diferentes tipos de família

Simões,Sónia Catarina Carvalho; Filipe,Filipa Nunes Vicente Filipe de Oliveira; Farate,Carlos Manuel da Cruz
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
126.07%
A literatura tem referido que as crianças de famílias nucleares apresentam uma vinculação mais segura comparativamente às de famílias monoparentais ou reconstituídas. Foram objetivos deste estudo investigar a qualidade da vinculação em crianças em idade escolar pertencentes a famílias nucleares, monoparentais e reconstituídas e observar a convergência entre perceção materna dos comportamentos de vinculação e representação da qualidade de vinculação das crianças. É um estudo transversal, com 168 crianças dos 8 aos 11 anos (M=9.17) e respetivas mães. O protocolo de investigação incluiu o Separation Anxiety Test (SAT) e a Escala de Perceção Materna do Comportamento de Vinculação da Criança (PCV-M). Os resultados mostram não haver convergência significativa entre a perceção materna dos comportamentos de vinculação e a representação da vinculação pela criança. Somente nas famílias monoparentais houve diferenças no comportamento base segura do PCV-M em função da representação da vinculação da criança (segura/insegura). Não se observou uma associação entre o tipo de família e a representação da vinculação da criança, nem diferenças na perceção materna dos comportamentos de vinculação entre os diferentes tipos de família. Em conclusão...