Página 1 dos resultados de 567 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Crescimento, esporulação e virulência do inóculo de Cercospora piaropi, agente de biocontrole do aguapé

Ávila, Zilá R. de; Pitelli, Robinson A.
Fonte: Sociedade Brasileira de Fitopatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fitopatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 189-192
POR
Relevância na Pesquisa
56.75%
O presente ensaio foi realizado com o objetivo de avaliar a produção de biomassa micelial bem como a esporulação de Cercospora piaropi, nos meios líquidos V8, ETD (Extrato de Tomate Diluído) e BD (Batata - Dextrose), em períodos de cultivo de 96, 120, 144 e 168 h, sob agitação constante. Adicionalmente foi avaliado o efeito de períodos de desidratação da biomassa micelial (24, 48, 72, 96 e 120 h) sobre a esporulação. Os inóculos obtidos foram avaliados quanto à severidade da doença em plantas de aguapé (Eichhornia crassipes). de acordo com os resultados, o meio ETD proporcionou maior crescimento micelial em relação aos meios BD e V8, destacando-se o período de 144 h de agitação. Entretanto, o meio V8 induziu esporulação superior do patógeno, quando cultivado por 120 h. Os inóculos obtidos nos meios V8 e ETD causaram maiores valores de severidade da doença. O período de desidratação da biomassa micelial a partir de 72 h favoreceu maior produção de conídios. Não houve efeito do período de desidratação sobre a severidade da doença.; The current assay was carried out to evaluate the mycelial biomass production and sporulation of Cercospora piaropi in V8, ETD and BD liquid media at incubation periods of 96...

Crescimento micelial in vitro de cinco linhagens de Agaricus bisporus submetidas a diferentes condições de temperatura

Andrade, Meire Cristina Nogueira de; Chavari, João Lucas; Minhoni, Marli Teixeira de Almeida; Zied, Diego Cunha
Fonte: Editora da Universidade Estadual de Maringá (EDUEM) Publicador: Editora da Universidade Estadual de Maringá (EDUEM)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 69-72
POR
Relevância na Pesquisa
66.87%
Avaliou-se o crescimento micelial in vitro das linhagens ABI-05/03, ABI-06/04, ABI-04/02, ABI-06/05 e ABI-01/01 de Agaricus bisporus em meios de cultura sólidos à base de composto. As avaliações foram realizadas por meio de medições de quatro diâmetros das colônias, a cada 48h, durante 12 dias de incubação, no escuro, a 20 e 25ºC. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados, com uso do teste de Tukey para a comparação das médias. Co m base nos resultados obtidos, verificou-se que: o crescimento micelial de A. bisporus é influenciado pela temperatura de incubação; a temperatura de 25ºC foi mais favorável para o crescimento micelial de todas as linhagens de A. bisporus; na temperatura de 20ºC, o melhor crescimento foi obtido com as linhagens ABI-06/05 e ABI-01/01; na temperatura de 25ºC, a linhagem ABI-01/01 apresentou crescimento significativamente maior que todas as demais.; The in vitro mycelium growth of Agaricus bisporus strains ABI-05/03, ABI-06/04, ABI-04/02, ABI-06/05 and ABI-01/01 was evaluated in solid culture media made up of compost. Evaluations were performed by means of measurements of four diameters of the colonies, every 48 hours, during 12 days of incubation in darkness under 20 and 25ºC. The experimental design consisted of randomized blocks...

Crescimento micelial de Pleurotus ostreatus em resíduo de Simarouba amara

Sales-Campos, Ceci; Eira, Augusto Ferreira da; Jesus, Maria Aparecida de; Campagnolli, Francielli; Andrade, Meire Cristina Nogueira de
Fonte: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 1633-1635
POR
Relevância na Pesquisa
66.89%
O objetivo deste trabalho foi avaliar o crescimento micelial do cogumelo Pleurotus ostreatus, cultivado na serragem da espécie madeireira Simarouba amara. Avaliaram-se: o efeito das temperaturas de 22, 25, 27, 30 e 35ºC sobre o crescimento micelial de P. ostreatus, nos meios malte-ágar 3% e SDA-MA (infusão da serragem de S. amara, enriquecida com farelo de soja-dextrose-ágar); e o crescimento micelial em substrato de cultivo de serragem de S. amara, com e sem suplementação de farelo de soja, a 25 e 30ºC. O melhor desenvolvimento de P. ostreatus ocorreu em meio malte-ágar 3% a 25ºC. A suplementação de farelo de soja na serragem de S. amara favorece o crescimento micelial.; The objective of this work was to assess the mycelial growth of oyster mushroom (Pleurotus ostreatus) cultivated in sawdust of Simarouba amara. Evaluations were made for the effect of temperatures 22, 25, 27, 30 and 35ºC on the mycelial growth of P. ostreatus in 3% malt-agar and SDA-MA (infusion of S. amara sawdust, enriched with soybean meal-dextrose-agar) media; and the mycelial growth in cultivation substrate of S. amara sawdust, with and without supplementation of soybean meal, at 25 and 30ºC. The best development of P. ostreatus was in 3% malt-agar medium at 25ºC. Soybean meal supplementation on S. amara sawdust promoted mycelial growth.

Antifungal activity of extracts from Brazilian Cerrado plants on Colletotrichum gloeosporioides and Corynespora cassiicola

Naruzawa, E.S.; Papa, M.F.S.
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 408-412
ENG
Relevância na Pesquisa
46.89%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); O objetivo deste trabalho foi determinar a atividade antifúngica de extratos aquosos e extratos hidroetanólicos de folhas de 10 plantas do Cerrado brasileiro sobre Colletotrichum gloeosporioides e Corynespora cassiicola. A determinação da atividade antifúngica foi realizada pela incorporação do extrato em meio de cultura ou na suspensão de esporos, na concentração de 50% em relação ao volume, determinando-se, respectivamente, o crescimento micelial e a germinação de esporos. em seguida, pela comparação com a testemunha, foram obtidas as percentagens de inibição do crescimento micelial e da germinação dos esporos. Foi constatado comportamento variável dos extratos sobre os fitopatógenos, desde o estímulo no crescimento micelial para os extratos de Aristolochia esperanzae e Byrsonima verbascifolia, até a inibição completa do crescimento micelial e dagerminação dos esporos para os extratos de Myracrodruon urundeuva e Lafoensia pacari. Extratos de folhas de L. pacari, de M. urundeuva e de Caryocar brasiliense apresentaram atividade antifúngica sobre Colletotrichum gloeosporioides e Corynespora cassiicola; os extratos hidroetanólicos proporcionaram mais atividade antifúngica que os extratos aquosos...

Efeito de biofertilizantes sobre o crescimento micelial e a germinação de esporos de alguns fungos fitopatogênicos

Tratch, Renato; Bettiol, Wagner
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 1131-1139
POR
Relevância na Pesquisa
46.8%
The biofertilizer was produced through anaerobic fermentation of cow manure adding milk, sugar, salts, cow liver parts and bone powder. After 73 days of fermentation it was evaluated the effect on micelial growth of Pythium aphanidermatum, Alternaria solani, Stemphylium solani, Septoria licopersici, Sclerotinia sclerotiorum, Botrytis cinerea, Rhizoctonia solani, Fusarium oxysporum f. sp. phaseoli and spores germination of B. cinerea, A. solani, Hemileia vastatrix and Coleosporium plumierae. In relation to micelial growth inhibition, the growth rate was calculated and it was found that, in general, concentrations over 10% caused a total inhibition of growth for the majority of fungi assayed. In case of spores germination, biofertilizer concentration over 20% has inhibited completely the germination of B. cinerea, over 10% inhibited A. solani, 5 and 1% of C. plumierae and H. vastatrix, respectively. Three different biofertilizers were also tested and one of them was less effective, which was the one produced with manure from confined cows opposed to the others produced with grazing cows.; Biofertilizantes produzidos a partir da fermentação anaeróbia de esterco bovino acrescido de leite, açúcar, sais, restos de fígado bovino e farinha de osso...

Efeito do meio de cultura, temperatura, fotoperíodo e fungicidas no crescimento micelial e no controle de Alternaria alternata f. sp. citri, causador da mancha marrom do tangor murcote

Colturato, Adimara Bentivoglio
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: x, 53 f. : il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
46.8%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Agronomia (Proteção de Plantas) - FCA; A mancha marrom de alternaria, causada pela Alternaria alternata f. sp. citri, afeta o tangor murcote causando lesões em folhas, ramos e frutos, acarretando em desfolha e manchas que depreciam o fruto comercialmente. Os objetivos deste trabalho foram verificar o efeito do meio de cultura no isolamento, da temperatura e do fotoperíodo no crescimento micelial do patógeno, avaliar a sensibilidade do patógeno à fungicidas in vitro e estabelecer o melhor produto e dose para o controle da doença no campo. As avaliações laboratoriais constaram de avaliações de crescimento micelial, medição do tamanho de conídios, concentração de conídos/mL e avaliação de meios de culturas para isolamento do patógeno. Os resultados do teste in vitro mostraram que os ingredientes ativos trifloxystrobin, iprodione, azoxystrobin, difenoconazole, pyraclostrobin, trifloxystrobin + propiconazole e trifloxystrobin + tebuconazole inibiram completamente o crescimento micelial do patógeno. No ensaio de campo todos os tratamento foram superiores a testemunha quanto a produtividade. Concluindo que o controle da doença é recomendado independente do produto utilizado. Entre os produtos utilizados o tratamento com trifloxystrobin + propiconazole foi rentável comparando-se custo e produtividade.; The brown spot caused by Alternaria alternata f. sp. citri...

Crescimento micelial e síntese de proteínas de choque térmico em três isolados de fungos ectomicorrízicos sob condições de temperaturas supra-ótimas

Ferreira,Adão de Siqueira; Tótola,Marcos Rogério; Parreira,Adriano Guimarães; Borges,Arnaldo Chaer
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
46.77%
A síntese de proteínas de choque térmico é uma alteração fisiológica transiente na célula de organismos expostos a temperaturas supra-ótimas. A resposta fisiológica ao choque térmico é dependente, particularmente, do tipo de célula e da capacidade dos organismos em responder às alterações do meio. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o crescimento micelial e a síntese de proteínas de choque térmico de dois isolados de Pisolithus sp. (RV82 e RS24) e de um isolado de Paxillus involutus em temperaturas supra-ótimas. No trabalho, foram feitas análises de crescimento micelial em placa de Petri com meio apropriado para o crescimento sob condições de temperaturas subletais, letais e de choque térmico. As proteínas nos micélios dos isolados foram marcadas com aminoácido radioativo (³H-leucina), e a radioatividade, quantificada em solução de cintilação. A síntese das proteínas de choque térmico (HSPs) foi avaliada em gel de poliacrilamida (SDS-PAGE e 2D-PAGE). Demonstrou-se, com ³H-leucina, que os fungos ectomicorrízicos apresentaram respostas diferenciadas em relação ao crescimento micelial quando expostos a temperaturas supra-ótimas. Os dois isolados de Pisolithus sp., RS24 e RV82, mostraram-se mais tolerantes a altas temperaturas...

Crescimento micelial de Pleurotus ostreatus em resíduo de Simarouba amara

Sales-Campos,Ceci; Eira,Augusto Ferreira da; Jesus,Maria Aparecida de; Campagnolli,Francielli; Andrade,Meire Cristina Nogueira de
Fonte: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.89%
O objetivo deste trabalho foi avaliar o crescimento micelial do cogumelo Pleurotus ostreatus, cultivado na serragem da espécie madeireira Simarouba amara. Avaliaram-se: o efeito das temperaturas de 22, 25, 27, 30 e 35ºC sobre o crescimento micelial de P. ostreatus, nos meios malte-ágar 3% e SDA-MA (infusão da serragem de S. amara, enriquecida com farelo de soja-dextrose-ágar); e o crescimento micelial em substrato de cultivo de serragem de S. amara, com e sem suplementação de farelo de soja, a 25 e 30ºC. O melhor desenvolvimento de P. ostreatus ocorreu em meio malte-ágar 3% a 25ºC. A suplementação de farelo de soja na serragem de S. amara favorece o crescimento micelial.

Crescimento, esporulação e virulência do inóculo de Cercospora piaropi, agente de biocontrole do aguapé

Ávila,Zilá R. de; Pitelli,Robinson A.
Fonte: Sociedade Brasileira de Fitopatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fitopatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2004 PT
Relevância na Pesquisa
56.75%
O presente ensaio foi realizado com o objetivo de avaliar a produção de biomassa micelial bem como a esporulação de Cercospora piaropi, nos meios líquidos V8, ETD (Extrato de Tomate Diluído) e BD (Batata - Dextrose), em períodos de cultivo de 96, 120, 144 e 168 h, sob agitação constante. Adicionalmente foi avaliado o efeito de períodos de desidratação da biomassa micelial (24, 48, 72, 96 e 120 h) sobre a esporulação. Os inóculos obtidos foram avaliados quanto à severidade da doença em plantas de aguapé (Eichhornia crassipes). De acordo com os resultados, o meio ETD proporcionou maior crescimento micelial em relação aos meios BD e V8, destacando-se o período de 144 h de agitação. Entretanto, o meio V8 induziu esporulação superior do patógeno, quando cultivado por 120 h. Os inóculos obtidos nos meios V8 e ETD causaram maiores valores de severidade da doença. O período de desidratação da biomassa micelial a partir de 72 h favoreceu maior produção de conídios. Não houve efeito do período de desidratação sobre a severidade da doença.

Fungitoxicidade in vitro de iprodione sobre o crescimento micelial de fungos que se associam a sementes de arroz

Pereira,Liliana Auxiliadora Avelar; Coutinho,Wirton Macedo; Machado,José Cruz; Magalhães,Flávio Henrique Linhares; Pena,Rosângela Conceição Marques
Fonte: Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes Publicador: Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2002 PT
Relevância na Pesquisa
56.84%
Este estudo teve o objetivo de avaliar a fungitoxicidade de iprodione, em diferentes concentrações, sobre o crescimento micelial in vitro dos fungos mais comuns disseminados pelas sementes de arroz no Estado de Minas Gerais, Brasil. Isolados de Alternaria alternata, Aspergillus flavus, Aspergillus niger, Aspergillus ochraceus, Curvularia oryzae, Drechslera oryzae, Gerlachia oryzae, Phoma sorghina e Pyricularia grisea foram obtidos de sementes de arroz e o seu cresci-mento micelial foi avaliado em meio BDA contendo o fungicida nas concentrações de 10mg.l-1, 50mg.l-1, 100mg.l-1 e 500mg.l-1, após sete dias de incubação. O efeito de iprodione foi avaliado por meio da ED50 (dose necessária para inibir em 50% o crescimento micelial). O fungicida iprodione inibe com alto efeito (ED50<10mg.l-1) o crescimento micelial dos fungos A. alternata, A. niger, A. ochraceus, C. oryzae, D. oryzae e G. oryzae, médio efeito (ED50 entre 10 e 50mg.l-1) Phoma sorghina e baixo efeito (ED50>50mg.l-1) Pyricularia grisea. Os fungos A. niger e A. ochraceus foram os mais sensíveis a iprodione, tendo apresentado ED50 de 2,5 e 3,1mg.l-1, respectivamente.

Efeito da toxicidade de Cr (VI) e Zn (II) no crescimento do fungo filamentoso Aspergillus niger isolado de efluente industrial

Vale,Maria do Socorro; Abreu,Katiany do Vale; Gouveia,Sandro Thomaz; Leitão,Renato Carrhá; Santaella,Sandra Tédde
Fonte: Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - ABES Publicador: Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - ABES
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
56.79%
Processos convencionais de tratamento de efluentes utilizam microrganismos vivos, o que sugere limitações relativas À toxicidade de metais para os microrganismos. O experimento consistiu em adicionar soluções monoelementares de Cr (VI) e Zn(II) em diferentes concentrações (0, 20, 50, 100, 200, 300, 400, 500 mg.L-1) ao meio de crescimento e observar a influência dos metais no crescimento micelial e germinativo do fungo Aspergillus Níger por verificação visual da expansão radial do micélio e da germinação de esporos, seguida de registro fotográfico. Os resultados mostraram que o metabolismo do fungo foi completamente inibido em concentrações acima de 500 mg Zn (II).L-1 e 150 mg Cr (VI).L-1. O ED50 (concentração de ingrediente ativo capaz de inibir 50% do crescimento micelial do fungo) para os dois íons metálicos, nas condições estudadas, está na faixa entre 100 e 150 mg.L-1. Palavras-chave: metais pesados; inibição; crescimento micelial; Aspergillus niger; ED50.

Crescimento micelial in vitro de cinco linhagens de Agaricus bisporus submetidas a diferentes condições de temperatura

Andrade,Meire Cristina Nogueira de; Chavari,João Lucas; Minhoni,Marli Teixeira de Almeida; Zied,Diego Cunha
Fonte: Editora da Universidade Estadual de Maringá - EDUEM Publicador: Editora da Universidade Estadual de Maringá - EDUEM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.87%
Avaliou-se o crescimento micelial in vitro das linhagens ABI-05/03, ABI-06/04, ABI-04/02, ABI-06/05 e ABI-01/01 de Agaricus bisporus em meios de cultura sólidos à base de composto. As avaliações foram realizadas por meio de medições de quatro diâmetros das colônias, a cada 48h, durante 12 dias de incubação, no escuro, a 20 e 25ºC. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados, com uso do teste de Tukey para a comparação das médias. Co m base nos resultados obtidos, verificou-se que: o crescimento micelial de A. bisporus é influenciado pela temperatura de incubação; a temperatura de 25ºC foi mais favorável para o crescimento micelial de todas as linhagens de A. bisporus; na temperatura de 20ºC, o melhor crescimento foi obtido com as linhagens ABI-06/05 e ABI-01/01; na temperatura de 25ºC, a linhagem ABI-01/01 apresentou crescimento significativamente maior que todas as demais.

Efeito da temperatura no crescimento micelial de Neofusicoccum parvum isolado de mangueira.

AMORIM, C. C. de; BARBOSA, J. da S.; BARBOSA, M. A. G.; TERAO, D.; BATISTA, D. da C.
Fonte: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMIÁRIDO, 6., 2011, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semiárido, 2011. Publicador: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMIÁRIDO, 6., 2011, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semiárido, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: p. 269-273.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.85%
A mangueira é frequentemente infectada por fungos. Dentre os fungos de importância econômica, o Neofusicoccum parvum vem se destacando como agente de podridão peduncular dos frutos. Sabe-se que o desenvolvimento do patógeno e, consequentemente, da doença é influenciado por condições ambientais. Assim, esse trabalho teve como objetivo avaliar o efeito da temperatura no desenvolvimento micelial de N. parvum. O experimento foi desenvolvido em delineamento inteiramente casualizado, sendo cinco repetições por temperatura. Em cada placa de Petri, contendo meio de cultura batata-dextrose-ágar (BDA), foram depositados discos de micélio com cinco mm de diâmetro, as quais foram mantidas em câmara de crescimento nas temperaturas de 20 oC, 25 °C, 30 °C e 35 °C e fotoperíodo de 12 horas. Após 24 horas, avaliou-se, diariamente, o crescimento das colônias em dois sentidos perpendiculares, com régua milimetrada, até que o crescimento micelial atingisse o bordo da placa em uma das temperaturas. Concluiu-se que a temperatura afeta o crescimento micelial de N. parvum. A temperatura ótima foi a de 25 °C, enquanto a temperatura de 35 °C afetou drasticamente o crescimento micelial de N. parvum.; 2011

Efeito de temperatura e luminosidade sobre o crescimento micelial de Sclerotinia sclerotiorum.

GARCIA, R. A.; MEYER, M. C.; SANTOS, J. R. C.; OLIVEIRA, R. M.; BARBOSA, K. A. G.; CUNHA, M. G.
Fonte: Tropical Plant Pathology, Brasília, DF, v. 36, Supl., p. 1207, ago. 2011. Edição dos Anais do 44 Congresso Brasileiro de Fitopatologia, Bento Gonçalves, ago. 2011. Publicador: Tropical Plant Pathology, Brasília, DF, v. 36, Supl., p. 1207, ago. 2011. Edição dos Anais do 44 Congresso Brasileiro de Fitopatologia, Bento Gonçalves, ago. 2011.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.83%
O mofo branco, causado por Sclerotinia sclerotiorum, é atualmente uma das principais doenças da cultura da soja, sendo a doença favorecida por condições de alta umidade e temperatura amena. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de temperaturas e luminosidade sobre o crescimento micelial de isolados de S. sclerotiorum, provenientes de Uberlândia-MG, Rio Verde-GO, São Miguel do Passa Quatro-GO, Anápolis-GO, Chapadão do Sul-MS, Água Fria-GO, Silvânia-GO ?A?, Silvânia-GO ?B?. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições. Para realização do experimento os isolados foram cultivados em meio de cultura BDA por 5 dias, mantidos em B.O.D. nas condições de escuro a 25°C. Posteriormente, disco de 6 mm de diâmetro foram retirados da borda da colônia e depositados em placas de Petri de 9 cm de diâmetro, contendo meio BDA. As placas foram incubadas nas temperaturas de 20oC e 25oC, ambas em condições de escuro e fotoperíodo de 12 horas. A avaliação do crescimento micelial foi realizada medindo-se o diâmetro das colônias, 48 horas após incubação. Independentemente dos isolados verificou-se que a temperatura de 25oC proporcionou maior crescimento micelial, nas condições de fotoperíodo e escuro.; 2011

Crescimento micelial in vitro de treze isolados de Corynespora cassiicola submetidos a diferentes temperaturas.

RONDON, M. N.; XAVIER, S. A.; GODOY, C. V.; ALMEIDA, A. M. R.; SEIXAS, C. D. S.
Fonte: Tropical Plant Pathology, Brasília, DF, v. 36, Supl., p. 278, ago. 2011. Edição dos Anais do 44 Congresso Brasileiro de Fitopatologia, Bento Gonçalves, ago. 2011. Publicador: Tropical Plant Pathology, Brasília, DF, v. 36, Supl., p. 278, ago. 2011. Edição dos Anais do 44 Congresso Brasileiro de Fitopatologia, Bento Gonçalves, ago. 2011.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.91%
Corynespora cassiicola (Berk. & Curt.), fungo que causa a doença conhecida como mancha-alvo na cultura da soja ocorre em todo o Brasil. Considerando que os isolados de C. cassiicola apresentam variações nas características morfológicas, comportando-se de maneira distinta quanto ao crescimento micelial, o estudo do desenvolvimento deste fungo faz-se necessário para facilitar a multiplicação de inóculo em laboratório. Por este motivo, o objetivo foi avaliar o crescimento micelial in vitro de 13 isolados de C. cassiicola submetidos a diferentes temperaturas. Isolados da micoteca da Embrapa soja (307, 310, 311, 312, 313, 317, 318, 322, 605, 629, 646, 649 e 651) foram repicados em placas de Petri contendo BDA e incubados nas temperaturas de 18, 21, 24, 27 e 30 ± 2ºC, sendo a avaliação do crescimento micelial realizada por medições diárias do diâmetro das colônias. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado em arranjo fatorial 13 x 5 (isolados x temperaturas) totalizando 65 tratamentos com cinco repetições. Com os dados obtidos calculou-se o índice de velocidade de crescimento micelial (IVCM) que foram submetidos à análise de variância, sendo as médias comparadas por meio do teste de Scott-Knott, ao nível de 5% de probabilidade. Verificou-se diferença estatística entre o crescimento micelial dos isolados...

Efeito da toxicidade de Cr (VI) e Zn (II) no crescimento do fungo filamentoso Aspergillus niger isolado de efluente industrial.

VALE, M. do S.; ABREU, K. do V.; GOUVEIA, S. T.; LEITAO, R. C.; SANTAELLA, S. T.
Fonte: Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, v. 16, n. 3, p. 237-244, 2011. Publicador: Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, v. 16, n. 3, p. 237-244, 2011.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
56.69%
Processos convencionais de tratamento de efluentes utilizam microrganismos vivos, o que sugere limitações relativas à toxicidade de metais para os microrganismos. O experimento consistiu em adicionar soluções monoelementares de Cr (VI) e Zn(II) em diferentes concentrações (0, 20, 50, 100, 200, 300, 400, 500 mg.L-1) ao meio de crescimento e observar a influência dos metais no crescimento micelial e germinativo do fungo Aspergillus Níger por verificação visual da expansão radial do micélio e da germinação de esporos, seguida de registro fotográfico. Os resultados mostraram que o metabolismo do fungo foi completamente inibido em concentrações acima de 500 mg Zn (II).L-1 e 150 mg Cr (VI).L-1. O ED50 (concentração de ingrediente ativo capaz de inibir 50% do crescimento micelial do fungo) para os dois íons metálicos, nas condições estudadas, está na faixa entre 100 e 150 mg.L-1.; 2011

Efeito de fungicidas no crescimento Micelial de Neofusicoccum parvum isolado de manga.

SILVA, L. B. F. da; AMORIM, C. C. de; BARBOSA, J. da S.; BARBOSA, M. A. G.; BATISTA, D. da C.
Fonte: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMIÁRIDO, 7.; JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACEPE/UNIVASF, 1., 2012, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semiárido, 2012. Publicador: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMIÁRIDO, 7.; JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACEPE/UNIVASF, 1., 2012, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semiárido, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; p. 301-305.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
56.55%
A recente constatação de danos de Neofusicoccum parvum em mangueira requer métodos de controle. Dentre os métodos, o químico se destaca pela ação rápida na redução de infecções. Avaliou-se a eficiência de fungicidas na inibição do crescimento micelial de N. parvum. Os testes foram realizados em placas de Petri contendo batata-dextrose-ágar (BDA) mais fungicida. Os fungicidas foram previamente diluídos em dimetilsulfóxido (DMSO) a 0,1%. Os tratamentos foram: tiofanato-metílico (0,49 g i.a. L-1); oxicloreto de cobre (1,68 g i.a. L-1); metirame+piraclostrobina (1,375 + 0,125 g i.a. L-1); hidróxido de cobre; (0,807 g i.a. L-1); mancozebe (1,6 g i.a. L-1); tiabendazol (0,485 g i.a. L-1); clorotalonil (1,24 g i.a. L-1); tiofanato-metílico + clorotalonil (0,4 + 1,0 g i.a. L-1); difenoconazole (0,125 g i.a. L-1); tebuconazol (0,2 g i.a. L-1); tetraconazol (0,1 g i.a. L-1); iprodiona (0,5 g i.a. L-1); piraclostrobina (0,08 g i.a. L-1); calda bordalesa [(0,75 g de cobre+0,15 g de cálcio) L-1]; azoxistrobina (0,075 g i.a. L-1). As testemunhas consistiram de BDA adicionado ou não de DMSO. Os produtos que inibiram completamente o fungo foram: oxicloreto de cobre, cobre+cálcio, tebuconazol, tiofanatometílico + clorotalonil...

Crescimento micelial de Pleurotus ostreatus em resíduo de Simarouba amara.

SALES-CAMPOS, C.; EIRA, A.F. da; JESUS, M.A. de; CAMPAGNOLLI, F.; ANDRADE, M.C.N. de.
Fonte: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.43, n. 11, p. 1633-1635, nov. 2008. Publicador: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.43, n. 11, p. 1633-1635, nov. 2008.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.89%
O objetivo deste trabalho foi avaliar o crescimento micelial do cogumelo Pleurotus ostreatus, cultivado na serragem da espécie madeireira Simarouba amara. Avaliaram-se: o efeito das temperaturas de 22, 25, 27, 30 e 35ºC sobre o crescimento micelial de P. ostreatus, nos meios malte-ágar 3% e SDA-MA (infusão da serragem de S. amara, enriquecida com farelo de soja-dextrose-ágar); e o crescimento micelial em substrato de cultivo de serragem de S. amara, com e sem suplementação de farelo de soja, a 25 e 30ºC. O melhor desenvolvimento de P. ostreatus ocorreu em meio malte-ágar 3% a 25ºC. A suplementação de farelo de soja na serragem de S. amara favorece o crescimento micelial.; 2008; Notas Científicas

Produção de inóculo, efeito de extratos vegetais e de fungicidas e reação de genótipos de soja à Sclerotinia sclerotiorum; Inoculum production, the effect of vegetable extracts and fungicides and soybean genotypes reaction to Sclerotinia sclerotiorum

Garcia, Riccely Ávila
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
47.04%
A podridão branca da haste causada por S. sclerotiorum vem aumentando em campos de cultivo de soja, devido ao cultivo de espécies altamente suscetíveis na safrinha e a utilização de sementes contaminadas por S. sclerotiorum. Estudos envolvendo produção de inóculo, controle alternativo e químico, metodologia de inoculação e resistência de genótipos de soja à Sclerotinia sclerotiorum constituíram os objetivos deste trabalho. Os experimentos foram conduzidos no Laboratório de Micologia e Proteção de Plantas – LAMIP da Universidade Federal de Uberlândia. Os isolados utilizados foram obtidos de plantas de soja provenientes de Jataí-GO e Indianópolis-MG. Quanto à produção de escleródios, os resultados demonstraram que meios de cultura combinados com fubá foram mais promissores, tanto no rendimento, quanto no número de escleródios. Os meios de cultura feijão e girassol foram os mais promissores. Quanto às doses de fubá de milho, trigo para “kibe” e farinha de mandioca, o rendimento e número de escleródios decresceram com o aumento das concentrações. A concentração de 20% proporcionou maior produção de escleródios para os três complementos. Em relação ao controle alternativo, os resultados demonstraram que a maior inibição do crescimento micelial está diretamente proporcional ao aumento das doses de Azadirachta indica. A interação A. indica e Pongamia glabra foi significativa...

Cultivo de Lentinus sajor-caju (Fr.) Fr. [= Pleurotus sajor-caju (Fr.) Singer] e Pleurotus spp. em diferentes substratos; Cultive of Lentinus sajor-caju (Fr.) Fr. [= Pleurotus sajor-caju (Fr.) Singer] e Pleurotus spp. in diferent substrata.

Albuquerque, Margeli Pereira de
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Agricultura familiar; Programa de P??s-Gradua????o em Sistemas de Produ????o Agr??cola Familiar; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Agricultura familiar; Programa de P??s-Gradua????o em Sistemas de Produ????o Agr??cola Familiar; UFPel; BR
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.79%
The Pleurotus species, popularly known as oyster mushroom, are primary decompositers of woods and others biodegradables wastes. These mushrooms show nutricional proprieties with higher proteins, essencial aminoacids, unsaturated fat acids, vitamins and mineral contents, however are becoming as an important food resource. The substrata identification are the mainly stage in the productivity increase studies in the fungiculture. The in vitro and in vivo cultures aim to elucidate the optimal conditions of fungi growing related to a culture media that allow the fast development and increase the productivity. For Pleurotus spp. the currently strains available, were selected by the use of different ways of culture, aimed to increase the productivity. Therefore, these works aim to study the in vitro micelial growth and colonization of substratum and the productivity of three mushrooms strains in different agricultural wastes. Three experiments were carried out to reach the objectives, using rice straw, castor bean seed husks and peanut shells as substrata. In the first experiment, the strains was repicated to a petri dishes, with a solid medium prepared with the selected substrata, and incubated at 25??C. The mycelial growing was daily mensured with ruler and at the end of experiment the mycelial biomass was quantified. In the second experiment was evaluated the colonization capacity under in vitro conditions. The strains were repicated to the tubes with pasteurized susbtrata and incubated at 28??C. Were measured...