Página 1 dos resultados de 5032 itens digitais encontrados em 0.011 segundos

Mudança estrutural e crescimento económico em Cabo Verde

Tavares, Annie Isabel Pereira.
Fonte: FEUC Publicador: FEUC
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.4%
O crescimento económico sustentado é crucial para o desenvolvimento económico e social dos países e a teoria do crescimento económico defende que o desenvolvimento e crescimento económicos estão intrinsecamente ligados a mudanças na estrutura produtiva. Este trabalho descreve a mudança estrutural ocorrida em Cabo Verde entre 1986 e 2008/9, procurando identificar atividades com maior potencial de contribuição para o crescimento económico sustentado do país, com base numa análise de estatística descritiva. A nível agregado verificou-se que o sector primário tem vindo a perder peso no PIB a favor do sector terciário. E a um nível mais desagregada, concluiu-se que há actividades de serviços, como por exemplo o Turismo com potencial de crescimento da produtividade e logo do crescimento económico de Cabo Verde. Contudo, apesar de Cabo Verde ter feito alguns progressos em todos os sectores de actividade económica comparando com alguns países da Africa Subsaariana, à capacidade produtiva do país continua muito deficitária, para isso tem que se aplicar medidas que permitem desenvolver mais esses sectores produtivos.; Relatório de estágio do mestrado em Economia (Economia do Crescimento e das Políticas Estruturais)...

Dimensão do estado e crescimento económico em países emergentes : uma análise aplicada

Rodrigues, Gil Alexandre de Castro Ferreira Braga
Fonte: FEUC Publicador: FEUC
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.41%
Nos últimos anos tem existido um grande debate na literatura sobre o crescimento económico, acerca da importância da intervenção do Estado na economia, com principal foco em economias desenvolvidas. O presente trabalho analisa a relação entre a intervenção do Estado e o crescimento económico para 28 economias emergentes, no período de 1980 a 2010. Através da estimação de painéis estáticos de uma regressão de crescimento à Barro foi possível concluir que os resultados não se apresentam estatisticamente signi cativos para o consumo público, investimento público ou para as despesas relacionadas com as funções sociais do Estado, em concreto, educação e saúde. Parecem assim apontar para a não relevância, em termos de crescimento económico, da intervenção do Estado no tipo de países em análise - economias ditas emergentes -, cujo crescimento económico, de acordo com a nossa análise, foi sobretudo in uenciado pelo mecanismo de convergência, investimento privado e taxa de crescimento da população. Contudo, as conclusões para amostras mais reduzidas parecem divergir das restantes. Deste modo, percebe-se que a disponibilidade de dados para a maioria das categorias de despesa do Estado consideradas, é o principal entrave para realizar uma investiga- ção mais pormenorizada relativa ao papel da composição da despesa pública sobre o crescimento económico.; Trabalho de projeto do mestrado em Economia (Economia do Crescimento e as Políticas Estruturais)...

Estado social e desigualdade : austeridade e crescimento económico nos países de periferia europeia

Cardoso, Marlene Oliveira
Fonte: FEUC Publicador: FEUC
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.4%
O trabalho de projeto que se segue tem como objetivo principal refletir sobre a existência de uma relação entre três dimensões, o Estado social, a desigualdade e o crescimento económico, discutindo possíveis efeitos de longo prazo das políticas de austeridade atualmente praticadas pelos países da periferia europeia por intermédio da sua influência sobre os níveis de desigualdade dada a redução do Estado social que parecem implicar. Em primeiro lugar, são identificados os conceitos chave que permitem desenvolver uma correta interpretação do estudo. Da revisão da literatura teórica, apresentam-se autores que afirmam que a desigualdade é prejudicial para o crescimento económico e autores que defendem que a desigualdade conduz a um maior crescimento económico. Para perceber esta relação são analisados os mecanismos de transmissão entre desigualdade e crescimento económico. A análise prossegue com a revisão de estudos empíricos que relacionam Estado social e desigualdade. A nível da análise de estatística descritiva são examinados três tipos de indicadores: macroeconómicos, despesas sociais públicas e indicadores da desigualdade de rendimento, no período de 1995-2013. Os resultados obtidos, através da análise do primeiro grupo de indicadores revelam que os países em estudo já apresentavam fragilidades económicas antes da crise financeira eclodir. Segundo...

Padrões de crescimento econômico e seus impactos sobre a desigualdade

Freitas, Fernando Celso Garcia de
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Artigo de Revista Científica
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.42%
A presente pesquisa investigou a relação entre crescimento econômico e distribuição de renda na América Latina e nos países em desenvolvimento. Ao contrário da literatura sobre o tema, a qual busca estabelecer uma relação causal entre desigualdade e crescimento, a preocupação foi identificar as conseqüências de distintos processos de crescimento econômico sobre a distribuição funcional e pessoal da renda. Como se sabe, o crescimento econômico provêm da acumulação de fatores produtivos e do aumento da produtividade. Nesse sentido, foi possível diferenciar os impactos sobre a distribuição de renda de um crescimento baseado na acumulação de capital daquele baseado em ganhos de produtividade. Esses aspectos deram uma compreensão melhor do processo de crescimento econômico e permitiram avaliar os efeitos de transformações políticas e institucionais sobre o crescimento e a distribuição de renda. A análise empírica centrou foco em dois temas: os efeitos das reformas econômicas na América Latina sobre o crescimento e a distribuição de renda da região; e os efeitos da abertura comercial e financeira mundial sobre o crescimento econômico e a distribuição de renda nas economias em desenvolvimento em seu conjunto.; In this research we investigate the relationship between economic growth and inequality in developing countries...

Sistema financeiro e crescimento econômico : uma aplicação de regressão quantílica

Silva, Everton Nunes da; Pôrto Júnior, Sabino da Silva
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.4%
Este trabalho tem o objetivo de analisar teórica e empiricamente a suposta relação positiva existente entre desenvolvimento financeiro e crescimento econômico. O sistema financeiro influencia o crescimento econômico devido às funções que este desempenha, tais como: a) mobilização de recursos; b) alocação dos recursos no espaço e no tempo; c) administração do risco; d) seleção e monitoração de empresas; e e) produção e divulgação de informação. Para analisar estes aspectos, aplicou-se a técnica de regressão quantílica, a partir de dados de 77 países, o que permitiu um mapeamento mais completo do impacto gerado pelas medidas de desenvolvimento financeiro na distribuição condicional da variável resposta (medidas de crescimento econômico). As estimativas obtidas permitem concluir que: a) há uma relação positiva entre desenvolvimento financeiro e crescimento econômico; e b) quanto maior o quantil (isto é, maior a taxa de crescimento econômico), maior é a contribuição do sistema financeiro para o crescimento econômico.; This work has the objective to analyze the relationship between financial development and economic growth. The financial system influences the economic growth due to the functions that it plays...

Um debate sobre os limites do crescimento econômico no Brasil sob a perspectiva do modelo Harrod-Domar

Madruga, Carolina Colussi
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
66.43%
Desde fins da década de 70, com as crises do petróleo e a crise externa, ocorreram mudanças no sistema internacional de financiamento que levaram o sistema econômico brasileiro do “milagre econômico” à “década perdida”. Com isso, os anos 80 foram marcados por períodos de recessão, desequilíbrios internos, descontrole inflacionário, déficits no setor público, resultando em problemas macroeconômicos, os quais se tornaram herança para as próximas décadas. Sendo assim, nos anos 80, 90 e, parte dos anos 2000, a economia brasileira teve como principal foco políticas de visassem o ajuste econômico e a estabilização, deixando o crescimento econômico como segundo plano, fato que resultou em um baixo crescimento econômico, ou seja, baixas taxas do PIB real. Contudo, este fato foi contrariado a partir de 2004 quando o Brasil passou a apresentar taxas mais significativas de investimento, permitindo um crescimento do PIB superior a 5% a.a., sendo que para este período muitos economistas defendiam que a economia nacional poderia crescer de forma “sustentada”, sem causar pressões inflacionárias, a um nível de 4,5% a 5% ao ano. Assim sendo, nos dias atuais uma das abordagens com maior enfoque no ramo econômico é a questão do crescimento sustentável...

Será a taxa de crescimento económico um bom indicador de uma futura crise da dívida externa?

Gonçalves, Joel Duarte da Silva
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.42%
Dissertação de mestrado em Economia Monetária, Bancária e Financeira; Quais os fatores podem precipitar uma crise da dívida externa? Será que existe algum indicador, ou algum conjunto de indicadores, capazes de antecipar a ocorrência de uma crise da dívida com precisão? Apesar de estas situações não serem exclusivas da atualidade, nas últimas décadas surgiram inúmeras investigações sobre as mais variadas questões relativas às crises da dívida externa, nomeadamente os motivos que fazem despoletar uma crise e os seus principais indicadores. Um desses potenciais indicadores é a taxa de crescimento económico, cuja relação com as crises é particularmente interessante. Existe uma certa relação de efeito-causa entre uma crise da dívida e a taxa de crescimento económico de um país, se por um lado é verdade que uma crise provoca um decréscimo acentuado na taxa de crescimento económico também é verdade que um fraco crescimento económico pode, em tese, potenciar o surgimento de uma crise da dívida externa. O presente estudo procura averiguar se a taxa de crescimento económico será um bom indicador de uma futura crise da dívida externa. Com um painel constituído por 184 países membros do FMI com uma componente temporal entre 1975 e 2011...

Crescimento Económico e Sustentabilidade

Belbute, José Manuel Madeira
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
66.48%
"Sem resumo feito pelo autor"; - Quando iniciei esta viagem ao mundo das interacções entre a economia e o ambiente, estava longe de encontrar um corpo científico coma dimensão e importância que vim a encontrar. De resto a minha primeira reacção ao ouvir o termo "Economia do Ambiente" foi, confesso, de alguma estranheza e certa desconfiança. Depressa compreendi que os meus "preconceitos" eram infundados e, artigo após artigo, livro após livro, fui descobrindo e tomando consciência do tema, da sua importância e actualidade. Cada artigo ou capítulo era lido com um misto de avidez e de espanto. As bibliografias, uma enorme fonte de esperança. Toda a actividade humana e sociocultural tem lugar num contexto de certo tipo de relações entre o homem, a sociedade e o resto da natureza. Desenvolvimento implica necessariamente transformação dessa relação e à medida que as sociedades evoluem, assim se alteram as relações que mantêm com a natureza. Por vezes as transformações são benéficas para ambos os sistemas e "ecologicamente sustentáveis". Outras, porém o modo como as sociedades procuram tirar partido das dotações ambientais para melhorar as suas hipóteses de sobrevivência ou a sua qualidade de vida, provocam danos irreparáveis nos ecossistemas de que dependem...

Crescimento económico, globalização e empreendedorismo: um estudo empírico

Bartolomeu, Maria do Carmo Carrinho
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.45%
A presente investigação tem como objetivo analisar a relação entre o crescimento económico, a globalização e o empreendedorismo para o período temporal 2000 a 2012. Na metodologia foram utilizados os dados em painel dinâmico para um conjunto de 92 países, distribuídos pelos 5 continentes, tendo-se avaliado os efeitos das variáveis independentes: comércio internacional, investimento direto estrangeiro, globalização e empreendedorismo no crescimento económico de cada país. Para tal recorreu-se ao estimador GMM-System de forma a se obter o tratamento estatístico daqueles dados, bem como, para solucionar os problemas de autocorrelação e endogeneidade dos modelos utilizados. Dos resultados obtidos, constata-se que a taxa de crescimento real desfasada tem um impacto positivo demonstrando que o crescimento económico deve ser analisado na perspetiva de longo prazo. A variável globalização parece não promover o crescimento económico. A taxa empreendedora da população feminina está positivamente correlacionada com o crescimento económico. Todavia, a taxa empreendedora da população masculina sugere uma associação negativa com o crescimento económico. As empresas nascentes contribuem para o crescimento económico. No que diz respeito à variável comércio internacional...

O crescimento económico e o investimento directo estrangeiro: um estudo empírico

Duarte, Joana Margarida de Pinho Leite
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.41%
Esta dissertação visa analisar as determinantes do crescimento económico, dando ênfase à correlação entre o investimento estrangeiro e o crescimento, para o período de 1990 a 2008. O presente estudo procura testar as teorias do crescimento económico e o investimento directo estrangeiro. Ao nível da metodologia, o estudo pretende especificar o crescimento económico usando dados em painel, estabelecendo possíveis correlações entre os modelos teóricos e empíricos. A utilização do estimador GMM-System permitiu resolver os problemas de autocorrelação e de endogeneidade. Dos resultados obtidos podemos inferir que: i) o investimento estrangeiro tem um impacto positivo no crescimento económico; ii) o grau de abertura promove o crescimento económico; as variáveis capital humano e população estão positivamente correlacionadas com o crescimento económico; ABSTRACT: This dissertation analyzes the determinants of economic growth, emphasizing the correlation between foreign investment and growth for the period 1990 to 2008. This study seeks to test theories of economic growth and foreign direct investment. In terms of methodology, the study aims to specify the economic growth using panel data, establishing possible correlations between the theoretical and empirical models. Using the GMM - System estimator has solved the problems of endogeneity and autocorrelation. From our results we can infer that: i) foreign investment has a positive impact on economic growth...

Crescimento económico, globalização e investimento direto estrangeiro:um estudo empírico

Leitão, Nuno Carlos
Fonte: Instituto Politécnico de Santarém. Unidade de Investigação Publicador: Instituto Politécnico de Santarém. Unidade de Investigação
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /02/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.4%
A presente investigação examina a relação entre o crescimento económico e a globalização aplicado ao caso português, utilizando dados em painel para o período temporal de 1995 a 2008. Na década de 1980 e 1990 muito se escreveu acerca da globalização (Ohmae, 1995; Oman 1994; Dunning 1993). As recentes mudanças da economia internacional permitem explicar o crescimento económico através da globalização, do investimento direto estrangeiro e do comércio internacional. Stiglitz (2002) demonstra que a globalização pode ser vista como grande desilusão. A obra de Stiglitz ilustra que a globalização acentua as desigualdades em termos da repartição do rendimento per capita. Na verdade, os estudos empíricos evidenciam que as assimetrias entre os países do Norte e do Sul aumentam com a globalização. Nos últimos anos temos assistido a um debate na literatura sobre a convergência versus divergência nos modelos de crescimento económico. As estimativas que obtivemos demonstram que existem divergências entre Portugal e os seus parceiros comerciais, o que corrobora com os estudos empíricos (Kai e Hamori 2009). O nosso estudo comprova que existe uma correlação positiva entre a globalização e o crescimento económico. Por seu turno...

O Impacto de ajuda externa sobre o crescimento económico dos países de CEDEAO

Silva, Albino da
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.43%
Mestrado em Economia Internacional e Estudos Europeus; Este trabalho teve como objetivo de analisar os impactos da ajuda externa sobre o crescimento económico dos países da CEDEAO, entre os períodos de 1990 a 2011. A pesquisa é de natureza qualitativa e quantitativa. Realizou-se um trabalho de revisão bibliográfica dos assuntos que versam sobre esse tema. Partiu-se de uma crítica aos programas de ajuda externa destinado aos países em via do desenvolvimento, como é o caso dos países da CEDEAO, e apresentam-se algumas reflexões a esse respeito. Traça-se um panorama que analisa a inserção das organizações de ajuda externa no mercado mundial e no processo de globalização, e apontam-se algumas estratégias adotadas por estas organizações para se inserirem no mercado mundial. É feita uma síntese sobre a história da ajuda externa no quadro do sistema produtivo capitalista e sobre a discussão no meio científico acerca da relação entre a ajuda externa e o crescimento económico. A dissertação pretende questionar a eficácia dos programas de ajuda para o crescimento e o desenvolvimento económico dos países da CEDEAO. Para isso formulou e testou essa hipótese explicativa através da especificação de um modelo econométrico utilizando dados de painel e o estimador de efeitos fixos. Outras variáveis de controlo...

Empreendedorismo e crescimento económico: evidências para portugal

Moura, Daniela Pacheco
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.4%
Doutoramento em Gestão Empresarial Aplicada; A tese acompanha a tendência da última década do século XX no interesse pelo empreendedorismo, que vai para além da academia e é tema dos círculos políticos e do público em geral, como resultado das preocupações com o crescimento económico nas economias avançadas. Portugal, situa-se na lista destas economias e, apresenta a taxa de empreendedorismo mais elevada da União Europeia, UE-15, em 2007, a exemplo do já verificado em 2001. No entanto, ao longo de seis anos a taxa de crescimento económico nacional não regista progressos. Esta realidade é o argumento para se avaliar o que correu bem nas condições que impulsionaram o empreendedorismo português, mas também o que poderia ter sido transmitido ao crescimento económico e não o foi. A investigação toma como quadro conceptual uma abordagem em quatro fases para responder à questão seguinte: “Que evidências para Portugal na relação entre empreendedorismo e crescimento económico?”. Para testar empiricamente o modelo utilizam-se dados secundários disponibilizados pelo Global Entrepreneurship Monitor, GEM, e outras fontes internacionais. Perante a complexidade do fenómeno em estudo recorre-se à análise estatística...

Crescimento económico versus desenvolvimento do sistema financeiro: o caso de Angola

Augusto, Luzia das Graças Sassi
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
66.4%
A relação entre o crescimento económico e desenvolvimento do sistema financeiro tem recebido muita atenção na literatura económica nos últimos anos. Apesar da relação ser controversa, em geral, a maior parte da literatura considera que o desenvolvimento do sistema financeiro tem um efeito positivo sobre o crescimento económico. Para os países em desenvolvimento, estudos empíricos têm fornecido resultados mistos, enquanto que nos países desenvolvidos o efeito do desenvolvimento do sistema financeiro no crescimento económico, é positivo e inferior. Alguns estudos sugerem que o desenvolvimento do sistema financeiro é importante para o crescimento económico na presença de capital humano altamente desenvolvido e de outros factores tais como investimento, comércio externo, política fiscal, inflação, instabilidade política, e sistema financeiro. O sistema financeiro surgiu como uma necessidade para as economias usufruírem dos ganhos do comércio regional, internacional e expandirem as oportunidades de investimento de grande dimensão. Na realidade, diferentes modelos de sistema financeiro coexistem nas economias modernas. Todavia, os sistemas financeiros nos países da África Subsaariana são na sua maioria baseados na banca...

Consumo de petróleo e crescimento económico: o caso português, 1965-2008

Maciel, Fátima Alexandra da Costa
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
66.4%
Analisamos a relação causal entre o consumo de petróleo e o crescimento económico em Portugal, no período que decorre entre 1965 e 2008. A relação causal entre o consumo de petróleo e o crescimento económico tem sido pouco analisada. Do nosso conhecimento, apenas, Zou e Chau (2006) e Ghosh (2009) debruçaram-se sobre esta relação. Zou, Chau e Ghosh analisaram diferentes países, diferentes períodos e diferentes metodologias econométricas. Na literatura não encontramos estudos que analisassem unicamente a relação causal entre o consumo de petróleo e o crescimento económico, ao longo de um horizonte temporal de 44 anos em Portugal. Este país a partir dos anos sessenta tem-se deparado com vários acontecimentos, de onde se realçam, a expansão económica, a estagnação prolongada da económica e os choques económicos. Estes acontecimentos fizeram com que Portugal se tornasse num país de especial interesse. Os dados portugueses apresentam outliers e quebras estruturais, características intrínsecas do período em análise. Para superar estas limitações, utilizamos a abordagem econométrica Autoregressive Distributed Lag (ARDL), por ser a abordagem que nos dá resultados mais robustos. Os resultados empíricos sugerem: 1) o consumo de petróleo causa o crescimento económico tanto no longo como no curto prazo; e 2) o crescimento económico causa o consumo de petróleo apenas no curto prazo. Tendo em atenção estas conclusões...

Sistema financeiro e crescimento econômico: uma aplicação de regressão quantílica

Silva,Everton Nunes da; Porto Júnior,Sabino da Silva
Fonte: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.4%
Este trabalho tem o objetivo de analisar teórica e empiricamente a suposta relação positiva existente entre desenvolvimento financeiro e crescimento econômico. O sistema financeiro influencia o crescimento econômico devido às funções que este desempenha, tais como: a) mobilização de recursos; b) alocação dos recursos no espaço e no tempo; c) administração do risco; d) seleção e monitoração de empresas; e e) produção e divulgação de informação. Para analisar estes aspectos, aplicou-se a técnica de regressão quantílica, a partir de dados de 77 países, o que permitiu um mapeamento mais completo do impacto gerado pelas medidas de desenvolvimento financeiro na distribuição condicional da variável resposta (medidas de crescimento econômico). As estimativas obtidas permitem concluir que: a) há uma relação positiva entre desenvolvimento financeiro e crescimento econômico; e b) quanto maior o quantil (isto é, maior a taxa de crescimento econômico), maior é a contribuição do sistema financeiro para o crescimento econômico.

Instituições, governança e Crescimento Econômico: Teoria e Experiência Brasileira À Luz das Evidências Empíricas dos Países do Mercosul e Leste Asiático

Alexandre Ferreira Filho, José; de Almeida Medeiros, Marcelo (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.4%
Analisar as influências das variáveis institucionais para o crescimento econômico dos países em desenvolvimento em geral, e especificamente para o caso brasileiro, é o objetivo desta tese. Considerando as inúmeras possibilidades de escolha, existentes para se abordar a questão do crescimento econômico, optou-se, a exemplo de grande parte da literatura, por considerar que os fatores institucionais têm papel fundamental para explicar as diferenças entre as taxas de crescimento dos países, assim como das diferenças de comportamento dessas taxas ao longo do tempo. O funcionamento das instituições políticas e econômicas de um país tem condições de influenciar de forma positiva o surgimento de avanços tecnológicos e as políticas públicas em geral capazes de promover o crescimento. Determinar os aspectos institucionais de maior relevância é o ponto central da análise. A maior parte da literatura considera que o estabelecimento de instituições estáveis, que forneçam maiores níveis de segurança aos direitos de propriedade é o fator-chave para o crescimento, na medida em que cria condições favoráveis para novos investimentos e desenvolvimentos tecnológicos. Nesse sentido, essas boas instituições...

Crescimento econômico, inflação e regimes cambiais: análise de painel

Cardoso, Carlos de Almeida
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
66.43%
A análise empírica desenvolvida nesta tese tem por base a estimação de modelos de dados em painel para o crescimento econômico e a inflação, para um conjunto de 82 economias, utilizando-se da abordagem System GMM. Os resultados das estimações dos modelos de crescimento para o período de 1970 a 2009 fornecem um resultado fundamental para o presente trabalho. Em que pese grande parte da literatura empírica sugerir que não há uma relação significativa entre o regime cambial adotado e o crescimento das economias, e conforme se apurou com os resultados empíricos da própria tese para o período de 1990 a 2009, os resultados dos modelos estimados para as quatro últimas décadas, por outro lado, evidenciam que os países que adotaram regimes cambiais intermediários estiveram associados a um maior crescimento econômico quando comparado aos países que adotaram regimes de câmbio fixo/rígido. Além disso, os resultados do período de 1970 a 2009 sugerem que impactos negativos para o crescimento estiveram associados a episódios de reversão brusca dos fluxos de capitais. Os modelos de crescimento estimados para os dois períodos distintos (1970 a 2009 e 1990 a 2009), de maneira geral, evidenciam a importância do crescimento defasado sobre o crescimento econômico corrente e indicam que as variáveis de crise bancária e crise de dívida não se mostraram estatisticamente significativas. Por sua vez...

Política fiscal e crescimento económico

Castro, Conceição
Fonte: Instituto Politécnico do Cávado e do Ave Publicador: Instituto Politécnico do Cávado e do Ave
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2006 POR
Relevância na Pesquisa
66.4%
Os recentes desenvolvimentos da teoria do crescimento económico sugerem que a política fiscal pode ter efeitos importantes no crescimento económico de longo prazo. O objectivo deste artigo é investigar o impacto da política fiscal no crescimento económico de longo prazo, utilizando dados em painel para os Estados-membros da UE15 (com excepção de Luxemburgo), no período 1965-2000. Partindo do enquadramento teórico de Barro (1990), formula-se um modelo onde a taxa de crescimento real é determinada por variáveis das finanças públicas, esperando que a redução de impostos distorcionários e o aumento de despesas públicas produtivas fomentem o crescimento económico. No caso da UE15, os resultados sugerem que o aumento da dimensão do sector público (despesas ou impostos) retarda o crescimento e, em particular, uma redução dos impostos sobre o trabalho e o capital podem acelerar o crescimento económico de longo prazo.; Recent developments in the theory of growth suggest that fiscal policy can have important effects on long-run growth. The aim of this article is to investigate the impact of fiscal policy on long-run growth, using a pannel data for the UE15 members (except Luxemburg), on the period 1965- 2000. Based on Barro (1990) theoretical framework...

Nível do câmbio e crescimento econômico: teorias e evidências para países em desenvolvimento e emergentes - 1980-2007; Texto para Discussão (TD) 1425: Nível do câmbio e crescimento econômico: teorias e evidências para países em desenvolvimento e emergentes - 1980-2007; Level of the exchange rate and economic growth: theory and evidence for developing and emerging countries - 1980-2007

Araújo, Eliane Cristina de
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.42%
Este artigo analisa teórica e empiricamente a relação entre nível da taxa de câmbio e crescimento econômico nos países em desenvolvimento e emergentes. Inicialmente os objetivos da política cambial são discutidos, enfatizando a importância dessa política como instrumento impulsionador do crescimento econômico. Dando continuidade à análise teórica, alguns canais de influência do nível da taxa de câmbio sobre o crescimento econômico são apontados, quais sejam: os canais i) do investimento; ii) da exportação dos bens não tradicionais (fundamento tecnológico); iii) da produtividade; iv) compensação às falhas de mercado e às falhas contratuais; e v) estímulo à elasticidade-renda das exportações. Na parte empírica, uma medida de subvalorização cambial baseada em Rodrik (2007) é construída para 82 países emergentes e em desenvolvimento, entre 1980 e 2007. Esta medida é empregada para captar a relação entre taxa de câmbio desvalorizada e crescimento econômico, mediante a utilização de técnicas econométricas para dados em painéis. Os resultados das estimações apontam uma relação positiva e estatisticamente significante entre subvalorização cambial e crescimento econômico nos países que fazem parte da amostra...