Página 1 dos resultados de 20 itens digitais encontrados em 0.053 segundos

Variabilidade intrapessoal e interpessoal da ingestão de nutrientes de crianças brasileiras; Within - and between - person variability of nutrient intakes among Brazilians children

Castro, Michelle Alessandra de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/02/2011 PT
Relevância na Pesquisa
56.01%
Introdução: A precisão e a confiabilidade das estimativas do consumo alimentar são os principais desafios nos estudos sobre nutrição e saúde, visto que a medida dietética não é isenta de erros e que a dieta humana é de natureza variável. Um dos principais componentes de variabilidade da dieta é a variação intrapessoal, que representa a variação da ingestão dos indivíduos ao longo dos dias. Do ponto de vista estatístico, a variância intrapessoal constitui uma importante fonte de erro na análise e interpretação dos dados dietéticos por atenuar medidas de associação, como coeficientes de regressão e risco relativo, e aumentar a proporção dos indivíduos nos extremos da curva de distribuição. Objetivos: Estimar a razão de variâncias da ingestão de energia e nutrientes e calcular o número de medidas dietéticas necessárias à estimativa do consumo habitual de crianças brasileiras. Métodos: Trata-se de um estudo transversal realizado em 2007 que coletou dados de 3150 crianças de 1 a 6 anos matriculadas em creches e pré-escolas das cidades de Manaus, Natal, Recife, Brasília, Cuiabá, Rio de Janeiro, Viçosa, São Paulo e Caxias do Sul. Em cada cidade, foram avaliadas 250 crianças de creches públicas e 100 de creches particulares. Dados socioeconômicos...

Movimento e complexidade na garantia do direito à Educação Infantil: um estudo sobre políticas públicas em Porto Alegre (1989-2004)

Flores, Maria Luiza Rodrigues
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.08%
Esta tese de doutoramento teve como área privilegiada de interesse a Educação Infantil, primeira etapa da Educação Básica de acordo com a atual legislação educacional brasileira. O objetivo da pesquisa foi investigar as políticas públicas para a Educação Infantil no município de Porto Alegre, implementadas no período entre 1989 e 2004, quando aconteceram quatro gestões consecutivas do Partido dos Trabalhadores na cidade. Neste período histórico, há um movimento nacional de reconhecimento do direito da criança de zero a seis anos à Educação, desencadeado por diferentes atores: legisladores, intelectuais, movimentos sociais organizados. O estudo analisou dois campos das políticas educacionais: a oferta de atendimento e a formação de profissionais, abordando a regularização das instituições junto ao Sistema Municipal de Ensino - SME. A metodologia, de enfoque qualitativo, envolveu duas abordagens: entrevistas semi-estruturadas e pesquisa documental. Foram entrevistadas representantes de três segmentos envolvidos com estas políticas desde diferentes lugares, incluindo legisladoras do Conselho Municipal de Educação, coordenadoras da Educação Infantil da Secretaria Municipal de Educação - SMED, funcionárias das Escolas Municipais de Educação Infantil e educadoras das creches conveniadas à Prefeitura. A análise documental envolveu legislação federal...

A regulamentação não-regulamentada das instituições de educação infantil particulares no município de Porto Alegre

Bruscato, Andrea Cristiane Maraschin
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.15%
Esta dissertação focalizou a função regulatória do Poder Público Municipal sobre as Instituições de Educação Infantil Particulares, tomando como objeto de estudo a organização e práticas do Município de Porto Alegre. Apesar do município de Porto Alegre contar com uma administração pública de reconhecida organização geral, e de atenção à educação popular, a justificativa deste estudo foi calcada no percentual aquém do desejado de escolas particulares autorizadas pelo Conselho Municipal de Educação (CME), inferior a 7%, no ano de 2007. No Brasil, o ensino é livre à iniciativa privada, desde que esta cumpra com as normas gerais da educação nacional estabelecidas em lei. Sabe-se, também, que é de iniciativa da mantenedora o credenciamento junto à Secretaria Municipal de Educação (SMED), bem como atender às exigências estabelecidas pelo Conselho Municipal de Porto Alegre. Das trezentas e onze (311) escolas particulares cadastradas no Município, apenas vinte (20) receberam a autorização para funcionamento. A Educação Infantil, reconhecida como primeira etapa da Educação Básica, embora não seja obrigatória, é um direito da criança, de seus pais e também um dever do Estado. De acordo com o artigo 206...

Concepções de educadoras sobre a adaptação de bebês à creche; Teacher’s conceptions about infants adjustment to daycare center

Rapoport, Andrea; Piccinini, Cesar Augusto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
45.82%
Embora haja consenso entre os pesquisadores sobre a complexidade do período de adaptação à creche, existem ainda inconsistências sobre o momento mais adequado para se colocar o bebê na creche, quanto ao conceito de adaptação e como avaliar este período. Este estudo examinou como educadoras de creches públicas e particulares caracterizavam a adaptação dos bebês de 4-5 meses e 8-9 meses. Quarenta e uma educadoras responderam a um questionário aberto que examinava como era feito o processo de adaptação, sua duração, os casos de bebês que apresentavam retrocesso após estarem adaptados e os fatores que interferiam na adaptação. Análise de conteúdo revelou algumas diferenças entre as concepções de adaptação dos bebês das duas faixas etárias. Segundo as educadoras a adaptação dos bebês de 8-9 meses requer maior preparação e cuidado, sendo em alguns aspectos uma etapa mais crítica do que a do outro grupo. Houve também diferenças entre os indicadores mencionados para as duas faixas etárias.; Although there is consensus among researchers about the complexity of the period of adaptation to daycare center, inconsistencies still exist about the most adequate moment for the child’s entry into daycare center...

Giardíase e helmintíases em crianças de creches e escolas de 1° e 2° graus (públicas e privadas) da cidade de Mirassol (SP, Brasil)

Machado, Renato Carlos; Marcari, Euzélia Lidubino; Cristante, Siamar de Fátima Vechiato; Carareto, Cláudia Márcia Aparecida
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 697-704
POR
Relevância na Pesquisa
46.07%
O presente trabalho mostrou freqüências diferentes de parasitoses intestinais (giardíase e helmintíases) entre crianças de pré-escolas e de escolas de 1 e 2 Graus, públicas e privadas. Pesquisou-se 199 indivíduos, sendo 96 pertencentes às instituições públicas e 103 pertencentes às instituições particulares. Nas instituições públicas as freqüências de giardíase foram maiores que nas instituições privadas. Para as helmintíases, as freqüências foram semelhantes entre as creches, porém maiores na escola pública em relação à particular. Indicadores do nível sócio-econômico, de escolaridade, de saneamento básico, como determinantes de parasitose intestinal, evidenciaram que as maiores freqüências de parasitoses ocorreram tanto entre as crianças de baixa renda quanto entre as que tinham pais com nível de escolaridade mais baixo. Também a origem das hortaliças foi um fator significativo para determinação destas parasitoses.; This study showed different frequencies of intestinal parasitosis (giardiasis and helminthiasis) among children in day-care centers and junior and high schools (public and private). The survey involved 199 individuals, 96 belonging to public schools and 103 to private institutions. The frequency of giardiasis in public institutions was shown to be greater than in private institutions. Regarding helminthiasis...

O atendimento público e privado concenssionário na educação infantil: um olhar sobre as condições de oferta

Oliveira, Jaqueline dos Santos
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 198 f. : il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
35.9%
Pós-graduação em Educação - IBRC; Esta pesquisa, financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior (Capes), caracteriza e analisa o Programa Bolsa Creche e as condições de oferta de ensino em instituições públicas municipais e privadas concessionárias no município paulista de Limeira. O intuito é trazer novos elementos para a discussão sobre o atual processo de privatização do ensino, considerando os novos arranjos entre o poder público municipal e instituições privadas com fins lucrativos para a oferta de educação infantil. São analisados, no âmbito do sistema municipal de educação, os documentos relativos à autorização de funcionamento das instituições e à regulação das condições de oferta, a fim de identificar as justificativas para a opção pela política de conveniamento/ parceria; e, no âmbito das instituições de ensino, é verificado como os Indicadores da Qualidade na Educação Infantil se aplicam a escolas privadas concessionárias e a uma escola pública municipal. Para desenvolver e subsidiar o estudo proposto, além do levantamento teórico referente ao tema da pesquisa, foram realizadas observações nas instituições educacionais, entrevistas, análise documental e avaliação das instituições por meio dos Indicadores da Qualidade na Educação Infantil. Os dados obtidos revelam que o Programa Bolsa Creche foi implementado como uma ação paliativa para resolver o problema da falta de vagas nas creches. Apesar disso...

Estimativa do consumo de energia e de macronutrientes no domicílio e na escola em pré-escolares

Bernardi,Juliana Rombaldi; Cezaro,Carla De; Fisberg,Regina Mara; Fisberg,Mauro; Vitolo,Márcia Regina
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2010 PT
Relevância na Pesquisa
56.08%
OBJETIVO: Estimar o consumo de energia e de macronutrientes no domicílio e na escola em tempo integral em crianças de 2 a 6 anos e pesquisar diferenças no consumo entre as crianças de escolas públicas e particulares. MÉTODOS: Estudo transversal realizado com 362 pré-escolares em Caxias do Sul (RS). O estado nutricional foi avaliado pela razão peso para estatura. O consumo na escola foi avaliado por meio do método de pesagem direta individual dos alimentos consumidos pelas crianças e, no domicílio, por meio do método de registro alimentar realizado pelos pais ou responsáveis. Para as análises estatísticas utilizou-se o teste U de Mann-Whitney (p < 0,05). RESULTADOS: Observou-se que 28 crianças (7,7%) apresentaram excesso de peso, 92 (25,4%), risco para excesso de peso e sete (1,9%), baixo peso para a estatura. A avaliação da ingestão alimentar em 24 horas mostrou que 51,3% da energia, 60,3% dos lipídios e 51,6% das proteínas foram consumidos nos domicílios, apesar de as crianças permanecerem em período integral nas escolas. Observou-se maior ingestão de energia (p = 0,001), carboidratos (p < 0,001) e lipídios (p = 0,04) nos pré-escolares de escolas particulares em relação aos de escolas públicas, porém o consumo total diário se mostrou similar nas diferentes instituições. CONCLUSÕES: Os achados sugerem que as crianças consomem proporcionalmente mais energia...

Eficiência dos gastos municipais em saúde e educação: uma investigação através da análise envoltória no estado do Rio de Janeiro

Faria,Flavia Peixoto; Jannuzzi,Paulo de Martino; Silva,Silvano José da
Fonte: Fundação Getulio Vargas Publicador: Fundação Getulio Vargas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
35.99%
Este artigo analisa a eficiência dos gastos públicos nos municípios fluminenses no período 1999/2000, por meio da aplicação da análise envoltória de dados. O estudo adota os indicadores sociais e de gastos municipais das seguintes áreas temáticas da realidade social: educação e cultura; saúde e saneamento. O artigo apresenta uma revisão de várias aplicações de DEA no campo das políticas públicas e, em seguida, os indicadores e modelos propostos para análise da eficiência dos gastos sociais. Aplicou-se o modelo BCC da DEA, com orientação output, isto é, visando maximizar os outputs sem diminuir os inputs. Foram selecionados indicadores de despesas per capita com educação e cultura e com saúde e saneamento como inputs do modelo em questão. Já as variáveis "candidatas" a outputs foram definidas como: taxa de alfabetização de 10 a 14 anos; proporção de domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário adequado; proporção de domicílios particulares permanentes com saneamento adequado; o inverso da taxa de mortalidade por causas hídricas; a proporção de crianças de dois a cinco anos matriculadas em creches ou escolas de educação infantil. O artigo destaca como "boas práticas", no que se refere à eficiência das políticas públicas...

Helmintos em caixas de areia em creches da cidade de Uberlândia, Minas Gerais

Araújo,Núbia da Silva; Rodrigues,Cristiane Teixeira; Cury,Márcia Cristina
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
56.16%
O objetivo do estudo foi avaliar a presença de helmintos em caixas de areia de creches públicas e privadas da cidade de Uberlândia, Minas Gerais em 2005. Foram selecionadas 14 creches particulares e 14 públicas que possuíam área de lazer. As coletas foram realizadas em duas estações do ano, uma na seca e a segunda na chuvosa. As amostras foram analisadas pelos métodos de Willis e Baermann. Na primeira coleta 17 (61%) creches foram positivas para larvas e 14 (50%) para ovos de helmintos e na segunda, em 18 (64%) e 10 (36%), respectivamente. Não foi observada influência da estação climática e da situação socioeconômica das creches.

Giardíase e helmintíases em crianças de creches e escolas de 1° e 2° graus (públicas e privadas) da cidade de Mirassol (SP, Brasil)

Machado,Renato Carlos; Marcari,Euzélia Lidubino; Cristante,Siamar de Fátima Vechiato; Carareto,Cláudia Márcia Aparecida
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1999 PT
Relevância na Pesquisa
46.07%
O presente trabalho mostrou freqüências diferentes de parasitoses intestinais (giardíase e helmintíases) entre crianças de pré-escolas e de escolas de 1 e 2 Graus, públicas e privadas. Pesquisou-se 199 indivíduos, sendo 96 pertencentes às instituições públicas e 103 pertencentes às instituições particulares. Nas instituições públicas as freqüências de giardíase foram maiores que nas instituições privadas. Para as helmintíases, as freqüências foram semelhantes entre as creches, porém maiores na escola pública em relação à particular. Indicadores do nível sócio-econômico, de escolaridade, de saneamento básico, como determinantes de parasitose intestinal, evidenciaram que as maiores freqüências de parasitoses ocorreram tanto entre as crianças de baixa renda quanto entre as que tinham pais com nível de escolaridade mais baixo. Também a origem das hortaliças foi um fator significativo para determinação destas parasitoses.

Concepções de educadoras sobre a adaptação de bebês à creche

Rapoport,Andrea; Piccinini,Cesar A.
Fonte: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília Publicador: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2001 PT
Relevância na Pesquisa
45.82%
Embora haja consenso entre os pesquisadores sobre a complexidade do período de adaptação à creche, existem ainda inconsistências sobre o momento mais adequado para se colocar o bebê na creche, quanto ao conceito de adaptação e como avaliar este período. Este estudo examinou como educadoras de creches públicas e particulares caracterizavam a adaptação dos bebês de 4-5 meses e 8-9 meses. Quarenta e uma educadoras responderam a um questionário aberto que examinava como era feito o processo de adaptação, sua duração, os casos de bebês que apresentavam retrocesso após estarem adaptados e os fatores que interferiam na adaptação. Análise de conteúdo revelou algumas diferenças entre as concepções de adaptação dos bebês das duas faixas etárias. Segundo as educadoras a adaptação dos bebês de 8-9 meses requer maior preparação e cuidado, sendo em alguns aspectos uma etapa mais crítica do que a do outro grupo. Houve também diferenças entre os indicadores mencionados para as duas faixas etárias.

Consumo alimentar de micronutrientes entre pré-escolares no domicílio e em escolas de educação infantil do município de Caxias do Sul (RS)

Bernardi,Juliana Rombaldi; De Cezaro,Carla; Fisberg,Regina Mara; Fisberg,Mauro; Rodrigues,Guilherme Pádua; Vitolo,Márcia Regina
Fonte: Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
55.99%
OBJETIVO: Avaliar a ingestão alimentar de micronutrientes em pré-escolares no domicílio e em escolas de educação infantil públicas e particulares. MÉTODOS: Estudo transversal realizado com 362 pré-escolares entre dois e seis anos de idade, em Caxias do Sul (RS) Brasil, em 2007. A ingestão alimentar na escola foi avaliada por meio do método de pesagem direta individual, e no domicílio, por meio de registro alimentar realizado pelos pais ou responsáveis. Foi calculada a ingestão alimentar de cálcio, ferro, folato, vitamina A, vitamina C e zinco de acordo com o local da refeição e tipo de escola. RESULTADOS: Houve maior ingestão de alimentos contendo ferro, folato e vitamina C durante o período em que as crianças permaneceram na escola infantil, e maior ingestão de cálcio, vitamina A e zinco no domicílio. Houve significativamente maior ingestão de alimentos contendo ferro (p=0,03), folato (p=0,03), vitamina A (p<0,01) e vitamina C (p<0,01) pelas crianças da escola particular e maior ingestão de cálcio (p<0,01) e zinco (p<0,01) na escola pública. Quanto à prevalência de inadequação dos micronutrientes, as crianças não apresentaram risco deficiente para ingestão de ferro, folato, vitamina A e C e zinco...

Perfil fonológico e lexical: interrelação com fatores ambientais

Passaglio,Nathália de Jesus Silva; Souza,Marina Alves de; Souza,Valquíria Conceição; Scopel,Ramilla Recla; Lemos,Stela Maris Aguiar
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
65.9%
Resumo:OBJETIVO: verificar a associação entre perfil fonológico e vocabulário de crianças de quatro a cinco anos e 11 meses, de escolas públicas e particulares de Belo Horizonte e analisar a influência da família e da instituição de ensino no desenvolvimento infantil.MÉTODOS: foram avaliadas 96 crianças de quatro a cinco anos e 11 meses, provenientes de duas instituições públicas e uma privada. Os responsáveis assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Excluíram-se os participantes ausentes na instituição, com condições inadequadas de avaliação, alterações neurogênica ou cognitiva ou cujos responsáveis responderam menos de 70% do Inventário de Recursos do Ambiente Familiar. Utilizaram-se como instrumentos este inventário e as provas de fonologia e vocabulário do Teste de Linguagem Infantil.RESULTADOS:em todas as idades, os participantes mostraram melhor desempenho em fonologia. Crianças do gênero masculino apresentaram resultados piores na prova de vocabulário. Na relação com o ambiente familiar, a maioria dos participantes apresentou fonologia e vocabulário adequados. Crianças da instituição privada apresentaram desempenho inferior em ambas as provas. Em todas as instituições, dos participantes com vocabulário adequado...

Consumo alimentar de micronutrientes entre pré-escolares no domicílio e em escolas de educação infantil do município de Caxias do Sul (RS); Dietary micronutrient intake of preschool children at home and in kindergartens of the municipality of Caxias do Sul (RS), Brazil

BERNARDI, Juliana Rombaldi; DE CEZARO, Carla; FISBERG, Regina Mara; FISBERG, Mauro; RODRIGUES, Guilherme Pádua; VITOLO, Márcia Regina
Fonte: Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
55.99%
OBJETIVO: Avaliar a ingestão alimentar de micronutrientes em pré-escolares no domicílio e em escolas de educação infantil públicas e particulares. MÉTODOS: Estudo transversal realizado com 362 pré-escolares entre dois e seis anos de idade, em Caxias do Sul (RS) Brasil, em 2007. A ingestão alimentar na escola foi avaliada por meio do método de pesagem direta individual, e no domicílio, por meio de registro alimentar realizado pelos pais ou responsáveis. Foi calculada a ingestão alimentar de cálcio, ferro, folato, vitamina A, vitamina C e zinco de acordo com o local da refeição e tipo de escola. RESULTADOS: Houve maior ingestão de alimentos contendo ferro, folato e vitamina C durante o período em que as crianças permaneceram na escola infantil, e maior ingestão de cálcio, vitamina A e zinco no domicílio. Houve significativamente maior ingestão de alimentos contendo ferro (p=0,03), folato (p=0,03), vitamina A (p<0,01) e vitamina C (p<0,01) pelas crianças da escola particular e maior ingestão de cálcio (p<0,01) e zinco (p<0,01) na escola pública. Quanto à prevalência de inadequação dos micronutrientes, as crianças não apresentaram risco deficiente para ingestão de ferro, folato, vitamina A e C e zinco...

O desenvolvimento motor de bebês em creches: um olhar sobre diferentes contextos

Schobert, Lucila
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.33%
O objetivo deste estudo desenvolvimental, de delineamento transversal, foi investigar a relação entre o desenvolvimento motor de bebês, que freqüentam creches, entre seis a dezoito meses, e as características ambientais das famílias e das creches de Erechim/RS. Verificou, também, o desenvolvimento motor dos bebês, o contexto familiar, as oportunidades de estimulação do comportamento motor no lar e as características do contexto e cuidados oferecidos nas creches. Os participantes foram 52 bebês, de 9 creches (4 públicas e 5 particulares). Os instrumentos avaliativos foram: a $OEHUWD ,QIDQW 0RWRU VFDOH $,06 para o desenvolvimento motor, o $IIRUGDQFHV LQ WKH +RPH (QYLURQPHQW IRU 0RWRU 'HYHORSPHQW $+(0' para o contexto familiar - geral e oportunidades de estimulação, e ficha de observação da rotina da creche para contexto e os cuidados oferecidos. A análise dos dados quantitativos utilizou a estatística descritiva e o teste de Kolmogorov-Srminov para a distribuição das variáveis, teste de correlação intraclasse para teste-reteste, correlação de Pearson para objetividade e associações. Na comparação entre grupos independentes o teste t- Student (normalidade da distribuição) e Mann Whitney (não paramétricos). Na comparação de três grupos Kruskal-Walls (grupos pequenos). Para análises bivariadas...

A visão dos pais sobre o trabalho das professoras de educação infantil de 3 a 4 anos no município de Forquilhinha

Alves, Alessandra de Araújo Martins
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC
PT_BR
Relevância na Pesquisa
25.82%
Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado para obtenção do grau de Licenciado no curso de Pedagogia da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.; O presente trabalho tem como enfoque, a visão dos pais sobre o trabalho das professoras de Educação Infantil de 3 a 4 anos no Município de Forquilhinha. Para esse fim foi elaborado um questionário que serviu de apoio a uma entrevista gravada, que se realizou com doze pais de três instituições de Educação Infantil, sendo duas de ensino público e uma instituição de ensino privado. Esta pesquisa foi realizada com características descritivas, com abordagem qualitativa, pois foi feito o levantamento de dados e analisados a partir do referencial teórico que foi embasado em diversos autores. Por meio desta pesquisa, podemos salientar e compreender o que os pais pensam e sentem, observando o trabalho que as professoras realizam com seus filhos, nas creches. Inicialmente argumenta o problema que tem como foco: De que forma os pais concebem o trabalho das professoras de Educação Infantil com crianças de 3 a 4 anos no município de Forquilhinha? Mesmo sendo que a inquietação principal era o fato de como os pais lidam com a vida escolar dos filhos, porém com a entrevista e a análise realizadas...

Concepções sobre desenvolvimento infantil na perspectiva de educadoras em creches públicas e particulares; Conceptions about child development in the perspective of educators in public and private daycare centers; Concepciones sobre el desarrollo infantil en la perspectiva de educadoras en guarderías públicas y privadas

dos Santos, Ellis Regina Ferreira; Ramos, Deborah Dornellas; Salomão, Nádia Maria Ribeiro
Fonte: Instituto de Educação da Universidade do Minho Publicador: Instituto de Educação da Universidade do Minho
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; article Formato: application/pdf
Publicado em 04/12/2015 POR
Relevância na Pesquisa
126.3%
Neste estudo, objetivou-se investigar as concepções de educadoras de creches públicas e particulares sobre desenvolvimento infantil. Desse modo, aplicou-se uma entrevista semiestruturada a 24 educadoras. Os dados foram analisados a partir da técnica de análise de conteúdo categorial temática. De modo geral, verificou-se que, em relação às concepções sobre desenvolvimento infantil, predominou, nos dois grupos de educadoras, a subcategoria Desenvolvimento por estágios. Essas educadoras destacaram o Ambiente sociofamiliar desestruturado e o Despreparo do educador como sendo os principais aspectos desfavoráveis à promoção do desenvolvimento infantil e caracterizaram o desenvolvimento das crianças, quando inseridas narotina da creche, como sendo positivo. Almeja-se, com este estudo, oferecer subsídios para o planejamento de intervenções com vistas a promover o desenvolvimento infantil.; This study aimed to investigate the teachers’ conceptions of child developmentin public and private daycare centers. Therefore, semi structured interviews were applied to 24 teachers. Data were analyzed with the thematic content analysis technique. Generally, it was found that, in what concerns ideas about child development, the subcategory Development by stages predominated in both groups of educators. The teachers high lighted the Unstructured sociofamilial environment and the Unpreparedness of the educators as the main negative points to the promotion of child development and characterized the development of children...

Helmintos em caixas de areia em creches da cidade de Uberlândia, Minas Gerais; Helminthes in sandboxes of day care centers of a city in southeastern Brazil

Araújo, Núbia da Silva; Rodrigues, Cristiane Teixeira; Cury, Márcia Cristina
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/02/2008 POR
Relevância na Pesquisa
56.16%
O objetivo do estudo foi avaliar a presença de helmintos em caixas de areia de creches públicas e privadas da cidade de Uberlândia, Minas Gerais em 2005. Foram selecionadas 14 creches particulares e 14 públicas que possuíam área de lazer. As coletas foram realizadas em duas estações do ano, uma na seca e a segunda na chuvosa. As amostras foram analisadas pelos métodos de Willis e Baermann. Na primeira coleta 17 (61%) creches foram positivas para larvas e 14 (50%) para ovos de helmintos e na segunda, em 18 (64%) e 10 (36%), respectivamente. Não foi observada influência da estação climática e da situação socioeconômica das creches.; The objective of the study was to test for helminthes in sandboxes in day care centers in the city of Uberlândia, Southeastern Brazil in 2005. Fourteen private and 14 public day care centers with playgrounds were selected. One collection was carried out during the dry season (June and August), and the second one was in the rainy season (September and November). Samples were tested using Willis and Baermann methods. In the first collection, 17 (61%) day care centers were positive for helminthes larvae and 14 (50%) for eggs. In the second collection, 18 (64%) day care centers were positive for larvae and 10 (36%) for eggs. No influence of either season of the year or day care finance condition was seen.

Análise estrutural e microbiológica de chupetas de crianças de creches públicas e particulares

de Melo e Silva,Renata; de Paula,Jacqueline Felipe; Dantas de Almeida-Marques,Rossana Vanessa; Dantas de Almeida,Leopoldina de Fátima; Wanderley Cavalcanti,Yuri
Fonte: Revista Cubana de Estomatología Publicador: Revista Cubana de Estomatología
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
96.17%
Introdução: o uso de chupetas pode trazer riscos à saúde de crianças, resultando em infecções oportunistas e acidentes. Objetivo: avaliar as condições estruturais e microbiológicas de chupetas de crianças de creches públicas e particulares da cidade de Imperatriz, Maranhão, Brasil. Métodos: trinta chupetas de crianças de creches pública (n = 15) e particular (n = 15) foram avaliadas quanto à adequação às normas brasileiras, presença de sujeira e níveis de contaminação por estreptococos do grupo mutans, Candida sp. e Enterococcus sp. Um questionário direcionado aos pais e cuidadores investigou os cuidados realizados quanto ao uso das chupetas. Resultados: as chupetas analisadas encontraram-se de acordo com a normatização vigente (100 %). As chupetas apresentaram-se contaminadas pelos três grupos de microrganismos estudados (>15 %), com maior prevalência (p < 0,05) para Candida sp (93,3 %). Não foi observada diferença estatisticamente significante entre o tipo de creche e a presença de contaminação ou sujeira das chupetas (p > 0,05). Conclusão: as condições estruturais e a contaminação das chupetas não variaram entre os tipos de creche, verificando-se que as condições de higiene e os cuidados necessários ao manejo das chupetas eram inadequados...

Helmintos em caixas de areia em creches da cidade de Uberlândia, Minas Gerais

Araújo,Núbia da Silva; Rodrigues,Cristiane Teixeira; Cury,Márcia Cristina
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
56.16%
O objetivo do estudo foi avaliar a presença de helmintos em caixas de areia de creches públicas e privadas da cidade de Uberlândia, Minas Gerais em 2005. Foram selecionadas 14 creches particulares e 14 públicas que possuíam área de lazer. As coletas foram realizadas em duas estações do ano, uma na seca e a segunda na chuvosa. As amostras foram analisadas pelos métodos de Willis e Baermann. Na primeira coleta 17 (61%) creches foram positivas para larvas e 14 (50%) para ovos de helmintos e na segunda, em 18 (64%) e 10 (36%), respectivamente. Não foi observada influência da estação climática e da situação socioeconômica das creches.