Página 1 dos resultados de 1053 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Inspeção sanitária em creches: uma proposta de roteiro de inspeção; Sanitary inspection in daycare centers: proposing a guideline for inspection

SILVA, Vera Alice Elias da; MATTÉ, Maria Helena
Fonte: São Paulo Publicador: São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.4%
O trabalho apresenta um projeto de intervenção na realidade concreta das ações de Vigilância Sanitária, através da proposição de um roteiro para inspeção destinado a creches. Os objetivos específicos foram identificar os fundamentos jurídicos, técnico-científicos e sanitários que possam nortear a prática de inspeções sanitárias em creches; elaborar uma proposta de roteiro que permita um processo de análise mais explícito, objetivo e homogêneo e discutir a contribuição do instrumento proposto para a atividade de Vigilância Sanitária, com base na literatura científica pesquisada. Para a realização do trabalho foi feita uma revisão fundamentada em textos didáticos e normativos das áreas de educação e saúde, legislação sobre Vigilância Sanitária e Educação Infantil, outros roteiros já existentes e artigos da literatura científica sobre agravos à saúde em crianças que frequentam creches. O trabalho focaliza o conteúdo da legislação específica vigente e sua aplicabilidade na prática da inspeção sanitária em creches e baseia-se na Portaria - MS n. 321 de 26.05.1988. Este estudo apresenta um instrumento para avaliar a qualidade do atendimento nas creches sob o aspecto da promoção da saúde e sugere estudos posteriores de validação para o contexto...

Estado nutricional e consumo de energia e nutrientes de pré-escolares que frequentam creches no município de Manaus, Amazonas: existem diferenças entre creches públicas e privadas?; Nutritional status and energy and nutrients intake of children attending day-care centers in the city of Manaus, Amazonas, Brazil: are there differences between public and private day-care centers?; Estado nutricional y consumo de energía y nutrientes de pre-escolares que frecuentan guarderías en el municipio de Manaus, Amazonas (Brasil): ¿existen diferencias entre guarderías públicas y privadas?

Tavares, Bruno Mendes; Veiga, Gloria Valeria da; Yuyama, Lucia Kiyoko O.; Bueno, Milena Baptista; Fisberg, Regina Mara; Fisberg, Mauro
Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo Publicador: Sociedade de Pediatria de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.51%
OBJETIVO: Verificar o estado nutricional e o consumo alimentar de crianças assistidas em creches públicas e privadas no município de Manaus, Amazonas. MÉTODOS: Foram avaliadas crianças entre 24 e 72 meses de duas creches públicas (n=217) e duas creches privadas (n=91) de Manaus. O estado nutricional foi classificado pelos índices peso para idade, peso para estatura, estatura para idade e índice de massa corporal (IMC) para idade, em valores de escores Z. O consumo alimentar na creche foi avaliado pelo método da pesagem direta individual dos alimentos e, no domicílio, pelo registro alimentar de um dia aplicado aos responsáveis. Estimou-se a frequência de crianças com ingestão de nutrientes acima ou abaixo dos pontos de corte de Estimated Average Intake (EAR) ou Adequate Intake (AI). RESULTADOS: Verificou-se maior frequência de crianças com excesso de peso nas creches privadas segundo os índices peso para estatura e IMC para idade. As crianças das instituições públicas, quando comparadas àquelas das privadas, consumiram mais gorduras poli-insaturadas, trans, ácido graxo ômega-6, vitamina C e sódio, e menos zinco. Em ambos os tipos de creches observaram-se consumo elevado de energia e proporção elevada de crianças com consumo de vitaminas A e C...

"Prevalência de anemia ferropriva em crianças matriculadas em duas creches municipais de Guarapuava - PR.2005" ; "Prevalency of iron deficiency anemia in children registered two municipal day-care centers of Guarapuava - PR. 2005"

Kmetiuk, Silvana Franco
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/10/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.4%
O presente estudo teve como objetivo descrever a prevalência de anemia ferropriva em crianças matriculadas em duas creches municipais de Guarapuava – PR, no ano de 2005. Caracteriza-se como seccional ou corte transversal, de prevalência e de base populacional, envolvendo 156 crianças com idade inferior a seis anos, matriculadas nas creches municipais da zona urbana da cidade. Para caracterizar a população estudada foram obtidas informações junto às fichas cadastrais nas creches sobre variáveis relativas à criança: data de nascimento e sexo. Para mensuração da dosagem de hemoglobina sangüínea, foram coletadas amostras de sangue na ponta do dedo médio, para leitura em hemoglobinômetro portátil (Hemocue). A prevalência da anemia nas creches estudadas foi de 42,9%, ou seja 67 das 156 crianças em que se determinou a concentração de hemoglobina com valores inferiores a 11 g/dl. A prevalência para o sexo feminino foi de 42,3%, ou seja, entre as 71 meninas, 30 delas apresentaram concentração de hemoglobina com valores inferiores a 11g/dl e, para o sexo masculino igual a 43,5%, ou seja, entre os 85 meninos, 37 deles apresentaram concentração de hemoglobina com valores inferiores a 11g/dl. Dentre as 67 crianças com anemia...

Oferta educacional em creches: análise das parcerias público-privadas nos municípios paulistas com mais de 500.000 habitantes

Ferreira, Marjorie Passos Parada
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 85 f.
POR
Relevância na Pesquisa
37.44%
Este trabalho tem por tema os contornos institucionais gerados nas parcerias entre os setores público e privado na oferta educacional em creches nos municípios paulistas com mais de 500.000 habitantes, classificados como muito grandes e metropolitanos no Censo de 2000. Para isto, fez-se necessário identificar, caracterizar e analisar os contornos que vêm sendo gerados a partir dos convênios firmados entre o Poder Público Municipal e instituições privadas para oferta educacional em creches. O período considerado para o presente estudo foi entre 2000 e 2009. O início do período em 2000 se justifica pelo prazo final estabelecido pela LDB 9394/96, para integração das creches aos respectivos sistemas de ensino ser dezembro de 1999. Já o término do período em 2009 possibilita identificar alterações nas matrículas em creches após a instituição do FUNDEB. Assim, utilizamos como procedimento teórico-metodológico o levantamento e análise bibliográfica, contatos telefônicos diretos com os gestores municipais para coletar informações sobre as parcerias, dados disponibilizados no Banco de Dados do Grupo de Estudos e Pesquisas em Política Educacional (Greppe), sites oficiais dos municípios e sites governamentais. Constitui-se...

O que dizem os números sobre as crianças matriculadas nas creches brasileiras (2007/2011)

Antônio, Cíntia Moura de Almeida
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.51%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, Mestrado Profissional em Educação, 2013.; No Brasil, creches e pré-escolas constituem a Educação Infantil e, juntas, compõem a primeira etapa da Educação Básica. De acordo com a legislação vigente, creches devem ser frequentadas por crianças de 0 a 3 anos, enquanto pré-escolas são voltadas às crianças de 4 e 5 anos, sendo esta última obrigatória. O presente trabalho analisa os dados sobre as crianças brasileiras que frequentam creches nas 27 unidades federativas, incluindo as zonas urbana e rural e as instituições públicas e privadas, nos anos de 2007 e 2011. A pesquisa aplica o método estatístico para analisar dados extraídos do Censo Escolar (Inep, 2007, 2011), da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (IBGE, 2007, 2011) e do Censo Demográfico (IBGE, 2010). A creche é a etapa de educação que mais cresce no Brasil, sendo garantida em grande parte pelos municípios, entretanto, a oferta e a abrangência é muito menor para as crianças na zona rural. A análise mostra que 12,8% das crianças brasileiras de 0 a 3 anos encontram-se atendidas em creches e que quanto maior é a renda familiar per capita maior é a chance de a criança frequentar tal instituição. Das crianças brancas...

As creches e pré-escolas e as doenças transmissíveis

Nesti,Maria M. M.; Goldbaum,Moisés
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.4%
OBJETIVO: Descrever o aumento do risco para aquisição de doenças infecciosas associado ao cuidado da criança fora do domicílio e a efetividade das medidas de controle para a prevenção da transmissão de doenças nas creches e pré-escolas. FONTES DE DADOS: Revisão das bases de dados MEDLINE, LILACS e Cochrane Library, através dos descritores creches, infecção, controle de infecção e doenças infecciosas, focalizada em estudos que comparam o risco de doença infecciosa em crianças cuidadas dentro e fora de casa, associam o risco às características do cuidado fora de casa e avaliam a efetividade de medidas de prevenção. SÍNTESE DE DADOS: As crianças cuidadas em creches ou pré-escolas apresentam risco de adquirir infecções aumentado em até duas a três vezes, com impacto na saúde individual e na disseminação das doenças à comunidade. O risco está associado, entre outros fatores, às características das creches, e medidas de prevenção simples são efetivas para diminuir a transmissão de doenças. Entre estas, recomenda-se: lavagem apropriada das mãos após exposição; utilização de precauções padrão; rotina padronizada para troca e descarte de fraldas usadas, localização e limpeza da área de troca...

Prevalência de Streptococcus pyogenes em orofaringe de crianças que freqüentam creches: estudo comparativo entre diferentes regiões do país

Vieira,Fernando Mirage Jardim; Figueiredo,Cláudia Regina; Soares,Maria Claudia; Weckx,Lily Yin; Santos,Odimara; Magalhães,Gleice; Orlandi,Patrícia; Weckx,Luc Louis Maurice; Pignatari,Shirley
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.4%
Trinta por cento das faringotonsilites agudas são de etiologia estreptocócica com potencial de complicações como a glomerulonefrite difusa aguda e febre reumática. Crianças de creches apresentam maior incidência destas infecções. OBJETIVO: Identificar e comparar a prevalência do Streptococcus pyogenes na orofaringe entre crianças que freqüentam creches e crianças não-institucionalizadas, em duas regiões do Brasil. CASUÍSTICA E MÉTODO: Estudo prospectivo com 200 crianças, provenientes da cidade de Porto Velho/RO e São Paulo/SP, em quatro grupos, freqüentadoras ou não de creches. Realizou-se swab de orofaringe e cultura para identificação do Streptococcus pyogenes. RESULTADOS: Prevalência de 8% e 2% entre as crianças de São Paulo que atendem a creches e do grupo controle, respectivamente, apresentando valor estatístico (p=0,02). Prevalência de 24% e 16% nos grupos de Porto Velho/RO que freqüentam creche e controle respectivamente, não caracterizando diferença estatisticamente significante (p=0,18). Observou-se diferença estatisticamente significante entre os grupos creche e controle de São Paulo/SP aos seus correspondentes de Porto Velho/RO (p < 0,01). CONCLUSÃO: Os resultados deste estudo nos permitem sugerir que freqüência em creches representa um fator de risco para a colonização de orofaringe pelo Streptococcus pyogenes...

Perfil das creches de uma cidade de porte médio do sul do Brasil: operação, cuidados, estrutura física e segurança

Barros,Aluísio J. D.; Gonçalves,Evandro V.; Borba,Cátia R. S. de; Lorenzatto,Cláudia S.; Motta,Débora B.; Silva,Vera Regina L. da; Schiroky,Viviane M.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1999 PT
Relevância na Pesquisa
37.48%
Foram identificadas 92 creches (23 públicas, 10 filantrópicas e 59 privadas) no Município de Pelotas, Rio Grande do Sul, das quais se estudaram aspectos da organização, práticas de cuidado e estrutura física. As creches públicas funcionavam em período integral, enquanto que as privadas funcionavam principalmente à tarde e recebiam um proporção menor de crianças até 2 anos. A relação criança por monitora foi semelhante para os dois tipo de creche, sendo que o berçário foi a classe em que esta relação estava acima do recomendado com maior freqüência. O número total de crianças nas classes e creches foi maior nas públicas. As monitoras das creches privadas tinham, em média, mais anos de escolaridade. Por outro lado, encontrou-se um grau mais alto de especialização de tarefas nas creches públicas. As deficiências mais comuns de infra-estrutura nas creches públicas foram a falta de recreio coberto e brinquedos no recreio externo, enquanto que nas privadas foram a falta de fraldários e banheiros exclusivos para as crianças. Uma pequena proporção das creches contava com funcionários treinados para prestar primeiros socorros e combater incêndios, revelando baixa preocupação com segurança.

Estado nutricional e consumo de energia e nutrientes de pré-escolares que frequentam creches no município de Manaus, Amazonas: existem diferenças entre creches públicas e privadas?

Tavares,Bruno Mendes; Veiga,Gloria Valeria da; Yuyama,Lucia Kiyoko O.; Bueno,Milena Baptista; Fisberg,Regina Mara; Fisberg,Mauro
Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo Publicador: Sociedade de Pediatria de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.51%
OBJETIVO: Verificar o estado nutricional e o consumo alimentar de crianças assistidas em creches públicas e privadas no município de Manaus, Amazonas. MÉTODOS: Foram avaliadas crianças entre 24 e 72 meses de duas creches públicas (n=217) e duas creches privadas (n=91) de Manaus. O estado nutricional foi classificado pelos índices peso para idade, peso para estatura, estatura para idade e índice de massa corporal (IMC) para idade, em valores de escores Z. O consumo alimentar na creche foi avaliado pelo método da pesagem direta individual dos alimentos e, no domicílio, pelo registro alimentar de um dia aplicado aos responsáveis. Estimou-se a frequência de crianças com ingestão de nutrientes acima ou abaixo dos pontos de corte de Estimated Average Intake (EAR) ou Adequate Intake (AI). RESULTADOS: Verificou-se maior frequência de crianças com excesso de peso nas creches privadas segundo os índices peso para estatura e IMC para idade. As crianças das instituições públicas, quando comparadas àquelas das privadas, consumiram mais gorduras poli-insaturadas, trans, ácido graxo ômega-6, vitamina C e sódio, e menos zinco. Em ambos os tipos de creches observaram-se consumo elevado de energia e proporção elevada de crianças com consumo de vitaminas A e C...

Políticas e normativas aplicadas às creches municipais do Rio de Janeiro

Vasconcelos,Rafaela Moledo de; Tancredi,Rinaldini Coralini Philippo; Marin,Victor Augustus
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.4%
As primeiras creches foram instaladas no Brasil para reduzir os índices de mortalidade infantil, porém as Doenças Transmitidas por Alimentos vêm aumentando. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que anualmente ocorram 1,8 milhões de mortes de crianças menores de 5 anos de idade em todo mundo, atribuídas ao consumo de alimentos contaminados. Entretanto, a legislação brasileira não prevê normas específicas de funcionamento para cozinhas de creches. Sendo assim, o objetivo desse estudo é pesquisar as normativas relacionadas ao funcionamento das creches, discutindo os regulamentos sanitários pertinentes à produção de alimentos. Através de uma revisão em páginas eletrônicas de diversos Órgãos, foram levantados regulamentos inerentes ao funcionamento e produção de alimentos em creches. Considerando as vinte e sete legislações encontradas, observa-se uma preocupação com a água, o fornecimento de gêneros, o controle de pragas e vetores, as condições estruturais e as políticas de Alimentação. Apesar disso, nota-se que nem sempre as políticas de vigilância da qualidade da alimentação oferecida nas creches são efetivas, assim como se percebe a ausência de um regulamento específico que determine os critérios de qualidade para uma manipulação segura de alimentos nesses locais.

Aceitabilidade de pão fortificado com ferro microencapsulado por crianças de creches das regiões sul e leste da cidade de São Paulo

Souto,Teresinha Stumpf; Brasil,Anne Lise Dias; Taddei,José Augusto de Aguiar Carrazedo
Fonte: Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.51%
OBJETIVO: Avaliar a aceitabilidade de um pão tipo bisnaguinha enriquecido com ferro microencapsulado por crianças freqüentadoras de creches, de acordo com sexo, faixa etária, estado nutricional, presença de anemia, tempo de estocagem e momento do experimento (inicial, meio e final). MÉTODOS: Ensaio clínico randomizado duplo-cego com 382 crianças de 2 a 6 anos de idade, matriculadas em quatro creches filantrópicas do município de São Paulo. As crianças de duas creches receberam no café da manhã, de segunda a sexta-feira, o pão fortificado com ferro microencapsulado e as das outras duas, pão idêntico, porém sem ferro, durante 120 dias. A ingestão foi anotada diariamente em planilhas individuais. Os testes estatísticos utilizados foram o qui-quadrado, o teste t de Student, a análise de variância e a análise de covariância. RESULTADOS: O consumo médio semanal de pães foi significantemente menor nas crianças das creches expostas (1,17) do que nas creches não expostas (1,56) e a variabilidade de aceitação foi maior nas creches não expostas. A ingestão foi significantemente menor pelas crianças das creches expostas em todas as variáveis estudadas, exceto nas faixas etárias menores de 36 meses e de 36 a 47 meses. CONCLUSÃO: Apesar de a aceitação pelas crianças do pão fortificado com ferro ter sido significantemente menor do que ao pão sem ferro...

Desenvolvimento motor de lactentes em creches municipais e no ambiente domiciliar

Soares, Karen Maciel Sobreira; Lima, Ana Claúdia Vasconcelos Martins de Souza (Orientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
37.44%
Atualmente a realidade do trabalho feminino fora do lar está presente na maioria dos níveis sociais, sendo necessária a existência de locais que viabilizem a permanência das crianças, como as creches. Porém não existe um consenso na literatura sobre qual é o melhor ambiente de estimulação para os lactentes, as creches ou o domicílio. Este estudo teve como objetivo avaliar e comparar o desenvolvimento motor grosso e fino dos lactentes que frequentavam com os que não frequentavam creches municipais em Recife -PE. Trata-se de um estudo descritivo transversal com caráter analítico. A amostra foi composta por 91 crianças nascidas a termo na faixa etária de 6 a 24 meses, das quais 44 frequentavam creches e 47 não frequentavam. As crianças forma selecionadas em uma Unidade de Saúde da Família e em quatro creches municipais. A Bayley Scale of Infant and Toddler Development – Third Edition (Bayley III) foi utilizada como instrumento de avaliação do desenvolvimento motor grosso e fino. As condições socioeconômicas e demográficas das famílias foram retratadas através de um questionário previamente elaborado. O estado nutricional foi avaliado através do registro das medidas antropométricas (peso...

Creches comunitárias e democracia participativa: novas perspectivas à infância uberlandense (1983-8)

Ferreira, Vanessa de Souza
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.48%
Esta pesquisa teve por objetivo apresentar algumas considerações acerca do contexto histórico da educação infantil em Uberlândia, Minas Gerais, priorizando a organização, o atendimento e a manutenção das creches comunitárias, que se configuraram na arquitetura política da chamada democracia participativa no período entre 1983 e 1988, marcado por transformações no contexto da redemocratização política do país e de sua repercussão em âmbito local. Para tanto, buscou-se: aprofundar o estudo das questões específicas ao atendimento a infância desfavorecida no Brasil e no município e desvelar intenções políticas, assistenciais e educativas desse movimento para se compreender a realidade da educação infantil na cidade. Procurou-se detectar em que medida as creches comunitárias de Uberlândia se configuraram como assistência à família e se a prática assistencial se sobrepôs às práticas educacionais no interior dessas instituições. Metodologicamente, foram realizados os seguintes procedimentos: analisamos bibliografia referente à história da infância e sua escolarização, enfatizando posteriormente o histórico das creches no Brasil; consideramos também estudos referentes aos movimentos sociais organizados; entrevistamos os sujeitos envolvidos na constituição e consolidação das creches comunitárias em Uberlândia; buscamos referenciais na legislação como forma de identificar as questões acerca das creches...

Ventilação, Qualidade do Ar e Saúde em creches e infantários - Resultados preliminares do projeto ENVIRH

Viegas, João; Papoila, Ana Luísa; Martins, Pedro; Aelenei, Daniel; Cano, Manuela; Proença, Carmo; Teixeira, João Paulo; Nogueira, Susana; Mendes, Ana; Pinto, Armando; Paixão, Paulo; Pinto, Rosado; Neuparth, Nuno
Fonte: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP Publicador: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 18/12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.44%
É do conhecimento geral que a qualidade do ar interior influencia a qualidade de vida dos ocupantes dos edifícios e que pode ter implicações significativas no seu estado de saúde. As crianças constituem um grupo de risco que pode apresentar vulnerabilidades quando exposto a um ambiente interior de menor qualidade. Neste âmbito, correntemente constata-se que parece haver uma tendência para as crianças adoecerem com maior frequência quando iniciam a sua exposição ao ambiente de creches e infantários, ocorrendo em especial um aumento das doenças do foro respiratório. O projeto ENVIRH, reunindo uma equipa multidisciplinar, tem por objetivo principal estabelecer associações entre as condições de ventilação desses locais, a qualidade do ar interior (QAI) e a prevalência de doenças do foro respiratório. O projeto desenvolve-se essencialmente através de duas fases. De entre um total de 48 creches e infantários (Instituições Privadas de Solidariedade Social - IPSS) em Lisboa e 40 no Porto, foram selecionadas aleatoriamente 45 IPSS (sendo 25 em Lisboa e 20 no Porto), tendo sido analisadas na fase preliminar as suas condições construtivas, realizadas medições pontuais e instantâneas do teor de CO2 em salas de atividades...

Proposta de aceleração da oferta de vagas em creches na cidade de São Paulo

Reis, Sérgio Roberto Guedes; Soares, Aline Zero; Monteiro, Karla de Mello; Araújo, João Augusto Aquino
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.48%
Este trabalho apresenta como objetivo principal a construção de proposta que vise acelerar a oferta de vagas em creches na Cidade de São Paulo. Desenvolvido a partir de Termo de Referência organizado pela Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (SME), tem como objeto a política pública de creches nesse município, que atende a cerca de 190 mil crianças, mas enfrenta o expressivo déficit de aproximadamente 127 mil vagas frente a um universo de 736 mil crianças entre 0 e 3 anos. À luz da base teórica e empírica da área da gestão e políticas públicas, contextualizamos o problema e indicamos alternativas para a expansão. Inicialmente, buscou-se percorrer a contextualização histórica e o marco legal referente à provisão de creches. Com base em entrevistas com especialistas e levantamento de dados secundários, foi avaliado o atual desenho e implementação da política de creches. A partir desse diagnóstico, identificamos como principais gargalos a serem superados: (i) a aceleração da expansão da quantidade de vagas em creches; (ii) a equalização da distribuição da expansão de acordo com a vulnerabilidade socioeconômica; (iii) o aumento da qualidade do atendimento das entidades e redução da desigualdade de padrões de qualidade entre as modalidades direta e conveniada; (iv) o aprimoramento da capacidade gerencial e de planejamento da SME; e (v) a constituição de visão integrada da política de primeira infância para o município de São Paulo. A proposta sugere...

Desigualdades na rede de creches conveniadas da prefeitura de São Paulo: Um olhar a partir da teoria de implementação de políticas públicas

Craveiro, Silvia da Silva
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Tese de Doutorado
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.48%
Esta tese buscou identificar e analisar os fatores que influenciam a implementação da política de Educação Infantil nas creches conveniadas da prefeitura de São Paulo. Ao constatar a existência de um cenário de desigualdade no atendimento oferecido pelas creches, a pesquisa investigou coincidências e singularidades entre dois grupos de creches, respectivamente consideradas de boa e de má qualidade. O objetivo principal foi verificar as causas que contribuem para a diferença na qualidade do atendimento e as implicações desses fatores para a implementação da política de Educação Infantil. Foram analisadas 25 creches pertencentes às Diretorias Regionais de Educação de Butantã, Campo Limpo e Guaianases. Verificou-se que os recursos da entidade mantenedora e a forma como esta apoia a creche têm grande peso no atendimento oferecido, além do papel exercido pela direção do equipamento e a sua localização. Adicionalmente, foi investigada a influência da atuação da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação e, mais especificamente, das suas Diretorias Regionais. Constatou-se que, ao não lidar institucionalmente com as desigualdades existentes na rede conveniada, o poder público municipal contribui para sua manutenção. As condições que interferem no atendimento são materializadas por meio do espaço físico e dos materiais pedagógicos disponíveis...

Inspeção sanitária em creches: uma proposta de roteiro de inspeção; Sanitary inspection in daycare centers: proposing a guideline for inspection

Silva, Vera Alice Elias da; Matté, Maria Helena
Fonte: Núcleo de Pesquisa em Direito Sanitário da Universidade de São Paulo Publicador: Núcleo de Pesquisa em Direito Sanitário da Universidade de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Peer-reviewed article; ; ; ; Avaliado pelos pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.4%
This work presents a project of intervention in the reality of sanitary surveillance actions, through the proposition of an inspection guideline destined to daycare centers. The specific objectives were to identify the legal, technical-scientific and sanitary fundaments that can guide the practice of the sanitary inspections in daycare centers; to elaborate a proposal of a guideline that allows an objective, homogeneous and more explicit process of analysis and to discuss the contribution of the instrument proposed for the activity of sanitary surveillance, based on the researched scientific literature. For the accomplishment of this work it was made a revision based on health and educational scientific and normative texts and on the legislation of sanitary surveillance and childhooh education, on other existing guidelines and on scientific papers about health risks of children who attends daycare centers. This study is focused in the content of specific legislation and its applicability in the sanitary inspection practices in daycare centers and it is based on a legal document of the Brazilian Health Ministry (Portaria MS n. 321 of 26.05.1988). This work also presents a tool to evaluate the service quality in the daycare centers under the aspect of the health promotion and suggests posterior studies to validate the context...

Varicella outbreak in the Capela do Socorro, 2005; Surtos de varicela em creches na Capela do Socorro em 2005

Carvalho, Julio Zonzini Máximo de; Rodrigues, Thiago Ribeiro; Azzi, Tatiana Tarules; Burihan, Patrícia Carla Piragibe Ramos
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 26/09/2007 POR
Relevância na Pesquisa
37.4%
A varicela é uma doença causada pelo vírus varicela-zoster. A varicela é extremamente transmissível, sendo transmitida de pessoa a pessoa, com risco maior em ambientes fechados, como creches, salas de aula e enfermarias. A vacina é segura e imunogênica em crianças, adultos saudáveis e em pacientes imunocomprometidos e mostra boa tolerabilidade com poucas reações colaterais possuindo eficácia de 80%. O objetivo do trabalho foi analisar os surtos de varicela ocorridos em creches na região da Capela do Socorro, em 2005. O estudo realizado foi transversal, através do levantamento de dados dos surtos ocorridos em creches ao longo do ano de 2005, na região da Supervisão de Vigilância em Saúde (SUVIS) Capela do Socorro. Foram analisadas 36 instituições, cada uma com 1 surto de varicela, observando-se 617 casos em um total de 6845 alunos, com uma taxa de ataque 9,01%. Os dados obtidos mostraram predomínio da faixa etária de 1 a 4 anos (x2=195.50), dos meses de inverno (61.11% dos surtos) e maior número de surtos nas instituições próximas as UBS Veleiros, República e Mirna, respectivamente. A CEI José Molina Junior foi a que apresentou maior taxa de ataque (38,46%). Devido ao alto grau de transmissibilidade da varicela e da extrema rapidez com que a mesma pode se disseminar em ambientes confinados como creches...

Perfil das creches de uma cidade de porte médio do sul do Brasil: operação, cuidados, estrutura física e segurança

Barros,Aluísio J. D.; Gonçalves,Evandro V.; Borba,Cátia R. S. de; Lorenzatto,Cláudia S.; Motta,Débora B.; Silva,Vera Regina L. da; Schiroky,Viviane M.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1999 PT
Relevância na Pesquisa
37.48%
Foram identificadas 92 creches (23 públicas, 10 filantrópicas e 59 privadas) no Município de Pelotas, Rio Grande do Sul, das quais se estudaram aspectos da organização, práticas de cuidado e estrutura física. As creches públicas funcionavam em período integral, enquanto que as privadas funcionavam principalmente à tarde e recebiam um proporção menor de crianças até 2 anos. A relação criança por monitora foi semelhante para os dois tipo de creche, sendo que o berçário foi a classe em que esta relação estava acima do recomendado com maior freqüência. O número total de crianças nas classes e creches foi maior nas públicas. As monitoras das creches privadas tinham, em média, mais anos de escolaridade. Por outro lado, encontrou-se um grau mais alto de especialização de tarefas nas creches públicas. As deficiências mais comuns de infra-estrutura nas creches públicas foram a falta de recreio coberto e brinquedos no recreio externo, enquanto que nas privadas foram a falta de fraldários e banheiros exclusivos para as crianças. Uma pequena proporção das creches contava com funcionários treinados para prestar primeiros socorros e combater incêndios, revelando baixa preocupação com segurança.

Políticas e normativas aplicadas às creches municipais do Rio de Janeiro

Vasconcelos,Rafaela Moledo de; Tancredi,Rinaldini Coralini Philippo; Marin,Victor Augustus
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.4%
As primeiras creches foram instaladas no Brasil para reduzir os índices de mortalidade infantil, porém as Doenças Transmitidas por Alimentos vêm aumentando. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que anualmente ocorram 1,8 milhões de mortes de crianças menores de 5 anos de idade em todo mundo, atribuídas ao consumo de alimentos contaminados. Entretanto, a legislação brasileira não prevê normas específicas de funcionamento para cozinhas de creches. Sendo assim, o objetivo desse estudo é pesquisar as normativas relacionadas ao funcionamento das creches, discutindo os regulamentos sanitários pertinentes à produção de alimentos. Através de uma revisão em páginas eletrônicas de diversos Órgãos, foram levantados regulamentos inerentes ao funcionamento e produção de alimentos em creches. Considerando as vinte e sete legislações encontradas, observa-se uma preocupação com a água, o fornecimento de gêneros, o controle de pragas e vetores, as condições estruturais e as políticas de Alimentação. Apesar disso, nota-se que nem sempre as políticas de vigilância da qualidade da alimentação oferecida nas creches são efetivas, assim como se percebe a ausência de um regulamento específico que determine os critérios de qualidade para uma manipulação segura de alimentos nesses locais.