Página 1 dos resultados de 969 itens digitais encontrados em 0.033 segundos

Max Stirner como crítico da modernidade: entre dialética do esclarecimento e crítica radical da razão; Max Stirner as a critique of modernity: between dialectic of enlightenment and radical critique of reason

Otenio, Erinson Cardoso
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 03/05/2013 PT
Relevância na Pesquisa
76.3%
Este trabalho teve por propósito abordar a filosofia de Max Stirner sob a perspectiva de que em seus textos os elementos delineadores do discurso filosófico moderno, dialética do esclarecimento e crítica radical da razão, convergem em uma crítica peculiar da modernidade em seu todo. Pode-se dizer que se, por um lado, tal crítica se encontra em continuidade com a filosofia jovem hegeliana, por outro, apresenta-se enquanto uma espécie de culminação antitética da mesma, colocando-se assim como que ao lado da tradição da crítica radical da razão que remonta a Nietzsche. Segundo essa nossa proposta interpretativa, aí se esboçaria um discurso filosófico da modernidade cuja peculiaridade seria de ora se assemelhar a uma, ora a outra forma de crítica que é feita à racionalidade centrada no sujeito. A análise dos textos de Stirner que então aqui se propõe visa mostrar como tal discurso se constitui e como o filósofo tem a intenção de levá-lo a um ponto culminante de onde não pode prosseguir seu rumo sem negar seus pressupostos. Isso demonstraria que a filosofia stirneriana não participa do discurso filosófico da modernidade como uma tentativa fracassada de sair dele, senão que o afirmaria enquanto momento necessário capaz de nos colocar diante de um novo limiar histórico. A crítica da modernidade que Stirner realiza quer assim...

Crítica da modernidade e marxismo weberiano: aspectos da trajetória indisciplinada de Michael Löwy

Querido, Fabio Mascaro
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
86.1%
Em sua vasta trajetória intelectual – que atravessa os múltiplos campos teóricos das ciências humanas – Michael Löwy destacou-se pela capacidade de estabelecer um diálogo profícuo entre tradições diversas do pensamento social. Partindo desta constatação, o objetivo deste artigo é a apresentação e sistematização de alguns aspectos decisivos da trajetória teórica e intelectual de Michael Löwy, com ênfase especial: 1) na importância da sua formação intelectual, ainda no Brasil (no final da década de 1950), para a constituição de uma leitura não-dogmática do marxismo; e 2) sua incorporação da dialética no diagnóstico weberiano da modernidade. O artigo argumenta que essa interpretação “aberta” do marxismo permitiu-lhe reinterpretar autores do passado — como Marx e Weber — a partir das condições de possibilidade do cenário histórico e intelectual contemporâneo. Esta disposição para enfrentar os desafios do presente sem abandonar as perspectivas do passado comprova a importância da obra de Löwy para as ciências sociais e, mais especificamente, para o marxismo contemporâneo.; In his intellectual life – which includes several areas of the Humanities – Michael Löwy distinguished himself for the capacity of establishing a rich dialogue between different traditions in the social thought. Starting from this assessment...

Educação universitaria : para alem do paradigma da modernidade

Eliana Bernardes Lourenço
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
66.12%
Este trabalho trata dos desafios atuais postos à formação universitária por um contexto de globalização econômica, de novas formas de organização da produção e do trabalho e dos crescentes processos de democratização da sociedade. Descreve os marcos históricos do pensamento filosófico-científico no Ocidente que mais influenciou as práticas educativas. Situa a universidade na Modernidade com sua forma de organização e seus objetivos historicamente a ela atribuídos de contribuir para a manutenção e regulação do pacto social e como o lugar privilegiado do exercício da consciência crítica de seu tempo. Concentra a discussão sobre a crítica à racionalidade moderna, apontando os desafios a serem enfrentados pela universidade, hoje, para a condução da formação humana. Discute as dimensões e as características deste tempo histórico entendido como Pós-Modernidade à luz das teorias propostas por Jean Lyotard, Anthony Giddens e Jean Baudrillard. Trabalha empiricamente com a opinião de sujeitos da Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG, alunos do último período dos cursos de graduação e professores do quadro permanente, utilizando-se de questionário para conhecer a opinião destes sobre as respostas da Universidade a uma formação própria à contemporaneidade. Pelos resultados...

Desenvolvimento, pós-estruturalismo e pós-desenvolvimento: a crítica da modernidade e a emergência de "modernidades" alternativas

Radomsky,Guilherme Francisco Waterloo
Fonte: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS Publicador: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2011 PT
Relevância na Pesquisa
76.03%
Com uma história de mais de meio século de políticas, programas e debates teóricos, o tema do desenvolvimento sustenta-se incansável nas ciências sociais. Concedendo especial atenção à produção antropológica sobre o assunto, este artigo analisa parte do percurso que leva a antropologia do desenvolvimento às críticas pós-estruturalista e pós-colonial sobre o tema e a concretização da perspectiva multidisciplinar denominada de pós-desenvolvimento. Após um balanço em torno da proposta do pós-desenvolvimento, volta-se para a recente aproximação desta com a crítica da modernidade por meio da noção de descolonização. Ao final, examinam-se quais expectativas aparecem no diálogo entre interpretações acerca de um tema que se reinventa e se reconfigura em possibilidades teóricas múltiplas.

Os horizontes de Prometeu: considerações para uma crítica da modernidade

Plastino,Carlos Alberto
Fonte: IMS-UERJ Publicador: IMS-UERJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1996 PT
Relevância na Pesquisa
76.1%
O artigo discute inicialmente as concepções centrais do neoliberalismo e da multifacética crise de civilização, decorrentes da unilateralidade da perspectiva iluminista. Afirmando a necessidade de recuperar a perspectiva crítica, insere a consideração das políticas econômicas neoliberais e de suas conseqüências políticas, sociais e culturais na perspectiva da crise da modernidade. Considera a seguir as características centrais da cosmologia moderna, salientando o papel central do racionalismo, nas suas vertentes ontológica e gnosiológica. Apoiando-se nas contribuições da ciência contemporânea (em especial da física quântica) e da psicanálise, assinala o caminho seguido pela crítica daquelas concepções, orientadas no sentido de relativizar o determinismo, abrindo espaço para a consideração da criação e da emergência do radicalmente novo na história.

Os horizontes de Prometeu: considerações para uma crítica da modernidade

Plastino,Carlos Alberto
Fonte: IMS-UERJ Publicador: IMS-UERJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2005 PT
Relevância na Pesquisa
76.1%
O artigo discute inicialmente as concepções centrais do neoliberalismo e da multifacética crise de civilização, decorrentes da unilateralidade da perspectiva iluminista. Afirmando a necessidade de recuperar a perspectiva crítica, insere a consideração das políticas econômicas neoliberais e de suas conseqüências políticas, sociais e culturais na perspectiva da crise da modernidade. Considera a seguir as características centrais da cosmologia moderna, salientando o papel central do racionalismo, nas suas vertentes ontológica e gnosiológica. Apoiando-se nas contribuições da ciência contemporânea (em especial da física quântica) e da psicanálise, assinala o caminho seguido pela crítica daquelas concepções, orientadas no sentido de relativizar o determinismo, abrindo espaço para a consideração da criação e da emergência do radicalmente novo na história

Modernidade e crítica da modernidade: a Sociologia e alguns desafios feministas às categorias de análise

Mariano,Silvana Aparecida
Fonte: Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu Publicador: Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
76.12%
Este trabalho aborda as tradições do pensamento sociológico para compreender e explicar a modernidade e seus fenômenos econômicos, sociais e políticos, que transformaram a sociedade moderna ocidental. As discussões em torno dos desafios colocados para a Sociologia para a reformulação das tradições científicas na contemporaneidade foram alavancadas pelas críticas feministas, colocando questionamentos de ordem histórica, epistemológica e metodológica.

A emergência da modernidade na França durante o segundo império

Neundorf, Alexandro
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
66.18%
Resumo: O contexto desse trabalho é a segunda metade do século XIX francês, sobretudo parisiense, marcado por grande ebulição política e sociocultural. Além da progressão do fenômeno da modernidade, assistia-se igualmente a um processo de modernização, principalmente, da capital francesa. No quadro histórico cultural, entre modernidade e modernização, surge o Simbolismo como movimento artístico. Antes do movimento, porém, a estética e a crítica do poeta Charles Baudelaire, bem como o enfoque subjetivo se afirmam, como confronto ao viés objetivista e materialista, corporificado na crença da infalibilidade da ciência, na inevitabilidade do progresso, nas facetas realista e naturalista da arte. Assim, este trabalho busca apresentar o autor das Flores do Mal como precursor do movimento simbolista, analisar sua importância como introdutor de uma chamada ?modernidade poética? e, mesmo, identificá-lo como um dos principais críticos da modernidade e dos processos de modernização, em sua faceta mais ampla. Partimos da hipótese de Baudelaire fornecer, já em meados do século XIX, esse protótipo para a prática intelectual fin-de-siècle que emerge no affaire Dreyfus, a partir de sua conduta hipercrítica em relação às mutações do seu mundo e seu quadro de relações pessoais. Da mesma forma...

A interface entre educação e mercado : uma análise crítica das mudanças socioculturais no contexto educacional

Costa Júnior, João Batista da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem; Linguística Aplicada; Literatura Comparada Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem; Linguística Aplicada; Literatura Comparada
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.1%
In the context of late modernity, the socio-cultural transformations established new social practices which corroborate discursive changes in dialectic movements, contributing to the order of the educational discourses to be more and more affected by typical market discourses and values which are covered by ideologies, hegemonic struggles and power relations. In this sense, this research study, which is based on the theoretical tenets of the Critical Discourse Analysis in its interdisciplinary branch (FAIRCLOUGH, 2006; ORMUNDO, 2010; PEDROSA, 2010; RAMALHO E RESENDE, 2011), aims at discussing how the sociocultural changes in the context of private education interact with the market proposal of neoliberal and economical policies. The research was methodologically based on the qualitative approach (CHIZZOTTI, 1991; BOGDAN e BIKLEN, 1994; MINAYO, 1994), especially on the principles of contemporary Applied Linguistics (SIGNORINI, 1998; MOITA-LOPES, 2006; MENEZES, SILVA, GOMES, 2009). Data were gathered from advertisements used in campaigns by private educational institutions and agencies in Natal/RN; the advertisements were collected in primary and secondary levels and in language courses from October to December, 2010. The data analysis indicate that education...

Hobbes, Rousseau e a teoria crítica : características e consequências de uma apropriação; Hobbes, Rousseau and crtical theory : characterisitics and consequences of the appropriation

Hélio Alexandre da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
76.1%
O trabalho que aqui se apresenta se coloca no campo da relação entre filosofia moderna e filosofia contemporânea. O objetivo mais amplo é tentar recuperar, do ponto de vista da história da filosofia, algumas complexidades e tensões presentes na filosofia moderna que invariavelmente são marginalizadas quando apropriadas pela filosofia contemporânea. Dito de um modo mais específico, este trabalho parte de breves considerações sobre o pensamento de Axel Honneth e Jürgen Habermas acerca da apropriação que ambos fazem da filosofia moderna, especialmente do pensamento de Thomas Hobbes e de Jean-Jacques Rousseau. Tais considerações visam situar a obra dos dois autores modernos no interior dos projetos teóricos de Honneth e Habermas, especialmente no que se refere à esfera pública e aos conflitos sociais. A partir dessas considerações é que emerge o objetivo central, qual seja: defender a hipótese (tendo como pano de fundo a apropriação de Honneth e Habermas) de que Hobbes e Rousseau possuem uma relação sui generis com a modernidade e com o Iluminismo, respectivamente. Essa relação de Hobbes e Rousseau com seus contextos históricos e com o pensamento filosófico que surge desses contextos é o que me permite caracterizar o pensamento de Hobbes como um modernismo relutante e o pensamento de Rousseau como um iluminismo relutante. Em ambos os casos...

Narrativa sobre narrativas : uma interpretação sobre o romance e a modernidade (com uma leitura da obra de Antonio Lobo Antunes); Narrative about narratives : an interpretation of the novel and modernity (with a reading of Antonio Lobo Antunes´work

Luis Fernando Prado Telles
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.18%
Esta tese consiste numa interpretação sobre o discurso teórico e o ficcional. Num primeiro momento, são trabalhados os discursos constitutivos das teorias sobre a modernidade e sobre o romance; num segundo, aborda-se o discurso ficcional da obra do autor português António Lobo Antunes. O ponto em comum que orienta a interpretação nas diferentes frentes diz respeito ao interesse em investigar o estatuto da narrativa no âmbito desses discursos. Pretende-se demonstrar um fenômeno coincidente nos três campos de investigação, que diz respeito ao fato de a narrativa ser colocada em xeque, isto é, de o seu estatuto e a sua validade serem questionados e, concomitantemente, esse mesmo questionamento apontar para um retorno de sua validade e, conseqüentemente, para uma sua permanência. Isto é o que se procurou demonstrar pelo trabalho de interpretação de alguns discursos teóricos que buscaram pensar a passagem da modernidade à pósmodernidade, bem como daqueles que procuraram se constituir enquanto teorias do romance. O questionamento a respeito da possibilidade da morte da narrativa acabou demonstrando, paradoxalmente, um retorno ao narrativo; principalmente pelo fato de os próprios discursos que afirmaram isso acabarem se revelando...

O herói da modernidade em Dostoiévski e Graciliano Ramos

Arteaga, Cristiane Guimarães
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.08%
Este trabalho é uma continuação de minha dissertação de mestrado, na qual analisei as possíveis relações de contato entre Crime e Castigo, de Dostoiévski, e Angústia, de Graciliano Ramos. Aqui, pretendo dar continuidade aos pontos de contato entre esses escritores, mas usando a questão da modernidade como ponto comum entre os dois autores. Levando em consideração que, apesar da distância temporal que os separa, as questões da modernidade, como fator de desenvolvimento tecnológico, ou seja, como sinônimo de modernização, e suas consequências para a sociedade estão presentes na literatura de ambos os escritores. No romance de Dostoiévski, por exemplo, teremos várias inovações: o romance dialógico ou polifônico, ao invés do tradicional monológico; a fragmentação da narrativa, “desrespeitando”, muitas vezes, o tempo cronológico; uma maior preocupação com o social; e, principalmente, como decorrência desses fatores, o surgimento de um novo tipo de herói, cujos valores - ou a ausência destes – indicam a existência de uma nova estrutura social gerada pela modernidade e pelo capitalismo. Em consequência disso, as narrativas romanescas passam a apresentar anti-heróis, que oscilam entre o bem e o mal...

Contribuições de Foucault à crítica da modernidade e à historiografia

Mariano, Ricardo
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; "Originais" Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2000 POR
Relevância na Pesquisa
76.19%
Este artigo pretende tratar de como Foucault, em seus últimos trabalhos, nos quais emergem as questões do sujeito, da ética e da liberdade, critica a modernidade a partir da atualização que faz da interrogação filosófica da Aufklärung sobre o estatuto e a singularidade de nossa atualidade e de quem somos. Interrogação kantiana a partir da qual Foucault irá analisar também a problematização que os gragos faziam de sua moral sexual para - através da sua reativação no presente como diferença histórica, alteridade que possibilita a formação de novos pontos de vista para que possamos questionar aquilo que nos parece evidente, eterno e, assim, perceber a particularidade e finitude de nossos modos de ser, agir e pensar - reinscrever a possibilidade de uma ética em nossos dias: a constituição do sujeito a partir de um domínio de si. Foucault, enquanto filósofo-historiador, faz essa crítica de nosso presente a partir de certas heranças teóricas que assume em relação, entre outros, à Kant, à Nietzsche e mesmo à Escola dos Annales. É, portanto, de sua contribuição à crítica da modernidade e à historiografia a partir dessas heranças que, de modo suscinto, trataremos.

Na Contramão da (Pós-)Modernidade: o “marxismo Romântico” de Michael Löwy

Querido, Fabio Mascaro
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2009 POR
Relevância na Pesquisa
76.27%
O objetivo mais geral deste artigo é apresentar a leitura crítica de Michael Löwy acerca da modernidade. Para tanto, busca-se compreender o trajeto teórico da crítica da modernidade em Michael Löwy, em sua valorização da análise weberiana da modernidade, da crítica de Walter Benjamin às ideologias do progresso e, por fim, da rejeição ecossocialista do modelo civilizatório moderno. Pretende-se, enfim, situar preliminarmente a crítica “marxista-romântica” da modernidade – efetuada por Löwy – no contexto do congestionamento histórico da crença no progresso e na modernização. Parte-se da hipótese, portanto, de que a obra de Michael Löwy, especialmente seus textos dirigidos à crítica da modernidade, responde às transformações contemporâneas do capitalismo, insistindo na necessidade de uma ruptura do marxismo com o paradigma civilizatório moderno. 

Ecossocialismo, romantismo e (auto)crítica da modernidade em Michael Löwy

Querido, Fabio Mascaro
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; "Originais" Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2008 POR
Relevância na Pesquisa
76.24%
Partindo da concreticidade da crise ecológica e das transformações contemporâneas no âmbito dos processos de acumulação capitalista, o objetivo geral deste artigo é versar algumas notas preliminares a propósito da perspectiva teórica e política do assim chamado ecossocialismo, tal qual formulado em Michael Löwy. “Corrente de pensamento e de ação” cuja resposta à crise ecológica, a um só tempo romântica e socialista, constitui igualmente uma crítica às potencialidades destrutivas contidas no interior do paradigma societário e produtivo da modernidade. Neste trajeto, busca -se uma aproximação à apropriação löwiniana da obra de Walter Benjamin, especialmente de sua crítica do “progresso” moderno e das ideologias apologetas da “modernização”. Almeja -se assim antever a forma através da qual Michael Löwy e os ecossocialistas respondem às profundas transformações da (pós) modernidade capitalista contemporânea, com ênfase particular sobre um argumento central projetado na obra do intelectual franco -brasileiro, qual seja: a defesa da necessidade de que o marxismo radicalize “sua crítica da modernidade, do paradigma da civilização ocidental, industrial, moderna, burguesa” (LÖWY, 2000c...

Literature and Critical Theory: dystopia as an analysis tool of radical modernity; Teoria Crítica e Literatura: a distopia como ferramenta de análise radical da modernidade

Hilário, Leomir Cardoso; PPGPS - UERJ (Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social da Universidade Estadual do Rio de Janeiro).
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 07/10/2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.12%
This paper seeks to argue that the literary genre known as dystopia is configured, from the perspective of critical theory of society, as an analysis tool of radical modernity. Therefore, there is a brief description of what would such a literary genre, as well as elect three dystopian works to bring proof that argument. Such works are: 1984, Orwell, Fahrenheit 451, Bradbury, and Brave New World, Huxley. Highlighting some of these characteristics, it is possible to shed light on the distinctive features of our contemporary.; http://dx.doi.org/10.5007/2175-7917.2013v18n2p201Este artigo procura propor que o gênero literário conhecido como distopia se configura, a partir do prisma da teoria crítica da sociedade, como ferramenta de análise radical da modernidade. Para tanto, é feita uma breve caracterização do que seria tal gênero literário a partir das noções de horizonte utópico e função distópica. A partir daí se elegem três obras distópicas para pôr a prova tal argumentação: 1984, de Orwell; Fahrenheit 451, de Bradbury; e Admirável Mundo Novo, de Huxley. Destacando algumas características destes livros, é possível lançar luz acerca de traços marcantes do nosso contemporâneo, tais quais: as formas de controle da subjetividade...

A teoria crítica da modernidade de Jürgen Habermas

Lubenow, Jorge Adriano; UFPB
Fonte: Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea Publicador: Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado por Pares Formato: application/pdf
Publicado em 26/05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.05%
O objetivo do artigo é elucidar os argumentos centrais da teoria da modernidade de Habermas. Em vez de abandoná-lo, Habermas procura reconstruir o projeto de emancipação moderno através da reconstrução dos fundamentos da racionalidade da ação e da racionalização social moderna a partir: da reconstrução da explicação e superação crítica das interpretações unilaterais e funcionalistas de Max Weber e Talcott Parsons, e da fundamentação de uma teoria da racionalidade comunicativa capaz de se desvencilhar dos pressupostos subjetivistas e individualistas teoria social moderna.

HABERMAS E A RECONSTRUÇÃO COMUNICATIVA DO PROJETO DA MODERNIDADE

Zatti, Vicente
Fonte: Universidade Federal da Paraíba -UFPB Publicador: Universidade Federal da Paraíba -UFPB
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 06/10/2015 POR
Relevância na Pesquisa
76%
O projeto moderno, com seu otimismo e promessas emancipatórias, tem sido sistematicamente desconstruído desde o século XIX. O filósofo alemão Jürgen Habermas considera que tal desconstrução teve um efeito terapêutico sobre a filosofia ao desmascarar o sujeito logocêntrico, mas discorda que isso representa a morte da razão, por isso, elabora a reconstrução comunicativa do projeto da modernidade através de uma concepção de racionalidade não restrita à técnica e a ciência. Nesse artigo partimos da análise do contexto da crítica à concepção cientificista da razão moderna e a inserção do pensamento de Habermas em tal questão. Após, nos debruçamos sobre a obra Conhecimento e Interesse na qual Habermas resgata a ideia de um interesse emancipatório do conhecimento. Na sequência, tematizamos a guinada linguística e a virada pragmática os quais estabelecem as condições teóricas para a elaboração de uma teoria da ação comunicativa, ponto central da reconstrução realizada por Habermas. [doi:http://dx.doi.org/10.7443/problemata.v6i2.22826]

ENCONTROS E DESENCONTROS DA RAZÃO CONSIDERAÇÕES SOBRE MODERNIDADE E PÓS-MODERNIDADE ENTRE HEIDEGGER, LYOTARD E HABERMAS.

Moraes Junior, Manoel Ribeiro
Fonte: Universidade Federal da Paraíba -UFPB Publicador: Universidade Federal da Paraíba -UFPB
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 21/12/2015 POR
Relevância na Pesquisa
66.06%
Os fins da razão teórica, modernidade, história e da filosofia, foram temas persistentes no palco da filosofia no século XX. Sentido e esgotamento destas expressões sócio intelectuais tinham suas pertinências sobretudo à luz dos impactos existências, econômicos, intelectuais e ambientais consequências dos grandes conflitos bélicos acontecidos entre os séculos XIX e XX. Desconstrução do pensamento foi um imperativo intelectual que ainda ecoa em nossos tempos. Contudo, pode-se perguntar se essa é a única alternativa à prática da filosofia atual. Este artigo reconstrói parte deste debate destacando algumas ideias críticas de Martin Heidegger, Jean-François Lyotard e Jürgen Habermas aos limites e às possibilidades da razão no horizonte contemporâneo de pensamento e sociedade. Assim, apresenta-se de um lado uma crítica à modernidade no horizonte e, do outro, uma defesa à continuidade da modernidade iluminista.[doi:HTTP://dx.doi.org/10.7443/problemata.v6i3.23835]

The Modernity As The Subversion Of The Values At The Mature Stage Of Nietzsche; A Modernidade Enquanto Subversão Dos Valores Na Fase Madura De Nietzsche [DOI: 10.15440/arf.2014.20354]

Heinen, Isabella Vivianny Santana; Barros, Roberto de Almeida Pereira de
Fonte: Aufklärung: revista de filosofia; Aufklärung Publicador: Aufklärung: revista de filosofia; Aufklärung
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/octet-stream; application/xml; application/pdf
Publicado em 06/09/2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.12%
This article proposes to present a critical discussion of modernity, formed from the analysis of the modern world undertaken by Nietzsche. This one, in his vast contribution as a philosopher goesa round almost all works on topics that shape the conception of modernity, but in order to contemplate the purpose of this study, we will focus on the mature period of his thought. Considering that according to Nietzsche assimilation of modernity, this period would translate the moment of uninterrupted relations constituted primarily through valorizing judgments. With this, we will indicate a broad perspective of interpretation, however this is very important to understand the pluralistic conception of Nietzschean modernity, providing a way of valorising and affirmating life.; Este artigo propõe apresentar uma discussão crítica sobre a modernidade, formada a partir das análises do mundo moderno empreendida por Nietzsche. Este, em sua vasta contribuição como filósofo faz incursões em praticamente todas as obras acerca de temas que configuram a concepção de modernidade, mas a fim de contemplar o objetivo deste estudo, nos deteremos na fase dita madura de seu pensamento. Tendo em vista, que segundo a assimilação de Nietzsche da modernidade...