Página 1 dos resultados de 40 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Por entre as grades: um estudo sobre o cotidiano de uma prisão feminina; Through the prison bars: a study on the daily life of a female prison

Buckeridge, Fernanda Cazelli
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/05/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.3%
O presente estudo teve como objetivos traçar um panorama do cotidiano vivido dentro de uma penitenciária feminina do estado de São Paulo e mostrar um olhar interior sobre a condição da mulher encarcerada. O trabalho baseou-se na experiência vivida pela pesquisadora enquanto exercia a função de psicóloga junto a uma organização não governamental que realizava oficinas temáticas dentro de penitenciárias femininas paulistas. Procurou-se na perspectiva da psicologia social, delinear questionamentos e compartilhar reflexões produzidas na vivência com as presas, assim como realizar tentativas de elaboração teórica destes. Foram re¬ferenciais teóricos neste trabalho principalmente as obras de Wright Mills, Simone Weil, Hannah Arendt e Ecléa Bosi. Foram recursos nesta pesquisa principalmente os conteúdos de cartas redigidas por mulheres internas nesta unidade prisional bem como registros de informações coletadas, situações vividas, observações e falas ocorridas no dia a dia da instituição; This study aimed to draw a broad view of the daily living within a female prison in the state of São Paulo and illustrate an insiders perspective of the condition experienced by the incarcerated woman. The study was based on the researchers experience whilst working as a psychologist alongside an NGO that carried out thematic workshops in female penitentiaries located in São Paulo. From a social psychology perspective...

Uma cidade entre presídios: ser agente penitenciário em Itirapina-SP; A city between prisons: to be a prison officer in Itirapina-SP

Sabaini, Raphael Tadeu
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
26.47%
Situado no contexto de incremento das políticas penitenciárias de interiorização de unidades prisionais por todo o estado de São Paulo, este trabalho tem a intenção de analisar o cotidiano e as práticas sociais e profissionais de agentes penitenciários do município de Itirapina, cidade localizada no interior paulista, onde se encontram instaladas duas penitenciárias. Análise parte da ótica de agentes, moradores, comerciantes e demais moradores,para resgatar o modo pelo qual tais políticas de interiorização dos presídios têm afetado a vida no município em questão. Assim como os detentos, os agentes penitenciários têm seu cotidiano ligado à rotina da prisão, criam seu vocabulário e seu modo de agir transitando entre o interior da cadeia e o convívio com demais pessoas na cidade. A dinâmica social recebe grande influência dos valores e das práticas oriundos das penitenciárias construídas na cidade. Portanto, dentro deste contexto, a construção de discursos e valores colocam a profissão de agente penitenciário numa posição de destaque, cercada de privilégios, relativizando o conceito de prestígio, mesmo estando diretamente relacionado com um universo tão estigmatizado como o prisional. Através da observação da rotina desses profissionais e demais pessoas que se relacionam entre si...

A subcultura prisional e os limites da ação da APAC sobre as políticas penais públicas: um estudo na Cadeia Pública de Bragança Paulista; Prison subculture and the limits of APAC action on public penal policies: a study at Bragança Paulista jail

Massola, Gustavo Martineli
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 03/10/2005 PT
Relevância na Pesquisa
36.58%
A Cadeia Pública de Bragança Paulista (São Paulo) passou a ser administrada, desde primeiro de janeiro de 1996, através de um convênio com o Governo do Estado de São Paulo, por uma Associação Civil sem fins lucrativos chamada Associação de Proteção e Assistência Carcerária (APAC), que conseguiu reduzir os custos de administração prisional e investir o dinheiro excedente na melhoria das condições físicas e na contratação de profissionais técnicos (como psicólogos e assistentes sociais). Os voluntários desta Associação, organizados em grupos de trabalho, passaram a conviver intimamente com os presos. Esta Cadeia passou a ser vista como um exemplo bem-sucedido de administração prisional conjunta entre Estado e comunidade, capaz de promover a ressocialização dos presos, e foi escolhida como modelo para a construção dos Centros de Ressocialização - unidades de segurança mínima - pela Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo, apresentando-se como um exemplo de concretização da moderna utopia penitenciária. No presente trabalho, de cunho exploratório e descritivo, esta unidade prisional foi estudada por método etnográfico e documental (visitas semanais durante aproximadamente três anos) com o pesquisador adotando o papel de voluntário. Buscou-se caracterizar as relações estabelecidas entre os agentes institucionais (voluntários...

Trabalho em cadeia - uma análise do cotidiano de trabalho dos agentes de segurança penitenciária no estado de Minas Gerais; Chain work - an analysis of the everyday work of prison guards in the state of Minas Gerais

Dorigo, Júlia Nogueira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 04/05/2015 PT
Relevância na Pesquisa
36.22%
Este trabalho investigou a relação entre construção da subjetividade e condições de trabalho, realizando um estudo junto aos agentes de segurança penitenciária do estado de Minas Gerais. A pesquisa foi desenvolvida junto a agentes de segurança penitenciária do estado que trabalham ou trabalharam em algumas das unidades mineiras, através de conversas sobre o trabalho e também acompanhando as atividades destes profissionais em uma das unidades do estado. O trabalho traz uma melhor compreensão do papel das prisões na manutenção da desigualdade social e qual o impacto disto para os agentes de segurança penitenciária que passam a se aperceber como parte desta engrenagem. E ainda se apercebem diante das mesmas condições que os presos, tanto socialmente, fora das unidades, como dentro das unidades em seu momento de trabalho. Todas as contradições encontradas ao longo de trabalho trazem desdobramento para a vida dos agentes de segurança penitenciária e estão analisadas no texto. A pesquisa apontou que não só os detentos sofrem com as condições precárias de aprisionamento no Brasil, mas também os agentes que ali trabalham e que não há pequenas alterações possíveis no cotidiano que sejam capazes de transformar esta realidade a fim de minimizar seu impacto subjetivo. O único horizonte vislumbrado para a transformação deste ambiente insalubre de sofrimento é a sua extinção e este trabalho pretendeu contribuir para a construção de argumentos a este favor; This study investigated the relationship between construction of subjectivity and working conditions...

Juventude em discurso : histórias de vida de jovens aprisionados, no município de Cáceres/MT

Simão, Ailon do Vale
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
26.31%
O presente trabalho tem como objetivo analisar e descrever histórias de vidas de jovens presos ou internados, por acusação de consumo e tráfico de drogas ilícitas e outros crimes relacionados, moradores da cidade de Cáceres, Estado de Mato Grosso. Foram analisados: os perfis desses jovens; os possíveis fatores que contribuíram para os atos supostamente praticados; a forma como se estruturam os respectivos núcleos familiares; as possíveis relações entre drogas, atos de violência praticados e sofridos por eles; as ações e as políticas públicas, no município de Cáceres, voltadas para atender as necessidades dos meninos, particularmente daqueles em situação de maior vulnerabilidade; as experiências vivenciadas por eles no processo de aprisionamento; os estigmas da prisão, que passam a ser parte integrante de suas vidas, mesmo após o cumprimento das penas. O corpus analítico do trabalho constituiu-se de observações diretas nas instituições onde os jovens estavam presos ou internados; entrevistas e conversas informais com os sujeitos da pesquisa e seus parentes; entrevistas com promotores de justiça, delegados de polícia, juízes de direito, advogados, defensores públicos, agentes policiais e carcerários...

Perspectivas jurídico-educacionais do uso da videoteca no sistema educacional prisional

Duarte, Karen Machado
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.52%
A contemporaneidade trouxe consigo as inovações tecnológicas e seus mais variados recursos. Não ser absorvido pelas mais variadas mídias que circundam o cotidiano é impossível. Contudo, para um segmento da sociedade, tais mídias ainda são uma possibilidade longínqua: os que estão em condição de vulnerabilidade social, os apenados. A população prisional que por razões judiciais perdeu o direito a liberdade, teve, na grande maioria das vezes, em seu percurso de vida, o direito a educação também negligenciado, por toda a sorte de razões, quais sejam: família, Estado. Analisar o percurso histórico das legislações até os dias atuais, delimitando o direito à educação gratuita, acessível a todos de forma equitativa e contemporânea, em que pese o desenvolvimento do uso do vídeo e sua importância para a função ressocializadora em que o aparelho estatal está assentado, tendo em vista a Constituição Federal do Brasil de 1988 e o princípio da dignidade humana. e comparando com o acesso a escola é parte integrante deste trabalho. Neste sentido, o objetivo deste trabalho é verificar a possibilidade de utilização da mídia vídeo como proposta educativo-pedagógica nas escolas prisionais com vistas à ressocialização dos educandos. A proposta inicial teve por base o levantamento bibliográfico e a participação na implementação dos vídeos na videoteca...

Cartografias de um currículo encarcerado; Cartography of an encarcerated curriculum

Cátia Alvisi
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/02/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.31%
Busca-se nessa pesquisa compreender a configuração do currículo dentro de UMA escola num modelo de unidade prisional denominado: Centro de Ressocialização. A partir de uma incursão etnográfica foi possível viver o cotidiano prisional pesquisado por oito meses e participar de outras situações para além da rotina da escola. Essa experiência somada às dezoito entrevistas realizadas com os alunos em situação de privação de liberdade evidenciou que a questão do direito humano à educação não se consolida dentro das prisões, mesmo com avanços significativos no campo normativo. É possível afirmar também que a sobreposição de duas instituições em funcionamento (prisão/escola) dentro do mesmo espaço colide quando o assunto é a oferta educativa. Reproduz-se um modelo de ensino que não agrega como fator de acesso aos bens culturais recriados constantemente pela humanidade e assim se reforça a ideia de escola apenas como certificação ou para fins de remição de pena. Enfim, problematiza-se a configuração curricular da escola pesquisada a partir de discursos entendidos como construções que se naturalizam e produzem efeitos de Verdade nas práticas curriculares encarceradas.; The aim of this research is to understand the configuration of the curriculum in a school in a prison unit model called: Resocialization Center. From an ethnographic incursion it was possible to live the daily prison routine researched for eight months and participate in other situations beyond the school routine. This experience in addition to the eighteen interviews with students in a situation of deprivation of liberty showed that the issue of human right to education is not consolidated within the prisons...

O caldo na panela de pressão

Brito, Mirella Alves de
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 151 f.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
26.44%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-graduação em Antropologia Social; A pesquisa descreve as práticas sociais no Presídio Feminino de Florianópolis, SC. O presídio corresponde a uma das unidades prisionais do sistema penitenciário de Santa Catarina, único exclusivo para a detenção de mulheres. A pesquisa perseguiu o objetivo de identificar como se organizam as mulheres presas em Florianópolis, como se relacionam e que práticas coletivas são encenadas nesse contexto. A população de mulheres presas envolvidas na pesquisa foi, inicialmente, de 36 mulheres, que haviam sido julgadas e receberam sentença de reclusão em regime fechado. Entretanto, ao longo do trabalho de campo esse número foi se modificando e foi possível conhecer em torno de 100 mulheres que passaram pelo presídio no período em que foi realizada a pesquisa. Reconheceu-se que há no Brasil uma incipiente tentativa de dar visibilidade a questões que se incorporam no cotidiano prisional, sobretudo nos presídios para mulheres. Três autoras brasileiras são destaques como inovadoras nessa área: Julita Lemgruber (1983); Iara Ilgenfritz e Bárbara M. Soares (2002). No exterior merece destaque Manuela Ivonne da Cunha (2002)...

Para além da ordem: o cotidiano prisional da Bahia oitocentista a partir da correspondência de presos

Trindade,Cláudia Moraes
Fonte: Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho Publicador: Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.6%
Este artigo tem o objetivo de discutir a comunidade prisional na Bahia Oitocentista, a partir das correspondências de presos. Faço uma análise dessa documentação buscando reconstruir parte do cotidiano dos presos, pressupondo a existência de uma ordem paralela, com igual ou maior força do que a oficial, mas que não anulava a arbitrariedade e a violência desta última. Entretanto, essa ordem paralela podia ser rompida, a qualquer momento, seja por confrontos diretos entre os próprios presos ou entre os presos e os funcionários da prisão. Dentre os tipos de protesto, a escrita foi um dos mais utilizados pelos presos e, dependendo da estratégia sugerida nas cartas, era possível conquistar espaços sem romper com a ordem prisional. O recurso à escrita foi utilizado por presos, letrados ou não, de diferentes condições jurídicas - escravos, libertos e livres -, independentemente do tipo de pena que estivessem cumprindo.

Intervenções psicossociais no sistema carcerário feminino

Guedes,Marcela Ataide
Fonte: Conselho Federal de Psicologia Publicador: Conselho Federal de Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
36.31%
Um dos meios de percepção do crescimento da violência na sociedade atual pode ser mensurado pelo aumento da população carcerária, o que pode favorecer a violação dos direitos humanos. Considerando os poucos dados disponíveis, o presente trabalho buscou investigar essa população, visando a contribuir para a produção de conhecimento sobre esse grupo. Por meio do plantão psicológico, realizado numa delegacia de Belo Horizonte, MG, acolhemos demandas espontâneas de sessenta e sete mulheres, de agosto de 2004 a julho de 2005. A faixa etária das mulheres variou de dezoito a quarenta e dois anos, e o tempo de prisão, de um a trinta e seis meses. A análise temática dos assuntos abordados pelas mulheres aprisionadas salientou características como o cotidiano prisional, a maternidade/relações familiares, as vivências amorosas internas/externas e as relações de gênero. Foram apontadas estratégias individuais e coletivas que visam a facilitar a dinâmica interna cotidiana: o apego aos filhos/familiares, as práticas religiosas, as oficinas de artesanato, o trabalho na limpeza e as relações amorosas internas.

Sofrimento na vigilância prisional: o trabalho e a atenção em saúde mental

Rumin,Cassiano Ricardo
Fonte: Conselho Federal de Psicologia Publicador: Conselho Federal de Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
36.44%
Neste trabalho, apresentaremos uma caracterização das condições de trabalho dos agentes de segurança penitenciária (ASPs) e uma intervenção que culminou com a constituição de um espaço para o acolhimento do sofrimento psíquico dos trabalhadores. Realizamos trinta entrevistas semidirigidas individuais com ASPs de uma unidade prisional de regime fechado. O discurso dos ASPs apontou as seguintes situações ansiogênicas: risco constante de exposição à violência física no cotidiano prisional, temor em relação à segurança de seus familiares, exposição a doenças como tuberculose, hepatite C e HIV, percepção da degradação da saúde mental, trabalho monótono e sensação de enclausuramento em algumas funções, representação social pejorativa desse trabalho pela comunidade, baixa remuneração e restrição dos serviços de saúde oferecidos aos ASPs e seus dependentes. Após o reconhecimento dos determinantes de agravo à saúde, organizamos um espaço de escuta aos trabalhadores com a participação de graduandos que realizavam estágio profissionalizante em Psicologia. Esse espaço evoluiu da mobilização subjetiva para o enfrentamento das dinâmicas disciplinares institucionais às dinâmicas afetivas dos trabalhadores e ofereceu acolhida ao seu sofrimento...

Frente de trabalho da iniciativa privada no sistema carcerário do estado do Espírito Santo

Pires,Fernanda Mendes; Palassi,Márcia Prezotti
Fonte: Fundação Getulio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas Publicador: Fundação Getulio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 PT
Relevância na Pesquisa
26.31%
Neste artigo analisa-se - sob a ótica dos presos e dos responsáveis empresas em presídios - o impacto das frentes de trabalho promovidas por duas empresas privadas na ressocialização dos presos no Instituto de Readaptação Social - IRS - em Vila Velha - ES e na Penitenciária de Segurança Média II de Viana - PSME II -ES. Examinam-se, ainda, os aspectos gerenciais relativos à implantação e manutenção dessas empresas nas penitenciárias citadas. Trata-se de um estudo de caso de natureza qualitativa, em que os dados foram coletados, no ano de 2005, através de duas entrevistas semi estruturadas com os responsáveis pelas empresas privadas e dez internos - os resultados foram submetidos à análise de conteúdo proposta por Laville e Dione (1999). Eles apontam a competitividade como o principal motivo de inserção das empresas privadas no sistema penitenciário e a conservação do foco da produção na unidade prisional, sem estender o trabalho aos egressos. Na perspectiva de análise dos internos, o trabalho representa uma fuga ao ambiente carcerário e ao ócio, bem como auxílio financeiro a suas famílias e qualificação. Conclui-se que os trabalhos desenvolvidos pelos internos pouco influenciam em suas pretensões de reencontro com o mercado de trabalho...

A cultura da escola prisional: entre o instituído e o instituinte

Vieira,Elizabeth de Lima Gil
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.31%
O presente trabalho intenciona conhecermos e refletirmos sobre o cotidiano e a cultura da escola da prisão. É também imprescindível conhecer os números que aludem ao sistema prisional brasileiro, ou seja, número e perfil dos encarcerados, visto que entendemos serem esses dados significativos para os estudos sobre a educação carcerária. Torna-se necessário desvendar as transformações possíveis que se (re)desenham em um lugar, a priori, marcado pelo controle, pela estaticidade, mas que, a partir de um olhar mais apurado às experiências ali vividas, pode ser visto como fecundo a partir das práticas cotidianas dos sujeitos que fazem a escola da prisão.

Famílias e prisões: (sobre)vivências de tratamento penal

Jardim, Ana Caroline Montezano Gonsales
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
26.31%
Este trabalho busca conhecer e analisar os modos de inserção dos familiares nos mecanismos de tratamento penal. A partir de uma aproximação com o referencial teórico do paradigma da complexidade, a análise condensa os mecanismos dialógicos e recursivos presentes no sistema social complexo que é a prisão. Como meio de conhecer tais mecanismos, foi realizado um estudo de caso em um estabelecimento prisional de Porto Alegre. Além do estudo teórico sobre a relação prisões e famílias, foram feitas entrevistas com familiares que realizam visitas sistemáticas aos parentes presos, observações no cotidiano prisional, sobretudo, em dias de visitas e atendimentos aos familiares. Outro aspecto destacado é a percepção dos técnicos, a partir de grupos temáticos, como meio de acessar o modo como as famílias são percebidas e inseridas no contexto de classificação penal. A pesquisa permite maior visibilidade às vivências destes familiares a partir das histórias que são descritas e analisadas, como também, uma percepção crítica quanto às dinâmicas prisionais. Nesse sentido, o estudo aponta para os diversos tipos de penalizações dirigidas aos familiares.; The present work aims at knowing and analyzing the way family members are placed into the mechanisms of penal treatment. Based on the study of the complexity paradigm theoretical referential...

Códigos de sustentação da linguagem no cotidiano prisional do Rio Grande do Norte: penitenciária estadual de Parnamirim

Oliveira, Hilderline Camara de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
67.12%
The quarrel, in this study, tells about the language as social practical in the daily of Parnamirim State Prison that is integrated to the Rio Grande do Norte Penitentiary System - SISPERN, destined for men in fulfilment of penalty privative of freedom, in closed regimen. For the accomplishment of the research, the delimited objectives had been to analyze the language repertoires created in the prisional daily, trying to identify how it´s turned into distinct forms of resistance to the mechanisms of control in penitentiary system; to investigate which are the language repertoires created from the new sociability forms developed among prisoners and identify how the language repertoires are expressed in the daily prisional on relations/exercises of power not-institutionalized. In the methodological aspect, the study is in a qualitative boarding, that has as main instrument the interview. The inquiry was possible by means of using instruments for data collection, like as: the direct comment in the prisional daily duly registered as researcher´s ethnographical procedure, the analysis of interns´ cadastre handbooks and the application of half-structuralized interview, to the subjects of the research. The construction and understanding of the study object had been based on authors who argue on the arrest...

Atitudes e intervenções de profissionais que atuam junto a mulheres grávidas ou com bebês em contexto prisional; Attitudes and interventions of professionals who work with pregnant women or babies in the prison context

Pereira, Tatiane Guimarães
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.58%
Introdução: A relação mãe e bebê, movida por cuidados repetitivos providos de afeto, deve ser disponibilizada ao bebê para sua constituição como sujeito psíquico e social. Para a parceria se efetivar, a díade necessita de um ambiente favorável representado por uma rede de cuidados potente e sustentadora. A maternidade, em contexto prisional, assume especial complexidade pela inserção e efeitos do aprisionamento. Tal efeito se estende aos profissionais que atuam em meio a essas repercussões que moldam suas atitudes no dispositivo prisional. Objetivo: Identificar atitudes e intervenções de profissionais que trabalham em contexto prisional em relação às gestantes e mães com bebês presas. Método: Foi aplicado um questionário destinado a caracterizar o perfil dos participantes e entrevista semidirigida com oito profissionais com atuação voltada às grávidas e às mães com bebês no contexto prisional escolhidos a partir da técnica bola de neve. Buscou-se contemplar os olhares de várias esferas: Defensoria Pública do Estado de São Paulo, Pastoral Carcerária, Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN) e ex-servidores das unidades materno-infantis. Os discursos construídos foram submetidos à análise de conteúdo na modalidade temática. Utilizaram-se dois referenciais teóricos: a dimensão psíquica de Winnicott e a dimensão social de Krech. Resultados: Os profissionais revelam potências e impotências que...

Fragmentos de uma genealogia de mulheres no contexto prisional : um estudo de relatos sobre a experiência de aprisionamento

Quadrado, Jaqueline Carvalho
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
26.31%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Sociologia, 2014.; Texto parcialmente liberado pelo autor. Conteúdo restrito: capítulos 1, 2, 3 e 4.; Na tese busco, por meio de uma genealogia, problematizar as relações entre as experiências prisionais e a constituição de processos de subjetivação. O estudo das experiências prisionais e de suas implicações na conformação de subjetividades é instrumentalizado, principalmente, sob duas ferramentas de análise formuladas em estudos genealógicos de Foucault: o poder e o saber. Assim, esta pesquisa analisou as narrativas autobiográficas de mulheres presas na Unidade Prisional Feminina de Palmas -TO, com recorte temporal de 2010 a 2012. Analisou-se como se configuram os campos de experiências e as condições que marcam a emergência dos discursos/verdades que sustentam os processos de subjetivação da mulher presa/criminosa. O objetivo é compreender as experiências de aprisionamento dessas mulheres autoras de crimes, buscando por meio de suas narrativas, fragmentos de suas experiências passadas - anteriores à prisão, envolvidas ou não na criminalidade -, e no presente, as estratégias de sobrevivência e resistências...

Exilio da vida : o cotidiano de mulheres presidiárias

César, Maria Auxiliadora
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
26.31%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Serviço Social, Mestrado em Política Social, 1995.; Pretende esta dissertação analisar, com base nos conceitos de "exit" (saída), "voice" (voz) e "loyalty" (lealdade), trabalhados por Albert Hirschmann (1973) - e resgatados por Celso Lafer (1978) e Bárbara Hobson (1991) - os tipos de respostas, resistências e protestos manifestados por um grupo de mulheres presidiárias do Núcleo de Custódia de Brasília, integrante do Sistema Penitenciário do Distrito Federal. As categorias gênero, criminalidade e exclusão social, que servem de pano de fundo à análise efetuada, auxiliam à compreensão da particularidade da relação entre poder e dependência no contexto prisional envolvendo mulheres pobres, bem como do significado assumido pelos conceitos de Hirschmann neste contexto específico. O trabalho privilegia a análise qualitativa, com ênfase nas técnicas da entrevista e da observação, tendo em vista a construção da história de vida das detentas, embora também tenha utilizado indicadores estatísticos para compor o perfil da população investigada. Como resultado, o estudo demonstrou que, diferentemente dos achados de Hirschmann...

As múltiplas prisões femininas: um estudo sobre os textos e contextos midiáticos no ambiente prisional

Braun, Helen Garcez
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
36.58%
Os dados do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), divulgados em 2012, retratando a realidade do nosso sistema prisional no ano anterior (2011) revelam que o Brasil está entre os quatro países com maior população carcerária do mundo, ao lado dos Estados Unidos, da China e da Rússia. A população carcerária do País mais que dobrou em pouco mais de uma década. Dos 514. 582 presos no Brasil, 480. 523 são homens e 34. 058 mulheres. Ou seja, cerca de 7% da população carcerária do País é feminina.Este trabalho tem por objetivo analisar a relação do contexto prisional com a mídia na realidade da prisão feminina, através de uma abordagem focada nos Estudos Culturais. Como estratégia metodológica, realizamos diálogos com um grupo de presas que cumprem pena na Penitenciária Feminina Madre Pelletier, em Porto Alegre (RS). Essas conversas produziram histórias de vida. Usaremos, portanto, estas histórias de vida para entender como a mídia perpassa o cotidiano prisional e como ela está presente na formação das subjetividades destas presas. Partimos ainda do pressuposto de que as mulheres, quando privadas de liberdade, são vitimas de múltiplos aprisionamentos que passam a constituir suas identidades. Entendemos que as identidades - base de nosso estudo – são processos e...

DESAFIO HISTÓRICO NA EDUCAÇÃO PRISIONAL BRASILEIRA: RESSIGNIFICANDO A FORMAÇÃO DE PROFESSORES ... UM QUÊ DE UTOPIA?

Onofre, Elenice Maria Cammarosano
Fonte: Revista HISTEDBR On-line Publicador: Revista HISTEDBR On-line
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 14/12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.44%
As reflexões apresentadas neste artigo são resultado de estudos sobre o papel da escola naprisão e de atividades colaborativas com professores que atuam em unidades prisionais. Ocontinente latinoamericano apresenta singularidades em relação à questão prisional, e nocaso brasileiro, há uma efervescência de ações e de construção de políticas públicas, com ointuito de implementar as Diretrizes Nacionais para a oferta de educação para jovens eadultos em situação de privação de liberdade nos estabelecimentos penais. Entrevistas econversas informais com professores, observações sistemáticas, estudo de documentoslegais, bem como participação em seminários e colóquios nos permitiram rica coleta dematerial. A análise dos dados evidencia a complexidade do fenômeno educativo e anecessária formação do professor que, para além de conteúdos específicos, deve seapropriar das singularidades do cotidiano e das motivações dos aprisionados, uma vez queconstrói com eles um projeto de vida que pode contribuir com a (re)inserção social. Paratanto, há que se investir no fortalecimento e concretização de políticas públicas naperspectiva dos direitos humanos, reforçando propostas presentes no contexto educacionalbrasileiro de tornar a instituição prisão mais inclusiva e mais humana.