Página 1 dos resultados de 18 itens digitais encontrados em 0.045 segundos

Influência de diferentes pontas de pulverização nas aplicações terrestres em alta velocidade na cultura da soja (Glycine Max) ; Influence from different spray nozzles for ground applications using high travel speed in soybean crop (Glycine max)

Zaidan, Samir Elias
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
35.9%
O objetivo do trabalho foi o de comparar a eficiência de aplicação de agroquímicos na cultura da soja utilizando diferentes pontas de pulverização para aplicações terrestres em alta velocidade. Foram avaliadas as pontas AXI 110 04 na velocidade de 15 km.h-1 (testemunha), APE Cinza, AXI 110 08, TD Hispeed 110 06 e AXI TWIN 120 06, todos na velocidade de deslocamento de 35 km.h-1. O volume de aplicação foi fixado em 120 L.ha-1. A eficiência de aplicação foi avaliada por dois métodos: Análise do percentual de cobertura utilizando marcador fluorescente e luz ultravioleta e análise de depósito através da recuperação e quantificação do corante azul brilhante FD&C N°1 por espectrofotometria. Ambas as analises foram feitas em amostras retiradas de três partes da planta: Superior, média e inferior. As pontas de pulverização mostraram padrões de cobertura e depósito diferenciados, de modo que na parte superior da planta, a cobertura foi favorecida por gotas mais finas e o depósito melhorado pelo uso de gotas médias. Nas demais partes da planta não houve diferença estatística entre os tratamentos tanto para cobertura quanto para depósito. A velocidade de deslocamento não interferiu na eficiência de aplicação para pontas com mesmo padrão de gota...

Degradação luminosa e retenção foliar dos corantes azul brilhante FDC-1 e amarelo tartrasina FDC-5 utilizados como traçadores em pulverizações

Marchi, S.R.; Martins, D.; Costa, N.V.; Terra, M.A.; Negrisoli, E.
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 287-294
POR
Relevância na Pesquisa
76.42%
Três estudos foram conduzidos no Núcleo de Pesquisas Avançadas em Matologia (NUPAM) pertencente à UNESP/FCA - campus de Botucatu-SP, com o objetivo de avaliar a estabilidade dos corantes Azul Brilhante FDC-1 e Amarelo Tartrasina FDC-5 quanto a diferentes períodos de exposição à luz solar e contato com folhas de Eichhornia crassipes. No primeiro estudo, soluções de 0,3125, 0,625, 1,25, 2,5, 5, 10 e 20 ppm dos corantes Azul Brilhante FDC-1 e Amarelo Tartrasina FDC-5 foram acondicionadas em tubos de quartzo hermeticamente fechados e submetidos a 0, 0,5, 1, 2, 4, 6 e 10 horas de exposição à luz solar e ao escuro. Ao final de cada período, amostras de 10 mL foram retiradas dos tubos e analisadas. No segundo estudo, os tratamentos foram dispostos no esquema fatorial 2x7: duas condições luminosas (escuro e pleno sol) e sete períodos de exposição (0, 0,5, 1, 2, 4, 6 e 10 horas), com seis repetições. Com o auxílio de micropipeta, oito gotas de 5 µL das soluções Azul Brilhante e Amarelo Tartrasina a 4.000 ppm foram depositadas em placas de Petri de vidro. Após o término dos períodos de exposição, as placas foram lavadas com 50 mL de água destilada, com o objetivo de extrair o corante depositado sobre elas. No terceiro estudo...

Avaliação de pontas de jato plano na deposição da calda de pulverização com diferentes combinações de plantas de feijão, Brachiaria plantaginea e Bidens pilosa

Rodrigues-Costa, A.C.P.; Costa, N.V.; Cardoso, L.A.; Pereira, M.R.R.; Martins, D.
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 1159-1171
POR
Relevância na Pesquisa
55.87%
Objetivou-se com este trabalho avaliar a ponta XR na deposição da calda de pulverização com diferentes combinações de plantas de feijão, Brachiaria plantaginea e Bidens pilosa, em dois volumes de aplicação, com e sem a adição de surfatante Silwet. Foi utilizado como traçador o corante Azul Brilhante FDC -1 na concentração de 500 ppm para quantificar a deposição. Os tratamentos constituíram-se de sete combinações de plantas: (feijão), (B. plantaginea), (B. pilosa), (feijão + B. plantaginea), (feijão + B. pilosa), (B. plantaginea + B. pilosa) e (feijão + B. plantaginea + B. pilosa). O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado. Foram avaliadas as pontas de jato plano XR 110015 VS e XR 11002 VS com volumes de aplicação de 150 e 200 L ha-1, respectivamente, com e sem a presença do Silwet a 0,05% v v-1. Após a aplicação, as plantas foram imediatamente coletadas e, em seguida, lavadas em 100 mL de água destilada, para posterior quantificação do traçador em espectrofotômetro. As pontas XR apresentaram comportamento distinto na deposição das gotas de pulverização nas espécies estudadas; a adição de um surfatante à calda de pulverização aumentou a uniformidade da deposição nos alvos e contribuiu para a redução do volume de aplicação.; The objective of this study was to evaluate flat fan nozzle spray deposition on different combinations of the common bean plants...

Avaliação qualitativa e quantitativa da deposição de calda de pulverização em Commelina diffusa

Rodrigues-Costa, A.C.P.; Martins, D.; Costa, N.V.; Pereira, M.R.R.
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 465-471
POR
Relevância na Pesquisa
55.88%
Objetivou-se neste trabalho avaliar a quantidade e qualidade da deposição da calda de pulverização em plantas de Commelina diffusa, considerando volumes de aplicação, pontas de pulverização e o ângulo dos bicos na barra de pulverização. Foram utilizadas cinco hastes de plantas por vaso. O delineamento experimental adotado foi o inteiramente casualizado, com 20 repetições. O experimento foi realizado em casa de vegetação, e a aplicação da calda foi efetuada após 40 dias do transplantio das hastes, quando estavam com 30 a 40 cm de comprimento (em pleno desenvolvimento). Foram avaliadas cinco pontas de pulverização: TX-VK 6 (100 L ha-1), TX-VK 8 (200 L ha-1), XR 11001 VS (100 L ha-1), XR 11002 VS (200 L ha¹) e TJ60 11002 VS (100 e 200 L ha-1), as quais foram testadas com diferentes ângulos de aplicação (0º e +30º), exceto a TJ60 11002 VS. Foi utilizado como traçador o corante Azul Brilhante FDC-1 na concentração de 500 ppm, na determinação da deposição da calda de pulverização. Imediatamente após a aplicação, 20 hastes foram coletadas e, em seguida, lavadas em 100 mL de água destilada, para posterior quantificação do traçador em espectrofotômetro. Os dados foram transformados em valores de depósitos por grama de massa seca e ajustados à curva de regressão pelo modelo de Gompertz. Independentemente da ponta utilizada...

Uniformidade de deposição de gotas de pulverização em plantas de amendoim e Brachiaria plantaginea

Rodrigues-Costa, A. C. P.; Martins, D.; Costa, N. V.
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 939-951
POR
Relevância na Pesquisa
45.88%
Objetivou-se neste trabalho avaliar a uniformidade da deposição de gotas de pulverização em plantas de amendoim e de Brachiaria plantaginea localizadas nas linhas e entrelinhas de semeadura da cultura. O experimento de campo foi realizado com a cultura de amendoim, cultivar IAC Tatu-ST. As pulverizações foram feitas com a cultura nos estádios vegetativo (V1) e reprodutivo (R2). Foi utilizado, como marcador das gotas depositadas, o corante Azul Brilhante (FD&C-1) na concentração de 500 ppm. Os tratamentos foram constituídos por sete pontas de pulverização: XR 110015 VS (150 L ha-1), XR 11002 VS (200 L ha-1), TX-VK 6 (150 L ha-1), TX-VK 8 (200 L ha-1), AI 110015 VS (150 L ha-1), AI11002 VS (200 L ha-1) e TJ60 11002 VS (150 e 200 L ha-1). Utilizou-se o delineamento experimental em blocos ao acaso, com quatro repetições. Para as análises qualitativas, os dados obtidos foram ajustados à curva de regressão pelo modelo de Gompertz. As pontas XR 11002 VS (200 L ha-1) e TX-VK 6 (150 L ha-1) proporcionaram as maiores uniformidades de distribuição da pulverização nas plantas de amendoim cultivar IAC Tatu ST nos estádios vegetativo (V1) e reprodutivo (R2), respectivamente. A uniformidade de deposição nas plantas de B. plantaginea teve grande variação nos depósitos unitários sobre as plantas localizadas na linha e entrelinha da cultura. Apenas a ponta XR 11002 VS (200 L ha¹) causa falhas de deposição em ambos os estádios de desenvolvimento da B. plantaginea localizada na linha da cultura. Quanto às plantas localizadas na entrelinha...

Avaliação qualitativa e quantitativa na deposição de calda de pulverização em Commelina benghalensis

Rodrigues, A.C.P.; Filho, S.I.B.S.; Martins, D.; Costa, N.V.; Rocha, D.C.; Souza, G.S.F.
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 421-428
POR
Relevância na Pesquisa
55.88%
O objetivo deste estudo foi o de avaliar a quantidade e qualidade da deposição da calda de pulverização em plantas de Commelina benghalensis, considerando os volumes de aplicação, as pontas de pulverização e o ângulo dos bicos na barra de pulverização. Foram utilizadas cinco hastes de plantas por vaso. O delineamento experimental adotado foi o inteiramente casualizado, com 20 repetições. O experimento foi conduzido em casa de vegetação e a aplicação da calda foi efetuada após 40 dias do transplantio das hastes, quando estavam com 30 a 40 cm de comprimento. Os tratamentos foram constituídos por cinco pontas de pulverização (TX-VK 6, TX-VK 8, XR 11001 VS, XR 11002 VS e TJ60 11002 VS), sendo testadas com dois ângulos de aplicação (0º e +30º), exceto a TJ60 11002 VS, e todas com dois volumes de calda distintos (100 e 200 L ha-1). Foi utilizado como traçador o corante Azul Brilhante FDC-1 na concentração de 500 ppm, para determinar a deposição da calda de pulverização. Após a aplicação, 20 hastes no total foram imediatamente coletadas e, em seguida, lavadas em 100 mL de água destilada, para posterior quantificação do traçador em espectrofotômetro. Os dados foram transformados em valores de depósitos por grama de massa seca e ajustados à curva de regressão pelo modelo de Gompertz. Os resultados evidenciaram que...

Análise comparativa de métodos para quantificação dos depósitos da pulverização em diferentes alvos

Rezende, Denise Tourino
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: vii, 67 f. : il. color., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
26.16%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Agronomia (Proteção de Plantas) - FCA; As avaliações dos depósitos da pulverização são utilizadas nas pesquisas como instrumento para desenvolver e melhorar as técnicas de aplicação dos produtos fitossanitários. Considerando essa premissa, o presente trabalho objetivou comparar métodos para quantificação dos depósitos com diferentes marcadores: o corante alimentício Azul Brilhante, os íons Cobre e Sódio, o corante fluorescente Rodamina B e o próprio produto fitossanitário, representado pelo fungicida tebuconazole à 250 g/L (Orius 250 CE), após pulverização em alvos naturais (Phaseolus vulgaris e Brachiaria plantaginea) e em alvos artificiais (papel filtro, papel mata-borrão e lâminas de vidro). As plantas e os alvos artificiais foram pulverizados em um sistema de pulverização com controle de velocidade e pressão de trabalho. Após a pulverização, as plantas foram cortadas junto à superfície do solo, colhidas e colocadas, individualmente, em sacos plásticos devidamente identificados e acondicionados em refrigerador (8±3°C) até o término das aplicações e posterior remoção do marcador. As soluções provindas das lavagens dos alvos foram mantidas em frascos âmbar e também acondicionadas em refrigerador até o momento das análises e obtenção das concentrações dos marcadores em l cm-² e l g-1 de matéria seca. Para quantificação dos respectivos marcadores supracitados foram utilizados os equipamentos: espectrofotômetro Shimadzu UV 1601 PC...

Degradação luminosa e retenção foliar dos corantes azul brilhante FDC-1 e amarelo tartrasina FDC-5 utilizados como traçadores em pulverizações

Marchi,S.R.; Martins,D.; Costa,N.V.; Terra,M.A.; Negrisoli,E.
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
76.42%
Três estudos foram conduzidos no Núcleo de Pesquisas Avançadas em Matologia (NUPAM) pertencente à UNESP/FCA - campus de Botucatu-SP, com o objetivo de avaliar a estabilidade dos corantes Azul Brilhante FDC-1 e Amarelo Tartrasina FDC-5 quanto a diferentes períodos de exposição à luz solar e contato com folhas de Eichhornia crassipes. No primeiro estudo, soluções de 0,3125, 0,625, 1,25, 2,5, 5, 10 e 20 ppm dos corantes Azul Brilhante FDC-1 e Amarelo Tartrasina FDC-5 foram acondicionadas em tubos de quartzo hermeticamente fechados e submetidos a 0, 0,5, 1, 2, 4, 6 e 10 horas de exposição à luz solar e ao escuro. Ao final de cada período, amostras de 10 mL foram retiradas dos tubos e analisadas. No segundo estudo, os tratamentos foram dispostos no esquema fatorial 2x7: duas condições luminosas (escuro e pleno sol) e sete períodos de exposição (0, 0,5, 1, 2, 4, 6 e 10 horas), com seis repetições. Com o auxílio de micropipeta, oito gotas de 5 µL das soluções Azul Brilhante e Amarelo Tartrasina a 4.000 ppm foram depositadas em placas de Petri de vidro. Após o término dos períodos de exposição, as placas foram lavadas com 50 mL de água destilada, com o objetivo de extrair o corante depositado sobre elas. No terceiro estudo...

Avaliação qualitativa e quantitativa na deposição de calda de pulverização em Commelina benghalensis

Rodrigues,A.C.P.; Filho,S.I.B.S.; Martins,D.; Costa,N.V.; Rocha,D.C.; Souza,G.S.F.
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
55.87%
O objetivo deste estudo foi o de avaliar a quantidade e qualidade da deposição da calda de pulverização em plantas de Commelina benghalensis, considerando os volumes de aplicação, as pontas de pulverização e o ângulo dos bicos na barra de pulverização. Foram utilizadas cinco hastes de plantas por vaso. O delineamento experimental adotado foi o inteiramente casualizado, com 20 repetições. O experimento foi conduzido em casa de vegetação e a aplicação da calda foi efetuada após 40 dias do transplantio das hastes, quando estavam com 30 a 40 cm de comprimento. Os tratamentos foram constituídos por cinco pontas de pulverização (TX-VK 6, TX-VK 8, XR 11001 VS, XR 11002 VS e TJ60 11002 VS), sendo testadas com dois ângulos de aplicação (0º e +30º), exceto a TJ60 11002 VS, e todas com dois volumes de calda distintos (100 e 200 L ha-1). Foi utilizado como traçador o corante Azul Brilhante FDC-1 na concentração de 500 ppm, para determinar a deposição da calda de pulverização. Após a aplicação, 20 hastes no total foram imediatamente coletadas e, em seguida, lavadas em 100 mL de água destilada, para posterior quantificação do traçador em espectrofotômetro. Os dados foram transformados em valores de depósitos por grama de massa seca e ajustados à curva de regressão pelo modelo de Gompertz. Os resultados evidenciaram que...

Avaliação de pontas de jato plano na deposição da calda de pulverização com diferentes combinações de plantas de feijão, Brachiaria plantaginea e Bidens pilosa

Rodrigues-Costa,A.C.P.; Costa,N.V.; Cardoso,L.A.; Pereira,M.R.R.; Martins,D.
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
55.86%
Objetivou-se com este trabalho avaliar a ponta XR na deposição da calda de pulverização com diferentes combinações de plantas de feijão, Brachiaria plantaginea e Bidens pilosa, em dois volumes de aplicação, com e sem a adição de surfatante Silwet. Foi utilizado como traçador o corante Azul Brilhante FDC -1 na concentração de 500 ppm para quantificar a deposição. Os tratamentos constituíram-se de sete combinações de plantas: (feijão), (B. plantaginea), (B. pilosa), (feijão + B. plantaginea), (feijão + B. pilosa), (B. plantaginea + B. pilosa) e (feijão + B. plantaginea + B. pilosa). O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado. Foram avaliadas as pontas de jato plano XR 110015 VS e XR 11002 VS com volumes de aplicação de 150 e 200 L ha-1, respectivamente, com e sem a presença do Silwet a 0,05% v v-1. Após a aplicação, as plantas foram imediatamente coletadas e, em seguida, lavadas em 100 mL de água destilada, para posterior quantificação do traçador em espectrofotômetro. As pontas XR apresentaram comportamento distinto na deposição das gotas de pulverização nas espécies estudadas; a adição de um surfatante à calda de pulverização aumentou a uniformidade da deposição nos alvos e contribuiu para a redução do volume de aplicação.

Avaliação qualitativa e quantitativa da deposição de calda de pulverização em Commelina diffusa

Rodrigues-Costa,A.C.P.; Martins,D.; Costa,N.V.; Pereira,M.R.R.
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
55.87%
Objetivou-se neste trabalho avaliar a quantidade e qualidade da deposição da calda de pulverização em plantas de Commelina diffusa, considerando volumes de aplicação, pontas de pulverização e o ângulo dos bicos na barra de pulverização. Foram utilizadas cinco hastes de plantas por vaso. O delineamento experimental adotado foi o inteiramente casualizado, com 20 repetições. O experimento foi realizado em casa de vegetação, e a aplicação da calda foi efetuada após 40 dias do transplantio das hastes, quando estavam com 30 a 40 cm de comprimento (em pleno desenvolvimento). Foram avaliadas cinco pontas de pulverização: TX-VK 6 (100 L ha-1), TX-VK 8 (200 L ha-1), XR 11001 VS (100 L ha-1), XR 11002 VS (200 L ha¹) e TJ60 11002 VS (100 e 200 L ha-1), as quais foram testadas com diferentes ângulos de aplicação (0º e +30º), exceto a TJ60 11002 VS. Foi utilizado como traçador o corante Azul Brilhante FDC-1 na concentração de 500 ppm, na determinação da deposição da calda de pulverização. Imediatamente após a aplicação, 20 hastes foram coletadas e, em seguida, lavadas em 100 mL de água destilada, para posterior quantificação do traçador em espectrofotômetro. Os dados foram transformados em valores de depósitos por grama de massa seca e ajustados à curva de regressão pelo modelo de Gompertz. Independentemente da ponta utilizada...

Uniformidade de deposição de gotas de pulverização em plantas de amendoim e Brachiaria plantaginea

Rodrigues-Costa,A.C.P; Martins,D; Costa,N.V
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
45.88%
Objetivou-se neste trabalho avaliar a uniformidade da deposição de gotas de pulverização em plantas de amendoim e de Brachiaria plantaginea localizadas nas linhas e entrelinhas de semeadura da cultura. O experimento de campo foi realizado com a cultura de amendoim, cultivar IAC Tatu-ST. As pulverizações foram feitas com a cultura nos estádios vegetativo (V1) e reprodutivo (R2). Foi utilizado, como marcador das gotas depositadas, o corante Azul Brilhante (FD&C-1) na concentração de 500 ppm. Os tratamentos foram constituídos por sete pontas de pulverização: XR 110015 VS (150 L ha-1), XR 11002 VS (200 L ha-1), TX-VK 6 (150 L ha-1), TX-VK 8 (200 L ha-1), AI 110015 VS (150 L ha-1), AI11002 VS (200 L ha-1) e TJ60 11002 VS (150 e 200 L ha-1). Utilizou-se o delineamento experimental em blocos ao acaso, com quatro repetições. Para as análises qualitativas, os dados obtidos foram ajustados à curva de regressão pelo modelo de Gompertz. As pontas XR 11002 VS (200 L ha-1) e TX-VK 6 (150 L ha-1) proporcionaram as maiores uniformidades de distribuição da pulverização nas plantas de amendoim cultivar IAC Tatu ST nos estádios vegetativo (V1) e reprodutivo (R2), respectivamente. A uniformidade de deposição nas plantas de B. plantaginea teve grande variação nos depósitos unitários sobre as plantas localizadas na linha e entrelinha da cultura. Apenas a ponta XR 11002 VS (200 L ha¹) causa falhas de deposição em ambos os estádios de desenvolvimento da B. plantaginea localizada na linha da cultura. Quanto às plantas localizadas na entrelinha...

Aspectos quantitativos da deposição de gotas de pulverização em plantas de amendoim e Brachiaria plantaginea

Rodrigues-Costa,A.C.P.; Martins,D.; Costa,N.V.; Pereira,M.R.R
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
45.88%
Objetivou-se avaliar a deposição de gotas de pulverização em plantas de amendoim (Aracahis hypogaea) e Brachiaria plantaginea, presentes na linha e entrelinhas de semeadura da cultura, além da deposição no solo. O estudo foi realizado em campo no cultivar de amendoim IAC Tatu-ST, sendo as aplicações dos tratamentos realizadas nos estádios vegetativo (V1) e reprodutivo (R2). Foi utilizado como marcador o corante Azul Brilhante (FD&C-1), na concentração de 500 ppm. Os tratamentos foram constituídos por sete pontas de pulverização: XR 110015 VS (150 L ha-1), XR 11002 VS (200 L ha-1), TX-VK 6 (150 L ha-1), TX-VK 8 (200 L ha-1), AI 110015 VS (150 L ha-1), AI11002 VS (200 L ha-1) e TJ60 11002 VS (150 e 200 L ha-1). Utilizou-se o delineamento em blocos ao acaso, com quatro repetições. Os resultados evidenciaram que: a pulverização de maiores volumes de calda proporcionou incrementos nos depósitos sobre plantas do cultivar IAC Tatu ST em ambos os estádios de desenvolvimento da cultura, com exceção das pontas XR 110015 VS e AI11002 VS nos estádios vegetativo (V1) e reprodutivo (R2) da cultura, respectivamente; as maiores perdas de gotas para o solo nas aplicações no estádio vegetativo (V1) foram proporcionadas pelas pontas AI 110015 VS e AI 11002 VS...

Adsor????o de corantes aliment??cios pelo biopol??mero quitosana

Dotto, Guilherme Luiz
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.32%
Disserta????o(mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande, Programa de P??s-Gradua????o em Engenharia e Ci??ncia de Alimentos, Escola de Qu??mica e Alimentos, 2010.; O despejo de efluentes industriais contendo corantes ?? um grave problema ambiental, tanto para a vida aqu??tica quanto para a sa??de p??blica. Com o intuito de remover estes corantes dos efluentes, a adsor????o ?? uma t??cnica de f??cil execu????o e extremamente vi??vel, principalmente quando envolve o uso de bioadsorventes. Um potencial bioadsorvente para a remo????o de corantes ?? a quitosana, pois, pode ser obtida de mat??rias-primas renov??veis e de baixo custo. O objetivo deste trabalho foi utiliza????o do biopol??mero quitosana para a adsor????o de tr??s corantes aliment??cios: azul brilhante, amarelo tartrazina e amarelo crep??sculo. O estudo foi realizado mediante a compara????o da quitosana com adsorventes comerciais, constru????o das isotermas de equil??brio, determina????o dos par??metros termodin??micos, defini????o de condi????es ??timas do processo, cin??tica, mecanismos e natureza da adsor????o. A quitosana foi mais eficiente que o carv??o ativado, terra ativada e terra diatom??cea na remo????o dos tr??s corantes estudados, preferencialmente em pH ??cido alcan??ando percentuais de remo????o de at?? 90%. O modelo de Langmuir foi mais adequado para representar as isotermas de equil??brio...

Monitoramento da atividade de enzimas do complexo celulolítico utilizando celulose bacteriana covalentemente tingida com azul brilhante de Remazol R.

Tiboni, Marcela
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
56.15%
Resumo: O cultivo de colonias de Gluconacetobacter xylinus, convenientemente isoladas a partir de fermentado acetico de vinho tinto em meio caldo Alabama modificado, produziu membranas de celulose bacteriana (CB), as quais foram purificadas atraves de tratamento anionico, confirmado por tecnica de reflexao total atenuada no infravermelho medio. A CB possui diversas vantagens quando comparada com a vegetal, ja que suas fibras sao orientadas de forma randomica, fazendo com que ela possua rapida hidrolise com microrganismos que possuam complexos celuloliticos, propriedade esta explorada no presente trabalho. A utilizacao de fruto-oligossacarideos como fonte alternativa de carbono para crescimento e producao de membranas de CB, utilizando cepa padrao de G. xylinus ATCC 23769, mostrou eficiente aumento no crescimento celular, tanto para o hidrolisado parcial de inulina citrico quanto fosforico (pH 2,5, temperatura de 95 ‹C, tempos 5 e 25 minutos) comparativamente aos cultivos contendo os monossacarideos glucose e frutose. As membranas de CB previamente purificadas foram trituradas e tingidas covalentemente com o corante Azul Brilhante de Remazol R com o objetivo de agir como substrato cromogenico para a deteccao e mensuracao da atividade de enzimas do complexo celulolitico. A ligacao covalente entre o grupo sulfito do corante e o carbono 6 das unidades de anidroglucose...

Descoloração do corante food blue no 1, por meio de uso de fibras silicáticas de amianto (crisotila 5s) como suporte para fungo Ganoderma applanatum; Discoloration of fd&c blue nº 1 dye by asbestos silicate fibers (chrysotile 5s) as support for Ganoderma applanatum Fungus; Decoloración del colorante food blue nº 1, mediante el uso de fibras de amianto silicato (crisotilo 5s) como apoyo para el hongo Ganoderma applanatum

Rabelo, Josely Batista; Campos, Luiza Cintra; Sales, Paulo de Tarso Ferreira; Lacerda, Monike Fabiane Alves Ribeiro; Santiago, Mariângela Fontes
Fonte: Ricardo Menegatti Publicador: Ricardo Menegatti
Tipo: Artigo de Revista Científica
OTHER
Relevância na Pesquisa
126.37%
v.10, n. 1, p. 27 - 50, jan./ mar. 2013.; Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal de Goiás.; Este trabalho teve como objetivo estudar a interferência das fibras silicáticas de amianto (Crisotila 5S) como suporte de cultura dos fungos, tendo como parâmetros de determinações as atividades enzimáticas de lacase, lignina peroxidase e manganês peroxidase como produtos microbianos e a descoloração do corante Food Blue nº 1 por meio da espectrofotometria do visível. Foi utilizado o microrganismo Ganoderma applanatum, as soluções de corante azul brilhante nº 1 e a crisotila 5S. O tratamento biológico foi efetuado em uma mesa agitadora refrigerada à temperatura de 28º C e 180 rpm na ausência de luz, sendo que foram colocados 100 mL de efluente em um erlenmeyer de 250 mL e acrescentado os conteúdos das placas (meio de cultura + fungo) e a crisotila. Os tempos de tratamento foram de 24, 48, 72 e 96 h. Foi observado que para concentração de 0,125 g.L-1, houve significativa degradação do corante pelo G. applanatum e a adsorção da crisotila pelo fungo. Portanto, neste trabalho, o uso de crisotila como suporte para crescimento de fungos em meio líquido, aumentou significativamente a produção enzimática de lignina peroxidase...

Eficiência de aplicação do herbicida 2,4-d amina com diferentes volumes e pontas de pulverização; Efficacy of 2,4-D Amina herbicide application with different nozzles and spray volumes

Souza, Lélio Augusto de
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
25.91%
A tecnologia de aplicação de fitossanitários visa à colocação uniforme do produto no alvo, com mínimas perdas para o solo e por deriva, sendo vários os danos causados pelas perdas desses produtos em áreas cultivadas. Neste contexto, o herbicida 2,4-D Amina representa um produto de grande preocupação ambiental e, ainda, de grande uso na agricultura contemporânea. Desta forma, visando uma maior eficiência no controle de plantas infestantes em operação de dessecação, o presente trabalho teve como objetivo avaliar o processo de aplicação do herbicida 2,4-D Amina, com a utilização de diferentes pontas e volumes de pulverização, quanto à deposição de calda, perdas para o solo, deriva e controle de plantas infestantes. O experimento de campo foi realizado na estação de pesquisa da Syngenta Seeds Ltda, localizada no município de Uberlândia-MG, e a parte laboratorial no Laboratório de Análise de Água do Instituto de Química e no Laboratório de Mecanização Agrícola do Instituto de Ciências Agrárias, ambos na Universidade Federal de Uberlândia. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, com seis tratamentos e quatro repetições, totalizando 24 parcelas, em esquema fatorial 3x2: três pontas de pulverização (ponta de jato plano duplo de pré-orifício...

Metodologia para determinação de corantes artificiais em alimentos por cromatografia liquida de alta eficiencia

Marcelo Alexandre Prado
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/08/1998 PT
Relevância na Pesquisa
26.15%
O controle dos níveis de corantes artificiais utilizados em alimentos não é um procedimento rotineiro, especialmente, peia falta de metodologia adequada capaz de responder à demanda do número de análises e a determinações quantitativas nos mais variados tipos de alimentos, além de se tornar viável para implantação nos laboratórios de controle de nosso pais. Visando superar esse problema, foi desenvolvida e avaliada unia metodologia para a determinação qualitativa e quantitativa dos oito corantes artificiais, permitidos para a utilização em alimentos pela legislação brasileira, utilizando a técnica de cromatografia a líquido de alta eficiência (CLAE). O método desenvolvido foi aplicado na detenninação dos corantes tartrazina, amarelo crepúsculo, amaranto, ponceau 4R, vermelho 40, eritrosina. azul indigotina e azui brilhante, em 10 (dez) diferentes tipos de produtos alimentícios, como pós para gelatina, refrescos em pó, refrigerantes, bebidas isotônicas, sucos concentrados artificiais, sucos natural de frutas, cereais matinais coloridos, baias, gomas de mascar e confeitos. Principalmente, em relação aos métodos oficiais e outros empregados, as vantagens da nova metodologia podem ser resumidas, além da determinação simultânea dos 8 (oito) corantes...