Página 1 dos resultados de 39 itens digitais encontrados em 0.031 segundos

Percepção de coerção em pacientes psiquiátricos, cirúrgicos e clínicos hospitalizados; Perception of coercion in psychiatric and nonpsychiatric (medical and surgical) inpatients

Taborda, José Geraldo Vernet
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
45.8%
Duzentos e cinco pacientes hospitalizados em um grande hospital universitário foram avaliados, em estudo transversal, para a identificação de sentimentos de coerção no momento da hospitalização. A amostra compunha-se de 64 pacientes psiquiátricos, 58 pacientes cirúrgicos e 83 pacientes clínicos, tanto involuntários, quanto voluntários. A voluntariedade dos pacientes psiquiátricos foi determinada por seu status legal e, a dos cirúrgicos e clínicos, pelo caráter eletivo ou emergencial da hospitalização. Os pacientes psiquiátricos eram mais jovens, apresentavam nível educacional mais elevado e escores superiores na escala SRQ em relação aos pacientes cirúrgicos e clínicos. Esses grupos não diferiam entre si no que se refere aos escores em MMSE. O Admission Experience Survey: Short Form e as escalas utilizadas durante o MacArthur Coercion Study, foram aplicados a todos os pacientes. Os resultados indicam que os pacientes psiquiátricos, tanto involuntários quanto voluntários, apresentam significativamente maior percepção de coerção do que os demais. Os pacientes cirúrgicos e clínicos não diferem entre si, entretanto referem haver sofrido também algum nível de coerção, fato que poderia merecer uma atenção maior de bioeticistas e juristas. A análise de regressão logística indica que as variáveis associadas a hospitalização involuntária são Perceived Coercion Scale...

Relação doente/profissional de saúde e adesão terapêutica na cardiopatia isquémica

Augusto, Ana Patrícia Ramos
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
56.08%
Título do Trabalho: Relação doente/profissional de saúde e Adesão Terapêutica na Cardiopatia Isquémica. Enquadramento: A relação estabelecida entre profissionais de saúde e doentes é influenciada por vários fatores e tem sido apontada como forte preditora da adesão à terapêutica (CABRAL; SILVA, 2010). Objetivos: Relacionar variáveis sociodemográficas, de saúde, farmacológicas e os estilos de vida com a RDP; estimar a predição da variável “RDP” na adesão terapêutica no doente com doença cardíaca isquémica. Métodos: Estudo transversal e correlacional; Amostra: 110 utentes (sexo masculino 68,2%, feminino 31,8%). Dados obtidos através de questionário constituído por uma componente sociodemográfica e outra de saúde, uma escala de Avaliação da RDP e uma escala de Avaliação da MAT (DELGADO; LIMA 2001). Resultados: As habilitações literárias influenciam o valor global da RDP (p=0,033). Os indivíduos com rendimento mensal mais elevado possuem um maior nível de informação (p=0,022) e melhor valor global da RDP (p=0,004) e os que têm estilos de vida menos saudáveis consideram melhores as atitudes dos profissionais de saúde. A dificuldade em se deslocar aos serviços de saúde (p=0,015; UMW=770...

Estratégias de coping e adesão ao tratamento farmacológico na doença coronária isquémica

Antunes, Carla Sofia Simões
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
55.93%
Título: Estratégias de Coping (EC) e Adesão ao tratamento farmacológico (ATF) na Doença Coronária Isquémica (DCI). Introdução: A DCI constitui a segunda causa de morte em Portugal. A não adesão ao tratamento é considerada uma das principais razões para a obtenção de resultados clínicos insatisfatórios. Torna-se pertinente estudar factores que possam influenciar a adesão, nomeadamente o Coping, no sentido de a melhorar. Objectivos: Descrever o perfil sociodemográfico e de saúde do doente com DCI; Relacionar as variáveis: sociodemográficas, Stress e Esquema terapêutico complicado com as EC; Relacionar as EC com a ATF. Metodologia: Estudo não-experimental, quantitativo, transversal, descritivo e correlacional, desenvolvido no Centro Hospitalar Cova da Beira. Amostra probabilística por acessibilidade, constituída por 110 indivíduos (68,2% homens, 31,8% mulheres; idade média=66,3 anos, dp=9,78 anos) com diagnóstico de DCI. Questionário que inclui questões para caracterização sociodemográfica e de saúde; Versão portuguesa do Teste de Medida de Adesão aos Tratamentos e do Questionário Brief COPE. Resultados: As variáveis analisadas influenciam a adopção de várias EC (p<0,05). Não foi determinada uma correlação estatisticamente significativa entre as EC e a ATF nos doentes com DCI (p-value>0...

Locus de controlo e adesão à terapêutica em doentes com cardiopatia isquémica

Pimentel, José Artur Reis
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
45.93%
Locus de controlo é uma característica do indivíduo que se refere à sua percepção sobre o controlo dos acontecimentos da sua vida. Característica importante no doente cardíaco, a qual pode influenciar a adesão à terapêutica. Questão de investigação – Em que medida o locus de controlo influencia a adesão à terapêutica nos doentes com cardiopatia isquémica? Objetivos – Associar as variáveis sócio-demográficas, clínicas, sócio-familiares, de serviços de saúde e terapêutica farmacológica com o locus de controlo e posteriormente associar o locus de controlo com a adesão à terapêutica. Metodologia – Estudo transversal, descritivo-correlacional, não-experimental. Realizado em 96 doentes, 78,1% do sexo masculino e 2,19% do sexo feminino, portadores de cardiopatia isquémica que recorreram à consulta. Resultados – O locus de controlo é influenciado na dimensão internalidade pela funcionalidade familiar (p = 0,031) na dimensão acaso pelo índice de massa corporal (p = 0,002) e gastos com medicação (p = 0,003) e na dimensão outros poderosos pelo médico assistente (p = 0,010) e número de comprimido (p = 0,025). Conclusões – O locus de controlo não influencia a adesão à terapêutica. Este facto leva-nos a pensar na hipótese de o estudo sofrer algum viés uma vez que...

Suporte social e adesão terapêutica no doente com síndrome coronária aguda

Pina, Sílvia Mabel Mendes
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
56%
Enquadramento: O suporte social tem sido directamente relacionado com a diminuição da mortalidade dos doentes cardíacos ao promover e melhorar a adesão ao regime terapêutico. (ABREU-RODRIGUES; SEIDL, 2008). Objectivos: Relacionar as variáveis sociodemográficas, as referentes aos serviços de saúde, as referentes à terapêutica farmacológica e os estilos de vida com a satisfação com o suporte social; relacionar suporte social e a adesão terapêutica no doente com Síndrome Coronária Aguda (SCA). Métodos: Estudo transversal e correlacional. Amostra: 110 utentes com SCA, (68,2% masculinos e 31,8% femininos), frequentadores da consulta externa do Hospital Universitário Pêro da Covilhã, de 15 de Maio a 3 Junho de 2011. Usado o questionário, constituído por uma componente sociodemográfica e outra de saúde, uma escala de avaliação da satisfação com o suporte social (PAIS RIBEIRO, 1999) e uma medida de adesão aos tratamentos (DELGADO; LIMA, 2001). Resultados: Os indivíduos com companheiro possuem maior satisfação com o suporte social na satisfação com os amigos (p=0,000), na Intimidade (p=0,006) e no valor global (p=0,007). Os estilos de vida são preditores da satisfação com os amigos (β=0...

Crenças nos medicamentos e adesão à terapêutica farmacológica na cardiopatia isquémica

Saraiva, Olga Maria Alves
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
56.08%
Título do trabalho: Crenças na medicação e Adesão à terapêutica medicamentosa no doente com Cardiopatia Isquémica Introdução: A não adesão é uma problemática importante, no doente com Cardiopatia Isquémica (CI). Torna-se fundamental estudar factores que influenciam a adesão, nomeadamente as crenças nos fármacos (CNF). Objectivos: Descrever o perfil sócio-demográfico, familiar e de saúde do doente com CI; analisar a influência das variáveis sócio-familiares, clínicas e relacionadas com a terapêutica farmacológica nas CNF; analisar a relação entre as CNF e a MAT; estimar a predição das CNF na adesão ao tratamento farmacológico do doente com CI. Metodologia: Estudo do tipo não-experimental, quantitativo, transversal, descritivo-correlacional. Amostra constituída por 110 indivíduos (sexo masculino 68,2%, feminino 31,8%; idade média = 66,3 anos, dp = 9,78 anos). Aplicação de Questionário, sócio-demográfico, clínico de saúde, versão portuguesa da MAT e versão portuguesa do Beliefs about Medicines Questionnaire, especifica. Resultados: As variáveis: idade, stress, e as relacionadas com a terapêutica farmacológica, influenciam as CNF nos doentes com CI (p <0,05). As CNF influenciam a adesão à terapêutica medicamentosa nos doentes com CI (p <0...

Adesão ao tratamento medicamentoso da pessoa portadora de insuficiência renal crónica em hemodiálise

Sousa, Maria Elisabete Pereira; Ribeiro, Olivério Paiva, orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
45.81%
A “Adesão ao Tratamento Medicamentoso da Pessoa portadora de Insuficiência Renal Crónica em Hemodiálise” é um trabalho realizado no âmbito da Unidade Curricular Relatório Final, do Curso de Mestrado em Enfermagem Médico-Cirúrgica da Escola Superior de Saúde de Viseu, tendo como objetivos identificar o nível de adesão ao tratamento medicamentoso e analisar a influencia das variáveis sociodemográficas, sociofamiliares, clínicas, comportamentais e das crenças acerca dos medicamentos. Uma elevada adesão terapêutica contribui para uma menor taxa de hospitalização, com consequente redução dos custos em saúde e minimização do impacto da doença no seio da vida familiar da pessoa, sendo fundamental para o sucesso da terapêutica no contexto de qualquer doença crónica, com é o caso da Insuficiência Renal Crónica. Estudo, quantitativo, descritivo-correlacional de natureza transversal. Amostra não probabilística por conveniência, constituída por 220 doentes IRC em tratamento hemodialítico no Distrito de Viseu. Foi utilizado um questionário, com um conjunto de variáveis em estudo, incluindo a “Escala de crenças acerca dos medicamentos”, “Escala de Apgar Familiar”, “Escala de Apoio Social” e “Escala de Medida de Adesão ao Tratamento”. Verificou-se que 60% dos inquiridos são do sexo masculino e 40% do sexo feminino...

Adesão terapêutica, auto-conceito e doença coronária

Cardoso, Ana Catarina Couto; Dias, António Madureira, orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
45.81%
É universalmente aceite a importância dos factores psicológicos, nomeadamente o auto-conceito, na doença coronária. O modo como a pessoa se vê a si própria poderá exercer influência no indivíduo contribuindo para uma melhor e mais rápida reabilitação, onde a adesão à terapêutica assume um papel primordial. Objectivos: este estudo pretende a) determinar a prevalência da adesão terapêutica; b) associar o auto-conceito com as características sócio-demográficas, sócio-familiares, clínicas, características relacionadas com os serviços de saúde e com a terapêutica farmacológica e c) avaliar a influência do auto-conceito na adesão terapêutica no indivíduo com doença coronária. Metodologia: estudo quantitativo, descritivo-correlacional e transversal em que participaram 96 indivíduos, utilizadores da consulta externa de cardiologia do Centro Hospitalar Tondela Viseu e do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, sendo que 78,1% são do sexo masculino, com idade média de 66,54±10,51anos, 75% casados, 60,4% reformados, 54,2% completou o ensino primário, 53,5% reside na aldeia, 43,8% aufere de um rendimento mensal inferior a 485€, 36,5% referindo ter algumas dificuldades financeiras. Resultados: têm elevada adesão ao tratamento 43...

Qualidade de vida do diabético e cuidados de enfermagem : perspectiva dos adolescentes

Marinho, Catarina Andreia Rosa Saraiva; Rocha, Amarílis Pereira, orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
55.95%
Enquadramento: A vida de um adolescente pode ser alteradaapós o diagnóstico de diabetes.Tratando-se de uma doençaincurável é preciso investir no seu tratamento de modo a obteruma melhor qualidade de vida para o adolescente e família. Superar o sentimento de viver com uma doença crónica de modo a alcançar uma boa qualidade de vidarequer atenção primordial da equipa de enfermagem que presta cuidados ao adolescente. Objectivos: Avaliar a qualidade de vida em adolescentes com diabetes que frequentam a consulta externa do Hospital; analisar a sua opinião acerca dos cuidados de enfermagem; relacionar a opinião de adolescentes diabéticos sobre os cuidados de enfermagem com a sua qualidade de vida e identificar variáveis sociodemográficas e clinicas que influenciem a Qualidade de Vida dos adolescentes e a sua opinião sobre os cuidados de enfermagem. Métodos:O nosso estudo desenvolveu-secom uma amostra de 47 adolescentes que frequentam a consulta externa de diabetologia pediátrica do Centro Hospitalar Tondela- Viseu. Para o cumprimento dos objectivos delineamos uma investigação de natureza quantitativa, descritiva, correlacional. O questionário aplicado comporta a caracterização sócio demográfica da amostra e os dados clínicos...

Estilos de vida e vigilância de saúde sexual e reprodutiva da mulher portuguesa

Ferreira, Sofia Marques Grilo; Ferreira, Manuela Maria Conceição, orient.; Duarte, João Carvalho, co-orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
45.83%
Enquadramento: Verifica-se que a atitude das mulheres em relação á realização do rastreio é determinante para a incidência do cancro do colo do útero e do cancro da mama, sendo este um evidente problema de saúde pública. Objectivos: Objectivamos com este estudo, identificar os factores associados à adesão das mulheres à vigilância de saúde sexual e reprodutiva; analisar em que medida os conhecimentos das mulheres acerca do autoexame e do cancro do colo do útero e o estilo de vida estão relacionados com a adesão à vigilância de saúde sexual e reprodutiva. Método: Trata-se de um estudo de natureza quantitativa, não experimental, descritivo, correlacional e transversal, com uma amostra constituída por 522 mulheres com idades compreendidas entre os 18 e os 67 anos que frequentam os cuidados de saúde primários nos ACES DÃO LAFÕES I, II, III. Resultados: Em relação às variáveis sociodemográficas e profissionais verificamos que os grupos etários, o estado civil, o agregado familiar, as habilitações literárias, a profissão e o número de filhos foram preditores da adesão à vigilância de saúde sexual e reprodutiva. A realização do autoexame da mama e os conhecimentos acerca do cancro do colo do útero (CCU) mostraram ser preditores da adesão à vigilância de saúde sexual e reprodutiva. Nas crenças de saúde acerca do autoexame da mama e do cancro da mama (AEM e CM) na escala global...

Perceção dos profissionais de saúde face à adesão dos utentes aos programas de reabilitação

Batista, Ana Rita Almeida
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
45.8%
Introdução – A adesão aos programas de reabilitação constitui uma fonte de preocupação transversal a todos os profissionais de saúde. Com o evoluir dos tempos o utente deixou de ter um papel passivo relativamente às prescrições médicas e passou a ter uma responsabilização individual pelo seu estado de saúde e controlo da sua doença. Porém, a taxa de incumprimentos continua ainda particularmente elevada.Nestaperspectiva, o objectivo central deste estudo é determinar a influência dos determinantes sociodemográficos e de contexto laboral na perceção dos profissionais de saúde face à adesão dos utentes aos programas de reabilitação. Métodos – Trata-se de uma pesquisa do tipo quantitativa, transversal, descritivo correlacional, recorrendo a uma amostra não probabilística constituída por 98 profissionais de saúde, com idades compreendidas entre os 22 anos e os 58 anos ( ̅ = 39,80; Dp= 9,96) e maioritariamente do sexo feminino (58,16%). O instrumento de colheita de dados incorporou uma ficha de caraterização sóciodemográfica e profissional, e uma escala de medida validada e aferida para a mensuração da perceção da adesão. Resultados – O score da perceção dos profissionais de saúde face à adesão dos utentes aos programas de reabilitação é de 6...

Adesão ao regime terapêutico na pessoa com diabetes mellitus tipo 2 : A importância da educação terapêutica

Correia, Carla Isabel Silva
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 14/05/2014 POR
Relevância na Pesquisa
55.93%
Introdução: É expectável que as pessoas com diabetes, tal como acontece com a generalidade das doenças crónicas, ao longo das suas vidas, integrem, cumpram e sequenciem um leque de ações comportamentais, terapêuticas ou preventivas, o que sugere o risco confirmado de ocorrer uma falta de adesão globalizada, deteriorando a sua qualidade de vida e exponenciando o impacto económico. Face a este enquadramento, o objetivo central deste trabalho pretende determinar a prevalência da adesão ao esquema terapêutico prescrito, com o intuito de reconhecer a educação terapêutica como fornecedora de ferramentas essenciais ao empowerment do doente. Métodos: Conceptualizámos um estudo de natureza quantitativa, transversal, descritivocorrelacional, recorrendo a uma amostra não probabilística constituída por 102 pessoas com diabetes tipo 2, com idades compreendidas entre 40 e 85 anos (M=63,24 ±10,47Dp) e maioritariamente do sexo masculino (51,96%). Utilizámos instrumentos de medida validados para a população portuguesa: Escala de Adesão ao Tratamento, Escala de Autocuidados com a Diabetes, Questionário de Conhecimentos sobre a Diabetes, Escala de Ansiedade Depressão e Stress (EADS-21). Recorremos também aos valores de HbA1c para avaliar diretamente a adesão. Resultados: Os inquiridos apresentam uma média de adesão ao tratamento de 67...

Monitorização da Adesão à Terapêutica Médica do Glaucoma

Amaral, A; Leitão, P; Silva, JP; Silva, J; Reina, M
Fonte: Sociedade Portuguesa de Oftalmologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
55.81%
Introdução: A adesão à terapêutica antiglaucomatosa é fundamental na redução e controlo da pressão intra-ocular. O glaucoma, por ser uma doença crónica e inicialmente assintomática, tem um risco aumentado de não cumprimento terapêutico. Este estudo tem como objectivo a avaliação da adesão à terapêutica médica do glaucoma (estrita e relativa), através da utilização de um dispositivo de registo electrónico (DRE). Material e Métodos: Estudo prospectivo que incluiu 21 doentes, com glaucoma ou hipertensão ocular. Um e três meses após a visita inicial, procedeu-se ao preenchimento de um questionário relativo à compliance e analisaram-se os dados registados no DRE. Resultados: A idade média dos doentes era 62,4 anos (± 19,2), 52% do sexo masculino e 48% do sexo feminino. A compliance média relativa foi de 77,9% no primeiro mês e de 78,7% no final do terceiro mês. A compliance média estrita foi de 56,7% e de 53.3% no final do primeiro e terceiro mês, respectivamente. A maioria dos doentes sentiu facilidade (80,9%) e deseja continuar (85,7%) a utilização do mesmo. Conclusão: A adesão à terapêutica médica do glaucoma, factor importante no controlo desta patologia, pode ser avaliada de forma simples e objectiva através da utilização de um dispositivo de registo electrónico.

Adesão nos Doentes Transplantados

Telles-Correia, D; Barbosa, A; Mega, I; Barroso, E; Monteiro, E
Fonte: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
56.03%
Com base na literatura existente abordam-se os principais aspectos psiquiátricos relacionados com a adesão no transplante. Projectam-se vários modelos teóricos que podem ser utilizados no âmbito da adesão, entre os quais se destacam o modelo da hipótese cognitiva da adesão (Ley), o modelo de crenças da saúde (Rosenstock, Becker) e o modelo de autoregulação de Leventhal e propõe-se um modelo que se adequa ao doente transplantado. Não sendo possível uma classificação mono dimensional da adesão, consideraram-se várias características como a temporalidade (inicial, intermédia ou contínua), a frequência (ocasional, intermitente, persistente ou completa), a motivação (acidental, vulnerável ou decidida) e a certeza diagnóstica (definitiva, provável, possível ou pouco provável). Dos métodos para a medição da adesão podemos classificá-los como directos: observação directa da toma dos comprimidos, medição da concentração de fármaco no sangue, uso de marcadores incorporados nos comprimidos e de embalagens electrónicas; e indirectos: autorelato do doente, relato do médico assistente. Sugerese aquele que mais se adequa ao doente transplantado. A não adesão em doentes transplantados é muito frequente sendo a sua prevalência média de 25...

Monitorização da Adesão à Terapêutica Médica do Glaucoma

Amaral, A; Leitão, P; Silva, JP; Silva, J; Reina, M
Fonte: Sociedade Portuguesa de Oftalmologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
55.81%
Introdução: A adesão à terapêutica antiglaucomatosa é fundamental na redução e controlo da pressão intra-ocular. O glaucoma, por ser uma doença crónica e inicialmente assintomática, tem um risco aumentado de não cumprimento terapêutico. Este estudo tem como objectivo a avaliação da adesão à terapêutica médica do glaucoma (estrita e relativa), através da utilização de um dispositivo de registo electrónico (DRE). Material e Métodos: Estudo prospectivo que incluiu 21 doentes, com glaucoma ou hipertensão ocular. Um e três meses após a visita inicial, procedeu-se ao preenchimento de um questionário relativo à compliance e analisaram-se os dados registados no DRE. Resultados: A idade média dos doentes era 62,4 anos (± 19,2), 52% do sexo masculino e 48% do sexo feminino. A compliance média relativa foi de 77,9% no primeiro mês e de 78,7% no final do terceiro mês. A compliance média estrita foi de 56,7% e de 53.3% no final do primeiro e terceiro mês, respectivamente. A maioria dos doentes sentiu facilidade (80,9%) e deseja continuar (85,7%) a utilização do mesmo. Conclusão: A adesão à terapêutica médica do glaucoma, factor importante no controlo desta patologia, pode ser avaliada de forma simples e objectiva através da utilização de um dispositivo de registo electrónico.

Adesão nos Doentes Transplantados

Telles-Correia, D; Barbosa, A; Mega, I; Barroso, E; Monteiro, E
Fonte: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
56.03%
Com base na literatura existente abordam-se os principais aspectos psiquiátricos relacionados com a adesão no transplante. Projectam-se vários modelos teóricos que podem ser utilizados no âmbito da adesão, entre os quais se destacam o modelo da hipótese cognitiva da adesão (Ley), o modelo de crenças da saúde (Rosenstock, Becker) e o modelo de autoregulação de Leventhal e propõe-se um modelo que se adequa ao doente transplantado. Não sendo possível uma classificação mono dimensional da adesão, consideraram-se várias características como a temporalidade (inicial, intermédia ou contínua), a frequência (ocasional, intermitente, persistente ou completa), a motivação (acidental, vulnerável ou decidida) e a certeza diagnóstica (definitiva, provável, possível ou pouco provável). Dos métodos para a medição da adesão podemos classificá-los como directos: observação directa da toma dos comprimidos, medição da concentração de fármaco no sangue, uso de marcadores incorporados nos comprimidos e de embalagens electrónicas; e indirectos: autorelato do doente, relato do médico assistente. Sugerese aquele que mais se adequa ao doente transplantado. A não adesão em doentes transplantados é muito frequente sendo a sua prevalência média de 25...

Treatment of Inflammatory Bowel Disease: Is your Patient at Risk of Non-Adherence?; Tratamento da Doença Inflamatória Intestinal: Estará o seu Doente em Risco de Não Adesão?

Magalhães, Joana; Serviço de Gastrenterologia. Centro Hospitalar do Alto Ave. Guimarães. Portugal.; Dias de Castro, Francisca; Serviço de Gastrenterologia. Centro Hospitalar do Alto Ave. Guimarães. Portugal.; Boal Carvalho, Pedro; Serviço de Gastren
Fonte: Ordem dos Médicos Publicador: Ordem dos Médicos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 31/10/2014 ENG
Relevância na Pesquisa
56%
Introduction: Adherence to therapy is a key factor when analyzing the efficacy of a treatment in clinical practice. The aim of our study was to assess the frequency of non-adherence to treatment among patients with inflammatory bowel disease and evaluate which factors could be related.Material and Methods: One hundred thirty eight consecutive inflammatory bowel disease outpatients (55.8% with Crohn’s disease and 44.2% with Ulcerative Colitis) filled in an anonymous questionnaire, which included information about demography, duration of the disease, specific therapy for inflammatory bowel disease, and data possibly related to extent of non-adherence to treatment. Statistics were performed with SPSS v.18.0. Categorical variables were compared with Fisher’s exact test. A p value < 0.05 was considered statistically significant. Significant variables in univariate analysis were included in the logistic regression analysis.Results: Overall non-adherence was reported by 29.7% of patients. 70.7% of them reported unintentional non-adherence and 51.2% forgot at least one dose per week. Non-adherence was statistically associated with: short disease duration (p < 0.001); young age (p = 0.001); topical aminosalicylates (p = 0.005); the perception that medical therapy isn’t effective enough (p = 0.007) and high educational level (p = 0.011). In a logistic regression analysis...

Comportamentos de adesão ao rastreio do cancro do colo do útero

Areias, Paula Alexandra Pombo Pereira
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
55.83%
Enquadramento: O cancro do colo do útero é o segundo tipo de cancro mais frequente na mulher, a adesão ao rastreio possibilita a identificação do problema numa fase precoce. Objectivos: O nosso estudo tem como objectivo analisar em que medida as características sóciodemográficas e profissionais, os conhecimentos em relação ao cancro do colo do útero e rastreio, as crenças de saúde afectam a adesão ao rastreio. Métodos: Realizamos um estudo de natureza quantitativa, não experimental, explicativo, descritivo, correlacional, transversal, retrospectivo. O estudo foi realizado através da aplicação de um questionário, onde exploramos os dados sóciodemográficos, os conhecimentos acerca do cancro do colo do útero e do rastreio e as crenças de saúde. O questionário foi aplicado a 306 mulheres inscritas no ACES Dão Lafões I, com idades compreendidas entre os 24 e os 64 anos, que se encontravam nas salas de espera dos vários serviços. Resultados: Quando analisada a adesão ao rastreio do cancro do colo do útero, verificou-se que a maioria das mulheres faz o rastreio. As mulheres que apresentam maior adesão ao rastreio do cancro do colo do útero, são as que se encontram casadas ou a viver em união de facto...

Adesão terapêutica numa mulher com depressão major: perspetiva da doente

Figueiredo, Maria Lurdes Monteiro; Cruz, Carla Maria Viegas Melo, orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
56.14%
Adesão Terapêutica numa Mulher com Depressão Major: Perspetiva da Doente. Introdução: A depressão encontra-se reconhecida no Plano Nacional de Saúde Mental 2007-2016: Resumo Executivo como um problema primordial de saúde pública; é a principal causa de incapacidades e a segunda causa de perda de anos de vida saudáveis entre as 107 doenças e problemas de saúde mais relevantes. A mulher sofre mais de depressão do que o homem numa proporção de 2:1, tendendo para a cronicidade em cerca de 20% dos casos, por ineficácia do tratamento ou fraca adesão à terapêutica, sendo a adoção de estratégias, crucial para minimizar este problema. Face a esta problemática da adesão à terapêutica, decidimos: Identificar fatores que influenciam o comportamento de adesão da doente ao regime terapêutico, conhecer a influência das estratégias usadas pelos profissionais de saúde no comportamento de adesão da doente ao regime terapêutico, conhecer a influência das estratégias utilizadas pela doente para aderir ao regime terapêutico. Metodologia: Ao desejarmos saber se “a mulher com depressão major adere ao regime terapêutico instituído”, optamos pela realização de um estudo qualitativo, fenomenológico e descritivo: estudo de caso...

Hemovigilância: desenvolvimento de um sistema de segurança do doente em Medicina Transfusional

Condeço, Jorge
Fonte: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto Publicador: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
65.95%
Os Sistemas de Vigilância devem ser parte integrante e integrada dos Sistemas de Saúde, devendo ser capazes de detetar e prevenir os Problemas de saúde dos indivíduos e das populações. A hemovigilância corporiza-se por um ciclo sistemático de ações, que se iniciam com a recolha dos dados relevantes, realizado de um modo regular, frequente e periódico, seu ordenamento, consolidação, e interpretação descritiva e análise de tendências temporais e na estimativa de taxas. Focaliza-se ainda na disseminação rápida do verificado aos profissionais que participaram na recolha de dados, assim como a outros decisores que dela necessitem para levar a cabo ações de controlo e prevenção. O presente trabalho teve como Objetivo conhecer em profundidade os “porquês” e o “como” do desenvolvimento do Sistema de Hemovigilância Português evidenciando a sua unidade e identidade próprias identificando pistas para a explicação da sua implementação. O desenho aplicado foi um estudo de caso, sob a forma de caso histórico. Procurou-se reconstituir a evolução do sistema Português de Hemovigilância durante o período de tempo que decorreu entre 1995 e a atualidade. A implementação de um sistema de vigilância...