Página 1 dos resultados de 2882 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Aleksandr Nikoláevitch Afanássiev e o conto popular russo; Aleksandr Nikoláevitch Afanássiev and the Russian folktale

Carolinski, Flavia Cristina Moino
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/05/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.13%
A coletânea Contos populares russos, lançada de 1855 a 1863 em oito volumes, foi resultado do cuidadoso trabalho de Aleksandr N. Afanássiev (1826-1871), responsável pela reunião e publicação de cerca de 600 textos presentes nessa obra, que ganhou destaque por ser a primeira coletânea de contos populares russos de caráter científico, tornando-se assim um importante material de estudo, além de apresentar a poesia e o humor inerentes aos contos. Esta dissertação tem o objetivo de apresentar a trajetória desse pesquisador, que se dedicou não somente ao conto mas também a outras manifestações folclóricas, assim como traçar a evolução da presença do conto popular na vida literária e científica russa, fato que proporcionou o surgimento de diversos estudos folclorísticos, e apresentar alguns traços recorrentes do conto de magia. Para tanto, as pesquisas de Vladímir Propp, que muito se dedicou à cultura popular, em especial ao conto de magia, foram de extrema importância. Esta dissertação apresenta ainda a tradução de onze contos de magia, cujo critério de seleção foi a presença das diferentes representações do personagem folclórico Baba-Iagá, e um breve estudo dos seus traços de acordo com as teorias proppianas.; The collection Russian folktales...

A produção escrita de conto e causo em Cadernos de Apoio e Aprendizagem: Língua Portuguesa; The production of written conto and causo in Cadernos de Apoio e Aprendizagem: Língua Portuguesa

Silva, Flavia Aparecida da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.27%
O ensino de produção escrita de textos literários está presente em livros didáticos de língua portuguesa desde as primeiras coletâneas com os exercícios de composição, quando se propunha o texto literário como modelo para ensinar a escrever de forma elaborada. Avaliações municipais da cidade de São Paulo apontam que muitos alunos do segundo ciclo do Ensino Fundamental apresentam dificuldades na elaboração de um texto escrito. Nesse sentido, o objetivo desta dissertação é descrever e analisar as atividades didáticas de produção escrita de conto e de causo de alunos do 6º ano do ensino fundamental, procurando identificar os procedimentos linguístico-discursivos que orientam essas propostas. O corpus selecionado é o material didático da rede municipal da cidade de São Paulo - Cadernos de Apoio e Aprendizagem: Língua Portuguesa, dirigido a alunos e professores do Ensino Fundamental II, publicado em 2010 e editado pela Fundação Padre Anchieta. Três questões nortearam a análise dos dados coletados: 1) Como as propostas de produção escrita contextualizam socialmente o conto e o causo? 2) Que atividades apresentam e discutem as características discursivas e textuais do conto e do causo? 3) Como são desenvolvidas as estratégias linguísticas e discursivas da produção escrita? A fundamentação teórico-metodológica centra-se na teoria bakhtiniana...

Machado de Assis e a crítica à escola de seu tempo: uma ideia de formação nos contos "Um cão de lata ao rabo", "O programa" e "Conto de escola"; Machado de Assis and the criticism of the school of his time: an idea of formation in his short-stories "Um cão de lata ao rabo (A dog with a can in his tail)", "O programa (The program)", and "Conto de escola (A school short-story)"

Gimenes, Alessandra Maria Moreira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/11/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.13%
Esta tese relaciona História, Literatura e Educação, a partir da investigação dos contos Um cão de lata ao rabo (1878), O programa (1882) e Conto de escola (1884), de Machado de Assis. Fontes de nosso estudo, sua análise objetiva entender a maneira pela qual esses três textos representam a educação de seu tempo a segunda metade do século XIX no Brasil , suas ideias sobre a formação do cidadão, a maneira como é representada a escola e seu papel na formação das personagens. Ao trazerem a escola, seu cotidiano, o perfil de professores e alunos, as narrativas apresentam, no desenvolver de suas tramas, nas ações dos protagonistas e nos diferentes discursos (narrador, personagem, autor implícito), uma determinada concepção de formação pela educação escolar e que aparece nas diferentes vozes que se mesclam e conduzem o leitor para as questões da época, razão pela qual nossa investigação priorizou a perspectiva histórica. Para apreender essas vozes, adotamos como apoio teórico o estudo de Bakhtin sobre o discurso, em Marxismo e filosofia da linguagem (2006). As conclusões apontam para a crítica do autor a um princípio de formação pela educação que vê o indivíduo como sujeito que deve ser moldado segundo regras impostas pela sociedade e não leva em conta nem a subjetividade...

O conto machadiano : uma experiência de vertigem

Pereira, Lucia Serrano
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.08%
O presente trabalho consiste na formulação, no desenvolvimento e exame da hipótese de que o conto de Machado de Assis produz um “efeito de vertigem”, desestabilização inquietante na leitura, corte com uma pretensa linearidade, e que, sustentamos, encontra-se ligado à estrutura da narrativa. O “efeito de vertigem” apresenta-se em contos que, podemos dizer, são representativos da força do estilo de Machado, por uma razão não qualquer – funcionam como “operadores de passagem”: a vertigem joga com continuidade/descontinuidade, fascínio/ perturbação, as simultaneidades, o enigma na lida com os limites, com o real, na ficção e na vida. Encontramos nos contos, na proximidade e em relação ao efeito de vertigem, o trato ficcional que põe em questão as descontinuidades fundamentais, interrogantes da condição humana – o sexo e a morte; as mesmas que configuram as perguntas que se colocaram para Freud, em toda sua obra, pelo viés da clínica psicanalítica. A verdade subjetiva tem íntima relação com a ficção, portanto escolhemos seguir examinando a proximidade da forma da narrativa machadiana com sua vertigem, do trabalho de Freud com as “passagens” na relação ao inconsciente (aqui ganha destaque a relação entre o chiste...

Fragmentos e diálogos : história e intertextualidade no conto de Caio Fernando Abreu

Porto, Luana Teixeira
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.08%
Este trabalho aborda a produção contística de Caio Fernando Abreu, centralizando a análise de suas narrativas curtas sob o enfoque das suas formas de composição. Nesse sentido, foram priorizadas reflexões sobre a fragmentação formal dos textos, os diálogos entre literatura e história presentes em contos do escritor e as relações intertextuais que caracterizam grande parte de sua obra. Todos esses elementos são examinados com o objetivo de investigar a construção dos contos do escritor com base na análise da forma de seus textos, considerando traços do gênero conto, a fragmentação formal das narrativas curtas do escritor e os diálogos que sua literatura estabelece com a história e com outros textos, como as letras de canções. Contos das obras O ovo apunhalado, Morangos mofados e Ovelhas negras constituem objeto de estudo. As análises dos contos são amparadas em autores como Edgar Allan Poe, Julio Cortazar, Luis Barrerra Linares, Gustavo Luis Carrera e Ricardo Piglia, entre outros, que tecem considerações teórico-críticas acerca do conto enquanto gênero literário; a fragmentação da forma narrativa do conto é abordada com base nas proposições de Walter Benjamin e Theodor Adorno; e Julia Kristeva, Laurent Jenny...

Destecendo Fadas : a subversão do conto de fadas tradicional em A moça tecelã de Marina Colasanti

Rosa, Andressa Vieira da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.2%
Este trabalho visa perceber como a autora Marina Colasanti, através de seu conto A Moça Tecelã, desconstrói o conto de fadas tradicional, modifica o papel da mulher e subverte a própria estrutura do conto. Para tal fim, o trabalho começa tratando a historicidade dos contos de fadas clássicos, sua significação e sua chegada ao Brasil. Em seguida, apresenta as principais teorias do gênero conto e um breve panorama do conto brasileiro. Por fim, discute o papel da mulher, contextualiza a autora Marina Colasanti e analisa o conto A Moça Tecelã.

A Hora do Conto no cotidiano escolar: reflexões sobre o ler e o contar na rotina de duas professoras dos anos iniciais

Silva, Valéria Santos da
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 166 f.
POR
Relevância na Pesquisa
37.08%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Educação - FCT; Esta pesquisa está vinculada à linha “Infância e Educação” do Programa de Pós-Graduação em Educação da FCT/Unesp, campus de Presidente Prudente e, por esse motivo, investigou os processos educativos, em especial, procurou saber como Hora do Conto é conduzida e desenvolvida no cotidiano escolar, tendo como referência a rotina de duas professoras do 2º ano de séries iniciais do Ensino Fundamental. Dessa maneira, este estudo objetivou compreender e refletir se essa prática contribui e se possui alguma relação com a formação do leitor, tendo como perspectiva teórica, estudos que abrangem a oralidade, contação de histórias, performance e leitura. Nos últimos anos, o Brasil tem ocupado as últimas colocações entre os países com bom desempenho leitor, o que preocupa as autoridades competentes. Desse modo, projetos, como a Hora do Conto e Sala de leitura, vêm sendo implantados nas escolas brasileiras no intuito de solucionar esses índices e, segundo a fala da maioria dos docentes que participam de tais ações, eles podem ser considerados como valiosos instrumentos na formação do leitor. Um bom exemplo é a Hora do Conto...

O conto popular português

Faria, Rui Miguel Ventura do Couto Tavares de
Fonte: Porto : [Edição do Autor] Publicador: Porto : [Edição do Autor]
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.13%
O trabalho intitulado O Conto Popular Português estrutura-se em quatro capítulos. No capítulo I, descreve-se brevemente a história do conto português para-popular ou supostamente (digamos), desde a Idade Média até meados do Século XIX. No capítulo II, procede-se à apresentação e à anélise das recolhas de contos populares portugueses feitas por Adolfo Coelho, Teófilo Braga, Consiglieri Pedroso, José Leite de Vasconcelos, Francisco de Ataíde Oliveira, de 1875 a 1915. Neste capítulo, faz-se uma inventariação, descrição e classificação dos diferentes corpora. O capítulo III apresenta as propostas de classificação dos contos populares a nível internacional e as referências ao conto popular português em catálogos estrangeiros, nomeadamente no espanhol, de Camarena & Chevalier, e no brasileiro, de Bráulio do nascimento. O capítulo IV reflecte sobre a teoria do conto popular português. No final do trabalho apresenta-se duas cronologias anotadas: uma referente à publicação de contos populares portugueses de 1870 a 2007 e outra de estudos sobre o conto popular português.

"O homem que engoliu a lua” : do conto fantástico à literatura infantil

Ramos, Ana Margarida; Ramos, Rui Lima
Fonte: Universidade do Minho. Instituto de Estudos da Criança Publicador: Universidade do Minho. Instituto de Estudos da Criança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2003 POR
Relevância na Pesquisa
37.08%
Pretende este poster dar conta, esquematicamente, de duas leituras possíveis, decorrentes de duas edições do conto «O tombo da lua» / «O homem que engoliu a lua», de Mário de Carvalho, com destinatários preferenciais distintos (uma edição para adultos e outra para crianças), procedendo à análise de elementos temáticos e formais / estilísticos. Problematiza a questão da estratégia editorial, teoricamente um elemento externo à definição do texto literário, no desenho do conceito e das fronteiras da Literatura Infantil. Assim, o conto em questão adquire contornos substancialmente diferentes mediante as competências e a enciclopédia dos leitores que com ele interagem: num caso, trata-se de um conto inserido numa colectânea, percorrida por uma linha de coesão orientadora de uma leitura global, numa edição para leitores adultos, sem ilustrações; noutro caso, trata-se da publicação de um conto isolado, ilustrado, num suporte físico e com um grafismo usuais nas publicações para a infância, à qual nem falta a inscrição paratextual do nível etário a que se destina («a partir dos 8 anos», pode ler-se na contracapa).; Fundação para a CIência e a Tecnologia.; Instituto de Inovação Educacional.

Mutações do conto nas sociedades contemporâneas

Keating, Maria Eduarda, org.; Álvares, Cristina, org.; Núñez Sabarís, Xaquin, org.; Sousa, Sérgio Guimarães de, org.; Teixeira, Rita Roque Gameiro Tenreiro Patrício, org.; Silva, Marie-Manuelle, org.; Osório, Maria Salomé Faria Braga, org.; Gil,
Fonte: Húmus Publicador: Húmus
Tipo: Livro
Publicado em /07/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.08%
GÉNERO ANCESTRAL, o conto tem exercido ao longo dos tempos a função social de transmitir a memória cultural, reinventando-se e readaptando- se continuamente a novas condições sociais, tecnológicas e ideológicas, nomeadamente as das sociedades pós-modernas. O ritmo, preocupações e formas de comunicação característicos da vida urbana e da cultura de massas contemporâneas levaram ao aparecimento de novas modalidades do conto, marcadas por hibridismos de vária ordem (linguísticos, culturais, genológicos), nos mais variados contextos de comunicação e nos mais diversos suportes físicos. Na intersecção do conto tradicional, da literatura e da cultura de massas, focando muitas vezes temáticas semelhantes e testemunhando das preocupações dos homens e mulheres das cidades contemporâneas, o conto transformou- -se e multiplicou-se, atravessando hoje as artes digitais e as “artes da rua”, os ecrãs de tablets e ipods, assim como os locais de encontro das nossas cidades.; Fundação para a Ciência e a Tecnologia, UE, COMPETE, QREN

O conto literário: a memória da tradição

Duarte, Noélia de Lurdes Vieira
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 15/02/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.13%
Tese de Doutoramento em Estudos Literários (Literatura Portuguesa).; "O objectivo central deste trabalho é o de estudar o conto como género que exibe traços característicos das formas literárias que estiveram na sua origem. Considerando que ele preserva, em todo o seu percurso, a memória da tradição, partiu-se da observação das particularidades do mito e do conto da literatura de expressão oral, identificado como uma aprendizagem transmitida de geração em geração, demonstrando de que modo e por que razão esta herança ancestral foi mantida ao longo dos tempos, auxiliando na constituição do que aqui será denominado modelo pedagógico do conto literário. Nesta mesma formação participa também a tradição literária do exemplum. Esta questão histórico-literária remete para o modo como o moralismo cristão, muito influente em Portugal durante a Idade Média e Renascimento, contribuiu para que a função socializadora da forma oral e o princípio moral se sobrepusessem ao exercício do puro prazer estético, com o qual está também relacionado o desenvolvimento da forma literária do conto. Como tal, o procedimento seguido consistiu em seleccionar momentos significativos ou grandes linhas evolutivas que testemunhassem a manutenção dessa memória ao longo dos tempos. Neste caso...

O conto tradicional em contexto sala de aula

Amaral, Júlia Maria Torneiro
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.08%
O presente trabalho pretende salientar a utilidade e atualidade do conto a vários níveis: enquanto estimulante da imaginação, como promotor nato de bons hábitos de leitura e veículo de transmissão de saberes sociais, culturais e afetivos. Por esse fato, os contos são uma excelente matéria-prima e, trabalhados em termos pedagógicos, criam pontes entre os diferentes momentos e etapas da vida do aluno. Todas estas caraterísticas levaram a que nos interessássemos pela análise dos manuais escolares de Espanhol Língua Estrangeira, com os quais trabalhámos no Estágio, em busca da sua presença e de propostas de trabalho elaboradas com base nessa tipologia textual. Esses manuais constituem um material de apoio ao professor e ao aluno imprescindível ao seu trabalho e estudo diário, pelo que é importante atestar a qualidade e pertinência das atividades que apresentam. Esta pesquisa não aparece de forma isolada, mas integrada num Relatório de Estágio, num contexto de prática pedagógica. Deste modo, a análise dos manuais assume uma relevância maior, por ser mais pessoal e feita tendo por base os principais documentos que regem o processo de ensino/aprendizagem. É também pessoal a reflexão que fizemos sobre a prática pedagógica que realizámos na Escola Básica dos Segundo e Terceiro ciclos de Tortosendo e que inclui a caracterização da escola e das turmas...

Hora do conto: atividade pedagógica que estimula o gosto pela leitura

Dias, Vitor Gonçalves; Dutra, Lidiane Fonseca
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.08%
O uso da hora do conto é fundamental para transformar pessoas em seres críticos e com coragem e capacidade de enfrentar a sociedade. A hora do conto destina-se a divulgar a leitura, estimular o gosto pela mesma, proporcionando, às crianças em particular, momentos de alegria, descontração e desenvolvimento intelectual e moral, facilitando assim o processo de amadurecimento. Outros aspectos proeminentes são as utilizações da hora do conto na biblioteca escolar, como meio de divulgar a instituição como espaço responsável pelo armazenamento e disponibilização de informações e também no grande papel dos narradores de histórias, que têm a responsabilidade de transmitir o conto até o leitor, participando efetivamente do desenvolvimento cultural desse.; The use of the fairy tale time is essential to transform people into critics beings and with courage and ability to cope with society. The fairy tale time is intended to spread the reading, stimulate the taste for it, providing, for children in particular, moments of joy, relaxation and intellectual and moral development, thus facilitating the process of maturing. Other aspects are prominent use of the fairy tale time in the library school, as a means of disseminating the institution as an area responsible for storing and providing information and also by the great role of stories narrators...

O lugar de Luandino Vieira na tradição do conto angolano

Andrade, Joelma Gomes dos Santos Cheng de; Vieira, Anco Márcio Tenório (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Tese de Doutorado
BR
Relevância na Pesquisa
37.08%
Dissertar a respeito da narrativa angolana é algo que se faz necessário, ou mesmo imperioso, se pensarmos na lacuna existente no tocante ao estudo das narrativas curtas que se espalham no campo do conto e da estória. Sobre o conto angolano muito pouco se disse de forma sistemática. A escrita desta tese tem por fito executar um olhar analítico sobre as narrativas breves de José Luandino Vieira, no intuito de pensar que contribuições trazem suas composições para o gênero pouco estudado no escopo das produções literárias angolanas. Inserir o autor no seu contexto de produção requer uma incursão por teorias do conto como as de Poe (2009), Lancelotti (1965), Piglia (2004), observando a expressão do gênero em Angola a partir da leitura de críticos como Laura Padilha (2007) e Carlos Ervedosa (1979), desenhando seu percurso histórico de realização, passando por questões que envolvem ainda suas relações com a narrativa oral tradicional, o mussosso, amparados pelo trabalho de estudiosos como Ribas (1964), A. Hampaté Bâ (2011) e Chatelain (1964); exige lançar um olhar analítico sobre a formação do gênero no referido cenário literário, investigando suas etapas de transformação, passando pelos citados movimentos que...

Despertar para o pensar: o conto como suporte textual em filosofia para crianças

Murta, Maria Jacinta Vida-Alegre e
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.13%
Despertar para o pensar, O conto como suporte textual em Filosofia para Crianças propõe um estudo em que se estabelece que o desenvolvimento do pensar da criança se pode dar a partir do seu contacto com textos específicos. O estudo que fizemos desenvolveu-se partir de uma análise de textos tendo como referências uma selecção feita sobre a colectânea de “estórias” dos irmãos Grimm e as novelas filosóficas de Matthew Lipman. Partindo do pressuposto que os contos de fadas podem ser mais de que um entretém lúdico, é na obra de Bruno Bettelheim que se revelam as possibilidades destes que até então teriam sido ignoradas. A partir da sua análise, e encontrando a novela filosófica desenvolvida por Matthew Lipman, propusemo-nos analisar o conto de fadas tanto como possibilidade filosófica para a criança, como patamar para um pensar melhor e por si mesma. Fazendo uma análise das partes constituintes do conto de fadas e respectiva importância para a criança encontramos neste elementos que motivam o desenvolvimento do seu pensar. Partes que denominámos O princípio, o meio e o fim, O mundo do faz-de-conta, E todos viveram felizes para sempre e O recurso nos contos de fadas à metáfora, ao simbólico e ao non-sense revelaram-se possibilidades que subtraem a criança a um pensamento que poderia ser restrito para lhe possibilitar uma abstracção que se revela construtiva. Uma outra parte do trabalho incidirá especialmente sobre a obra de Matthew Lipman...

Comportamentos de interação em alunos com perturbações do espectro do autismo: o contributo de histórias sociais na hora do conto

Brilha, Dina teresa Batista
Fonte: Instituto Politécnico de Lisboa Publicador: Instituto Politécnico de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.17%
Dissertação apresentada à Escol a Superior de Educação de Lisboa para obtenção de grau de mestre em Ciências da Educação, especialidade Educação Especial: Problemas Graves de Cognição e Multideficiência; Este estudo pretende abordar e compreender o contributo das histórias sociaisTM na promoção de comportamentos de interação, num grupo de seis alunos com Perturbação de Espectro do Autismo (PEA) de uma Unidade de Ensino Estruturado (UEE). É um projeto de investigação-ação, classificado quanto ao método como um estudo de caso, com origem na seguinte situação problema: as inúmeras dificuldades de participação dos alunos com PEA nos diversos momentos e contextos da vida escolar, decorrentes dos problemas de interação social que lhes são inerentes. Estas dificuldades refletem-se de forma mais ou menos evidente em todos os contextos não estruturados, nomeadamente na biblioteca escolar, na hora do conto de histórias. Nesta situação, a presença dos alunos com PEA desencadeara alguns problemas de comportamento preocupantes, que mobilizaram uma reflexão sobre estratégias de intervenção, promotoras de melhorias do comportamento dos alunos neste contexto. Numa tentativa de minimizar este problema, as professoras da UEE introduziram a atividade da hora do conto nas rotinas da sala...

Animar a hora do conto na sala de aula e na biblioteca: o professor e a promoção da leitura

ALBUQUERQUE, Cláudia Maria Azevedo Maio Ribeiro Barbas de
Fonte: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti Publicador: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.2%
O tema surgiu pela necessidade de saber mais sobre o trabalho do professor bibliotecário, função bastante recente, e compreender aquilo que poderá ser o seu desempenho enquanto animador de leitura. Por outro lado, quisemos verificar se, o espaço da biblioteca escolar estava se constitui num espaço onde se desenvolve adequadamente e consolida hábitos de leitura, não só através do professor bibliotecário mas da parceria deste com outros professores, para que haja interacção necessária no sentido de melhor desenvolver a aprendizagem dos alunos, durante o processo educativo das crianças. Sendo estas algumas das nossas maiores preocupações, um dos aspectos que quisemos conhecer foram as estratégias de dinamização da Hora do Conto desenvolvidas por estes professores. Outro ponto importante, consiste em verificar se a animação da leitura é conduzida para que os alunos se sintam motivados a ouvir uma história, bem como com a preocupação de fazer com que os alunos aprendam a gostar de ler e produzir sentido a partir do que lêem. Assim, apontamos para aspectos importantes acerca da função exercida pelo professor bibliotecário e o professor titular de turma, ora questionando, ora indicando acerca do desempenho...

O último conto policial de Borges e o que havia no labirinto; Borges' last detective story and what was in the labyrinth

Ruiz, Pablo M.
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Brasileiros Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Brasileiros
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.13%
Este ensaio propõe duas hipóteses diferentes, conquanto relacionadas. Por um lado, sugere que o conto"Abenjacan, o Bokari, Morto em Seu Labirinto" foi escrito de modo que o papel do detetive deve estar a cargo do leitor. Esse é um modelo que o próprio Borges propusera no"Exame da obra de Herbert Quain". Sustento que a solução ofere cida ao final do conto é apenas hipotética e proponho uma possível solução alternativa. Por outro lado, situo tal conto no quadro mais geral da poética narrativa de Borges e de sua concepção do leitor. A idéia central é que tal poética deve ser vista como a invenção de um novo leitor, que surge da combinação de dois modelos de leitura fortes e em muitos sentidos opostos: aqueles proporcionados pelo texto sagrado, e pelo gênero policial. Sustento que esta combinação sem precedentes é uma das principais contribuições de Borges à renovação do conto como gênero, e que sua virtuosa execução naquele conto permite reavaliá-lo como uma peça central na sua narrativa.; This essay makes two different, though related claims. On the one hand, it suggests that Borges' detective story"Ibn Hakkan Al-Bokhari, Dead in his Labyrinth" was written in such a way that the role of the detective has to be played by the reader. This is a model Borges himself had proposed in"Examination of the Works of Herbert Quain." I claim that the solution at the end of the story is only provisional...

Seção especial - o Conto dos Anos 80 - AS SEIS SURPRESAS E A COR DO FOGO

Peixoto Cherem, Lucia; UFPR
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 04/10/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.13%
O conto canadense (Québec) "Chevelure de Flamme" de Claire Dé foi traduzido para o português por Lúcia Peixoto Cherem e sua análise foi apresentada no curso de extensão "Conto dos anos 80 II". O estudo desse conto centra-se em dois aspectos do texto: o inusitado (o texto surpreende o leitor a cada instante, com a ação se fazendo diante dele) e a linguagem do protagonista (que também é uma surpresa no conto, mas que domina a análise do texto). A linguagem de Prudent Bouchard, um modesto fazendeiro do Québec, se transforma quando ele relata uma experiência amorosa do passado. A análise do conto fala de uma linguagem adquirida em função de uma troca de experiências e de novas formas de sentir pelos personagens.

LA BELLE ET LA BÊTE DE MME DE VILLENEUVE: TRADUÇÃO DE UM CONTO DE FADAS PARA MAIORES

de Sousa, Aída Carla Rangel; Torres, Marie-Hélène Catherine
Fonte: Cultura e Tradução Publicador: Cultura e Tradução
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 13/10/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.13%
Nesta comunicação abordamos alguns aspectos da tradução comentada do conto francês La Belle et la Bête (1740), de Mme de Villeneuve, tema de nossa pesquisa de doutorado em andamento. O século 18, contexto histórico-cultural da obra em questão, é lembrado por grandes acontecimentos que repercutiram na vida intelectual e cultural da sociedade francesa. A produção literária de escritores como Voltaire, Rousseau, Diderot, entre outros, contribui para formar o cânone literário dessa época (MASSON, 2007). Por outro lado, o conto de fadas ganha novo impulso desde o final do século 17, nos salões literários e na corte do Antigo Regime francês. O gênero se expande e a escrita feminina deixa aí sua marca, de certa forma esquecida com o tempo. Considerando a influência de Mme de Villeneuve na propagação do gênero conto de fadas na literatura, é nossa proposta destacar, em primeiro lugar, a forma desse conto, que mais se assemelha a um romance, por sua densidade, com alguns trechos em escrita epistolar, bem ao gosto da época. Em segundo lugar, abordamos alguns aspectos da tradução desse conto para o inglês por J.R. Planché, em 1858. Por último, apresentamos um esboço do projeto de tradução comentada para o português...