Página 1 dos resultados de 890 itens digitais encontrados em 0.063 segundos

Comportamentos relacionados com o consumo de bebidas alcoólicas durante as festas académicas nos estudantes do ensino superior

Agante, Diana Marisa Carvalho
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
136.5%
A problemática do consumo de bebidas alcoólicas reveste-se de algumas dificuldades pelo facto de o álcool ser uma substância consumida no dia-a-dia, largamente publicitada e influenciada por múltiplos factores, tornando-se difícil a avaliar a magnitude deste problema de saúde pública, nomeadamente nos jovens. As festas académicas são um contexto propício para o consumo abusivo de bebidas alcoólicas, tendo a Queima das Fitas de Coimbra grande fama neste âmbito. Através de uma investigação descritivo-correlacional, pretendeu-se comparar os hábitos e comportamentos relacionados com o consumo de bebidas alcoólicas, durante as festas académicas, nos estudantes do Ensino Superior de Coimbra, Aveiro e Leiria. A população-alvo é constituída pelos estudantes do Ensino Superior que frequentaram a Queima das Fitas de Aveiro, Leiria e Coimbra, em 2008. A selecção da amostra realizou-se através da amostragem acidental, tendo participado no estudo 111 estudantes das três cidades, aos quais foi aplicado um questionário que permitiu caracterizar o seu padrão de consumo e algumas características pessoais. Os resultados revelaram que os estudantes de Coimbra são os que frequentam mais cedo uma festa académica (17.19+-1.29 anos) e os de Leiria os que vão mais tarde (17.95+-1.89 anos). Encontrou-se correlação positiva entre a média das embriaguezes e a idade dos estudantes para o sexo masculino (r=0.480; p=0.00). Verificou-se diferença estatisticamente significativa entre as estudantes do sexo feminino de Coimbra e as de Leiria...

Determinantes do consumo de bebidas alcólicas nos estudantes do ensino superior de Coimbra

Grácio, Joana Catarina Gonçalves
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
136.48%
O consumo de bebidas alcoólicas pelos jovens em contexto académico é frequentemente abusivo e, por isso, constitui uma preocupação de Saúde Pública. Existem diversos estudos que incidem sobre os comportamentos de consumo dos estudantes do Ensino Superior, contudo, são escassos os que focam as vivências académicas e o contexto cultural em que estes jovens vivem e estudam. Este estudo procura contribuir para a compreensão da problemática, dado que se caracterizam os determinantes do consumo de bebidas alcoólicas dos estudantes do Ensino Superior de Coimbra, relacionando-os com a sua cultura e vivências académicas. Insere-se no paradigma qualitativo e é um estudo exploratório-descritivo. A amostra é constituída por vinte e quatro participantes de três cursos superiores de Coimbra e inclui estudantes que frequentam do primeiro até ao último ano. O instrumento de colheita de dados utilizado foi a entrevista semi-estruturada e estes foram analisados de acordo com a abordagem hermenêutica-dialética, com auxílio do programa de investigação qualitativa QSR NVivo. As categorias analíticas foram organizadas com base no modelo PRECEDEPROCEED. Os determinantes do comportamento de consumo de bebidas alcoólicas dividem-se em três grupos: factores predisponentes...

Consumo de bebidas alcoólicas na população adulta Brasileira: características sociodemográficas e tendência; Alcoholic beverage consumption among adults: sociodemographic characteristics and trends

MOURA, Erly Catarina; MALTA, Deborah Carvalho
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
146.53%
OBJETIVO: Estimar o consumo de bebidas alcoólicas, identificar as características sociodemográficas associadas a este consumo em 2006 e avaliar a tendência de consumo de 2006 a 2009. MÉTODOS: Foram avaliados, em 2006, 54.369 adultos residentes nas capitais de estados brasileiros e no Distrito Federal. Considerou-se consumo habitual a ingestão de qualquer quantidade de bebida alcoólica nos últimos 30 dias, e consumo abusivo a ingestão de mais de 5 doses para homens ou mais de 4 doses para mulheres em pelo menos uma ocasião nos últimos 30 dias. RESULTADOS: O consumo habitual de bebidas alcoólicas atingiu 38,1% da população estudada e o de consumo abusivo 16,2%, sendo a frequência dos dois padrões maior em homens do que em mulheres. As variáveis associadas ao consumo de bebidas alcoólicas foram: idade, união conjugal e inserção no mercado de trabalho em ambos os sexos, e cor de pele para mulheres nos dois padrões de consumo; escolaridade associou-se apenas para consumo habitual. CONCLUSÃO: A tendência de consumo abusivo de bebidas alcoólicas é crescente nos dois sexos. Os dados mostram a urgência de políticas públicas nacionais voltadas para a prevenção do consumo excessivo de bebidas alcoólicas, especialmente junto à população mais jovem.; OBJECTIVE: To estimate the prevalence of alcohol consumption...

Consumo de bebidas alcoólicas em crianças do 1º ciclo e seus fatores influenciadores

Gomes, Teresa Maria Correia; Cabral, Lídia Rosário, orient.; Duarte, João Carvalho, co-orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
136.61%
O álcool é uma substância psicotrópica lícita que está enraizada na nossa cultura, presente e disponível em variados locais e alguns rituais, possui uma grande aceitação social. A precocidade do início do consumo e, o consumo excessivo tornou-se um problema que afeta toda a população. Assim como em outros países do mundo, o alcoolismo e os problemas ligados ao álcool são um grave problema de saúde pública em Portugal. O presente estudo descritivo/correlacional, tem como objetivos verificar se as crianças consomem bebidas alcoólicas, quais os tipos de bebidas alcoólicas, com que frequência o fazem e, quais são os fatores que influenciam este consumo. Utilizou-se para a recolha de dados um questionário aplicado a uma amostra de alunos que frequentam o 2º, 3º e 4º anos do 1º Ciclo do Ensino Básico, Agrupamento de Escolas de Sátão, ano letivo 2011/2012. Resultados: a idade de início de consumo é, em média, 6 anos; o padrão de consumo de álcool difere quanto ao género, sendo os rapazes os que apresentam o padrão mais elevado: consumo diário/semanal. As raparigas têm maior percentagem de não consumidores, consumidores mensais e ocasionais. O local de início do consumo dá-se em casa seguido do café. Habitualmente 92...

O consumo de bebidas alcoólicas como lazer

Teixeira, Carla Maria Aguiar
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
136.41%
Tese de Doutoramento em Psicologia; dc.description.abstract (resumo) O propósito do presente estudo foi caracterizar o padrão de consumo de bebidas alcoólicas dos jovens transmontanos e demonstrar a tese que o mesmo deverá ser entendido como uma das formas de lazer que a sociedade actual disponibiliza aos jovens, nos países industrializados e/ou em vias de desenvolvimento. Um outro propósito foi identificar os factores de risco mais evidentes para os adolescentes. Para o efeito foram estudados 1632 indivíduos, oriundos dos Distritos de Vila Real (391 homens e 608 mulheres) e de Bragança (277 homens e 357 mulheres). Estes grupos foram subdivididos em função das variáveis independentes em estudo: sexo, faixa etária (15‐17 e 18‐20 anos de idade), local de residência (urbanos vs. rural), nível de ensino (3º ciclo, secundário, superior e não estudante), se eram fumadores e se praticavam desporto. Estas duas últimas variáveis foram quantificadas em função das frequências e com base na resposta de sim ou não. As variáveis dependentes do presente estudo foram: consumo de bebidas alcoólicas, primeiro consumo, local e companhia de consumo, consumo de álcool por parte do agregado familiar e dos amigos, motivações para o consumo...

Consumo de bebidas alcoólicas por adolescentes do ensino secundário do Concelho de Chaves

Gonçalves, Isabel Amorim
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
146.56%
Dissertação de Mestrado em Enfermagem Comunitária; Introdução: O álcool é a substância psicoativa mais utilizada pelos adolescentes, sendo um importante problema de saúde pública, pela sua magnitude e porque constitui o maior fator de risco para a saúde deste grupo. Comparados com pessoas de outros grupos etários que também consomem bebidas alcoólicas, os adolescentes apresentam maior tendência para consumos do tipo binge drinking e para se embriagarem, o que aumenta os riscos para a saúde (WHO, 2006). Estudar os comportamentos com repercussões na saúde dos adolescentes e os fatores que os influenciam é fundamental para o desenvolvimento de políticas de educação para a saúde, programas de promoção da saúde e intervenções dirigidas a este grupo etário (Matos, Simões, Carvalhosa & Reis, 2006). No início deste percurso de investigação desenhamos como objetivo geral: Compreender quais os fatores associados ao consumo de bebidas alcoólicas pelos alunos da nossa amostra. Método: Trata-se de um estudo descritivo, correlacional e transversal de abordagem quantitativa, com uma amostra de 378 alunos, que frequentavam o ensino secundário regular, em três agrupamentos de escolas do concelho de Chaves, no ano letivo 2012/2013. Como instrumento de recolha de dados...

Consumo de bebidas alcoólicas em estudantes do curso de Licenciatura em Enfermagem

Lapa, Leila Sofia Alves
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
136.64%
Dissertação de Mestrado em Enfermagem Comunitária; Introdução: O consumo de álcool pelos jovens do ensino superior tornou-se preocupante pelas situações de consumo excessivo nas festas académicas. Também, os estudantes de enfermagem consomem álcool em excesso apesar de conhecerem os malefícios para a saúde. No contexto académico, a predominância de um consumo de risco pode evoluir para consumos nocivos, o que justifica o estudo do consumo desta substância em adolescentes e jovens adultos. Assim, com este estudo pretendemos responder à questão de investigação “Qual o padrão de consumo habitual de bebidas alcoólicas dos estudantes de uma escola superior de enfermagem do norte do país?” Objetivos: Para o desenvolvimento deste estudo foram definidos os seguintes objetivos: i) caracterizar o comportamento de consumo habitual de bebidas alcoólicas dos estudantes de uma escola superior de enfermagem do norte do país; ii) determinar a prevalência do consumo habitual de bebidas alcoólicas nessa população; iii) identificar os comportamentos de risco dos estudantes associados ao consumo habitual de bebidas alcoólicas; iv) relacionar o consumo habitual de bebidas alcoólicas com o género, ano do curso no qual está inscrito e episódios de embriaguez durante a vida. Metodologia: Elaborou-se um questionário como instrumento de recolha de dados...

Consumo de bebidas alcoólicas e prática do binge drinking entre acadêmicos da área da saúde

Nunes,Jaceilde Mendes; Campolina,Ludmilla Rodrigues; Vieira,Maria Aparecida; Caldeira,Antônio Prates
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
136.3%
CONTEXTO: O abuso do álcool, mesmo ocasional, entre universitários tem o potencial de representar um importante problema de saúde pública. OBJETIVOS: Identificar a prevalência do consumo de álcool entre os acadêmicos da área da saúde, bem como a prevalência e fatores associados ao binge drinking para essa população. MÉTODOS: Estudo transversal, com amostra representativa de estudantes da área da saúde de uma universidade pública no norte de Minas. Utilizou-se um questionário estruturado com questões validadas para autopreenchimento, que assegurou confidencialidade das respostas. A associação entre variáveis foi aferida por meio do teste qui-quadrado, assumindo-se o nível de significância de 5% (p < 0,05), e a magnitude das associações foi estimada pela razão de prevalências (RP). RESULTADOS: Foram analisados 474 questionários. A prevalência do consumo de bebidas alcoólicas entre o grupo estudado foi de 71,5% (n = 339), e a prática do binge drinking apresentou prevalência de 15,6% (n = 74). Apenas o sexo masculino (RP = 2,44; IC95% = 1,59-3,73) e o fato de não referir um vínculo religioso (PR = 2,29; IC95% = 1,28-4,09) se mostraram estatisticamente associados com a prática do binge drinking. CONCLUSÃO: Os índices observados de consumo de álcool e de binge drinking são significativamente elevados e demandam estratégias específicas dos gestores e das instituições de ensino para o controle do problema.

Perfil do consumo de bebidas alcoólicas e fatores associados em um município do Nordeste do Brasil

Ferreira,Luciano Nery; Sales,Zenilda Nogueira; Casotti,Cezar Augusto; Bispo Júnior,José Patrício; Braga Júnior,Antônio Carlos Ricardo
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
136.28%
Estudo transversal que objetivou verificar o perfil do consumo de bebidas alcoólicas de acordo com sexo, idade, renda e escolaridade na população urbana de Jequié, Bahia, Brasil. Amostra aleatória composta por 270 indivíduos maiores de 14 anos residentes na zona urbana, pesquisados entre janeiro e março de 2010. Como instrumento utilizou-se o Alcohol Use Disorders Identification Test (AUDIT). Os resultados mostraram que 21,8% consomem quatro ou mais doses em dia típico; 14,1% admitiram já terem causado algum prejuízo após ter bebido; 26,3% relataram que alguém já sugeriu que parasse de beber; entre os homens 40% bebem mais que quatro doses no dia típico; 50,5% dos jovens bebem com alguma frequência. A distribuição característica das variáveis estudadas é compatível com maior frequência e quantidade de uso de álcool entre os homens e entre os jovens. A ocorrência do padrão de consumo pesado episódico de álcool foi marcante. São apresentados grupos vulneráveis, ainda não considerados dependentes e que também devem ser alvo de políticas públicas de promoção da saúde e prevenção.

Consumo frequente de bebidas alcoólicas por adolescentes escolares: estudo de fatores associados

Matos,Analy Marquardt de; Carvalho,Rosely Cabral de; Costa,Maria Conceição Oliveira; Gomes,Karina Emanuella Peixoto de Souza; Santos,Luciana Maia
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
136.45%
OBJETIVO: Analisar fatores associados ao consumo frequente de bebidas alcoólicas por adolescentes escolares em Feira de Santana, BA. MÉTODO: Estudo transversal, com amostra aleatória, estratificada por conglomerado, totalizando 10 escolas de portes diferenciados e 776 estudantes de ambos os sexos que relataram consumo de bebidas alcoólicas, na faixa etária de 14 a 19 anos, assegurando representatividade das escolas e alunos. O instrumento auto-aplicável foi elaborado segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) e questionários validados em outros estudos. A coleta garantiu procedimentos para anonimato e sigilo. Foram considerados expostos adolescentes que referiram consumo frequente (em pelo menos todo final de semana). RESULTADOS: O consumo frequente/pesado mostrou associações significantes com sexo masculino, consumo precoce, parceiro sexual pouco conhecido, problemas com substâncias psicoativas (SPAs) na família, coabitação com companheiro, renda própria, tráfico de drogas, consumo com amigos, atividades na escola, motivações (ansiedade, animação/prazer); e consequências (outras SPAs, brigas, inadimplência ao trabalhoescola). CONCLUSÕES: O conhecimento dos fatores pessoais, interpessoais, familiares e ambientais associados ao consumo de bebidas alcoólicas por adolescentes devem ser considerados na implementação de programas escolares e políticas públicas de prevenção...

Consumo de bebidas alcoólicas na população adulta Brasileira: características sociodemográficas e tendência

Moura,Erly Catarina; Malta,Deborah Carvalho
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
136.53%
OBJETIVO: Estimar o consumo de bebidas alcoólicas, identificar as características sociodemográficas associadas a este consumo em 2006 e avaliar a tendência de consumo de 2006 a 2009. MÉTODOS: Foram avaliados, em 2006, 54.369 adultos residentes nas capitais de estados brasileiros e no Distrito Federal. Considerou-se consumo habitual a ingestão de qualquer quantidade de bebida alcoólica nos últimos 30 dias, e consumo abusivo a ingestão de mais de 5 doses para homens ou mais de 4 doses para mulheres em pelo menos uma ocasião nos últimos 30 dias. RESULTADOS: O consumo habitual de bebidas alcoólicas atingiu 38,1% da população estudada e o de consumo abusivo 16,2%, sendo a frequência dos dois padrões maior em homens do que em mulheres. As variáveis associadas ao consumo de bebidas alcoólicas foram: idade, união conjugal e inserção no mercado de trabalho em ambos os sexos, e cor de pele para mulheres nos dois padrões de consumo; escolaridade associou-se apenas para consumo habitual. CONCLUSÃO: A tendência de consumo abusivo de bebidas alcoólicas é crescente nos dois sexos. Os dados mostram a urgência de políticas públicas nacionais voltadas para a prevenção do consumo excessivo de bebidas alcoólicas, especialmente junto à população mais jovem.

Fatores e motivação para o consumo de bebidas alcoólicas na adolescência

Neves,Keila do Carmo; Teixeira,Maria Luiza de Oliveira; Ferreira,Márcia de Assunção
Fonte: Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
136.29%
Objetivo: Objetivou-se identificar os fatores que influenciam os adolescentes ao consumo de bebidas alcoólicas, suas motivações e seus saberes sobre esta prática. Métodos: Pesquisa quali-quantitativa, convergente-assistencial realizada com 21 adolescentes da cidade do Rio de Janeiro, com idade entre 12 e 18 anos. Realizou-se entrevista semiestruturada e aplicação de um formulário com perguntas fechadas. Resultados: Os resultados mostraram que 18 deles consumiam bebidas alcoólicas, a cerveja é a principal bebida consumida e a diversão, a companhia de amigos e a fuga da realidade são as principais finalidades para o consumo. Conheciam os riscos para si e para os outros, com deterioração do convívio social. Conclusão: A facilidade de acesso incentiva o consumo do álcool e, apesar de conhecerem alguns dos riscos, consomem as bebidas, geralmente, em grupos.

Consumo de bebidas alcóolicas entre estudantes de enfermagem

Pires,Cláudia Geovana da Silva; Mussi,Fernanda Carneiro; Souza,Raisa Correia de; Silva,Diorlene Oliveira da; Santos,Carlos Antonio de Souza Teles
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
136.3%
Objetivo Comparar o consumo de bebida alcóolica entre estudantes de Enfermagem ingressantes e concluintes do curso.Métodos Estudo transversal, com 154 estudantes de enfermagem. O instrumento de pesquisa foi um questionário com dados sociodemográficos e da vida acadêmica, e o Alcohol Use Disorders Identification Test (AUDIT). Na análise dos dados, empregaram-se estatísticas descritivas, teste Qui-quadrado de Pearson, exato de Fischer e de tendência linear. Adotou-se significância estatística de 5%.Resultados Predominaram mulheres, na faixa etária de 20 a 24 anos, solteiros, da raça negra e classe socioeconômica C. Consumiam bebida alcoólica 57,1% da amostra. Constatou-se maior frequência de consumo e de doses de bebida alcoólica para estudantes concluintes e maior proporção destes nas Zonas AUDIT II, III e IV. Não houve diferença estatisticamente significante na análise entre zonas e ano em curso.Conclusão Estudantes concluintes apresentaram maior consumo prejudicial de bebidas alcoólicas.

A representação do consumo de bebidas alcoólicas para adolescentes atendidos em uma Unidade de Saúde da Família; The representation of alcoholic beverages consumption for adolescents in a Family Health Unit

SOUZA, Sinara de Lima; FERRIANI, Maria das Graças Carvalho; SILVA, Marta Angélica Iossi; GOMES, Romeu; SOUZA, Tatiana Costa
Fonte: Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
136.33%
O consumo de bebidas alcoólicas por adolescentes se constitui em problema mundial com repercussão nos diversos setores sociais. Entretanto, as motivações para tal prática ainda são pouco estudadas. Buscando desvendá-las, desenvolveu-se uma pesquisa qualitativa, com o objetivo de compreender as representações socialmente construídas dos adolescentes acerca do consumo de bebidas alcoólicas, em uma Unidade de Saúde da Família da cidade de Feira de Santana, Bahia, Brasil. Os sujeitos foram vinte e um adolescentes de ambos os sexos. As técnicas utilizadas para a coleta de dados foram observação, grupos focais e entrevista semiestruturada. Analisou-se os dados através da interpretação dos sentidos. Teve-se como resultados: esta prática representa "beber muito" que se aproxima do conceito de binge drinking e "junto", evidenciando o caráter socializador da bebida. Significa também um ritual de passagem. Como fatores que influenciam a representação, destacam-se as atitudes dos adultos, especialmente o pai e a mídia. Conclui-se que a essa substância representa um capital simbólico, havendo contradições relativas à questão, precariedade de fatores protetores e existência de fatores de vulnerabilidade, sendo necessário o repensar das políticas públicas para os adolescentes e para essa problemática.; Alcoholic beverages consumption by adolescents is a global problem with repercussion on different social sectors. However...

Não dá para sair do morro: pertencimento e sociabilidade no consumo de bebidas alcoólicas em um bar popular de Porto Alegre

Zanella, Eduardo
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; "Originais" Formato: application/pdf
Publicado em 08/06/2011 POR
Relevância na Pesquisa
136.44%
O presente artigo se constitui como uma pesquisa etnográfica sobre o consumo de bebidas alcoólicas entre uma rede de indivíduos que frequenta cotidianamente o mesmo bar, de caráter popular, localizado na cidade de Porto Alegre. Este estudo objetivou compreender as permissões e as transgressões que conformam as maneiras de beber dessas pessoas, bem como os valores que sustentam tais noções. O texto parte da conjuntura em que o consumo alcoólico é praticado nesse campo, de modo a se centrar no significado do bar para seus frequentadores e na qualidade de suas relações sociais. Constata-se que essa sociabilidade, ao denotar um pertencimento em relação ao bar e ao transcender o consumo de bebidas alcoólicas, é um valor fundamental para as maneiras de beber ali vigentes, definindo os modos positivos e negativos dessa prática. Por fim, trata-se das exclusões e das inclusões sociais que decorrem do consumo alcoólico nessa sociabilidade e conclui- se, então, que essas pessoas possuem suas próprias concepções sobre o consumo de bebidas alcoólicas, as quais constroem a partir de elementos que lhes são significativos.

Alcohol consumption and binge drinking among health college students; Consumo de bebidas alcoólicas e prática do binge drinking entre acadêmicos da área da saúde

Nunes, Jaceilde Mendes; Campolina, Ludmilla Rodrigues; Vieira, Maria Aparecida; Caldeira, Antônio Prates
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Instituto de Psiquiatria Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Instituto de Psiquiatria
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2012 POR
Relevância na Pesquisa
136.3%
BACKGROUND: Alcohol abuse, even occasionally, among college students has the potential to pose a major public health problem. OBJECTIVES: To identify the prevalence of alcohol consumption among health college students as well as the prevalence and factors associated with binge drinking in this population. METHODS: Cross-sectional study with a representative sample of health college students of a public university in the North of Minas Gerais, Brazil. A structured questionnaire, including questions validated for self-assessment, which ensured confidentiality of responses, was used. The association between variables was examined using the chi-square test, assuming a significance level of 5% (p < 0.05). The magnitude of the association was measured with the prevalence ratio (PR). RESULTS: Four hundred and seventy-four questionnaires were analyzed. The prevalence of drinking alcoholic beverages among the sample of the study was 71.5% (n = 339) and the one of binge drinking 15.6% (n = 74). Male sex (PR = 2.44, 95% CI 1.59 to 3.73) and not reporting a religious affiliation (PR = 2.29, 95% CI 1.28 to 4.09) were significantly associated with the practice of binge drinking. DISCUSSION: The observed rates of alcohol consumption and binge drinking are significantly high and require specific strategies from managers of educational institutions to get this problem under control.; CONTEXTO: O abuso do álcool...

Padrão de consumo de bebidas alcoólicas entre graduandas de enfermagem de uma Universidade Estadual Paulista; Patrón de consumo de bebidas alcohólicas entre estudiantes de pregrado de enfermería de una Universidad Estadual Paulista; Alcoholic drink consumption standards among undergraduate nursing students at a State University in São Paulo

Balan, Thaís Grecchi; Campos, Claudinei José Gomes
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2006 POR
Relevância na Pesquisa
136.49%
Este trabalho verificou o padrão de consumo de bebidas alcoólicas entre jovens universitárias. Trata-se de estudo descritivo-quantitativo, realizado com amostra de 105 estudantes do sexo feminino, do 1º ao 4º ano de um curso de graduação em enfermagem, de uma universidade estadual paulista, utilizando-se como instrumento um questionário e o teste AUDIT. De acordo com a quantidade ingerida, foram identificados bebedoras com consumo moderado e alto de bebidas alcoólicas, indicando potencial risco para a saúde e de se tornarem, no futuro, freqüentes consumidoras de bebidas alcoólicas e, desse modo, terem também suas carreiras profissionais prejudicadas.; Este trabajo verificó el patrón de consumo de bebidas alcohólicas entre jóvenes universitarias. Se trata de un estudio descriptivo-cuantitativo, realizado con una muestra de 105 estudiantes del sexo femenino del º a 4º año, de un curso de pregrado de Enfermería en una Universidad Estatal del estado de São Paulo, utilizando como instrumento un cuestionario y el test AUDIT. Considerando la cantidad de alcohol ingerida, fueron identificadas bebedoras de consumo moderado y alto, indicando un riesgo potencial para la salud y que en el futuro podrían ser consumidoras habituales de bebidas alcohólicas...

Consumo de bebidas alcoólicas e tabagismo: associação com inatividade física no lazer e comportamento sedentário

Bezerra,J.; Lopes,A.S.; Hardmam,C.M.; Tassitano,R.M.; Tenório,M.C.M.; Barros,M.V.G. de
Fonte: Revista Andaluza de Medicina del Deporte Publicador: Revista Andaluza de Medicina del Deporte
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/03/2015 POR
Relevância na Pesquisa
146.42%
Objetivo: Analisar a associação da exposição ao consumo de bebidas alcoólicas e tabagismo com inatividade física no lazer (INL) e comportamento sedentário (CS) em adolescentes. Método: Trata-se de estudo transversal com amostra representativa de estudantes do ensino médio da rede pública estadual de Pernambuco (n = 4.207, 14-19 anos). Os dados foram coletados mediante questionário previamente validado. O tempo assistindo televisão foi usado como medida do comportamento sedentário em dias de semana (CSS) e também, no final de semana (CFS) (> 2 horas/dia = "exposto") a comportamento sedentário. A falta de prática de atividade física no tempo livre como INL. Recorreu-se à regressão logística binária para análise de associação entre as variáveis, considerando-se como desfechos a INL e o CS. Resultados: As prevalências encontradas foram de INL = 38,2% (intervalo de confiança [IC] 95%: 36,7-39,7), CSS = 40,8% (IC 95%: 39,3-42,3) e CFS = 49,9% (IC 95%: 48,4-51,4). Após ajustamento (fatores demográficos, socioeconômicos e escolares), a exposição a consumo de álcool e tabagismo foram inversamente associados à INL. Os adolescentes que consumiram bebidas alcoólicas tinham chance 27% inferior de INL comparados aos que não consumiram álcool. De forma semelhante...

Consumo de bebidas alcoólicas na população adulta Brasileira: características sociodemográficas e tendência

Moura,Erly Catarina; Malta,Deborah Carvalho
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
136.53%
OBJETIVO: Estimar o consumo de bebidas alcoólicas, identificar as características sociodemográficas associadas a este consumo em 2006 e avaliar a tendência de consumo de 2006 a 2009. MÉTODOS: Foram avaliados, em 2006, 54.369 adultos residentes nas capitais de estados brasileiros e no Distrito Federal. Considerou-se consumo habitual a ingestão de qualquer quantidade de bebida alcoólica nos últimos 30 dias, e consumo abusivo a ingestão de mais de 5 doses para homens ou mais de 4 doses para mulheres em pelo menos uma ocasião nos últimos 30 dias. RESULTADOS: O consumo habitual de bebidas alcoólicas atingiu 38,1% da população estudada e o de consumo abusivo 16,2%, sendo a frequência dos dois padrões maior em homens do que em mulheres. As variáveis associadas ao consumo de bebidas alcoólicas foram: idade, união conjugal e inserção no mercado de trabalho em ambos os sexos, e cor de pele para mulheres nos dois padrões de consumo; escolaridade associou-se apenas para consumo habitual. CONCLUSÃO: A tendência de consumo abusivo de bebidas alcoólicas é crescente nos dois sexos. Os dados mostram a urgência de políticas públicas nacionais voltadas para a prevenção do consumo excessivo de bebidas alcoólicas, especialmente junto à população mais jovem.

Consumo frequente de bebidas alcoólicas por adolescentes escolares: estudo de fatores associados

Matos,Analy Marquardt de; Carvalho,Rosely Cabral de; Costa,Maria Conceição Oliveira; Gomes,Karina Emanuella Peixoto de Souza; Santos,Luciana Maia
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
136.45%
OBJETIVO: Analisar fatores associados ao consumo frequente de bebidas alcoólicas por adolescentes escolares em Feira de Santana, BA. MÉTODO: Estudo transversal, com amostra aleatória, estratificada por conglomerado, totalizando 10 escolas de portes diferenciados e 776 estudantes de ambos os sexos que relataram consumo de bebidas alcoólicas, na faixa etária de 14 a 19 anos, assegurando representatividade das escolas e alunos. O instrumento auto-aplicável foi elaborado segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) e questionários validados em outros estudos. A coleta garantiu procedimentos para anonimato e sigilo. Foram considerados expostos adolescentes que referiram consumo frequente (em pelo menos todo final de semana). RESULTADOS: O consumo frequente/pesado mostrou associações significantes com sexo masculino, consumo precoce, parceiro sexual pouco conhecido, problemas com substâncias psicoativas (SPAs) na família, coabitação com companheiro, renda própria, tráfico de drogas, consumo com amigos, atividades na escola, motivações (ansiedade, animação/prazer); e consequências (outras SPAs, brigas, inadimplência ao trabalho\escola). CONCLUSÕES: O conhecimento dos fatores pessoais, interpessoais, familiares e ambientais associados ao consumo de bebidas alcoólicas por adolescentes devem ser considerados na implementação de programas escolares e políticas públicas de prevenção...