Página 1 dos resultados de 76 itens digitais encontrados em 0.043 segundos

Contribuciones y complicaciones de Michel Maffesoli en el estudio de las neocomunidades estudiantiles postmodernas; Michel maffesoli´s contributions and complications in the study of postmodern student communities

Torres Morillo, Moraima; Dorneles, Malvina do Amaral; Villegas, Margarita Maria Morales
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
35.85%
En este texto se debaten las implicaciones de los aportes teóricos de Michel Maffesoli (1998; 2003; 2005a; 2005b; 2005c) en el campo de la investigación educativa. Este autor invita a los científicos sociales a contemplar la “respiración social” propia del espacio civilizatorio actual, donde han caído el mito de progreso, los proyectos futuristas y los grandes ideales utópicos. Dentro de esta realidad, cada día una mayor cantidad de jóvenes se muestran irreverentes a la pertinencia de la educación en sus vidas y centran sus expectativas de futuro en sus propias conquistas personales y están fuertemente marcados por una cultura presentista que favorece el disfrute inmediato en detrimento del trabajo, el esfuerzo y la postergación del placer. Estos jóvenes componen las “neocomunidades estudiantiles postmodernas” siendo común entre ellos “deserción” “repititencia” “exclusión” y “fracaso escolar”, su crecimiento constante invita a los investigadores educativos a generar estudios que partan de una lógica sensible (Maffesoli, 1998) y no la lógica del deber ser que tradicionalmente imperó en la ciencia moderna.; A this paper it`s discuss implications of the theoretical contributions of Michel Maffesoli (1998; 2003; 2005a; 2005b; 2005c) in the field of the educational research. This writher invites social scientists to contemplate the social breathing of present civilization...

Os direitos constitucionais dos povos indígenas no Judiciário : entre o direito falado e o direito escrito : uma perspetiva comparada do Brasil e da Colômbia

Rojas Garzón, Biviany
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.12%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Centro de Pesquisa e Pós-Graduação sobre as Américas, 2008.; A presente dissertação é um trabalho exploratório a partir de uma perspectiva comparada sobre o papel do Poder Judiciário na relação Estado –povos indígenas do Brasil e da Colômbia a partir das últimas reformas constitucionais de ambos países. A dissertação focaliza sua analise no papel desenvolvido pelas Supremas Cortes Constitucionais (SCC) de ambos países, ou seja, o Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil e a Corte Constitucional (CC) da Colômbia, com relação a interpretação judicial dos direitos diferenciados reconhecidos a estes povos. Nas reformas constitucionais tanto o Brasil como a Colômbia comprometeramse a abandonar do paradigma assimilacionista no relacionamento com os povos indígenas e a construir uma relação mais respetuosa e simétrica com estes. O trabalho aqui apresentado parte dos supostos de que; por um lado, os povos indígenas em ambos países têm um importante capital simbólico, o que lhes facilitou as conquistas constitucionais, porem tem-se demonstrado insuficiente para consolidá-las, e por outro lado, que os dispositivos constitucionais e legislativos que fazem referencia aos novos direitos diferenciados dos povos indígenas são ambíguos e limitados para conseguir sua adequada implementação em ambos países. Este contexto abrem um grande marco de liberdade para a interpretação judicial do conteúdo dos direitos indígenas...

Percepção sobre o aprendizado de saúde coletiva e o SUS entre alunos concludentes de curso de odontologia

Noro,Luiz Roberto Augusto; Torquato,Sara Melo
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio Publicador: Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2010 PT
Relevância na Pesquisa
45.92%
O objetivo deste artigo é apresentar a visão de alunos concludentes de curso de Odontologia sobre o aprendizado na área da Saúde Bucal Coletiva e conhecer sua percepção sobre o Sistema Único de Saúde (SUS). A quase totalidade dos alunos indicou a importância dos conteúdos trabalhados nas disciplinas da área da Saúde Bucal Coletiva, reconheceu como adequada a forma de abordagem feita pelos professores, apontou os aspectos positivos do SUS e vislumbrou uma perspectiva real de se inserir neste campo de trabalho. Entretanto, a grande maioria tem maior interesse nas atividades clínicas tradicionais, mesmo quando pensa em sua inserção no SUS, possivelmente estimulada pela grande quantidade de disciplinas da área clínica nos cursos de Odontologia. Para efetivação do SUS, é fundamental o envolvimento do profissional de saúde no fortalecimento do controle social, em especial na aliança com a população assim como na gestão dos serviços. Em função disto, a formação em Odontologia deve aprofundar sua discussão nestes elementos e na perspectiva da clínica ampliada, permitindo que as conquistas do SUS tragam benefícios concretos tanto para os profissionais de saúde, no desempenho de sua função de transformador da realidade social...

Envelhecimento e saúde da pessoa idosa: o que todos precisamos saber

Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
45.82%
A população do mundo está com um maior quantitativo de idosos, e isto é resultante de políticas de saúde mais eficientes que proporcionam planos e ações estratégicos para o enfrentamento das doenças prevalentes a este público. É de suma importância saber como é e como vive este grupo de pessoas no Brasil, para que as ações de saúde realizadas sejam efetivas e bem-sucedidas. Para tanto, é apontado neste recurso os meios utilizados para conhecer as características gerais sobre a população idosa em níveis nacionais, regionais e municipais, como o relatório do IBGE de 2010 (Síntese dos Indicadores Sociais) e o Datasus. São abordados assuntos como as doenças mais comuns (derrames, pressão alta, infartos, diabetes), os problemas sociais, os programas oficiais e as organizações não governamentais relacionados ao idoso. Contempla ainda aspectos históricos que a população idosa brasileira passou para adquirir grandes conquistas, como o Pacto pela vida e o Estatuto do Idoso, bem como a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa

O sistema único de saúde numa perspectiva histórica e no contexto das políticas públicas

Verdi, Marta Inez Machado; Ros, Marco Aurélio Da; Cutolo, Luiz Roberto Agea
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
45.98%
Tópico 1 – Premissas iniciais O tópico apresenta as três premissas condicionantes da possibilidade de construção do SUS: a primeira origina-se do movimento da Medicina Social, no século XIX, estabelecendo a determinação social das condições de saúde e da visão contrária, que veio a se constituir o modelo hegemônico unicausal, advinda da teoria pasteuriana, estabelecendo como causa das doenças, exclusivamente, à contaminação por bactérias, dissociando as condições de saúde de suas causas sociais; a segunda está na base do modelo médico norte americano do início do século XX, ao criar um novo paradigma de ensino da medicina, baseado na unicausalidade, biologista, hospitalocêntrico, fragmentário e positivista, possibilitando o surgimento do complexo médico industrial; a terceira decorre da contestação do Círculo de Viena, pondo abaixo a teoria positivista, por meio do entendimento de que existe um processo permanente de desvelamento, do qual decorre o princípio do conhecimento máximo, que permite explorar, superar e incorporar novos conhecimentos ao saber anteriormente constituído. Tópico 2 – Condições de instalação do modelo brasileiro O tópico historia que: na década de 1960, coexistiam no Brasil a incipiente medicina sanitarista de campanhas...

Conquistas do SUS

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
95.93%
O diagrama é um recurso educacional que compõe a Unidade 2 do Módulo 02 "Saúde e Sociedade" do Curso de Especialização em Saúde da Família do Programa Mais Médicos da UNA-SUS/UFMA e compara as mudanças nas ações de saúde pública no Brasil após a implementação do SUS.

Políticas públicas no enfrentamento da violência

Coelho, Elza Berger Salema; Bolsoni, Carolina Carvalho; Conceição, Thays Berger; Verdi, Marta Inez Machado
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
45.82%
Apresenta, na primeira unidade o fenômeno da violência entre parceiros íntimos como problema da área de saúde, do ponto de vista das políticas públicas específicas para enfrentamento, prevenção e atendimento, mostrando o histórico das conquistas de direitos da mulher, das convenções internacionais, das modificações da legislação nacional e diretrizes políticas atuais, com vistas à erradicação da violência baseada em gênero. Na segunda unidade mostra os desafios para a implementação de ações de humanização na atenção às pessoas em situação de violência no âmbito do SUS, da ampliação do trabalho em redes de atenção, da integração dos setores. Na terceira unidade ressalta a importância de mudança de mentalidade na atenção à violência, especificamente na área de saúde para romper a invisibilidade, ampliar discussões, romper preconceitos, qualificar a atenção, respeitando os princípios da ética e do sigilo. Apresenta, também, resumos das unidades, sugestões de leituras complementares e referências.

Linha do tempo

Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde - UNA-SUS; Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
55.83%
Página interativa em HTML apresentando uma linha do tempo de eventos históricos que tanto contribuíram para a formação de ideias preconceituosas como marcaram historicamente a notável escalada de conquistas de direitos dos movimentos organizados da população LGBT.

Políticas de humanização e o direito à saúde no Rio Grande do Sul

Gonçalves, Maria do Carmo dos Santos
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
65.88%
No Brasil, desde o início do século XX, o Estado tem-se ocupado gradativamente com a questão da saúde. Ao longo do século, foram se consolidando conquistas relativas à ampliação ao direito à saúde. Num primeiro momento, esse direito foi incorporado pela classe trabalhadora urbana assalariada. Foi somente a partir da Constituição de 1988, porém, que esse direito tornou-se universal. Passadas duas décadas da implementação do SUS, contudo, o acesso da maioria da população ao direito à saúde ainda é muito precário. Diante disso, nos últimos anos foram lançadas algumas políticas públicas, tais como as de humanização do SUS, buscando incidir sobre o modelo de gestão e atenção do sistema como forma de garantir a melhoria da atenção à saúde e a concretização do direito à saúde. No Rio Grande do Sul, essas políticas públicas não têm obtido muita efetividade por conta da singularidade do sistema de saúde no estado, centrado no modelo que prioriza o papel do hospital no atendimento à saúde.; Since the beginning of 20th century, health care has been target of a increasing investment of Brazilian govern, and number of achievements has been seen during that time. At first the right to the healthcare was embodied by working class...

O movimento sindical na dinâmica da acumulação capitalista: ação sindical dos trabalhadores metalúrgicos de Caxias do Sul

Wünsch, Paulo Roberto
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
45.99%
A presente dissertação analisa a dinâmica da acumulação e as resistências promovidas pelos sindicatos. Para isto, se apoia na pesquisa bibliográfica, a fim de realizar uma síntese, considerando os movimentos nacionais e suas repercussões no local. Efetua uma incursão na história brasileira especialmente no que se refere ao enfrentamento realizado pelas entidades sindicais as expressões das desigualdades sociais oriundas do processo de acumulação. Enfatiza as ações coletivas, pois estas requerem um associativismo consciente e refletem as contradições no interior das classes sociais, bem como o antagonismo de classe. A pesquisa desenvolvida evidencia que a dominação consentida ou coercitiva realizada pelas classes dominantes brasileiras visando a acumulação sofre mutações de acordo com o contexto histórico, cultural, político e econômico. Ressalta que as classes subalternas sempre resistiram ao processo de acumulação de acordo com as condições objetivas e o grau de desenvolvimento da consciência coletiva. Esta situação é confirmada com o resgate histórico da formação do Brasil a partir das particularidades originárias do processo de colonização, o qual integrava o sistema colônia.Busca compreender as desigualdades de desenvolvimento econômico da sociedade brasileira e as singularidades do município de Caxias do Sul e no Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas...

Avaliação do programa saúde da família no Rio Grande do Norte

Santos, Paula Fernanda Brandão Batista dos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
55.77%
The Family Health Program implemented in Brazilian municipalities from 1994 represents today the most promising proposal to promote important changes in municipality`s health systems, to allow universal access to health care, comprehensiveness, equity and to promote social control, achievements provided by the health reform process and incorporated to the Unified Health System principles. However, many are the challenges imposed to the Family Health Program so that it can cause these advances. In this study, we aimed to answer the following research question: what are the results of the Family Health Program in relation to beneficiaries at small, medium and large municipalities? The hypothesis that guided this work was that the variation in levels of achievement/results (strict, impacts and effects) of the Family Health Program is related to the size of the municipalities. Therefore, our general aim was to evaluate the results of the Family Health Program in municipalities at Rio Grande do Norte, Brazil. And as specific objectives, to measure strict results, effects and impacts of the Program, from the criteria of efficiency and effectiveness on the beneficiated population, and to measure the Program`s impact on the organization of municipality`s health system. This is an impact assessment research...

A educação física do Sistema Único de Saúde (SUS)

Gomes, Marcius de Almeida
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Formato: 188 p.| il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
35.95%
Tese [doutorado] - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Desportos. Programa de Pós-graduação em Educação Física, Florianópolis, 2013; A expansão e consolidação da Estratégia Saúde da Família por todo o país têm garantido importantes conquistas, que possibilitaram a ampliação de suas ações com a inserção de outros profissionais envolvidos na promoção da saúde. Apesar de reconhecida como uma das profissões da área da saúde desde 1998, só após dez anos a educação física foi convidada a participar das políticas de saúde do SUS. Como novo espaço de atuação para a educação física, torna-se necessária a construção de um novo fazer, considerando os métodos, as técnicas e os procedimentos sistematicamente e historicamente adotados pelos profissionais pioneiros no SUS, e as mudanças constantes do perfil de doença da população. Neste sentido, esta pesquisa investigou sobre o processo de formação continuada e de intervenção da educação física para promoção da saúde na atenção básica, buscando implementar, desenvolver e avaliar a efetividade de um programa de intervenção, de base comunitária, com a população atendida pela Estratégia Saúde da Família quanto aos indicadores de saúde...

O sistema único de saúde numa perspectiva histórica e no contexto das políticas públicas

Verdi, Marta Inez Machado; Ros, Marco Aurélio Da; Cutolo, Luiz Roberto Agea
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Conteúdo Online do módulo de Saúde e Sociedade: O Sistema único de saúde numa perspectiva histórica e no contexto das políticas públicas. Unidade 3 do módulo 2 que compõe o Curso de Especialização Multiprofissional em Saúde da Família. Arqui
PT_BR
Relevância na Pesquisa
45.98%
Tópico 1 – Premissas iniciais O tópico apresenta as três premissas condicionantes da possibilidade de construção do SUS: a primeira origina-se do movimento da Medicina Social, no século XIX, estabelecendo a determinação social das condições de saúde e da visão contrária, que veio a se constituir o modelo hegemônico unicausal, advinda da teoria pasteuriana, estabelecendo como causa das doenças, exclusivamente, à contaminação por bactérias, dissociando as condições de saúde de suas causas sociais; a segunda está na base do modelo médico norte americano do início do século XX, ao criar um novo paradigma de ensino da medicina, baseado na unicausalidade, biologista, hospitalocêntrico, fragmentário e positivista, possibilitando o surgimento do complexo médico industrial; a terceira decorre da contestação do Círculo de Viena, pondo abaixo a teoria positivista, por meio do entendimento de que existe um processo permanente de desvelamento, do qual decorre o princípio do conhecimento máximo, que permite explorar, superar e incorporar novos conhecimentos ao saber anteriormente constituído. Tópico 2 – Condições de instalação do modelo brasileiro O tópico historia que: na década de 1960, coexistiam no Brasil a incipiente medicina sanitarista de campanhas...

Envelhecimento e saúde da pessoa idosa: o que todos precisamos saber

Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Recurso textual contendo imagens coloridas, utilizado na unidade introdutória do módulo 10 (Saúde do idoso), direcionado para o Programa de Valorização da Atenção Básica (Provab)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
55.87%
A população do mundo está com um maior quantitativo de idosos, e isto é resultante de políticas de saúde mais eficientes que proporcionam planos e ações estratégicos para o enfrentamento das doenças prevalentes a este público. É de suma importância saber como é e como vive este grupo de pessoas no Brasil, para que as ações de saúde realizadas sejam efetivas e bem-sucedidas. Para tanto, é apontado neste recurso os meios utilizados para conhecer as características gerais sobre a população idosa em níveis nacionais, regionais e municipais, como o relatório do IBGE de 2010 (Síntese dos Indicadores Sociais) e o Datasus. São abordados assuntos como as doenças mais comuns (derrames, pressão alta, infartos, diabetes), os problemas sociais, os programas oficiais e as organizações não governamentais relacionados ao idoso. Contempla ainda aspectos históricos que a população idosa brasileira passou para adquirir grandes conquistas, como o Pacto pela vida e o Estatuto do Idoso, bem como a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa; Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS

Políticas públicas no enfrentamento da violência

Coelho, Elza Berger Salema; Bolsoni, Carolina Carvalho; Conceição, Thays Berger; Verdi, Marta Inez Machado
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto Formato: Módulo 5 do Curso de Violência: Políticas públicas no enfrentamento da violência. Arquivo em pdf com 51 páginas.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
45.82%
Apresenta, na primeira unidade o fenômeno da violência entre parceiros íntimos como problema da área de saúde, do ponto de vista das políticas públicas específicas para enfrentamento, prevenção e atendimento, mostrando o histórico das conquistas de direitos da mulher, das convenções internacionais, das modificações da legislação nacional e diretrizes políticas atuais, com vistas à erradicação da violência baseada em gênero. Na segunda unidade mostra os desafios para a implementação de ações de humanização na atenção às pessoas em situação de violência no âmbito do SUS, da ampliação do trabalho em redes de atenção, da integração dos setores. Na terceira unidade ressalta a importância de mudança de mentalidade na atenção à violência, especificamente na área de saúde para romper a invisibilidade, ampliar discussões, romper preconceitos, qualificar a atenção, respeitando os princípios da ética e do sigilo. Apresenta, também, resumos das unidades, sugestões de leituras complementares e referências.; 1.0; Ministério da Saúde

Conquistas do SUS

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Diagrama em formato HTML contendo imagens coloridas.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
126.11%
O diagrama é um recurso educacional que compõe a Unidade 2 do Módulo 02 "Saúde e Sociedade" do Curso de Especialização em Saúde da Família do Programa Mais Médicos da UNA-SUS/UFMA e compara as mudanças nas ações de saúde pública no Brasil após a implementação do SUS.; Ministério da Saúde

Linha do tempo

Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde - UNA-SUS; Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Página da web interativa em HTML.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
65.83%
Página interativa em HTML apresentando uma linha do tempo de eventos históricos que tanto contribuíram para a formação de ideias preconceituosas como marcaram historicamente a notável escalada de conquistas de direitos dos movimentos organizados da população LGBT.; 1.0; Ministério da Saúde do Brasil

Para entender a gestão do SUS

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Secretários de Saúde
Fonte: Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) Publicador: Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS)
Tipo: Documento de gestão
POT
Relevância na Pesquisa
55.85%
247 p.; O documento visa oferecer o panorama mais completo possível sobre o Sistema Único de Saúde. É estruturado na forma de um roteiro, que parte das próprias origens do SUS e vai até as mais recentes conquistas, apresentando também os principais desafios colocados para o futuro próximo da gestão do sistema.

Sistema único de Saúde (SUS): princípios e conquistas

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva
Fonte: Ministério da Saúde (MS) Publicador: Ministério da Saúde (MS)
Tipo: Documento de governo
POT
Relevância na Pesquisa
45.81%
41 p.; Com a descentralização dos serviços e dos recursos de saúde, a participação social passa a ser condição essencial. A organização operacional do SUS, sob outro aspecto evoluiu mediente a edição de três Normas Operacionais Básicas (NOB), cada qual substituindo e aperfeiçoando a anterior, tem-se a perfeita compreensão que se trata de um processo em constante aperfeiçoamento.

Mulheres e ciência: desafios e conquistasDOI:10.5007/1807-1384.2011v8n2p20; Women and science: challenges and achievements; Mujeres y ciencia: desafíos y conquistas

Carvalho, Marilia Gomes de; Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPr; Casagrande, Lindamir Salete; Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPr)
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 09/12/2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.18%
O objetivo do artigo é mostrar, por um lado, os desafios que as mulheres da sociedade ocidental moderna enfrentaram para produzir conhecimentos científicos e, por outro, trazer suas conquistas na ciência. Por meio de uma perspectiva histórica citamos nomes de algumas mulheres pioneiras que, enfrentando preconceitos e discriminações, produziram contribuições à ciência, mas que pelo simples fato de serem mulheres, ficaram na invisibilidade, sendo visibilizadas pelos estudos de gênero e ciência. Além das barreiras impostas pelos costumes de uma sociedade patriarcal e machista que não permitiam às mulheres freqüentarem ambientes acadêmicos, as mulheres possuíam outra dificuldade para se dedicarem à ciência: a divisão sexual do trabalho na família que as limitava aos trabalhos domésticos e aos cuidados dos seus membros dependentes. Havia uma desigualdade entre o tempo de trabalho dedicado à ciência por homens e mulheres, fenômeno que permanece até os dias de hoje. Sobre as conquistas consideramos que atualmente o número de mulheres nas universidades de vários países, inclusive do Brasil, é superior ao número de homens. Nos institutos de pesquisa também há participação de mulheres, porém os postos mais avançados ainda são ocupados pelos homens. Hoje elas freqüentam os mais diferentes cursos universitários. São maioria nas áreas das ciências da saúde e humanas e minoria nas ciências exatas e tecnológicas. Por fim...