Página 1 dos resultados de 17 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Estudo econômico da Conjuração Mineira: análise dos seqüestros de bens dos inconfidentes da comarca do Rio das Mortes; An economic study of the Conjuração Mineira: an analysis of the distresses inflicted on the conjurators of Rio das Mortes district

Rodrigues, André Figueiredo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/09/2008 PT
Relevância na Pesquisa
67.72%
Esta Tese propõe-se a investigar os seqüestros de bens dos inconfidentes da comarca do Rio das Mortes, em Minas Gerais, na segunda metade do século XVIII, ao reconstituir a trajetória de sete sediciosos (Carlos Correia de Toledo e Melo, Luís Vaz de Toledo Piza, Francisco Antônio de Oliveira Lopes, José Aires Gomes, Manuel Rodrigues da Costa, Inácio José de Alvarenga Peixoto e José de Resende Costa) que tiveram seu patrimônio listado nos Autos de Seqüestro originais da Conjuração Mineira. Para isto, iniciamos o primeiro capítulo reconstituindo a trama jurídica do processo de devassa, aberta para julgar o crime de Inconfidência, e os seqüestros de bens como fontes de pesquisa. O capítulo seguinte é dedicado ao estudo das relações agrícolas e pastoris nas propriedades dos inconfidentes. Nele, por meio dos seqüestros e de documentos correlatos ao processo da devassa, discutiremos a posse da terra e os indícios de práticas agrícolas e de criação de animais nas fazendas inconfidentes. No terceiro capítulo, estudaremos as técnicas de exploração do ouro e a presença dos escravos nas suas propriedades. Por último, analisaremos a cadeia de endividamento e de crédito que estruturava a vida e o relacionamento dos sediciosos...

Reformismo Ilustrado, censura e práticas de leitura: usos do livro na América Portuguesa; Enlightened Reformism, Censorship and Reading Practices: The Uses of Books in Portuguese America

Villalta, Luiz Carlos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/08/1999 PT
Relevância na Pesquisa
16.53%
Esta tese propõe-se a investigar os usos do livro na América Portuguesa, fazendo referências também a Portugal. Embora concentre-se nos anos compreendidos entre 1750 e 1822, para compreender as especificidades deste mesmo período, recua quando necessário ao século XVI. Primeiramente, apresenta um quadro das referências culturais e dos alvos de ataque da censura portuguesa e dos leitores no período do Reformismo Ilustrado: de um lado, as teorias corporativas de poder da Segunda Escolástica, os milenarismos e o anti-cientificismo e, de outro, a Ilustração e, ainda, as linhas gerais do Reformismo Ilustrado português, de Pombal ao Príncipe Regente D. João VI. Em segundo lugar, focaliza a atuação da censura e da Coroa em relação aos livros, isto é, os usos prescritos e interditados, avaliando os parâmetros censórios e suas modificações sob o Reformismo Ilustrado; acompanhando as práticas de controle e, inversamente, de difusão que afetaram a circulação e a posse de livros; e, ainda, examinando as concessões de licença para a leitura de livros proibidos. Por fim, aborda os usos do livro no mundo luso-brasileiro, através da análise da distribuição da posse de livros e da composição das bibliotecas; depois...

Florêncio José Ferreira Coutinho - compositor dos tempos coloniais - partitura e documentação

Camargo, Fernando Emboaba de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 06/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
47.6%
Florêncio José Ferreira Coutinho é compositor de interesse tanto histórico como musicológico. Entre os compositores do período colonial, Ferreira Coutinho talvez seja aquele com maior número de cartas e documentos históricos conhecidos. Destaca-se sua correspondência destinada à Maria I, em boa parte preservada, bem como a farta documentação referente a ele nos Autos da Devassa da Conjuração Mineira, já que foi um dos principais delatores de Tiradentes. Fundador ainda da Irmandade de Santa Cecília em Vila Rica, Ferreira Coutinho é um caso de músico colonial com presença marcante em diversas atividades sociais: timbaleiro e trombeteiro do Regimento dos Dragões de Vila Rica, portanto, músico profissional militar que recebia soldo; compositor, cantor e compositor atuante na Casa de Ópera de Vila Rica; bem como cantor (voz de baixo) e compositor, mestre-de-capela nos mais diversos serviços religiosos para o Senado da Câmara, bem como para as principais irmandades de Vila Rica. Além desta riqueza de dados biográficos há ainda as composições musicais de Ferreira Coutinho que sobreviveram aos tempos - poucas delas hoje conhecidas. Portanto, a presente pesquisa se completa com a catalogação de obras, bem como com a edição de suas partituras em anexo...

Imprensa e política: os usos simbólicos da Conjuração Mineira em São João del - Rei e Ouro Preto (1877 – 1889)

Resende, Augusto Henrique Assis
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 175 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
67.88%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Processo FAPESP: 12/20559-0; Pós-graduação em História - FCLAS; In our study, we intent to show the presence of conjurados mineiros , especially of Joaquim José da Sil va Xavier, much time before the raise of the Republic in Brazil. Since the latest years in eighteenth century the history about Conjuração Mineira has been told by foreign studious. Although some witness were describing and telling some stories and facts about Conjuração Mineira , during the nineteenth century there were some books that report this. Our research pursuit to show that the memory related with the conjurados mineiros were alive and strongly present among the Brazilians of the last half of nineteenth century, mainly between 1877 and 1889. Through the historiography and also using some political journals of Minas Gerais, we demonstrate which the appropriation, imaginary and representation of some members of conjurados mineiros ha d been used. To confirm that we analysed six journals of two towns: Ouro Preto and São João del - Rei. About those journals, they used to be representative of the three parties, at least in Minas Gerais. This research concentrate, as well, in attempt of unde rstanding how the images of conjurados mineiros spread through the pages of analysed journals. Besides...

A família escrava nos plantéis dos conjurados mineiros da comarca do Rio das Mortes (Minas Gerais, 1789-1791)

Rodrigues, André Figueiredo
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 109-124
POR
Relevância na Pesquisa
37.06%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Processo FAPESP: 2004/15892-5; This article analyze, with base on the distresses inflicted listed in Autos de Devassa da Inconfidência Mineira, information about the families confiscated in the slave holding to the prisoners residents of Rio das Mortes district, in Minas Gerais, between 1789 to 1789.; Este artículo analiza, con base en los secuestros de bienes listados en los Autos de Devassa da Inconfidência Mineira, informaciones sobre las familias incautadas en los plantéis esclavos de los habitantes prendidos de la comarca del Río de las Muertes, en Minas Gerais, entre 1789 y 1791.; Este artigo analisa, com base nos sequestros de bens listados nos Autos de Devassa da Inconfidência Mineira, informações sobre as famílias apreendidas nos plantéis escravos dos moradores presos da comarca do Rio das Mortes, em Minas Gerais, entre 1789 e 1791.

Inconfidencia mineira : a historia dos sentidos de uma historia

Junia Focas Vieira Machado
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/12/1993 PT
Relevância na Pesquisa
46.97%
Este trabalho consiste em uma análise dos discursos da Inconfidência Mineira, tomando como corpus os processos das devassas judiciais, compilados nos Autos de Devassa da Inconfidência Mineira, publicação da Imprensa Oficial de Minais Gerais. Objetiva-se empreender um estudo fundamentado na Análise de Discurso, desvendando os sentidos do poder colonial - efetuados através da paráfrase - e de como destes emergiu a fala da liberdade dos conspiradores - articulada por intermédio da polissemia. Desse quadro enunciativo, surgiu uma forma de "dizer dupla", ao mesmo tempo submissa e rebelde, na qual o discurso evasivo dos inconfidentes, na instância da repressão portuguesa, constituiu o réu condenado - Tiradentes. Desse intrincamento de sentidos, nasce o "discurso da História", fruto do confronto de sentidos ideológicos no "discurso na História", fundamentador do símbolo da independência e da identidade nacional; Not informed

A Inconfidência mineira inserida na evolução do direito penal

Costa, Luiz Henrique Manoel da
Fonte: Senado Federal do Brasil Publicador: Senado Federal do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.77%
Bibliografia; Influência da conjuração mineira, assim como dos demais movimentos sociais a ela contemporâneos na definição de um novo modelo de sociedade e por conseguinte, um novo modelo político e jurídico

Conjuração mineira: novos aspectos

Maxwell,Kenneth
Fonte: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo Publicador: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/1989 PT
Relevância na Pesquisa
26.53%

Observações sobre o constitucionalismo brasileiro antes do advento da República

Maciel, Adhemar Ferreira
Fonte: Superior Tribunal de Justiça do Brasil Publicador: Superior Tribunal de Justiça do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 200850 bytes; application/pdf
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.9%
Explica o termo Constitucionalismo desde a sua concepção. Assevera que seu significado é a busca político-jurídica pelo primado da lei, referindo-se à lei consentida pelo governado. Apresenta pontos em comum entre o liberalismo e o Constitucionalismo. Observa que tanto o liberalismo quanto o Constitucionalismo preocuparam-se com instrumentos jurídicos que pudessem garantir as liberdades fundamentais do cidadão contra o Estado e contra grupos sociais. Comenta sobre a Inconfidência Mineira e a Revolução Pernambucana de 1817, dois movimentos pré-constitucionalistas no Brasil que perturbaram a tranqüilidade colonial portuguesa no Novo Mundo. Apresenta histórico do Constitucionalismo no Brasil desde seu início até 1834, ano em que a Carta de 1824 foi alterada pela Lei n. 16 (Ato Adicional).

Minas insurgente: conflitos e confrontos no século XVII

Azevedo, Edeílson Matias de
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
36.9%
A busca pelo ouro fez da região aurífera palco de muitos conflitos. No início da mineração, virada do século XVII para o século XVIII, os mineiros protagonizaram diversos confrontos. Eram mineiros contra mineiros, todos pela disputa das melhores terras onde a extração do ouro parecia ser mais promissora. A Guerra dos Emboabas foi o exemplo mais contundente dos atritos entre os mineradores. Anos depois desse acontecimento, Felipe dos Santos e seus partidários, descontentes com a imposição das Casas de Fundição, entraram em confronto com as autoridades régias. Entre os anos de 1736 e 1737, os mineiros demonstraram, por meio de motins, suas insatisfações com a ação fiscalista praticada pelos funcionários régios. A erupção desses confrontos foi provocada pela alternância dos métodos de cobrança do quinto real. Em muitas situações, a Coroa portuguesa foi forçada pelos mineiros a negociar o modo menos opressor de arrecadar aquele direito senhorial. Porém, com o Alvará de 3 de dezembro de 1750 a Coroa iniciou um processo de fechamento dos canais de negociação com os mineiros. Esse processo foi agravado com o Alvará de 5de janeiro de 1785. A ausência de negociação ficou ainda mais clara com a Instrução para o Visconde de Barbacena (janeiro de 1788). É sobre conflitos...

Os inconfidentes nas Minas Gerais: uma relação entre a Geografia e a Literatura Setecentista de Cláudio Manuel da Costa, Tomás Antônio Gonzaga e Alvarenga Peixoto

Araújo, Kárita de Fátima
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.06%
Objetivando compreender a maneira pela qual se processou a construção da identidade nacional e da formação territorial brasileira no contexto das Minas Gerais setecentistas, procuramos fazê-lo à luz das obras literárias dos poetas inconfidentes. Para tal, escolhemos Vila Rica de Cláudio Manuel da Costa; Cartas chilenas de Tomás Antônio Gonzaga e, Canto Genetlíaco de Inácio José de Alvarenga Peixoto. Ao trabalhar no entrecruzamento da Geografia com a Literatura, buscamos aliar as manifestações artísticas dos agentes que participaram efetivamente da Inconfidência Mineira aos componentes espaciais e temporais que compuseram a sociedade mineira do século XVIII. Nesse sentido, a poesia dos inconfidentes foi fundamental para analisarmos a condição da capitania mineira tal qual ela se apresentava. Alguns elementos foram valiosos para auxiliar-nos nesta análise, tais como, a compreensão do conceito de sertão para aquela localidade e período, bem como sua ocupação e condição de isolamento; o desenvolvimento e decadência do “ciclo do ouro” e, as relações estabelecidas entre as Minas Gerais e as capitanias de São Paulo e Rio de Janeiro no intuito de posteriormente, comporem, juntas, uma mesma nação independente de Portugal. Compreender ainda...

Pintura, historia e herois no seculo XIX : Pedro Americo e "Tiradentes Esquartejado"

Maraliz de Castro Vieira Christo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 04/11/2005 PT
Relevância na Pesquisa
27.24%
A tela Tiradentes esquartejado, de Pedro Americo, produzida em 1893, pertencente ao acervo do Museu Mariano Procópio de Juiz de Fora (Minas Gerais -Brasil), representa, em grande formato, o corpo esquartejado do protomártir da República brasileira, executado em 1792 por crime de lesa-majestade, acusado de liderar um movimento pela Independência do Brasil. A leitura iconográfica da tela acentua a gênese de seu processo criativo, identificando a proposta inicial do artista em apresentar Tiradentes esquartejado não como tela isolada, mas compondo uma narrativa sobre a Conjuração Mineira, estruturada na forma de tragédia, enfatizando a fragilidade do movimento. A tela insere-se nos dilemas da criação do panteão nacional republicano, em pleno ocaso da pintura histórica na cultura ocidental. As vicissitudes da produção, circulação e recepção da imagem permitem compreender seu esquecimento por mais de meio século e atualidade. A análise do método de trabalho de Pedro Americo denota o intenso diálogo com a história da arte, assim como o processo de desconstrução dos heróis no conjunto da obra do artista, enfatizando sua consonância com a pintura internacional do final do século XIX e originalidade Resume: La toile Tiradentes écartelé de Pedro Americo...

Joaquim Norberto de Souza Silva : historiador um olhar sobre Minas Gerais colonial

Sonia Regina Pinto Soares
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/03/2002 PT
Relevância na Pesquisa
27.11%
Este estudo buscou traçar os passos percorridos por Joaquim Norberto de Souza Silva, um dos intelectuais da geração romântica que, por cinqüenta anos, abraçou os ideais e os projetos do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (EHGB). Em todos esses anos de atividade intelectual, Norberto desenvolveu inúmeros trabalhos em história, história da literatura, teatro, crítica literária, biografias, poesia, contos e novelas. Nosso estudo teve como objetivo maior destacar a visão do historiador, principalmente o historiador do movimento ocorrido nas Minas Gerais do século XVIII, exposto na sua obra História da Conjuração Mineira e em outros trabalhos seus, que foram desenvolvidos sobre o mesmo tema; This essay examines Joaquim Norberto de Souza Suva's history. He was one of intellectuals from the romantic generation and, for fifty years, he believed in Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGBJ's ideals and projects. During this time of intellectual activity, Norberto developed several works related to History, Literature History, Theater, Literary Review, Biographies, Poetry, Tales and Novels. As the main aim, our work has had the purpose of emphasizing the historiographer's vision, especially the historiographer from the rebellion which took place in Minas Gerais in the eighteenth century...

Conjuração mineira: novos aspectos

Maxwell, Kenneth
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Avançados Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Avançados
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/1989 POR
Relevância na Pesquisa
26.53%

Câmara dos Deputados: Governo do Estado de Minas Gerais

Iglésias, Francisco
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, D. História Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, D. História
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion;
Publicado em 14/09/1977 PT
Relevância na Pesquisa
36.97%
MATIAS, Herculano Gomes. Câmara dos Deputados: Governo do Estado de Minas Gerais. Autos de Devassa da Inconfidência Mineira. Vol. 1. Brasília/Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1976, 426 pp.(primeiro parágrafo do texto)A publicação dos Autos de Devassa da Inconfidência Mineira, em 1936-1938, constituiu-se em ousada e meritória experiência de edição de documentos no Brasil. Já alguma coisa se fizera no gênero, como os Anais da Biblioteca Nacional (início em 1876) e a Coleção de Documentos Históricos (1928), também da Biblioteca Nacional, ou os Documentos Interessantes (1894) e Inventários e Testamentos (1920), pelo Governo de São Paulo, sem falar no que aparecia na Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, desde 1839: eram até mais amplos e numerosos, mas tratavam de muitos assuntos e as edições não tinham o rigor da apresentada pelo Ministério da Educação, com depoimentos referentes à Conjuração mineira. A tarefa coube à Biblioteca Nacional. Esta, dirigida pelo historiador Rodolfo Garcia, monopolizou os elementos competentes e a edição, em 7 volumes, em 3.236 páginas, constituiu-se em fato importante, pois colocou em mãos do público documentação indispensável não só para o episódio mineiro como para o entendimento do Brasil.

Por correrem os templos nublados: um estudo sobre o clero e a conjuração mineira

Rodrigues, André Figueiredo
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, D. História Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, D. História
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/1998 POR
Relevância na Pesquisa
67.82%
O artigo aborda a posição sócio-econômica do clero e sua atuação no contexto histórico da Conjuração mineira. A partir da documentação tentaremos traçar um perfil desse clero e de alguns de seus membros, mais especificamente, os envolvidos na Conjuração.; This article discusses the clergy's social and economic positions as well as its role in the historical context of the Conjuração mineira. Based on a documentary analysis, the profile of the clergy and its members engaged in the Conjuração is outlined.

Narrativas sobre a Conjuração Mineira: Pedro Américo, Portinari, João Câmara e Joaquim Pedro; Narratives on the Conjuração Mineira: Pedro Americo, Portinari, João Câmara e Joaquim Pedro

Christo, Maraliz Castro Vieira; Universidade Federal de Juiz de Fora
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 21/03/2008 POR
Relevância na Pesquisa
67.6%
http://dx.doi.org/10.5007/2175-7976.2008v15n19p95Comparando-se as narrativas compostas por artistas diferentes em peródos igualmente diversos sobre a Conjuração Mineira, buscou-se salientar as especificidades de cada uma, assim como o diálogo que estabelecem. Privilegiou-se a obra de Pedro Americo, o primeiro a expor o esquartejamento do herói, e seguiu-se, cotejando-a com as posteriores. Pedro americo, Portinari, João Câmara e Joaquim Pedro, ao se colocarem o problema das relações entre colônia e metrópole, intelectuais e revolução, herói e povo, responderam a questões específicas dos respectivos contextos de produção e suas obras.; Comparing the narratives proposals for different artists in equally diverse periods on the Mining Plot, one searched to point out the especificidades of each one, as well as the dialogue that establish. It was privileged workmanship of Peter Americo,the first one to display the cutting of the hero, and was followed, it with the posterior ones. Pedro Americo, Portinari, João Câmara and Joaquim Pedro, to if placing the problem of the relations between colony and metropolis, intellectuals and revolution, hero and people, had answered the specific questions of the respective contexts of production of its workmanships.