Página 1 dos resultados de 4526 itens digitais encontrados em 0.036 segundos

O factor comunicação em provas de espirometria

Vinha, Maria do Céu Barradas Poeiras
Fonte: Universidade Aberta de Portugal Publicador: Universidade Aberta de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
86%
Dissertação de Mestrado em Comunicação em Saúde apresentada à Universidade Aberta; O presente estudo procura analisar a comunicação que se estabelece entre os Técnicos de Saúde – Cardiopneumologistas e os doentes, na prática de exames complementares de diagnóstico e terapêutica da área da Pneumologia – Provas de Função Respiratória (PFR) – Espirometrias. Este estudo desenvolve-se na área da comunicação em saúde, centrando-se na importância dos factores comunicacionais na relação entre o doente e os prestadores de cuidados, na satisfação percebida pelo doente, enquanto indicadores da qualidade dos serviços. Insere-se no âmbito do Estudo Funcional Respiratório (EFR) e circunscreveu-se apenas à técnica da Espirometria, que sendo uma das técnicas mais utilizadas, é também muito influenciada pelo desempenho do doente e do CPL. O estudo teve lugar no laboratório de função respiratória do Hospital Garcia de Orta onde a autora desempenha a sua actividade profissional. Partindo de uma contextualização teórica em que se analisa o processo de comunicação e toda a sua envolvente. Foi dado especial relevo ás relações interpessoais, ás diferentes formas de comunicação, ás atitudes e crenças...

Comunicação em saúde e interculturalidade : perspectivas teóricas, metodológicas e práticas

Ramos, Natália
Fonte: Universidade Aberta de Portugal Publicador: Universidade Aberta de Portugal
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
96.05%
A comunicação no domínio da saúde é da maior importância na formação, pesquisa e intervenção, inscrevendo-se numa perspetiva sistémica, interativa e multi/interdisciplinar. Visa uma melhor informação, capacitação e intervenção face às novas problemáticas individuais, sociais, organizacionais, multi/interculturais e de cidadania que se registam na sociedade contemporânea, particularmente na saúde, as quais vêm colocar questões a diferentes níveis, nomeadamente às novas configurações e pluralidades no campo da saúde, informação e comunicação. A comunicação é uma componente básica dos cuidados e educação em saúde, da mudança comportamental e competência clínica e intercultural ao nível sanitário, assim como da organização e gestão em saúde, constituindo igualmente um bom indicador da qualidade dos cuidados e sistemas de saúde. O encontro interdisciplinar entre saúde, comunicação e cultura vem colocar novos paradigmas e desafios estratégicos, políticos, teóricos e metodológicos no campo da prevenção, informação, educação e promoção em saúde, bem como das competências comunicacionais e interculturais, particularmente em contexto multicultural. Analisam-se algumas questões teóricas...

Promoção e comunicação em saúde : vivências e confidências; Promotion and communication in health : experiences and confidences

Farias, Neusa Beatriz Barcelos de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
85.94%
Este artigo tem por objetivo narrar, através de um relato de experiência, minha vivência durante a participação na elaboração e apresentação, como extensionista voluntária nos programas Saúde na Comunidade e Programa Quartas Intenções: um encontro real com seus amigos imaginários da Rádio Comunitária AMORB-FM, em Porto Alegre (RS). Através do Projeto de Extensão Nas Ondas do Rádio, realizado em uma parceria da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Grupo Hospitalar Conceição (GHC), Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e Associação Comunitária dos Moradores do Conjunto Habitacional Rubem Berta (AMORB). Estes programas radiofônicos, realizados semanalmente, têm um enfoque na promoção, na educação e na prevenção em saúde e visam atingir a comunidade em geral, variando os temas para que múltiplos atores e interesses sejam contemplados. Além disso, por meio do debate, é possível aumentar o conhecimento sobre saúde, seus determinantes e condicionantes; reconhecer a saúde como direito; e possibilitar a troca de conhecimentos entre os profissionais de saúde e a população, entre outros benefícios. A partir deste Projeto de Extensão, pode-se verificar, ainda, o quanto um programa de rádio é capaz de contribuir para a melhoria da saúde das pessoas...

A comunicação em saúde no sistema único de saúde : uma revisão de literatura

Silva, Vivian Costa da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
96.07%
Objetivo: Este estudo tem por objetivo analisar, através de revisão de literatura, como está organizada, planejada e executada a comunicação em saúde dentro do Sistema Único de Saúde (SUS). Metodologia: Foram selecionados nove artigos publicados nas bases de dados Scielo e Lilacs, de 2000 a 2013. Durante a análise dos artigos, foi identificado e organizado cinco categorias que permitiram analisar a temática da comunicação em saúde: 1) histórico da comunicação em saúde no Brasil; 2) análise sobre a comunicação em saúde nos dias atuais; 3) a comunicação como um dispositivo de efetivar o trabalho em equipe; 4) discussão da aproximação da comunicação com a participação social, com a democracia e exercício da cidadania e; 5) sugestão de um novo modelo de organização da saúde através das redes de conversação, do Planejamento Estratégico Situacional e do desenvolvimento da habilidade comunicacional nos profissionais de saúde. Resultados: Os artigos selecionados desta pesquisa contribuem para a ampliação do debate sobre a relevância da comunicação em saúde, e sua indissociável relação com a produção de sentidos em saúde e o direito à saúde. Os resultados apontam para a necessidade do SUS publicizar os seus serviços...

Percepções de estudantes sobre comunicação em saúde : implicações para a atuação profissional

Dias, Clarissa Vaz
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
86.05%
Dissertação (mestrado)-Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, 2011.; A comunicação em saúde constitui o alicerce da relação profissional de saúde-paciente, sendo um fator de influência tanto na promoção quanto na assistência à saúde, com implicações diretas para a adesão aos tratamentos. Assim, é de fundamental importância estudar o conceito, para garantir abordagem adequada das reais necessidades em saúde e direcionar políticas públicas, programas de formação e treinamento em saúde, bem como avaliar sua efetividade na prestação de serviços. A prática humanizada, sustentada pelo Sistema Único de Saúde, passa pela consideração das variáveis psicossociais envolvidas no processo saúde-doença, pelo reconhecimento das desigualdades/disparidades existentes na relação profissional de saúde-paciente e pela ciência de que tal condição pode gerar iniquidades. A competência cultural tem sido apontada como um recurso estratégico para o desenvolvimento de habilidades comunicacionais essenciais no cuidado terapêutico. Nesse sentido, a presente pesquisa teve por objetivo geral caracterizar a percepção do que seja comunicação em saúde para estudantes do Campus da Universidade de Brasília (UnB)...

Comunicação em saúde : apenas remediar ou participar e prevenir?

Moura, Dione Oliveira
Fonte: Departamento de Ciência da Informação e Documentação (CID/UnB) Publicador: Departamento de Ciência da Informação e Documentação (CID/UnB)
Tipo: Parte de Livro
POR
Relevância na Pesquisa
95.92%
Quando observamos a divulgação de informações em saúde, distinguem-se pelo menos dois paradigmas antagônicos: um que aponta o caminho do “apenas remediar” (a ação pós-dano) e outro que aponta a alternativa da “participação e prevenção” (ação anterior ao dano). Iremos distinguir esses dois paradigmas dentro de um contexto da comunicação em saúde no Brasil e, ao final, iremos situar a “comunicação de risco” diante de ambos paradigmas.

Comunicação em saúde e a segurança do doente: problemas e desafios

Santos, Margarida Custódio dos; Grilo, Ana; Andrade, Graça; Guimarães, Teresa; Gomes, Ana
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
85.94%
A segurança do doente constitui um dos grandes desafios dos cuidados de saúde do séc. XXI. O reconhecimento da ocorrência de erros ou acidentes adversos com consequências gravosas para os doentes e para as instituições de saúde, levou, recentemente, a Organização Mundial de Saúde (OMS) a nomear comissões centradas na identificação de situações de risco e na elaboração de soluções que possam servir de recurso para a prevenção dessas situações. O resultado dos trabalhos destas comissões tornou evidente a importância da comunicação como determinante da qualidade e da segurança na prestação de cuidados. Neste artigo é abordada a problemática da comunicação em saúde e a sua relação com a segurança do doente, identificados problemas e apontadas algumas pistas para a sua prevenção. São especificamente referidos os principais problemas de comunicação entre os profissionais de saúde (nas passagens de turno e nas equipas de saúde) e entre estes profissionais e os doentes.; ABSTRACT - Patient safety is a major challenge for the XXI century health care. The recognition of inadvertent harm to patients as result of professional health care has, recently, led the World Health Organization (WHO) to appoint committees focused on identifying risk situations and developing solutions that can serve as a resource for the prevention of these adverse events. The outcome of these commissions has highlighted the importance of communication as a determinant of quality and safety in health care. In this article we address the issue of communication in health care and its relationship to patient safety...

Marketing social em saúde : a percepção dos jovens africanos e luso-africanos, residentes no Bairro Quinta da Fonte, sobre as acções de IEC (Information, Education, Communication), aplicadas na prevenção das infecções sexualmente transmitidas

Garcia, Maria João dos Santos, 1980-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
85.93%
Tese de mestrado, Comunicação em Saúde, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa, 2011; O material Information, Education, Communication (IEC) faz parte do Marketing Social em Saúde, que é, cada vez, mais utilizado em campanhas e programas de Educação para a Saúde. O objectivo é informar, educar e comunicar com determinados públicos-alvo, utilizando materiais que vão ao encontro das suas necessidades, desejos e dificuldades. No presente trabalho investigámos a percepção dos jovens africanos e luso-africanos (14-30 anos) face aos materiais IEC utilizados nas campanhas contra as infecções sexualmente transmitidas (IST) no Bairro Quinta da Fonte (Apelação). Concluiu-se que a percepção dos jovens face aos materiais IEC é positiva, contudo, é necessário defini-los com base numa estratégia de comunicação assente nos princípios do Marketing Social em Saúde e da Teoria Behave Framework. Para realizarmos este trabalho contámos com a ajuda da ONG Médicos do Mundo que, no Bairro Quinta da Fonte (Apelação) tem o projecto “Saude Pa nos Bairro”. Information, Education, Communication (IEC) are parts of Social Marketing in Health, which is more often used in campaigns and programmes for the Education in Health. The objective of these actions is to inform...

Literacia e comunicação em saúde: eficácia das estratégias de comunicação digital em saúde: doenças respiratórias crónicas

Pinto, Libânio Filipe Valente Ferreira, 1983-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
96.05%
Tese de mestrado, Comunicação em Saúde, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa, 2013; O trabalho desenvolvido no âmbito do mestrado em Comunicação em Saúde centra-se no estudo da eficácia das estratégias de comunicação digital em saúde. Nos enquadramentos teóricos exploram-se questões e hipóteses abordadas ao longo dos seminários realizados na parte lectiva do mestrado; desenvolve-se a análise do processo evolutivo ao nível da comunicação aplicada à saúde no contexto da aprendizagem e abordam-se as perspectivas de autores das áreas da comunicação digital, media interativos, ciências sociais, multimédia e saúde. Ainda neste trabalho apresentam-se e extraem-se conclusões do estudo de caso sobre o sitio de Internet das Doenças Respiratórias da Direção-geral de Saúde desenvolvido pelo Centro de Investigação para Tecnologias Interativas, da Universidade Nova de Lisboa. Com este estudo verificaram-se as hipóteses inicialmente formuladas sobre a importância deste tipo de aplicação no contexto da aprendizagem informal em saúde fundamentou-se, ainda, a relevância do uso da linguagem áudio-scripto-visual em contextos de comunicação em saúde.; This research project developed under the Master of Health Communication focuses on the study of the use digital communication strategies in Health. It aims to explore questions and hypotheses raised during the academic seminars of this master. It develops the analysis of the changing process of communication applied to health in the context of learning. It deals with the perspectives of authors in the areas of digital communication...

Comunicação em saúde: Relação Técnicos de Saúde – Utentes

Teixeira, José A. Carvalho
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2004 POR
Relevância na Pesquisa
95.93%
Os processos de comunicação em saúde têm importância central na relação entre os técnicos de saúde e os utentes. Assim, identificam-se os principais problemas de comunicação que podem ocorrer nos serviços de saúde e definem-se estratégias cuja finalidade é o desenvolvimento das competências comunicacionais dos técnicos de saúde e dos utentes. ***** ABSTRACT ***** Health communication processes are very important in health professionals / health consumers interaction. In this paper the author identifie many communication problems in health services and some strategies to development of health professional’s skills communication.

Literatura de cordel: veículo de comunicação e educação em saúde

Pagliuca,Lorita Marlena Freitag; Oliveira,Paula Marciana Pinheiro; Rebouças,Cristiana Brasil de Almeida; Galvão,Marli Teresinha Gimeniz
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
95.91%
Literatura de cordel são folhetos impressos, com ilustrações xilográficas. Neste estudo objetivou-se analisar as mensagens e linguagens nos folhetos que abordam o tema Vírus da Imunodeficiência Humana e a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. Trata-se de um estudo exploratório-descritivo do tipo documental, precedido de busca sistemática de cordéis, de agosto a novembro de 2006. Dos folhetos pesquisados, três abordavam a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. A análise de conteúdo direcionou a construção de cinco categorias: origem, ação, conseqüências e transmissão do vírus; mulher x infecção; situação em que não há contaminação pelo vírus; prevenção; e literatura de cordel como meio de comunicação em saúde. Os cordelistas apresentaram conteúdo informativo satisfatório para produzir no imaginário dos indivíduos um alerta favorável à inserção de medidas de prevenção e controle da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. O cordel revelou-se ferramenta de comunicação para promoção à saúde.

A contribuição da comunicação para a saúde: estudo de comunicação de risco via rádio na grande São Paulo

Janes,Marcelus William; Marques,Maria Cristina da Costa
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
85.95%
Este artigo analisa, a partir da programação das rádios comunitárias "8 de Dezembro", situada na cidade de Vargem Grande Paulista, e "Cantareira", na Vila Brasilândia, município de São Paulo, e dos discursos de seus ouvintes, como ocorre a comunicação de riscos sanitários inerentes ao campo da vigilância sanitária e qual é a influência sobre seus ouvintes. Foram analisados documentos produzidos pela rádio sobre saúde e vigilância sanitária e realizadas entrevistas qualiquantitativas com 106 ouvintes. Utilizou-se a metodologia do discurso do sujeito coletivo (DSC), que une o aspecto qualitativo ao quantitativo da pesquisa. Posteriormente os dados foram tabulados com a ajuda do software Qualiquantsoft. Concluiu-se que as rádios comunitárias podem ser um espaço de comunicação em saúde pública, por meio de processos educomunicativos, ou seja, podem ter um papel educativo sobre a população, estimulando a comunicação de riscos sanitários de forma mais eficiente e democrática. Na educomunicação, a recepção é crítica e interage com a emissão, ressignificando a mensagem a partir das experiências de vida local, social, cultural, educacional, religiosa etc.

A distribuição do conhecimento científico público em informação, comunicação e informática em saúde indexado nas bases de dados MEDLINE e LILACS

Packer,Abel Laerte; Tardelli,Adalberto Otranto; Castro,Regina Célia Figueiredo
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 PT
Relevância na Pesquisa
96.01%
Este artigo apresenta estudo exploratório sobre a distribuição da produção científica internacional, regional e nacional na área de informação e comunicação em saúde, referenciada nas bases de dados MEDLINE e LILACS, de 1996 a 2005. Para a seleção dos artigos, foi usada a estrutura hierárquica do vocabulário DeCS na área de Ciência da Informação. Foram determinados quatro domínios específicos: informação em saúde, informática médica, comunicação científica em saúde e comunicação em saúde. As variáveis analisadas foram: os assuntos e periódicos mais representativos, a produção por país de afiliação dos autores e por país de publicação e os idiomas, em ambas as bases de dados. Cerca de 5% dos artigos correspondeu à categoria Ciência da Informação. Os quatro domínios tiveram aumento relativo anual em MEDLINE. O domínio Informática Médica foi o que apresentou maior número de registros em MEDLINE, representando pouco mais da metade de todos os artigos indexados. A importância da Ciência da Informação é mais visível nas publicações dos países desenvolvidos e os resultados confirmaram a predominância dos Estados Unidos e o crescimento significativo da produção científica da China e Coréia do Sul e...

Tecnologias da informação, educação e comunicação em Saúde da Família

Universidade Aberta do SUS da Universidade de Brasília - UNA-SUS/UnB
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.03%
Neste módulo trabalharemos os princípios da Comunicação em Saúde mediada por Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC). Tem como objetivo introduzir o aluno à utilização das tecnologias de EAD para o desenvolvimento de habilidades e competências para emprego das novas formas de ensinar e aprender, mediadas pelas TICs na informação, educação e comunicação em saúde, e ainda utilização desses recursos para fortalecer estratégias de aprendizagem e mediação colaborativa em rede na base territorial para a Gestão da Informação e do Conhecimento em Saúde. As atividades estão distribuídas em 7 lições assim constituídas: diferenciação entre informação e comunicação; educação aproximativas mediada por tecnologias; fundamentos da comunicação em Saúde; tipos de comunicação; princípios da comunicação para tomada de decisões; planejamento em comunicação e fluxo de comunicação.

Comunicação em Saúde: Evitar o Contágio da Doença por Vírus Ébola nos PALOP – Metodologia KISS & KEYWORDS; Health Communication: Preventing the Spread of Ebola Virus Disease in the Portuguese Spoken African Countries - Methodology KISS & KEYWORDS

De Santiago, Isabel; Investigadora em Comunicação em Saúde. Instituto de Medicina Preventiva & Saúde Pública. Faculdade de Medicina. Universidade de Lisboa. Lisboa. Portugal. Assistente Convidada. Instituto de Medicina Preventiva & Saúde Pública. F
Fonte: Ordem dos Médicos Publicador: Ordem dos Médicos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 29/05/2015 POR
Relevância na Pesquisa
126.07%
Neste trabalho, a Comunicação em Saúde é considerada como uma disciplina importante para a Medicina e ciências da saúde pelo seu papel como verdadeiro determinante da saúde. Destaca-se o seu contributo para a promoção da saúde e prevenção da doença. Assim, o Plano de Comunicação em Saúde: Evitar o contágio da doença por vírus Ébola nos Países de Língua Oficial Portuguesa – Metodologia KISS & KEYWORDS é um instrumento que tem por objetivos minimizar o risco de contágio por vírus Ébola nos Países de Língua Oficial Portuguesa e ainda, capacitar para uma melhoria geral das condições sanitárias das populações visadas. No delineamento do Plano de Comunicação em Saúde são, especialmente, considerados os contextos sociais e culturais das populações-alvo, com destaque para os costumes, tradições e religião. A Comunicação em Saúde é encarada como uma Função Essencial da Saúde Pública e nessa medida visa sobretudo a abordagem populacional. O alvo das ações de comunicação são os grupos populacionais em complemento da comunicação individual, os públicos-alvo são populações sem acesso a meios de comunicação, na Guiné Bissau, Cabo-Verde e São Tomé e Príncipe. No âmbito do Plano de comunicação recorre-se a metodologia...

Reflexões sobre o ensino de gestão em saúde no internato de medicina na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas - Unicamp; Reflections on health management teaching in the medicine internship of the School of Medical Sciences - State University of Campinas - Unicamp; Reflexiones sobre la enseñanza de gestión en salud en el internato de medicina en la Facultad de Ciencias Médicas de la Universidad Estatal de Campinas, Unicamp, estado de São Paulo, Brasil

Carvalho, Sérgio Resende; Campos, Gastão Wagner de Sousa; Oliveira, Gustavo Nunes de
Fonte: Laboratório de Educação e Comunicação em Saúde, Departamento de Saúde Pública, Faculdade de Medicina de Botucatu e Instituto de Biociências de Botucatu - UNESP Publicador: Laboratório de Educação e Comunicação em Saúde, Departamento de Saúde Pública, Faculdade de Medicina de Botucatu e Instituto de Biociências de Botucatu - UNESP
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
95.79%
Este artigo descreve e analisa o internato em gestão e planejamento em saúde do quinto ano de medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Campinas. Foram utilizados, como materiais para análise: documentos oficiais, resultados de questionário semiestruturado aplicado aos alunos para avaliarem a disciplina, relatórios provenientes de reuniões e monografias produzidas pelos alunos durante o primeiro ano de funcionamento do curso, a partir de novembro de 2004. Optou-se por recortar o campo da gestão, enfocando-se centralmente a gestão do trabalho em saúde. A estratégia pedagógica empregada no curso baseou-se, sobretudo, na discussão de caso e elaboração de projetos terapêuticos e de intervenção. A avaliação dos alunos tanto validou a experiência e a estratégia pedagógica, quanto apresentou problemas e sugestões de mudança. _______________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT; This article describes and analyzes the Health Planning and Management internship for undergraduate students who are in the fifth year of the School of Medical Sciences of the State University of Campinas (UNICAMP). We analyzed official documents, results from a semi-structured questionnaire administered to the students...

Tecnologias da informação, educação e comunicação em Saúde da Família

Universidade Aberta do SUS da Universidade de Brasília - UNA-SUS/UnB
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.05%
Neste módulo trabalharemos os princípios da Comunicação em Saúde mediada por Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC). Tem como objetivo introduzir o aluno à utilização das tecnologias de EAD para o desenvolvimento de habilidades e competências para emprego das novas formas de ensinar e aprender, mediadas pelas TICs na informação, educação e comunicação em saúde, e ainda utilização desses recursos para fortalecer estratégias de aprendizagem e mediação colaborativa em rede na base territorial para a Gestão da Informação e do Conhecimento em Saúde. As atividades estão distribuídas em 7 lições assim constituídas: diferenciação entre informação e comunicação; educação aproximativas mediada por tecnologias; fundamentos da comunicação em Saúde; tipos de comunicação; princípios da comunicação para tomada de decisões; planejamento em comunicação e fluxo de comunicação.; Fundo Nacional de Saúde - FNS

Jornalismo de Saúde: Prevenir ou Remediar?

Gomes, Emiliana Sofia; Centro de Estudos em Comunicação e Sociedade
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Pesquisa Empírica Formato: application/pdf
Publicado em 07/10/2012 POR
Relevância na Pesquisa
85.97%
http://dx.doi.org/10.5007/1984-6924.2012v9n2p340Neste artigo trabalhou-se o tema da prevenção na imprensa portuguesa, procurando-se responder à seguinte questão de partida: “Até que ponto os artigos de saúde dos jornais Público, Jornal de Notícias e Expresso revelam um papel de prevenção por parte destes meios de comunicação?”.O estudo revelou que poucos são os textos publicados com o intuito de prevenir a doença e promover a saúde, registando-se apenas 43 artigos preventivos num universo de 1890 textos publicados sobre saúde. O trabalho comprovou também a existência de um perfil estereotipado da fonte de informação em saúde.As questões da Comunicação em Saúde, Promoção da Saúde e Educação para a Saúde são os alicerces que permitiram estudar a prevenção no campo da saúde.

Comunicação em saúde: Relação Técnicos de Saúde - Utentes

Teixeira,José A. Carvalho
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2004 PT
Relevância na Pesquisa
95.93%
Os processos de comunicação em saúde têm importância central na relação entre os técnicos de saúde e os utentes. Assim, identificam-se os principais problemas de comunicação que podem ocorrer nos serviços de saúde e definem-se estratégias cuja finalidade é o desenvolvimento das competências comunicacionais dos técnicos de saúde e dos utentes.

A distribuição do conhecimento científico público em informação, comunicação e informática em saúde indexado nas bases de dados MEDLINE e LILACS

Packer,Abel Laerte; Tardelli,Adalberto Otranto; Castro,Regina Célia Figueiredo
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 PT
Relevância na Pesquisa
96.01%
Este artigo apresenta estudo exploratório sobre a distribuição da produção científica internacional, regional e nacional na área de informação e comunicação em saúde, referenciada nas bases de dados MEDLINE e LILACS, de 1996 a 2005. Para a seleção dos artigos, foi usada a estrutura hierárquica do vocabulário DeCS na área de Ciência da Informação. Foram determinados quatro domínios específicos: informação em saúde, informática médica, comunicação científica em saúde e comunicação em saúde. As variáveis analisadas foram: os assuntos e periódicos mais representativos, a produção por país de afiliação dos autores e por país de publicação e os idiomas, em ambas as bases de dados. Cerca de 5% dos artigos correspondeu à categoria Ciência da Informação. Os quatro domínios tiveram aumento relativo anual em MEDLINE. O domínio Informática Médica foi o que apresentou maior número de registros em MEDLINE, representando pouco mais da metade de todos os artigos indexados. A importância da Ciência da Informação é mais visível nas publicações dos países desenvolvidos e os resultados confirmaram a predominância dos Estados Unidos e o crescimento significativo da produção científica da China e Coréia do Sul e...