Página 1 dos resultados de 1817 itens digitais encontrados em 0.008 segundos

Comportamento sexual de mulheres com síndrome dos ovários policísticos; Sexual behavior of women with polycystic ovary syndrome

Paixão, Jucilene Sales da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 08/05/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.41%
A sexualidade envolve processo complexo com determinantes biológicos, psicológicos e interpessoais. Comprometimento em qualquer uma destas dimensões pode interferir na sexualidade, causando impacto na qualidade de vida. Foram estudadas prospectivamente 48 mulheres portadoras de síndrome dos ovários policísticos matriculadas no Ambulatório de Ginecologia Endócrina e Climatério da Clínica Ginecológica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Os objetivos do estudo foram: avaliar a auto-estima e auto-imagem corporal; o comportamento sexual; a relação entre parâmetros clínicos da síndrome (obesidade, hirsutismo, irregularidade menstrual) com o comportamento sexual; e, a influência da terapêutica hormonal no ciclo da resposta sexual. O instrumento de avaliação utilizado foi o Questionário Sexual HC - extenso questionário que avaliou, no tempo 0, dados demográficos; antecedentes pessoais; antecedentes gineco-obstétricos; hábitos e estilo de vida; imagem corporal; autoestima; antecedentes sexuais e atividade sexual atual com ênfase na satisfação sexual, existência ou não de parceiro, fases do ciclo da resposta sexual (desejo, excitação, orgasmo e resolução), freqüência sexual...

Estímulos olfativos envolvidos no comportamento sexual e na seleção hospedeira de Diabrotica speciosa (Germar) (Coleoptera: Chrysomelidae); Olfactory stimuli involved in sexual behavior and host selection of Diabrotica speciosa (Germar) (Coleoptera: Chrysomelidae)

Nardi, Cristiane
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/05/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.49%
Neste trabalho foi caracterizado o comportamento de Diabrotica speciosa, quando submetida a estímulos químicos de atração sexual ou de localização hospedeira. As atividades desenvolvidas foram: (i) Determinação da idade, horário, duração, número de cópulas, sexo responsável pela atração sexual e sequência de atividades envolvidas no comportamento sexual; (ii) investigação sobre o padrão de resposta dos machos ao feromônio sexual das fêmeas em olfatômetro e em eletroantenograma; (iii) investigação sobre a atividade feromonal dos compostos cuticulares presentes nas fêmeas, bem como a caracterização do comportamento envolvidos com o reconhecimento desses compostos pelos machos; e (iv) efeito da herbivoria em milho sobre o comportamento de seleção hospedeira para oviposição. As cópulas em D. speciosa iniciaram-se a partir do terceiro dia após a emergência dos adultos, com predominância das 18 às 24 horas e duração média de 2,7 horas. O comportamento sexual de D. speciosa apresenta padrões bem definidos de précópula, cópula e pós-cópula, sendo que a atração sexual é realizada por um feromônio produzido pelas fêmeas. Os machos de D. speciosa responderam ao feromônio sexual produzido pelas fêmeas com idade superior a 3 dias. Tais respostas ocorreram ao longo de 24 horas...

Influência da pressão atmosférica no comportamento sexual dos insetos; Influence of atmospheric pressure on the sexual behavior of insects

Pellegrino, Ana Cristina
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/11/2011 PT
Relevância na Pesquisa
66.45%
Tempestades acompanhadas por diferentes combinações de ventos, chuvas, variações bruscas de temperatura e de radiação solar são manifestações climáticas frequentemente associadas com queda na pressão atmosférica. Para os insetos, especialmente os pequenos insetos, estas condições de mau tempo são desfavoráveis e podem acarretar alta mortalidade na sua população. Neste trabalho foi demonstrado que as mudanças na pressão atmosférica influenciaram várias atividades do comportamento sexual nos insetos em ao menos três ordens, representados por Pseudaletia unipuncta (Haworth) (Lepidoptera: Noctuidae), Macrosiphum euphorbiae (Thomas) (Hemiptera: Aphididae) e Diabrotica speciosa (Germar) (Coleoptera: Chrysomelidae). Os parâmetros comportamentais observados foram: (i) Resposta de atração do macho ao feromônio sexual (para D. speciosa); (ii) comportamento de chamamento das fêmeas (para P. unipuncta e M. euphorbiae); e (iii) comportamento de cópula (para D. speciosa, P. unipuncta e M. euphorbiae). Estes parâmetros, por sua vez, foram analisados sob diferentes condições de pressão atmosférica no Brasil (Bra) e Canadá (Can). Levando-se em conta dados históricos nestes locais, foi definido como condições estáveis de pressão atmosférica variações de ±1...

Efeitos da administração perinatal do Citrato de Clomifeno na função reprodutiva de ratos Wistar: comportamento sexual, avaliação hormonal e plasmática; Effects of perinatal administration of Clomiphene Citrate on the reproductive function of Wistar rats: sexual behavior, plasma and hormonal evaluation

Oliani, Andrea Lucia Natali
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.39%
A diferenciação sexual cerebral é um fenômeno importante que ocorre no período perinatal essencial para definir alguns padrões comportamentais na orientação sexual na fase adulta. Este evento ocorre após uma descarga abrupta da testosterona testicular no recém-nascido que é convertido em estrógeno E2 pela aromatase no hipotálamo do neonato e, juntamente com aquela de origem materna promove as alterações no cérebro que determinam a orientação sexual masculina do neonato. Em fêmeas, o E organiza o cérebro feminino e a orientação sexual. Assim, investigou-se o efeito do Citrato de Clomifeno, um inibidor da aromatase em ratos machos e fêmeas tratados perinatalmente. Os resultados mostraram alterações comportamentais e bioquímicas compatíveis com a desmasculinização, alteração do comportamento sexual de ambos os sexos, comportamento homossexual, ciclo estral, alteração dos níveis de testosterona, estrógeno, FSH e LH e do peso dos órgãos na fase adulta. Os resultados são explicados pelo bloqueio da aromatase, no período da diferenciação sexual cerebral.; Sexual differentiation of the brain is an important phenomenon that occurs perinatally essential to define some behavioral patterns of sexual orientation in adulthood. This event occurs after an abrupt discharge of testicular testosterone in newborns that E2 is converted into estrogen by aromatase in the hypothalamus of the newborn and...

A microinjeção de angiotensina II na amígdada medial reduz o comportamento sexual em ratas

Cecconello, Ana Lúcia
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.4%
A Angiotensina II (Ang II) é um octapeptídeo que exerce múltiplas ações centrais e periféricas, entre as quais a modulação de alguns tipos de comportamentos. Estudos prévios demonstram que microinjeções de Ang II na amígdala medial (MeA) diminui o comportamento sexual em ratos machos. Para testar a hipótese de que a Ang II central está envolvida na modulação do comportamento sexual em fêmeas, este peptídeo foi injetado na MeA em ratas. Para isto foram utilizadas ratas Wistar adultas nas quais foram implantadas cânulas guias bilateralmente na amígdala medial por estereotaxia. Após a cirurgia estereotáxica, as ratas foram divididas em seis grupos experimentais: salina - controle (n = 11), 10 pg de Ang II (n = 10), 25 pg de Ang II (n = 11), 50 pg de Ang II (n = 11), 100 pg de Ang II (n = 11) e 200 pg (n = 11) . As microinjeções (0,3 μl) na amígdala medial foram realizadas na noite do proestro, quinze minutos antes do registro de comportamento sexual. O registro comportamental consistiu na observação da fêmea em proestro junto a um macho adulto por 15 minutos Os parâmetros comportametais analisados foram: quociente de lordose (número de lordose/número de montas), freqüência e duração de locomoção. Na manhã seguinte ao registro comportamental foi contado o número de óvulos destas fêmeas. Os resultados mostraram uma redução significativa no quociente de lordose nos grupos que receberam as doses de 100 e 200 pg de Ang II ...

Efeito do estresse sobre o comportamento sexual de fêmeas : participação da angiotensina II

Feil, Helena Cláudia de Pelegrin Basso
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.48%
Situações estressantes provocam a ativação dos eixos hipotálamo-hipófise-adrenal (HPA) e simpato-adrenal. A ativação destes sistemas leva a alterações comportamentais e periféricas que melhoram a habilidade do organismo para enfrentar a ameaça estressora e retornar à homeostase, aumentando, desta forma, a sua chance de sobrevivência. Dentre as alterações produzidas pela resposta ao estresse inclui-se a inibição da função reprodutiva, atribuída à ação central do hormônio liberador de corticotropina (CRH). Além da ativação dos eixos HPA e simpato-adrenal, os estímulos estressantes aumentam o nível de Angiotensina II (Ang II) central e periférico. Além das múltiplas funções bem conhecidas na regulação do equilíbrio hídrico e da pressão arterial, a Ang II exerce também um papel inibidor do comportamento sexual e é um importante estimulador do eixo HPA, por estimular a secreção do CRH. Neste trabalho foi testada a hipótese de que a inibição do comportamento sexual, produzida pelo estresse, ocorre via estimulação do eixo HPA, pela Ang II, na porção parvocelular do núcleo paraventricular hipotalâmico (PVN). Para tanto, o trabalho foi dividido em dois experimentos. O primeiro estudou o “Efeito da administração sistêmica crônica de Losartan sobre a inibição do comportamento de fêmeas...

Efeito do estresse agudo sobre o comportamento sexual de ratas : participação do sistema angiotensinérgico central

Cecconello, Ana Lúcia
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.43%
O estresse pode influenciar o comportamento reprodutivo em fêmeas, sendo a angiotensina II (Ang II) central um peptídeo que participa das respostas ao estresse e da modulação do comportamento sexual. A amígdala medial (MeA), importante estrutura reguladora deste comportamento, está fortemente envolvida na resposta ao estresse. O presente estudo tem por objetivo avaliar o efeito do estresse agudo por contenção na noite do proestro sobre a receptividade sexual, concentração plasmática de corticosterona e a participação da Ang II e MeA sobre estes efeitos. Foram utilizadas ratas Wistar adultas com ciclos estrais regulares. O protocolo de estresse agudo utilizado foi contenção por 15 min na noite do proestro. A participação da Ang II foi avaliada pela microinjeção de Ang II e antagonistas dos receptores de Ang II (losartan e PD12319) na MeA. Foi avaliado o quociente de lordose e a concentração plasmática de corticosterona em diferentes tempos. O estresse ou a microijeção de Ang II na MeA provocaram significativa redução do comportamento sexual. O bloqueio dos receptores AT1 ou AT2 presentes na MeA preveniram tanto o efeito do estresse como da microinjeção de Ang II neste núcleo sobre a receptividade sexual. O estresse provocou aumento da concentração plasmática de corticosterona e este efeito foi prevenido pelo bloqueio dos receptores AT1 na MeA. Concluímos que o estresse agudo por contenção na noite do proestro reduz o comportamento sexual e ativa o eixo HPA...

Comportamento sexual e morfometria geométrica em caracteres somáticos e sexuais em Paratrechalea (Araneae; Trechaleidae) : evidências para a proposta de um novo táxon

Schmidt, Luiz Ernesto Costa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.43%
O estudo de comportamentos inusitados observados em populações naturais de qualquer organismo exige que suas bases descritivas sejam primeiramente estabelecidas antes de permitir a aplicação de abordagens experimentais. A Ordem Araneae é reconhecida pela enorme diversidade de formas e hábitos, onde destaco as aranhas do gênero Paratrechalea Carico, 2005 tanto pela presença de um comportamento atípico quanto por uma particularidade ecológica entre algumas de suas espécies. Estudos preliminares relativos à distribuição das espécies do gênero indicaram uma região de distribuição sintópica entre duas delas: P. azul Carico, 2005 e P. ornata (Mello-Leitão, 1943). Além disso, durante o comportamento sexual destas espécies, os machos oferecem presentes nupciais na forma de uma presa envolta em seda, sendo o primeiro registro deste comportamento para a fauna de aranhas Neotropicais. Para as descrições apresentadas na tese, foram utilizadas combinações de amostras que compõem o conjunto de dados total: uma amostra de P. azul e outra de P. ornata em condição de sintopia provenientes do Brasil, uma amostra Brasileira de P. galianoae Carico, 2005, e duas amostras Uruguaias de P. ornata. A análise descritiva do comportamento sexual mostrou que presentes nupciais não apenas fazem parte do cortejo sexual destas espécies...

Influência de feromônios da urina de ratos machos no comportamento sexual de ratas Wistar adultas manipuladas no período neonatal

Aranda, Bruno Carlo Cerpa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.42%
A manipulação neonatal (MN) é um modelo experimental que examina como alterações ambientais no início da vida afetam estruturas neurais levando a modificações neuroendócrinas e comportamentais estáveis. Estas modificações estão relacionadas às alterações no cuidado materno que podem provocar alterações no desenvolvimento dos filhotes. Ratos manipulados, tanto machos quanto fêmeas, apresentam redução do comportamento sexual. Em fêmeas, a manipulação neonatal provoca diversas alterações morfológicas em regiões do sistema nervoso central relacionadas com o controle da reprodução, como a área pré-óptica medial, amígdala medial e o bulbo olfatório. Além disso, ratas manipuladas apresentam ciclos anovulatórios e alterações em concentrações hormonais, como ausência do pico de hormônio luteinizante (LH), diminuição da concentração plasmática de estradiol, prolactina, hormônio folículo estimulante e LH na tarde do proestro. Trabalhos demonstram que feromônios presentes na urina de ratos modulam a fisiologia reprodutiva de ratas, agindo através do órgão vomeronasal e do bulbo olfatório acessório, induzindo alterações na secreção de esteróides gonadais. A estimulação feromonal através da aplicação de urina de machos provoca a ativação de estruturas neurais relacionadas à facilitação do comportamento de lordose. O objetivo deste trabalho foi avaliar...

Comportamento sexual e percepção do HIV/AIDS entre estudantes universitárias do IBILCE/UNESP de São José do Rio Preto

Donati, Fabiana Augusta
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 95 f. : il. color. + Apêndice.
POR
Relevância na Pesquisa
66.45%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Educação - FFC; O comportamento sexual e a percepção do HIV/AIDS pelas adolescentes e jovens são temas que preocupam educadores, familiares e a sociedade atual. Procurando compreender estas condutas, este estudo fez parte de uma pesquisa que investigou o comportamento sexual de universitárias de uma escola pública da cidade de São José do Rio Preto, SP. Foi realizado um levantamento inicial com o objetivo de identificar o padrão comportamental das estudantes; o instrumento utilizado foi um questionário fechado quantitativo, que pesquisou o comportamento sexual, nível socioeconômico, estado civil, religião e uso do preservativo. Esse questionário foi aplicado em 251 alunas, dentre as quais 13,9% eram da área biológica, 40,2% da área de exatas e 45,8% de humanas; 57% das alunas estavam na categoria relacionamento estável – namoro, 37,5% na categoria só ou “ficando” e 5,6% eram alunas casadas. A maioria das estudantes tinha idade entre 17 e 24 anos (90,4%). Do total de alunas entrevistadas,158 apresentaram vida sexual ativa, tendo iniciado, em média, aos 17 anos a vida sexual; em relação ao uso de preservativo, na primeira relação sexual 88% destas jovens declararam terem feito o uso...

Redes Sociais e Comportamento Sexual: para uma visão relacional da sexualidade, do risco e da prevenção

Aboim, Sofia, 1972-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.38%
Com base num inquérito representativo da população portuguesa entre 18 e 65 anos, realizado em 2007, este estudo investiga o impacto de fatores de rede social sobre os comportamentos sexuais dos indivíduos. Através da percepção normativa dos inquiridos sobre a moral sexual dos seus amigos e familiares e de indicadores relativos à caracterização da rede de confidência sexual, tais como o número, a identidade, o gênero, a idade e o comportamento dos confidentes em matéria de sexualidade e prevenção face ao risco de infecção por DSTs, obtivemos um retrato multidimensional das redes sociais dos indivíduos. A realização de análises de regressão linear e logística permitiu avaliar o impacto preditivo da rede sobre o número de parceiros sexuais, as relações sexuais ocasionais e o uso do preservativo. Os dados mostram que os fatores de rede são importantes para explicar o comportamento sexual dos indivíduos. Redes constituídas por amigos e mais liberais em termos de moral sexual tendem a influenciar o comportamento sexual, levando a um maior experimentalismo, sobretudo no caso das mulheres. Por outro lado, a homologia entre o comportamento sexual dos confidentes e o dos inquiridos é relevante para explicar o recurso ao preservativo nas relações sexuais ocasionais...

Adolescência, comportamento sexual e fatores de risco à saúde

Assis,Simone Gonçalves de; Gomes,Romeu; Pires,Thiago de Oliveira
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.42%
OBJETIVO : Analisar a relação entre comportamento sexual e fatores de risco à saúde física ou mental entre adolescentes. MÉTODOS : Estudo realizado com 3.195 escolares de 15 a 19 anos de idade, do segundo ano do ensino médio de escolas públicas e particulares das capitais de 10 estados do Brasil, em 2007-2008. Foi utilizada amostragem por conglomerados com multiestágio de seleção (escolas e alunos) em cada cidade e rede de ensino pública e particular. Foi aplicado questionário a todos os alunos selecionados, com os seguintes itens: dados socioeconômicos e demográficos; comportamento sexual; “transar” com pessoas do mesmo sexo, do sexo oposto ou de ambos os sexos; uso de bebida alcoólica e maconha; usar camisinha ao “transar”; presença de experiências sexuais traumáticas na infância ou adolescência; e ideação suicida. A análise incluiu descrição de frequências, teste de Qui-quadrado, análise de correspondência múltipla e de cluster. Foram analisadas qualitativamente, por análise dos conteúdos manifestos, as respostas a uma questão livre em que o adolescente expressou comentários gerais sobre si e sua vida. RESULTADOS : Cerca de 3...

Consumo de substâncias psicoativas em uma amostra de adolescentes e sua relação com o comportamento sexual

Miozzo,Luciane; Dalberto,Edson Ricardo; Silveira,Dartiu Xavier da; Terra,Mauro Barbosa
Fonte: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.38%
OBJETIVO: Avaliar o consumo de substâncias psicoativas e o padrão de comportamento sexual em alunos do ensino médio, na cidade de Serafina Corrêa - RS, com uma população aproximada de 15 mil habitantes. MÉTODO: Em estudo transversal, a amostra foi composta por todos os alunos, de ambos os sexos, que estavam cursando o ensino médio nessa cidade. Foram aplicados: um questionário para verificação das variáveis sociodemográficas, um sobre comportamento sexual e outro sobre o consumo de drogas. RESULTADOS: A amostra constituiu-se de 453 alunos, sendo 261 (57,62%) do sexo feminino. A droga mais usada durante a vida foi o álcool (82,34%), seguida por tabaco (12,58%), maconha (6,62%) e cocaína (5,30%). Em relação ao comportamento sexual dos adolescentes, observou-se que 247 (54,5%) referiram já ter tido relação sexual. Foi encontrada uma associação entre o adolescente já ter utilizado drogas em geral (p < 0,001), álcool (p < 0,001) ou tabaco (p = 0,023) e já ter tido relação sexual. CONCLUSÃO: O estudo permitiu conhecer o uso de drogas e características do comportamento sexual dos adolescentes dessa cidade e poderá ser útil para a elaboração de um programa de intervenção para diminuir os fatores de risco para drogadição...

Relação entre consumo de drogas e comportamento sexual de estudantes de 2o grau de São Paulo

Scivoletto,Sandra; Tsuji,Robinson Koji; Abdo,Carmita Helena Najjar; Queiróz,Sueli de; Andrade,Arthur Guerra de; Gattaz,Wagner F.
Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP Publicador: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1999 PT
Relevância na Pesquisa
66.42%
OBJETIVO: Estudar a relação entre o consumo de substâncias psicoativas e o comportamento sexual de estudantes de uma escola pública de segundo grau na cidade de São Paulo. MATERIAL E MÉTODOS: Foram colhidos 689 questionários, que foram respondidos por alunos com idades entre 13 e 21 anos. Os questionários continham questões sobre o consumo de substâncias psicoativas e comportamento sexual. Assim, comparou-se as diferenças de comportamento sexual entre os usuários e os não usuários de drogas. RESULTADOS: Os usuários de drogas ilícitas (n=366) referiram: maior história de relação sexual completa: 80,8% dos usuários contra 57,6% dos não usuários (n=305), (p< 0,001); início mais precoce da atividade sexual (média de 15,2 anos entre os usuários contra 15,7 anos dos não usuários, p<0,05); mais pagamento por sexo (31,1% entre os usuários contra 15% dos não usuários, p<0,001); e tendência a menor uso de preservativos (56,8% entre os usuários contra 65,3% dos não usuários, p<0,10). Estes resultados também se repetiram quando foi estudado cada tipo de droga separadamente e a associação de diferentes tipos de drogas. CONCLUSÕES: A freqüência de uso de drogas não alterou o comportamento sexual. As substâncias que apresentaram associação com mais comportamento sexual de risco foram o álcool e a maconha. O uso de crack esteve associado com início precoce de vida sexual.

Efeito do comportamento sexual de touros na fertilidade do rebanho.

BARBOSA, R. T.; ALENCAR, M. M. de
Fonte: In: RESUMOS DOS TRABALHOS APRESENTADOS NA CONVENÇÃO NACIONAL DE CANCHIM, 4., 2000, São Carlos, SP. Anais...São Carlos : Embrapa Pecuária Sudeste/São Paulo : ABCCAN, 2000. p.9. Publicador: In: RESUMOS DOS TRABALHOS APRESENTADOS NA CONVENÇÃO NACIONAL DE CANCHIM, 4., 2000, São Carlos, SP. Anais...São Carlos : Embrapa Pecuária Sudeste/São Paulo : ABCCAN, 2000. p.9.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.39%
O desempenho de um touro em um programa de acasalamento não está relacionado somente à sua habilidade de produzir número suficiente de espermatozóides viáveis, mas também ao seu desejo sexual. Como a monta natural é o método de acasalamento usado na grande maioria dos rebanhos, a avaliação do comportamento sexual torna-se de fundamental importância. Este trabalho teve o objetivo de avaliar o comportamento sexual de touros em cinco diferentes testes e verificar o desempenho dos touros na fertilidade do rebanho.Quarenta touros, sendo 21 com menos de 45 meses e 19 com mais de 45 meses de idade, foram submetidos ao teste de libido em curral (LC) e em piquete (LP) e ao teste de capacidade de serviço em 40 minutos (CS 40) e em 60 minutos (CS 60); o tempo de reação (TR) foi também anotado. As medidas foram analisadas pelo método dos quadrados mínimos, verificando-se efeito significativo da idade dos touros sobre a capacidade de serviço e o tempo de reação, mas não sobre a libido. As médias gerais estimadas foram iguais a 5,91 ± 0,29; 5,58 ± 0,27; 1,94 ± 0,22; 2,46 ± 0,27 e 24,21 ± 3,51, para LC, LP, CS 40, CS 60 e TR, respectivamente. Doze touros, sendo quatro de alto (A), quatro de médio (M) e quatro de baixo (B) desejo sexual foram escolhidos para formarem os lotes de monta com fêmeas azebuadas. Cada lote foi então composto por 74 novilhas e três touros (1A...

Comportamento sexual e fatores associados a conduta sexual de risco em estudantes universitárias

Silva, Angela Maria Moser; Mello, Claudete Reggiani
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
66.42%
Resumo: O objetivo deste estudo foi comparar o comportamento sexual e fatores associados a uma conduta sexual de risco entre estudantes do sexo feminino do Setor de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Paraná com aquele das estudantes do Setor de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade Estadual do Oeste do Paraná-Campus Cascavel. O projeto de pesquisa foi apresentado e aprovado no Comité de Ética em Pesquisa em Seres Humanos do Hospital de Clínicas da UFPR em 25.05.01. As estudantes foram avaliadas quanto a idade, relacionamento familiar, religiosidade, participação em aulas de educação sexual e local de moradia antes de entrar na universidade. Sob o aspecto de comportamento sexual, foram avaliados a idade de início de atividade sexual, uso de métodos anticoncepcionais, número de parceiros sexuais e uso de preservativo na prevenção DST/AIDS. Foram sujeitas de pesquisa todas as estudantes matriculadas nos referidos setores, com idade entre 18 e 24 anos completos. A amostra final foi constituída por 572 estudantes em Curitiba e 395 em Cascavel. O instrumento de coleta de dados foi um questionário auto respondido na própria sala de aula das estudantes. Criou-se e estruturou-se um banco de dados no Data Entry do SPSS. A análise dos dados foi feita pelo mesmo programa...

Efeitos da moxidectina no comportamento sexual de ratos machos; Effects of moxidectin on male rats' sexual behavior

Rodrigues Alves, Patricia de Sá e Benevides
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/03/2003 PT
Relevância na Pesquisa
66.5%
A moxidectina é uma droga antiparasitária, do grupo das milbemicinas, utilizada em animais domésticos. Em mamíferos seu mecanismo de ação envolve o GABA, neurotansmissor que tem um papel relevante na regulação do comportamento sexual. Assim, o presente trabalho estudou os efeitos da moxidectina no comportamento sexual de ratos machos. Uma vez que alterações na função motora podem interferir na manifestação deste comportamento, avaliou-se, inicialmente, a atividade geral no campo aberto e a coordenação motora na trave elevada, e posteriormente, o comportamento sexual de ratos inexperientes e experientes. A avaliação da atividade geral dos ratos observados no campo aberto mostrou que, mesmo em altas doses (2,0 e 20,0mg/kg), a moxidectina não altera o comportamento de ratos no campo aberto. Esta droga, porém, prejudicou a coordenação motora dos animais avaliados na trave elevada, sendo este efeito atribuído, ao menos em parte, à ação da moxidectina em receptores GABAérgicos. Os resultados obtidos na avaliação do comportamento sexual de ratos inexperientes mostraram redução da motivação sexual dos animais que receberam 0,2mg/kg de moxidectina e foram observados 24 ou 72horas depois. Nenhuma alteração significante foi observada nos diferentes parâmetros do comportamento sexual dos ratos experientes...

Influência do teste HIV positivo no comportamento sexual em homens; Influence of HIV positive status on sexual behavior among males

Ventura-Filipe, Elvira M.; Newman, Stan P.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/1998 ENG
Relevância na Pesquisa
66.41%
OBJETIVO: Comparar homens HIV soronegativos (HIV-) e HIV soropositivos (HIV+) em termos de comportamento sexual com parceiras e parceiros regulares e casuais. MÉTODO: Estudo transversal. De agosto de 1994 a fevereiro de 1995, uma amostra de 236 participantes (150 HIV- e 86 HIV+) foi recrutada de serviços públicos do Estado de São Paulo, Brasil, para atendimento e testagem de HIV/AIDS. Foi aplicado aos participantes questionário contendo questões sobre aspectos demográficos, conhecimento sobre HIV e AIDS, orientação sexual, uso de álcool e outras drogas, percepção de risco para HIV e comportamento sexual com parceiros e parceiras regulares e casuais (investigado nos últimos três meses). RESULTADOS: A comparação entre os indivíduos HIV+ e HIV indicou que uma menor percentagem de HIV+ teve contato sexual com parceiras regulares (p < .01), praticou sexo vaginal com este tipo de parceira (p < .01) e praticou todo tipo de atividade sexual (p < .001). Os indivíduos HIV+ relataram uma freqüência menor de práticas sexuais penetrativas (p < .05). Identificou-se um nível elevado de uso de preservativo com parceiras e parceiros sexuais e não foi observada diferença significativa entre os dois grupos neste aspecto. Identificou-se algum comportamento de risco...

Redes sociais e comportamento sexual: para uma visão relacional da sexualidade, do risco e da prevenção; Social networks and sexual behaviour: towards a relational approach to sexuality, risk-taking behaviour and prevention practices

Aboim, Sofia
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.44%
Com base num inquérito representativo da população portuguesa entre 18 e 65 anos, realizado em 2007, este estudo investiga o impacto de fatores de rede social sobre os comportamentos sexuais dos indivíduos. Através da percepção normativa dos inquiridos sobre a moral sexual dos seus amigos e familiares e de indicadores relativos à caracterização da rede de confidência sexual, tais como o número, a identidade, o gênero, a idade e o comportamento dos confidentes em matéria de sexualidade e prevenção face ao risco de infecção por DSTs, obtivemos um retrato multidimensional das redes sociais dos indivíduos. A realização de análises de regressão linear e logística permitiu avaliar o impacto preditivo da rede sobre o número de parceiros sexuais, as relações sexuais ocasionais e o uso do preservativo. Os dados mostram que os fatores de rede são importantes para explicar o comportamento sexual dos indivíduos. Redes constituídas por amigos e mais liberais em termos de moral sexual tendem a influenciar o comportamento sexual, levando a um maior experimentalismo, sobretudo no caso das mulheres. Por outro lado, a homologia entre o comportamento sexual dos confidentes e o dos inquiridos é relevante para explicar o recurso ao preservativo nas relações sexuais ocasionais...

Adolescência, comportamento sexual e fatores de risco à saúde

Assis,Simone Gonçalves de; Gomes,Romeu; Pires,Thiago de Oliveira
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.42%
OBJETIVO : Analisar a relação entre comportamento sexual e fatores de risco à saúde física ou mental entre adolescentes. MÉTODOS : Estudo realizado com 3.195 escolares de 15 a 19 anos de idade, do segundo ano do ensino médio de escolas públicas e particulares das capitais de 10 estados do Brasil, em 2007-2008. Foi utilizada amostragem por conglomerados com multiestágio de seleção (escolas e alunos) em cada cidade e rede de ensino pública e particular. Foi aplicado questionário a todos os alunos selecionados, com os seguintes itens: dados socioeconômicos e demográficos; comportamento sexual; “transar” com pessoas do mesmo sexo, do sexo oposto ou de ambos os sexos; uso de bebida alcoólica e maconha; usar camisinha ao “transar”; presença de experiências sexuais traumáticas na infância ou adolescência; e ideação suicida. A análise incluiu descrição de frequências, teste de Qui-quadrado, análise de correspondência múltipla e de cluster. Foram analisadas qualitativamente, por análise dos conteúdos manifestos, as respostas a uma questão livre em que o adolescente expressou comentários gerais sobre si e sua vida. RESULTADOS : Cerca de 3...