Página 1 dos resultados de 1058 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Aplicação das escalas Bayley de desenvolvimento infantil II para avaliação do comportamento em crianças com carência nutricional; APPLICATION OF THE BAYLEY SCALES OF INFANTILE DEVELOPMENT FOR THE EVALUATION OF BEHAVIOR IN CHILDREN WITH NUTRITIONAL DEFICIENCIES

Barbosa, Andréa Frizo de Carvalho
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/07/2004 PT
Relevância na Pesquisa
46.4%
Carências nutricionais são ocorrências comuns em grande proporção de crianças do mundo e reconhecidamente um dos grandes problemas da saúde pública brasileira. Alguns estudos têm relatado que os escores mental e motor de crianças com carências nutricionais são mais baixos do que aqueles obtidos pelas crianças sem carências. As Escalas Bayley, publicadas pela primeira vez em 1969 e revisadas em 1993, constituem-se em instrumento adequado para a avaliação de crianças de um a quarenta e dois meses de idade, e são amplamente utilizadas em estudos que avaliam efeitos de carências nutricionais. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi verificar a aplicabilidade da Escala de Avaliação do Comportamento Infantil (BRS), uma das três escalas que constituem as Escalas Bayley, na avaliação de crianças de creche com carência nutricional. A amostra foi constituída por 50 crianças de ambos os sexos, com idades que variaram entre 7 e 41 meses, provenientes de duas creches filantrópicas do município de Ribeirão Preto – SP. Um grupo de 23 crianças com deficiência proteico-calórica ou de ferro, consideradas de leve a moderada, segundo o Z-score < +1, proposto pela OMS e níveis de hemoglobina acima de 8 mg/dL, foi comparado a outro de 27 crianças sem estas deficiências. Através da avaliação do comportamento foram obtidos índices referentes ao comportamento geral...

Depressão materna e o perfil de socialização de meninos e meninas em idade escolar; Maternal depression and the socialization profile of school-age boys and girls.

Loosli, Lívia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/10/2011 PT
Relevância na Pesquisa
46.34%
A depressão materna tem sido considerada uma condição de adversidade ao desenvolvimento infantil, observando-se quanto ao gênero peculiaridades e uma diversidade de achados em relação ao comportamento, à psicopatologia e ao perfil de socialização de crianças que convivem com a depressão materna. Objetivou-se: a) caracterizar o perfil de socialização de crianças em idade escolar que convivem com a depressão materna recorrente, identificando recursos e dificuldades relativos ao desempenho escolar e ao comportamento; b) comparar grupos separados pelo gênero; c) correlacionar desempenho escolar e comportamento. Foram avaliadas 40 díades mãe-filho, tendo as mães diagnóstico sistematicamente avaliado de Transtorno Depressivo Recorrente, e as crianças, com idades entre sete e 12 anos, foram distribuídas em dois grupos diferenciados pelo gênero: G1-20 meninos e G2-20 meninas. As crianças foram identificadas a partir da seleção das mães atendidas em serviços públicos de Saúde Mental da cidade de Ribeirão Preto - SP. Para a seleção dos participantes foram utilizados: a Entrevista Clínica e Estruturada para o DSM-IV (SCID), para confirmação diagnóstica das mães; e o teste das Matrizes Progressivas Coloridas de Raven - Escala Especial...

Depressão materna e comportamento de crianças: estressores, práticas parentais positivas e suporte social; Maternal depression and child behaviour: stressors, positive parenting practices and social support

Silva, Ana Paula Casagrande
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
56.22%
A depressão materna é reconhecida como uma adversidade ao comportamento infantil. O estudo se insere em lacunas apontadas pela literatura quanto à necessidade de abordar, de forma combinada, múltiplas condições contextuais de risco e proteção associadas à depressão materna. Objetivou-se identificar condições de risco e de proteção para problemas comportamentais de crianças que convivem com a depressão materna, em comparação a crianças que convivem com mães sem transtornos psiquiátricos, focalizando estressores, práticas parentais positivas e suporte social, e as possíveis associações entre essas variáveis. Avaliou-se 100 díades mães-crianças, distribuídas em dois grupos: G1 50 díades mães-crianças, cujas mães apresentaram história de depressão recorrente; e G2 50 díades mães-crianças, cujas mães não apresentaram transtornos psiquiátricos. A identificação das mães participantes foi feita junto a serviços de saúde de Ribeirão Preto - SP, e as crianças, de ambos os sexos, com idade entre sete e 12 anos, foram identificadas por meio de suas mães. Procedeu-se à coleta de dados com mães e crianças em situação individual face a face. As mães responderam aos seguintes instrumentos: (a) Entrevista Clínica Estruturada para o DSM-IV; (b) Questionário Geral; (c) Questionário de Capacidades e Dificuldades; (d) Inventário de Recursos do Ambiente Familiar; (e) Escala de Eventos Adversos; (f) Escala de Adversidade Crônica e (g) Entrevista com Roteiro Semi-Estruturado para a avaliação de estressores...

Dilemas e reflexões de odontopediatras sobre estratégias de manejo do comportamento infantil

Nagano, Helen Cristhiane Müller
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
56.21%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Florianópolis, 2010; Este estudo buscou identificar os dilemas presentes e fazer reflexões acerca deles no que se refere às estratégias de manejo do comportamento infantil utilizadas por odontopediatras para atendimento de pacientes de comportamento difícil. Para tanto, foi realizada uma pesquisa de abordagem qualitativa e de caráter exploratório descritivo, com especialistas em odontopediatria, no município de Joinville, Santa Catarina. Realizaram-se entrevistas semi-estruturadas, com auxílio de gravador digital, as quais foram, posteriormente, transcritas na íntegra, sendo os dados trabalhados pela técnica de análise de conteúdo proposta por Bardin. Observou-se que os dilemas profissionais são vários, dentre os principais, destacam-se aqueles que se referem ao consentimento para atendimento de menor, especialmente quando este atendimento envolve o uso de técnicas de manejo aversivas. Outro dilema bastante presente foi o de optar entre o manejo farmacológico ou o manejo psicológico utilizando uma técnica aversiva no caso de pacientes refratários às técnicas positivas. Verificou-se ainda...

Desigualdades socioeconômicas e saúde mental infantil

Assis,Simone G; Avanci,Joviana Quintes; Oliveira,Raquel de Vasconcellos Carvalhaes de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
46.33%
OBJETIVO: Analisar a associação de determinantes sociodemográficos com o desenvolvimento de problemas de comportamento e de competência social em crianças. MÉTODOS: Estudo transversal realizado com 479 escolares entre seis e 13 anos de idade, da primeira série do ensino fundamental de escolas públicas em São Gonçalo (RJ), em 2005. Foram investigadas variáveis socioeconômicas, estrutura familiar, escolaridade dos pais, cor da pele da criança, problemas de comportamento e competência social. Foram calculadas razões de prevalência com respectivo intervalo com 95% de confiança. Os dados apresentados foram expandidos para a população de alunos da rede de ensino investigada. RESULTADOS: Crianças abaixo da linha de pobreza, de cor da pele negra, com pais com baixa escolaridade, e vivendo em famílias monoparentais ou compostas por madrasta/padrasto apresentaram mais precária competência social e mais problemas de comportamento. À medida que se elevavam os fatores de risco, crescia a prevalência das crianças com baixa competência social e problemas de comportamento. CONCLUSÕES: A associação entre os determinantes sociodemográficos com a maior prevalência de problemas de comportamento e com mais precária competência social em crianças requer que ações preventivas e de assistência sejam tomadas como prioridade para as políticas públicas...

A arterapia e o desenvolvimento do comportamento no contexto da hospitalização

Valladares,Ana Cláudia Afonso; Carvalho,Ana Maria Pimenta
Fonte: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2006 PT
Relevância na Pesquisa
56.18%
A hospitalização pode ter efeitos negativos sobre o desenvolvimento e comportamento infantil. Assim, objetivou-se avaliar, neste trabalho, o comportamento de crianças com idade de 7 a 10 anos internadas, antes e após intervenção de arteterapia. Utilizou-se, para esse fim, um esquema quasi-experimental com grupo controle (n=10) e um grupo experimental (n=10). Os resultados mostraram que as intervenções de arteterapia foram eficazes, por promoverem a melhoria das respostas comportamentais de seus participantes. Conclui-se, então, que os hospitais podem ser ambientes estimulantes para a criança, implementando práticas de cuidados para além da doença.

Interação Mãe-Criança e Problemas de Comportamento Infantil em Crianças com Hipotireoidismo Congênito

Figueiredo,Carla Krás Borges; Schermann,Lígia
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66.34%
O presente estudo tem como objetivo averiguar se há diferenças na interação mãe-criança e nos problemas de comportamento infantil em dez crianças com hipotireoidismo congênito (HC), tratadas precocemente, comparadas com um grupo de dez crianças sadias. Quando as crianças estavam com idades entre quatro e seis anos as interações foram filmadas durante uma situação de jogo livre e pontuadas, conforme protocolo de observação Play Observation Scheme and Emotional Rating (POSER). As mães responderam ao Child Behavior Checklist 4/18 (CBCL). Não houve diferença significativa, tanto na interação, quanto nos problemas de comportamento entre os dois grupos. A ausência de diferença significativa entre os grupos mostra a importância do tratamento precoce em crianças com HC, o que facilita a qualidade da interação mãe-criança e ameniza problemas de comportamento infantil.

Crianças no pátio escolar :a utilização dos espaços e o comportamento infantil no recreio

Fernandes, Odara de Sá
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Psicologia; Psicologia, Sociedade e Qualidade de Vida Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Psicologia; Psicologia, Sociedade e Qualidade de Vida
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
56.35%
The interest for understanding the relationship of the child with its environment has increased in the whole world during the last few years. Several researchers, using Environmental Psychology as basis, have analyzed the implications of this relation for the child development and the organization of playful spaces. Being a place where children spend a great part of their time and develop many intellectual and social abilities, the school becomes one of the main focus of this research. This study investigated different sectors of the outdoor area of NEI -UFRN, during the recreation time, in which the use of space and the interaction between children were analyzed, through the observation of the child behavior (place-centered and individual-centered mapping). The results had disclosed that the school s outdoor area and its equipments presents a great range of choices possible to the children, however its occupation is not uniform: there are areas very used and others almost without use. Generally, this heterogeneity happens again in relation to the distribution of the interaction states in the sectors, the friendly associative behavior being the most present. The observation of children behaviors favored a better understanding of the use of the spaces...

Ensaio clínico randomizado controlado triplo cego para avaliação da ansiedade e estresse de crianças submetidas à sedação com midazolam oral durante tratamento odontológico; Randomised controlled triple-blind clinical trial to evaluation of anxiety and stress of the children under sedation with oral midazolam during dental treatment

Gomes, Heloisa de Sousa
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Odontologia (FO); Faculdade de Odontologia - FO (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Odontologia (FO); Faculdade de Odontologia - FO (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.36%
The fear and anxiety represent a barrier for dental care and can cause behavioral and physiological changes. These changes can be evaluated through behavioral scales and the measurement of salivary cortisol levels. The aim of this study was to evaluate the level of salivary cortisol in children during restorative dental treatment under moderate sedation with midazolam and taken a placebo and verify the correlation between this physiological measure and the assessment of the behavior conducted through the scale Ohio State University Behavioral Rating Scale (OSUBRS). A randomized controlled crossover triple-blind clinical trial was conducted with 18 healthy children from 2 to 5-year olds with necessity of at least two sessions of restorative dental treatment. Each child was undergo treatment under sedation with 1mg/kg oral midazolam in one session and the other with a placebo and in both sessions protective stabilization was associated. The assessment of child behavior was conducted from videos of clinical sessions using the scale of OSUBRS and the salivary cortisol level was evaluated in 4 moments on the two sessions (waking up, on arrival at the Dental School (DS), 25 minutes after the anesthesia and 25 minutes after finishing the procedure). The saliva samples were analyzed by the Enzyme Immunoassay test to get the mean salivary cortisol level. The results showed that the salivary cortisol level was lower when the children had received midazolam than when they had received the placebo at the moment of anesthesia (p=0.004). It was! Observed greater variation in cortisol level when the children received placebo than when they received midazolam. However...

Comportamento infantil durante consultas odontol??gicas sequenciais : influ??ncia de caracter??sticas cl??nicas, psicossociais e maternas; Children behavior during sequential dental visits: influence of clinical, psychosocial and maternal characteristics

CADEMARTORI, Mariana Gonzalez
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Odontologia; Programa de P??s-Gradua????o em Odontologia; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Odontologia; Programa de P??s-Gradua????o em Odontologia; UFPel; BR
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.48%
One of the most challenging aspects faced by pediatric dentists is behavior management. Child behavior in the dental setting is a multifactorial phenomenon and studies have suggested that some factors may predict children s behavior in dental settings. Thus, this dissertation aimed to assess the behavior of children during sequential dental visits according to the treatment the child received, as well as to investigate the factors that can influence the behavior of children during dental treatment. A convenience sample of children aged from 7-to-13 years old attending a Pediatric Dentistry Clinic was accompanied during 4 sequential visits. Behavior was classified according to Frankl s scale. Mothers and children were interviewed previously to the 1st visit to collect information on demographic, socioeconomic and psychosocial characteristics. The complexity of treatment in each visit was classified as minimally invasive, invasive or very invasive. Behavior trajectory following the visits was assessed. To test the association of the independent variables and behavior Chi-squared and Fisher s exact tests were used. To determine the effect of the variables on the outcome behavior, crude and adjusted Poisson regression analyses were used (Relative Risk; 95% Confidence Interval). The level of significance was set at 5%. A total of 111 mother-child dyads were included. The behavior at the first visit was 100% positive for all children. In the trajectory of behavior during the sequential visits...

A percepção das características da face infantil por adultos e crianças sob uma perspectiva evolucionista

Souza, Catiane Kariny Dantas
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Psicobiologia; Estudos de Comportamento; Psicologia Fisiológica Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Psicobiologia; Estudos de Comportamento; Psicologia Fisiológica
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.28%
Child facial cues evoke attention, parental care behaviors and modulate for infant- caretaker interactions. Lorenz described the baby schema ( Kindchenschema ) as a set of infantile physical features such as the large head, round face, high and protruding forehead, big eyes, chubby cheeks, small nose and mouth. Previous work on this fundamental concept was restricted to positive perception to infant face, and did not show consistent results about the development individuals perceptions, regarding the physical attributes that worked as markers of cuteness. Here, we experimentally tested the effects of baby schema on the perception of cuteness of infant faces by children and adults. We used 60 none graphically manipulated photos of different stimulus children faces from 4 to 9 years old. In the first task for the adults experimental subjects, ten stimulus photos were shown, whereas for children experimental subjects, four stimulus photos were shown at a time, with a total of six rounds. The second task involved only adults, who indicated the motivation of affective behaviors and care directed to children through a Likert scale. Our results suggest that both participants judged similarly the cuteness of children's faces, and the physical features markers of this perception were observed only for younger stimulus children. Adults have attributed more motivations of positive behaviors to cuter stimulus children. The recognition of the baby schema by individuals of different ages and genders confers the universality and power of children's physical attributes. From the evolutionary perspective the responsiveness to baby schema is significant to ensure aloparental and parental investment...

Elaboração e padronização de escala avaliativa do comportamento de crianças em sua primeira consulta odontológica; Elaboration and standardization of evaluating children’s behavior scale in the first pediatric dentistry attendance

Tambellini, Marcela Maia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/05/2005 PT
Relevância na Pesquisa
56.37%
A Odontopediatria e a Psicologia se inter-relacionam e completam, principalmente quando existe necessidade de atendimento odontopediátrico. Quando o paciente é criança em idade pré-escolar, torna-se imperioso uma interação entre estas áreas, para que o resultado final traga benefícios para o paciente. A observação do comportamento das crianças em Odontopediatria é ferramenta importante para a elaboração do plano de tratamento. Levantamento bibliográfico sobre instrumentos para avaliação do comportamento de crianças em ambiente odontológico, mostrou que escalas eram o instrumento mais utilizado, porém, não se encontrou escalas aplicáveis às faixas etárias abaixo de 36 meses. Predominantemente, escalas para avaliação de comportamento estavam direcionadas a medir medo e ansiedade, pressupondo sua existência. Nesta pesquisa buscou-se elaborar e aplicar uma escala observacional para avaliação do comportamento, em primeira consulta odontológica, em crianças entre um e três anos de idade. A escala foi denominada EOCI – Escala de Observação do Comportamento Infantil. A finalidade era avaliar o comportamento em todas as etapas do primeiro atendimento, identificando o grau de cooperação e participação, e não quantificar ou classificar a presença de medo ou ansiedade. A escala foi aplicada em 398 sujeitos de ambos os sexos...

Concordância parental sobre problemas de comportamento infantil através do CBCL; Concordancia de los padres acerca de los problemas de comportamiento infantil por medio del CBCL; Parental agreement regarding children behavioral problems through the CBCL

Borsa, Juliane Callegaro; Nunes, Maria Lucia Tiellet
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2008 POR
Relevância na Pesquisa
46.29%
Este estudo versa sobre a concordância entre respostas de pais e mães relativas aos problemas de comportamento do mesmo filho através do instrumento Child Behavior Checklist [CBCL-6/18]. Participaram desta pesquisa, 146 casais, com filhos de seis a dez anos, não-clínicos, estudantes do ensino fundamental de Porto Alegre-RS, Brasil. Os questionários foram enviados para todos os pais de crianças desta faixa etária. As respostas ao CBCL classificam a criança como Clínica ou Não-Clínica nas escalas: Competência Social, Problemas Internalizantes, Problemas Externalizantes e Problemas Totais de Comportamento. A concordância entre as respostas de pais e mães para os Problemas Internalizantes e Externalizantes foi moderada (K=0,464; K=0,572); para a Competência Social e Problemas Totais de Comportamento, a concordância foi baixa (K=0,327; K=0,347). Tais resultados apontam que pais e mães tendem a não concordar quando solicitados a se pronunciar sobre problemas de comportamento dos filhos.; El estudio constató la concordancia entre las respuestas de padres y madres con respecto a los problemas del comportamiento de un mismo hijo a partir del Child Behavior Checklist 6/18 [CBCL-6/18]. Los informantes fueron 146 parejas, con hijos de seis a diez años...

Famílias: Influências no desenvolvimento e comportamento infantil,através da percepção de pais e professores

Figueiredo , Cláudia Rodrigues Sequeira de
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
56.36%
A família desempenha um papel importante do desenvolvimento e comportamento infantil, sendo que o divórcio pode tornar-se uma experiência stressante. O presente estudo, de carácter exploratório comparativo, tem como objectivo verificar se existem diferenças no comportamento de crianças em situação monoparental, com pais separados ou divorciados, e crianças em famílias intactas, pais juntos ou casados, através da percepção de pais e professores. Os Instrumentos utilizados foram: Child Behaviour Checklist, Teatcher´s Report Form e o Questionário de Caracterização da Amostra. A amostra, de conveniência, é constituída por 30 crianças em famílias monoparentais e 32 crianças em famílias intactas a frequentar o 1º ciclo (6 aos 10 anos). Segundo os resultados, os professores tendem a identificar as crianças do grupo monoparental como tendo mais problemas de comportamento do que as crianças do grupo de famílias intactas o que leva à ideia de que o divórcio poderá ser um factor importante no comportamento infantil.; ABSTRACT: Family plays a very important role in the development and behaviour of infant’s, there for, divorce may be a very stressful experience for them. The objective of this exploratory comparative research is to check if there are differences in child’s behaviour between a single parent’s situation...

A arterapia e o desenvolvimento do comportamento no contexto da hospitalização; El arteterapia y el desarrollo del comportamiento en el contexto de la hospitalización; Art therapy and behavior development in the context of hospitalization

Valladares, Ana Cláudia Afonso; Carvalho, Ana Maria Pimenta
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2006 POR
Relevância na Pesquisa
56.31%
A hospitalização pode ter efeitos negativos sobre o desenvolvimento e comportamento infantil. Assim, objetivou-se avaliar, neste trabalho, o comportamento de crianças com idade de 7 a 10 anos internadas, antes e após intervenção de arteterapia. Utilizou-se, para esse fim, um esquema quasi-experimental com grupo controle (n=10) e um grupo experimental (n=10). Os resultados mostraram que as intervenções de arteterapia foram eficazes, por promoverem a melhoria das respostas comportamentais de seus participantes. Conclui-se, então, que os hospitais podem ser ambientes estimulantes para a criança, implementando práticas de cuidados para além da doença.; La hospitalización puede tener efectos negativos sobre el desarrollo y comportamiento infantil. Así, se tuvo como objetivo evaluar, en este trabajo, el comportamiento de niños con edad de 7 a 10 años internados, antes y después de la intervención de la arteterapia. Se utilizó, para este fin, un esquema cuasi -experimental con grupo control (n=10) y un grupo experimental (n=10). Los resultados mostraron que las intervenciones de arteterapia fueron eficaces, por promover la mejora de las respuestas de comportamiento de sus participantes. Se concluyó, entonces, que los hospitales pueden ser ambientes estimulantes para el niño...

Desigualdades socioeconômicas e saúde mental infantil; Desigualdades socioeconómicas y salud mental infantil; Socioeconomic inequalities and child mental health

Assis, Simone G; Avanci, Joviana Quintes; Oliveira, Raquel de Vasconcellos Carvalhaes de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/08/2009 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
46.44%
OBJETIVO: Analisar a associação de determinantes sociodemográficos com o desenvolvimento de problemas de comportamento e de competência social em crianças. MÉTODOS: Estudo transversal realizado com 479 escolares entre seis e 13 anos de idade, da primeira série do ensino fundamental de escolas públicas em São Gonçalo (RJ), em 2005. Foram investigadas variáveis socioeconômicas, estrutura familiar, escolaridade dos pais, cor da pele da criança, problemas de comportamento e competência social. Foram calculadas razões de prevalência com respectivo intervalo com 95% de confiança. Os dados apresentados foram expandidos para a população de alunos da rede de ensino investigada. RESULTADOS: Crianças abaixo da linha de pobreza, de cor da pele negra, com pais com baixa escolaridade, e vivendo em famílias monoparentais ou compostas por madrasta/padrasto apresentaram mais precária competência social e mais problemas de comportamento. À medida que se elevavam os fatores de risco, crescia a prevalência das crianças com baixa competência social e problemas de comportamento. CONCLUSÕES: A associação entre os determinantes sociodemográficos com a maior prevalência de problemas de comportamento e com mais precária competência social em crianças requer que ações preventivas e de assistência sejam tomadas como prioridade para as políticas públicas...

A influência de eventos antecedentes nos problemas de comportamento infantil: revisão de conceitos e aplicabilidade; The influence of antecedents events on behavior problems in childhood: reviewing concepts and applicability

de Menezes, Camila Carmo; Universidade Estadual de Londrina; Gon, Márcia Cristina Caserta; Universidade Estadual de Londrina
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; avaliado por pares; Formato: application/pdf
Publicado em 05/06/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.36%
  Considerando o aumento no número de estudos aplicados realizados no exterior e a ausência de publicações brasileiras em Análise do Comportamento que relacionam eventos antecedentes a problemas comportamentais infantis, este artigo objetiva descrever: (1) os processos antecedentes em termos conceituais segundo B. F. Skinner e J. Michael e (2) a função que os eventos antecedentes podem adquirir na análise dos problemas de comportamento. Três pesquisas aplicadas que têm como foco de investigação a relação entre as varáveis antecedentes “atenção parental” e “dificuldade da tarefa” e o comportamento de desobediência são apresentadas. Os resultados destas pesquisas demonstram a manipulação de eventos antecedentes como uma alternativa eficaz que pode contribuir para a diminuição do uso de consequências aversivas no controle da desobediência infantil. Palavras-chave: análise funcional; eventos antecedentes; problemas de comportamento infantil.  ;  Considering the increase of applied research held in other countries and the absence of Brazilian publications in Behavior Analysis relating antecedent events and childhood behavioral problems...

A INFLUÊNCIA DOS DESENHOS ANIMADOS NO COMPORTAMENTO DE CRIANÇAS AO BRINCAR – UMA REVISÃO

Silva, Mayara Darília
Fonte: Universidade Federal da Paraíba/Centro de Ciências Humanas Sociais e Agrárias Publicador: Universidade Federal da Paraíba/Centro de Ciências Humanas Sociais e Agrárias
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Revisão integrativa. Formato: application/pdf
Publicado em 11/05/2015 POR
Relevância na Pesquisa
56.42%
RESUMO: Revisões integrativas de literatura acrescentam novos rumos para investigações e intervenções futuras por agregarem, de modo sistemático, evidências de pesquisa em dada área do conhecimento. Frente a isso, objetivou-se identificar, na produção científica nacional, a influência dos desenhos animados no brincar das crianças, além de possíveis reflexos na forma de comportamentos ditos “agressivos” em suas práticas sociais. O levantamento bibliográfico foi realizado na Biblioteca Virtual em Saúde - BVS, que concentra, em uma mesma fonte, bases de dados relevantes nos campos da Psicologia e da Educação, como Lilacs, Scielo, Pepsic, bancos de teses, etc. As palavras-chaves utilizadas foram: desenho animado (singular/plural), agressividade e escola, agressividade e desenvolvimento infantil, agressividade infantil e desenho, agressividade e desenho, brincar e desenho, desenvolvimento infantil e brincar. Foram encontradas 86 publicações e 11 foram selecionadas para análise após a leitura de títulos e resumos, segundo critérios de inclusão: artigos em periódicos com corpo editorial, direcionados ao tema, excluindo-se repetidos. A leitura na integra permitiu definir como categorias de análise: período de publicação...

Comportamento anti-social infantil e seu impacto para a competência social

Marinho,Maria Luiza; Caballo,Vicente E.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde Publicador: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2002 PT
Relevância na Pesquisa
46.36%
O termo anti-social (ou transtorno dissocial, segundo o DSM-IV) se refere ao comportamento que infringe regras sociais ou que seja uma ação contra os demais. O indivíduo que assim se comporta é percebido como socialmente incompetente, à medida que utiliza mecanismos inadequados de interação e de solução de problemas. As práticas educativas ineficientes dos pais são vistas como determinantes desse problema de comportamento infantil. O presente trabalho visa descrever um Programa de Intervenção Grupal para Pais que consta de sessões de orientação parental e desenvolvimento de habilidades sociais em crianças. Os principais componentes são: identificar, descrever e reforçar comportamento infantil adequado; analisar funcionalmente comportamento infantil e parental; aplicar procedimentos de solução de problemas. O Programa se mostrou adequado em produzir mudanças comportamentais positivas em 70% das famílias submetidas à intervenção e manutenção da melhora nos seguimentos de 3 e 9 meses.

Desigualdades socioeconômicas e saúde mental infantil

Assis,Simone G; Avanci,Joviana Quintes; Oliveira,Raquel de Vasconcellos Carvalhaes de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
46.33%
OBJETIVO: Analisar a associação de determinantes sociodemográficos com o desenvolvimento de problemas de comportamento e de competência social em crianças. MÉTODOS: Estudo transversal realizado com 479 escolares entre seis e 13 anos de idade, da primeira série do ensino fundamental de escolas públicas em São Gonçalo (RJ), em 2005. Foram investigadas variáveis socioeconômicas, estrutura familiar, escolaridade dos pais, cor da pele da criança, problemas de comportamento e competência social. Foram calculadas razões de prevalência com respectivo intervalo com 95% de confiança. Os dados apresentados foram expandidos para a população de alunos da rede de ensino investigada. RESULTADOS: Crianças abaixo da linha de pobreza, de cor da pele negra, com pais com baixa escolaridade, e vivendo em famílias monoparentais ou compostas por madrasta/padrasto apresentaram mais precária competência social e mais problemas de comportamento. À medida que se elevavam os fatores de risco, crescia a prevalência das crianças com baixa competência social e problemas de comportamento. CONCLUSÕES: A associação entre os determinantes sociodemográficos com a maior prevalência de problemas de comportamento e com mais precária competência social em crianças requer que ações preventivas e de assistência sejam tomadas como prioridade para as políticas públicas...