Página 1 dos resultados de 3777 itens digitais encontrados em 0.026 segundos

O dogma da neutralidade na prestação jurisdicional: uma abordagem jusfilosófica a partir do pensamento de Luis Alberto Warat; The dogma of neutrality in judicial actuation: an jusphilosophical approach form the thinking of Luis Alberto Warat.

Sena, Jaqueline Santa Brigida
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.04%
O dogma da neutralidade na prestação jurisdicional nasce juntamente com o Estado moderno liberal como corolário do princípio da separação dos poderes e como tentativa de minimização da influência do subjetivismo do julgador sobre as decisões tomadas. Naquela época, acreditava-se que somente julgamentos pautados estritamente nos comandos legais é que seriam justos, porque respeitariam a vontade popular expressa nas normas. Entretanto, ao lado desse imperativo, que ainda se faz presente na atualidade, parece haver uma crise do sistema democrático, que vê reduzida paulatinamente sua representatividade, com a consequente perda da legitimidade das leis, até então expressão da vontade popular. Diante desse quadro, o presente trabalho se propôs a problematizar, filosoficamente, o imperativo de neutralidade na prestação jurisdicional, indagando a respeito de sua adequação ao contexto social brasileiro contemporâneo. Para tanto, recorreu-se à obra de LUIS ALBERTO WARAT, jusfilósofo que, dentre outras contribuições, desenvolveu a concepção de senso comum teórico dos juristas, como tentativa de evidenciar a existência de uma série de representações, imagens e crenças consolidadas na ciência e na prática do Direito...

Participação política: sentidos e significados atribuídos por membros do setor de educação de um assentamento rural; Politic participation: Senses and significances assigned by members of the educational sector of a rural settlement

Rosa, Leandro Amorim
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/11/2013 PT
Relevância na Pesquisa
46.04%
Os estudos situados no campo de intersecção entre a psicologia e a política têm contribuído de forma significativa para a investigação de diversos fenômenos ligados ao comportamento político. Entre os principais temas abordados nesse campo interdisciplinar, está presente a participação política. Os referenciais que abordam tal temática, via de regra, têm privilegiado os processos e os fatores implicados na participação política. A presente pesquisa teve como foco de interesse compreender esse fenômeno partindo das perspectivas dos sujeitos e das tensões por eles vivenciadas. A partir do referencial vigotskiano, em articulação com a teoria gramsciana, objetivou-se estudar os sentidos e os significados atribuídos à participação política por sujeitos do setor de educação de um assentamento rural vinculado ao MST. A práxis política, ação intencional que visa a intervenção no homem enquanto ser social, é a categoria central do trabalho. Ela é entendida aqui como imersa em uma realidade social e política gramsciana e orientada a partir de uma subjetividade vigotskiana. Segundo o referencial aqui adotado, a constituição do sujeito é perpassada a todo o momento pelas relações sociais nas quais ele está inserido...

"Coisas que as pessoas sabem" : computação e territórios do senso comum

Wild, Rafael; Maurente, Vanessa Soares; Maraschin, Cleci; Biazus, Maria Cristina Villanova
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.1%
A inteligência artificial constrói, através da computação, sistemas com capacidades especiais na medida em que são capazes de realizar tarefas elaboradas para as quais a inteligência humana seria, em princípio, essencial. Um desses sistemas, um projeto de longo prazo e larga escala conhecido como CYC, propõe- se a uma tarefa considerada muito difícil, que é a de representar e tornar utilizável computacionalmente o conhecimento de senso comum, isto é, conhecimento não especializado, de que as pessoas lançam mão no decorrer do dia a dia sem mesmo dar-se conta de que o estão utilizando. Para realizar este projeto, seus criadores partem de premissas não explicitadas, tais como a de que esse conhecimento é, em primeiro lugar, representável de alguma maneira formal. Examinaremos com atenção esse projeto, para tentar tornar visíveis algumas dessas premissas que consideramos importantes. Buscaremos mostrar, ademais, como o conhecimento ali expresso é marcado pela perspectiva dos seus criadores sobre o mundo e sobre o que se constitui como conhecimento válido.; The discipline of artificial intelligence has been able to build computational systems with remarkable abilities concerning some difficult tasks for which a human intelligence would otherwise be required. One of those systems...

An MD-PhD program in Brazil: students’ concepts of science and of common sense

Oliveira,R.V.; Campos,P.C.C.; Mourão,P.A.S.
Fonte: Associação Brasileira de Divulgação Científica Publicador: Associação Brasileira de Divulgação Científica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2011 EN
Relevância na Pesquisa
66.1%
In 1995, a pioneering MD-PhD program was initiated in Brazil for the training of medical scientists in experimental sciences at the Federal University of Rio de Janeiro. The program’s aim was achieved with respect to publication of theses in the form of papers with international visibility and also in terms of fostering the scientific careers of the graduates. The expansion of this type of program is one of the strategies for improving the preparation of biomedical researchers in Brazil. A noteworthy absence of interest in carrying out clinical research limits the ability of young Brazilian physicians to solve biomedical problems. To understand the students’ views of science, we used qualitative and quantitative triangulation methods, as well as participant observation to evaluate the students’ concepts of science and common sense. Subjective aspects were clearly less evident in their concepts of science. There was a strong concern about "methodology", "truth" and "usefulness". "Intuition", "creativity" and "curiosity" were the least mentioned thematic categories. Students recognized the value of intuition when it appeared as an explicit option but they did not refer to it spontaneously. Common sense was associated with "consensus"...

An anthropological exploration of contemporary bioethics: the varieties of common sense.

Turner, L
Fonte: PubMed Publicador: PubMed
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /04/1998 EN
Relevância na Pesquisa
46.07%
Patients and physicians can inhabit distinctive social worlds where they are guided by diverse understandings of moral practice. Despite the contemporary presence of multiple moral traditions, religious communities and ethnic backgrounds, two of the major methodological approaches in bioethics, casuistry and principlism, rely upon the notion of a common morality. However, the heterogeneity of ethnic, moral, and religious traditions raises questions concerning the singularity of common sense. Indeed, it might be more appropriate to consider plural traditions of moral reasoning. This poses a considerable challenge for bioethicists because the existence of plural moral traditions can lead to difficulties regarding "closure" in moral reasoning. The topics of truth-telling, informed consent, euthanasia, and brain death and organ transplantation reveal the presence of different understandings of common sense. With regard to these subjects, plural accounts of "common sense" moral reasoning exist.

A Reasoning Hardware Platform for Real-Time Common-Sense Inference

Barba, Jesús; Santofimia, Maria J.; Dondo, Julio; Rincón, Fernando; Sánchez, Francisco; López, Juan Carlos
Fonte: Molecular Diversity Preservation International (MDPI) Publicador: Molecular Diversity Preservation International (MDPI)
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 04/07/2012 EN
Relevância na Pesquisa
46.1%
Enabling Ambient Intelligence systems to understand the activities that are taking place in a supervised context is a rather complicated task. Moreover, this task cannot be successfully addressed while overlooking the mechanisms (common-sense knowledge and reasoning) that entitle us, as humans beings, to successfully undertake it. This work is based on the premise that Ambient Intelligence systems will be able to understand and react to context events if common-sense capabilities are embodied in them. However, there are some difficulties that need to be resolved before common-sense capabilities can be fully deployed to Ambient Intelligence. This work presents a hardware accelerated implementation of a common-sense knowledge-base system intended to improve response time and efficiency.

Por um sentido formativo da arte numa "sociedade de consumidores": uma inserção no pensamento político de Hannah Arendt e de Jacques Rancière; For an educational sense of art in a consumer society: a survey into the political thought of Hannah Arendt and Jacques Rancière

Lamas, Anyele Giacomelli
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/07/2015 PT
Relevância na Pesquisa
46.11%
Com o intuito de pensar sobre a peculiaridade dos impasses relativos à formação dos mais novos no contexto de uma sociedade de consumidores, recorremos ao que Hannah Arendt e Jacques Rancière propuseram acerca da relação entre arte e política. De acordo com Arendt, um dos desafios impostos à tarefa dos mais velhos de introduzir os recém-chegados ao mundo numa sociedade de consumidores diz respeito ao modo como temos nos relacionado com a herança cultural que o passado nos legou. Isso porque destruímos os objetos culturais que ajudam a constituir um mundo comum na medida em que os transformamos em meios de entretenimento, passíveis de serem consumidos. Se partimos da reflexão sobre o fenômeno da arte como uma das formas privilegiadas de compreender o que é esse mundo comum ao qual os adultos devem introduzir as crianças é porque, segundo Arendt, as obras de arte são os objetos culturais máximos que devem ser salvos da ruína da destruição ou do esquecimento. Rancière, por sua vez, afirma que a arte e a política podem contribuir para que possamos reconfigurar as coisas comuns, mesmo no contexto da sociedade homogênea e consensual da qual fazemos parte. Elas podem romper com a distribuição dos espaços, das competências e incompetências de acordo com o lugar que ocupamos na sociedade...

Science and Common Sense: In Favor of the Teaching of Critical Common Sense; La ciencia y el sentido común: por la enseñanza de un sentido común crítico; A ciência e o senso comum: ensinar o senso comum crítico

Juan Carlos, Aguirre-García; Universidad del Cauca; Jaramillo-Echeverri, Luis Guillermo; Universidad del Cauca
Fonte: Universidad de la Sabana Publicador: Universidad de la Sabana
Tipo: Artigo de Revista Científica
SPA
Relevância na Pesquisa
46.1%
The objective of this article is to explore some of the relationships that exist between science and common sense. It begins with the reconstruction of the thesis of modernity in which science is favored at the expense of common sense, a reconstruction based on the analysis offered by the phenomenologist Edmund Husserl. It goes on to defend the thesis that science is anchored inevitably in common sense, drawing distinctions between the “naive” or natural view and the critical approach, particularly in light of the proposals presented by the philosopher Karl Popper. To clarify these distinctions, the author evaluates several of the theories put forth by the sociologist Michel Maffesoli, which have carved out a career in different contexts and are eminently constructionist in nature. These ideas are applied to science education, and the study concludes with an outline of proposals that could be useful when designing strategies for classroom work.; Este artículo tiene como objetivo explorar algunas relaciones que se establecen entre la ciencia y el sentido común. Se parte de la reconstrucción de las tesis de la modernidad, donde se privilegia la ciencia en desmedro del sentido común; tal reconstrucción se hará a partir del análisis hecho por el fenomenólogo Edmund Husserl; después se defiende la tesis de que la ciencia se ancla de modo inexorable en el sentido común...

Improving Human-Computer Interaction by Developing Culture-sensitive Applications based on Common Sense Knowledge

Anacleto, Junia Coutinho; de Carvalho, Aparecido Fabiano Pinatti
Fonte: Universidade Cornell Publicador: Universidade Cornell
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 03/01/2010
Relevância na Pesquisa
46.13%
The advent of Web 3.0, claiming for personalization in interactive systems (Lassila & Hendler, 2007), and the need for systems capable of interacting in a more natural way in the future society flooded with computer systems and devices (Harper et al., 2008) show that great advances in HCI should be done. This chapter presents some contributions of LIA for the future of HCI, defending that using common sense knowledge is a possibility for improving HCI, especially because people assign meaning to their messages based on their common sense and, therefore, the use of this knowledge in developing user interfaces can make them more intuitive to the end-user. Moreover, as common sense knowledge varies from group to group of people, it can be used for developing applications capable of giving different feedback for different target groups, as the applications presented along this chapter illustrate, allowing, in this way, interface personalization taking into account cultural issues. For the purpose of using common sense knowledge in the development and design of computer systems, it is necessary to provide an architecture that allows it. This chapter presents LIAs approaches for common sense knowledge acquisition, representation and use...

Don't Just Listen, Use Your Imagination: Leveraging Visual Common Sense for Non-Visual Tasks

Lin, Xiao; Parikh, Devi
Fonte: Universidade Cornell Publicador: Universidade Cornell
Tipo: Artigo de Revista Científica
Relevância na Pesquisa
46.16%
Artificial agents today can answer factual questions. But they fall short on questions that require common sense reasoning. Perhaps this is because most existing common sense databases rely on text to learn and represent knowledge. But much of common sense knowledge is unwritten - partly because it tends not to be interesting enough to talk about, and partly because some common sense is unnatural to articulate in text. While unwritten, it is not unseen. In this paper we leverage semantic common sense knowledge learned from images - i.e. visual common sense - in two textual tasks: fill-in-the-blank and visual paraphrasing. We propose to "imagine" the scene behind the text, and leverage visual cues from the "imagined" scenes in addition to textual cues while answering these questions. We imagine the scenes as a visual abstraction. Our approach outperforms a strong text-only baseline on these tasks. Our proposed tasks can serve as benchmarks to quantitatively evaluate progress in solving tasks that go "beyond recognition". Our code and datasets are publicly available.

Seny i sentit comú en Jaume Balmes

Anglès Cervelló, Misericòrdia
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //1995 CAT
Relevância na Pesquisa
46.15%
L'article tracta de la criteriologia del sentit comú del filòsof Jaume Baimes i la seva relació amb la noció del seny. Atès que és un problema explicar el significat exacte tant de sentit comú com de seny en un sentit filosòfic, intentem distingir els diferents possibles significats d'ambdues nocions. No obstant, es tracta d'un tema prou extens i per tant l'estudiarem aquí només en relació amb la filosofia balmesiana. Comencem exposant la criteriologia de Balmes, en què el sentit comú és només un dels tres criteris fonamentals de veritat. Endemés, a cada criteri correspon un primer principi. Els criteris són: 1) la consciencia (amb el primer principi del cogito),que abasta tots els fets interns de la ment; 2) L'evidència, regulada pel principi de no contradicció, i 3) el sentit comú o tendencia natural de la nostra raó vers el ver. De tota manera, aquesta darrera noció és més complexa i ens cal distingir-hi diferents significats. Alguns d'ells són semblants a la noció de seny, entesa com una certa saviesa pràctica. Concloem afirmant que en la seva obra primerenca la noció balmesiana de sentit comú s'aproxima més a la de seny que la de la Filosofia Fundamental.; The article deals with the common sense criteriology of the philosopher Balmes and its relationship with the Catalan conception of “seny”. Since it is a problem to explain the exact meaning of both “common sense” and “seny” in a philosophical sense we try to distinguish several possible meanings of both notions. Nevertheless...

L'anàlisi filosòfica en G.E. Moore i la seva relació amb el sentit comú i el llenguatge ordinari

Moragas, Marta
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //1997 CAT
Relevância na Pesquisa
46.1%
Aquest treball explora la concepció de l'anàlisi de Moore tot relacionant-la amb la seva defensa del sentit comú i el llenguatge ordinari com el seu vehicle d'expressió. La secció 1 estudia el paper que l'anàlisi representa en la seva filosofia, així com la seva importància per afrontar problemes filosòfics. La secció 2 descriu en què consisteix l'anàlisi segons Moore, discuteix els criteris que ha de satisfer una anàlisi correcta, i classifica els diferents tipus d'anàlisi trobats en els escrits de Moore, alhora que nega que se'ls pugui considerar lingüístics o conceptuals. La secció 3 aclareix les nocions de sentit comú i llenguatge ordinari, subratllant la preeminència d'aquell. La discussió es proposa de resoldre dues qüestions: a ) c o m es pot reconèixer una proposició del sentit comú, i b ) com es pot reconèixer si tal proposició és vertadera. Finalment, ens concentrem en el paper concedit al sentit comú i/o llenguatge ordinari com a pedra de toc a l'hora d'acceptar o rebutjar arguments filosòfics.; The paper explores Moore's conception of analysis and relates it to his defence of common sense and ordinary language as its vehicle of expression. Section 1 studies the role that analysis plays in his philosophy and its importance to tackle philosophical problems. Section 2 gives an account of what a Moorean analysis consists of...

De Shaftesbury a Kant: A ilustração entre a filosofia e o senso comum; From Shaftesbury to Kant. The enlightenment between philosophy and common sense

Pimenta, Pedro Paulo
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 12/12/1998 POR
Relevância na Pesquisa
65.97%
O texto procura mostrar como um problema aparentemente formal surgido no âm- bito das preocupações caras à filosofia britânica – a adequação da exposição ao conceito filosófico – suscita a questão da relação, sempre problemática, entre a filosofia e o senso comum. A sugestão aqui esboçada é que essa discussão, tal como ela aprece em Shaftesbury e Hume, se encontra na gênese da formulação transcendental do conceito de finalidade na Filosofia Crítica de Kant.; The text’s main goal is to show how a seemingly formal problem which arises in the british philosophical ambient – the fitness between the philosophical concept and its exposition – leads to the question of the relationship between philosophy and common sense. The suggestion here is that this discussion, as it appears in Shaftesbury and Hume, is central to the genesis of the formulation of the transcendental concept of finality in Kant’s Critical philosophy.

Narratividade e senso comum : nas rimas dos versos de cordel; Narrativity and common sense : in the rhymes of the verses of cordel literature

Fernanda Moraes D'Olivo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 24/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
66.17%
Como se dá o funcionamento do efeito do senso comum nos cordéis que narram fatos que impactaram a grande mídia? Esta é a pergunta que orienta as reflexões e análises desta tese. Para respondê-la, foi necessário traçar um percurso que me permitisse entender a discursividade do senso comum no modo como o cordel, em sua materialidade, produz sentidos, ou seja, compreender o senso comum como efeito de sentido resultante do funcionamento da ideologia. Nesse percurso, foi importante a noção de narratividade (MARIANI, 1996), concebida como um processo simbólico que mobiliza a memória discursiva. O corpus deste trabalho é composto pelos cordéis Dilma Rousseff já é presidenta da nação e A invasão do Alemão, os quais foram escolhidos porque apresentam questões que marcam o social no que diz respeito à política e à violência. A partir da análise desses folhetos, compreendi que o senso comum, enquanto efeito de sustentação, tal como definido por Pêcheux (1975) funciona no modo da implicatura, o que marca a argumentação e a progressão narrativa configuradas nos folhetos, com um efeito de assertividade e de constatação. O efeito do senso comum produz um imaginário de generalização, apagando o confronto entre as diferentes formações discursivas e...

"Coisas que as pessoas sabem": computação e territórios do senso comum

Wild, Rafael; Maurente, Vanessa; Maraschin, Cleci; Biazus, Maria Cristina
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.1%
A inteligência artificial constrói, através da computação, sistemas com capacidades especiais na medida em que são capazes de realizar tarefas elaboradas para as quais a inteligência humana seria, em princípio, essencial. Um desses sistemas, um projeto de longo prazo e larga escala conhecido como CYC, propõe-se a uma tarefa considerada muito difícil, que é a de representar e tornar utilizável computacionalmente o conhecimento de senso comum, isto é, conhecimento não especializado, de que as pessoas lançam mão no decorrer do dia a dia sem mesmo dar-se conta de que o estão utilizando. Para realizar este projeto, seus criadores partem de premissas não explicitadas, tais como a de que esse conhecimento é, em primeiro lugar, representável de alguma maneira formal. Examinaremos com atenção esse projeto, para tentar tornar visíveis algumas dessas premissas que consideramos importantes. Buscaremos mostrar, ademais, como o conhecimento ali expresso é marcado pela perspectiva dos seus criadores sobre o mundo e sobre o que se constitui como conhecimento válido.; The discipline of artificial intelligence has been able to build computational systems with remarkable abilities concerning some difficult tasks for which a human intelligence would otherwise be required. One of those systems...

A ciência e as idas e voltas do senso comum; Science and the comings and goings of common sense

Paty, Michel
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2003 POR
Relevância na Pesquisa
66.16%
Não podemos conceber a compreensão e a comunicação de idéias sem fazer referência ao senso comum. Porém, por outro lado, todo conhecimento novo que seja importante precisa ultrapassar o senso comum e, portanto, romper com ele. Essas duas exigências, aparentemente contraditórias, podem ser conciliadas? E, se for o caso, de qual maneira? Devemos, na verdade, reconhecer que, quando conhecimentos novos são adquiridos e bem compreendidos, assimilados, completamente inteligíveis, e até ensinados; quando neles nos baseamos para avançar na direção de conhecimentos ainda mais novos, estes que foram adquiridos participam da constituição de um senso comum, modificado, diferente do precedente, mas que tem tanto direito quanto este à qualificação de " senso comum ", exatamente no mesmo sentido que o antigo. Desta maneira, o senso comum se enriquece pela assimilação dos conhecimentos científicos. Mostraremos como ele beneficia-se, de fato, das "ampliações" da racionalidade que permitem compreender de que maneira o progresso do conhecimento torna-se possível. Vários exemplos examinados na área da física contemporânea (com a teoria da relatividade e a teoria quântica) ajudarão a explicitar concretamente a tese assim resumida. Estas considerações têm implicações éticas...

Common-sense Realism and the Unimaginable Otherness of Science

Monton, Bradley; University of Colorado at Boulder
Fonte: Federal University of Santa Catarina – UFSC Publicador: Federal University of Santa Catarina – UFSC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2007 POR
Relevância na Pesquisa
46.1%
Bas van Fraassen endorses both common-sense realism — the view, roughly, that the ordinary macroscopic objects that we take to exist actually do exist — and constructive empiricism — the view, roughly, that the aim of science is truth about the observable world. But what happens if common-sense realism and science come into conflict? I argue that it is reasonable to think that they could come into conflict, by giving some motivation for a mental monist solution to the measurement problem of quantum mechanics. I then consider whether, in a situation where science favors the mental monist interpretation, van Fraassen would want to give up common-sense realism or would want to give up science. 1. The Potential TensionBas van Fraassen is a common-sense realist: Constructive empiricism

Logical Normativity and Common Sense Reasoning; Logical Normativity and Common Sense Reasoning

Agazzi, Evandro; Department of Philosophy University of Genoa ITALY Universidad Autónoma Metropolitana Unidad Cuajimalpa
Fonte: Federal University of Santa Catarina – UFSC Publicador: Federal University of Santa Catarina – UFSC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.19%
A lógica, considerada como uma disciplina técnica iniciada por Aristóteles e tipicamente representada pela variedade de cálculos lógicos modernos, constitui um esclarecimento e refinamento de uma convicção e prática presentes no senso comum, ou seja, o fato de que os seres humanos crêem que a verdade pode ser adquirida não apenas por evidência imediata, mas também por meio de argumentos. Como uma primeira aproximação, a lógica pode ser vista como um registro “descritivo” das principais formas de argumento presentes no senso comum, mas o fato de que alguns desses padrões possam realmente permitir a derivação de consequências falsas a partir de premissas verdadeiras impõe a tarefa de tornar explícitos que padrões correspondem a um “raciocínio correto” e quais não. Nesse ponto, a lógica (que contém a apresentação de tais padrões) parece ser dotada de uma característica “normativa”. Isso equivale a dizer se pretende que os cálculos lógicos espelhem adequadamente a noção intuitiva de “consequência lógica” e que nesse sentido eles não podem ser totalmente arbitrários ou convencionais, mas devem satisfazer certos requisitos básicos tais como as condições de correção e (tanto quanto possível) de completude semântica. Em tal forma eles são “julgados” de acordo com os requisitos fundamentais presentes no nível do senso comum e aparecem como “idealizações” das espécies de raciocínio praticadas no senso comum. Por essa razão também vários tipos de cálculos lógicos são inteiramente justificados uma vez que tornam explícitos...

Fora de cena: a loucura, o obsceno e o senso comum; Offstage: madness, the obscene, and common sense; Fuera de escena: la locura, lo obsceno y el sentido común

Martínez-Hernáez, Angel; Universitat Rovira i Virgili, Tarragona
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 12/12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.01%
http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2012v9n2p01Na história europeia, a loucura está associada com dois estados: o movimento e o confinamento. Estes estados aparentemente contraditórios convergem em um estado obsceno, no sentido etimológico da palavra: fora de cena. Neste artigo, baseado em dados etnográficos na rede de saúde mental de Barcelona, argumenta-se que o "estar obs-ceno" se produz quando a loucura desafia os processos sociais hegemônicos de persuasão que induzem a aceitar padrões de comportamento considerados adequados e a identificação dos pacientes com os interesses dos terapeutas. A loucura não desafia a razão, como normalmente se diz, senão o senso comum entendido como um sistema cultural. A natureza refratária da loucura conduz a uma gestão estigmatizante nos sistemas especialistas que procuram incorporar a experiência dos sujeitos afligidos em categorias nosológicas previsíveis.; Throughout European history, madness has been associated with two states: movement and confinement. These apparently contradictory states converge in an obscene state, in the etymological sense of the word: offstage. In this article, based on data from ethnographic work in the Barcelona mental health care network, it is argued that "being ob-scene" results when madness challenges hegemonic social processes of inculcation and persuasion that induce acceptance of behavioral patterns considered appropriate...

Rehabilitation of common sense: social representations, science and cognitive polyphasia

Jovchelovitch, Sandra
Fonte: Wiley-Blackwell Publicador: Wiley-Blackwell
Tipo: Article; PeerReviewed Formato: application/pdf
Publicado em //2008 EN; EN
Relevância na Pesquisa
46.1%
In Psychoanalysis, its image and its public (PIP) Moscovici introduced the theory of social representations and took further the project of rehabilitating common sense. In this paper I examine this project through a consideration of the problem of cognitive polyphasia, and the continuity and discontinuity between different systems of knowing. Focusing on the relations between science and common sense. I ask why, despite considerable evidence to the contrary, the scientific imagination tends to deny its relation to common sense and believe that can displace it. I argue that the psychosocial dynamic between common sense and science is revealing of how heavily they are entangled in, and indeed indebted to each other. Even more, this dynamic allows for a full appreciation of what the theory of social representations calls states of cognitive polyphasia. Different systems of thinking and knowing do not displace each other but live side by side, co-existing in a variety of ways, fulfilling different functions and answering different needs in social life.