Página 1 dos resultados de 1938 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Matrizes de colágeno para liberação controlada de progesterona; Collagen matrices for controlled release of progesterone

Vulcani, Valcinir Aloisio Scalla
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/01/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.34%
O hormônio progesterona é utilizado para tratamento de infertilidade, anticoncepção e problemas ovarianos. Na medicina veterinária, além dessas aplicações, a progesterona é utilizada para a sincronização do ciclo estral das fêmeas economicamente exploráveis, otimizando as técnicas de reprodução, como a inseminação artificial e a transferência de embriões. Devido à sua baixa capacidade imunogênica, atoxicidade e abundância na natureza, o colágeno é um biopolímero que têm sido amplamente empregado para fins biomédicos. Neste trabalho obteve-se matrizes de colágeno e colágeno contendo progesterona nas proporções de 5% e 10% sobre a massa de colágeno (m/m), estudou-se a interação entre o hormônio e o biopolímero e a liberação de progesterona. Analisou-se, também, nas matrizes: estabilidade térmica, por TG e DSC; capacidade de hidratação por tampão PBS; morfologia, por microscopia eletrônica de varredura e estabilidade biológica, por ensaios in vitro de hidrólise enzimática do colágeno por colagenase. Observou-se que a presença de progesterona nas matrizes de colágeno não alterou a capacidade de hidratação por tampão, aumentou a resistência frente à degradação enzimática e diminuiu a temperatura de degradação do colágeno. A incorporação manual do hormônio apresentou cerca de 88% de eficiência e os ensaios de liberação mostraram que a incorporação a 5% (m/m) libera mais rapidamente que a incorporação a 10%...

Caracterização térmica e reológica de blendas de glicerol:colágeno tipo I de diferentes tecidos; Thermal and rheological characterization of glycerol: type I collagen blends

Egawa, Edgar Yuji
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 20/09/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
O colágeno possui características que fazem com seja amplamente utilizado como biomaterial. A termo-estabilidade do colágeno está diretamente relacionada a mudanças na sua estrutura (hélice tripla) via de regra quanto mais estável termicamente uma matriz, mais estável biologicamente será. Vários poliálcoois incluindo o glicerol têm apresentado um aumento na estabilidade térmica do colágeno tipo I, embora o tipo de interação não seja evidente. Este trabalho tem como objetivo estudar o efeito da adição de glicerol sobre o colágeno aniônico obtido por tratamento alcalino (24 H) em três diferentes tecidos: pericárdio e tendão bovinos e serosa porcina. Para isto são utilizados a espectroscopia na região do infravermelho (FTIR), termogravimetria e reologia. Os espectros mostraram que o tratamento alcalino e a adição de glicerol não causam desnaturação da proteína de colágeno. A partir dos resultados das curvas termogravimétricas foi observado que o glicerol aumenta a temperatura de decomposição térmica do colágeno. Os resultados dos ensaios de reologia mais precisamente a varredura de deformação mostrou que as soluções de colágeno apresentam G' maior que G'' independente do tecido de origem, e a adição de glicerol não causa mudanças nesta propriedade das soluções. A varredura de freqüência mostrou que as amostras têm características de um gel...

Remodelamento da pele semelhante à esclerodermia induzido pelo colágeno tipo V; Scleroderma-like remodeling induced by type V collagen

Bezerra, Mailze Campos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/05/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.34%
Recentemente, descobrimos que coelhos, Nova Zelândia, imunizados com colágeno tipo V humano mais adjuvante de Freund apresentavam fibrose e vasculite de órgãos normalmente afetados na esclerose sistêmica. Deste modo, nós estudamos o processo de fibrilogênese para identificar possíveis fatores envolvidos na alteração do remodelamento observado neste modelo de esclerodermia. Adicionalmente, fizemos uma comparação preliminar com pele humana obtida de pacientes com esclerodermia (n=3). Coelhos fêmeas, Nova Zelândia (n=14), foram imunizados subcutaneamente com duas doses de 1mg de colágeno V mais adjuvante completo de Freund, com intervalo de 30 dias, seguido de duas imunizações em adjuvante incompleto de Freund, via intramuscular, com intervalo de 15 dias. Os animais do grupo controle (n- 14) foram inoculados somente com adjuvante completo e incompleto de Freund, nas mesmas condições dos imunizados. Foram realizadas análises histológicas das peles dos animais e pacientes através da coloração com tricrômico de Masson e imunofluorescêcia, a fim de detectar fibras de colágeno e interação dos colágenos I, III e V. A análise da pele dos animais demonstrou depósito precoce de fibras de colágeno na derme após 7 dias da sensibilização...

Análises dos efeitos do colágeno bovino e derivados na proliferação celular e biossíntese de colágeno em fibroblastos humanos.; Analysis of bovine collagen and derivates effects in the cell proliferation and collagen biosyntesis in human fibroblasts.

Rodrigues, Vergimari
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.45%
O colágeno é a proteína fibrosa predominante da matriz extracelular e é a maior proteína constituinte do tecido conectivo. Alterações nas taxas de colágeno tipo I na derme ocorrem durante o envelhecimento. A introdução de um agente eficaz para a manutenção da pele durante o envelhecimento é importante, possibilitando a redução destes efeitos. Neste projeto foram avaliados os efeitos proliferativos e de biossíntese de colágeno, em fibroblastos humanos de derme normal tratados com colágeno bovino e derivados de diferentes perfis moleculares, colágeno super hidrolisado, colágeno hidrolisado e gelatina, em diferentes experimentos, adesão e viabilidade celular, síntese de colágeno e análises das fases do ciclo celular. Os resultados sugerem que o colágeno bovino e derivados induzem as propriedades adesivas nos fibroblastos, não desencadeiam efeitos citotóxicos e induzem a biossíntese de colágeno pelos fibroblastos. Os resultados de síntese de colágeno indicam que concentrações menores de colágeno super hidrolisado e colágeno hidrolisado podem ser utilizadas em relação à amostra de gelatina. Comparando os resultados após 48 horas de cultura na síntese de colágeno e nas modificações na fase S do ciclo celular...

Estudo da participação do colágeno V no câncer de pulmão, especificamente no carcinoma não de pequenas células; Study of the involvement of collagen V in lung cancer specifically in non-small cell carcinoma

Souza, Paola da Costa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
O colágeno V vem emergindo como um potente indutor de morte celular (apoptose) via caspase. Nosso objetivo, neste estudo, foi examinar a interface entre o colágeno dos tipos I, III e V, apoptose tumoral e endotelial, angiogênese e células imunes, assim como o impacto desses fatores no prognóstico de pacientes com carcinomas não de pequenas células (CNPC) de pulmão. As amostras foram obtidas de 65 pacientes com CNPC de pulmão cirurgicamente excisados. Foram utilizados imunofluorescência e histomorfometria para colágenos I, III e V; imunohistoquímica e histomorfometria para avaliar apoptose endotelial e epitelial pelas caspases 5, 6, 8, 9 e via TUNEL, antiapoptose pela expressão do Bcl-2 e Bcl-6, densidade microvascular utilizando CD34, atividade vascular através da endotelina, VCAM e CD54, além da laminina. As células imunes foram imunomarcadas pelo CD3, CD4, CD8, CD20, CD56 Cd1a, S100, CD68 e as seguintes citocinas foram quantificadas: IL-4, IL-6, IL-8 e TGF-. O modelo de sobrevida de Cox mostrou que, quando controlados pelo estadiamento patológico linfonodal N, somente o colágeno do tipo V e a apoptose endotelial via caspase-9 foram significativamente associados com a sobrevida. Uma medida de corte ao nível da mediana para o colágeno do tipo V e caspase-9 dividiu os pacientes em dois grupos distintos de prognóstico. Aqueles com colágeno V maior do que 9...

Anisotropias opticas em feixes de colageno e pesquisa de morte celular em fibroblastos de tendões durante o estabelecimento do diabetes espontaneo em camundongos não-obesos (NOD)

Marcela Aldrovani Rodrigues
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/08/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.43%
Camundongos NOD são ótimos modelos para estudo, uma vez que são portadores de duas importantes características: diabetes e resistência à apoptose. É desconhecido se a elevada resistência à apoptose atinge células somente do sistema imune onde foi descrita, ou se é uma característica de células de outros sistemas/tecidos. O diabetes mellitus provoca alterações na matriz extracelular (MEC) por meio da glicosilação não-enzimática das proteínas intercelulares, tal como o colágeno. No processo não-enzimático de glicosilação da proteína colagênica, o grupo aldeído da glicose reage com o grupamento amina livre de resíduos de lisina e hidroxilisina do colágeno, formando uma base Schiff reversível que origina os produtos de Amadori. Estes produtos dão origem aos produtos de glicosilação avançada (AGEs) que desencadeiam a formação de ligações cruzadas entre as moléculas de colágeno. O colágeno interage com receptores de superfície celular de modo que alterações nesta glicoproteína poderiam alterar a transdução de sinais da MEC para as células. O presente estudo visa descrever e quantificar as propriedades anisotrópicas ópticas em feixes de colágeno; buscar alterações elicitadas pelo diabetes nos proteoglicanos (PGs) da MEC; verificar a ocorrência de resíduos de glicose disponíveis no colágeno glicosilado; descrever o intumescimento e a extração de feixes de colágeno em ácido acético a 3% e comparar alguns aspectos da morte celular e do fenótipo nuclear de fibroblastos de feixes de colágeno de camundongos sadios e NOD...

Analise do comportamento de celulas vero em geis de colageno tipo I utilizando a tecnica de cultivo em sanduiche

Vera da Rosa Haas
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/02/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.45%
As células Vero, uma linhagem estabelecida a partir de células renais de macaco verde africano (Cercopithecus aethiops), foram mantidas utilizando a técnica de cultivo em sanduíche. Dois tipos de sanduíche foram utilizados vidro/colágeno e colágeno/colágeno, com 10% e 20% de soro feta! bovino (SFB), com o objetivo de se verificar o comportamento das células Vero neste método de cultivo. As células foram avaliadas quanto a morfologia utilizando-se a coloração com hematoxilina-eosina (HE), citoquimicamente por meio de azul de toluidina pH 4,0 (A T) e xylidine Ponceau pH 2,5 (XP), e imunocitoquimicamente com anticorpos anti-colágeno IV e anti-Iaminina. As células cultivadas durante um período de 7 dias, no sanduíche vidro-colágeno com 10% e 20% de SFB cresceram em ambos os substratos. As células que permaneceram sobre o vidro apresentaram morfologia variada com predomínio de células alongadas, sendo que em vários locais as lamínulas não apresentavam células mostrando que as mesmas foram capazes de migrar contra a força da gravidade em direção à matriz colagênica. Essas células que migraram para o colágeno I apresentaram formato alongado ou arredondado, sendo que este último predominou quando houve infiltração para o interior do gel colagênico. Observou-se também a contração do mesmo...

Ação de agentes quimicos no processo de diferenciação celular induzida pelo feltro de colageno microcristalino "in vitro"

Maria Izabel Gallão
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/08/1990 PT
Relevância na Pesquisa
37.34%
Muitos trabalhos têm sido feitos empregando substratos a base de colágeno para vários tipos celulares. É bem conhecida a ação indutora na diferenciação celular desta macromolécula. Neste trabalho utilizamos um feltro tridimensional de colágeno microcristalino fornecido pelo Dr E.C. Vidal (Departamento de Eiologia Celular Unicamp), como substrato para a adesão e crescimento de célulãs VERO, uma linhagem celular estabelecida partir de células renais de macaco. Este colágeno utilizado como substrato foi dividido em três grupos sendo um submetido ao tratamento com glutaraldeído, outro tratado com ácido periódico, e o terceiro permaneceu sem tratamento As amostras foram retiradas com i, 5, 10 e 15 dias de cultivo. Com os resultados obtidos pudemos concluir que este feltro de colágeno sem tratamento e com tratamento induzem um processo de diferenciação que se caracteriza por alterações na forma e no tamanho das células e por alterações no complexo DNA- proteínas, visualizadas através da coloração com Azul de toluidina. Como foi demonstrado por muitos trabalhos, o glutaraldeído tem a capacidade de aumentar as ligações cruzadas na molécula de colágeno. Devido a esta característica os fragmentos de colágeno tratados com glutaraldeído são melhor preservados...

Emulsões estabilizadas por colageno : efeito da hidrolise termica e do processo de homogeneização; Emulsions stabilized by collagen : effect of thermal hydrolysis and emulsification process

Rejane de Castro Santana
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.47%
O colágeno é uma proteína de origem animal de grande disponibilidade no Brasil e com aplicações nas indústrias de alimentos, farmacêutica e cosmética na forma de gelatina. Com o intuito de entender e melhorar as propriedades emulsificantes de ingredientes à base de colágeno extraído do couro bovino, as propriedades físico-químicas da fibra de colágeno foram inicialmente avaliadas e modificadas através da hidrólise parcial em temperaturas de 50 à 85°C por períodos de 20 e 60 minutos. O processo de hidrólise aumentou a solubilidade do colágeno de 2,9 % (m/m) para 33,0 % (m/m) e produziu frações de menor massa molar, que chegaram a alcançar 37 kDa no hidrolisado a 85°C/60min. A temperatura de desnaturação do colágeno encontrou-se em torno de 64°C, sendo que os tratamentos a 65°C e 85°C foram capazes de desnaturar totalmente a fibra de colágeno. Já as propriedades emulsificantes do colágeno foram avaliadas através da estabilidade, microestrutura e reologia de emulsões simples óleo/água (O/A) estabilizadas por colágeno, verificando a influência do pH, tipo de ingrediente (pó e fibra de colágeno), concentração de proteína, hidrólise térmica do colágeno, conteúdo de proteína solúvel e processo de homogeneização. A estabilidade estérica e eletrostática das macro-emulsões aumentou com a concentração de proteína e com a redução do pH...

Características do colágeno, textura e cor da carne (músculos Longissimus, Semitendinosus, Supraspinatus e Infraspinatus) de fêmeas bovinas adultas de quatro grupos genéticos; Characteristics of collagen, texture and color (muscles Longissimus, Semitendinosus, Supraspinatus and Infraspinatus) fof mature female of four genetics groups

Edsom Roberto Lorenci Toneto
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.45%
A genética, a maturidade e as variações entre músculos podem influir sobre a qualidade da carne. A avançada idade ao abate de fêmeas da subespécie Bos indicus, que constitue a grande maioria do rebanho, tem determinado a oferta de carnes menos macias para os consumidores brasileiros. A maciez é o principal atributo de qualidade da carne e o aspecto mais considerado pelo consumidor na hora da compra. A proteólise miofibrilar devido ao sistema enzimático calpaínas - calpastatina tem sido apontada como o principal mecanismo envolvido no amaciamento da carne post mortem. Entretanto, o conteúdo, a solubilidade e a estabilidade térmica do colágeno presente na musculatura também podem influir na maciez. O objetivo desta pesquisa foi avaliar o efeito das características do colágeno (conteúdo, solubilidade e estabilidade térmica) textura e cor sobre a qualidade da carne de vacas contemporâneas, sendo 19 ½ Angus x ½ Nelore, 16 ½ Canchim x ½ Nelore, 13 ½ Simental x ½ Nelore e 15 da raça Nelore com idade média de 10 anos provenientes do CPPSE da Embrapa de São Carlos, SP e abatidas em frigorífico comercial. Foram realizadas análises de pH, perda por cocção, força de cisalhamento, comprimento de sarcômero, quantidade...

Efeitos biomecânicos e histológicos do recobrimento de tela de polipropileno com gel purificado de colágeno : estudo experimental; Biomechanical and histologic effects of coating a polypropylene mesh with a purified collagen gel : experimental study

Rodrigo Teixeira Siniscalchi
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
Introdução: O material sintético (tela) mais utilizado atualmente no tratamento da Incontinência Urinária de Esforço (IUE) e dos prolapsos da parede vaginal, também conhecidos como Prolapsos dos Orgãos Pélvicos (POP) é o polipropileno monofilamentar, com índices de cura de até 90%. Porém, as complicações relacionadas à integração tecidual desses implantes são relativamente prevalentes. O colágeno, por ser um material biologicamente compatível, pouco imunogênico e com propriedades moduladoras do processo inflamatório, pode ser utilizado como um importante agente cicatrizante e, nesse sentido, poderia melhorar a integração das telas. Objetivo: Estudar os efeitos biomecânicos e histológicos do recobrimento de tela de polipropileno monofilamentar com gel purificado de colágeno, implantadas no tecido subcutâneo de ratas. Material e Métodos: Vinte ratas foram utilizadas para o estudo histológico e outras 20 para o estudo biomecânico. De um lado da parede abdominal do animal foi implantado um fragmento tela de polipropileno monofilamentar macroporosa medindo 20 x 10 mm, habitualmente utilizada no tratamento da IUE e dos POP (Grupo I), denominada PLP (tela de polipropileno) e do outro lado foi implantada uma tela com as mesmas dimensões recoberta com gel purificado de colágeno (Grupo II)...

Estudo da formação de fosfatos de calcio pela mineralização de matrizes de colageno; Study of calcium phosphate precipitation by mineralization of collagen

Lauter Jose Marques Allegretti
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/02/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.4%
A matriz óssea é um nanocompósito formado basicamente de fosfato de cálcio (70% m) e colágeno (30% m), responsável pela resistência mecânica dos ossos, e, portanto, pela função mais importante do esqueleto. A perda de qualidade de vida que pode ser causada por enfermidades e traumas dos ossos aumenta a importância em estudar e compreender este material fantástico. O crescimento da expectativa de vida da população torna mais comum os problemas com os ossos. Desta forma, entendermos as características e propriedades dos ossos, ou seja, conhecê-las melhor, pode contribuir para a solução destes problemas. Neste trabalho nos propusemos a estudar a influência de matrizes de colágeno tipo I no processo de mineralização de fosfato de cálcio no interior delas. Pela permeação de vapor de amônia em soluções de colágeno em pH 2 contendo íons Ca e H2PO4, foram obtidos géis de colágeno que foram estruturados, simultaneamente com a formação de fosfato de cálcio em seu interior. Além do colágeno estruturado, sob condições especiais, foram obtidas fibras (fibrilogênese) de colágeno, mineralizadas pela precipitação de fosfato de cálcio. Para avaliar a influência de uma matriz de colágeno anisotrópica sobre a organização das partículas de fosfato de cálcio...

Géis de colágeno aniônico: ransana como biomateriais. Preparação e caracterização físico-química

Goissis,Gilberto; Góes,Júlio C.
Fonte: Associação Brasileira de Polímeros Publicador: Associação Brasileira de Polímeros
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1997 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
Este trabalho descreve o efeito da ransana, um polissacarídeo bacteriano, sobre géis de colágeno aniônico. A interação colágeno:ransana ocorreu independentemente do pH, mesmo com baixas concentrações de ransana, e os materiais obtidos no estado sólido foram caracterizados por serem mais estáveis térmicamente à medida em que se aumenta a concentração do polissacarídeo. Nenhuma alteração na estrutura secundária em tripla hélice do tropocolágeno foi observada. O efeito mais significativo da ransana sobre os géis aniônicos de colágeno foi um aumento significativo da viscosidade, e as variações observadas em função de pH e temperatura sugerem que nesta interação, não estão envolvidas forças de natureza eletrostática ou hidrofóbica. Micrografias de colágeno aniônico e colágeno aniônico:ransana mostraram a presença de estruturas vesiculares, diferente do padrão fibrilar característico de colágeno nativo. Um modelo de interação baseado na ação da ransana sobre a água estruturada, associada à organização macromolecular do colágeno em solução é proposto. Mais importante, géis de colágeno aniônico:ransana mostraram uma estabilidade térmica compatível com aquelas desejáveis para um biomaterial injetável de colágeno...

Colágeno asimilable. Fuente de prevención de enfermedades osteoarticuladas

Parra Parra, Yolanda; Quesada Martínez, María Inmaculada; Pérez Collado, Elisa María
Fonte: Universidade Carlos III de Madrid Publicador: Universidade Carlos III de Madrid
Tipo: info:eu-repo/semantics/publishedVersion; info:eu-repo/semantics/conferenceObject
Publicado em 23/10/2015
Relevância na Pesquisa
37.5%
Introducción: El colágeno es la proteína más abundante de nuestro cuerpo humano y uno de sus componentes esencial de articulaciones, cartílago, ligamento, tendones, huesos, piel. Su especial estructura lo hacen único, presenta una estructura fibrosa, que aporta gran resistencia y flexibilidad a los tejidos de los que forma parte. Cuando este colágeno se degrada, origina diversas e importantes alteraciones en el organismo: artrosis, osteoporosis y la aparición de flacidez y arrugas dérmicas. La degradación del colágeno tisular normalmente está asociada a la edad, pero también puede darse en personas jóvenes por sobreuso (práctica intensiva de deporte, sobrepeso o cargar pesos), por traumatismos o por inactividad. El colágeno hidrolizado es una mezcla de péptidos con un PM entre 2.000 y 5.000 Da. Procede de la gelatinización y posterior hidrólisis enzimática del colágeno nativo animal. Via oral el Colageno hidrolizado contribuye eficazmente a la nutrición y generación de los tejidos colaginosos, ayudando a reducir, prevenir y ralentizar su deterioro. Los estudios científicos indican que tomar 10 gramos diarios de colágeno hidrolizado ayuda a reducir el dolor articular de desgaste, la pérdida de masa ósea y el envejecimiento dérmico. Método: Todos los datos que se utilizan en este estudio...

Comportamento de matrizes de colágeno utilizadas no tratamento de feridas planas induzidas em pele de rato; Collagen matrices behavior in treatment of skin rat wounds

Girardi, Raquel Cecília Goy
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/08/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
A potencialidade do uso de uma matriz de colágeno e de um creme preparado pela mistura de um creme hidratante comercial com um gel de colágeno (90:10 m/m) foi avaliada no processo de cicatrização de feridas planas produzidas em pele de ratos. A matriz acelular de colágeno e o gel de colágeno foram obtidos a partir de serosa porcina por meio de um tratamento alcalino que não altera a estrutura do colágeno nativo e remove componentes celulares. Este estudo fez um comparativo macroscópico e histológico do processo cicatricial das feridas planas tratadas com soro fisiológico ou creme comercial (controles) e as tratadas com a sutura de uma membrana de colágeno (matriz) ou creme com colágeno. As feridas foram produzidas pela retirada de um flap de pele de 20 'MM POT.2' e receberam curativos diários. O material para histologia foi coletado nos 3º, 5º, 7º e 9º dias pós-cirurgia. Apesar de não ter havido uma acentuada diferença na cicatrização das feridas planas dos dois grupos de controle e no grupo que recebeu tratamento do creme contendo colágeno, a presença deste no creme indicou uma pequena diferença no grau de colageinização, o que demonstra serem válidas mais investigações nesta direção, buscando uma melhor proporção creme:gel e/ou diferentes concentrações para o gel de colágeno. A membrana demonstrou ser uma ótima opção para o reparo de lesões por ser de fácil obtenção e armazenamento...

Estudo comportamental da linhagem celular Vero quanto cultivada em substrato de gel de colageno tipo I

Silvya Stuchi Maria
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/09/1994 PT
Relevância na Pesquisa
37.38%
O colágeno é amplamente utilizado como substrato para adesão e proliferação de células in vitro. Os substratos à base de colágeno podem ser preparados de formas variadas, podendo-se obter filmes secos de colágeno, gel flutuante ou estruturas tridimensionais. Diversos tipos celulares, quando cultivados em diferentes substratos de colágeno apresentam variações em suas características morfofisiológicas. Assim, não somente a presença de elementos da matriz extracelular mas também sua organização molecular são importantes para que as células expressem seu genótipo.Outro aspecto relevante sobre o comportamento das células durante a cultura é o fato de contraírem o gel de colágeno, tal como ocorre na derme em processos de cicatrização, fibroses e desenvolvimento do tecido conjuntivo. Em nosso trabalho, tivemos por objetivo estudar o padrão de crescimento e alterações morfofisiológicas de células VelO cultivadas sobre gel de colágeno tipo I. Amostras com 1, 5, 10, 15, 20, 25 e 30 dias de cultivo foram fixadas em Kamovsky e incluídas em Paraplast. Cortes de 5f.U1l foram submetidos às colorações de Hematoxilina­eosina (HE), Azul de toluidina pH 4,0 (AT), Xilidine Ponceau (XP) e PAS. Num outro experimento...

Proteinas de soja e colageno : validação das metodologias de quantificação e avaliação tecnologica do uso em produtos carneos; Proteins of soy and colágeno: validation of the quantification methodologies and technological evaluation of the use in cárneos products

Jussara Carvalho de Moura Della Torre
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/08/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.38%
Salsichas, lingüiças e hambúrgueres são produtos cárneos cominuídos susceptíveis à fraude pelo uso de extensores protéicos dos tipos colágeno e soja, utilizados pelos benefícios tecnológicos e de redução de custos de processo, sendo, contudo considerados limitantes pelos teores em aminoácidos essenciais e efeitos adversos que produzem nas características sensoriais. O efetivo controle dos teores adicionados não se realiza na rotina dos órgãos de vigilância do Brasil, pela falta de metodologia analítica validada para a quantificação das proteínas de soja e por não haver limites legislativos máximos de colágeno, junto aos parâmetros físico-químicos regulatórios. Visando apresentar subsídios para o estabelecimento de teores máximos e o efetivo controle da presença de proteínas de soja e colágeno, o presente projeto objetivou: a) validar intralaboratorialmente as metodologias oficiais da AOAC na quantificação de hidroxiprolina (colágeno) e proteínas de soja em produtos cárneos; b) avaliar a composição e influência tecnológica destes extensores em salsichão Lionês; e c) apresentar resultados sensoriais e físico-químicos de produtos comerciais tipo salsicha, lingüiça e carne bovina moída...

Ação do colageno extraido de tendões bovinos (colageno tipo I) na recuperação de lesões da mucosa duodenal induzidas por lectinas de feijão (Phaseolus vulgaris) : modelo experimental em ratos

Ivan Domingos Carvalho Santos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/08/1992 PT
Relevância na Pesquisa
37.4%
O presente trabalho teve como objetivo estudar uma nova utilização ao tendão bovino, subproduto da indústria animal, mais particularmente ao colágeno tipo I extraído, purificado e reconstituído na forma de gel, visando sua aplicação no tratamento de ulcerações do trato gastrintestinal (duodeno). Para se obter o colágeno, os tendões foram colocados em solução de ácido acético adicionada de pepsina, seguida de homogeneização por 48 horas (10-12°C), para logo após ser centrifugada. O material não colagênico insolúvel foi descartado e as fibras colágenas reconstituídas a partir do sobrenadante por adição de NaCl para completa precipitação destas fibras. As lesões do trato gastrintestinal de ratos Wistar foram obtidas pela ação tóxica de lectinas, quando os animais passaram a ser alimentados com dieta contendo feijão (Phaseolus vuIgaris, cv Aroana) cru. Esses feijões foram moídos e analisa dos quanto a composição centesimal, e empregados como única fonte protéica na formulação da dieta, em ensaio randomizado. No período de aclimatação (4 dias) os animais foram mantidos em dieta não-purificada de fórmula fechada (DC) e água. O grupo controle após esse período continuou nesta dieta até o final do experimento enquanto o grupo a ser testado passou a receber a dieta contendo o feijão cru (DU). Os animais foram mantidos em condições controladas de temperatura e ciclo de luz em gaiolas individuais...

Biologia estrutural das fibras de colageno da sinfise e do ligamento pubiano de camundongo durante a prenhez, parto e pos-parto

Monica de Campos Pinheiro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/11/1998 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
A transfonnação da sínfise pubiana em um ligamento durante a prenhez, e sua involução no puerpério oferece um modelo ímpar para o estudo do metabolismo do tecido conjuntivo. A separação dos ossos pubianos inicia-se no 12° dia de prenhez, sendo que o espaço entre as superficies articulares aumenta cerca de 1 mm por dia até o parto. Após o parto, esse espaço fecha-se rapidamente, mas não retoma às características do animal virgem. Um dos aspectos mais notáveis deste evento é a remodelação da matriz extracelular, decorrente tanto das alterações qualitativas quanto quantitativas dos componentes da matriz extracelular.Para estudar a organização estrutural e possíveis modificações do colágeno, foi realizado um estudo histoquímico, ultra-estrutural e morfométrico das fibras de colágeno. Os resultados obtidos através dos métodos empregados mostraram que, em camundongos nuliparos, a sínfise é composta por duas populações de colágeno segregadas em compartimentos diferentes: uma população de fibras grossas que se continuam com o periósteo, constituídas por fibrilas finas e grossas; e uma 28 população que fonna uma trama fibrilar na região central da fibrocartilagem, composta basicamente por fibrilas fmas. No 15° dia de prenhez não se nota mais a compartimentalização das fibras...

Incorporação de colágeno de rã-touro em membranas de nanocelulose visando aplicação em medicina regenerativa

Souza, Drielle Justiniano de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 115 p.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.42%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química, Florianópolis, 2015.; A engenharia tecidual é uma área de pesquisa que objetiva tratar, manter ou reparar tecidos animais. A cicatrização de feridas, em particular, é um assunto de grande interesse. Há uma grande necessidade de se desenvolver materiais curativos, para que se obtenha melhores resultados, comparados aos existentes. Novos biomateriais com capacidade de funcionalização são promissores, como é o caso da combinação de nanocelulose e de colágeno. O objetivo deste trabalho foi extrair, caracterizar e incorporar colágeno extraído de pele de Rana catesbeiana (rã-touro) em membranas de nanocelulose, com a finalidade de desenvolver biopolímeros com propriedades aplicáveis à cicatrização de feridas. Foi possível extrair colágeno da pele de rã-touro e quantificar as proteínas totais (214 µg) e a fração de colágeno (172 µg) por grama de pele, ressaltando a quantificação como o diferencial deste trabalho comparado à literatura. O material extraído da pele de rã-touro foi caracterizado quanto ao perfil eletroforético e à temperatura de desnaturação, revelando que o colágeno extraído é do tipo I...