Página 1 dos resultados de 1758 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

A relação treinador - atleta: percepção dos comportamentos de liderança e de coesão em equipas de futebol.

Leitão, José Carlos Gomes de Carvalho
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Apesar da influência que os comportamentos de liderança e de coesão de grupo parecem ter no rendimento desportivo, poucos são os estudos (Westre e Weiss, 1991 ; Antunes e Cruz, 1997 ; Leitão, 1997) que procuraram avaliar de uma forma processual e concorrente os construtos de liderança e de coesão. Assim, este estudo teve como objectivo geral analisar as relações entre o treinador e o atleta e em particular, observar a influência da percepção dos comportamentos de liderança e de coesão no rendimento desportivo. Os atletas (N=316, M=23.2 anos, DP=4.33) provenientes de 23 equipas de futebol participantes em campeonatos nacionais (2ª e 3ª divisão nacional) e distritais (1ª divisão distrital) foram avaliados em três momentos ao longo de uma época desportiva, através das escalas resultantes do Modelo Multidimensional de Liderança (Chelladurai, 1978, 1991) e do Modelo Conceptual de Coesão (Carron et al., 1985). Como medidas adicionais foram também utilizadas medidas de rendimento individual e de equipa. Desta forma, tendo em vista a análise psicométrica dos instrumentos teóricos de avaliação, foi efectuado um estudo factorial exploratório e confirmatório às escalas - Leadership Scale for Sports (LSS - Chelladurai e Saleh...

Desenvolvimento regional e coesão na União Europeia: QREN e competitividade em Portugal

Freire, Licínio Mendes Galvão
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.34%
A União Europeia é um espaço multifacetado na medida em que agrega várias realidades devido à pluralidade das regiões que a compõem. Assim, o processo de desenvolvimento seguido pela União Europeia vem da ideia inicial da formação dos “Estados Unidos da Europa”, numa organização de ajuda ao desenvolvimento e à competitividade do espaço europeu. Portanto, esta ideia fez com que atualmente sejam 28 Estados a cooperar entre si nesta ideia de desenvolvimento da Europa. Como sabemos nem todos os Estados Membros partilham a mesma realidade, dessa forma apostou-se em ajudas financeiras, por forma a ser conseguido um nível equiparado de desenvolvimento entre as regiões criando externalidades. Para tal foram criados fundos de apoio plurianual para fomentar a coesão inter-regional, que devido à sua amplitude houve a necessidade de se irem ajustando. Também se alterou a noção de coesão, sendo que atualmente não se pensa esta isoladamente, mas interligada à competitividade. Esta ideia ganha força quando se assiste à adesão de 13 países pertencentes ao antigo bloco de Leste que por sofrerem de um maior atraso estrutural fizeram com que as metas a atingir relativamente ao desenvolvimento e competitividade recuassem. Portugal à data da adesão também sofria de algum atraso estrutural que fez com que se pensassem novas metodologias para o apoio a estas regiões sem que fossem afetadas outras...

O papel dos rituais familiares e da coesão no ajustamento psicológico e qualidade de vida de doentes com VIH-Sida

Biale, Maria Helena Simas
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.3%
Os rituais familiares jogam um papel importante no seio das famílias com infeção por VIH/Sida, sendo uma doença crónica que vai interferir nas nas dimensões física, psicológica e social do doente. Assim, torna-se imperioso a realição de estudos que venham contribuir grandemente para o bem das famílias e do nosso país em particular. A presente investigação avaliou o papel dos rituais familiares e da coesão no ajustamento psicológico e na qualidade de vida dos doentes com VIH/Sida. Neste estudo participaram 200 indivíduos, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre 18 e 66 anos, diagnosticados com VIH/Sida. Os participantes responderam a um protocolo de avaliação contendo um questionário de dados pessoais e sociodemográficos e clínicos e instrumentos de avaliação dos rituais familiares, coesão familiar, ansiedade e depressão e qualidade de vida. Verificou-se que os rituais familiares e a coesão estavam forte e positivamente correlacionados entre si. Níveis mais elevados de rituais familiares e de coesão familiar estavam associados a menores níveis de ansiedade e a melhores níveis de qualidade de vida. A coesão estava também negativamente correlacionada com a depressão. Os rituais familiares e a coesão estavam associados a melhor percepção do estado de saúde. A depressão e a ansiedade estavam associadas negativamente à idade e ao tempo decorrido desde o diagnóstico. A qualidade de vida estava associada positivamente à percepção do estado de saúde. Os resultados mostraram a importância dos factores familiares para o ajustamento psicológico e para a qualidade de vida de indivíduos com HIV/Sida no contexto angolano...

A coesão de grupo dentro de uma organização

Oliveira, Celso Yuri Amaral de
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.42%
RESUMO: Na organização do tecido empresarial a sociedade contemporânea alcança o seu sucesso mediante a Coesão do Grupo. A Coesão de Grupo é hoje decisiva para qualquer organização. Um grupo começa quando as pessoas se juntam pelo desejo de pertencer a esse mesmo grupo, para ajudar e contribuir para o bem-estar dessa própria equipa. A Coesão no seio do Grupo é fundamental para se alcançarem resultados positivos. Para Weinberg e Gould (2001) “a Coesão relacionada à tarefa reflecte o grau em que os membros de um grupo trabalham juntos para alcançar objectivos comuns”. A Coesão interna aumenta se a equipa trabalha em busca dos mesmos objectivos com uma entrega total e absoluta em todo o trabalho que realizam. Quanto maior a cordialidade e a confiança transmitida e criada no meio do grupo, consequentemente maior será a Coesão e a produtividade da equipa. Com a Coesão de Grupo existe uma relação de interdependência, em termos de trabalho, nos elementos do grupo. O modelo de Coesão de Grupo acentua as semelhanças entre cada elemento e oferece também a oportunidade de participarem em todas as decisões. A Coesão de Grupo permite ainda que os membros permaneçam juntos, que os membros confiem e sejam leais uns aos outros e que também se sintam seguros. Torna-se determinante frisar que a Coesão permite que os membros se tornem influenciados pelo grupo em si...

Noções de coesão na visão de formandos em Letras; Cohesion notions in the vision of Letters course students

Paula, Orlando de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
Este trabalho tem como objetivo verificar as noções de coesão textual que se manifestam nos procedimentos lingüísticos de formandos do curso de Letras e como se manifestam, para, assim, reconhecer a concepção que esses alunos têm de coesão textual. O corpus sob análise foi produzido por formandos do curso de Letras de universidades públicas e particulares do Brasil ao responderem à questão de Lingüística e Língua Portuguesa da prova do Exame Nacional de Cursos-2001 (Provão), a qual tinha como pressuposto o conhecimento sobre coesão textual, pois versava sobre o uso de mecanismos coesivos em um texto produzido por uma menina de 10 anos. O percurso metodológico a que esta pesquisa obedece parte da verificação de como a presença ou a ausência de noções de coesão são marcadas nesses textos. A sustentação deste trabalho, do ponto de vista teórico, está no pressuposto de que a manifestação verbal do discurso desses universitários se dá por sujeitos constituídos social e historicamente. Para tanto, está fundamentado em uma perspectiva enunciativo-discursiva, apoiando-se no conceito de interacionismo dialógico bakhtiniano entre interlocutores e entre discursos, e, em decorrência dessa relação interdiscursiva...

Coesão referencial e ensino: histórico, aplicações e propostas

Santos, Vinício Moreira dos
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 133 f. : tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.41%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Linguística e Língua Portuguesa - FCLAR; O objetivo deste trabalho é, depois de trinta e cinco anos da publicação de Cohesion in English, de Halliday e Hasan, analisar como se dá a relação entre a exposição do tema da coesão textual nos livros didáticos e na produção textual dos alunos. Para tanto, apresentamos, de início, três abordagens distintas sobre a coesão textual: a de Halliday e Hasan, ancorada na noção de registro; a de Beaugrande e Dressler, que toma a coesão textual como um requisito para a construção do texto; e a de Ingedore Koch, que vê a coesão como ferramenta para o avanço informacional e argumentativo do texto. Considerando a preocupação tradicional que os livros didáticos dispensam à chamada coesão sequencial (emprestando o termo de Ingedore Koch), conferindo exclusivamente a ela o papel de organizadora das relações de significado do texto, voltamo-nos para o tratamento dado para a coesão referencial, responsável, inicialmente, por estruturar a rede de identificação e recuperação de elementos dentro de um texto. O que pudemos constatar, ao analisar livros didáticos e um corpus com redações de alunos de ensino médio...

Coesão em sólidos bidimensionais

Luis Antonio Brasca Annes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/09/1985 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
A coesão de um cristal tem origem na interação eletrostática entre os átomos de que o cristal é composto. No caso dos cristais de gases nobres (Ne, Ar, Kr e Xe) essa interação é praticamente a mesma que a interação entre átomos isolados. O potencial, Lennard-Jones (6 - 12) é utilizado como ponto de partida para o cálculo da energia de coesão. Para esses cristais de gases nobres, Bernardes3 utilizou o método variacional para determinar suas energia de coesão, assim como a equação de estado a 0 K. A função de onda é construída através da superposição das funções de onda do estado fundamental e a do primeiro estado excitado de átomos individuais confinados em uma "caixa" esférica. Os parâmetros variacionais são: o raio da "caixa" a e a amplitude do primeiro estado excitado b. Utilizamos as mesmas idéias para estudar as monocamadas de gases nobres (Ne, Ar, Kr e Xe). As constantes de energia potencial foram calculadas para uma rede triangular, pois estamos supondo que os átomos de gases nobres se disponham na superfície dos substratos, formando triângulos equiláteros onde eles ocupam os vértices. Calculando a energia de coesão para as monocamadas usando o potencial de Lennard-Jones (6 - 12)...

Liderança, coesão e satisfação em equipas desportivas : um estudo com atletas portugueses de futebol e futsal; Leadership, cohesion and satisfaction in sporting teams : a study with portuguese football and futsal athletes

Gomes, António Rui; Pereira, Ana Patrícia; Pinheiro, Ana Raquel
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Curso de Pós-Graduação em Psicologia Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Curso de Pós-Graduação em Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Este trabalho foi realizado com 200 atletas de duas modalidades (futebol e futsal) incluídos em vários escalões desportivos e analisa a liderança dos treinadores e a coesão e satisfação dos praticantes. Para tal, utilizámos um protocolo de avaliação, com instrumentos de avaliação da liderança (Escala Multidimensional de Liderança, que avalia seis dimensões), da coesão (Questionário de Coesão em Equipas Desportivas, que avalia quatro dimensões) e da satisfação (Escala de Satisfação, que avalia três dimensões). Os dados de fidelidade e validade dos instrumentos foram muito aceitáveis. Os resultados demonstraram que os homens e as mulheres avaliam e preferem comportamentos distintos nos seus treinadores, observando-se níveis superiores de coesão social nas atletas do sexo feminino. Do mesmo modo, existem variações de acordo com a idade dos atletas na percepção da liderança dos treinadores, sendo também de destacar o facto dos mais novos representarem um grupo com menor coesão. Duas conclusões fundamentais devem ser referidas. Por um lado, o facto das acções dos treinadores produzirem um impacto significativo na experiência desportiva dos atletas e, por outro lado, a necessidade dos técnicos adaptarem os seus comportamentos em função da idade e tipo de atletas que orientam para assim aumentarem a sua eficácia junto das equipas.; This work was done with 200 athletes from 2 types of sports (soccer and futsal) in several competitive levels and it analyzed coaches’ leadership styles and athletes’ cohesion and satisfaction levels. Evaluation instruments on leadership (Multidimensional Leadership Scale in Sports which assesses six different dimensions)...

Dor crónica : adaptabilidade e coesão familiar

Fernandes, Daniela Macedo Abreu
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 07/10/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.3%
A presente investigação é constituída por 35 pessoas (91.4% do género feminino), com uma média de 51.00 anos de idade, com diagnóstico clínico de dor crónica e tem como finalidade caracterizar os participantes a nível sócio-demográfico e clínico, avaliar através de uma análise exploratória o funcionamento familiar quanto à adaptabilidade e coesão familiar dos doentes, considerando o Modelo Circumplexo e, por fim, identificar que factores promovem maior nível de adaptabilidade, de coesão familiar e um tipo de família mais funcional. Para tal foram aplicados o “Questionário Sócio-demográfico e Clínico” e a “Escala de Avaliação da Adaptabilidade e Coesão Familiar (FACES II) (Alfa de Cronbach=.80)”. No que diz respeito à análise exploratória, concluiu-se que a maioria da amostra apresenta uma adaptabilidade familiar rígida (adaptabilidade extremamente baixa), uma coesão familiar desmembrada (coesão extremamente baixa), o que promove um tipo de família extremo, traduzindo um fraco funcionamento familiar. Foi possível verificar ainda, através do Mann Witney Test e do Kruskal-Wallis Test, que os doentes que caracterizam a dor como uma sensação corporal de corte apresentam maior adaptabilidade familiar (x2=-2.099; p=.038)...

Coesão Territorial e Diversidade: Mudanças emergentes

Ramos, Isabel Joaquina; Pinto Correia, Teresa
Fonte: Principia Publicador: Principia
Tipo: Parte de Livro
POR
Relevância na Pesquisa
37.41%
Em 2007, por ocasião da reunião informal dos Ministros do Desenvolvimento Urbano e Coesão Territorial, foi adoptada a Agenda Territorial da União Europeia – Para uma Europa mais Competitiva e mais Sustentável baseada na Diversidade das Regiões (ATUE; RIMDUCT, 2007). O desafio lançado foi o de fortalecer a Coesão Territorial, encarada como o terceiro pilar da política de coesão na União Europeia (UE), a par das políticas económica e social: «A política de coesão da UE deveria poder responder, de forma mais eficiente do que tem feito até agora, às necessidades e características territoriais, aos desafios geográficos e oportunidades específicas das regiões e das cidades. Por esta razão, defendemos a necessidade da dimensão territorial desempenhar um papel mais importante na futura política de coesão a fim de promover o bem-estar social e económico» (RIMDUCT, 2007:1). Pretende-se assim alcançar um desenvolvimento espacialmente mais sustentável e de acordo com os Princípios Orientadores para o Desenvolvimento Sustentável do Continente Europeu (CEMAT, 2000). Implicitamente, o Ordenamento do Território assume uma expressão cada vez maior e de importância estratégica na prossecução de um desenvolvimento integrado da Europa. Esta ideia é reforçada em 2008 com a publicação do Livro Verde sobre a Coesão Territorial Europeia (CCE...

Caracterização da Liderança e Coesão nas Subunidades de Artilharia

Santos, Daniela
Fonte: Academia Militar. Direção de Ensino Publicador: Academia Militar. Direção de Ensino
Tipo: Outros
Publicado em 01/07/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.3%
O presente trabalho estudou a relação entre os comportamentos de liderança – ação de comando dos comandantes das subunidades de Artilharia de escalão Bateria e os aspetos da coesão. Para o estudo foi aplicado o Questionário de Competências de Liderança com seisdimensões da liderança: orientação para a missão pelo exemplo; tomada de decisão e planeamento; visão e ambiente externo e interno; coesão, trabalho de equipa e cooperação; gestão de conflitos pela transparência e liderança participativa e envolvimento, e o Questionário do Ambiente no Grupo, nos seus quatro aspetos: integração no grupo em relação à tarefa, integração no grupo em relação aos aspetos sociais, atração individual para o grupo em relação à tarefa e atração individual para o grupo em relação aos aspetos sociais. Com base nos dados das respostas dadas por 37 oficiais, 89 sargentos e 267 praças, foram efetuadas correlações de Pearson entre as seis dimensões da liderança e os quatro aspetos de coesão para determinar o grau de correlação entre as variáveis. Os comandantes consideram que têm comportamentos com valores médios mais elevados em todas as variáveis em estudo. De uma forma geral os subordinados valorizam nos seus comandantes a capacidade para executar o trabalho com eficácia...

Caracterização da Liderança e Coesão nas Subunidades do Centro de Tropas Comandos durante a Preparação e Projeção de uma Força Nacional Destacada

Ramos, André
Fonte: Academia Militar. Direção de Ensino Publicador: Academia Militar. Direção de Ensino
Tipo: Outros
Publicado em 01/07/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.39%
O presente Trabalho de Investigação Aplicada incidiu sobre a “Caracterização da Liderança e Coesão nas Subunidades do Centro de Tropas Comandos durante a Preparação e Projeção de uma Força Nacional Destacada”. Teve como objetivo principal identificar os comportamentos de liderança que promovem níveis mais elevados de coesão nos pequenos grupos durante as fases de preparação, durante e no fim da missão de uma Força Nacional Destacada – Comandos. Para o estudo foi aplicado, em quatro momentos (início da preparação, início da missão, durante a missão e após o regresso da força ao Território Nacional), um Questionário de Competências de Liderança com seis dimensões da liderança e três fatores critério inerentes à ação de comando e um Questionário do Ambiente no Grupo com quatro aspetos. Estes questionários foram aplicados a quarenta e oito militare s (dez sargentos e trinta e oito praças) pertencentes à Companhia de Proteção do Contingente Nacional que esteve destacada entre abril e novembro de 2013 no Teatro de Operações do Afeganistão. Com base nas respostas obtidas, efetuou-se o tratamento e análise estatística com recurso ao programa estatístico Statistical Package for Social Sciences. Os subordinados percecionaram nos vários momentos os comportamentos de liderança com valores médios mais elevados associadas à relação com as pessoas. Por outro lado...

O impacto do treino conjunto e da familiaridade nas percepções de coesão de equipas de missão

Costa, Bruna Guimarães Soares da
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.41%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção da Psicologia dos Recursos Humanos, do Trabalho e das Organizações), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2014; A proposta desta dissertação de mestrado é contribuir para a existência de uma base teórica acerca de alguns dos possíveis determinantes da coesão em equipas de trabalho, sendo esta variável alvo de muitas investigações, mas de pouco aprofundamento devido ao seu carácter multidimensional. A coesão é uma variável de grande destaque e sem dúvida um ponto forte para qualquer equipa de trabalho, tendo em vista o melhor desempenho e rendimento dos seus membros. O objectivo é então compreender se a existência de treino conjunto e de familiaridade vai influenciar a percepção de coesão sentida pelos membros da equipa, em equipas geograficamente dispersas. As equipas consideradas no estudo são equipas de missão que operam em cenários geograficamente dispersos, e comunicam via equipamentos electrónicos. Nesta dissertação irá ser analisado o efeito do treino conjunto na percepção de coesão da equipa, bem como o efeito da familiaridade nas percepções de coesão, e, por fim, a influência que o treino conjunto tem nas percepções de coesão quando sob condições de familiaridade. Dois cenários diferentes foram apresentados à amostra de 40 participantes que realizou o estudo. As histórias contidas em cada cenário representavam equipas de missão que se encontravam em ambientes extremos por um período de 12 meses. Os participantes deveriam analisar a percepção de coesão sentida na equipa...

A Relação entre a Coesão Familiar, o Rendimento Académico, o Autoconceito e o Comportamento Anti-Social na Adolescência

Gouveia, Lília Joana Abreu
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.34%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; Sabendo que na adolescência, a aquisição da independência e autonomia, impõe um ajuste de sentimentos e comportamentos dos diversos membros da família, procuramos compreender se nesta fase do ciclo vital, o funcionamento familiar – nomeadamente ao nível da coesão familiar - está significativamente associado à adaptação escolar dos adolescentes. A comunidade científica tem evidenciado que níveis equilibrados de coesão familiar - constructo que abarca a ligação emocional, o envolvimento afectivo da família, as alianças pais-filhos e as fronteiras temporais (frequência de interacções) espaciais (preferência por actividades intragrupais) e de tomada de decisões (partilha de interesses e objectivos) - se encontram associados a um melhor rendimento académico, a um autoconceito mais elevado e a uma menor ocorrência de comportamento anti-sociais por parte dos adolescentes. Os resultados obtidos confirmaram que os adolescentes que apresentam representações positivas de si mesmos quanto ao seu desempenho nas disciplinas escolares em geral, provêm de famílias que apresentam uma coesão familiar equilibrada – coesão ligada (p<.05). Este estudo corroborou ainda a relação entre índices de comportamento anti-social mais elevados e níveis desequilibrados de coesão familiar (extremo mínimo de coesão familiar - desmembrada) (p<.001). Todavia...

O conceito de Coesão Territorial e a sua relevância para o Planeamento e Ordenamento do Território. Os casos da Estónia e Portugal

Araújo, João Daniel da Silva
Fonte: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /09/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Dissertação apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gestão do Território – Planeamento e Ordenamento do Território; O conceito de coesão territorial é debatido no seio da União Europeia há já algumas décadas, mas a publicação do Livro Verde (2008) e a entrada em vigor do Tratado de Lisboa em 2009 (onde o território é formalmente reconhecido como terceiro pilar da Coesão) atribuíram-lhe uma ampla divulgação. Porém, diversos fatores políticos e económicos têm condicionado a aplicação do conceito na esfera do Planeamento e Ordenamento do Território. Após a problematização do conceito, parte-se para as considerações sobre a medição da coesão territorial, apresentando os seus pressupostos, as propostas mais relevantes de índices e as suas limitações. O estudo prossegue com um levantamento de exemplos às escalas nacional, regional e local e também setoriais de como a coesão territorial se reflecte nos modelos de desenvolvimento que, por sua vez, são espacializados pelo processo de ordenamento do território. Através do recurso a uma proposta de medição e da análise dos resultados de um inquérito aplicado a profissionais qualificados, procede-se a uma reflexão crítica sobre perspetivas da coesão territorial na Estónia e em Portugal...

Liderança, coesão e satisfação em equipas desportivas: um estudo com atletas Portugueses de futebol e futsal

Gomes,A. Rui; Pereira,Ana Patricia; Pinheiro,Ana Raquel
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
Este trabalho foi realizado com 200 atletas de duas modalidades (futebol e futsal) incluídos em vários escalões desportivos e analisa a liderança dos treinadores e a coesão e satisfação dos praticantes. Para tal, utilizámos um protocolo de avaliação, com instrumentos de avaliação da liderança (Escala Multidimensional de Liderança, que avalia seis dimensões), da coesão (Questionário de Coesão em Equipas Desportivas, que avalia quatro dimensões) e da satisfação (Escala de Satisfação, que avalia três dimensões). Os dados de fidelidade e validade dos instrumentos foram muito aceitáveis. Os resultados demonstraram que os homens e as mulheres avaliam e preferem comportamentos distintos nos seus treinadores, observando-se níveis superiores de coesão social nas atletas do sexo feminino. Do mesmo modo, existem variações de acordo com a idade dos atletas na percepção da liderança dos treinadores, sendo também de destacar o facto dos mais novos representarem um grupo com menor coesão. Duas conclusões fundamentais devem ser referidas. Por um lado, o facto das acções dos treinadores produzirem um impacto significativo na experiência desportiva dos atletas e, por outro lado, a necessidade dos técnicos adaptarem os seus comportamentos em função da idade e tipo de atletas que orientam para assim aumentarem a sua eficácia junto das equipas.

Era uma vez - coesão e legibilidade em histórias infantis para leitores iniciantes

Araújo, Everaldo Lima de
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.44%
A presente pesquisa propõe-se observar como se organizam as histórias infantis modernas, enquanto textos, a partir de seu funcionamento textual, tendo por base a coesão referencial, a progressão temática e a referenciação, bem como verificar a relação desses elementos enquanto agentes facilitadores da compreensão textual (produzindo a coerência), tendo em vista o leitor iniciante, que se considera o leitor em potencial dessa categoria de texto. Acredita-se que essas histórias lançam mão de tipos de coesão referencial e de progressão temática, assim como de referenciação mais simples, como sendo recursos que facilitam a compreensão, tendo em vista o público-alvo pretendido desse texto - leitor iniciante -, de forma que o uso dessas histórias possam provocar conseqüências na formação do leitor e do produtor de textos futuros. O corpus da pesquisa é formado por 50 (cinqüenta) histórias infantis contemporâneas brasileiras, que são submetidas a uma análise quantitativa e qualitativa. Num dado momento, após já organizado o referencial teórico da pesquisa que trata de questões de coesão (coesão referencial, progressão temática e referenciação), as histórias infantis são analisadas observando-se o número de ocorrências e freqüência da coesão referencial...

Coesão textual da linguagem dos pre-adolescentes

Maria Antonieta Carbonari de Almeida
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //1980 PT
Relevância na Pesquisa
37.34%
O presente estudo tem como objeto os diferentes mecanismos de coesão que transformam um conjunto de orações em um texto, um "todo unificado". A pesquisa procurou verificar se a variação entre língua escrita e falada, e as variáveis sociais consideradas (classe social e sexo do informante) influem na opção por determinado mecanismo. Os dados que compõem o corpus foram coletados junto a quarenta informantes, vinte de classe A e vinte de classe B, sendo dez meninos e dez meninas de cada classe; todos eles pré-adolescentes. Todos os mecanismos de coesão textual foram levantados, tanto de linguagem escrita como de linguagem oral. Calculamos um quociente para cada informante e também a média desses quocientes, considerando as variáveis sociais e a variável estilística. Calculamos o índice de ocorrência de cada mecanismo' de coesão, o que nos permitiu observar quais os mecanismos que mais ocorrem na linguagem dos pré-adoles centes. A análise revela a existência de diferenças quanto à frequência dos mecanismos de coesão: aIgumas devido à diferença entre língua escrita e língua falada, outras devido a fatores sociais. Verifica-se que na língua escrita os informantes empregaram mais a coesão lexical do que a referência e que...

Relação entre a Coesão, o Clima Motivacional e a Satisfação em Modalidades Colectivas

Alves, Isaura
Fonte: Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.3%
Dissertação apresentada com vista à obtenção do Grau de Mestre em Psicologia do Desporto e do Exercício. Orientadora: Doutora Carla Chicau Borrego; RESUMO Objectivos: O principal objectivo deste estudo centrou-se na análise das diferenças entre modalidade, escalão e género na coesão, no clima motivacional e satisfação, verificar se existia relação entre os três constructos em análise e, verificar se o clima motivacional assume-se como variável preditora na coesão de grupo. Metodologia: A população é composta por 979 atletas masculinos e femininos de basquetebol e andebol incluídos no escalão iniciados e juvenis, idades compreendidas entre os 11 e os 16 anos. Foi aplicada a Escala Clima Motivacional no Desporto (MCSYS), Questionário de Ambiente de Grupo (QAG) e Questionário da Satisfação do Atleta (ASQ). Para verificar as diferenças foi utilizado o estudo inferencial comparativo através da técnica estatística paramétrica denominada “Coeficiente de Correlação de Pearson”. Para verificar a correlação entre as variáveis foi utilizada a técnica paramétrica de comparação “T de Student”. Por fim...

Análise do nível de coesão de grupo e do estresse psicológico pré-competitivo de atletas adultos de voleibol; Analysis of group cohesion levels and pre-competitive psychological stress in volleyball athletes.

Balbim, Guilherme Moraes; Universidade Estadual de Marin¬gá. Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física UEM/UEL. Londrina. PR. Brasil; do Nascimento Junior, José Roberto Andrade; Universidade Estadual de Marin¬gá. Programa de Pós-G
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; "Avaliado por Pares",; Descriptive; Avaliado por Pares; Descritivo Formato: application/pdf
Publicado em 18/10/2012 ENG
Relevância na Pesquisa
37.3%
http://dx.doi.org/10.5007/1980-0037.2012v14n6p704Este estudo objetivou analisar o nível de coesão de grupo e o estresse psicológico pré-competitivo de atletas adultos de voleibol. Dele participaram 155 atletas do Estado do Paraná, de ambos os sexos, que disputaram a fase final dos JAPS 2010/divisão principal (A) e acesso (B). Como instrumentos foram utilizados o Questionário de Ambiente de Grupo (QAG) e o Teste de Estresse Psíquico para o Voleibol (TEP-V). Para análise dos dados foram aplicados o alfa de Cronbach, o teste Kolmogorov-Smirnov, o Mann-Whitney, a Anova One Way e o Post Hoc de Tuckey (p<0,05). Os resultados evidenciaram que: 1- os atletas da divisão A foram mais influenciados negativamente pelos fatores de estresse que os da divisão B; 2- os jogadores da divisão B apresentaram níveis mais altos de coesão de grupo que os atletas da divisão A nas dimensões de atração individual para o grupo social (p=0,014) e tarefa (p=0,016); 3- os atletas com baixo nível de coesão social foram influenciados negativamente pelos fatores de “Condicionamento físico inadequado” e “Nervosismo excessivo”; 4- atletas com baixo nível de coesão para a tarefa foram influenciados negativamente pelo fator de “Pressão de outras pessoas para ganhar” e positivamente pelo fator “Comportamento da torcida no jogo fora”. Concluiu-se que a coesão de grupo demonstra ser um fator interveniente no estresse pré-competitivo...