Página 2 dos resultados de 241 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

O interior no cinema português: João Canijo e António Reis/Margarida Cordeiro

Ribas, Daniel
Fonte: AVM Publicador: AVM
Tipo: Parte de Livro
POR
Relevância na Pesquisa
66.62%
Os últimos trinta anos têm sido anos de rupturas e continuidades entre diferentes visões no cinema português. A "escola portuguesa" - denominação utilizada para caracterizar um conjunto de filmes e autores entre as décadas de 70 e 80 - dominou o panorama daquilo que se conheceu como "cinema português" e que foi, inclusivamente, promovido institucionalmente no plano internacional. A pluralidade de olhares e abordagens, no entanto, sempre foi uma das suas imagens de marca. Na discussão que vamos iniciar, interessa-nos, sobretudo, utilizar um dos exemplares máximos da assim chamada "escola portuguesa" - o casal António Reis e Margarida Cordeiro - para fazer urna análise comparativa com um cineasta contemporâneo: João Canijo. Esta comparação entre as duas cinematografias é tanto mais pertinente porque se baseará na localização geográfica que ambos escolheram em alguns dos momentos mais importantes das suas obras: o interior rural português.

2000-2009: o cinema do futuro

Ribas, Daniel
Fonte: SESI-SP Publicador: SESI-SP
Tipo: Parte de Livro
POR
Relevância na Pesquisa
56.8%
Capítulo dedicado à década de 2000-2009 numa história do cinema português a partir das suas diferentes dimensões: produtiva, estética, temática. Assinala-se um conjunto de novos fenómenos e dos novos autores, assim como a emergência do audiovisual no espaço português. São abordados todos os autores relevantes das diferentes gerações e o seu impacto durante a década. No início de março de 2010, um grupo de realizadores e produtores do cinema português, encabeçados pelo decano Manoel de Oliveira, lançou um "Manifesto pelo Cinema Português". Nesse texto, os signatários relatam dramaticamente que "Nunca como nos últimos vinte anos teve o cinema português uma tão grande circulação internacional e uma tão grande vitalidade criativa. E nunca como hoje ele esteve tão ameaçado." Na opinião deste grupo", "O cinema português vive hoje uma situação de catástrofe iminente e necessita de uma intervenção de emergência por parte dos poderes públicos". Este Manifesto surgiu corno corolário de uma crescente dramatização da vida financeira do país que paralisou - ou diminui drasticamente - os subsídios atribuídos ao cinema português.

Ficções do real no cinema português: um país imaginado

Martins, Adriana
Fonte: AIM - Associação de Investigadores da Imagem em Movimento Publicador: AIM - Associação de Investigadores da Imagem em Movimento
Tipo: Revisão
Publicado em /01/2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.47%
Recensão de Leonor Areal. 2011. Cinema Português: Um País Imaginado. Lisboa: Edições 70. 2 vols., 549+477 pp.

CINEMA PORTUGUÊS (I)

Portugal, Pedro
Fonte: Artes&Leilões Publicador: Artes&Leilões
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.47%
O Cinema Português como "statement" artístico.

CINEMA PORTUGUÊS (II)

Portugal, Pedro
Fonte: Artes&Leilões Publicador: Artes&Leilões
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.47%
O cinema português como "statement" artístico.

Margarida Gil: "O produtor não põe um cêntimo no filme"

Dias, Vanessa Sousa
Fonte: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC Publicador: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
56.74%
O projecto “Principais tendências no cinema português contemporâneo” nasceu no Departamento de Cinema da ESTC, com o objectivo de desenvolver investigação especializada a partir de um núcleo formado por alunos da Licenciatura em Cinema e do Mestrado em Desenvolvimento de Projecto Cinematográfico, a que se juntaram professores-investigadores membros do CIAC e convidados. O que agora se divulga corresponde a dois anos e meio de trabalho desenvolvido pela equipa de investigação, entre Abril de 2009 e Novembro de 2011. Dada a forma que ele foi adquirindo, preferimos renomeá-lo, para efeitos de divulgação, “Novas & velhas tendências no cinema português contemporâneo”.; QUAIS SÃO, hoje, as principais características do desenvolvimento de projectos para cinema em Portugal? O que pensam realizadores cinematográficos, produtores, distribuidores e exibidores sobre o cinema português? Que conclusões tirar das suas opiniões, relatos de experiências e análises da situação contemporânea? Que novas tendências surgiram no cinema português, nos primeiros anos do séc. XXI?

Joaquim Leitão: "Não há receitas para escrever ou para fazer um bom filme"

Dias, Vanessa Sousa
Fonte: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC Publicador: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
56.74%
O projecto “Principais tendências no cinema português contemporâneo” nasceu no Departamento de Cinema da ESTC, com o objectivo de desenvolver investigação especializada a partir de um núcleo formado por alunos da Licenciatura em Cinema e do Mestrado em Desenvolvimento de Projecto Cinematográfico, a que se juntaram professores-investigadores membros do CIAC e convidados. O que agora se divulga corresponde a dois anos e meio de trabalho desenvolvido pela equipa de investigação, entre Abril de 2009 e Novembro de 2011. Dada a forma que ele foi adquirindo, preferimos renomeá-lo, para efeitos de divulgação, “Novas & velhas tendências no cinema português contemporâneo”.; QUAIS SÃO, hoje, as principais características do desenvolvimento de projectos para cinema em Portugal? O que pensam realizadores cinematográficos, produtores, distribuidores e exibidores sobre o cinema português? Que conclusões tirar das suas opiniões, relatos de experiências e análises da situação contemporânea? Que novas tendências surgiram no cinema português, nos primeiros anos do séc. XXI?

João Canijo: "O como é muito menos importante do que o porquê"

Pereira, Carlos; Dias, Vanessa Sousa
Fonte: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC Publicador: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
56.74%
O projecto “Principais tendências no cinema português contemporâneo” nasceu no Departamento de Cinema da ESTC, com o objectivo de desenvolver investigação especializada a partir de um núcleo formado por alunos da Licenciatura em Cinema e do Mestrado em Desenvolvimento de Projecto Cinematográfico, a que se juntaram professores-investigadores membros do CIAC e convidados. O que agora se divulga corresponde a dois anos e meio de trabalho desenvolvido pela equipa de investigação, entre Abril de 2009 e Novembro de 2011. Dada a forma que ele foi adquirindo, preferimos renomeá-lo, para efeitos de divulgação, “Novas & velhas tendências no cinema português contemporâneo”.; QUAIS SÃO, hoje, as principais características do desenvolvimento de projectos para cinema em Portugal? O que pensam realizadores cinematográficos, produtores, distribuidores e exibidores sobre o cinema português? Que conclusões tirar das suas opiniões, relatos de experiências e análises da situação contemporânea? Que novas tendências surgiram no cinema português, nos primeiros anos do séc. XXI?

A renovação política e estética do cinema europeu — suas identidades nacionais e culturais numa era de crescente globalização

Jácome, Jorge
Fonte: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC Publicador: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.75%
O projecto “Principais tendências no cinema português contemporâneo” nasceu no Departamento de Cinema da ESTC, com o objectivo de desenvolver investigação especializada a partir de um núcleo formado por alunos da Licenciatura em Cinema e do Mestrado em Desenvolvimento de Projecto Cinematográfico, a que se juntaram professores-investigadores membros do CIAC e convidados. O que agora se divulga corresponde a dois anos e meio de trabalho desenvolvido pela equipa de investigação, entre Abril de 2009 e Novembro de 2011. Dada a forma que ele foi adquirindo, preferimos renomeá-lo, para efeitos de divulgação, “Novas & velhas tendências no cinema português contemporâneo”.; QUAIS SÃO, hoje, as principais características do desenvolvimento de projectos para cinema em Portugal? O que pensam realizadores cinematográficos, produtores, distribuidores e exibidores sobre o cinema português? Que conclusões tirar das suas opiniões, relatos de experiências e análises da situação contemporânea? Que novas tendências surgiram no cinema português, nos primeiros anos do séc. XXI?

Arquivo documental: relativo à Lei do Cinema e do Audiovisual, criação do FICA e transformação do ICAM em ICA (2003-2007)

Leis
Fonte: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC Publicador: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.75%
O projecto “Principais tendências no cinema português contemporâneo” nasceu no Departamento de Cinema da ESTC, com o objectivo de desenvolver investigação especializada a partir de um núcleo formado por alunos da Licenciatura em Cinema e do Mestrado em Desenvolvimento de Projecto Cinematográfico, a que se juntaram professores-investigadores membros do CIAC e convidados. O que agora se divulga corresponde a dois anos e meio de trabalho desenvolvido pela equipa de investigação, entre Abril de 2009 e Novembro de 2011. Dada a forma que ele foi adquirindo, preferimos renomeá-lo, para efeitos de divulgação, “Novas & velhas tendências no cinema português contemporâneo”.; QUAIS SÃO, hoje, as principais características do desenvolvimento de projectos para cinema em Portugal? O que pensam realizadores cinematográficos, produtores, distribuidores e exibidores sobre o cinema português? Que conclusões tirar das suas opiniões, relatos de experiências e análises da situação contemporânea? Que novas tendências surgiram no cinema português, nos primeiros anos do séc. XXI?

Tiago Guedes: "O futuro do cinema passa por baixar muito os custos de produção"

Simões, Marta; Cipriano, Miguel
Fonte: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC Publicador: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.75%
O projecto “Principais tendências no cinema português contemporâneo” nasceu no Departamento de Cinema da ESTC, com o objectivo de desenvolver investigação especializada a partir de um núcleo formado por alunos da Licenciatura em Cinema e do Mestrado em Desenvolvimento de Projecto Cinematográfico, a que se juntaram professores-investigadores membros do CIAC e convidados. O que agora se divulga corresponde a dois anos e meio de trabalho desenvolvido pela equipa de investigação, entre Abril de 2009 e Novembro de 2011. Dada a forma que ele foi adquirindo, preferimos renomeá-lo, para efeitos de divulgação, “Novas & velhas tendências no cinema português contemporâneo”.; QUAIS SÃO, hoje, as principais características do desenvolvimento de projectos para cinema em Portugal? O que pensam realizadores cinematográficos, produtores, distribuidores e exibidores sobre o cinema português? Que conclusões tirar das suas opiniões, relatos de experiências e análises da situação contemporânea? Que novas tendências surgiram no cinema português, nos primeiros anos do séc. XXI?

Miguel Clara Vasconcelos: "Faço cinema porque existe o digital"

Pereira, Carlos; Dias, Vanessa Sousa
Fonte: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC Publicador: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.75%
O projecto “Principais tendências no cinema português contemporâneo” nasceu no Departamento de Cinema da ESTC, com o objectivo de desenvolver investigação especializada a partir de um núcleo formado por alunos da Licenciatura em Cinema e do Mestrado em Desenvolvimento de Projecto Cinematográfico, a que se juntaram professores-investigadores membros do CIAC e convidados. O que agora se divulga corresponde a dois anos e meio de trabalho desenvolvido pela equipa de investigação, entre Abril de 2009 e Novembro de 2011. Dada a forma que ele foi adquirindo, preferimos renomeá-lo, para efeitos de divulgação, “Novas & velhas tendências no cinema português contemporâneo”.; QUAIS SÃO, hoje, as principais características do desenvolvimento de projectos para cinema em Portugal? O que pensam realizadores cinematográficos, produtores, distribuidores e exibidores sobre o cinema português? Que conclusões tirar das suas opiniões, relatos de experiências e análises da situação contemporânea? Que novas tendências surgiram no cinema português, nos primeiros anos do séc. XXI?

Catarina Alves Costa: "A escrita é um processo importantíssimo no cinema"

Simões, Marta
Fonte: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC Publicador: Escola Superior de Teatro e Cinema / CIAC
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.75%
O projecto “Principais tendências no cinema português contemporâneo” nasceu no Departamento de Cinema da ESTC, com o objectivo de desenvolver investigação especializada a partir de um núcleo formado por alunos da Licenciatura em Cinema e do Mestrado em Desenvolvimento de Projecto Cinematográfico, a que se juntaram professores-investigadores membros do CIAC e convidados. O que agora se divulga corresponde a dois anos e meio de trabalho desenvolvido pela equipa de investigação, entre Abril de 2009 e Novembro de 2011. Dada a forma que ele foi adquirindo, preferimos renomeá-lo, para efeitos de divulgação, “Novas & velhas tendências no cinema português contemporâneo”.; QUAIS SÃO, hoje, as principais características do desenvolvimento de projectos para cinema em Portugal? O que pensam realizadores cinematográficos, produtores, distribuidores e exibidores sobre o cinema português? Que conclusões tirar das suas opiniões, relatos de experiências e análises da situação contemporânea? Que novas tendências surgiram no cinema português, nos primeiros anos do séc. XXI?

A maçã de Eva: formas de conjugalidade no cinema português contemporâneo

Santos, Susana
Fonte: CIES - ISCTE Publicador: CIES - ISCTE
Tipo: Trabalho em Andamento
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
66.62%
O cinema é uma forma cultural democrática ou “popular”, pois é, simultaneamente, uma expressão da sociedade e da cultura de que faz parte e um poderoso meio de comunicação/cultura de massas capaz de modelar comportamentos e atitudes sociais. Os filmes enquanto produtos culturais inscritos num contexto histórico-social definido podem ser vistos como representações, construções e reconstruções de um conjunto de valores socialmente aceites por essa mesma sociedade, sendo deste modo um objecto de particular interesse para analisar as transformações desses mesmos valores no que diz respeito às práticas e às representações dos actores sociais num determinado aspecto do quotidiano. No caso concreto do presente artigo, com base numa tese de licenciatura em Sociologia , pretende-se tentar aferir os modos e as formas como as relações conjugais são representadas no cinema português contemporâneo através da análise intensiva de um conjunto de quatro filmes.; Cinema is a democratic or popular cultural form, being at the same time an expression of the society and culture it belongs to and a powerful mass communication/culture medium, capable of modelling both behaviours and social attitudes. Films, as cultural products embedded in a particular historic and social context...

Melancolia e nevoeiro. Figuras do medo do cinema português

Guerreiro, Ricardo Manuel Farelo Silvestre
Fonte: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /04/2010 POR
Relevância na Pesquisa
66.73%
Dissertação apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Cinema e Televisão.; Esta dissertação procurará investigar um intrigante hiato produtivo do género de terror no cinema português e tentar compreendê-lo, apresentando possíveis razões que o originaram. Para isso irei expor as relações entre o medo, o cinema e o seu dispositivo técnico, identificando depois como essa relação se verifica no cinema português. Procurarei identificar também se existem ou não em Portugal formas de trabalhar o medo no cinema, ainda que escapem à forma como o género de terror geralmente o tem feito. Concluirei o trabalho tentando identificar na obra de Pedro Costa a existência de outras formas de trabalhar o medo no cinema português. A dificuldade que é investigar a partir de uma ausência de objectos de pesquisa será no meu entender também o seu contributo, pois permite a investigação das razões que geram essa ausência ou talvez uma outra forma de aparição.

Camponeses do cinema: a representação da cultura popular no cinema português entre 1960 e 1970.

Costa, Catarina Sousa Brandão Alves
Fonte: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em /04/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.65%
Tese apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Doutor em Antropologia Social e Cultural; Esta tese trata o cinema documentário e ficcional de vocação etnográfica na sua ligação com a representação da cultura popular de matriz rural e a identidade nacional. Pretendo tornar visível este cinema de vocação etnográfica, quer na história da etnologia portuguesa, revalorizando a importância da etnografia espontânea, quer na história do cinema português. O objecto é portanto o questionamento da fixação deste cinema nos conceitos de ruralidade, pastoralismo, tradição, raízes e autenticidade, partindo dele enquanto produtor de um discurso de objectificação da cultura popular portuguesa, e de uma ideia do país, ou da memória do país, cuja homogeneidade vou aqui questionar. Assim, trabalho os usos da imagem a partir de várias modalidades identificadas: o arquivo etnográfico, o documentário etnográfico, a imaginação ou poética de inspiração etnográfica e finalmente o cinema revolucionário e o discurso ideológico. Comum a todos eles é o facto de fazerem um cinema que se imagina próximo do povo que é filmado por razões que oscilam entre a produção e recolha de informação científica às motivações românticas ou politicas.

Algumas notas sobre o cinema português depois do 25 de Abril de 1974

Reia-Baptista, Vítor; Moeda, José
Fonte: ESTC- Gradiva Publicador: ESTC- Gradiva
Tipo: Parte de Livro
Publicado em /11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.53%
O projecto de investigação "Principais tendências no cinema português contemporâneo", cujo livro agora se edita, iniciou-se em Abril de 2009 e foi concluído em Novembro de 2011, tendo sido parcialmente financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia a partir de Janeiro de 2010, e apoiado pelo Centro de Investigação em Artes e Comunicação (CIAC), da Universidade do Algarve e da Escola Superior de Teatro e Cinema, em cujo âmbito se desenvolveu.

Filmes falados: cinema em português, V jornadas

Lopes, Frederico; Pereira, Ana Catarina
Fonte: Universidade da Beira Interior, Labcom Publicador: Universidade da Beira Interior, Labcom
Tipo: Livro
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
56.86%
As V Jornadas de Cinema em Português dão continuidade a um projeto desenvolvido pelo LabCom – Laboratório de Comunicação On-Line, na linha de investigação dedicada ao cinema, promovendo o encontro regular de estudiosos e investigadores do cinema que é feito em Portugal e no vasto universo de países que partilham a língua portuguesa. Esta publicação, que intitulamos de Filmes Falados, é a versão impressa em papel2 das comunicações apresentadas durante as V Jornadas Cinema em Português, realizadas na Covilhã, na Faculdade de Artes e Letras da Universidade da Beira Interior, de 22 a 25 de Outubro de 2012. A quinta edição das Jornadas começou onde tinha terminado a edição anterior: no cinema experimental português. Desta feita, pondo em evidência o pioneirismo de Jorge Brum do Canto no seu primeiro filme, A Dança dos Paroxismos. Seguiu-se uma reflexão sobre o facto espectatorial, sendo apresentada a noção de espectador de cinema em Souriau, Schefer e Morin. A partir do filme Nha Fala, do cineasta guineense Flora Gomes, fomos convidados a olhar para a inventividade como necessidade no cinema africano. No âmbito dos estudos sobre o texto fílmico de Manoel de Oliveira e os resultados da legendagem italiana dos diálogos originais...

Filmes falados: cinema em português, V jornadas

Lopes, Frederico; Pereira, Ana Catarina
Fonte: Universidade da Beira Interior, Labcom Publicador: Universidade da Beira Interior, Labcom
Tipo: Livro
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
56.86%
As V Jornadas de Cinema em Português dão continuidade a um projeto desenvolvido pelo LabCom – Laboratório de Comunicação On-Line, na linha de investigação dedicada ao cinema, promovendo o encontro regular de estudiosos e investigadores do cinema que é feito em Portugal e no vasto universo de países que partilham a língua portuguesa. Esta publicação, que intitulamos de Filmes Falados, é a versão impressa em papel2 das comunicações apresentadas durante as V Jornadas Cinema em Português, realizadas na Covilhã, na Faculdade de Artes e Letras da Universidade da Beira Interior, de 22 a 25 de Outubro de 2012. A quinta edição das Jornadas começou onde tinha terminado a edição anterior: no cinema experimental português. Desta feita, pondo em evidência o pioneirismo de Jorge Brum do Canto no seu primeiro filme, A Dança dos Paroxismos. Seguiu-se uma reflexão sobre o facto espectatorial, sendo apresentada a noção de espectador de cinema em Souriau, Schefer e Morin. A partir do filme Nha Fala, do cineasta guineense Flora Gomes, fomos convidados a olhar para a inventividade como necessidade no cinema africano. No âmbito dos estudos sobre o texto fílmico de Manoel de Oliveira e os resultados da legendagem italiana dos diálogos originais...

"O lado solar do tempo do fascismo" : Lisboa sob o olhar do novo cinema português

Correia, Tânia Sofia Neves
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.72%
Depois da Segunda Guerra Mundial, era tempo de pensar nos danos causados nas populações e nas cidades. Alguns artistas, arquitectos e pensadores, ao levarem para as suas mesas de trabalho o tema social, contribuíram para a revolução cultural, que acontecera em toda a Europa. Esta dissertação explora o discurso que a arquitectura e o cinema partilham sobre as cidades, sua relação simbiótica e suas consequências. A contextualização histórica e factual divide o trabalho em duas partes, sendo que, a primeira lança as bases para o debate que a segunda sugere: a forma como a cidade foi sendo representada ao longo do tempo, o discurso arquitectónico de Alison e Peter Smithson que se relaciona com o cinema e os habitantes da urbe e, introduzindo os casos de estudo, o contexto português na nova corrente cinematográfica que surgiria, nos anos 60, fruto de um longo período de saturação da censura. Os filmes do Novo Cinema português, tal como noutras correntes cinematográficas europeias dos anos 50 e 60, mostraram as ruas, as suas gentes, num registo quase documental e etnográfico. A cidade de Lisboa foi a mais usada para mostrar Portugal de 1962 até 1974, destacando-se um conjunto de três capítulos, cada um referente a uma zona da cidade. Dom Roberto...