Página 1 dos resultados de 110 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Composição florística e fitofisionomia de remanescentes disjuntos de Cerrado nos Campos Gerais, PR, Brasil - limite austral do bioma; Floristic composition and phytophysiognomies of Cerrado disjunct remnants in Campos Gerais, PR, Brazil - Southern boundary of the biome

RITTER, Lia Maris Orth; RIBEIRO, Milton Cezar; MORO, Rosemeri Segecin
Fonte: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP Publicador: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.91%
O cerrado possui seu limite austral de ocorrência nos Campos Gerais do Paraná onde, na forma de pequenos fragmentos disjuntos, tem grande afinidade com as formações savânicas de São Paulo e do Planalto Central do Brasil. Encontra-se, na sua maior parte, em propriedades particulares, sob forte pressão da agropecuária, tendo sido até então pouco estudado. Foram realizadas análises florísticas e fitofisionômicas de 30 remanescentes de cerrado em seis municípios, com determinação de um total de 1.782 táxons. Asteraceae foi a família com maior riqueza de espécies (256), seguida por Fabaceae (207), Poaceae (183), Myrtaceae (72) e Melastomataceae (54). Encontrou-se um gradiente latitudinal e geomorfológico na distribuição das fisionomias: cerrado stricto sensu (50%) e cerradão (13%) distribuem-se nos planaltos areníticos ao norte da região; enquanto cerrado rupestre (17%) e campo sujo com fácies de cerrado (20%) estão mais representados nas porções meridionais, nos relevos escarpados dos vales dos rios. Os remanescentes mostraram similaridade florística com áreas core do Bioma e podem ser consideradas áreas marginais da amplitude geográfica de muitos táxons, compartilhando espécies típicas, características da Província Sulina. Portanto...

O Cerrado rupestre no Estado de Goiás com base em imagens landsat etm+

Lima, Camila Aparecida
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
47.29%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Florestal, 2008.; O Cerrado Rupestre ocorre em paisagens de relevo acidentado, com declividade moderada à acentuada e sob afloramentos rochosos. Além de apresentar destacada riqueza florística, essa fitofisionomia funciona ainda como barreira para o avanço da agropecuária no Cerrado. Apesar do seu importante papel na conservação da biodiversidade, não existe ainda um mapeamento preciso de ocorrências dessa fitofisionomia no referido bioma. O objetivo deste estudo foi mapear áreas de ocorrência de Cerrado Rupestre no Estado de Goiás, incluindo o Distrito Federal, por meio de análise de 24 imagens do satélite LANDSAT ETM+. A estratégia metodológica envolveu segmentação de imagens, classificação automática pelos métodos de Battacharya e ISOSEG, análise visual e refinamento por meio de cruzamento com dados de declividade, geomorfologia e geologia. O uso do classificador ISOSEG permitiu a identificação de 2.262.000 hectares de Cerrado Rupestre, sem validação de campo. Para tanto, foi selecionada uma área-teste contínua menor (aproximadamente 908.000 hectares), também com destacada riqueza biológica: a Área de Proteção Ambiental – APA Pouso Alto e o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros – PNCV...

Florística e estrutura da vegetação arbustivo-arbórea em uma área de cerrado rupestre no Parque Estadual da Serra de Caldas Novas, Goiás; Floristic and structure of woody vegetation of a “cerrado rupestre” area in Serra de Caldas Novas State Park, Goiás

Lima, Thaís Almeida; Pinto, José Roberto Rodrigues; Oliveira, Eddie Lenza; Pinto, Alexandre de Siqueira
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
67.35%
O cerrado sentido restrito é a fitofisionomia predominante do bioma Cerrado, ocupando grandes extensões do Planalto Central brasileiro. Quando essa vegetação se desenvolve sobre Neossolos Litólicos recebe a denominação de cerrado rupestre. O conhecimento sobre as comunidades arbustivo-arbóreas deste subtipo fitofisionômico do Cerrado é muito limitado. O objetivo deste estudo foi analisar a composição florística e a estrutura da vegetação arbustivo-arbórea em uma área de cerrado rupestre localizada no Parque Estadual da Serra de Caldas Novas (PESCAN), Goiás, Brasil e comparar suas características florísticas e estruturais com aquelas de outras áreas de cerrado sentido restrito localizadas no Brasil Central. Foram amostrados todos os indivíduos com diâmetro a 30 cm do solo > 5 cm, presentes em 10 parcelas aleatórias de 20 × 50 m. A riqueza florística registrada foi de 66 espécies, distribuídas em 53 gêneros e 31 famílias botânicas. A vegetação estudada tem características florísticas e estruturais semelhantes àquelas registradas em outras áreas de cerrado sentido restrito sobre solos profundos, porém, com a presença de algumas espécies típicas de cerrado rupestre, como Schwartzia adamantium (Cambess.) Gir.-Cañas e Wunderlichia mirabilis Riedel ex Baker e algumas raras para o bioma...

Discriminação de cerrado rupestre por meio de imagens multitemporais do landsat : proposta metodológica

Nascimento, Erika Regina Prado do
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
47.22%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Geociências, 2010.; O Cerrado Rupestre corresponde a uma formação savânica do bioma Cerrado, ocorre em relevos acidentados e em meio a afloramentos rochosos, apresenta elevada biodiversidade e várias espécies endêmicas e funciona como barreira para a expansão agrícola. No estado de Goiás, ocorrências expressivas dessa fitofisionomia são encontradas no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (PNCV). O objetivo deste estudo foi desenvolver uma nova abordagem metodológica para discriminar Cerrado Rupestre do PNCV com base em imagens multitemporais do satélite Landsat. Sete cenas do referido satélite foram convertidas para reflectância de superfície terrestre com suporte do algoritmo de correção atmosférica denominado FLAASH (Fast Line-of-Sight Atmospheric Analysis of Spectral Hypercubes). Em seguida, os valores de reflectância de cada cena foram somados e as imagens resultantes foram processadas por meio da técnica de segmentação de imagens por crescimento de regiões. Os segmentos foram exportados para o formato shape e os polígonos correspondentes ao Cerrado Rupestre foram identificados por meio de análise visual na tela do computador da composição colorida falsa-cor das bandas 4...

Fitogeografia da vegetação arbustivo-arbórea em áreas de cerrado rupestre no Estado de Goiás

Santos, Tassiana Reis Rodrigues dos
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
47.09%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Florestal, 2011.; O cerrado rupestre é um subtipo do cerrado sentido restrito que geralmente ocorre em ambientes com afloramentos rochosos e predominantemente em Neossolos Litólicos. O presente estudo é o primeiro de caráter fitogeográfico para o cerrado rupestre no Estado de Goiás e tem como objetivo avaliar a composição florística da vegetação arbustivo-arbórea e analisar a distribuição espacial das espécies em dez áreas. A amostragem foi padronizada para todas as áreas, onde foram estabelecidas dez parcelas de 20 × 50 m, totalizando 1 ha para cada área. Todos os indivíduos com diâmetro a 30 cm do solo - DAS ≥ 5 cm foram incluídos na amostragem. Os dados ambientais coletados foram: temperatura máxima, declividade, altitude, pH e textura do solo (areia, silte e argila). A análise da vegetação foi realizada por meio da similaridade florística calculada pelo índice de Sørensen (qualitativo) e Czekanowski (quantitativo), como também pelas análises multivariadas de classificação (TWINSPAN) e ordenação (CCA). Nas dez áreas inventariadas foram amostrados 13.041 indivíduos arbustivo-arbóreos, pertencentes a 219 espécies...

Vegetação arbustivo-árborea em áreas de cerrado típico e cerrado rupestre no estado de Tocantins; The tree-shrub vegetation in areas “cerrado típico” and “cerrado rupestre” in Tocantins state

Lemos, Helena Lara
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
47.22%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Florestal, Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais, 2013.; A heterogeneidade da vegetação do Cerrado é apontada como resultado das mudanças ambientais e espaciais. Nesse sentido nosso objetivo foi descrever e comparar a composição florístico-estrutural, riqueza e diversidade da vegetação arbustivo-arbórea avaliando o efeito do espaço e do ambiente na similaridade de pares adjacentes de Cerrado Típico e Cerrado Rupestre no Estado de Tocantins. Para amostragem da vegetação alocamos dez parcelas de 20 x 50 m e inventariamos os indivíduos arbustivo-arbóreos vivos com diâmetro a 30 cm do solo ≥ 5 cm. As variáveis ambientais foram: altitude, rochosidade, precipitação média anual e propriedades edáficas (teores de areia, pH, soma de bases, capacidade de troca catiônica e matéria orgânica). Analisamos a vegetação através de curvas de rarefação, perfil de diversidade, parâmetros fitossociológicos, distribuição dos indivíduos em classes de diâmetro e altura, TWINSPAN, NMDS e sua relação com o ambiente pela CCA, incluindo filtros espaciais (MEMs) para controlar possível efeito da estrutura espacial dos dados. Realizamos a partição da variância para quantificar quanto o espaço e o ambiente explicam a variação vegetacional. Das 144 espécies inventariadas 19 foram comuns aos quatro sítios e 71 ocorreram em apenas um. Fabaceae foi a família mais representativa seguida por Vochysiaceae e Myrtaceae. Os sítios rupestres apresentaram menores densidades que os típicos...

Comparações florísticas e estruturais entre duas comunidades lenhosas de cerrado típico e cerrado rupestre, Mato Grosso, Brasil

Gomes,Letícia; Lenza,Eddie; Maracahipes,Leandro; Marimon,Beatriz Schwantes; Oliveira,Edmar Almeida de
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
46.75%
Comparou-se a riqueza, a composição florística e a estrutura da vegetação lenhosa entre um hectare de cerrado rupestre (CR) e um de cerrado típico (CT) no leste Mato-grossense. A riqueza registrada (CT = 79 e CR = 71) e estimada pelo método de bootstrap (CT = 86,7 ± 2,3 e CR = 75,8 ± 1,8) foi maior no CT, mas o índice de diversidade foi igual entre as duas fisionomias (3,58 no CT e 3,56 no CR; teste t de Hutcheson = t2;0,05 = 0,43, p > 0,05). Apesar da elevada similaridade florística (Sørensen = 0,75 e Morisita = 0,73), a análise de ordenação (DCA) separou as parcelas do CT e do CR, indicando a seleção de espécies nas duas fisionomias. Foram registradas altas porcentagens de indivíduos mortos no CT (28,1%) e no CR (17,3%), devido à ocorrência de uma queimada quatro meses antes da amostragem da vegetação. A área basal por parcela foi maior no CR, enquanto as densidades por parcela, as alturas e os diâmetros medianos dos indivíduos, não diferiram entre as duas fisionomias, sugerindo que o solo raso e o afloramento rochoso no CR não limitaram o estabelecimento e o desenvolvimento da flora lenhosa.

Florística e estrutura da vegetação arbustivo-arbórea em uma área de cerrado rupestre no parque estadual da Serra de Caldas Novas, Goiás

Lima,Thaís Almeida; Pinto,José Roberto Rodrigues; Lenza,Eddie; Pinto,Alexandre de Siqueira
Fonte: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP Publicador: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
47.15%
O cerrado sentido restrito é a fitofisionomia predominante do bioma Cerrado, ocupando grandes extensões do Planalto Central brasileiro. Quando essa vegetação se desenvolve sobre Neossolos Litólicos recebe a denominação de cerrado rupestre. O conhecimento sobre as comunidades arbustivo-arbóreas deste subtipo fitofisionômico do Cerrado é muito limitado. O objetivo deste estudo foi analisar a composição florística e a estrutura da vegetação arbustivo-arbórea em uma área de cerrado rupestre localizada no Parque Estadual da Serra de Caldas Novas (PESCAN), Goiás, Brasil e comparar suas características florísticas e estruturais com aquelas de outras áreas de cerrado sentido restrito localizadas no Brasil Central. Foram amostrados todos os indivíduos com diâmetro a 30 cm do solo > 5 cm, presentes em 10 parcelas aleatórias de 20 × 50 m. A riqueza florística registrada foi de 66 espécies, distribuídas em 53 gêneros e 31 famílias botânicas. A vegetação estudada tem características florísticas e estruturais semelhantes àquelas registradas em outras áreas de cerrado sentido restrito sobre solos profundos, porém, com a presença de algumas espécies típicas de cerrado rupestre, como Schwartzia adamantium (Cambess.) Gir.-Cañas e Wunderlichia mirabilis Riedel ex Baker e algumas raras para o bioma...

Structure and floristic relationships between Cerrado sensu stricto sites on two types of substrate in northern Cerrado, Brazil

Lemos,Helena Lara; Pinto,Jose Roberto Rodrigues; Mews,Henrique Augusto; Lenza,Eddie
Fonte: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP Publicador: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 EN
Relevância na Pesquisa
57.03%
We described and compared the floristic composition, richness, species diversity and structure of the tree-shrub component in pairs of Typical Cerrado (Cerrado Típico) and rocky outcrop Cerrado (Cerrado Rupestre) in two localities in Tocantins State. In each locality, we set up 10 plots of 20 × 50 m at a site, the Cerrado Típico and other Cerrado Rupestre, and sampled the individuals with Db30cm ≥ 5 cm. The rocky outcrop Cerrado did not present any trend towards lower richness and basal area compared to the Cerrado on deep soil. Few species occurred across the four sites and only two important species (Anacardium occidentale and Qualea parviflora) in the four vegetation structure were common to both environments assessed. Furthermore, the occurrence of habitat-specialist species of rocky outcrops and high altitudes (Mimosa claussenii, Tibouchina papyrus, Schwartzia adamantium and Wunderlichia cruelsiana) and the high dissimilarity among sites suggest that altitude is the main responsible for the floristic dissimilarity, followed by the influence of substrate type. Therefore, the information with respect to phytophysiognomy type as a parameter to select areas for conservation, by itself, does not effectively ensure biodiversity preservation...

Identificação de Cerrado Rupestre por meio de imagens multitemporais do Landsat: proposta metodológica

Nascimento,Erika Regina Prado; Sano,Edson Eyji
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia, Instituto de Geografia, Programa de Pós-Graduação em Geografia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia, Instituto de Geografia, Programa de Pós-Graduação em Geografia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
47.09%
O Cerrado Rupestre corresponde a uma formação savânica do bioma Cerrado, ocorre em relevos acidentados e em meio a afloramentos rochosos, apresenta elevada biodiversidade e várias espécies endêmicas e funciona como barreira para a expansão agrícola. No estado de Goiás, ocorrências expressivas dessa fitofisionomia são encontradas no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (PNCV). O objetivo deste estudo foi desenvolver uma nova abordagem metodológica para discriminar Cerrado Rupestre do PNCV com base em imagens multitemporais do satélite Landsat. Sete cenas do referido satélite foram convertidas para reflectância de superfície terrestre com suporte do algoritmo de correção atmosférica denominado FLAASH (Fast Line-of-Sight Atmospheric Analysis of Spectral Hypercubes). Em seguida, os valores de reflectância de cada cena foram somados e as imagens resultantes foram processadas por meio da técnica de segmentação de imagens por crescimento de regiões. Os segmentos foram exportados para o formato shape e os polígonos correspondentes ao Cerrado Rupestre foram identificados por meio de análise visual na tela do computador da composição colorida falsa-cor das bandas 3, 4 e 5. Foram mapeados 24.451 hectares de Cerrado Rupestre...

Morfoanatomia de órgãos vegetativos aéreos e sistemas subterrâneos de Ichthyothere mollis Baker. e Jungia floribunda less. (asteraceae) ocorrentes no cerrado rupestre do estado de Goiás; Morpho-anatomy of the aerial vegetative organs and underground systems of Ichthyothere mollis Baker. e Jungia floribunda less. (asteraceae) from the cerrado rupestre of Goiás

Souza, Vinicius Pina
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Biodiversidade Vegetal (ICB); Instituto de Ciências Biológicas - ICB (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Biodiversidade Vegetal (ICB); Instituto de Ciências Biológicas - ICB (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
47.29%
The Cerrado is a biome characterized by climatic seasonality and by the diversity of species and physiognomies, including them, the cerrado rupestre with herbaceous-subshrubs strata and water deficit. Among the families of wide distribution in Cerrado Asteraceae stands out as an important representative of the cerrado rupestre. The present study aimed to analyze the anatomy, histochemistry and phytochemistry of the aerial vegetative and underground systems organs of Ichthyothere mollis Baker. and Jungia floribunda Less. (Asteraceae) as well as evaluate quantitatively anatomical variations in due to the seasonality of the environment where the species occur. The collections were made in the Reserva Biológica Prof. José Ângelo Rizzo of Universidade Federal de Goiás, inside Parque Estadual da Serra Dourada (PESD) located in the municipalities of Mossâmedes, Goiás and Buriti de Goiás, during the dry and rainy seasons, and subjected to the usual techniques in plant anatomy. Features common to both species were identified, such as thin cuticle, epicuticular striations, tector and glandular trichomes, anisocytic and anomocytic stomata, dorsiventral mesophyll, collateral vascular bundles, secretory ducts and hydathodes. Otherwise, I. mollis has amphistomatic leaves and J. floribunda hypostomatic leaves and druses. In both species flavonoids...

Morfoanatomia, tricomas glandulares e análise fitoquímica de Trichogonia eupatorioides (Gardner) R. M. King & H. Rob (ASTERACEAE-EUPATORIEAE) ocorrente em área de cerrado rupestre; Morpho-anatomy, glandular trichomes and phytochemical analysis of Trichogonia eupatorioides (Gardner) R. M. King & H. Rob (ASTERACEAE-EUPATORIEAE) in cerrado rupestre

Fernandes, Yanne Sousa
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Biodiversidade Vegetal (ICB); Instituto de Ciências Biológicas - ICB (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Biodiversidade Vegetal (ICB); Instituto de Ciências Biológicas - ICB (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
47.13%
Cerrado rupestre is a subtype of arboreal-shrub vegetation that occurs in rupestrian and rocky habitats. Trichogonia eupatorioides (Gardner) R. M. King & H. Rob belongs to the tribe Eupatorieae of the family Asteraceae, and it is endemic to Brazil. Given the scant knowledge of the botanical traits of this species, the present study aimed to describe the morpho-anatomy of leaves and stems, characterize and identify developmental stages of glandular trichomes, detect the presence of metabolites by phytochemical screening, and determine the composition of the essential oil from aerial vegetative and reproductive parts of T. eupatorioides from a cerrado rupestre area. Samples of T. eupatorioides were collected from the Biological Reserve “Prof. José Ângelo Rizzo” of Universidade Federal de Goiás (UFG). Fully expanded leaves, stems, stem apices, flowers and involucral bracts were used for the morpho-anatomical study and to describe glandular trichomes. Aerial vegetative and reproductive organs were used for the phytochemical study. T. eupatorioides shares anatomical traits with other species described in the literature, such as amphistomatic leaves, anomocytic and anisocytic stomata, epidermal cells with sinuous anticlinal walls and thick external periclinal walls...

Aspectos ecofisiológicos de Vochysia thyrsoidea POHL. em Cerrado Rupestre no sul de Minas Gerais; Ecophysiological aspects of Vochysia thyrsoidea Pohl. in a "Cerrado Rupestre" in the South of Minas Gerais

Melo, Nayara Cristina de
Fonte: Universidade Federal de Lavras; Programa de Pós-Graduação em Botânica Aplicada; UFLA; brasil; Departamento de Biologia Publicador: Universidade Federal de Lavras; Programa de Pós-Graduação em Botânica Aplicada; UFLA; brasil; Departamento de Biologia
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 19/10/2015 POR
Relevância na Pesquisa
47.11%
The Cerrado domain covered an area of approximately 2 million km 2 in the center of Brazil. However, due to the severe conversion of natural areas into anthropic areas it has been described as a hotspot for the conservation of the biodiversity. Cerrado is characterized by a well-defined dry season with acidic and nutrient-poor soils. Moreover, fire is a common disturbance affecting the growth and distribution of species. Within the different domain phytophysiognomies, there is the rocky cerrado, defined by long periods with low water availability, high luminous intensity, high altitudes, and vegetation on rocky outcrops. Among species, Vochysia thyrsoidea stands out for its high ability to adapt to the environment. Thus, this work aimed to evaluate the physiological and growth responses of V. thyrsoidea individuals in two rocky cerrado areas located in Parque Ecológico Quedas doRio Bonito (PEQRB) and in Reserva Biológica Unilavras-Boqueirão (RBUB). Ineach area, we selected 30 medium to high individuals (>2.50 m and DAP ≥5 cm) and 30 short individuals (<1.70 m and DAS < 3 cm). The radial growth, height, growth of branches...

Melastomataceae do Parque Estadual da Serra Dourada, Goiás

Machado, Ana Isa Marquez Rocha
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
47.13%
O Parque Estadual da Serra Dourada está localizado nos municípios de Buriti de Goiás, Cidade de Goiás e Mossâmedes, estado de Goiás. Dentre as fisionomias do Cerrado, o parque apresenta mata de galeria, mata seca, campo sujo, campo rupestre, cerrado sentido restrito e cerrado rupestre. O presente trabalho apresenta chave para identificação das espécies, descrições, comentários sobre as características morfológicas, dados de distribuição geográfica, de floração e frutificação, análise dos diferentes tipos de hábitos, hábitats, estado de conservação das espécies, ilustrações e lista de coletores do material examinado. Melastomataceae está representada na área por 43 táxons distribuídos em 13 gêneros. Miconia é o gênero mais representativo com 18 táxons, seguido de Tibouchina com 10 táxons, Microlicia com quatro táxons, e Clidemia com dois táxons. Acisanthera, Cambessedesia, Desmoscelis, Macairea, Pterolepis, Rhynchanthera, Siphanthera, Tococa e Trembleya apresentam uma espécie cada. Dentre as espécies encontradas na área, Microlicia ordinata, Tibouchina crassiramis, T. johnwurdackiana, T. robusta e Trembleya neopyrenaica se destacam por serem endêmicas de Goiás. O Parque Estadual da Serra Dourada mostra-se importante para a conservação da flora de Melastomataceae por apresentar o segundo maior número de espécies da família dentre os parques de Goiás estudados...

Composição florística e estrutura da vegetação arbustivo-arbórea em um cerrado rupestre, Cocalzinho de Goiás, Goiás

Pinto, José Roberto Rodrigues; Oliveira, Eddie Lenza; Pinto, Alexandre de Siqueira
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
67.34%
Foi realizado um levantamento da vegetação arbutivo-arbórea (indivíduos com diâmetro a 30 cm do solo > 5 cm), em 1,0 hectare de cerrado rupestre (dez parcelas de 20 × 50 m), localizado em Cocalzinho de Goiás, Goiás, Brasil (15º48' S e 48º45' W). O objetivo foi avaliar e comparar as relações florísticas e as características estruturais deste cerrado sobre afloramentos rochosos com aquelas encontradas nos estudos já realizados em áreas de cerrado sentido restrito sobre solos profundos, localizados no Brasil Central. A composição florística do cerrado rupestre estudado é formada predominantemente por espécies das fitofisionomias do cerrado sentido restrito e em menor contribuição por espécies das formações florestais do bioma e espécies endêmicas de ambientes rupestres. A riqueza e a diversidade de espécies estão dentro dos limites normalmente encontrados para as áreas de cerrado sentido restrito do Brasil Central. Em termos estruturais, a densidade e área basal se assemelham aos valores registrados na subdivisão fitofisionômica de cerrado ralo. As condições ambientais limitantes, principalmente edáficas, não resultaram em mudanças expressivas na composição florística, riqueza e diversidade de espécies...

Estrutura e composição florística da vegetação lenhosa em cerrado rupestre na transição Cerrado-Floresta Amazônica, Mato Grosso, Brasil

Maracahipes,Leandro; Lenza,Eddie; Marimon,Beatriz Schwantes; Oliveira,Edmar Almeida de; Pinto,José Roberto Rodrigues; Marimon Junior,Ben Hur
Fonte: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP Publicador: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
57.19%
O objetivo desse estudo foi determinar a composição florística e a estrutura da vegetação lenhosa (incluindo monocotiledôneas e lianas) em cerrado rupestre na zona de transição Cerrado-Floresta Amazônica, no Parque do Bacaba, em Nova Xavantina, MT (14º 41' S e 52º 20' W) e compará-las com outros estudos de cerrado sentido restrito. Foram demarcadas aleatoriamente 10 parcelas de 20 × 50 m, nas quais foram medidos os indivíduos vivos e mortos em pé com diâmetro mínimo a 30 cm do solo (DAS) > 3 cm. O cerrado rupestre apresentou alta densidade (3.766 indivíduos vivos), riqueza florística (85 espécies, 67 gêneros e 34 famílias) e área basal (15,72 m²ha-1), e ainda elevado valor do índice de diversidade de espécies de Shannon-Wiener (H' = 3,47) e equabilidade de Pielou (J = 0,78) em relação às áreas comparadas. As espécies com maior valor de importância foram Erythroxylum suberosum, Qualea parviflora, Anacardium occidentale, Kielmeyera rubriflora e Vatairea macrocarpa. A maior similaridade florística entre comunidades de cerrado típico e rupestre localizadas em áreas com menores altitudes do leste mato-grossense sugere que nessa região a proximidade geográfica e a altitude exercem influência sobre a composição de espécies...

Comparação da vegetação arbustivo-arbórea de uma área de cerrado rupestre na Chapada dos Veadeiros, Goiás, e áreas de cerrado sentido restrito do Bioma Cerrado

Lenza,Eddie; Pinto,José Roberto Rodrigues; Pinto,Alexandre de Siqueira; Maracahipes,Leandro; Bruziguessi,Elisa Pereira
Fonte: Sociedade Botânica de São Paulo Publicador: Sociedade Botânica de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
47.14%
Foram determinadas a composição florística e a estrutura da vegetação arbustivo-arbórea, incluindo monocotiledôneas, em uma comunidade de cerrado rupestre, no município Alto Paraíso de Goiás, Goiás. Os objetivos desse estudo foram: 1. Comparar os aspectos florísticos e estruturais da área estudada com aqueles de outros 14 estudos com comunidades arbustivo-arbóreas, com e sem a presença de monocotiledôneas, 2. Avaliar os padrões fitogeográficos das 15 áreas comparadas. Foram amostradas 71 espécies, sendo cinco espécies de monocotiledôneas (três Velloziaceae e duas Arecaceae). Considerando as monocotiledôneas, a comunidade inventariada foi a mais densa (1.977 indivíduos ha-1) e apresentou a segunda maior área basal (11,25/ m²/ ha-1), entre as áreas comparadas. No entanto, sem as monocotiledôneas a densidade e área basal reduziram para 892 indivíduos ha-1 e 7,55/ m²/ ha-1, respectivamente. Os índices de diversidade (H'/†=/ 2,81) e equabilidade (J'/†=/ 0,66) foram baixos com a presença das monocotiledôneas, mas se elevaram, com a exclusão das espécies desse grupo (H/ =/ 3,63, J'/†=/ 0,86). Os aumentos nos valores de riqueza, densidade e área basal, com a inclusão das monocotiledôneas indicaram elevada importância das famílias Velloziaceae e Arecaceae na comunidade de cerrado rupestre estudada. A flora foi representada predominantemente por espécies de cerrado sentido restrito sobre solos profundos. No entanto...

Composição florística e estrutura da vegetação arbustivo-arbórea em um cerrado rupestre, Cocalzinho de Goiás, Goiás

Pinto,José Roberto Rodrigues; Lenza,Eddie; Pinto,Alexandre de Siqueira
Fonte: Sociedade Botânica de São Paulo Publicador: Sociedade Botânica de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
57.15%
Foi realizado um levantamento da vegetação arbutivo-arbórea (indivíduos com diâmetro a 30 cm do solo > 5 cm), em 1,0 hectare de cerrado rupestre (dez parcelas de 20 × 50 m), localizado em Cocalzinho de Goiás, Goiás, Brasil (15º48' S e 48º45' W). O objetivo foi avaliar e comparar as relações florísticas e as características estruturais deste cerrado sobre afloramentos rochosos com aquelas encontradas nos estudos já realizados em áreas de cerrado sentido restrito sobre solos profundos, localizados no Brasil Central. A composição florística do cerrado rupestre estudado é formada predominantemente por espécies das fitofisionomias do cerrado sentido restrito e em menor contribuição por espécies das formações florestais do bioma e espécies endêmicas de ambientes rupestres. A riqueza e a diversidade de espécies estão dentro dos limites normalmente encontrados para as áreas de cerrado sentido restrito do Brasil Central. Em termos estruturais, a densidade e área basal se assemelham aos valores registrados na subdivisão fitofisionômica de cerrado ralo. As condições ambientais limitantes, principalmente edáficas, não resultaram em mudanças expressivas na composição florística, riqueza e diversidade de espécies...

Fitogeografia do cerrado rupestre : relações florístico-estruturais e ecológicas de espécies lenhosas

Moura, Iona'i Ossami de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
47.35%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Ecologia, 2010.; A estrutura e a composição florística da vegetação sobre rochas vêm sendo estudadas em todo o Brasil, tanto em afloramentos graníticos como em afloramentos quartzíticos e areníticos, abordando principalmente a vegetação de menor porte, como a presente nos campos de altitude e campos rupestres. No entanto, poucos são os estudos tratando da vegetação lenhosa do cerrado rupestre. O objetivo geral desse estudo foi caracterizar o cerrado rupestre de forma fitogeográfica, por meio do estudo da composição florística, da estrutura da comunidade lenhosa e da relação vegetação e fatores ambientais em três áreas marginais do bioma Cerrado e compará-las com outras amostragens em cerrado rupestre no Brasil Central e em cerrado sensu stricto sobre solos profundos ao longo do bioma. As três áreas amostradas localizam-se próximas aos limites do bioma Cerrado: uma em região com influência da Caatinga, no Parque Nacional de Sete Cidades - PI, uma em região com influência da Mata Atlântica, no Parque Estadual do Rio Preto - MG, e outra em região com influência do Pantanal, na região de Cáceres - MT. Para todas as áreas seguiu-se a mesma metodologia de amostragem: em cada área foram estabelecidas aleatoriamente 10 parcelas de 20 m × 50 m...

Fitofisionomias do bioma cerrado.

RIBEIRO, J. F.; WALTER, B. M. T.
Fonte: In: SANO, S. M.; ALMEIDA, S. P. de (Ed.). Cerrado: ambiente e flora. Planaltina: EMBRAPA-CPAC, 1998. Publicador: In: SANO, S. M.; ALMEIDA, S. P. de (Ed.). Cerrado: ambiente e flora. Planaltina: EMBRAPA-CPAC, 1998.
Tipo: Capítulo em livro técnico-científico (ALICE) Formato: p. 89-166.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.62%
Os biomas do Brasil; O bioma cerrado; Origem das formacoes florestais; Origem das formacoes savanicas e campestres; Cerrado: definicao de termos; Trabalhos abordando terminologia fitofisionomica; Padronizacao de termos fitofisionomicos; Principais tipos fitofisionomicos do cerrado; Formacoes florestais; Mata ciliar; Mata de galeria; Mata seca; Cerradao; Formacoes savanicas; Cerrado sentido estrito; Parque do cerrado; Palmeiral; Vereda; Formacoes campestres; Campo sujo; Campo rupestre; Campo limpo; Chave de identificacao dos tipos fitofisionomicos do cerrado.; 1998