Página 1 dos resultados de 319 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Avaliação da imuno-expressão de proteínas da via da apoptose mediadas pela proteína p53 no carcinoma hepatocelular; Immunohistochemical assessment of the expression of proteins of the apoptosis pathway mediated by p53 in hepatocellular carcinoma

Ressio, Rodrigo Albergaria
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/10/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.83%
O presente estudo teve por objetivo estudar a participação da apoptose na carcinogênese hepatocelular, quantificando os corpos apoptóticos imunomarcados por caspase-3 clivada em amostras de carcinoma hepatocelular (CHC) em pacientes com ou sem cirrose, comparando também estes achados com amostras correspondentes de fígado não tumoral. Visou também à análise semi-quantitativa da imuno-expressão da proteína p53, Bax e Citocromo-C, relacionadas à via mitocondrial da apoptose em busca de eventuais relações com as variáveis clínicopatológicas dos carcinomas hepatocelulares. A análise comparativa da distribuição das diversas proteínas aqui estudadas foi ainda efetuada, com vistas à possível demonstração de sua interação no processo de apoptose em CHC. Amostras selecionadas de 79 casos de CHC foram distribuídas em micromatriz tecidual e submetidas a pesquisa imuno-histoquímica com amplificação por polímeros curtos de dextran ligados a peroxidase. IA foi maior nos CHC que nas amostras não-neoplásicas, mostrando ainda tendência a associação com o grau histológico do CHC .A imuno-expressão de p53 foi maior nos CHC em fígado cirrótico (CHC-C), em casos com invasão vascular, e nos graus histológicos altos. Houve maior imunoexpressão de citocromo c em CHC-C...

Ocorrência da infecção oculta pelo vírus da hepatite B (VHB) em pacientes com cirrose hepática pelo vírus da hepatite C (VHC) com ou sem carcinoma hepatocelular (CHC); Occurrence of occult hepatitis B virus infection (HBV) in patients with liver cirrhosis due to hepatitis C virus (HCV) with or without hepatocellular carcinoma

Alencar, Regiane Saraiva de Souza Melo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/03/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.84%
O presente estudo avaliou materiais de 50 pacientes com cirrose hepática pelo vírus da hepatite C (VHC) que foram submetidos ao transplante hepático no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo no período de 1993 a 2004, sendo divididos em dois grupos: Grupo 1 (33 pacientes com cirrose pelo VHC) e Grupo 2 (17 pacientes com cirrose pelo VHC com carcinoma hepatocelular). Nosso objetivo foi estudar a ocorrência da infecção oculta pelo VHB em pacientes com cirrose pelo VHC com ou sem CHC através do estudo molecular do genoma viral (DNA do VHB) no soro, tecido hepático tumoral e não tumoral pela utilização da técnica de Reação em Cadeia da Polimerase (PCR), pelos métodos in house e em tempo real. Todos os pacientes eram HBsAg negativos, possuíam soroteca e bloco de explante hepático em parafina, não apresentando concomitância com doenças hepáticas colestáticas, metabólicas e autoimunes. Foram avaliados os prontuários por um único pesquisador no sentido de coletar informações tais como: sexo, idade, dados de exames laboratoriais bioquímicos, sorológicos, ?fetoproteína e coagulação; além de dados clínicos tais como ascite e encefalopatia hepática para cálculos de índices prognósticos da cirrose (Child e MELD). Todo o material de explante hepático teve o Escore de Ishak e a Classificação das Sociedades Brasileiras de Patologia e Hepatologia para hepatites crônicas avaliados...

Elastografia hepática em pacientes com carcinoma hepatocelular em triagem para transplante de fígado; Liver elastography in patients with hepatocellular carcinoma in screening for liver transplantation

Nacif, Lucas Souto
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.99%
INTRODUÇÃO: A cirrose é a oitava causa de mortalidade no mundo, e sua progressão e estadiamento são de extrema importância nos pacientes com doença terminal do fígado. A presença de cirrose é reconhecida como risco aumentado de carcinoma hepatocelular (CHC) e o seu aparecimento está diretamente relacionado ao grau de fibrose do fígado. Na última década, notou-se o desenvolvimento e aperfeiçoamento dos métodos de predição do grau de fibrose e cirrose, através de métodos não-invasivos, com o objetivo de substituir a biópsia hepática. A população em lista de espera para transplante de fígado apresenta graus diferentes de fibrose hepática, que pode não estar diretamente relacionada ao MELD. Além disso, esses pacientes apresentam CHC no momento da triagem para transplante de fígado. Não existe avaliação desta população por elastografia. OBJETIVO: O objetivo deste trabalho foi avaliar os pacientes em triagem para transplante de fígado, com e sem carcinoma hepatocelular, pela elastografia hepática com Fibroscan® e ARFI. MÉTODO: Foram estudados 103 pacientes adultos do ambulatório de triagem da Disciplina de Transplante de Órgãos do Aparelho Digestivo HC/FMUSP, no período de outubro de 2012 à dezembro de 2013. A amostragem foi por conveniência e foram avaliados dados clínicos...

Hepatocellular carcinoma in patients undergoing orthotopic liver transplantation : radiological findings with anatomopathological correlation in Brazil; Carcinoma hepatocelular em pacientes submetidos a transplante hepático : achados radiológicos com correlação anatomopatológica no Brasil

Maciel, Antonio Carlos; Moreira, Roger Klein; Cerski, Carlos Thadeu Schmidt; Resende, Vinícius Labrea; Zanotelli, Maria Lucia; Matiotti, Simone B.
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
67.12%
Racional - O carcinoma hepatocelular é um dos tumores malignos mais comuns em todo o mundo. Exames de imagens, especialmente tomografia computadorizada e ultra-sonografia, estão entre as principais técnicas diagnósticas, embora a acurácia destes métodos possa apresentar significativa variabilidade. Objetivos - Determinar a prevalência de carcinoma hepatocelular em pacientes cirróticos submetidos a transplante hepático na Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, RS; estimar a sensibilidade da tomografia computadorizada e da ultra-sonografia na detecção pré-transplante de carcinoma hepatocelular nesse grupo de pacientes; correlacionar características radiológicas com achados anatomopatológicos. Materiais e métodos - Estudo de prevalência retrospectivo. População: pacientes adultos, cirróticos, submetidos a transplante hepático de janeiro de 1990 a julho de 2003. Entre os 292 pacientes transplantados, foi diagnosticado 31 casos de carcinoma hepatocelular, dos quais 29 foram incluídos no estudo. As características tomográficas e ecográficas dos tumores diagnosticados pré-transplante foram comparadas com as observadas em exame anatomopatológico. Resultados - A prevalência da infecção pelo vírus da hepatite C nos pacientes com diagnóstico de carcinoma hepatocelular foi de 93...

Carcinoma Hepatocelular Metastático: Massa Auricular Direita como Manifestação Clínica Primária. Caso Clínico

Afonso, DV; Laranjeira, A; Galrinho, A; Fragata, J
Fonte: Sociedade Portuguesa de Cirurgia Cardiotorácica e Vascular Publicador: Sociedade Portuguesa de Cirurgia Cardiotorácica e Vascular
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
66.78%
Nos doentes com carcinoma hepatocelular a incidência de metástases cardíacas é de 0.67-3%. Mesmo na ressecção com intuito curativo, o prognóstico é reservado, sendo a sobrevida aos 5 anos de 12-39%. Descrevemos um caso clínico, pouco habitual, de um indivíduo do sexo masculino, de 51 anos de idade, que apresentava uma massa localizada à aurícula direita, diagnosticada por exame histopatológico, como sendo metástase de um carcinoma hepatocelular, tendo sido necessária a ressecção cirúrgica urgente, devido a instabilidade cardiovascular.

Hemoperitoneu Como Forma de Apresentação de Carcinoma Hepatocelular. Contributo da Tomografia Computorizada Para o Diagnóstico

Fonseca, CR; Duarte, FP
Fonte: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //1998 POR
Relevância na Pesquisa
66.78%
Nos países europeus, o hemoperitoneu por ruptura de carcinoma hepatocelular (HCC) é muito raro. Apresentam-se dois casos clínicos de hemoperitoneu secundário a ruptura espontânea de carcinoma hepatocelular, em que a Tomografia Computorizada (TC) abdominal foi de primordial importância para o diagnóstico. A propósito faz-se revisão da literatura sobre os aspectos mais relevantes desta patologia.

Hemoperitoneu Espontâneo. Rotura de Carcinoma Hepatocelular

Nabais, C; Salústio, R; Paredes, B; Valente de Sousa; Porto, E; Cardoso, C; Fradique, AC
Fonte: Serviço de Cirurgia 1 do Hospital de S. José, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE Publicador: Serviço de Cirurgia 1 do Hospital de S. José, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE
Tipo: Outros
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.86%
Introdução: A rotura de carcinoma hepatocelular é um evento que ocorre em 3 a 26% dos casos de carcinoma hepatocelular e está associado a uma elevada taxa de mortalidade. A apresentação habitual é a de um quadro de hemoperitoneu. A abordagem destes doentes ainda não é consensual e encontra-se dependente da reserva hepática funcional e estadiamento tumoral, mas também dos meios tecnológicos disponíveis na instituição hospitalar e experiência da equipa cirúrgica. Caso clínico: Doente de 57 anos admitida no serviço de urgência por um quadro clínico de abdómen agudo associado a sinais de hipovolémia. Durante a observação registou-se um agravamento clínico e instabilidade hemodinâmica. Dos exames complementares destacava-se a existência de acidose metabólica, anemia aguda, e após medidas iniciais de ressuscitação com estabilização hemodinâmica, tomografia computorizada que revelou sinais de hemoperitoneu associados à existência de um tumor hepático em rotura no segmento V/VI. A doente foi abordada cirurgicamente, encontrando-se tumor hepático solitário em hemorragia activa. Realizado controlo hemostático e ressecção hepática. Pós-operatório sem intercorrências. Na histologia da peça operatória foi identificado carcinoma hepatocelular. Conclusão: O presente caso clínico pretende chamar a atenção para uma causa não frequente de hemoperitoneu espontâneo...

Carcinoma Hepatocelular Metastático: Massa Auricular Direita como Manifestação Clínica Primária. Caso Clínico

Afonso, DV; Laranjeira, A; Galrinho, A; Fragata, J
Fonte: Sociedade Portuguesa de Cirurgia Cardiotorácica e Vascular Publicador: Sociedade Portuguesa de Cirurgia Cardiotorácica e Vascular
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
66.78%
Nos doentes com carcinoma hepatocelular a incidência de metástases cardíacas é de 0.67-3%. Mesmo na ressecção com intuito curativo, o prognóstico é reservado, sendo a sobrevida aos 5 anos de 12-39%. Descrevemos um caso clínico, pouco habitual, de um indivíduo do sexo masculino, de 51 anos de idade, que apresentava uma massa localizada à aurícula direita, diagnosticada por exame histopatológico, como sendo metástase de um carcinoma hepatocelular, tendo sido necessária a ressecção cirúrgica urgente, devido a instabilidade cardiovascular.

Hemoperitoneu Como Forma de Apresentação de Carcinoma Hepatocelular. Contributo da Tomografia Computorizada Para o Diagnóstico

Fonseca, CR; Duarte, FP
Fonte: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //1998 POR
Relevância na Pesquisa
66.78%
Nos países europeus, o hemoperitoneu por ruptura de carcinoma hepatocelular (HCC) é muito raro. Apresentam-se dois casos clínicos de hemoperitoneu secundário a ruptura espontânea de carcinoma hepatocelular, em que a Tomografia Computorizada (TC) abdominal foi de primordial importância para o diagnóstico. A propósito faz-se revisão da literatura sobre os aspectos mais relevantes desta patologia.

Hemoperitoneu Espontâneo. Rotura de Carcinoma Hepatocelular

Nabais, C; Salústio, R; Paredes, B; Valente de Sousa; Porto, E; Cardoso, C; Fradique, AC
Fonte: Serviço de Cirurgia 1 do Hospital de S. José, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE Publicador: Serviço de Cirurgia 1 do Hospital de S. José, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE
Tipo: Outros
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.86%
Introdução: A rotura de carcinoma hepatocelular é um evento que ocorre em 3 a 26% dos casos de carcinoma hepatocelular e está associado a uma elevada taxa de mortalidade. A apresentação habitual é a de um quadro de hemoperitoneu. A abordagem destes doentes ainda não é consensual e encontra-se dependente da reserva hepática funcional e estadiamento tumoral, mas também dos meios tecnológicos disponíveis na instituição hospitalar e experiência da equipa cirúrgica. Caso clínico: Doente de 57 anos admitida no serviço de urgência por um quadro clínico de abdómen agudo associado a sinais de hipovolémia. Durante a observação registou-se um agravamento clínico e instabilidade hemodinâmica. Dos exames complementares destacava-se a existência de acidose metabólica, anemia aguda, e após medidas iniciais de ressuscitação com estabilização hemodinâmica, tomografia computorizada que revelou sinais de hemoperitoneu associados à existência de um tumor hepático em rotura no segmento V/VI. A doente foi abordada cirurgicamente, encontrando-se tumor hepático solitário em hemorragia activa. Realizado controlo hemostático e ressecção hepática. Pós-operatório sem intercorrências. Na histologia da peça operatória foi identificado carcinoma hepatocelular. Conclusão: O presente caso clínico pretende chamar a atenção para uma causa não frequente de hemoperitoneu espontâneo...

Relação entre a alpha-fetoproteína, doença hepática crónica e carcinoma hepatocelular, e estudo imagiológico tumoral

Romão, Ana Margarida Mendes
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2009 POR
Relevância na Pesquisa
67.04%
As doenças do aparelho gastrointestinal estão entre as mais frequentes, a nível mundial. Segundo o Centro de Prevenção e Controlo de Doenças dos Estados Unidos da América, a incidência de tumores gastrointestinais é muito elevada (105,3 casos por 100.000 habitantes), sendo este aparelho apenas superado pelos tumores no sistema genital masculino (151,6 casos por 100.000 habitantes), para o ano de 2004. (1) O carcinoma hepatocelular é o tumor maligno primário do fígado mais comum e um dos tumores mais comuns no mundo; é o quinto tumor mais frequente nos homens e o oitavo mais frequente nas mulheres, residindo em quarto em relação às taxas de mortalidade anuais por cancro. Tem uma clara distribuição geográfica, relacionada com a incidência da infecção pelo vírus da hepatite B. Este tumor atinge mais frequentemente os homens, sendo esta predisposição mais óbvia em populações de alto risco (razão homem-mulher, 3.7:1.0) do que em populações de risco baixo ou intermédio (razão homem-mulher, 2.4:1.0). (2) A cirrose é o resultado final irreversível de contínuas agressões hepáticas, de natureza e causa diversas, que tiveram, na maioria das vezes curso crónico; é marcada por alterações degenerativas hepatocelulares e inflamatórias...

Carcinoma hepatocelular. Parte 1: considerações gerais e diagnóstico

CONTE,Vinício Paride
Fonte: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED Publicador: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2000 PT
Relevância na Pesquisa
66.78%
São revistos aspectos relativos à incidência/prevalência, fatores de risco, proliferação celular (carcinogênese), anatomia patológica, progressão e evolução das hepatites virais B e C para o carcinoma hepatocelular inicial, alguns dados clínicos da doença, seu diagnóstico clínico, laboratorial e radiológico, com especial atenção à ultra-sonografia, Doppler, tomografia computadorizada e ressonância magnética.

Detecção imunoistoquímica das oncoproteínas p21ras, c-myc E p53 no carcinoma hepatocelular e no tecido hepático não-neoplásico

Pannain,Vera Lucia Nunes; Bottino,Adriana Caroli; Santos,Raimunda Telma M.; Coelho,Henrique Sérgio M.; Ribeiro-Filho,Joaquim; Alves,Venâncio A. F.
Fonte: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED Publicador: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
66.97%
RACIONAL: A hepatocarcinogênese é um processo no qual as alterações genéticas e epigenéticas são bem conhecidas em modelos animais, mas carece de estudos no homem. OBJETIVOS: Analisar a freqüência das oncoproteínas p21ras, c-myc e p53 no carcinoma hepatocelular e no fígado não-neoplásico. Verificar ainda a associação destas oncoproteínas com os padrões e graus histológicos, assim como com as infecções pelos vírus das hepatites B e C. MÉTODOS: Foi analisada por método imunoistoquímico a detecção das oncoproteínas p21ras, c-myc e p53 em 47 casos de carcinoma hepatocelular e no tecido não-neoplásico circunjacente ao tumor (40 casos). RESULTADOS: As oncoproteínas p21ras, c-myc e p53 foram detectadas, respectivamente, em 44,7%, 53,2% e 36,2% dos casos de carcinoma hepatocelular. A imunorreatividade do p21ras e c-myc mostrou uma associação significativa. Contudo, não houve associação significativa entre a detecção do p21ras, c-myc e p53 com os diferentes graus e padrões histológicos, nem tampouco com as infecções pelos vírus das hepatites B e C. A mesma associação significativa entre o p21ras e c-myc foi encontrada no tecido não-neoplásico dos casos de cirrose em relação aos que não apresentaram cirrose...

Carcinoma hepatocelular: impacto do tempo em lista e das formas de tratamento pré-operatório na sobrevida do transplante de fígado cadavérico na era pré-MELD em um centro no Brasil

Freitas,Alexandre Coutinho Teixeira de; Parolin,Mônica Beatriz; Stadnik,Lucinei; Coelho,Júlio Cezar Uili
Fonte: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED Publicador: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2007 PT
Relevância na Pesquisa
67.04%
RACIONAL: Atualmente, o transplante hepático é a principal opção terapêutica para doentes com cirrose hepática associada a carcinoma hepatocelular. OBJETIVOS: Analisar a sobrevida em 3 meses e 1 ano de pacientes com e sem carcinoma hepatocelular submetidos a transplante hepático cadavérico. MÉTODOS: Foram revisados os prontuários dos pacientes submetidos a transplante hepático cadavérico no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná no período entre 5 de janeiro de 2001 e 17 de fevereiro de 2006. Os pacientes foram divididos em 2 grupos - acometidos e não-acometidos de carcinoma hepatocelular - e analisados em relação à sobrevida em 3 meses e em 1 ano. Também foram comparados em relação ao sexo e à idade do doador e do receptor, a causa da cirrose, a classificação de Child-Pugh e o escore do MELD no momento do transplante, o tempo de isquemia morna e isquemia fria, o número de unidades de concentrado de hemácias transfundidas durante o transplante, o tempo de permanência na UTI e o tempo de internação. RESULTADOS: Foram analisados 146 casos de transplante hepático: 75 foram excluídos devido a dados incompletos no prontuário e 71 foram incluídos no estudo. A sobrevida geral em 3 meses e 1 ano foi de 77...

Avaliação da ressecção hepática em pacientes cirróticos com carcinoma hepatocelular

Silva,Maurício; Mattos,Angelo Alves de; Fontes,Paulo Roberto Ott; Waechter,Fábio Luiz; Pereira-Lima,Luiz
Fonte: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED Publicador: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.94%
RACIONAL: O carcinoma hepatocelular é uma complicação que acomete pacientes que apresentam cirrose hepática. A ressecção hepática, o transplante ortotópico de fígado e a ablação percutânea constituem opções terapêuticas com o intuito curativo. OBJETIVO: Avaliar os resultados da ressecção hepática para o tratamento do carcinoma hepatocelular, em fígados cirróticos, em um hospital geral. MÉTODOS: Foram avaliadas as características clínicas, laboratoriais, endoscópicas e histopatológicas de 22 pacientes submetidos a ressecção hepática entre os anos de 1996 e 2005, com o intuito de se avaliar a sobrevida, a identificação de fatores prognósticos e a incidência de recidiva tumoral. Para tanto, especial atenção foi dada aos níveis séricos de bilirrubinas e alfa-fetoproteína, grau de disfunção hepatocelular (avaliado pelas classificações Child-Pugh-Turcotte e " Model for End-Stage Liver Disease" - MELD), tamanho e número de tumores, invasão microvascular e presença de lesões satélites. O nível de significância utilizado foi de 95% na análise estatística. RESULTADOS: A média de idade dos pacientes estudados foi de 62,09 anos, sendo 17 do sexo masculino. Em 10 casos a cirrose hepática esteve associada à infecção crônica pelo vírus da hepatite C...

Tratamento local do carcinoma hepatocelular como ponte para o transplante hepático

Freitas,Alexandre Coutinho Teixeira de; Dias,Josiane Mourão; Parolin,Mônica Beatriz; Matias,Jorge Eduardo Fouto; Celho,Júlio Cezar Uili
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.93%
OBJETIVO: Analisar os resultados da terapia local pré-operatória em pacientes portadores de carcinoma hepatocelular submetidos a transplante hepático. MÉTODOS: . Foram analisados os prontuários dos pacientes adultos submetidos a transplante hepático cadavérico e intervivos no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná no período entre janeiro de 2002 e agosto de 2007. Foram incluídos no estudo os portadores de cirrose hepática e carcinoma hepatocelular diagnosticado pelos critérios da EASL (European Association for the Study of the Liver). Foram analisados o número e o diâmetro dos nódulos neoplásicos antes e após a terapia local e na análise do explante, o número de sessões de terapia local e sua duração. Após o estabelecimento do diagnóstico de carcinoma hepatocelular os pacientes foram submetidos à terapia local com alcoolização. RESULTADOS: Foram analisados 22 pacientes portadores de 31 nódulos neoplásicos com diâmetro médio de 28,8±12 mm. Após as sessões de terapia local foram detectados 29 nódulos neoplásicos com diâmetro médio de 24,6±12 mm, sem diferença em relação ao observado antes do tratamento e todos dentro dos critérios de Milão. Foram realizados 17 transplantes cadavéricos e cinco transplantes intervivos. A análise do explante demonstrou seis casos fora dos critérios de Milão. Dezesseis casos estavam dentro dos critérios de Milão com 14 nódulos neoplásicos com diâmetro médio de 30±14 mm...

Carcinoma hepatocelular: epidemiologia, biologia, diagnóstico e terapias

Gomes,Marcos António; Priolli,Denise Gonçalves; Tralhão,José Guilherme; Botelho,Maria Filomena
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.78%
O carcinoma hepatocelular é o quinto tipo de câncer mais comum em homens e o sétimo em mulheres, diagnosticado todos os anos em mais de meio milhão de pessoas por todo o mundo. Em Portugal, sua incidência e mortalidade são baixas, comparativamente a outros tipos de cânceres. No Brasil, no município de São Paulo, segundo dados divulgados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a incidência do câncer primário de fígado foi de 2,07/ 100.000 habitantes. Apesar de a grande maioria dos casos (85%) afetar principalmente países em desenvolvimento, sobretudo onde a infeção pelo vírus de hepatite B (HVB) é endêmica, a incidência em países desenvolvidos é cada vez maior. Esta patologia está associada a inúmeros fatores de risco não só ambientais, mas também genéticos, os quais, cada vez mais, despertam interesse na procura pelo melhor conhecimento da patologia, muito associada ainda a diagnósticos tardios e maus prognósticos. Dos tratamentos disponíveis, poucos doentes são aqueles que usufruem das suas escassas vantagens, estimulando cada vez mais a pesquisa de novas formas de terapêutica. Esta revisão pretende, de forma breve mas completa, identificar fatores de risco, vias moleculares e bioquímicas, fisiopatologia...

Alta correlação entre ultrassonografia com contraste de microbolhas, ressonância magnética e histopatologia na avaliação do carcinoma hepatocelular

Queiroz,Marcos Roberto Gomes de; Francisco Neto,Miguel José; Garcia,Rodrigo Gobbo; Rahal Junior,Antonio; Salvalaggio,Paolo; Funari,Marcelo Buarque de Gusmão
Fonte: Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein Publicador: Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.86%
OBJETIVO: Avaliar a eficácia da ultrassonografia com contraste de microbolhas no diagnóstico do carcinoma hepatocelular e comparar seus resultados com os de ressonância magnética e anatomia patológica. MÉTODOS: Foram avaliados 29 hepatopatas crônicos candidatos ao transplante pelo programa de transplante hepático do Hospital Israelita Albert Einstein. Esses pacientes foram submetidos a ressonância magnética, ultrassonografia com contraste de microbolhas e biópsia hepática excisional. RESULTADOS: Houve concordância ótima entre os resultados da ultrassonografia com contraste de microbolhas e aqueles da ressonância magnética. Notou-se concordância moderada entre os resultados obtidos pelos dois métodos, quando comparados com os resultados de anatomia patológica. CONCLUSÃO: A ultrassonografia com contraste de microbolhas mostrou-se um método tão acurado quanto a ressonância magnética na avaliação do carcinoma hepatocelular, resultado corroborado quando realizada a comparação conjunta dos dois métodos com a anatomia patológica.

An?lise da express?o de miRNAs em carcinoma hepatocelular

SANTOS, Ian Barroso dos
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
67.08%
O carcinoma hepatocelular corresponde ? neoplasia maligna prim?ria mais comum do f?gado e ao quinto tumor s?lido mais frequente no mundo. Altamente letal, permanece como um grave problema de sa?de p?blica em virtude das dificuldades no diagn?stico precoce e na elabora??o de medidas terap?uticas efetivas. Estudos recentes no ramo da biologia molecular sugerem que o perfil de miRNAs no carcinoma hepatocelular pode influir consideravelmente na identifica??o de fatores de riscos associados a oncogenes ou genes supressores. Objetivou-se avaliar a express?o de miRNA 135b, miRNA 181a-5p e miRNA 181a-3p em amostras de Carcinoma Hepatocelular e de Hepatite C Cr?nica e correlacion?-las de maneira a buscar prov?veis biomarcadores relacionados ao mecanismo de carcinogenese. A investiga??o foi feita em seis pacientes com carcinoma hepatocelular e vinte e quatro casos de Hepatite C Cr?nica, procedentes do Par?, Norte do Brasil. Todas as amostras de Carcinoma Hepatocelular foram submetidas ? microdissec??o, para posterior extra??o do RNA. Para a extra??o do RNA total e do microRNA foi utilizado o kit AllPrep DNA/RNA FFPE Kit (Qiagen), quantificados pelo equipamento Qubit? 2.0 Fluorometer (Invitrogen) para concentra??o padr?o final de 5ng/?L. Em seguida cDNA foi obtido...

Relação entre a alpha-fetoproteína, doença hepática crónica e carcinoma hepatocelular, e estudo imagiológico tumoral

Romão, Ana Margarida Mendes
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2009 POR
Relevância na Pesquisa
67.04%
As doenças do aparelho gastrointestinal estão entre as mais frequentes, a nível mundial. Segundo o Centro de Prevenção e Controlo de Doenças dos Estados Unidos da América, a incidência de tumores gastrointestinais é muito elevada (105,3 casos por 100.000 habitantes), sendo este aparelho apenas superado pelos tumores no sistema genital masculino (151,6 casos por 100.000 habitantes), para o ano de 2004. (1) O carcinoma hepatocelular é o tumor maligno primário do fígado mais comum e um dos tumores mais comuns no mundo; é o quinto tumor mais frequente nos homens e o oitavo mais frequente nas mulheres, residindo em quarto em relação às taxas de mortalidade anuais por cancro. Tem uma clara distribuição geográfica, relacionada com a incidência da infecção pelo vírus da hepatite B. Este tumor atinge mais frequentemente os homens, sendo esta predisposição mais óbvia em populações de alto risco (razão homem-mulher, 3.7:1.0) do que em populações de risco baixo ou intermédio (razão homem-mulher, 2.4:1.0). (2) A cirrose é o resultado final irreversível de contínuas agressões hepáticas, de natureza e causa diversas, que tiveram, na maioria das vezes curso crónico; é marcada por alterações degenerativas hepatocelulares e inflamatórias...