Página 1 dos resultados de 540 itens digitais encontrados em 0.061 segundos

Estudo de fase II de substituição do 5-FU por capecitabina no esquema de quimio-radioterapia em pacientes com carcinoma de células escamosas do canal anal; Phase II study of capecitabine in substitution of 5-FU in the chemoradiotherapy regimen for patients with squamous cell carcinoma of the anal canal

Oliveira, Suilane Coelho Ribeiro
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/01/2015 PT
Relevância na Pesquisa
136.3%
Introdução: O carcinoma de células escamosas (CEC) do canal anal é uma neoplasia pouco frequente, correspondendo a 1-5% dos tumores intestinais. Entretanto, o risco de CEC do canal anal vem crescendo. O tratamento padrão do CEC de canal anal nos estádios II-III consiste em 5-fluorouracil infusional associado a mitomicina-C e radioterapia, desde 1974. Estudos clínicos com o objetivo de identificar novos esquemas terapêuticos mais convenientes para câncer do canal anal devem continuar. Métodos: Pacientes com CEC de canal anal T2-4N0M0 ou T (qualquer) N1-3M0, com bom performance clínico, função renal e hematológica normais foram tratados com capecitabina 825 mg/m2 12/12 horas durante a radioterapia associada a dose única de mitomicina-C 15 mg/m2 no Dia 1. O objetivo primário do estudo foi determinar a taxa de controle local em 6 meses da associação de capecitabina, mitomicina-C e radioterapia em pacientes com câncer do canal anal. Os objetivos secundários foram determinar a taxa de toxicidade aguda graus 3-4, conforme os critérios da CTCaev4.0, taxa de resposta completa 6 semanas após término da quimio-radioterapia, sobrevida global e livre de progressão e taxa de colostomia em 1 ano. O tamanho da amostra foi calculado usando a ferramenta "estágio único de Fleming". Considerando 85% de eventos esperados (taxa de controle local em 6 meses)...

Terapêutica no carcinoma de células escamosas cutâneo em gatos

Ferreira, Isabelle; Rahal, Sheila Canevese; Ferreira, Juliana; Corrêa, Thaís Pagni
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Publicador: Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 1027-1033
POR
Relevância na Pesquisa
136.29%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); O carcinoma de células escamosas é uma neoplasia cutânea de grande relevância em países de clima tropical como o Brasil, uma vez que a exposição crônica à radiação ultravioleta é um dos fatores importantes para o desenvolvimento da doença. Esta revisão tem por objetivo discorrer sobre alternativas de tratamento do carcinoma de células escamosas em gatos, com ênfase à terapia fotodinâmica. A escolha da modalidade terapêutica deve ser estabelecida de acordo com o estadiamento do tumor, o estado geral do paciente, a colaboração do proprietário e a disponibilidade de equipamentos e fármacos. A precocidade no diagnóstico tem efeito fundamental no prognóstico.; Squamous cell carcinoma is a cutaneous tumor with significant relevance in tropical climate countries such as Brazil, since chronic exposure to ultraviolet radiation is one of the important factors to disease development. The aim of this paper is to describe the treatment alternatives to squamous cell carcinoma in cats, with special emphasis to photodynamic therapy. The choice of treatment modalities should be determinated according to tumor staging, general state of the patient, owner s cooperation...

Correlação entre os níveis salivares e sanguíneos de níquel em indivíduos saudáveis e portadores de carcinoma de células escamosas bucais

Feller, Georgia
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 82 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
146.2%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências da Saúde. Odontologia.; O níquel é um elemento metálico que está naturalmente presente na Terra. É também utilizado nas indústrias, produções e se faz presente na composição dos cigarros. Assim como outros metais, ele é cancerígeno para os seres humanos. O objetivo deste estudo foi determinar a correlação da concentração de níquel na saliva e no sangue dos indivíduos incluídos na amostra da pesquisa. Para tal, foram selecionados 23 pacientes, dentre eles não fumantes, fumantes e portadores de carcinoma de células escamosas bucais (CEC) que estavam sendo atendidos no Ambulatório de Estomatologia do Hospital Universitário da UFSC (HU-UFSC). Os procedimentos de coletas foram realizados no Laboratório de Análises Clínicas do HU-UFSC, sendo a coleta da saliva realizada pelos pesquisadores e a coleta do sangue por um profissional habilitado do próprio laboratório. As amostras foram devidamente armazenadas e transportadas até ao Laboratório de Pesquisas Toxicológicas da UFSC, onde foram posteriormente analisadas segundo o método proposto por Olmedo et al. (2010). Os resultados demonstraram que houve diferença estatisticamente significante (p≤0...

Membrana amniótica na reconstrução da superfície ocular após exérese de carcinoma de células escamosas da conjuntiva

Carvalho-Rêgo,Paulo Roberto de; Gomes,José Álvaro Pereira; Ballalai,Priscila Luppi; Cunha,Marcelo Carvalho; Sousa,Luciene Barbosa de; Erwenne,Clélia Maria
Fonte: Conselho Brasileiro de Oftalmologia Publicador: Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
146.36%
OBJETIVO: Investigar a utilização da membrana amniótica humana na reconstrução da superfície ocular após exérese de carcinoma de células escamosas da conjuntiva. MÉTODOS: A membrana amniótica foi captada a partir de parto cesárea, conservada em meio de preservação de córnea e glicerol 1:1 e armazenada a -80º C. Os critérios de inclusão foram: pacientes portadores de lesão proliferativa conjuntival com características de carcinoma de células escamosas (lesão esbranquiçada plana ou elevada com aspecto em "carne de peixe"), envolvendo conjuntiva, limbo e córnea. Oito olhos de 8 pacientes portadores de "carcinoma de células escamosas" da conjuntiva foram submetidos a cirurgia de exérese do tumor conjuntival, associado a transplante de membrana amniótica. Destes, 3 foram submetidos a epiteliectomia total da córnea e a transplante de limbo do olho contralateral. RESULTADOS: O tempo médio de seguimento foi de 17,8 meses (variação entre 10 e 35 meses). Cinco pacientes (71,4%) obtiveram sucesso com o tratamento cirúrgico, com adequada reconstrução da área conjuntival retirada. Dois pacientes (28,6%) obtiveram sucesso parcial, com presença de alterações cicatriciais leves (simbléfaro pequeno ou pequena fibrose). Um paciente foi excluído porque apresentou recidiva agressiva do tumor...

Carcinoma de células escamosas da hipofaringe em mulher jovem com anemia de Fanconi

Horta,Henrique de Lins e; Guimarães,Fernando Fernandes; Rocha,Luiz Otávio Savassi; Guimarães,Roberto Eustáquio Santos; Valadares,Eugênia Ribeiro
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
146.18%
A anemia de Fanconi é um raro distúrbio autossômico recessivo caracterizado por malformações congênitas, aplasia da medula óssea e instabilidade genômica, com predisposição ao desenvolvimento de neoplasias malignas, em especial as leucemias e os tumores do trato aerodigestivo alto. Em razão de características inerentes à síndrome em questão, o tratamento de tais neoplasias é particularmente difícil. Relata-se o caso de anemia de Fanconi uma jovem de 24 anos, que desenvolveu carcinoma de células escamosas da hipofaringe, na ausência de fatores de risco como o tabagismo e o alcoolismo, e faz-se uma revisão sumária da literatura a respeito do tema.

Expressão da proteína nm23 em carcinoma de células escamosas de língua metastático e não-metastático

Silveira,Éricka Janine Dantas da; Oliveira,Márcio Campos; Morais,Maria de Lourdes Silva Arruda de; Queiroz,Lélia Maria Guedes; Costa,Antonio de Lisboa Lopes
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
146.18%
O carcinoma de células escamosas oral (CCEO) exibe prognóstico desfavorável em decorrência da capacidade de invasão aos tecidos vizinhos e elevada incidência de metástases. OBJETIVO: O presente trabalho objetiva analisar a expressão imunohistoquímica da proteína nm23 em CCEs de língua metastáticos e não-metastáticos. METODOLOGIA: A técnica da imunohistoquímica para a proteína nm23-h1 foi realizada em 35 casos de CCE de língua com metástase em 15 casos. Atribuiu-se escore 0, para ausência de marcação; 1, marcação focal e 2 para marcação difusa. RESULTADOS: Observou-se marcação focal para a proteína nm23 em 9 casos, difusa em 15, e ausência de marcação em 11 espécimes. O teste exato de Fischer foi aplicado, não havendo diferença estatisticamente significativa para positividade desta proteína nos casos metastáticos e não-metastáticos (p=0.365), apesar de que em 66.7% dos casos com metástase não houve marcação. CONCLUSÕES: A presença da proteína nm23 não esteve relacionada de forma positiva aos casos de CCE de língua sem metástase. Dessa forma, vários outros fatores inerentes à célula neoplásica e ao hospedeiro podem estar relacionados aos mecanismos supressores do processo metastático nesta entidade.

Contribuição da tomografia computadorizada no estadiamento do carcinoma de células escamosas da supraglote

Aragão Jr.,Antonio Gilson Monte; Souza,Ricardo Pires de; Rapoport,Abrão
Fonte: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem Publicador: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
146.17%
OBJETIVO: Este trabalho tem como objetivos avaliar a influência da tomografia computadorizada no estadiamento local da classificação TNM dos tumores da supraglote e avaliar a concordância interobservadores na detecção da extensão tumoral. MATERIAIS E MÉTODOS: Foram avaliados, retrospectivamente, 39 pacientes com carcinoma de células escamosas da supraglote atendidos no Hospital Heliópolis entre 1988 e 1998. Os exames de tomografia computadorizada foram analisados por dois radiologistas individualmente. Para a avaliação da concordância interobservadores utilizou-se o índice kappa. RESULTADOS: A tomografia computadorizada foi determinante no estadiamento mais avançado em 38,5% dos casos, decorrente de extensão tumoral profunda não-identificada no exame clínico. CONCLUSÃO: A concordância interobservadores foi considerada ótima para as pregas vocais e subglote; boa para a supraglote, espaços paraglótico e pré-epiglótico, cartilagens cricóide e tireóide e para extensão tumoral extralaríngea; e regular para a base da língua.

Expressão da E-caderina em carcinoma de células escamosas e no tumor de células basais de cães

João,Carolina Franchi; Tinucci-Costa,Mirela; Cardilli,Diogo José; Faria,Joice Lara Maia; Magalhães,Geórgia Modé; Alessi,Antonio Carlos
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
136.35%
As caderinas compreendem uma classe de moléculas de adesão celular expressa na superfície de todas as camadas epidérmicas. A E-caderina é a principal caderina envolvida na adesão celular epitelial. A redução de sua expressão está envolvida na progressão de alguns tipos de câncer, no potencial metastático e ainda na definição do prognóstico, principalmente nos carcinomas. O carcinoma de células escamosas e o tumor de células basais são neoplasias cutâneas malignas que afetam os cães. O objetivo deste estudo foi avaliar a expressão da E-caderina no carcinoma de células escamosas (n=20) e no tumor de células basais (n=15), buscando-se relacionar sua expressão ao comportamento biológico desses tumores. Os carcinomas de células escamosas apresentaram significativa redução da expressão da molécula comparado aos tumores de células basais, quando avaliado pelo teste de Fisher (P=0,0039). Também foi observado que células neoplásicas mais diferenciadas apresentaram coloração mais intensa que as menos diferenciadas. Em conclusão, sugere-se que a expressão reduzida da E-caderina em tumores cutâneos pode indicar maior poder infiltrativo e consequentemente mau prognóstico na espécie canina.

Incidência do carcinoma de células escamosas da pele na cidade de Tubarão (SC) - Brasil nos anos de 2000, 2003 e 2006

Nunes,Daniel Holthausen; Back,Liliane; Silva,Ramon Vieira e; Medeiros,Vitor de Sousa
Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Dermatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
146.42%
FUNDAMENTOS: Observa-se tendência mundial de aumento na incidência do carcinoma de células escamosas da pele, porém na região sul do estado de Santa Catarina (SC) não há dados sobre a incidência desse tipo de câncer. OBJETIVOS: Estabelecer dados epidemiológicos do carcinoma de células escamosas da pele em Tubarão (Santa Catarina). MÉTODOS: Laudos anatomopatológicos positivos para o carcinoma de células escamosas da pele dos laboratórios de Tubarão foram revisados quanto às variáveis: ano, idade, gênero, localização, subtipo histológico, maior diâmetro da lesão e comprometimento das margens. A incidência anual foi calculada utilizando o número de neoplasias encontradas e a população anual estimada para os anos de 2000, 2003 e 2006. RESULTADOS: Foi encontrada uma incidência de carcinoma de células escamosas da pele por 100.000 habitantes de 50,86 para o ano de 2000, de 71,16 para 2003 e de 94,39 para 2006. Não houve predomínio de gênero, a face foi o local de acometimento mais frequente em ambos os gêneros e o subtipo histológico mais comum foi o bem diferenciado. CONCLUSÃO: A incidência do carcinoma de células escamosas da pele encontrada superou a estimativa da literatura consultada. Houve aumento na sua incidência; as variáveis idade...

Análise de sobrevida global em pacientes diagnosticados com carcinoma de células escamosas de boca no INCA no ano de 1999

Honorato,Julia; Camisasca,Danielle Resende; Silva,Licínio Esmeraldo da; Dias,Fernando Luiz; Faria,Paulo Antônio Silvestre de; Lourenço,Simone de Queiroz Chaves
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
146.26%
O carcinoma de células escamosas de boca compreende cerca de 90 a 95% de todas as neoplasias malignas da boca e é um dos tipos de câncer mais frequentes no Brasil. O índice de sobrevida em 5 anos é baixo e permaneceu estável nas últimas décadas, apesar dos avanços nas terapias. O objetivo deste estudo foi analisar o perfil e a sobrevida global dos pacientes diagnosticados com carcinoma de células escamosas de boca no ano de 1999 no Instituto Nacional de Câncer. Dos 320 pacientes incluídos no estudo, 79,4% eram homens. A idade média foi de 56,7 anos, e 82,2% deles fumavam e/ou bebiam. A língua, seguida do assoalho de boca foram os locais mais acometidos. A maioria (68,9%) dos pacientes foi diagnosticada em estádios tardios e submetida à radioterapia exclusiva (53,6%). A sobrevida média no período do estudo foi de 29,4 meses. Os pacientes dos estádios iniciais apresentaram maior sobrevida, assim como aqueles submetidos apenas à cirurgia como forma de tratamento e os que não apresentaram linfonodos acometidos ao diagnóstico. Tumores localizados em palato duro e mucosa jugal apresentaram pior prognóstico. Foram fatores preditivos independentes de melhor sobrevida os tumores T1 ou T2 (p=0,001), sem acometimento de linfonodos (p=0...

Contribuição da citopatologia para o diagnóstico de carcinoma de células escamosas oral

Fontes,Karla Bianca F. C.; Milagres,Adrianna; Piragibe,Maria Midori Miura; Silva,Licínio Esmeraldo da; Dias,Eliane Pedra
Fonte: Sociedade Brasileira de Patologia Clínica; Sociedade Brasileira de Patologia; Sociedade Brasileira de Citopatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Patologia Clínica; Sociedade Brasileira de Patologia; Sociedade Brasileira de Citopatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
136.36%
A incidência de câncer tem aumentado significativamente em todo o mundo, configurando-se como um dos mais importantes problemas de saúde pública. Como conseqüência o câncer de boca também tem aumentado, com 94% dos casos correspondendo ao carcinoma de células escamosas. O objetivo deste estudo foi atualizar o tema e documentar a experiência de cinco anos na utilização da citopatologia para avaliação de lesões orais suspeitas de malignidade. Realizou-se uma busca no arquivo do Serviço de Anatomia Patológica do Hospital Universitário Antônio Pedro da Universidade Federal Fluminense (HUAP/UFF), referente ao período de 2002 a 2007, de pacientes com lesões orais clinicamente suspeitas de carcinomas submetidos simultaneamente à biopsia incisional e a raspados da lesão para análise citopatológica. A amostra selecionada correspondeu a 50 casos, mas em 41 (82%) pacientes, o diagnóstico histopatológico foi de carcinoma de células escamosas. Desses, a citopatologia foi conclusiva em 30 (73%) e descreveu alterações suspeitas em 11 (27%) pacientes. Os resultados revelaram que a citopatologia apresentou concordância diagnóstica de 74% com a histopatologia (padrão-ouro) nos diagnósticos positivos para carcinoma de células escamosas...

Expressão imuno-histoquímica das metaloproteinases 2 e 9 não está associada à progressão do carcinoma de células escamosas de esôfago

Felin,Izabella Paz Danezi; Grivicich,Ivana; Felin,Carlos Roberto; Fedrigo,Carlos Alexandre; Rocha,Adriana Brondani da
Fonte: Sociedade Brasileira de Patologia Clínica; Sociedade Brasileira de Patologia; Sociedade Brasileira de Citopatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Patologia Clínica; Sociedade Brasileira de Patologia; Sociedade Brasileira de Citopatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
136.33%
INTRODUÇÃO: O carcinoma de células escamosas do esôfago está entre os tipos mais agressivos de câncer e de pior prognóstico. As metaloproteinases de matriz (MMPs), especialmente as MMP-2 e MMP-9, vêm sendo utilizadas para avaliação prognóstica do câncer, associadas a invasão, tamanho e crescimento tumoral. OBJETIVO: O presente estudo visa investigar as expressões imuno-histoquímicas de MMP-2 e MMP-9, avaliando se existe correlação entre sua expressão e o estadiamento tumoral, invasão vascular, invasão local (pT) e diferenciação tumoral no carcinoma de células escamosas de esôfago. MATERIAL E MÉTODO: Foi realizado um estudo retrospectivo utilizando 31 blocos de parafina contendo tumores de carcinoma escamoso esofágico, obtidas por esofagectomias realizadas entre 1998 e 2003, no Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM). Os cortes histológicos foram submetidos à reação imuno-histoquímica, com sistema de amplificação por polímero não-biotinilado Novolink para detecção de MMP-2 e MMP-9. RESULTADOS: A avaliação da MMP-2 apresentou positividade fraca em apenas cinco casos, não demonstrando correlação com as variáveis estudadas. Também não foram observadas associações significativas entre as variáveis do estudo e o grau de expressão imuno-histoquímica da MMP-9. CONCLUSÃO: A expressão imuno-histoquímica das MMP-2 e MMP-9 não parece ser influenciada pelos parâmetros investigados. Nesse sentido...

Estudo de p27, p21, p16 em epitélio escamoso normal, papiloma escamoso e carcinoma de células escamosas da cavidade oral

Queiroz,Ana Beatriz Piazza; Focchi,Gustavo Rubino de Azevedo; Gomes,Thiago Simão; Dobo,Cristine; Oshima,Celina Tizuko Fujiyama
Fonte: Sociedade Brasileira de Patologia Clínica; Sociedade Brasileira de Patologia; Sociedade Brasileira de Citopatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Patologia Clínica; Sociedade Brasileira de Patologia; Sociedade Brasileira de Citopatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
146.46%
INTRODUÇÃO E OBJETIVO: O tipo de câncer oral mais frequente é o carcinoma de células escamosas, que corresponde a 95% dos casos(9). O papiloma escamoso oral é uma neoplasia benigna normalmente associada à infecção pelo papilomavírus humano (HPV)(21). A análise da literatura mostra alterações nos genes reguladores do ciclo celular p27, p21WAF/Cip1 e p16INK4a, porém sem uma definição de seus papéis na carcinogênese oral. O objetivo foi caracterizar imuno-histoquimicamente p27, p21WAF/Cip1 e p16NK4a em epitélio escamoso normal, papilomas escamosos e carcinomas de células escamosas da cavidade oral. MÉTODOS: Imuno-histoquímica para p27, p21WAF/Cip1 e p16NK4a em 32 casos de epitélio escamoso normal, 30 casos de papiloma escamoso e 34 de carcinoma de células escamosas da cavidade oral. RESULTADOS: p27: 97,06% dos casos de carcinoma de células escamosas apresentaram imunopositividade focal. O grupo papiloma escamoso apresentou 33,33% e o grupo controle, 18,75%. p21WAF/Cip1: 100% de imunopositividade focal tanto no grupo controle como no grupo carcinoma de células escamosas, e 90% no grupo papiloma escamoso. p16INK4a: 100% de imunopositividade focal para os grupos controle e papiloma escamoso, e 94% para o grupo carcinoma de células escamosas. CONCLUSÃO: Imuno-histoquimicamente demonstrou-se diferença significativa para p27 quando feita comparação dos grupos controle e papiloma escamoso com o grupo carcinoma de células escamosas. O p21WAF/Cip1 não demonstrou poder de diferenciar os grupos analisados. O p16INK4a apresentou imunopositividade difusa em uma minoria dos casos do grupo carcinoma de células escamosas. O grupo papiloma escamoso se comportou de maneira similar ao grupo controle em relação aos três marcadores.

Angioarquitetura de carcinoma de células escamosas, quimicamente induzido em bolsa jugal de hamster: análise em microscopia de luz e microscopia eletrônica de varredura de réplicas vasculares

Oliveira, Laura Beatriz Oliveira de
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
146.28%
O câncer da cavidade bucal e o câncer orofaríngeo representam o 6º tipo mais comum de câncer no mundo, sendo que 90% desses tumores bucais são do tipo carcinoma de células escamosas. Para que ocorra o estabelecimento, a expansão e a metastatização de neoplasias é fundamental que tumores estimulem a produção de sua própria rede vascular, processo conhecido como angiogênese tumoral. Assim, o resultado é uma nova rede de vasos adequada ao crescimento e a viabilização de metástases. Os vasos do tumor são considerados como imaturos e diferem dos vasos normais, apresentando formas tortuosas, irregulares, revestidos por células endoteliais amplamente fenestradas e muitas vezes com ausência de membrana basal. Os objetivos deste trabalho foram: definir um protocolo para estudo da angioarquitetura em réplicas vasculares de tumores quimicamente induzidos na bolsa jugal de hamster sírio dourado Mesocricetus auratus, descrever a histologia do órgão normal por microscopia de luz (ML) e a angioarquitetura por microscopia eletrônica de varredura (MEV), analisar qualitativamente a rede vascular neoformada em bolsas jugais de hamster sírios após indução química de tumor em três tempos diferentes. 24 hamsters sírios machos e com cinco semanas de vida...

Carcinoma de células escamosas em bovinos, ovinos e eqüinos: estudo de 50 casos no sul do Rio Grande do Sul; Squamous cell carcinoma in cattle, sheep and horse: study of 50 cases in south of Rio Grande do Sul

Ramos, Adriano Tony; Norte, Diego Mollerke; Elias, Fabiana; Fernandes, Cristina Gevehr
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2007 POR
Relevância na Pesquisa
136.35%
O carcinoma de células escamosas (CCE) é um tumor maligno dos queratinócitos. O desenvolvimento desse tipo de tumor está associado a muitos fatores, incluindo a exposição prolongada à luz ultravioleta, falta de pigmento na epiderme, perda de pêlos ou cobertura de pêlos muito esparsa nos locais afetados. Realizou-se um estudo retrospectivo dos casos de carcinoma de células escamosas em animais de produção (bovinos, ovinos e eqüinos) de 1978 a 2002. O material foi obtido nos arquivos do Laboratório Regional de Diagnóstico da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas. Os 50 tumores do tipo carcinoma de células escamosas estavam distribuídos nas diferentes espécies (bovina: 30; ovina: sete e eqüina: 13). Dados como raça, sexo, idade e localização corpórea, dentro de cada espécie, foram tabulados. Classificaram-se os tumores segundo seu grau de malignidade em bem diferenciados a pobremente diferenciados, através de avaliação histológica. A etiologia multifatorial dos cce em animais de produção requer mais estudos retrospectivos e prospectivos, para determinar o papel de cada fator na patogênese desse neoplasma.; Squamous cell carcinoma is a malignant tumour of keratinocytes. There are several factors associated with the development of squamous cell carcinoma...

Carcinoma de células escamosas en pelvis renal bífida, tras nefrolitotomía percutánea

Martín Martín,Sergio; Müller Arteaga,Carlos A.; García Lagarto,Elena; Torrecilla García-Ripoll,Juan Ramón; Cortiñas González,José Ramón; Fernández del Busto,Ernesto
Fonte: Archivos Españoles de Urología (Ed. impresa) Publicador: Archivos Españoles de Urología (Ed. impresa)
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/06/2008 SPA
Relevância na Pesquisa
136.28%
Objetivo: Describir un caso clínico de un paciente que presenta un carcinoma de células escamosas en una pelvis renal bífida, tras la realización de una nefrolitotomía percutánea. Métodos/Resultados: Paciente varón de 68 años de edad, diagnósticado de carcinoma escamoso de pelvis renal, tras el estudio histológico de una nefrectomía polar inferior posterior a una nefrolitotomía percutánea por una litiasis coraliforme en hemirriñón izquierdo. El paciente sufrió una recidiva vesical un año y medio más tarde, se practicó una cistoprostratectomía radical, pero el fallecimiento se dio a los pocos meses ante la presencia de metástasis. Conclusiones: El carcinoma de células escamosas de pelvis renal, es un tumor raro y de mal pronóstico, generalmente asociado con enfermedad litiásica e infección crónica. La realización de biopsias de zonas sospechosas durante la nefrolitotomía percutánea puede ayudar al diagnóstico precoz del tumor, con la consiguiente mejoría de la supervivencia.

Uso del piroxicam como tratamiento adjunto en carcinoma de células escamosas en el tercer párpado de un caballo

Iwabe,Simone; Ramírez-López,León; Juárez-Sánchez,Mónica
Fonte: Facultad de Medicina Veterinaria y Zootecnia, UNAM Publicador: Facultad de Medicina Veterinaria y Zootecnia, UNAM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 ES
Relevância na Pesquisa
136.33%
El objetivo del presente trabajo fue evaluar el uso del piroxicam como tratamiento adjunto en un caso de carcinoma de células escamosas en un caballo. En septiembre de 2007, un caballo, macho castrado, raza Pura Sangre Inglés, de diez años de edad y 555 kg de peso fue referido a un oftalmólogo privado por presentar secreción mucoide abundante, hiperemia conjuntival y tejido granulomatoso en el tercer párpado del ojo izquierdo. Se inició tratamiento médico con antibiótico y antiinflamatorio, y se tomó biopsia del tejido granulomatoso presente en el tercer párpado. El resultado fue hiperplasia epitelial no tumoral. En una nueva evaluación (después de diez días), se observó ligera disminución del tejido. Después de dos semanas de tratamiento, sin mejoría se decidió extirpar el tercer párpado en su totalidad. En consecuencia, el tercer párpado del ojo izquierdo fue completamente extirpado para su análisis histopatológico, el cual confirmó carcinoma de células escamosas. Como tratamiento posquirúrgico además de antibiótico y antiinflamatorio tópico se prescribió piroxicam a dosis de 80 mg totales SID PO. Diez meses después de la cirugía, el caballo se encuentra bien y sin recidiva del tumor. El carcinoma de células escamosas es el segundo tumor más común en caballos. Los antiinflamatorios no esteroidales son potentes inhibidores de la ciclooxigenasa (COX). Se ha demostrado que la COX-2 se encuentra sobreexpresada en tumores epiteliales; por tanto...

Estudio clínico e histopatológico del carcinoma de células escamosas de bovinos en el departamento de Córdoba, Colombia

Cardona Á,José A; Vargas V,Marlene I; Perdomo A,Sandra C
Fonte: Revista de la Facultad de Ciencias Veterinarias. Universidad Central de Venezuela. Publicador: Revista de la Facultad de Ciencias Veterinarias. Universidad Central de Venezuela.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 ES
Relevância na Pesquisa
136.28%
Se estudiaron los aspectos clínicos e histopatológicos del carcinoma de células escamosas (CCE) en bovinos del Departamento de Córdoba, Colombia. Se realizó un estudio descriptivo, no probabilístico, en bovinos. Se estudiaron 11 bovinos con CCE diagnosticados clínica e histopatológicamente en diferentes explotaciones ganaderas del Departamento de Córdoba, Colombia. Al describir los casos se observaron áreas con eritema, edema, descamación con formación de costras, apariencia tumoral de consistencia variable, en algunos casos friable y en otros firmes, así como ulceraciones amplias y profundas en forma de cráter, con presencia de exudación serosanguinolenta. Las lesiones se ubicaron en áreas despigmentadas de ojos, dorso, región de la grupa, espalda, vulva y periné de los animales estudiados. Histopatológicamente se observó presencia de islas con fácil distinción de perlas córneas rodeadas de células tumorales y cordones ramificados delgados de células epiteliales neoplásicas con grado variable de diferenciación escamosa, puentes intercelulares, células escamosas organizadas y atípicas con núcleos hipercromáticos y variado número de células en diferentes fases de mitosis. El diagnóstico definitivo de la enfermedad se fundamentó en las características clínicas...

Liquen plano oral, carcinoma de celulas escamosas y carcinoma verrugoso de Ackerman: reporte de un caso

Ferrari De Delgado,Marta Nora; Soria De Gonzalez,Analía; Ansonnaud,Ana Maria; Wierna,Alicia Isabel; Arias,Nilda Noemí
Fonte: Facultad de Odontología -UCV Publicador: Facultad de Odontología -UCV
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 ES
Relevância na Pesquisa
146.22%
El Liquen Plano Bucal (LPB) es una enfermedad mucocutánea, de carácter inflamatorio, y de curso crónico. La Organización Mundial de la Salud incluyó al LPB como un estado precanceroso definiendo como tal, a un proceso generalizado que se asocia con un riesgo significativamente mayor de presentar cáncer. Numerosos estudios han documentado el potencial premaligno del LPB. Sin embargo, la asociación del LPB a lesiones malignas es hasta el momento un tema controvertido. El objetivo de este trabajo es comunicar un caso de LPB, Carcinoma de Células Escamosas (CCE) y Carcinoma Verrugoso de Ackerman (CVA) en un paciente de 59 años de edad quien no refirió tener hábitos de uso de tabaco o consumo de alcohol. Los tres tipos de lesiones fueron diagnosticadas simultáneamente , en la misma localización anatómica. El reporte de este nuevo caso clínico sugeriría la necesidad de realizar exámenes de seguimiento regulares a los pacientes con LPB, en especial a quienes presentan formas atróficas-erosivas y/o factores de riesgo.

Análise de sobrevida global em pacientes diagnosticados com carcinoma de células escamosas de boca no INCA no ano de 1999

Honorato,Julia; Camisasca,Danielle Resende; Silva,Licínio Esmeraldo da; Dias,Fernando Luiz; Faria,Paulo Antônio Silvestre de; Lourenço,Simone de Queiroz Chaves
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
146.26%
O carcinoma de células escamosas de boca compreende cerca de 90 a 95% de todas as neoplasias malignas da boca e é um dos tipos de câncer mais frequentes no Brasil. O índice de sobrevida em 5 anos é baixo e permaneceu estável nas últimas décadas, apesar dos avanços nas terapias. O objetivo deste estudo foi analisar o perfil e a sobrevida global dos pacientes diagnosticados com carcinoma de células escamosas de boca no ano de 1999 no Instituto Nacional de Câncer. Dos 320 pacientes incluídos no estudo, 79,4% eram homens. A idade média foi de 56,7 anos, e 82,2% deles fumavam e/ou bebiam. A língua, seguida do assoalho de boca foram os locais mais acometidos. A maioria (68,9%) dos pacientes foi diagnosticada em estádios tardios e submetida à radioterapia exclusiva (53,6%). A sobrevida média no período do estudo foi de 29,4 meses. Os pacientes dos estádios iniciais apresentaram maior sobrevida, assim como aqueles submetidos apenas à cirurgia como forma de tratamento e os que não apresentaram linfonodos acometidos ao diagnóstico. Tumores localizados em palato duro e mucosa jugal apresentaram pior prognóstico. Foram fatores preditivos independentes de melhor sobrevida os tumores T1 ou T2 (p=0,001), sem acometimento de linfonodos (p=0...