Página 1 dos resultados de 4656 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Um outro espírito, um outro capitalismo. O papel da economia antiga na tipologia do capitalismo em Max Weber; Another spirit, another capitalism. The role of ancient economy in the typology of capitalism in Max Weber

Grigorowitschs, Tamara
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37%
A partir da publicação da terceira edição de Agrarverhältnisse im Altertum (Relações agrárias na Antiguidade, 1909) a noção de capitalismo passa a desempenhar um papel central na análise da economia antiga nos escritos de Max Weber. De modo idealtípico, a definição da economia antiga como capitalista envolve a delimitação de suas espeficidades e, simultaneamente, oferece um contraponto comparativo fundamental para a constituição do tipo do capitalismo moderno. Em seus escritos sobre a economia antiga, Weber elaborou uma análise fundamentada em dois diferentes níveis de abstração, que englobam tipos diversos de capitalismo; o trânsito entre esses diferentes níveis é o que fundamenta sua análise comparativa das economias moderna e antiga e possibilita uma definição mais acurada do capitalismo moderno, em sua dimensão racional.; Since the publication of the third version of Agrarverhältnisse im Altertum (The Agrarian Sociology of Ancient Civilizations, 1909), the concept of capitalism plays an essential role in the analysis of the ancient economy in Max Weber's writings. On the one hand, the classification of the ancient economy as capitalist depends on the understanding of its uniqueness. On the other hand...

A força do estético: reflexões sobre a refuncionalização da arte em "Pós-modernismo ou a lógica cultural do capitalismo tardio", de Fredric Jameson; The power of the aesthetic: reflections on art refunctionalization in "Postmodernism or the Cultural Logic of Late Capitalism", by Fredric Jameson

Tessitore, Gabriela Corbisier
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.95%
Este estudo pretende investigar, a partir do confronto da tese elaborada por Fredric Jamseon em Pós-modernismo ou a lógica cultural do capitalismo tardio com uma análise voltada para a materialidade histórica, o alcance da fusão da base e da superestrutura no capitalismo tardio. Nesse sentido, busca esclarecer em que medida o ensaio de Jameson ajuda a compreender a dominância do pós-modernismo, e o quanto é insuficiente, por outro lado, para explicar a situação da produção material nas regiões em que o neoliberalismo e a globalização não estão desenvolvidos, e que, portanto, não respondem integralmente à lógica cultural que anima o capitalismo financeiro. Noutras palavras, reinvindica-se o teste da realidade da ideologia do pós-modernismo para além das fronteiras do mundo anglo-saxão. Sendo assim, é debatida a possibilidade da tese de Jameson sobre a fusão da base e da superestrutura no estágio do capitalismo tardio estar circunscrita aos países onde ambos, a acumulação flexível e a globalização financeira, de fato, vingaram. Sem prejuízo do conteúdo da crítica, esta pesquisa visa igualmente traçar considerações acerca da prosa jamesoniana, a fim de apontar para alguns de seus efeitos e sua relação com o caráter de denúncia apresentado no ensaio e estabelecer suas correspondências com o método da Escola de Frankfurt...

A noção de capitalismo tardio na obra de Jürgen Habermas : em torno da tensão entre capitalismo e democracia; The notion of late capitalism in the work of Jürgen Habermas : around the tension between capitalism and democracy

Leonardo Jorge Da Hora Pereira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.07%
O tema da democracia constitui talvez o tema mais importante na obra do filósofo alemão Jürgen Habermas. No entanto, apesar da importância essencial de uma discussão vinculada diretamente aos seus aspectos normativos, pretendemos testar uma perspectiva complementar no estudo desta temática. Ora, é importante ressaltar que Habermas pensou a democracia não apenas a partir de suas possibilidades normativas de realização de ideais como os de autonomia e auto-determinação. Como um autêntico teórico crítico, ele também investigou as possibilidades concretas de institucionalização de formas democráticas de governo. A análise da relação tensa entre capitalismo e democracia é importante para refletir sobre os condicionamentos sistêmicos ou estruturais que o capitalismo impõe ao funcionamento dos regimes democráticos liberais. Ou seja, trata-se aqui de pensar a democracia a partir de suas possibilidades concretas de realização, o que pressupõe levar em conta os obstáculos impostos pelo capitalismo tardio. Desse modo, esta dissertação de mestrado tem como objetivo analisar as duas primeiras décadas da trajetória intelectual do filósofo alemão sob o prisma da relação entre capitalismo e democracia. Investigaremos como o tratamento dessa problemática surge a partir dos diagnósticos do capitalismo tardio produzidos pelo autor ao longo de diversas obras...

O debate marxista contemporâneo sobre capitalismo e império americano; The contemporary marxist debate on capitalism and american empire

Fábio de Vasconcellos Aquino
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/07/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37%
Ciclos Hegemônicos, imperialismo e relação dos Estados com a expansão nacional e internacional do capitalismo sempre foram temas caros à História Econômica. Partimos da hipótese de que a crise econômica iniciada em 2007 tem seus determinantes principais tanto nas contradições imanentes do capital quanto nas transformações ocorridas a partir dos anos 70 no seio da economia política capitalista, ou seja, na articulação entre política e leis imanentes do capital. O objetivo do trabalho é a análise do debate contemporâneo sobre capitalismo e imperialismo a partir de uma revisão bibliográfica marxista. Especificamente procuramos observar como o poder global americano erigido no imediato pós-guerra se renova depois dos anos 70, permanecendo até hoje por uma hegemonia expressa na sua tutela sobre a financeirização, colocada em questão pela crise atual. No primeiro capítulo passamos por uma breve etapa conceitual sobre o capital fictício e uma revisitação ao debate clássico sobre capitalismo e imperialismo. No segundo capítulo, colocamos em debate as posições de Brenner, Panitch e Gindin, Konings, Arrighi, Wallerstein, Callinicos e por fim Gowan. A leitura dos autores teve como guia a questão da causalidade da crise dos anos 1970; a dinâmica da economia política internacional...

Lazer e educação no capitalismo brasileiro

Cândido, Fernando Pereira
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.95%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação. Programa de Pós-graduação em Educação; O trabalho é a categoria originária do ser social. Ele tem seu caráter concreto de produtor de valor de uso subsumido a seu caráter abstrato de produtor de valor, sob o capitalismo. O lazer é uma prática social específica do capitalismo, própria do tempo livre definido por oposição ao tempo ocupado do trabalho, ao mesmo tempo em que é complexo fundado com dependência ontológica deste, se desenvolve em íntima relação com a educação. Desse modo, esta pesquisa surgiu da necessidade da superação das análises idealistas do lazer, e de estabelecer nexos teóricos que permitam chegar à apreensão concreta deste fenômeno, de forma a permitir sua articulação ao projeto de superação radical do capital. A categoria contradição permitiu analisar o lazer, por um lado, na sua característica hegemônica de reprodução da sociedade capitalista e, por outro lado, com possibilidades de ser articulado a um projeto de superação radical do capitalismo. Nesse sentido, configurou-se o problema: partindo da história brasileira desde o século XX, o que é concretamente o lazer e quais suas mediações nas relações sociais capitalistas considerando a luta de classes? Para essa investigação se estabeleceu o objetivo central de analisar o lazer na sociedade brasileira a partir da crítica de autores clássicos e contemporâneos...

Judaísmo e capitalismo: contribuição judaica para a formação do ethos capitalista

Nogueira, António Fernando de Vasconcelos
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37%
A Igreja de Roma, em diferentes épocas, por intermédio das suas doutrinas, condenou o modo de vida judaico. Estava muito mais preocupada com a usura, o justo preço e as corporações, que com a economia capitalista do lucro, a empresa, o mercado monetário. Contudo, durante a Idade Média, o comércio e a usura tornaram-se familiares não apenas a muitos judeus mas também a muitos cristãos. Estes tinham-se associado em parcerias comerciais de tipo familiar nas cidades. De facto foram mercadores e banqueiros italianos os primeiros a desenvolver a banca, a contabilidade, as técnicas de crédito, e iniciaram o pré-capitalismo com o grande comércio à distância. Os Judeus seguiram-nos, sendo úteis quer à Igreja quer ao Estado. Neste estudo interessamo-nos pelas teses principais de Marx, da Verstehen de Soziologie e da Nouvelle Histoire, a fim de esclarecer algumas especulações como a atitude judaica com respeito ao Capitalismo. Ocupamo-nos dos factores económicos que compõem a participação judaica na sociedade capita¬lista. Problematizamos as teses desses e outros autores que estão na base de uma controvérsia secular, sobre as origens do Capitalismo, a sua definição e periodização, as suas incidências axiológicas...

O estatuto do consumo na compreensão da lógica e das mutações do capitalismo

Fontenelle,Isleide Arruda
Fonte: CEDEC Publicador: CEDEC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37%
Embora o consumo se apresente como fundamental para a compreensão do modo de funcionamento do capitalismo contemporâneo, não é assim que ele tem sido abordado do ponto de vista da teoria social. É certo que já há um campo de estudos sobre o consumo advindo da sociologia, da antropologia e dos estudos culturais, porém, são estudos que focam mais nos modos de vida, na formação cultural, nos significados, normas e valores associados aos usos das mercadorias, do que propriamente no papel central que o consumo tem na realização do valor para o capital. Este artigo pretende contribuir para reverter esse gap ao propor um retorno à abordagem marxista acerca do lugar do consumo no processo de expansão do valor. Assumindo a posição central que o consumo tem para a realização do capital, e partindo da análise dialética do capitalismo como movimento e contradição, o artigo busca elucidar as principais mutações na cultura de consumo que ocorreram a partir do final da década de 1970, culminando com as transformações oriundas da terceira revolução tecnológica - a informática. Propõe que as duas principais formas que assumiu o capitalismo em fins do século XX - o financeiro e o imaterial - operam fundamentalmente a partir do consumo; assim como revelam as mutações e as contradições do capitalismo na contemporaneidade.

Alemanha: o modelo de capitalismo social e os desafios no limiar do século XXI

Guimarães,Alexandre Queiroz; Barbosa,Flavio Constantino; Costa,Guilherme Ottoni; Natalino,Enrique; Oliveira Neto,Paulino
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37%
A Alemanha consolidou ao longo do século XX um modelo de capitalismo diferente, marcado por uma estrutura de governança corporativa baseada nos stakeholders, pela presença de relações de trabalho participativas, com grande papel conferido aos trabalhadores, e pela existência de uma fonte de capital paciente, resultado das relações desenvolvidas entre bancos e empresas. Essas características ajudam a explicar, entre outros fatores, as fontes de vantagem comparativa, o padrão de inovação e as baixas diferenças salariais. No entanto, esse modelo passou a sofrer pressões com as mudanças verificadas no capitalismo a partir da década de 1970. O artigo avalia a evolução do modelo alemão em resposta a esses desafios. Um ponto central é verificar como as instituições têm evoluído e destacar em que sentido a Alemanha ainda tem um modelo de capitalismo diferente. Outro ponto é entender os desafios enfrentados em termos de produtividade e competitividade, relacionando-os com as características institucionais, com o contexto externo e com a estratégia internacional do país. O artigo utiliza a abordagem do institucionalismo histórico e dos modelos de capitalismo, paradigmas que exploram as características institucionais dos países e a sua persistência ao longo do tempo. Centrou-se em fontes bibliográficas...

O Que Gestão Estratégica Tem a Ver com Capitalismo(s)?

Faria,Alexandre de Almeida; Imasato,Takeyoshi; Guedes,Ana Lucia Malheiros
Fonte: Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração Publicador: Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.07%
Os debates acerca do capitalismo no contexto de sucessivas crises da globalização neoliberal, apesar de negligenciados pela literatura de gestão estratégica (GE), são de central importância para estrategistas e acadêmicos de economias emergentes. Informados pela hegemonia do capitalismo histórico ocidental e, em resposta à vinculação da literatura de GE dos EUA aos discursos do capitalismo neoliberal como opção única, a literatura europeia abraçou a teoria de variedades de capitalismo e construiu a abordagem de estratégia como prática social. Por meio de um diálogo com a área de estudos internacionais, este artigo discute que a hegemonia euro-americana contemporânea em GE ajuda a construir a autoridade legítima de estrategistas das grandes corporações, tanto a invisibilizar estrategistas euro-americanos de Estado quanto a deslegitimar estrategistas e organizações do resto do mundo que representam outros tipos de capitalismo ou alternativas ao ocidentalismo histórico. Ao final, os autores argumentam que o campo de estratégia no Brasil deve fomentar uma perspectiva de geopolítica do conhecimento em estratégia que ajude a superar algumas das restrições impostas pelo capitalismo histórico ocidentalista e a permitir a difusão de outros tipos de capitalismo e alternativas não ocidentalistas.

A teoria da formação conceitual weberiana: uma análise através d’a ética protestante e o espírito do capitalismo

Silva, Lucas Trindade da; Hamlin, Cynthia Lins (orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
37%
Diante da defesa contemporânea da atualidade do programa de investigação weberiano (Kalberg, Ringer, Schluchter), o presente trabalho realiza um retorno a Weber, investigando sistematicamente a relação entre os seus textos de elaboração metodológica e a aplicação desta metodologia na formação conceitual substantiva n’A Ética Protestante e o “Espírito” do Capitalismo (EPEC). A partir dos resultados desta estratégia comparativa buscamos refletir sobre os limites e potencialidades da metodologia weberiana para a investigação nas ciências sociais. Podemos dizer que a metodologia weberiana é formada por uma base epistemológica – seus pressupostos mais gerais – sobre a qual se desenvolve um método – a proposição de instrumentos de observação/seleção/verificação a serem seguidos na investigação empírica científico-social. Aquela base é constituída por uma teoria nominalista do conceito e por uma teoria da relação com valores. O método formado sobre tal base encontra sua síntese na noção de tipo ideal que salienta: o caráter irreal dos conceitos científico-sociais; a necessidade da elaboração de conceitos puros (livres de contradição); a finalidade genética/singular da investigação social; e propõe uma abordagem da ação social como resultado do desenvolvimento e/ou concatenação de ações individuais orientadas por um sentido (individualismo metodológico)...

As novas formas de explora????o do trabalho no capitalismo contempor??neo e as pol??ticas p??blicas de combate ?? desigualdade; Las nuevas formas de explotaci??n del trabajo en el capitalismo comtempor??neo y las pol??ticas p??blicas de combate a la desigualdad; New forms of labour exploitation in contemporary captalism and public policies to combat inequality

Costanzi, Rog??rio Nagamine
Fonte: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP); Revista do Servi??o P??blico (RSP) Publicador: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP); Revista do Servi??o P??blico (RSP)
Tipo: Artigo de Revista Científica
IDIOMA::PORTUGU??S:PORTUGU??S:PT
Relevância na Pesquisa
37.04%
O mercado de trabalho sofreu profundas transforma????es desde o come??o do capitalismo at?? o momento atual, sendo poss??vel compar??-lo a uma loteria, na qual os trabalhadores passaram a competir entre si por ascens??o profissional. Os bilhetes dessa loteria s??o os investimentos em capital humano. Nela haver??, necessariamente, vencedores e perdedores, com os primeiros apropriando-se do trabalho dos ??ltimos. Dessa realidade, surge uma nova forma de explora????o do trabalho, cujo instrumento de legitima????o ?? o capital humano, que refor??a a tend??ncia inerente do capitalismo ?? gera????o de desigualdade e coloca limita????es ?? vis??o tradicional de combate ?? desigualdade baseada na democratiza????o do capital humano. O crescimento tamb??m tem limita????es na redu????o da desigualdade, tendo em vista que a motiva????o microecon??mica que gera o crescimento macroecon??mico ?? justamente a busca pela desigualdade.; El mercado de trabajo pas?? por profundas transformaciones desde el inicio del capitalismo hasta el momento actual, convirti??ndose en una loter??a, en que los trabajadores pasaron a competir entre s?? por ascenso profesional. Los billetes de esta loter??a son las inversiones en capital humano. En esta loter??a...

Marx, Keynes e Minsky: a supremacia das finanças no capitalismo contemporâneo

Camargo, Leonardo de Carvalho
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.04%
Nas últimas três décadas do século XX e na primeira deste, as forças internas do sistema capitalista se alteraram de um tal modo, que denotam ter surgido um novo tipo de capitalismo que atualmente vigora. É um capitalismo de tipo financeiro – tendo a globalização das altas finanças como sua expressão máxima. Este novo arranjo societário é caracterizado por uma instabilidade crônica que acarreta inúmeros problemas em escala global. Dentre os quais, destaca-se a supremacia da esfera financeira sobre a produtiva. Tal supremacia é uma componente desestabilizadora do investimento, do financiamento das atividades produtivas, do emprego e da renda. Além do mais, desarticulou os Estados Nacionais e sua capacidade de intervenção visando dar disciplina e ordem ao sistema. Os Estados Nacionais também foram afetados na sua condição de criarem e efetivamente implementarem políticas objetivando o pleno emprego e a melhor geração e distribuição da renda e da riqueza. A partir de meados do século passado, forças histórico-estruturais surgiram e se ampliaram no capitalismo contemporâneo. Uma tal junção do estrutural com o histórico tornou possível à supremacia das finanças, principalmente por intermédio de sua vertente maior: a globalização financeira (Capítulo I). O esforço desta Dissertação está centrado no argumento de que a supremacia das finanças é uma característica inerente ao próprio modo de funcionamento do capitalismo e que...

Economia desregrada : Marx, Keynes e Polanyi e a riqueza no capitalismo contemporaneo

Jose Rubens Damas Garlipp
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/05/2001 PT
Relevância na Pesquisa
37.04%
Em um esforço para apanhar o substrato do capitalismo contemporâneo, esta tese busca identificar as formas como o desaparecimento das regras e das fronteiras deixa o capital entregue às suas próprias leis de movimento. Nesse sentido, propõe que um quadro aproximativo do capitalismo contemporâneo pode ser desenhado por meio do conceito de economia desregrada (INTRODUÇÃO). O argumento explorado é o de que a construção de circuitos internacionais produtivos e, principalmente, financeiros de valorização do capital responde pelo desmantelamento do ?padrão? global de desenvolvimento herdado do pós-guerra. Assim é que a financeirização da riqueza, exponenciada pelas inovações dos instrumentos financeiros e desregulação dos mercados que caracterizam as políticas econômicas ocidentais das últimas décadas, ao tempo em que preside a lógica de valorização do capital, não faz mais que tornar claro o objetivo precípuo do capitalismo: a expansão da riqueza abstrata. Esta característica central e distintiva do capitalismo é, sob perspectivas teóricas distintas, sublinhada por Marx, Keynes e Polanyi, autores que analisam os fundamentos da riqueza capitalista e recusam a advocacia clássica acerca da capacidade de auto-regulação do mercado. Por conta disso...

O capitalismo tardio e sua crise : estudo das interpretações de Ernest Mandel e a de Jürgen Habermas; The late capitalism and its crisis : a study of interpretations of Ernest Mandel and Jurgen Habermas

Aristóteles de Almeida Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/04/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37%
O objetivo desse trabalho é estudar a obra de Ernest Mandel O capitalismo tardio e Jürgen Habermas Problemas de legitimação no capitalismo tardio, onde analisam o capitalismo do pósguerra e sua crise. As transformações do capitalismo desde o fim da Segunda Guerra Mundial desencadearam uma importante discussão sobre a explicação marxista do desenvolvimento capitalista, de sua crise e sobre as condições para superação desta formação social. A discussão evidencia que a confrontação com a obra de Marx é oportuna não só porque permite entender quanto o capitalismo se transformou desde Marx, mas também para discutir se ela ainda consegue oferecer uma explicação relevante para se compreender as modificações estruturais contemporâneas. Nesse sentido, os autores se relacionam de maneira distinta com o legado marxiano. A obra de Mandel se mostra como um esforço para explicar o período segundo o instrumental teórico marxiano, mantendo o papel central da teoria do valor-trabalho e a crise como manifestação das contradições imanentes do capital. Já a obra de Habermas aponta para uma mudança de forma e lógica da crise, consequentemente apontando para a ineficácia da teoria do valor-trabalho aplicada aos dias atuais...

Capitalismo cognitivo: propiedad intelectual y creación colectiva

Blondeau, Oliver; Sánchez Cedillo, Raúl
Fonte: Madrid : Traficantes de Sueños, 2004. Publicador: Madrid : Traficantes de Sueños, 2004.
Tipo: Livro Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
37.2%
155 p. ; 20 cm.; Libro Electrónico; Incluye bibliografías.; LA IRRUPCIÓN DE LAS NUEVAS TECNOLOGÍAS de la Comunicación y de la Información (NTIC), señalada por la insólita expansión de Internet y por la generalización del PC como prolongación y prótesis irrenunciable de casi cualquier actividad social, ha concitado el interés experto en una dimensión estratégica que, sin lugar a dudas, está ya en el centro de todas las agendas políticas y económicas. «Sociedad de la información», «sociedad del conocimiento» o bien new economy, net economy han sido algunas de las fórmulas, más o menos conocidas, para expresar la transformación en curso, la revolución de los ordenes de relación, a un tiempo que de los paradigmas adscritos al conocimiento social y económico. Sin embargo, lo que a menudo escapa a estas propuestas, que tratan de aferrar la velocidad de esta enorme mutación, es esa dimensión conflictiva y radicalmente contradictoria que se sitúa también como problema de gobierno y de dominio.; En ocasiones un concepto de la sociología económica puede ser una simple convención retórica que sirve como elemento de agregación de afinidades ideológicas previas. En otras, el concepto se abre como plano experimental para la aprehensión de una realidad mutante y siempre demasiado veloz...

La mutación de la forma-Estado Nación al servicio del capitalismo globalizado

Sánchez Rodríguez, Dayanna
Fonte: Pontificia Universidad Javeriana Cali Publicador: Pontificia Universidad Javeriana Cali
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artículo Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
46.8%
El  Estado-Nación  ha  sido  objeto  de  transformaciones  como respuesta a la evolución del capitalismo, y por ello podríamos identificarlo como una consecuencia directa de la evolución de la humanidad. Sin embargo, la erosión de fronteras, la exis- tencia de organizaciones internacionales y la construcción de redes transfronterizas en torno a problemas políticos, econó- micos, sociales y culturales, presentan desafíos ante la unidad jurídico-política de un grupo de personas que hasta la Segunda Guerra Mundial se revestía de un carácter estático: el Esta- do-Nación.

A 'teoria da práxis': retomando o referencial marxista para o enfrentamento do capitalismo no campo da saúde

Barbosa,Regina Helena Simões
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio Publicador: Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37%
Este ensaio tem a intenção de recolocar o marxismo - como corpo epistemológico, teórico, metodológico e político voltado para a superação do capitalismo - na pauta do debate conceitual e político do campo da Saúde Coletiva. Discute o campo simbólico como campo de expressão de ideologias que sustentam o capitalismo e que utiliza, dentre outras estratégias, o silenciamento sobre o marxismo, e mesmo sobre o capitalismo, para esvaziar a crítica e o questionamento político. Relaciona estes mecanismos à saúde, identificando alguns campos onde o capitalismo opera nesta área. Apresenta alguns fundamentos filosóficos, teóricos e metodológicos da 'teoria da práxis', destacando a unidade indissolúvel entre teoria crítica e ação transformadora. Por fim, conclama os profissionais, pesquisadores e educadores do campo sanitário a se (re)engajarem na luta contra o capitalismo, retomando a bandeira do socialismo, rumo à conquista do efetivo direito à saúde.

UN CASO DEL CAPITALISMO SIN FORMA EN EL CAMPO: DIALÉCTICADEL PROGRESO EN LA AGRICULTURA Y LA RELACIÓN ENTRE EL CAPITALISMO EN UNA CADENA DE KARL MARX; A CASE OF FORMLESS CAPITALISM IN THE FIELD: DIALECTIC OF PROGRESS IN AGRICULTURE AND RELATION BETWEEN CAPITALISMIN A STRING OF KARL MARX; A Hipotese do Capiltalismo Disforme no Campo: Dialética do Progresso na Relação entre Agricultura e Capitalismo em um Texto de Karl Marx

Rubbo, Deni Ireneu Alfaro
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 27/06/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37%
O objetivo mais geral deste texto é ensaiar uma primeira aproximação sobre a evolução e a contextualização da produção do texto de Marx, a partir de sua obra de maior fôlego, O capital – exclusivamente no Livro III e especialmente na seção da renda fundiária –, que está irredutivelmente marcada por uma construção inconclusa. Pretende-se acumular e detalhar algumas considerações teórico-metodológicas, isto é, precauções para “evitar mal-entendidos”, tal como assinalou Marx, levadas a cabo mais sistematicamente no capítulo 37. A hipótese central é a de que o tema da renda da terra é construído a partir de uma representação não linear do desenvolvimento histórico, principalmente por uma abordagem que inclui uma crítica da noção abstrata do progresso e da relação de desenvolvimento desigual e combinado, o que pode servir como ponto de partida para os problemas contemporâneos entre agricultura e capitalismo, principalmente nos assim chamados sistemas capitalistas subnacionais periféricos. Tal construção desautorizaria de uma vez por todas a compreensão dessas passagens críticas como categorias eternas, típicas das visões lineares e otimistas do marxismo positivista.  ; The general objective of this paper is to test a first approximation on the evolution and context of text production of Marx...

Retomar a crítica interna do capitalismo? Revisitando a análise das crises em Problemas de legitimação no capitalismo tardio de Habermas; Bringing back the internal critique of capitalism? Revisiting the analysis of crises in Habermas' Legitimation problems in late capitalism

Pereira, Leonardo Jorge Da Hora
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 14/06/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.04%
O trabalho de Jürgen Habermas se notabilizou por seus estudos sobre temas como a esfera pública, a ética do discurso e a ação comunicativa. No entanto, diante da atual crise do capitalismo, talvez seja produtivo revisitar um momento de sua experiência intelectual que foi, em certo sentido, relegado ao segundo plano. Trata-se dos teoremas de crise do capitalismo tardio elaborados em Problemas de legitimação no capitalismo tardio (1973). Tendo em vista que a teoria crítica parece estar hoje diante do desafio de trazer de volta para o centro de sua produção uma reflexão sobre os desequilíbrios e eventuais limites internos do capitalismo, argumentarei nesse artigo que o tipo de análise que Habermas empreende nesta obra pode nos oferecer elementos para a elaboração de diagnósticos do capitalismo contemporâneo.  ; The work of Jürgen Habermas became famous for his studies on topics such as public sphere, discourse ethics and communicative action. However, given the current crisis of capitalism, it may be productive to revisit a moment of his intellectual experience that was, in a sense, relegated to the background: the crisis theorems of late capitalism, discussed by him in Legitimation Crisis (1973). In this article...

Um novo espírito, sim! Uma revisão do debate sobre o "espírito do capitalismo"

Dall Forno, Lúcio; Universidade Federal de Santa Catarina
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 31/07/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37%
http://dx.doi.org/10.5007/1806-5023.2014v11n1p45 Para Luc Boltanski e Ève Chiapello, a história do capitalismo passou por três “espíritos do capitalismo”, de acordo com a definição que dão ao conceito. Sendo que, o último espírito ainda está em formação. Isabelle Darmon, baseada na sua interpretação de Max Weber, defende que não há um novo espírito, mas sim o mesmo e único, pois “sem uma nova racionalidade econômica, não há um novo espírito do capitalismo”. Este artigo visa fazer uma revisão do debate entre os autores e responder a seguinte pergunta: diante da crítica de Darmon, é válido ainda situarmos o universo empírico de uma pesquisa num contexto de “espírito de capitalismo”, conforme a definição de Boltanski e Chiapello? Concluo que sim, se considerarmos as mudanças em tal “espírito” como renovações na interação entre as racionalidades formal e material.