Página 1 dos resultados de 1320 itens digitais encontrados em 0.065 segundos

Capital de risco : uma fonte de recursos para o financiamento de empresas emergentes no Brasil

Leite, Gabriel Nascimento
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
105.96%
O objetivo deste trabalho é analisar a importância da indústria de capital de risco no Brasil como uma alternativa ao financiamento das empresas emergentes. Para isto, será contextualizada a origem de Private Equity, desde o surgimento nos EUA e na Europa, até a sua chegada ao Brasil. Em seguida, será feita a análise da estruturação dos fundos de Private Equity, passando da fase de captação dos recursos pelos agentes de financiamento à escolha de empresas que apresentem alto potencial de crescimento. Por fim, o trabalho irá apresentar alguns casos de empresas brasileiras que receberam o investimento de capital de risco e que abriram capital nas Bolsas de Valores.

Modelo de gestão para incubação de empresas orientado a capital de risco

Moreira, José Henrique
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: viii, 136 f.| il., tabs., grafs.
POR
Relevância na Pesquisa
105.96%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção.; Este estudo procurou abordar o tema incubação de empresas, relacionando-o com o capital de risco, analisando as características e a filosofia de cada um dos modelos, com o objetivo final de propor um novo modelo de gestão para as incubadoras de empresas. Inicialmente buscou-se conhecer a literatura que tratava dos dois assuntos com o fim de estabelecer um perfil genérico de atuação. A partir deste perfil, foram avaliados os vícios e virtudes de cada um dos modelos, para então estabelecer a base de conhecimentos que fundamentou a proposição de um novo modelo de gestão para incubadoras de empresas orientado a capital de risco. Esta orientação é resultado da constatação de que a filosofia e o método de abordagem com empresas utilizado pelo capital de risco pode apresentar resultados significativamente mais satisfatórios quando comparado às práticas do modelo de incubação atualmente utilizado.

Caracterização dos fundos de investimentos de capital de risco brasileiro

Titericz, Ricardo
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: XII,80 f.| il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
106.07%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção.; A captação de recursos, através de capital de risco, vem-se tornando uma alternativa para os empreendedores que necessitam de recursos financeiros para os investimentos em suas empresas. Para ter acesso certo aos investimentos disponíveis pelos capitalistas de risco, os empreendedores devem conhecer o que os esses investidores exigem quando buscam novos empreendimentos para investir. Este trabalho pretende identificar as características dos fundos de investidores brasileiros de capital de risco, com o objetivo de auxiliar os empreendedores que buscam recursos financeiros por meio dessa modalidade de concessão de capital. A partir de pesquisas em dados secundários e dados primários - entrevistas semi-estruturadas e questionários fechados - junto aos responsáveis pelos investimentos de empresas brasileiras de capital de risco, constatou-se que os investidores de risco brasileiros possuem características que evidenciam um perfil comum. Os fundos de investidores de risco brasileiros aplicam seus recursos, em média, durante 3 a 5 anos - tempo suficiente para ter retornos superiores a 31%. Esses investimentos...

Fundo de investimento em capital de risco

Espíndola, Caroline Luckfétt de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 1 v.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
125.89%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Florianópolis, 2009; As empresas nascentes de base tecnológica enfrentam diversas dificuldades no seu processo de desenvolvimento; entre elas destacam-se a carência de capacidade gerencial e a dificuldade para obter recursos financeiros. Por ser capaz de oferecer resposta satisfatória a estas duas demandas básicas de modo conjugado, o capital de risco constitui-se como ponto fundamental para a criação e para as fases iniciais de desenvolvimento de empresas de base tecnológica inovadoras. Pensando nisso a Financiadora de Estudos e Projetos - FINEP lançou o Programa Inovar Semente. Dentre as propostas de Fundos de Investimentos encaminhadas, encontra-se o Fundo Santa Catarina criado pela empresa ZZZ. Como gestora do Fundo SC, a empresa ZZZ é responsável por captar os recursos, selecionar as empresas alvo dos investimentos, estruturar e executar os investimentos, monitorar e aderir valor às empresas investidas, e por fim preparar e executar a saída. A fase de maior relevância, dentre as citadas, é a de seleção das empresas, pois as empresas alvo dos investimentos possuem características de alto risco. Desta forma...

O ciclo de investimento do capital de risco no Brasil e as modalidades de Private Equity e Venture Capital

Nita, Kleber de Freitas
Fonte: Florianópolis Publicador: Florianópolis
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 106 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
116%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Sócio-Econômico. Economia.; O constante surgimento de novas empresas orientadas para a inovação é um ingrediente fundamental para a manutenção do dinamismo tecnológico necessário ao processo de desenvolvimento econômico. O sistema financeiro tem um papel fundamental porque cabe a ele, em última instância, a tarefa de selecionar as inovações que serão ou não implementadas através da decisão acerca da concessão dos financiamentos necessários. Em geral, os métodos de análise financeira tradicionalmente utilizados tornam o financiamento do processo de inovação, caracterizado pela incerteza e por longos prazos de duração, extremamente difícil. As grandes empresas, por exemplo, possuem recursos próprios e possibilidade de acesso ao mercado financeiro, mas as pequenas e médias, ao contrário, encontram na indisponibilidade de recursos uma das principais dificuldades para seu desenvolvimento. No caso de pequenas empresas envolvidas com o desenvolvimento de inovações, este processo torna-se ainda mais difícil devido à grande incerteza envolvida. Os empréstimos feitos a novas empresas, quando ocorrem, geralmente têm taxas de juros elevadas e prazos curtos. As saídas de caixa destinadas ao pagamento de juros...

Semelhanças e diferenças de perspectivas entre sociedades de capital de risco portuguesas e empreendedores por estas financiados

Teixeira, Simão; Teixeira, Mário Sérgio; Gaspar, Fernando C.
Fonte: Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 03/02/2012 POR
Relevância na Pesquisa
105.99%
Este estudo analisa a atividade do capital de risco em Portugal e, em particular, as percepções dos operadores de capital de risco e das empresas criadas com a sua participação, sobre a natureza desta atividade, através da aplicação por e-mail de um questionário a amostras de cada um destes intervenientes no mercado formal. A comparação entre as percepções que ambas as partes têm das vantagens do capital de risco, da seleção dos projetos (incluindo os planos de negócio), do processo de negociação e da importância da atividade das empresas de capital de risco para o sucesso ou insucesso das participadas revela algumas diferenças importantes e permite traçar algumas conclusões sobre os verdadeiros problemas que impedem o desenvolvimento da indústria (sobretudo se comparado com países como os EUA, ou mesmo outros europeus), nomeadamente, a falta de dimensão do mercado e de especialização e preparação dos operadores.

Capital de risco: a relação entre empreendedores e investidores em Portugal

Teixeira, Simão Pedro Tomás Pereira
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
106.02%
Dissertação de Mestrado em Empreendedorismo; Este estudo analisa a atividade do capital de risco em Portugal e, em particular, as perceções dos operadores de capital de risco e das empresas criadas com a sua participação, sobre a natureza desta atividade, através da aplicação por e-mail de um questionário a amostras de cada um destes intervenientes no mercado formal. A comparação entre as perceções que ambas as partes têm das vantagens do capital de risco, da seleção dos projetos (incluindo os planos de negócio), do processo de negociação e da importância da atividade das empresas de capital de risco para o sucesso ou insucesso das participadas revela algumas diferenças importantes e permite traçar algumas conclusões sobre outros problemas que impedem o desenvolvimento da indústria (sobretudo se comparado com países como os EUA, ou mesmo outros europeus), para além da falta de dimensão do mercado e de especialização e preparação dos operadores.; This study examines the venture capital activity in Portugal and, in particular, the perceptions of venture capital operators and enterprises created with their participation, about this activity nature, through a questionnaire application by e-mail to samples of each one of these actors in the formal market. The comparison between the perceptions that both operators have about venture capital advantages...

O financiamento das PME através do capital de risco

Augusto, Miguel Rodrigues Prazeres dos Santos
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
105.94%
Mestrado em Ciências Empresariais; A crise financeira tem afetado não só as pequenas empresas, como também as grandes empresas, na medida em que o financiamento bancário tem vindo a ser cada vez mais difícil de obter por parte das mesmas. O financiamento bancário continua a ser o recurso de financiamento mais procurado no nosso país, mas nos tempos que correm deparamo-nos com diversas dificuldades no acesso ao mesmo. Foi por esta razão que achei necessário equacionar alternativas de financiamento para as nossas empresas. O presente estudo terá como objetivo tentar perceber se o financiamento através de CR é uma boa solução para o investimento nas PME. Pretende dar a conhecer alternativas de financiamento disponíveis no nosso país, e pretende também analisar as diferenças entre PME e Não PME neste tipo de financiamento. Pretende ainda, compreender as motivações ao investimento em CR, saber em que situações se recorre à sindicação e obter sugestões para uma melhoria do enquadramento legal fiscal e regulatório para atividade de CR em Portugal. Na prossecução dos objetivos traçados, elaborou-se um questionário que permitisse recolher a informação necessária para análise. Este mesmo questionário foi dirigido às Sociedades de Capital de Risco...

Capital de risco: análise da indústria em Portugal

Duarte, Pedro
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
106.04%
Mestrado em Finanças; O impacto do capital de risco no desenvolvimento económico, como catalisador do empreendedorismo e inovação, assumindo um papel muito importante nos mercados financeiros mais desenvolvidos, é ainda relativamente incipiente na economia Portuguesa. Contudo, existem sinais de mudança. Nesse âmbito, este estudo fornece uma visão actual da indústria de capital de risco em Portugal, recorrendo-se para o efeito das estatísticas disponíveis, bem como a um inquérito efectuado junto das sociedades de capital de risco nacionais. Este inquérito, para além de recolher dados estruturais do sector tenta compreender o processo de tomada de decisão de investimento, a forma de acompanhamento da gestão e a estratégia de saída. Complementarmente, procedeu-se ao estudo de um caso de IPO (Initial Public Offer) suportada por capital de risco, situação rara no mercado Português, e inédita se considerarmos que foi suportado por VC (Venture Capital) internacional. Conclui-se que a indústria de capital de risco portuguesa continua pouco desenvolvida, servindo principalmente como fonte alternativa de financiamento de expansão da actividade maduras ou saneamento de dívida. A não assunção de um papel activo no desenvolvimento do empreendedorismo...

Capital de risco: análise comparativa à evolução do desinvestimento em Portugal e na Europa

Ferreira, Hugo Filipe Rocha
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
106%
Mestrado em Finanças / JEL Classification System: G24; G34; Na presente dissertação elabora-se um estudo no âmbito da realidade do capital de risco, sendo focado na análise à evolução do desinvestimento por parte das S.C.R. a nível nacional e europeu. As principais conclusões retiradas do mesmo prendem-se com o facto de que Portugal segue a tendência dos principais países Europeus neste sector, no que diz respeito aos principais métodos de saída utilizados pelas sociedades de capital de risco. Enquanto na Europa as estratégias de saída mais importantes são a venda a outras empresas (trade sale), os pagamentos de empréstimos e a venda a outra S.C.R., para Portugal são a saída por venda a outras empresas, o pagamento dos empréstimos concedidos e a venda aos antigos titulares. Outro facto de destaque é a pouca importância do desinvestimento por O.P.I. (Oferta Pública Inicial) para as duas realidades estudadas, sendo este facto explicado pela inexistência de um mercado de capitais adaptado à realidade do capital de risco europeia.; This dissertation provides a comparative study about the reality of venture capital, focused in the analysis of the divestment phase, at national and European level. The main conclusions of this study are related to the fact that Portugal follows the trend of the main European countries in this sector concerning to the main divestment strategies used by the venture capital firms. In Europe the main exit strategies are trade sales...

Capital de risco: análise comparativa à evolução do investimento em Portugal e na Europa

Faria, Pedro Miguel da Cunha
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
106.04%
Mestrado em Finanças / JEL Classification System: G24;G31; A presente dissertação analisa comparativamente o investimento por parte do capital de risco nacional e europeu nos últimos anos. Recorrendo aos dados fornecidos pelas associações de capital de risco nacional e europeia, foi possível focar esta análise em formas de entrada no capital das empresas participadas e nos sectores de investimento. As principais conclusões a retirar desta análise relacionam-se com a especialização das capitais de risco nacionais em investimento em Early-Stage e na Fase de Expansão e as capitais de risco europeias na forma de Buyout, em relação aos investimento sectorial conclui-se que ambas as sociedades de capital de risco são muito versáteis no seu investimento, embora sectores como os bens de consumo e os produtos e serviços industriais tenham destaque.; This dissertation presents a comparative study about the reality of venture capital at national and european level in recent years. The data gathered allowed to focus this analysis on the stages and sectorial preferences of national and european venture capital investment. The main conclusion drawn from the analisys is that Portuguese venture capital focus its investments on the Early-Stage and Follow Up stages...

Capital de risco em Portugal: gestão do risco

Perneta, Carlos
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
106.04%
Mestrado em Gestão / Classificação J.E.L: G20, G24; Apesar de ser um instrumento de investimento importante no processo de criação de empresas e na expansão e modernização do tecido empresarial já existente, o capital de risco assume actualmente um papel reduzido na economia portuguesa. Este estudo fornece uma visão sobre o estado da arte da indústria em Portugal, com base na informação existente e complementa-a recorrendo a um estudo empírico. A esse respeito são analisados os principais factores de risco identificados pelos operadores nacionais, os elementos contratuais mais relevantes e as modalidades de financiamento mais utilizadas. Adicionalmente é dedicada atenção ao uso de títulos convertíveis e o seu papel na mitigação dos riscos de agência inerentes à relação entre as capitais de risco e os empreendedores. As conclusões obtidas indicam que em determinados aspectos, o capital de risco vem revelando alguma aproximação aos modelos internacionais de private equity, nomeadamente no crescimento recente do mercado de buyouts e também no aumento do investimento em capital-semente e start-ups. São no entanto sinais modestos estes sinais e em nada diminuem a necessidade de desenvolvimento do sector. Acresce que as capitais de risco não exploram ainda consistentemente as vantagens decorrentes de modalidades de financiamento como o financiamento faseado e das propriedades dos títulos convertíveis.; The venture capital industry is still of minor importance in the Portuguese economy...

Evolução da indústria de capital de risco em Portugal

Alexandre, Vera Lúcia Geraldes
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 24/08/2010 POR
Relevância na Pesquisa
106.04%
Mestrado em Finanças; O financiamento por via do capital de risco baseia-se na aplicação de fundos para aquisição de partes do capital social de PME’s, tipicamente de base tecnológica, com elevado potencial de crescimento, como alternativa a outras fontes de financiamento, e tem como objectivo apoiar e promover o investimento e a inovação tecnológica da empresa, através da constituição de uma estrutura financeira sólida, viabilizando a sua valorização e tendo como resultado a rentabilização e consequente realização de elevados retornos a longo prazo, para a Sociedade de Capital de Risco, pela venda das suas participações sociais. Do ponto de vista tradicional podemos verificar que o processo de selecção é elaborado e decidido de acordo com a viabilidade do plano de negócios, sendo melhor considerados os planos de negócios mais atractivos. Os “Business Angels” ou investidores informais preenchem uma lacuna existente no mercado, que resulta das jovens empresas, ou os projectos de novas empresas, sentirem muitas vezes dificuldade em obter capital junto da banca por serem vistas como empresas de risco. A definição de empreendedorismo foi sempre problemática, sendo este termo usado por diferentes investigadores para significar coisas diferentes. O que é o empreendedorismo? Deve ser incluido apenas a criação de novas empresas ou também a criação de novas actividades no seio de empresas existentes? Estas são algumas questões que serão alvo de análise. Constitui então...

Sociedades de capital de risco em Moçambique

Ribas, Cloé
Fonte: Centro de Estudos Africanos do ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Centro de Estudos Africanos do ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2006 POR
Relevância na Pesquisa
105.99%
O texto constitui uma síntese do estudo realizado ao longo de três anos sobre a actividade de capital de risco em Moçambique, que teve como objectivo central a avaliação da forma de actuação das Sociedades de Capital de Risco (SCR) locais. O estudo teve por base investigações anteriormente realizadas em Portugal e na África do Sul, mas alargou o âmbito daquelas ao considerar a envolvente contextual da actividade. Os resultados apontam para uma envolvente contextual pouco propícia ao desenvolvimento da actividade de capital de risco e para a existência de uma evolução significativa da política de intervenção das SCR ao longo do estudo. Entre outros aspectos, o estudo revela que foi necessária uma política de maior flexibilidade por parte das SCR locais, mas sem a adopção de modelos presentes em outros países menos desenvolvidos.; The text constitutes a synthesis of a study that analysed in a comprehensive way the venture capital activity in Mozambique over three years. The central aim of the study was to evaluate if the local Venture Capital firms (VCs) performed their activities following the classical model or if there was an adjustment of their proceedings in response to specific aspects of a less developed economy. The study was based in previous investigations carried out in Portugal and in South Africa...

Determinantes do sucesso do investimento de capital de risco em Portugal

Rodrigues, Rui Manuel
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
106.06%
Mestrado em Finanças/G24, G32; O presente trabalho teve como objectivo, perceber quais os factores críticos de sucesso do investimento de capital de risco em Portugal. Seguindo uma política de investimento diferente daquela vigente no país berço da actividade, os E.U.A., o capital de risco na Europa e em Portugal, dirigiu o seu investimento maioritariamente para operações later-stage. Portugal diferencia-se também de outros países europeus, devido à presença bastante significativa da banca e do estado, entre os principais investidores de capital de risco. Face às diferenças significativas existentes entre os países alvo da literatura sobre a rentabilidade do capital de risco e Portugal, e utilizando uma série de operações de um investidor de capital de risco português, verificou-se uma taxa de rentabilidade superior em operações de start-up, influenciada provavelmente pela forte presença estatal no sector, incrementando a actividade neste tipo de operações. A recompra pelos promotores, revelou ser o método de desinvestimento que maior taxa de rentabilidade proporciona ao investidor, revelando pouco dinamismo no mercado secundário do capital de risco, estando em linha com o comum estabelecimento prévio das condições de saída. As percentagens mais reduzidas de detenção de capital social por parte dos investidores...

O capital de risco na recuperação e reestruturação de empresas: o Turnaround

Alcobia, Ana Catarina Caria
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
106.07%
Mestrado em Gestão; O tecido empresarial português é maioritariamente composto por Pequenas e Médias Empresas. Este tipo de empresas tem vindo a ser severamente afectado pela crise económicofinanceira mundial e pela situação particularmente difícil que Portugal atravessa. A atual conjuntura tornou crescente a dificuldade sentida por estas empresas no acesso ao crédito bancário. Neste contexto o Capital de Risco, através do investimento em Turnaround – natureza de investimento de Capital de Risco direcionado para empresas em dificuldades – surge como uma alternativa muito interessante. Com a presente dissertação, pretende-se discutir a evolução dos montantes investidos em Turnaround nos últimos anos em Portugal e ainda as particularidades e vantagens da intervenção do Capital de Risco em empresas que atravessem dificuldades. Assim estudou-se a situação da MFE, empresa produtora de Platex, que enfrentou um processo de insolvência e que contou com a intervenção Capital de Risco para desenvolver um projeto de reestruturação operacional e financeira. Com o Estudo Empírico pretende-se analisar as principais operações de reestruturação implementadas pela Sociedade Gestora de Capital de Risco...

O efeito do capital de risco na rentabilidade das suas participadas durante o período de 2007 a 2009

Pesqueira, Rita Moutinho
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
106.01%
Mestrado em Economia Monetária e Financeira/ Classificação JEL:G24, G31, G32; Este trabalho de projeto analisa o efeito que o capital de risco teve na rentabilidade das suas participadas no triénio de 2007 a 2009 e pretende contribuir para a divulgação das suas mais-valias, para que o seu peso na economia nacional convirja para os valores de economias mais avançadas. É realizado um estudo empírico que permite demonstrar quais os fatores do capital de risco que afetaram a taxa de crescimento de ROE das empresas apoiadas por esta indústria durante esse período. Neste âmbito, foram definidas variáveis independentes, incluindo variáveis binárias para analisar grupos, e construídos modelos de regressão linear múltipla. Como estudo realizado, concluímos que existe uma relação linear entre a variável explicada(taxa de crescimento de ROE entre 2007/2009) e as variáveis explicativas definidas, sendo apresentada como uma ferramentade apoio aos investidores de capital de risco na gestão dos seus investimentos em contextos de mudança.; This research project examines the effect of venture capital has had on the profitability of its subsidiaries during the three years 2007 to 2009 and aims to contribute to the dissemination of their capital gains...

Da ideia inovadora ao projecto de negócio: metodologia para concepção de negócios que pretendam angariar capital de risco baseada na teoria axiomática do projecto

Santos, João Carlos Patrício dos
Fonte: Faculdade de Ciências e Tecnologia Publicador: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
106.02%
Dissertação para obtenção do grau de Mestre em Engenharia Mecânica; Um dos principais obstáculos que os novos negócios enfrentam é o do seu financiamento. Nas fases iniciais do negócio, quando o risco é elevado e o financiamento bancário não está disponível ou é insuficiente, os empreendedores procuram angariar capitais junto de investidores financeiros, em particular junto de fundos de capital de risco e de business angels; no entanto, apenas uma pequena parte é bem sucedida na obtenção dos fundos necessários. A melhoria da comunicação entre empreendedores e investidores financeiros, assim como a tomada em consideração dos interesses dos investidores na concepção dos novos negócios, contribuem para aumentar as probabilidades de sucesso da angariação de capital. O objectivo desta dissertação é o de propor uma metodologia para a concepção de negócios inovadores orientados para a angariação de capital de risco. Nesta metodologia, o investidor financeiro é considerado o “cliente nº 1”, sem o qual o novo negócio dificilmente poderá arrancar e desenvolver-se. A concepção desta metodologia foi baseada nos princípios da Teoria Axiomática do Projecto; no conhecimento empírico resultante da experiência na área do capital de risco...

A opção entre capital de empréstimo e capital de risco; The option between capital loan and venture capital; Textos para Discussão Interna (TD) 46: A opção entre capital de empréstimo e capital de risco

Guimarães, Eduardo A.; Malan, Pedro Sampaio
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
105.99%
Discute as vantagens e desvantagens envolvidas na opção capital de empréstimos versus capital de risco e suas implicações para o balanço de pagamentos e para a economia brasileira em geral nos anos 80. À guisa de conclusão, fornece sugestões de política econômica que derivam de discussão das seções anteriores apresentadas.; 101 p. : il.

Capital de risco e o financiamento das PME que realidade no Norte Alentejano

Policarpo, Fernanda Maria Bizarro
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
105.99%
Este estudo aborda o capital de risco pretendendo refletir sobre a sua evolução e atuação no nosso pais, bem como, focalizando uma região, tentar observar com maior proximidade a sua atuação e 0 conhecimento de diversos empresários em relação a sua abrangência. A partir da adaptação de dois questionários, um elaborado pela Society for Associated Researchs on lnternational Entrepreneurship, do lmprial College, em Londres e um outro elaborado pelo Departamento de Gestão e Economia, da Universidade da Beira interior, na Covilhã, criou-se um questionário que foi aplicado a 150 empresas, das indústrias extrativa e transformadora do Norte Alentejano. O objetivo fundamental era conhecer como estas empresas entendiam o capital de risco e as Sociedades de Capital de Risco (SCR), bem como a sua recetividade a possíveis operações de investimento a realizar e eventuais relações anteriores. Por outro lado, pretendia-se perceber porque tipo de financiamento optam ou optaram em investimentos anteriores e qual a posição que assumem em relação a inovação na sua actividade. /ABSTRACT - This study focus on venture capital and its main objectives are to, on the one hand, assess its evolution and behaviour in our country and...