Página 1 dos resultados de 3089 itens digitais encontrados em 0.010 segundos

Capacidade funcional e risco de queda - aptidão física, composição corporal e medo de cair em idosos institucionalizados

Novo, André; Mendes, Eugénia; Antunes, Catarina; Babo, Catarina; Costa, Mónica; Dias, Renato; Preto, Leonel
Fonte: Departamento de Desporto. Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Departamento de Desporto. Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.56%
http://www.vgportal.ipb.pt/idadesaude/2011/index.html; Garantir uma capacidade funcional no idoso que permita independência tanto nas actividades de vida diária (AVDs) como nas actividades instrumentais de vida diária (AIVDs) é essencial para que lhe seja possível continuar a viver com qualidade e a envelhecer de forma mais autónoma e saudável. Paúl (1997) identificou a perda da capacidade funcional como a principal razão encontrada na decisão de institucionalização de indivíduos idosos. Nesta linha, a capacidade funcional é um indicador importante na avaliação do idoso, com ou sem patologias conhecidas, e a sua mensuração é imprescindível para a detecção de factores de risco e implementação de estratégias adaptativas que minimizem esse risco. O declínio da capacidade funcional, nomeadamente, ao nível da aptidão física que envolve a redução dos níveis de força muscular, alterações da marcha e alterações do equilíbrio estático estão amplamente assinaladas na literatura como factores de risco major para a ocorrência de quedas na população idosa. As quedas constituem um grave problema de saúde pública. A epidemiologia refere-nos que 32% das pessoas acima dos 65 anos têm pelo menos uma queda por ano; que a frequência é maior em mulheres que em homens...

Risco de quedas em idosos – influência da capacidade funcional, força muscular e composição corporal

Novo, André; Mendes, Eugénia; Preto, Leonel
Fonte: Associação Portuguesa de Enfermeiros de Reabilitação Publicador: Associação Portuguesa de Enfermeiros de Reabilitação
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
66.5%
O processo normal de envelhecimento envolve a perda da capacidade funcional e declínio funcional, causado pela deterioração dos sistemas fisiológicos. O declínio da capacidade funcional, particularmente da capacidade física, que envolve redução dos níveis de força muscular, alteração da marcha e distúrbios do equilíbrio, são amplamente indicados pela literatura como factores de risco major para as quedas em idosos. As quedas são um sério problema de saúde pública: 32% das pessoas acima dos 65 anos tiveram pelo menos uma queda por ano e 5% resultaram em fracturas. A maioria dos idosos que tiveram uma queda voltarão a cair no espaço de 6 meses (Rubenstein, 2006). A auto percepção da diminuição da capacidade de auto-protecção durante a queda (tempo de reacção para se agarrar e colocar as mãos à frente, por ex.) e a habilidade para se levantar depois de cair podem provocar medo de cair e aumentar o declínio funcional por auto-limitação da actividade e auto-restrição na participação (Melo, 2011). O objectivo do nosso estudo foi o de determinar a relação entre o medo de cair, a capacidade funcional e a composição corporal em idosos institucionalizados. Desenhámos um estudo descritivo, correlacional e transversal e...

Qualidade de vida e (in)capacidade funcional de adultos idosos portugueses

Portela, Catarina Isabel Mendes
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.53%
O presente estudo teve como principal objectivo a determinação das relações existentes entre a qualidade de vida (QdV) e a (in)capacidade funcional, numa amostra de adultos idosos portugueses (N = 51). Adicionalmente, pretendeu-se analisar o impacto de outras variáveis na QdV e na funcionalidade dos sujeitos idosos, tais como a situação de vida, o funcionamento cognitivo, a sintomatologia depressiva, a percepção subjectiva de saúde e a idade. Os resultados desta investigação confirmaram a relação entre QdV e funcionalidade, sendo estatisticamente significativa a relação entre a faceta Participação Social do WHOQOL-OLD e o resultado global do IAFAI; assim como na faceta Autonomia, a qual manifestou alguma relação com a capacidade funcional, apesar de não ser significativa. Deste modo, concluímos que uma capacidade funcional comprometida manifesta-se negativamente na QdV, através do impacto na capacidade dos sujeitos para participarem em actividades de vida diária (AVD), especialmente na comunidade (Participação Social) e, também, de viverem de forma autónoma e tomarem decisões (Autonomia). Ainda, o presente estudo permitiu constatar que: a situação de vida permite diferenciar os sujeitos, em termos de QdV e de capacidade funcional (com os sujeitos institucionalizados a apresentar menor qualidade de vida e maior comprometimento da funcionalidade...

Avaliação da capacidade funcional pós-trauma em idosos; Valuation of functional capacity pos trauma in elderly

Biazin, Damares Tomasin
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/08/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.5%
O estudo teve por objetivo avaliar a capacidade funcional de idosos de 60 a 74 anos, antes do trauma e após 6 meses da alta hospitalar. A pesquisa foi conduzida na linha quantitativa através de um estudo observacional, transversal, realizado de julho a dezembro de 2004. Participaram do estudo 121 idosos, residentes na cidade de Londrina, Pr e Região Metropolitana, que sofreram trauma e foram internados em três hospitais gerais, terciários de Londrina. Após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa, os dados foram coletados, no domicílio, por meio de entrevistas, previamente agendadas, com idosos e seus cuidadores, utilizando-se um instrumento de Avaliação do Perfil Social, Estilo de Vida e Problema de Saúde e a Medida de Independência Funcional (MIF) para avaliação da capacidade funcional, e a análise utilizada foi a estatística descritiva. Os resultados evidenciaram que 59,5% dos idosos eram do sexo masculino e 40,5%, do feminino, com uma média de idade de 67,7 anos, sendo 62,0% casados e 19,8% viúvos. Quanto à escolaridade, 49,6% dos idosos referiram ter o primário. A maioria (76,8%) deles tem renda proveniente de aposentadoria, pensão e/ou aluguel e 78,5% têm casa própria. Os traumas sofridos apresentaram a seguinte distribuição: 62...

Impacto da radioterapia torácica na capacidade funcional de pacientes com neoplasia de mama; The impact of radiation therapy on functional capacity in patients with breast cancer

Suesada, Milena Mako
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.47%
Introdução: Durante a radioterapia torácica (RT) para o câncer de mama, parte do parênquima pulmonar adjacente a caixa torácica acaba secundariamente sendo incluída no campo de tratamento, podendo cursar com lesões pulmonares e perdas na capacidade funcional. Essas seqüelas necessitam ser mais bem compreendidas, considerando o bom prognóstico da doença. Objetivos: Avaliar o impacto da RT na capacidade funcional em pacientes com neoplasia de mama. Métodos: Estudo prospectivo que incluiu 41 pacientes consecutivas entre Janeiro de 2008 a Julho de 2009. As pacientes foram submetidas a uma avaliação da capacidade respiratória, da capacidade de exercício e tomografia de tórax de alta resolução antes do início e após 3 meses do término do tratamento. Para a avaliação respiratória foram mensurados a força de músculos respiratórios, mobilidade de caixa torácica e prova de função pulmonar completa. A capacidade de exercício foi avaliada através de teste cardiopulmonar de esforço (ergoespirometria). Foram calculados a dose pulmonar média e o volume pulmonar que recebeu uma dose de 25Gy em valor absoluto (V25cm3) e em porcentagem do volume pulmonar total (V25%). Os sintomas respiratórios (pneumonite) e dermatológicos (dermatite) foram classificados de acordo com escalas previamente descritos na literatura na avaliação final. Resultados: Após 3 meses da RT foram encontrados presença de sintomas de pneumonite actínica e dermatite actínica...

A capacidade funcional de idosas participantes em programas de exercício físico da ESEF/UFRGS

Baldi, Emanuel Lopes
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.5%
O presente estudo tem por objetivo geral descrever e avaliar a capacidade funcional de mulheres idosas que participam de programas de exercício físico na ESEF/UFRGS. O objetivo específico definido foi: verificar se há diferenças significativas na capacidade funcional entre o grupo de idosas que participam do programa de exercício físico gerido pelo projeto “CELARI” (Centro de Esporte, Lazer e Recreação do Idoso) e o grupo de idosas que participam apenas do projeto “Caminhada Orientada” na ESEF/UFRGS. Metodologia: a amostra foi composta de forma mista, uma parte compreendida por dados coletados na prática, referentes ao grupo de mulheres idosas integrantes do projeto “Caminhada Orientada” e outra parte da amostra corresponde aos dados, obtidos de forma secundária, o projeto de extensão “CELARI” coletados em 2011, somando um total de 172 sujeitos. Instrumento: para avaliar a capacidade funcional utilizamos a bateria de testes Fullerton, desenvolvida por Rikli e Jones (1999). Para a descrição do perfil da capacidade funcional dos idosos recorreremos à estatística descritiva, apresentando valores médios e desvios padrão. Nas comparações entre os grupos utilizaremos a estatística inferencial, adotando o teste T Student para amostras independentes. O software adotado será o SPSS v.18 e o nível de significância mantido em 5%. Resultados: força de membros inferiores grupo1 CELARI 19...

Avaliação da capacidade funcional e força muscular respiratória associada ao exercício físico em pacientes com doença renal crônica que realizam hemodiálise

Lin, Sheng Yen
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
66.5%
A Doença Renal Crônica (DRC) é considerada um problema mundial de saúde pública. O paciente com DRC apresenta baixa tolerância ao exercício físico e como conseqüência apresenta limitações na capacidade funcional e força muscular respiratória. O paciente com DRC em programa de hemodiálise pode sofrer impactos negativos na sua capacidade funcional. Objetivo: Avaliar a capacidade funcional e a força muscular respiratória associada ao exercício físico em pacientes com doença renal crônica que realizam hemodiálise. Metodologia: 28 pacientes de ambos os sexos com idade entre 40 e 60 anos participaram do estudo, em programa de hemodiálise no Instituto do Rim da Santa Casa de Misericórdia de Presidente Prudente-SP. Os pacientes foram avaliados pela força muscular inspiratória (PImax) e força muscular expiratória (PEmax) pela manovacuometria e Teste de Caminhada de Seis Minutos (TC6’) para avaliar a capacidade funcional. Após as avaliações, os pacientes iniciaram o programa de atividade física, com duração de oito semanas, realizado 3 vezes por semana durante 40 minutos na hemodiálise. Ao final do programa de exercícios físicos, os pacientes foram reavaliados. Resultados: Na avaliação da força muscular respiratória o valor da PImax pós foi significativamente maior que o valor obtido na avaliação pré programa (p<0...

Capacidade funcional e associação com multimorbidades em mulheres acima de 50 anos = : Functional capacity and the association with multimorbidity in women older than 50 years of age; Functional capacity and the association with multimorbidity in women older than 50 years of age

Luiza Borges Aguiar Noronha
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.47%
Introdução: O envelhecimento populacional no Brasil está atualmente entre os mais acelerados do mundo. Com o aumento da expectativa de vida e do número de idosos, a qualidade de vida desses anos vividos a mais consiste em uma importante preocupação, e está relacionada com a incapacidade funcional e a presença de multimorbidades que acometem essa população em envelhecimento. O objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência de incapacidade funcional e sua associação com multimorbidades em mulheres brasileiras com 50 anos ou mais. Sujeitos e Métodos: Realizou-se uma análise secundária de estudo de corte transversal de base populacional com 622 mulheres com idade igual ou superior a 50 anos, conduzido de 10 de maio a 31 de outubro de 2011, no município de Campinas, São Paulo, Brasil. A amostragem foi realizada através do sorteio de sessenta e seis setores censitários de Campinas, de acordo com uma lista fornecida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por amostragem aleatória simples ou probabilidade igual de seleção. Um questionário contendo sete itens para avaliar capacidade funcional foi aplicado pessoalmente ou por telefone por entrevistadoras treinadas. A incapacidade funcional foi definida pela incapacidade de realizar pelo menos um dos sete ítens. Também foram avaliados auto-percepção da saúde...

Efeitos de um programa de exercício na aptidão física pós transplante hepático: o caso da polineuropatia amiloidótica familiar nas suas componentes composição corporal, capacidade funcional e função neuromuscular

Tomás, Mª Teresa
Fonte: Instituto Politécnico de Lisboa Publicador: Instituto Politécnico de Lisboa
Tipo: Aula
Publicado em /11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.55%
Introdução – A Polineuropatia Amiloidotica Familiar (PAF) é uma amiloidose sistémica heredo-degenerativa e autossómica dominante, e cuja manifestação predominante é a polineuropatia mista sensitiva motora e autonómica. Aos sintomas motores e sensitivos associam-se também alterações cardíacas, renais, urinárias, genitais e digestivas que se traduzirão em incapacidade funcional progressiva. Esta doença endémica de Portugal apresenta o seu início em média depois dos 20 anos com progressão para a morte em cerca de 10 anos. O tratamento etiopatogénico desta doença, com reconhecida eficácia, passa ainda pelo transplante hepático que apesar de tudo é efectuado já numa fase sintomática da doença e ao qual se encontra associada medicação com efeitos negativos para o metabolismo muscular e consequentemente para a capacidade de produção de força. Tanto a progressão da PAF como o próprio transplante resultam em limitações funcionais que podem ser melhoradas através do exercício físico. Do nosso conhecimento não existem estudos sobre a aptidão física destes pacientes submetidos a transplante hepático nem sobre os efeitos de um programa de exercício físico. Objectivo: Verificar o efeito de um programa de exercício físico combinado na aptidão física de indivíduos portadores de PAF submetidos a transplante hepático há menos de 12 meses. Adicionalmente...

Influência de um programa de exercício físico na aptidão física pós-transplante hepático. O caso da polineuropatia amiloidótica familiar nas suas componentes composição corporal, capacidade funcional e função neuromuscular

Tomás, Maria Teresa Barreiros Caetano
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa Publicador: Universidade Técnica de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.55%
Doutoramento em Motricidade Humana na especialidade de Actividade Física e Saúde; Introdução – A Polineuropatia Amiloidotica Familiar (PAF) é uma amiloidose sistémica heredo-degenerativa e autossómica dominante, e cuja manifestação predominante é a polineuropatia mista sensitiva motora e autonómica. Aos sintomas motores e sensitivos associam-se também alterações cardíacas, renais, urinárias, genitais e digestivas que se traduzirão em incapacidade funcional progressiva. Esta doença endémica de Portugal apresenta o seu inicio em média depois dos 20 anos com progressão para a morte em cerca de 10 anos. O tratamento etiopatogénico desta doença, com reconhecida eficácia, passa ainda pelo transplante hepático que apesar de tudo é efectuado já numa fase sintomática da doença e ao qual se encontra associada medicação com efeitos negativos para o metabolismo muscular e consequentemente para a capacidade de produção de força. Tanto a progressão da PAF como o próprio transplante resultam em limitações funcionais que podem ser melhoradas através do exercício físico. Do nosso conhecimento não existem estudos sobre a aptidão física destes pacientes submetidos a transplante hepático nem sobre os efeitos de um programa de exercício físico. Objectivo: Verificar o efeito de um programa de exercício físico combinado na aptidão física de indivíduos portadores de PAF submetidos a transplante hepático há menos de 12 meses. Adicionalmente...

Envelhecimento ativo, capacidade funcional e atividade física: análise de fatores que contextualizam o processo de envelhecimento e sua percepção por parte de pessoas idosas

Pinto, Paulo Ferreira
Fonte: Faculdade de Ciências Médicas Publicador: Faculdade de Ciências Médicas
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.57%
RESUMO: O envelhecimento populacional saudável ocupa parte da agenda do processo do envelhecimento humano, retratando uma preocupação social com repercussões nas economias societárias. O processo de envelhecimento, quando abordado fora do paradigma do envelhecimento saudável, desconsidera socialmente o potencial humano das pessoas idosas, promovendo a segregação e motivando atitudes de preconceito e discriminação, além de desperdiçar a experiência, o saber, a cultura e a capacidade de participação da pessoa idosa como contributo para a sociedade a que ela está inserida. O foco central da Política Nacional de Saúde do Idoso brasileira se inscreve na promoção de um envelhecimento saudável, nomeadamente por meio da manutenção da capacidade funcional ao valorizar a autonomia, a independência física e a integridade mental da pessoa idosa. O desafio para a viabilização do processo de envelhecimento ativo e bem-sucedido consiste na maximização das capacidades, potencialidades e recursos pessoais, comunitários e políticos. Pressupõe, também, uma concepção ampliada de viver, contextualizada no contínuo da vida, capaz de externar a preocupação com a saúde e o bem-estar, integrando as pessoas em fase de envelhecimento no contexto do ciclo de vida. Diante do exposto...

Influência das características sociodemográficas e epidemiológicas na capacidade funcional de idosos residentes em Ubá, Minas Gerais

Nunes,Maria Célia R.; Ribeiro,Rita C. L.; Rosado,Lina E. F. P. L.; Franceschini,Sylvia C.
Fonte: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia Publicador: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.5%
OBJETIVO: O objetivo deste trabalho foi conhecer a capacidade funcional de idosos e seus determinantes. MÉTODOS: Foi realizado um estudo transversal de base populacional com amostra de 397 idosos residentes na zona urbana da cidade de Ubá, Minas Gerais. Foi aplicado um questionário semiestruturado e pré-testado em forma de entrevista para avaliar as características sociodemográficas, econômicas e de saúde dos idosos. A capacidade funcional foi avaliada por meio da escala de atividades de vida diária básica e instrumental. Investigou-se a associação entre a capacidade funcional e as características socioeconômicas, demográficas e epidemiológicas. Os dados foram analisados nos programas Epi info, Versão 6.0 e Sigma. Considerou-se o nível de significância de 0,05. Para análise estatística, realizou-se a distribuição de frequência, medidas de associação (Odds Ratio) entre a capacidade funcional e as variáveis socioeconômicas, demográficas e epidemiológicas e análise de regressão logística múltipla. RESULTADOS: O comprometimento da capacidade funcional está relacionado a piores condições de saúde autorreferidas, às quedas, ao sexo feminino, à viúvez, a idosos mais velhos, à baixa escolaridade e à baixa renda e a não estar ativo no mercado de trabalho. CONCLUSÃO: Ações de atenção integral à saúde do idoso precisam ser efetivadas...

Capacidade funcional e força muscular respiratória de candidatos ao transplante hepático

Pereira,José Leonardo Faustini; Figueredo,Tanara Carreira Meus; Galant,Lucas Homercher; Forgiarini Junior,Luiz Alberto; Marroni,Cláudio Augusto; Monteiro,Mariane Borba; Dias,Alexandre Simões
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2011 PT
Relevância na Pesquisa
66.48%
INTRODUÇÃO: A doença hepática crônica resulta em grande impacto funcional, causando perda de massa e função muscular com consequente redução da capacidade funcional. OBJETIVO: Avaliar e comparar a força muscular respiratória e a capacidade funcional dos candidatos ao transplante hepático que possuem classe B ou C segundo o Child-Pugh Score e correlacionar estas variáveis dentro de cada grupo. MÉTODOS: Estudo transversal, com amostra de conveniência composta por 35 pacientes, divididos em dois grupos a partir da pontuação obtida no Child-Pugh Score, sendo B (19 pacientes) e C (16 pacientes). Todos os indivíduos foram avaliados em um único momento, sendo mensuradas as pressões inspiratória máxima (PImáx) e expiratória máxima (PEmáx) e a distância percorrida no teste de caminhada de seis minutos (TC6M). RESULTADOS: Os indivíduos classificados com Child-Pugh Score B apresentaram maiores valores na PImáx (-86,05 ± 23,89 vs. -57,94 ± 14,14), p = 0,001, na PEmáx (84,16 ± 28,26 vs. 72,00 ± 16,94), p = 0,142, e na distância percorrida no TC6M (473,63 ± 55,276 vs. 376,13 ± 39,00), p = 0,001. Encontramos, ainda, correlação positiva entre os valores da PImáx e a distância percorrida no TC6M dentro grupo Child-Pugh Score B...

Percepção subejtiva de esforço em teste com cargas constantes na diferenciação da capacidade funcional de idosos

Souza, Douglas Martins de
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 88p. : tabs., grafs.; application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
66.48%
Orientador : Prof. Dr. Gleber Pereira; Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Defesa: Curitiba, 24/02/2014; Inclui referências; Área de concentração: Exercício e esporte; Resumo: O objetivo do estudo foi verificar se a percepção subjetiva de esforço reportada em testes com cargas constantes pode ser utilizada para diferenciar a capacidade funcional de idosos. A amostra foi composta por 39 idosos acima de 60 anos, sendo quatro homens (68,7 ± 6,1 anos; 85 ± 25,1 kg; 1,70 ± 0,3 m; 29,7 ± 8,5 kg/m2) e 35 mulheres (67,1 ± 4,9 anos; 69,2 ± 8,8 kg;1,56 ± 0,4 m; 28,44 ± 2,2 kg/m2). Todos foram ao laboratório em 4 dias diferentes, com intervalo de 7 dias entre cada avaliação. Os dois primeiros dias serviram de familiarização para os testes a serem realizados no 3o e 4o dias, além de serem coletados dados de força máxima para membros superiores e inferiores, capacidade funcional e nível de atividade física. Nos dois últimos dias foram aplicados testes físicos submáximos, com carga constante, para membros superiores (flexão e extensão de cotovelos durante um minuto com carga de 2kg em cada braço para mulheres e 3kg para os homens) e outro para membros inferiores (teste de caminhada em esteira durante 5 minutos a 4 km/h)...

Condições de saúde bucal e capacidade funcional em idosos

Silva, Diviane Alves da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Odontologia; Odontologia Preventiva e Social; Periodontia e Prótese Dentária Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Odontologia; Odontologia Preventiva e Social; Periodontia e Prótese Dentária
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.55%
Population aging is one of the greatest challenges to contemporary public health and, in this perspective, the functional capacity emerges as an important feature in geriatric assessment. The oral health of elderly, in turn, deserves special attention because, historically, in the dental services, this population group was not considered a priority for attention, which is verified by high rates of edentulism found even among these individuals. The present study proposes to examine the relationship between oral health status and functional capacity in an elderly population. To this end, intra-oral epidemiological examination was performed to assess the degree of dental caries, periodontal status, use and need of prosthesis and the presence of lesions. Functional capacity was assessed by the Independence in Activities of Daily Living, which considers the independence or not in the performance of six self-care functions. Socioeconomic and demographic characteristics and general health status were also investigated, in view of the possibility of intervention of these variables in the investigated relation. An factor analysis of the principal components was conducted which resulted four indicators of oral health conditions, representative of the population studied. 441 seniors were enrolled with mean age of 71.7 (± 8.7) years...

Efeitos do exercício físico não-supervisionado na capacidade funcional e na qualidade de vida de portadores de insuficiência cardíaca crônica; Effects of unsupervised exercise training on functional capacity and quality of life in patients with heart failure chronic

MORAIS, Elizabeth Rodrigues de
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde - Medicina Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde - Medicina
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.54%
Introduction: Patients with chronic heart failure often have limiting symptoms such as breathlessness, fatigue and effort intolerance that impair substantially the functional capacity and quality of life. It is known that physical exercise is an important adjuvant treatment of heart failure. When performed supervised, offers many benefits, among them improved functional capacity and quality of life. On the other hand, little is known about these effects when performed in a unsupervised manner. Objectives: To evaluate the impact of a program of unsupervised exercise on the quality of life and functional capacity of patients with chronic heart failure, and assess adherence to the proposed exercise. Methods: Using a controlled clinical trial randomized into two groups, 22 patients with heart failure, who attended the outpatient Heart Failure, Hospital das Clinicas, Federal University of Goias, aged between 18 and 85 years, both sexes, class II or III and of any origin. The GT-training group (n = 13) were walking on a unsupervised for 10 weeks and educational workshop. The control group-CG (n = 9) received only educational workshop. Both groups underwent assessment of functional test through the six-minute walk (6MWT) and the assessment of quality of life using the SF-36...

Capacidade funcional de idosos com vertigem posicional parxística benigna; Functional capacity of Elderly with Benign Paroxysmal positional vertigo

ALVARENGA, Gabriella Assumpção
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde - Medicina Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde - Medicina
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.53%
Dissertation built modality scientific article. In the first article submitted to "Journal of Otolaryngology" with the title benign paroxysmal positional vertigo without nystagmus: diagnosis and treatment, there was a literature review, using the following keywords: "dizziness / vertigo, diagnosis / diagnosis, therapeutic / therapeutical approaches. " Scientific publications are included in the period 2001-2009 in Portuguese, English and German. We found nine papers dealt with BPPV without nystagmus, whose diagnosis was based exclusively on clinical history and physical examination. The treatment of BPPV without nystagmus was made by Epley maneuvers, Semont, discharge modified for posterior semicircular canal and Brandt-Daroff exercises. All show that 50% to 97.1% of patients with BPPV without nystagmus, had remission of symptoms, while patients with BPPV nystagmus with remission of symptoms ranged from 76% to 100%. Hence one can conclude that the differences may not be significant, which demonstrates the need for further studies on BPPV without nystagmus. In the second paper, Functional Capacity of Elderly with benign paroxysmal positional vertigo, compared the functional capacity among elderly patients with BPPV and elderly without clinical diagnosis of BPPV and that / or dizziness or vertigo...

Influência das comorbidades na capacidade funcional de pacientes com artrite reumatoide; The influence of comorbidities in the physical function in patients with rheumatoid arthritis

Marques, Wanessa Vieira
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (FM); Faculdade de Medicina - FM (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (FM); Faculdade de Medicina - FM (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.53%
Patients with rheumatoid arthritis (RA) present higher prevalence of comorbidities. Such comorbidities are associated with different outcomes in RA patients, such as mortality risk, increase in disability, impact on RA specific treatment and higher medical costs. The purpose of this study was to assess the influence of comorbidities on the functional capacity and mobility of the affected individuals, and to identify, among the comorbidity indicators, the most appropriate to determine association between comorbidities and physical function on these patients. In a cross-sectional study we included 60 patients with RA fulfilling the American College of Rheumatology criteria (ACR, 1987) over a period of 11 months, both male and female between 43 and 80 years old. Comorbidities were assessed by means of three indicators: (i) total number of comorbidities (NCom) reported by the patients and listed on their medical records; (ii) the Charlson comorbidity index (CCI); and (iii) the functional comorbidity index (FCI). The activity of disease was evaluated by the Disease Activity Score, based on 28 joints and erythrocyte sedimentation rate value (DAS28/ESR). The participants’ functional capacity was measured using the Health Assessment Questionnaire (HAQ)...

Relationship between physical capacity and quality of life in workers university; Capacidad funcional y calidad de vida relacionada con la salud en trabajadores de una institución universitaria; CAPACIDADE FUNCIONAL E QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA COM A SAÚDE EM TRABALHADORES DE UMA INSTITUIÇÃO UNIVERSITÁRIA

Uribe Vélez, Yeni Lorena; Dosman González, Viviana Andrea; Triviño Quintero, Lisbeth Patricia; Agredo Zúñiga, Ricardo Antonio; Jerez Valderrama, Alejandra María; Ramírez-Vélez, Robinson María
Fonte: Universidade do Rosário Publicador: Universidade do Rosário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 03/11/2010 SPA
Relevância na Pesquisa
66.61%
Aim: Examine the relationship between the functional capacity and the quality of life related to health in university workers. Methodology: Cross-sectional study in 146 subjects, divided in two groups: Low functional Capacity (< 9 METs) and High functional Capacity (> 9.1 METs). We evaluated quality of life related to health (HRQOL-Health Questionnaire SF-12) and functional capacity (Questionnaire PAR/PAF) as indicators of health status. Results: 47.3% (69 men) and 52.7% (78 women). The average age of the groups was 35.0 ± 9.7 years (range 19,0-60,0 years). For HRQOL, the average found in the population assessed was 45.2 ± 4.42 (range 33,0-58,1) and 43.8 ± 6.87 (range 19,8-43,8) in components Physical Component Summary (PCS-12) and Mental Component Summary (MCS-12), respectively p = NS. Significant differences were found when comparing functional ability and sex, p<0,001 in both groups. Similarly, sex and mental component MCS-12 (group of Lower Functional) p = 0,049 as well as women and the physical component PCS-12, p = 0,05 between groups. Finally, a better score in HRQL observed in the group of High Capacity and functional components in both sex OR 0.59 (0.25-1.38). Conclusions: The results of this study demonstrate the relationship between High functional Capacity and a better HRQOL in this population.; Objetivo: Estudiar la relación entre la capacidad funcional y la calidad de vida relacionada (CVRS) con la salud en un grupo de trabajadores de una institución universitaria. Metodología: Estudio transversal que incluyó 146 trabajadores divididos en dos grupos: Grupo de Baja Capacidad funcional (< 9 METs) y Grupo de Alta Capacidad funcional (> 9...

ANALISE DA CAPACIDADE FUNCIONAL DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS A PARTIR DA AUTO-AVALIAÇÃO

Oliveira, Daniel Vicentini; Faria, Terezinha Gomes; Morales, Rosangela Cocco; Benedeti, Marcia Regina
Fonte: Conexões Publicador: Conexões
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 11/08/2009 POR
Relevância na Pesquisa
66.51%
Este estudo teve como objetivo analisar a capacidade funcional para a realização das atividades da vida diária (AVDs) de idosos residentes nas instituições assistenciais do município de Maringá/PR, bem como determinar a média de idade, prevalência de gênero, capacidade funcional correlacionada com a idade cronológica e com o gênero, assim como com o tempo de institucionalização. O instrumento utilizado foi o protocolo intitulado “Ficha de Auto-Avaliação da Capacidade Funcional” composto por 18 itens que avaliam a capacidade do indivíduo em realizar as tarefas básicas do cotidiano de um idoso. O estudo foi desenvolvido em três instituições asilares filantrópicas do município de Maringá-PR, com 70 idosos. Deste total, 40 do gênero masculino e 30 do feminino, com idade variando entre 60 e 101 anos, no período compreendido entre Agosto e Outubro de 2008. Obteve-se como resultados um alto índice de dependência na realização das atividades da vida diária, sendo a capacidade funcional classificada como baixa (47%) ou moderada (49%). O trabalho revelou ainda um baixo índice de independência total (4%) além da importância da participação de profissionais da área da saúde devidamente habilitados. Desta forma...