Página 1 dos resultados de 1765 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Energy expenditure in critically ill surgical patients. Comparative analysis of predictive equation and indirect calorimetry; Gasto energético em pacientes cirúrgicos. Análise comparativa entre equação preditiva e calorimetria indireta

MARTINS, Maria Auxiliadora; MENEGUETI, Mayra Gonçalves; NICOLINI, Edson Antônio; PICOLO, Michele Ferreira; LAGO, Alessandra Fabiane; MARTINS FILHO, Olindo Assis; BASILE FILHO, Anibal
Fonte: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Publicador: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
37.2%
PURPOSE: The aim of this investigation was to compare the resting energy expenditure (REE) calculated by the Harris-Benedict equation (REE HB) with the REE measured by indirect calorimetry (REE IC) in critically ill surgical patients under mechanical ventilation. METHODS: Thirty patients were included in this work. REE was calculated by the Harris-Benedict equation (REE HB) using real body weight, and it was also measured by indirect calorimetry (REE IC), which was performed for 30 minutes. RESULTS: REE HB had significant (p < 0.0005) but low correlation (Spearman r = 0.57) with REE IC, with a mean bias of 12 kcal.d-1 and limits of agreement ranging from - 599.7 to 623.7 kcal.d-1 as detected by the Bland-Altman analysis. CONCLUSION: These findings suggest that REE IC seems to be more appropriate than REE HB for accurate measurement of REE in critically ill surgical patients under mechanical ventilation.; OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi comparar o gasto energético de repouso (GER), calculado pela equação de Harris-Benedict (GER HB) com o GER medido pela calorimetria indireta (GER CI) em pacientes cirúrgicos gravemente enfermos em ventilação mecânica. MÉTODOS: Trinta pacientes foram incluídos nesta investigação. O gasto energético de repouso foi calculado pela equação de Harris-Benedict (GER HB) utilizando o peso corporal real e medido pela calorimetria indireta (GER CI). A calorimetria indireta foi realizada durante 30 minutos. RESULTADOS: O gasto energético de repouso calculado pela equação de Harris-Benedict mostrou uma correlação significativa (p < 0...

Indirect calorimetry can be used to measure cardiac output in septic patients?; A calorimetria indireta pode ser utilizada para medir o débito cardíaco em pacientes sépticos?

MARTINS, Maria Auxiliadora; COLETTO, Francisco Antônio; CAMPOS, Antônio Dorival; BASILE-FILHO, Anibal
Fonte: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Publicador: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
37.03%
PURPOSE: The aim of this study was to compare two different cardiac output (CO) monitoring systems based on the thermodilution principle (Thermo-CO) and indirect calorimetry (Fick mixed-CO) in septic patients. METHODS: Prospective study in septic patients admitted in an intensive care unit of a university hospital. Nineteen patients aged on average 45.4 ± 21.5 years were enrolled in the study. Four series of hourly measurements by the two techniques were carried out simultaneously. RESULTS: No significant differences were observed between Thermo-CO and Fick mixed-CO (7.0 ± 1.8 L.min-1 and 6.4 ± 1.7 L.min-1.). Parallel analysis of Fick mixed-CO and Fick atrial-CO was performed introducing a correction factor for the eight atrial samples in order to adjust the values of oxygen saturation obtained from atrial blood (Fick corrected atrial-CO) to those obtained from mixed venous blood. No significant differences could be detected between Fick mixed-CO and Fick corrected atrial-CO. The correlation coefficients of Thermo CO/Fick mixed-CO and Fick mixed-CO/Fick corrected atrial-CO were 0.84 and 0.94, respectively. CONCLUSION: We observed that the agreement between the two methods was satisfactory on the basis of the decisions made for treatment. Indirect calorimetry is useful to measure CO in patients with septic shock.; OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi comparar as medidas do débito cardíaco (DC) obtidas pela termodiluição (DC-termo) e pela calorimetria indireta (DC-Fick misto) em pacientes com choque séptico. MÉTODOS: Estudo prospectivo em pacientes sépticos internados em unidade de terapia intensiva de um hospital universitário. Foram estudados 19 pacientes (45...

Calorimetria indireta x Harris Benedict: determinação, validação e comparação para cálculo da taxa metabólica de repouso em obesos grau III.; Indirect calorimetry x Harris Benedict: determination, validation and comparision to calculate rest metabolic rate in morbidly obese.

Nonino, Carla Barbosa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/03/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.13%
Vários estudos analisando a taxa de metabolismo de repouso (TMR) contribuíram com equações cuja proposta era estabelecer padrões que pudessem ser genericamente utilizadas para se estimar a TMR. A equação de Harris-Benedict (HB), permanece como o método mais comumente utilizado para estimar a TMR. Porém, em indivíduos obesos o uso de equações preditivas da TMR pode levar a resultados conflitantes. Indivíduos obesos submetidos a dietas hipocalóricas podem apresentar uma diminuição da TMR e do gasto energético total. Isto pode ser a causa da redução na velocidade da perda de peso durante o tratamento. Outros estudos mostram que a TMR, quando corrigida para a massa livre de gordura (MLG), apresenta pouca variabilidade e propõem uma correlação entre MLG e TMR. Porém ainda existem dificuldades em se afirmar ou não se a redução de massa corporal também reduz a TMR. O presente estudo teve como objetivos determinar a TMR de indivíduos com obesidade grau III (IMC > 40 kg/m2) do sexo feminino obtida por meio de calorimetria indireta (CI) e comparar com a TMR estimada por meio da equação de HB utilizando-se peso atual e peso ideal. Relacionar a TMR medida por CI com a composição corporal e validar a relação entre a TMR e a MLG nestes indivíduos antes e após a perda de peso. As pacientes foram internadas na Unidade Metabólica da Divisão de Nutrologia do Departamento de Clínica Médica do HCFMRP-USP...

Gasto energético de pacientes em ventilação mecânica: estudo comparativo das modalidades controlada e assistida através da calorimetria indireta

Höher, Jorge Amilton
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.03%
A necessidade de estimar com precisão o gasto energético dos pacientes gravemente doentes é cada vez mais importante para que se possa planejar uma nutrição adequada. Está bem estabelecido que tanto a desnutrição quanto o excesso alimentar prejudicam a evolução favorável destes doentes, especialmente quando estão sob ventilação mecânica. O objetivo do presente estudo foi comparar o Gasto Energético Total (GET) dos pacientes ventilados mecanicamente nos modos controlado e assistido, através da calorimetria indireta, medidos pelos monitores de gases TEEM-100 e DATEX-OHMEDA, verificando a necessidade de ajuste no aporte calórico em cada modo, correlacionando-os com a equação de Harris-Benedict (H-B). Foram estudados 100 pacientes em que os gases exalados (CO2 e O2) foram medidos durante 20 minutos em cada modo ventilatório (controlado e assistido) e o gasto energético calculado pela fórmula de “Weir”, determinando o GET, em 24 horas e comparado com o GET estimado pela equação de H-B. A média do escore APACHE II foi 21,1± 8,3. A média dos valores estimados pela equação de H-B foi de 1853,87±488,67 Kcal/24 h, considerando os fatores de atividade e estresse. Os valores médios obtidos pela calorimetria indireta (CI) foram de 1712...

Gasto energético medido por calorimetria indireta em adolescentes asmáticos com excesso de peso

Benedetti, Franceliane Jobim
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.89%
Objetivos: Medir o gasto e estimar a ingestão energética de adolescentes asmáticos com excesso de peso e comparar com asmáticos eutróficos e não asmáticos com excesso de peso. Metodologia: Estudo transversal incluindo 69 adolescentes de 10 a 18 anos. Foram comparados três grupos que foram pareados. Para avaliação nutricional utilizaram-se medidas antropométricas e de composição corporal. O gasto energético foi medido por calorimetria indireta e a ingestão energética estimada por inquéritos alimentares. Resultados: Cada grupo era composto por 23 adolescentes, sendo 13 do sexo masculino, com média de idade 12,39±2,40 anos. Os resultados a seguir são apresentados, respectivamente, para os grupos: asmáticos com excesso de peso; asmáticos eutróficos e não asmáticos com excesso de peso: índice de massa corporal (24,83 ± 2,73Kg/m2), (19,01 ± 2,10 Kg/m2) e (25,35 ± 3,66Kg/m2); gasto energético de repouso (GER) (1550,24±547,23Kcal/dia), (1540,82±544,22Kcal/dia) e (1697,24 ± 379,84Kcal/dia); estimativa da ingestão energética (2068,75± 516,66Kcal/dia), (2174,05± 500,55Kcal/dia) e (1673,17 ± 530,68Kcal/dia). O GER não foi estatisticamente diferente entre os grupos, mesmo quando ajustado pela massa magra e massa gorda (f=0...

Gasto energético em ventilação mecânica : existe concordância entre a equação de Ireton-Jones e a calorimetria indireta?; Energy expenditure in mechanical ventilation : is there an agreement between the Ireton-Jones equation and indirect calorimetry?

Santos, Laura Jurema dos; Balbinotti, Laíse; Marques, Anne y Castro; Alscher, Sônia; Vieira, Silvia Regina Rios
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Objetivo: Avaliar a concordância entre o gasto energético mensurado pela calorimetria indireta e o estimado pela fórmula de Ireton-Jones de pacientes críticos em ventilação mecânica assistida. Métodos: Participaram do estudo indivíduos aptos a interromper o suporte ventilatório, internados entre agosto de 2006 e janeiro de 2007, no centro de terapia intensiva do Hospital de Clínicas de Porto Alegre – RS. O gasto energético foi mensurado pela calorimetria indireta usando monitor específico, assim como calculado pela fórmula de Ireton-Jones. Os valores encontrados foram analisados por meio do teste t de Student e pelo método de Bland and Altman, e expressos pela média ± desvio padrão, com nível de significância p<0,05. Resultados: Foram incluídos no estudo quarenta pacientes, com idade média de 56±16 anos e índice APACHE II 23±8. O gasto energético mensurado pela calorimetria indireta foi de 1558±304kcal/24h, enquanto o estimado por Ireton-Jones foi de 1689±246kcal/24h. Houve diferença estatisticamente significativa entre as médias do gasto energético mensurado e estimado para o mesmo indivíduo (p<0,004). Os limites de concordância entre a calorimetria indireta e a equação de Ireton-Jones foram de –680...

Calorimetria indireta em crianças e adolescentes com bronquiolite obliterante pós-infecciosa

Paludo, Juliana
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.13%
Objetivos: Quantificar o gasto energético de crianças e adolescentes com bronquiolite obliterante pós-infecciosa acompanhados em ambulatório de pneumologia pediátrica e comparar com crianças e adolescentes hígidos. Metodologia: Estudo transversal com grupo controle incluindo 72 crianças e adolescentes de 8 a 18 anos. Comparou-se dois grupos de 36 indivíduos, um com diagnóstico de BO e outro hígido, os quais foram pareados pelo gênero, idade e classificação do IMC. Para avaliação nutricional utilizou-se a antropometria e a composição corporal. O gasto energético foi medido pela calorimetria indireta; o fator atividade pelo recordatório 24h de atividades físicas e a ingestão energética pelos inquéritos alimentares. Resultados: Os resultados a seguir são apresentados, respectivamente, para o grupo BO e para o grupo controle: idade (11,8 ± 2,7) e (12,3 ± 2,8); índice de massa corporal (18,9 ± 4,0 Kg/m2) e (18,8 ± 3,4 Kg/m2); gasto energético de repouso (GER) (1717,6 ± 781,5) e (2019,9 ± 819); gasto energético total (GET) (2677,5 ± 1514,0 Kcal/dia) e (3396,1 ± 1557,9Kcal/dia); estimativa da ingestão energética (2294,1 ± 746,7Kcal/dia) e (2116,5 ± 612,1Kcal/dia). O GER e GET não foram estatisticamente diferentes entre os grupos (p= 0...

Avaliação nutricional de pacientes com cirrose pelo vírus da hepatite C : a aplicação da calorimetria indireta; Nutritional assessment in patients with cirrhosis : the use of indirect calorimetry

Gottschall, Catarina Bertaso Andreatta; Álvares-da-Silva, Mário Reis; Camargo, Ana Cristina Riehs; Burtett, Renata Medeiros; Silveira, Themis Reverbel da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Racional - A desnutrição é freqüente em cirróticos, mas sua avaliação é difícil. A predição do gasto energético basal pela equação de Harris-Benedict não está validada neste grupo. A alternativa seria mensurá-la através da calorimetria indireta. Objetivos – Realizar avaliação nutricional em cirróticos, aferir o gasto energético basal pela calorimetria indireta e compará-lo ao estimado pela equação de Harris-Benedict. Material e Métodos - Estudaram-se 34 adultos com cirrose pelo vírus da hepatite C, em acompanhamento ambulatorial, classificados de acordo com Child-Pugh e escore “model of end-stage liver disease”. O gasto energético basal foi estimado pela equação de Harris-Benedict e medido pela calorimetria indireta. Avaliação nutricional foi realizada por antropometria, avaliação nutricional subjetiva global, dinamometria e inquérito recordatório. Resultados – Em relação à classificação de Child-Pugh, 15 (44,2%) eram A, 12 (35,3%) B e 7 (20,6%) C e 33 (97,1%) apresentaram valores inferiores a 20 no escore “model of end-stage liver disease”. O gasto energético basal estimado foi maior do que o medido (Harris-Benedict 1404,5 ± 150,3 kcal; calorimetria indireta 1059,9 ± 309,6 kcal). A prevalência de desnutrição variou entre os métodos (índice de massa corpórea...

Determinação do gasto energético basal medido por calorimetria indireta em pacientes com carcinoma epidermóide de esôfago; The objective of this study was to determine the Basal Energy Expenditure (BEE) of patients with squamous cell carcinoma (SCC) of the esophagus by indirect calorimetry (IC)

Becker, Camila Beltrame
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.89%
Objetivo: O objetivo do presente estudo foi determinar o Gasto Energético Basal (GEB) através da Calorimetria Indireta (CI) em pacientes com carcinoma epidermóide de esôfago (CEE). Métodos: Estudo transversal com 30 pacientes internados com diagnóstico de CEE submetidos à CI antes de iniciar a terapia oncológica. A avaliação nutricional foi realizada a partir de parâmetros antropométricos (Índice de Massa Corporal, Circunferência do Braço, Dobra Cutânea Triciptal, Circunferência Muscular do Braço e Percentual de Perda de Peso), parâmetros bioquímicos (albumina, transferrina e Proteína C Reativa) e bioimpedância tetrapolar. Além disso, foram determinados a capacidade pulmonar e o estadiamento clínico. A CI foi realizada depois de uma noite de jejum. Valores de p < 0,05 foram considerados estatisticamente significativos. Resultados: A média do GEB pela CI foi de 1.421,8 ± 348,2 kcal e pela Equação de Harris e Benedict (EHB) de 1.310,6 ± 215,1 kcal. A EHB subestimou o GEB comparado com a CI (p= 0,014). Foi encontrada diferença significativa no GEB entre os pacientes desnutridos (1.181,7 ± 278,1 kcal) e bem nutridos (1.509,1 ± 334,1 kcal) pelo IMC (p=0,020). Pelo %PP não foram encontradas diferenças significativas entre o GEB dos pacientes com PP significativa e não significativa (p=0...

Investigação da cinética de cura por calorimetria diferencial exploratória (DSC) de resinas epóxi preparadas a partir de óleo de soja epoxidado com diferentes anidridos e aminas terciárias; Investigation of the kinetics of cure by differential scanning calorimetry (DSC) of epoxy resins prepared from epoxidized soybean oil with different anhydrides and tertiary amines

Costa, Ana Paula Oliveira; Gerbase, Annelise Engel; Petzhold, Cesar Liberato
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.89%
No presente trabalho, utilizou-se a calorimetria diferencial exploratória (DSC) para investigar a cinética da reação de cura de resinas epóxi produzidas a partir da reação do óleo de soja epoxidado (ESO), com os anidridos dodecenilsuccínico (DDS), maleico (MAL), ftálico (FTA), succínico (SUC) e hexahidroftálico (CH), atuando como agentes de cura, e na presença de aminas terciárias como a trietilamina (TEA), a N,N’-dimetilanilina (ARO) e a 1,4- diazobiciclo[2,2,2]octano (DABCO), atuando como catalisadores. A taxa de aquecimento, a natureza química e a estrutura do anidrido e das aminas influenciaram a reação de cura. Os métodos dinâmicos de Kissinger, Ozawa e de Barrett foram utilizados para calcular a energia de ativação dos sistemas onde se variou o anidrido. Observou-se que os anidridos mais reativos foram o DDS e maleico que apresentaram os menores valores de energias de ativação. No estudo da influência do catalisador, utilizou-se o método de Barrett para determinar as energias de ativação das reações com as diferentes aminas. A amina cicloaliafática (DABCO) foi a mais reativa obtendo-se o menor valor de energia de ativação (Ea = 51 kJ.mol–1) e fator pré- exponencial (ln A = 9 s–1).; In the present work...

Avaliação nutricional de pacientes com cirrose pelo vírus da hepatite C: a aplicação da calorimetria indireta

Gottschall,Catarina Bertaso Andreatta; Álvares-da-Silva,Mário Reis; Camargo,Ana Cristina Riehs; Burtett,Renata Medeiros; Silveira,Themis Reverbel da
Fonte: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED Publicador: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
RACIONAL: A desnutrição é freqüente em cirróticos, mas sua avaliação é difícil. A predição do gasto energético basal pela equação de Harris-Benedict não está validada neste grupo. A alternativa seria mensurá-la através da calorimetria indireta. OBJETIVOS: Realizar avaliação nutricional em cirróticos, aferir o gasto energético basal pela calorimetria indireta e compará-lo ao estimado pela equação de Harris-Benedict. MATERIAL E MÉTODOS: Estudaram-se 34 adultos com cirrose pelo vírus da hepatite C, em acompanhamento ambulatorial, classificados de acordo com Child-Pugh e escore "model of end-stage liver disease". O gasto energético basal foi estimado pela equação de Harris-Benedict e medido pela calorimetria indireta. Avaliação nutricional foi realizada por antropometria, avaliação nutricional subjetiva global, dinamometria e inquérito recordatório. RESULTADOS: Em relação à classificação de Child-Pugh, 15 (44,2%) eram A, 12 (35,3%) B e 7 (20,6%) C e 33 (97,1%) apresentaram valores inferiores a 20 no escore "model of end-stage liver disease". O gasto energético basal estimado foi maior do que o medido (Harris-Benedict 1404,5 ± 150,3 kcal; calorimetria indireta 1059,9 ± 309,6 kcal). A prevalência de desnutrição variou entre os métodos (índice de massa corpórea...

Calorimetria indireta: uma ferramenta para adequação das necessidades energéticas dos recém-nascidos de muito baixo peso ao nascer

Soares,Fernanda V. M.; Moreira,Maria E. L.; Abranches,Andrea D.; Ramos,José R. M.; Gomes Junior,Saint C. S.
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.03%
OBJETIVO: Verificar o gasto energético de repouso dos recém-nascidos de muito baixo peso ao nascer através da calorimetria indireta. MÉTODOS: Estudo transversal com 29 recém-nascidos de muito baixo peso ao nascer, clinicamente estáveis, recebendo dieta > 100 kcal/kg/dia. A desnutrição foi determinada como todo escore z do peso para idade ≤ -2 DP. A aferição do gasto energético de repouso foi realizada através da calorimetria indireta com o sistema aberto. RESULTADOS: No momento do exame, o peso médio foi de 1.564±393 g, idade corrigida de 35±3 semanas, e a desnutrição estava presente em 62,1%. O valor médio da taxa metabólica basal foi de 57,01±7,76 kcal/kg/dia, maior do que o usado como referência. CONCLUSÃO: O elevado gasto energético de repouso pode estar exercendo um forte impacto no desenvolvimento da desnutrição no período de hospitalização, pois o gasto energético de repouso é o principal componente calórico do gasto energético total.

Gasto energético em ventilação mecânica: existe concordância entre a equação de Ireton-Jones e a calorimetria indireta?

Santos,Laura Jurema dos; Balbinotti,Laíse; Marques,Anne y Castro; Alscher,Sônia; Vieira,Sílvia Regina Rios
Fonte: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB Publicador: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
OBJETIVO: Avaliar a concordância entre o gasto energético mensurado pela calorimetria indireta e o estimado pela fórmula de Ireton-Jones de pacientes críticos em ventilação mecânica assistida. MÉTODOS: Participaram do estudo indivíduos aptos a interromper o suporte ventilatório, internados entre agosto de 2006 e janeiro de 2007, no centro de terapia intensiva do Hospital de Clínicas de Porto Alegre - RS. O gasto energético foi mensurado pela calorimetria indireta usando monitor específico, assim como calculado pela fórmula de Ireton-Jones. Os valores encontrados foram analisados por meio do teste t de Student e pelo método de Bland and Altman, e expressos pela média ± desvio padrão, com nível de significância p<0,05. RESULTADOS: Foram incluídos no estudo quarenta pacientes, com idade média de 56±16 anos e índice APACHE II 23±8. O gasto energético mensurado pela calorimetria indireta foi de 1558±304kcal/24h, enquanto o estimado por Ireton-Jones foi de 1689±246kcal/24h. Houve diferença estatisticamente significativa entre as médias do gasto energético mensurado e estimado para o mesmo indivíduo (p<0,004). Os limites de concordância entre a calorimetria indireta e a equação de Ireton-Jones foram de -680...

Gasto energético em adolescentes asmáticos com excesso de peso: calorimetria indireta e equações de predição

Benedetti,Franceliane Jobim; Bosa,Vera Lúcia; Mocelin,Helena Teresinha; Paludo,Juliana; Mello,Elza Daniel de; Fischer,Gilberto Bueno
Fonte: Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.2%
OBJETIVO: Comparar o gasto energético medido por calorimetria indireta com o estimado por equações de predição entre adolescentes asmáticos e não asmáticos. MÉTODOS: Trata-se de estudo transversal com 69 adolescentes de 10 a 18 anos. Foram comparados três grupos pareados (asmáticos com excesso de peso, asmáticos eutróficos e não asmáticos com excesso de peso). Para avaliação nutricional utilizaram-se medidas antropométricas e de composição corporal. O gasto energético foi medido por calorimetria indireta e estimado por fórmulas de predição. RESULTADOS: Cada grupo foi composto por 23 adolescentes, dos quais 10 do sexo feminino, com média de idade de M=12,4, DP=2,4 anos. O gasto energético de repouso, pela calorimetria indireta nos asmáticos com excesso de peso, foi de M=1550,2, DP=547,2kcal/dia; nos asmáticos eutróficos, M=1540,8, DP=544,2kcal/dia; e nos não asmáticos com excesso de peso, M=1697,2, DP=379,8kcal/dia, com resultado semelhante entre os grupos, mesmo quando ajustado pela massa magra e massa gorda (f=0,186; p=0,831). Obtiveram-se achados semelhantes entre o gasto energético medido pela calorimetria indireta e o estimado pelas fórmulas de predição, com exceção da fórmula de Harris-Benedict...

Avaliação do gasto energético por calorimetria indireta e perfil nutricional de crianças e adolescentes com fibrose cística

Leite, Rubia Mara Jung
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 94f. : il. color., grafs., tabs.; application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.03%
Orientador: Prof. Dr. Nelson Augusto Rosário Filho; Co-orientadora: Profª. Drª. Regina Maria Vilela; Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente. Defesa: Curitiba, 05/11/2014; Inclui referências; Resumo: Introdução: A desnutrição na Fibrose Cística (FC) é multifatorial e está relacionada à progressão da doença e ao aumento do risco de mortalidade. Redução da ingestão alimentar, má absorção intestinal e elevação do gasto energético de repouso (GER) podem contribuir para o agravamento da doença. A calorimetria indireta (CI) é um método padrão ouro, que afere o GER de 24 horas, e permite a prescrição dietoterápica mais acurada quanto ao aporte calórico necessário para a terapia nutricional. Objetivo: Avaliar possível incremento energético decorrente do fator doença por meio da concordância entre GER estimado por fórmulas e o obtido por CI. Método: Estudo transversal, observacional analítico não comparado, no qual foram avaliadas 40 crianças e adolescentes com idade entre 5 e 15 anos. A avaliação compreendeu a história clínica, antropometria, ingestão alimentar, gasto energético de repouso (GER) aferido por CI e comparado com as fórmulas de Fleisch e Schofield...

Calorimetría indirecta versus Harris-Benedict para determinar gasto energético basal en pacientes ventilados

Espinosa Durán, José Javier
Fonte: Facultad de Medicina Publicador: Facultad de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/bachelorThesis; info:eu-repo/semantics/acceptedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 04/06/2012 SPA
Relevância na Pesquisa
37.13%
El inadecuado aporte nutricional en los pacientes con enfermedades criticas, ha llevado al desarrollo de complicaciones que incrementan la mortalidad y los costos de la atención en salud. Muchos factores están involucrados en el consumo de los nutrientes por el organismo, como: los traslados, las intervenciones quirúrgicas, el uso de vasopresores, la ventilación mecánica, entre otros. Si se presenta imprecisión en la de-terminación del gasto energético, puede conllevar a un sobre aporte alimenticio en el paciente el cual puede afectar la evolución y pronosti-co del individuo. Es de conocimiento universal que los costos en salud cada día se in-crementan, en especial cuando se presenta requerimiento del manejo de un paciente en la unidad de cuidados intensivos. Para predecir el gasto energético basal de los paciente en las UCI se cuentan con herramientas de evaluación sencillas, de fácil uso y económicas, como la ecuación de Harris-Benedict, o herramientas complejas y de difícil manejo como la Calorimetría Indirecta. El incremento en la demanda de servicios con mayor tecnología en el tratamiento de los pacientes, enfrenta al personal de salud para ser más crítico en el uso de la nueva tecnología, por tal motivo...

La calorimetría diferencial de barrido y su aplicación a la Ciencia de Materiales

Suriñach, Santiago; Baró, M.D.; Bordas Alsina, Santiago; Clavaguera, N.; Clavaguera-Mora, M.T.
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em //1992 SPA
Relevância na Pesquisa
37.03%
Se pone de manifiesto la idoneidad de la técnica de calorimetría diferencial de barrido para la caracterización de materiales. Se presentan ejemplos específicos de aplicación de dicha técnica en el estudio de los fenómenos ligados a la transición vitrea y cinética de cristalización de vidrios calcogenuros y metálicos así como en el estudio de la reordenación de fases desordenadas metastables.

Compatibilidad química por calorimetría diferencial de barrido y termogravimetría del auranofin tabletas 3 mg

Martínez Álvarez,Luis Octavio; Montes Pérez,Marlene
Fonte: Revista Cubana de Farmacia Publicador: Revista Cubana de Farmacia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 ES
Relevância na Pesquisa
37.13%
Como parte de la pre-estabilidad de la preformulación de auranofin tabletas, se realizó un estudio de compatibilidad química, para lo cual se emplearon técnicas de análisis térmico como la calorimetría diferencial de barrido y la termogravimetría. Previo a dichos estudios se caracterizó térmicamente por calorimetría diferencial de barrido el principio activo y cada uno de los excipientes. Posteriormente se procedió a la realización del estudio de compatibilidad química, mediante la preparación de mezclas físicas binarias entre el principio activo y cada uno de los excipientes. Se detectó por ambos métodos que el principio activo tuvo una transición física de fusión, no reportada en la literatura, lo que permitió poder calcular su pureza por calorimetría diferencial de barrido. Mediante la técnica calorimétrica fue posible inferir la ausencia de incompatibilidad química entre el principio activo y los excipientes estudiados. Además, mediante el cálculo de la energía de activación se estableció el siguiente orden de estabilidad térmica: auranofin:PVP> auranofin:lactosa> auranofin:explotab> auranofin:estearato> auranofin:aerosil> auranofin:celulosa, por lo que se recomienda el uso de estos excipientes en la elaboración de la formulación farmacéutica.

Calorimetría indirecta en el enfermo crítico: validez de la medición

Marsé Milla,P.; Raurich Puigdevall,J. M.ª; Homar Ramírez,J.; Riera Sagrera,M.; Ibáñez Juvé,J.
Fonte: Nutrición Hospitalaria Publicador: Nutrición Hospitalaria
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/03/2004 SPA
Relevância na Pesquisa
37.03%
Objetivo: No existen estándares definidos sobre la duración y frecuencia de la medición de la calorimetría indirecta, hecho que tiene importancia en la práctica asistencial diaria. Se valora el grado de concordancia entre el gasto energético en reposo (GER) medido en un espacio de tiempo corto (10 minutos) frente a otro prolongado (1 hora). Pacientes: Se estudiaron 60 pacientes críticos, sedoanalgesiados y conectados a ventilación mecánica. Intervenciones: El GER se determinó mediante un computador metabólico (Engström Eliza) en condiciones de reposo. Se valoró la reproducibilidad y el grado de acuerdo de las mediciones hechas en ambos períodos de tiempo. Resultados: Los valores medios de las determinaciones de GER a 10 y 60 minutos fueron de 1818 ± 319 Kilocalorías/día y de 1815 ± 318 Kcal/día. Los límites de acuerdo entre ambos tiempos fueron de -101 a + 117 Kilocalorías/día y la correlación fue significativa (r = 0.98, p < 0,0001). Conclusiones: En los pacientes críticos, sedados y en ventilación mecánica, la medición del GER puede hacerse en períodos de tiempo cortos (10 minutos) siempre que se cumplan unas condiciones basales de exploración, lo que permite una mayor disponibilidad de los recursos usados para el estudio de la calorimetría indirecta.

Comparación del gasto energético en reposo determinado mediante calorimetría indirecta y estimado mediante fórmulas predictivas en mujeres con grados de obesidad I a III

Parra-Carriedo,Alicia; Cherem-Cherem,Loren; Galindo-De Noriega,Daniela; Díaz-Gutiérrez,Mary Carmen; Pérez-Lizaur,Ana Bertha; Hernández-Guerrero,César
Fonte: Nutrición Hospitalaria Publicador: Nutrición Hospitalaria
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/04/2013 SPA
Relevância na Pesquisa
37.03%
Introducción: La determinación del gasto energético en reposo (GER) se calcula cotidianamente a partir de fórmulas predictivas aunque el resultado varía dependiendo de la población. Objetivo: Comparar la determinación del GER mediante calorimetría indirecta y mediante las ecuaciones Harris-Benedict (HB), Mifflin (MF), Organización Mundial de la Salud (OMS), "Institute of Medicine" (IOM), Fórmula Rápida (FR) y Valencia (VA) en mujeres con grados de obesidad I a III. Métodos: Mujeres adultas mestizas mexicanas se incluyeron en el estudio y formaron 3 grupos a partir del índice de masa corporal (IMC). Obesidad grado I (IMC 30,034,9; n = 42), grado II (IMC 35,0-39,9; n = 38) y grado III (IMC > 40; n = 41). Se determinó el GER mediante calorimetría indirecta y mediante las ecuaciones antes señaladas. ANOVA de Kruskal-Wallis y la prueba de Dunn's se emplearon para el análisis estadístico (p < 0,05 se aceptó como diferencia). Resultados: No se observó diferencia estadística entre los valores de las fórmulas HB, OMS y VA respecto a la CI. La concordancia obtenida de dichas fórmulas fue 63%, 67% y 64%, respectivamente, al analizar los datos en un solo grupo de obesidad. Asimismo, las fórmulas IOM, ER y MF mostraron diferencia estadística significativa versus la CI...