Página 1 dos resultados de 6307 itens digitais encontrados em 0.010 segundos

Qualidade do café conilon submetido à secagem em terreiro híbrido e de concreto.

RESENDE, O.; AFONSO JÚNIOR, P. C.; CORRÊA, P. C.; SIQUEIRA, V. C.
Fonte: Separata de: Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 35, n. 2, p. 327-335, mar./abr., 2011. Publicador: Separata de: Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 35, n. 2, p. 327-335, mar./abr., 2011.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.95%
Avaliar a qualidade do café conilon (Coffea Canephora Pierre) depois da secagem em terreiro híbrido e de concreto, processado por via seca para as condições climáticas do Estado de Rondônia, foi o principal objetivo deste trabalho. O café foi colhido, manualmente, pelo sistema de derriça no pano, com teor de água de aproximadamente 50% (b.u.), separado por diferença de massa específica em três grupos: cerejas, boia e café mistura. Posteriormente, cada um dos grupos foi dividido em dois lotes e submetidos à secagem em terreiro híbrido e terreiro de concreto. A análise sensorial foi realizada pela degustação por especialista e a qualidade química do produto foi avaliada por meio das análises da acidez titulável, sólidos solúveis totais e condutividade elétrica. Conclui-se que o tempo necessário para que os cafés boia, mistura e cereja atingissem o teor de água de 9,5 ± 0,5 (%b.u.) foi de 168 horas no terreiro de concreto e no terreiro híbrido foi de 48, 54 e 60 horas, respectivamente. O café submetido à secagem em terreiro de concreto obteve melhor qualidade em comparação ao café secado em terreiro híbrido, decorrente da taxa de remoção de água mais lenta, em média 3,1 vezes menor que no terreiro híbrido...

Contribuiçoes atuais para a melhoria da qualidade do café arábica.

SALVA, T. J. G.; RIBEIRO, J. S.; PEZZOPANE, J. R. M.; PEREIRA, S. P.; SILVAROLLA, M. B.
Fonte: In: CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM CAFÉ, 9., 2009, Campinas. Anais... Campinas: IAC, 2009. Coordenado por Roberto Thomaziello, Luiz Carlos Fazuoli. Publicador: In: CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM CAFÉ, 9., 2009, Campinas. Anais... Campinas: IAC, 2009. Coordenado por Roberto Thomaziello, Luiz Carlos Fazuoli.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: p. 71-75
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.92%
2009

Produção de liteira em diferentes agrossistemas de lavouras de café arborizado em Rondônia.

RODRIGUES, V. G. S.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 7., 2011, Araxá. Coletânea de anais: I a VII. Brasília: Embrapa Café, 2011. 1 CD-ROM. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 7., 2011, Araxá. Coletânea de anais: I a VII. Brasília: Embrapa Café, 2011. 1 CD-ROM.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.98%
A sustentabilidade dos sistemas de produção nas regiões tropicais está ligada aos diferentes mecanismos de uso dos recursos, principalmente solo e clima. Este trabalho teve como objetivo estudar os efeitos da arborização na cobertura do solo em sistemas de cultivo de café (Coffea canephora) arborizado com duas espécies florestais, no Município de Machadinho do Oeste, em Rondônia. O ensaio foi instalado em blocos casualizados com três repetições e três tratamentos. Nos sistemas consorciados de café com Schisolobium amazonicum (bandarra), Tectona grandis (teca) as parcelas foram constituidas de dez espécies florestais e 40 plantas de café. Após seis anos de implantação, os agrossistemas com café arborizado aumentaram a biomassa de liteira e reduziram a presença de plantas companheiras. O sistema de café a pleno sol teve 60 % da parcela coberta por plantas companheiras, principalmente gramíneas, e os consorciados com bandarra e teca tiveram 15% e 5%, respectivamente. A presença de espécies florestais, como Schis lobium amazonicum (bandarra) e Tectona grandis (Teca), em lavouras de café (Coffea canephora), proporcionam aporte de biomassa, cobrindo 100% da superfície do solo onde estão estabelecidas.; 2011

Efeito de cobertura verde com leguminosa perene na supressão da infestação de plantas daninhas do café em produção.

SANTOS, J. C. F.; CUNHA, A. J. da.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas: anais... Vitória: Consórcio Pesquisa Café, 2009. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas: anais... Vitória: Consórcio Pesquisa Café, 2009.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.92%
O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial de controle de espécies leguminosas perenes sobre as plantas daninhas do café (Coffea arabica) em produção. O experimento foi instalado em Patrocínio-MG, utilizando-se uma lavoura de café com idade de 8 anos, variedade catuaí, linhagem IAC-99, tendo espaçamento de 3,80 x 0,70m. Foram aplicados 10 tratamentos em esquema fatorial 4x2+2: 4 espécies de leguminosas perenes: (Arachis pintoi, Macrotyloma axillare, Neonotonia wightii e Calopogonium mucunoides); 2 espaçamentos de plantio das leguminosas (2 linhas de 0,50 m e 3 linhas entre 0,25 m) e 2 tratamentos adicionais de controle das plantas daninhas (capina manual e controle químico). O delineamento foi de blocos casualizados com 4 repetições. Não houve efeito do espaçamento de plantio das leguminosas na cobertura do solo, na infestação de plantas daninhas e no índice produtivo do café. No geral as leguminosas proporcionaram menor infestação das plantas daninhas, comparadas à capina manual e controle químico, sendo que no primeiro ano as espécies Macrotyloma axillare, Calopogonium mucunoides e Arachis pintoi obtiveram menores infestações, porém no segundo ano de condução do experimento, as espécies Macrotyloma axillare e Neonotonia wightii seguida pelo Arachis pintoi foram as que apresentaram menores infestações de plantas daninhas. Na cobertura do solo pelas leguminosas...

Utilização da água residuária do processamento dos frutos do cafeeiro em alface.

SOARES, S. F.; DONZELES, S. M. L.; DONZELES, G. F. S.; MORELI, A. P.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas: anais... Vitória: Consórcio Pesquisa Café, 2009. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas: anais... Vitória: Consórcio Pesquisa Café, 2009.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.87%
O processamento dos frutos do cafeeiro para obtenção do cereja descascado gera água residuária do café (ARC), que contém nutrientes, os quais podem ser aproveitados na adubação de culturas. O presente trabalho teve como objetivo verificar o efeito da aplicação da ARC sobre o crescimento das plantas e teores de K, Ca, Mg e Na na matéria seca de folhas de alface. O experimento foi conduzido em casa de vegetação, utilizando-se o delineamento experimental de blocos casualizados, com 4 repetições e 6 tratamentos, constituídos por doses ARC (O, 50, I00,150, 200 e 250 mL/planta), aplicadas sobre as folhas, em 4 ocasiões. A aplicação da água residuária do café, sobre as folhas, não causou injúrias visíveis na alface. Contudo, reduziu o crescimento das plantas. A matéria seca das plantas, do caule e das folhas e os teores de Ca, Mg e Na nas folhas de alface diminuíram com o aumento da dose de água residuária do café.; 2009

Obtenção de marcadores moleculares por meio de PCR-RFLP de genes relacionados com qualidade em café.

VILELLA, O. T.; LANNES, S. D.; POT, D.; FERREIRA, L. P.; PRIOLLI, R. H. G.; RAMOS, L. C. S.; COLOMBO, C. A.; VIEIRA, L. G. E.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Resumos expandidos. Brasília, DF: Embrapa Café. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Resumos expandidos. Brasília, DF: Embrapa Café.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.87%
A qualidade de bebida do café é fator fundamental para sua comercialização, pois agrega valor ao produto, garantindo maior competitividade e melhores preços no mercado. A composição química do café é um dos fatores que determinam a qualidade da bebida. Seu sabor e seu aroma são resultantes da presença combinada de vários constituintes, dentre os quais os ácidos clorogênicos, os diterpenos e os açúcares. O objetivo deste trabalho foi buscar polimorfismos a partir de PCR-RFLP utilizando primers baseados em sequências ESTs de genes relacionados com a qualidade de bebida. Para isso foi utilizado o DNA de uma população F2 formada a partir da autofecundação de um híbrido interespecífico de Coffea arabica e C. canephora. Os resultados revelaram um total de doze marcas polimórficas na população. Dentre essas marcas, quatro foram obtidas através da presença e da ausência da amplificação dos genes. Oito combinações polimórficas foram obtidas através da clivagem do produto de PCR por quatro enzimas de restrição (TaqI, BsuRI, RsaI e HhaI). Com a validação dos polimorfismos encontrados nos amplicons, essas marcas estão sendo utilizadas para trabalhos de mapeamento na população de arabustas com objetivo de identificar QTLs relacionados à concentração de compostos como cafeína...

Rendimento do café conilon em função do armazenamento.

GUARÇONI, R. C.; FERRAO, M. A. G.; FONSECA, A. F. A. da; FERRÃO, R. G.; VERDIN, A. C.; VOLPI, P. S.; MORELI, A. P.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas: anais... Vitória: Consórcio Pesquisa Café, 2009. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas: anais... Vitória: Consórcio Pesquisa Café, 2009.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
47.02%
O objetivo do trabalho foi avaliar a massa de grãos de café conilon em função do período entre a colheita e início da secagem e o tempo de armazenamento. O experimento foi conduzido na Fazenda Experimental de Marilândia, Incaper, ES. Foram utilizados frutos do clone 153 de café conilon colhidos por derriça em peneiras no ano 2007, apresentando 80% de frutos maduros, 5% de verdes e 15% de passas e secos (bóias). Os tratamentos consistiram de três períodos de processamento do café após a colheita (0, 48 e 96 horas), dois tipos de processamento (café natural e café cereja descascado, CD) e cinco tempos de armazenamento em tulha (0, 3, 6, 9 e 12 meses). O café cereja descascado apresentou maior peso que o café natural, independente do tempo que o café ficou amontoado e do período de armazenamento; e os cafés Cereja Descascado e o Natural apresentaram redução na matéria seca durante o armazenamento.; 2009

Identificação e caracterização de microssatélites provenientes de sequências expressas do projeto brasileiro de genoma café.

PENA, G. F.; CAIXETA, E. T.; FERREIRA, J. L.; ZAMBOLIM, E. M.; ZAMBOLIM, L.; SAKIYAMA, N. S.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas: anais... Vitória: Consórcio Pesquisa Café, 2009. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas: anais... Vitória: Consórcio Pesquisa Café, 2009.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.87%
Dentre os marcadores genéticos disponíveis, os microssatélites ou SSRs (Simple Sequence Repeats) têm sido os escolhidos para diferentes estudos genéticos por apresentarem características que agregam simplicidade técnica, grande poder de resolução e alto nível de polimorfismo. Com a disponibilidade das seqüências ESTs (Expressed Sequence Tags), geradas pelo Projeto Brasileiro do Genoma Café, surgiu a oportunidade de desenvolver esses marcadores, de forma direta e eficiente, por meio de análise eletrônica. Visando o desenvolvimento futuro de marcadores SSRs para café, nesse trabalho foram identificados e caracterizados microssatélites nas seqüências expressas do genoma do cafeeiro. A mineração dos dados foi realizada utilizando-se todas as combinações de di-, tri- e tetranucleotídeos formadores dos microssatélites, perfazendo um total de 46 combinações (quatro de dinucleotídeos, 10 de trinucleotídeos e 32 de tetranucleotídeos). Foram considerados os microssatélites perfeitos e com tamanho mínimo de 12 pares de bases. Do total de 130.792 ESTs proveniente de C. arabica foram identificadas 37.826 contendo microssatélites, que após a clusterização resultou em 24.031 EST-SSR. Dentre estas, 45,11% apresentaram tetranucleotídeos...

Avaliação preliminar de genótipos de café arábica em Rondônia.

SOUZA, F. de F.; PEREIRA, A. A.; OLIVEIRA, A. C. B. de; DIOCLECIANO, J. M.; FERRO, G. de O.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas : anais. Vitória: Consórcio Pesquisa Café, 2009. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas : anais. Vitória: Consórcio Pesquisa Café, 2009.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.92%
O presente trabalho objetivou avaliar genótipos de café arábica, nas condições de cultivo do Estado de Rondônia. O ensaio foi instalado em janeiro de 2006, na Estação Experimental da Embrapa Rondônia, no município de Ouro Preto do Oeste-RO. Foram avaliadas 104 progênies em um delineamento de bloco casualizados, com três repetições, parcelas de cinco plantas e espaçamento de 3,0 m x 1,0 m. Aos 24 meses após o plantio, avaliaram-se: altura de planta, diâmetro da copa e produção de café cereja por planta. Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias foram agrupadas por meio do teste de Scott & Knott, a 5% de probabilidade. A produção de café cereja variou de 15,0 a 947,1 g por planta, sendo que as progênies H514-7-10-6 e OBATÃ apresentaram as plantas mais produtivas. A altura de planta variou de 0,78 a 1,39 m, sendo que as plantas mais altas foram observadas nas progênies da linhagem H419-10-6-2 e da cultivar BOURBON. Com relação ao diâmetro da copa, a amplitude observada foi de 0,78 a 1,37 m, sendo que apenas dois grupos de média foram formados. Na primeira safra, de 114 progênies de café arábica avaliadas em Rondônia, as progênies da linhagem H514-7-10-6 e da cultivar OBATÃ apresentaram melhor desempenho com relação à produção de frutos por planta...

Construção de um mapa genético a partir de uma população F2 derivada do cruzamento entre Coffea arabica e C. canephora e Sua utilidade para qualidade de bebida.

PRIOLLI, R. H. G.; RAMOS, L. C. S.; POT, D.; MOLLER, M.; GALLO, P. B.; PASTINA, M. M.; GARCIA, A. A. F.; YAMAMOTO, P. Y.; LANNES, S. D.; VIEIRA, L. G. E.; FERREIRA, L. P.; MAZZAFERA, P.; PEREIRA, L. F. P.; COLOMBO, C. A.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas : anais. Vitória: Consórcio Pesquisa Café, 2009. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas : anais. Vitória: Consórcio Pesquisa Café, 2009.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.87%
Mapas genéticos com base em marcadores moleculares têm sido desenvolvidos em grande número de plantas como uma estratégia eficaz para seleção assistida pelo marcador. No presente estudo, marcadores AFLP e SSR foram utilizados para construção de um mapa genético em uma população F2 criada a partir da autofecundação do híbrido F1 do cruzamento entre Coffea arabica e Coffea canephora. Foram identificados 349 marcadores AFLP e 50 alelos SSR segregantes em 90 plantas F2. Para construção do mapa, apenas marcas em dose única e segregação 3:1 no F2 foram consideradas (248 marcadores AFLP e SSR 27 alelos, ou 68,9% dos marcadores polimórficos). Cento e sessenta e nove marcadores foram mapeados (155 AFLP e 14 SSR). Trinta e sete grupos ligação correspondentes a um total de 1011 cM foram obtidos, com uma distância média entre as marcas de 5,98 cm e 4,6 marcadores por grupo de ligação. Quarenta e seis marcadores associados a características agronômicas de interesse foram encontrados, dos quais, dezenove foram associados com teor de açúcar, oito de cafeína, oito para CGA, um para a cafeína e CGA e dez para a produção total por planta. A análise baseada em marcadores de dose única permitiu obter informação de QTL putativo associado à qualidade de bebida do café e produtividade. Marcadores adicionais serão incluídos a este trabalho para maior cobertura do genoma café.; 2009

Aspectos fisiológicos de grãos de café produzidos em ambientes variados da micro região da Serra da Mantiqueira.

TAVEIRA, J. H. da S.; BORÉM, F. M.; ROSA, S. D. V. F. da; RIBEIRO, D. E.; CHAVES, A. R. C. da S.; FERREIRA, D. de A.; FERREIRA, I. T.; RIBEIRO, R. C.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 7., 2011, Araxá. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2011. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 7., 2011, Araxá. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.87%
O ambiente exerce forte influência sobre os frutos do café ao longo do desenvolvimento e maturação das sementes, quando vários compostos são sintetizados ou quimicamente alterados, o que também acontece durante o processamento. Isso pode influenciar a obtenção de sementes de melhor qualidade fisiológica, que está intimamente ligada à qualidade sensorial da bebida. Assim sendo, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade fisiológica dos cafés da microrregião da Serra da Mantiqueira, colhidos em ambientes distintos e processados via seca e via úmida. O experimento foi realizado em esquema fatorial (2 x 2 x 3 x 2) com 3 repetições, sendo dois processamentos, natural e desmucilado; duas cultivares, Acaiá e Bourbon Amarelo; três intervalos de altitude (<1000m, 1000-1200m e >1200m); e duas faces de exposição ao sol, soalheiro (NE, N, NO,O) e contra-face (L, SE, S, SO) caracterizando o ambiente de produção. O café foi colhido manualmente selecionando-se apenas os frutos maduros, os quais foram processados via seca e via úmida, obtendo-se os cafés naturais e desmucilados, e então secados em terreiro de concreto ao sol até atingirem o teor de água de 11% (bu). As análises fisiológicas realizadas por meio do teste de germinação...

Dinâmica da cadeia produtiva e a estratégia para o alinhamento das demandas por pesquisa agropecuária na região cafeeira do sul de Minas Gerais: um estudo sobre a gestão interinstitucional do Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café.

ROMANIELLO, M. M.; NOGUEIRA, A. M.; MAGALHÃES, M. M.; DE BENEDICTO, S. C.; GUIMARÃES, P. T. G.; BARTHOLO, G. F.
Fonte: In: Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil, 5., 2007, Águas de Lindóia. Anais. Brasília, D.F. : Embrapa Café, 2007. Publicador: In: Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil, 5., 2007, Águas de Lindóia. Anais. Brasília, D.F. : Embrapa Café, 2007.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.95%
Com objetivo de solucionar os problemas enfrentados pelos cafeicultores brasileiros em diversas regiões cafeeiras, foi implantado o Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café (CBP&D-café), que tem como finalidade o desenvolvimento dos trabalhos de pesquisa agropecuária, em consonância com as demandas das diversas regiões produtoras. Conduziu-se este trabalho com o objetivo de analisar o CBP&D-Café, considerando-se uma abordagem metodológica para averiguar se as demandas tecnológicas proveniente da região Sul do estado de Minas Gerais, estão sendo incorporadas pelo CBP&D-Café. Nessa orientação, pretendeu-se contribuir para a construção de conhecimentos e reflexões em torno da gestão de programas de pesquisa agropecuária com uma estratégia de aliança coordenada pelas agências públicas de desenvolvimento regional, além de procurar oferecer aos gestores deste Consórcio informações sobre a maneira pela qual esse programa vem sendo conduzido e, com base nessas averiguações, poder oferecer-lhes subsídios para a implementação de mecanismos de redirecionamento, melhoria e retroalimentação.; 2007

Efeito da água residuária do café em plantas de milho.

SOARES, G. F.; SOARES, V. F.; SOARES, S. F.; DONZELES, S. M. L.; MORELI, A. P.; ROCHA, A. C. da; PREZOTTI, L. C.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 5., 2007, Águas de Lindóia. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2007. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 5., 2007, Águas de Lindóia. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2007.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
56.81%
O processamento do café por via úmida gera água residuária (ARC), contendo material orgânico, com potencial de poluir o meio aquático. Este trabalho teve como objetivo estudar o efeito da aplicação da ARC sobre o crescimento e teores de minerais em plantas de milho, na fase vegetativa. Foram estudados oito tratamentos: 0, 50, 100, 150, 200, 250, 300 e 350 mL de ARC por planta, aplicada sobre as folhas, em 3 ocasiões. A aplicação da ARC não provocou injúrias visíveis nas plantas de milho e nem alterou o peso da matéria seca das plantas. O teor de K aumentou e o teor de Mg diminuiu linearmente com o aumento das doses de ARC aplicadas, enquanto os teores de Ca e Na nas folhas de milho não foram afetados.; 2007

Secagem de grãos de café utilizando energia solar em estufa com ventilação forçada.

RIBEIRO, R. M.; CORRÊA, P. C.; AFONSO JUNIOR, P. C.; COUTO, C. N. B.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 5., 2007, Águas de Lindóia, SP. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2007. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 5., 2007, Águas de Lindóia, SP. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2007.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
47%
A qualidade do café é fator preponderante para o êxito no processo produtivo. No Brasil, conforme os aspectos tecnológicos envolvidos, utilizam-se basicamente dois métodos para secagem de café: secagem natural em terreiro ou secagem artificial utilizando secadores mecânicos. O tempo de secagem do café em terreiro é entorno de 12 a 20 dias dependendo das condições climáticas. Objetivou-se com o presente trabalho estudar alternativas para a secagem do café, que proporcionem redução de tempo e custos, e com garantia de uniformidade, sem ocorrência de contaminação do produto devido ao contato com o solo. Para tanto, foram realizados o desenvolvimento e o estudo de viabilidade técnica de um sistema de secagem de café cereja descascado em estufa secadora (casa de vegetação) com camada delgada de grãos. Construiu?se uma estufa secadora com bandejas com fundo perfurado e ventilação forçada em sucção através de ventiladores de baixa potência. Foi utilizada uma camada de 10 cm de espessura de café da espécie Coffea arábica L., variedade Catuaí Vermelho com umidade média inicial de 51,5% (b.s.). Como testemunha e para comparação foi colocado para secagem no terreiro a mesma quantidade de café utilizado nas bandejas da estufa e com o mesmo teor de umidade inicial. As condições internas e externas à estufa de temperatura e umidade relativa foram monitoradas por um psicrômetro aspirado. A temperatura e a umidade relativa médias dentro da estufa foram de 30ºC e 60...

Morfometria celular na análise da qualidade de grãos de café nas etapas do processamento via úmida e durante o armazenamento.

CAMPOS, S. de C.; CORRÊA, P. C.; SILVA, L. C. da; BOTELHO, F. M.; VASCONCELLOS, D. de S. L.; BAPTESTINI, F. M.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 7., 2011, Araxá. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2011. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 7., 2011, Araxá. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.98%
Objetivou-se com este trabalho avaliar a qualidade do café (Coffea arabica L.), obtido de quatro etapas do processamento via úmida, utilizando-se morfometria celular (por análise da estrutura anatômica do endosperma), prova de xícara e características físicas dos grãos. Foi utilizado café da variedade Catuaí Vermelho, obtido de propriedade comercial da região da Zona da Mata de Minas Gerais e processado por via úmida. Procedeu-se uma limpeza retirando folhas, galhos e pedras misturados aos frutos e, em seguida, retirou-se uma quantidade de frutos de café para a composição da amostra ?Lavador? (etapa 1). Em seguida, os frutos cerejas e verdes foram separados dos frutos bóias e outra amostra foi retirada, composta pelos frutos mais densos (cereja e verde), sendo denominada ?Separador? (etapa 2). Na sequência, os frutos seguiram para o descascador e, após terem sido descascados, retirou-se a terceira amostra, ?Descascador? (etapa 3). Os grãos de café cereja envolvidos apenas com o pergaminho e a mucilagem passaram pela desmucilagem mecânica por meio do atrito entre os grãos e entre os grãos e um cilindro metálico e foi obtido o café desmucilado, etapa denominada ?Desmucilador? (etapa 4). Foram analisados o teor de água dos grãos...

Cafeicultura em Rondônia: um exercício de previsão de safra.

TEIXEIRA, S. M.; MILHOMEM, A. V.; LUNA, P. L.; MILHOMEM, S. V.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 2., 2001, Vitória. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2002. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 2., 2001, Vitória. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2002.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.98%
O presente estudo se propõe a analisar um conjunto de informações colhidas em duas etapas sobre a cafeicultura de Rondônia. A primeira etapa baseia-se em dados de um censo realizado pelo Instituto de Defesa Animal, que incluiu informações sobre cultivos, nos diversos lotes, realizado em 1999 ? 2000. Numa segunda etapa, foi retirada uma amostra dos 47099 estabelecimentos que relataram cultivar café, dos quais 60% são áreas menores que 3 hectares, 83,7% revelam áreas não maiores que 3 hectares e 89,7% são áreas de até 15 hectares com café. Sorteou-se uma amostra, com 495 nomes, em seis estratos, com base na distribuição da variável área plantada com café, permitindo uma precisão de 95% de probabilidade das inferências realizadas sobre a produção e parque cafeeiros. Uma vez que não foi possível localizar os 495 agricultores, foram calculadas as médias do total de 378 propriedades. As médias das variáveis, expandidas para o número de cafeicultores nos estratos, revelaram a existência de um total de 276 mil ha de café, 278.080 ha em produção e 5912 ha em formação. A produção estimada de café para o ano 2000, neste exercício, ficou em cerca de 1900 mil sacas e estima-se para 2001, com base nas informações colhidas junto à amostra de cafeicultores que a produção de Rondônia será cerca de 2.400 mil sacas. O exercício reporta valores um pouco superiores aos estimados nas informações da Previsão de Safra coordenada pela CONAB e utiliza dados do Idaron...

A influência do material de parede de silos nos coeficientes de atrito estático e dinâmico dos grãos de café em pergaminho de diferentes variedades.

RIBEIRO, R. M.; AFONSO JUNIOR, P. C.; CORRÊA, P. C.; GOMES, F. C.; QUEIROZ, D. M. de.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 4., 2005, Londrina. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2005. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 4., 2005, Londrina. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2005.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.95%
A qualidade do café é fator preponderante para o êxito no processo produtivo. O armazenamento do café é de fundamental importância para a qualidade final do produto, visto ser esta etapa a que antecede a comercialização e que se torna cada vez mais necessária em virtude da flutuação do mercado cafeeiro. Considerando-se a importância das estruturas de armazenamento para a qualidade final do café, assim como a necessidade de desenvolvimento de novas tecnologias e de soluções dos problemas existentes, ressalta-se a importância de estudos sobre as possíveis opções para o armazenamento deste produto, destacando-se, dentre elas, a utilização de silos, ou seja, o armazenamento a granel. No presente estudo objetivou-se determinar os coeficientes de atrito estático e dinâmico dos grãos de café em diferentes materiais de parede, utilizados na confecção de silos. Foram utilizados grãos de café com pergaminho, da espécie Coffea arábica L., variedades Catuaí Vermelho e Amarelo, Mundo Novo, Rubi e Topázio, com umidade de 12% b.u.. O aparelho utilizado para a determinação dos coeficientes de atrito foi o TSG 70140, equipamento de cisalhamento, construído com base no aparelho de cisalhamento de Jenike. A metodologia utilizada foi à proposta por MILANI (1993)...

Classificação por tipo do café conilon em função do tempo entre a colheita e o início da secagem e do armazenamento.

GUARÇONI, R. C.; FERRAO, M. A. G.; FONSECA, A. F. A. da; FERRÃO, R. G.; VERDIN FILHO, A. C.; VOLPI, P. S.; MORELI, A. P.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas: anais... Vitória: Consórcio Pesquisa Café, 2009. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 6., 2009, Vitória. Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas: anais... Vitória: Consórcio Pesquisa Café, 2009.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: Não paginado.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
57.06%
O presente trabalho teve como objetivo avaliar o 'Tipo do Café Conilon' em função do tempo entre a colheita e o início da secagem e do armazenamento. O experimento foi conduzido na Fazenda Experimental de Marilândia, utilizando frutos do clone 153 de café conilon. Parte do café foi levada para o início do processamento imediatamente após a colheita e outras duas partes permaneceram ensacadas, respectivamente, por 48 horas e 96 horas. Nas três partes foram obtidos café natural e café cereja descascado. Após a secagem os cafés foram armazenados por um ano. O café cereja descascado apresenta menor percentagem de grãos ardidos e números de defeitos que o café natural, independente do tempo que o café ficou amontoado e do período de armazenamento.Verificou-se tendência do aumento da percentagem de grãos ardidos e de defeitos durante o armazenamento e para os cafés que permaneceram amontoados na sombra por 48 e 96 horas antes da secagem se iniciar.; 2009

Conilon Vitória 'Incaper 8142': variedade clonal de café desenvolvida para o Estado do Espírito Santo.

FONSECA, A. F. A. da; FERRAO, M. A. G.; FERRÃO, R. G.; VERDIN FILHO, A. C.; VOLPI, P. S.; ZUCATELI, F.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 4., 2005, Londrina. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2005. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 4., 2005, Londrina. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2005.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
56.81%
O objetivo deste trabalho é apresentar as principais características da mais nova variedade melhorada de café conilon desenvolvida pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), a ?Conilon Vitória ? Incaper 8142?. Foi obtida através da seleção, avaliação e caracterização de clones ao longo de dezoito anos de pesquisa com a espécie no estado. É formada pelo agrupamento de treze clones considerados superiores. Possui uma série de características agronômicas de interesse, destacando-se de forma especial o seu desempenho produtivo médio, da ordem de 70,4 Sc benef./ha, considerando-se um número mínimo de oito safras em condições não irrigadas. A sua correta utilização poderá possibilitar avanços ainda mais expressivos na cafeicultura do conilon do Espírito Santo.; 2005

Cafe Apie

Cafe Apie Sociedad por Acciones; Universidad de los Lagos; NADINE LESLIE CAMPBELL BRAUN X REGION
Fonte: Corporação de Fomento da Produção Publicador: Corporação de Fomento da Produção
Tipo: proyecto
Publicado em 26/05/2011
Relevância na Pesquisa
47.11%
Café Apié es un servicio de café gourmet móvil dirigido a satisfacer la demanda de café de manera distinta puesto que hoy en día el consumo de café va acompañando al quehacer diario de las personas en todos los lugares y situaciones. Para esto los emprendedores diseñaron un innovador modelo de cafetería móvil capaz de trasladarse e instalarse virtualmente casi en cualquier esquina consiste en una moto de tres ruedas Piaggio APE 50 una reconocida maquina de espresso y junto a un barista se encargan de ofrecer a todos los más sabrosos y aromáticos granos de café preparados de las formas más originales y novedosas debido a sus pequeñas dimensiones Café Apié puede ubicarse en virtualmente casi cualquier esquina o rincón sin ocupar mucho espacio (3 a 4 m2). Ubicado ya sea en un paseo una vereda un espacio interior una estación del metro una plaza un mall una feria un matrimonio evento o estacionamiento Café Apié está a mano para ofrecer el mejor café a quienes transiten por el sector.Dada la inexistencia del vehículo y equipamiento en Chile los emprendedores importaron desde Europa el equipamiento necesario y armaron el primer prototipo en Puerto Montt el que entró en operación en la ciudad de Puerto Varas durante Noviembre del 2010 obteniendo resultados que superan en más de un 200% las proyecciones iniciales. Junto con esto se pudo comprobar el gran interés y excelente recepción que el formato tiene entre los clientes y en general quienes lo ven. Otra característica distintiva de Café Apié es que tiene incorporada tecnología de energía dual que le permite ser absolutamente autosuficiente no necesitando de instalaciones o conexiones eléctricas o de agua potable para su funcionamiento. Todo esto pensado para ofrecer la mayor versatilidad y flexibilidad a la hora de escoger locaciones y de estar lo más cerca posible de los clientes. La incorporación de tecnología y desarrollo de un software de control de gestión ventas inventario que permita monitorear en línea (red Wifi) la operación de cada unidad el operador trabajará con una interfaz implementada en una pantalla táctil. Este es un aspecto crítico y en el que radica una de las principales innovaciones en el rubro de venta al paso o itinerante. El desarrollo de este software junto con servir las necesidades de control de Café Apié tiene la potencialidad de ser aplicado a muchas otras redes de micro empresarios que puedan unirse para desarrollar de forma más eficiente su negocio concentrando por ejemplo poder de compra para negociación con proveedores organizar o coordinar una red de logística unificada que permita acceder a economías de escala y por consiguiente disminuir costos de operación entre otros. Se desarrolló un nuevo modelo de operación y control de recursos humanos. Dado los buenos resultados que se han obtenido con la contratación de estudiantes universitarios se implementarán alianzas estratégicas entre Café Apie y las universidades con el objeto de ofrecer contratar a estudiantes con la necesidad o deseo de trabajar para pagar sus estudios o simplemente generar ingresos propios. La particularidad del modelo radica en que se formarán equipos de trabajo entre estudiantes en que cada equipo será responsable de llevar la administración de un carrito pues tendrán la posibilidad de proponer puntos estratégicos de ventas en los que vean que les irá mejor. Además de la experiencia formativa que implica las primeras experiencias laborales este modelo otorgará a los estudiantes la real posibilidad de tener un trabajo sin descuidar sus estudios y asistencia a clases con una flexibilidad horaria que se adecúe a su realidad o malla universitaria pudiendo organizar turnos o reemplazos dentro del mismo equipo o entre equipos accediendo además a niveles de remuneración atractivos e incentivos de utilidad para los estudiantes de acuerdo al cumplimiento de metas de cada unidad de negocio. Para ello los emprendedores ya están revisando el marco legal que sustente este modelo sin problemas. Según el cumplimiento de metas se impondrá un sistema de incentivos para los jóvenes estudiantes que cumplan a cabalidad con las metas sin descuidar los estudios. Los incentivos consisten en premios útiles para los estudiantes y sus quehaceres universitarios a demás de incentivos importantes como viajes al extranjero ayudando a abrir las fronteras de estos jóvenes. Estos premios pueden ser perfectamente sustentados por Café Apié ya que los ingresos estimados lo permiten. Se diseñará un sistema de ventas que facilitará la compra de los productos dando como opción otro medio de pago aparte del pago en efectivo los clientes que estén asociados a Café Apié podrán comprar vía web una cantidad de café pagando a través de Internet se le emitirá al cliente un vale asociado a un código de barra.; Fotalecer el despegue comercial y Posicionar a Cafe Apie en el mercado.; Corporación de Fomento de la Producción