Página 1 dos resultados de 1936 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Educação ambiental e sustentabilidade : concepção do bioma caatinga sob o olhar dos professores e de alunos do semiárido pernambucano

Nascimento, Valéria Godoi do
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
A Educação Ambiental e a Sustentabilidade são armas essenciais na luta contra a crise ambiental determinada pelo modelo capitalista imposto à sociedade. É através dessa postura exploratória e consumista que podemos constatar que a ação antrópica culmina para uma autodestruição, uma vez que esse homem está inserido no Meio Ambiente natural ou já modificado e consequentemente sofre diretamente com os danos e impactos provocados ao planeta. A relação homem-natureza adentra numa revolução histórico-social com impactos catastróficos muitas vezes irreversíveis para os ecossistemas existentes na Terra. O ambiente escolar que é o cerne da Educação Formal deve oportunizar ao educando um despertar para preservação do planeta, dos ecossistemas e consequentemente manter um planeta habitável para as gerações vindouras. É dessa forma que despertamos para os anseios do bioma Caatinga, que se caracteriza por ser um bioma único e com graves problemas socioambientais. Sendo assim, este estudo buscou analisar a concepção do bioma Caatinga através da Educação Ambiental e da Sustentabilidade pelos professores e alunos da escola pública estadual do município de Capoeiras-PE. Para isso procurou compreender a prática pedagógica por meio da entrevista semiestruturada verificando a importância do docente ao utilizar os temas transversais como Meio Ambiente e Sustentabilidade diretamente em sua práxis e perceber através do questionário como o aluno concebe essa teoria/prática em sua relação com o ambiente...

Bactérias associadas às cactáceas da Caatinga: promoção de crescimento de plantas sob estresse hídrico; Cacti-associated bacteria from Caatinga: plant growth promotion under water stress

Kavamura, Vanessa Nessner
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 05/10/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.34%
A Caatinga, bioma exclusivamente brasileiro, inserido no clima semiárido nordestino, apresenta xerófitas com alta resistência aos períodos de seca. Estas plantas associam-se a micro-organismos que também se encontram bem adaptados, desenvolvendo mecanismos de proteção celular contra o estresse hídrico, assim como proteção vegetal contra os efeitos negativos da dessecação. O presente estudo buscou compreender as bactérias associadas às cactáceas da Caatinga, analisando a estrutura das comunidades bacterianas de solo e da rizosfera de Cereus jamacaru durante a alteração do período chuvoso para o de seca, identificando os grupos dominantes e discutindo algumas funções que possibilitem a manutenção da interação solo-cacto-micro-organismo durante o período de seca. Além disso, buscou selecionar bactérias tolerantes à seca e que fossem capazes de promover crescimento de plantas sob estresse hídrico. Amostras foram coletadas ao longo da Caatinga, em cinco estados: BA, CE, PI, PB e RN totalizando cinco pontos. Com o uso de metodologias independentes de cultivo, foi possível observar que o período de amostragem (chuvoso/seca) foi o principal responsável pela alteração na estrutura das comunidades bacterianas. Os filos Proteobacteria e Bacteroidetes foram abundantes durante o período chuvoso e os filos Actinobacteria e o gênero Bacillus abundantes durante o período de seca. Com o uso de metodologias dependentes de cultivo...

Dinâmica do microbioma da rizosfera de mandacaru na Caatinga; Dynamics of mandacaru rhizosphere microbiome in the Caatinga

Ferreira, Clederson
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.38%
O atual cenário mundial das mudanças climáticas, somado ao aquecimento global e ao aumento das áreas em processo de desertificação tem impactado diretamente nos padrões de produção agrícola. A Caatinga é um bioma que só ocorre no Brasil e possui um clima semiárido, quente e de baixa pluviosidade, sendo que na estação seca a temperatura do solo pode chegar até 60ºC. A Caatinga apresenta uma grande riqueza de ambientes e espécies, e boa parte dessa diversidade não é encontrada em nenhum outro bioma. Uma característica muito peculiar da Caatinga é a existência de duas estações bem contrastantes durante o ano, o inverno caracterizado por ser a estação da chuva e o verão a época da seca. A vegetação é composta por Euforbiáceas, Bromeliáceas e Cactáceas, dentre as quais destacam-se o Cereus jamacaru (mandacaru), Pilosocereus gounellei (xique-xique) e Melocactus sp. (cabeça-de-frade). O mandacaru planta que sobrevive às altas temperaturas e baixa disponibilidade de água da Caatinga possui adaptações morfológicas estruturais que contribuem para a sobrevivência da mesma. Além dessas adaptações a comunidade microbiana da rizosfera foi estudada para descobrir quais micro-organismos presentes nesse ambiente auxiliam na manutenção do hospedeiro frente a essas condições adversas. Assim como...

Serpentes da Caatinga: diversidade, história natural, biogeografia e conservação

Guedes, Thaís Barreto
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 196 f. : il. color.
POR
Relevância na Pesquisa
37.49%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Biologia Animal - IBILCE; Estudos sobre conhecimento taxonômico, riqueza, distribuição espacial e biogeografia da biota são urgentes na Caatinga. Esta região natural brasileira é a terceira mais alterada por ações antrópicas, a mais negligenciada quanto a conservação da sua biodiversidade e menos protegida em áreas de conservação de proteção integral. Além disso, a Caatinga é uma das porções naturais brasileiras menos conhecidas no que diz respeito a sua biodiversidade, o que dificulta a implementação de medidas para conservação. Esta escassez de dados também impede o conhecimento mais abrangente sobre diversidade e biogeografia tropical. Neste trabalho, é apresentado um estudo amplo sobre riqueza, história natural, distribuição geográfica e biogeografia das espécies d e serpentes da Caatinga. Este é o primeiro estudo de enfoque na ampla região da Caatinga, reunindo informações obtidas a partir da análise direta de 7.102 espécimes tombados em 17 coleções zoológicas, somados à 250 registro obtidos em literatura. Foram co nfirmadas a ocorrência de 112 espécies de serpentes para a região da Caatinga (pertencentes a nove famílias)...

Aspectos da dinamica populacional de duas especies em floresta tropical seca (Caatinga), nordeste do Brasil

Elcida de Lima Araujo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 16/02/1998 PT
Relevância na Pesquisa
37.31%
A terceira maior formação vegetal dos trópicos em área, de acordo com Sabogal (1992), é representada por florestas secas. Na região nordeste do Brasil, a maior formação vegetacional seca é a caatinga. A caatinga é representa por vários tipos fisinômicos. No estado de Pernambuco, em função do total de pluviosidade regional, a caatinga é classificada como de agreste (pluviosidade média anual em torno 600 mm) e caatinga de sertão (pluviosidade média anual em torno de 500 mm). A flora local é diversificada, mas a caatinga tem uma menor riqueza de espécies que outras formações não secas (Andrade-Lima 1960, 1981; Sampaio 1995). Diversidade de espécies e abundância de populações é um tema pesquisado com certa freqüência em florestas úmidas. Apesar de haver muitas questões a serem respondidas, Clark 1994 apresentou que as seguintes conclusões poderiam ser generalizadas em florestas úmidas: 1) numa comunidade, o número de espécies raras é maior que o de espécies abundantes; 2) há uma influência da sazonal idade climática no crescimento, sobrevivência e reprodução; 3) a abundância e o crescimento de algumas espécies estão relacionados com a natureza do solo, topografia e fase de desenvolvimento (natural ou induzida) da floresta; 4) o crescimento e a reprodução são mais lentos na sombra; 5) a taxa de mortalidade das populações pode ser influenciada pelo tamanho das plantas...

Síntese florística e biogeográfica do domínio fitogeográfico da caatinga = : Floristic and biogeographical synthesis for the caatinga phytogeographical domain; Floristic and biogeographical synthesis for the caatinga phytogeographical domain

Marcelo Freire Moro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.4%
Ignorado do ponto de vista dos estudos botânicos e da conservação durante a maior parte do século XX, o Domínio Fitogeográfico da Caatinga (DFC) foi reconhecido a partir das últimas duas décadas como uma região natural única, com vários endemismos e bem mais diversa floristicamente do que se assumiu no século passado. Com o recente aumento na produção de estudos florísticos e fitossociológicos no DFC, surge a oportunidade de produzir uma síntese geral para a região, avaliando quantas espécies já foram coletadas, suas frequências, quantas espécies devem existir, que tipos de ambientes dentro do domínio estão mais ou menos amostrados, além de mapear geograficamente áreas pouco estudadas. Esta tese, portanto, busca fazer uma síntese dos levantamentos florísticos e fitossociológicos e da diversidade vegetal para o domínio da Caatinga. Nós avaliamos a questão da similaridade florística entre diferentes ambientes utilizando técnicas de análise multivariada e comparamos pela primeira vez os diferentes subtipos de Caatinga não apenas florísticamente, mas também pelos seus espectros de formas de vida, mostrando que áreas em geologias cristalinas e sedimentares diferem tanto floristicamente quanto estruturalmente. Com isso...

Comunidades de morcegos na caatinga e brejo de altitude, no Agreste de Pernambuco

Silva, Luiz Augustinho Menezes da
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
37.53%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, 2007.; A fauna de morcegos brasileiros é composta de 166 espécies e destas, 76 ocorrem na caatinga. Apesar da elevada diversidade de morcegos na Caatinga, ainda são escassos os trabalhos desenvolvidos com este grupo no Bioma. Há extensas lacunas de conhecimento nas áreas de distribuição da Caatinga, com regiões sem nenhum tipo de estudo referente aos morcegos. A Caatinga é um bioma tipicamente brasileiro e cobre uma área de cerca de 98 mil Km2. A sua fitofisionomia é bem heterogênea, possuindo uma vegetação típica de zonas áridas como também enclaves de florestas mésicas, conhecidos como brejos de altitude, que se formam nas cotas superiores a 1000m de altitude. O presente trabalho teve como objetivo estudar a composição de fauna, dieta e reprodução das espécies de morcegos ocorrentes em uma área de caatinga propriamente dita e uma de brejo de altitude no nordeste do Brasil. As áreas localizam-se no agreste de Pernambuco, eqüidistante cerca de 9km, no município de Brejo da Madre de Deus. Os animais foram coletados mensalmente entre fevereiro de 2005 e janeiro de 2006, durante seis noites consecutivas...

Avaliação da eficiência da rede de unidades de conservação da natureza na proteção da avifauna da caatinga baiana

Pinho, Marianna de Santana
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Centro de Desenvolvimento Sustentável, 2008.; O objetivo desta dissertação foi avaliar a eficiência da rede de Unidades de Conservação da Natureza (UC) na proteção da biodiversidade da caatinga no estado da Bahia. Foram realizados estudos sobre a avifauna, grupo taxonômico escolhido por ser um excelente indicador da qualidade ambiental e da biodiversidade. Para tanto foram selecionadas cinco espécies de aves endêmicas e ameaçadas de extinção do bioma caatinga. Por meio de técnicas de geoprocessamento com sobreposição dos mapas de distribuição das espécies, unidades de conservação e usos do solo, foi possível identificar as lacunas na conservação das espécies escolhidas e avaliar o potencial e as principais ameaças para conservação das espécies. Observou-se que todas as espécies de aves estudadas não estão suficientemente protegidas pela atual rede de unidades de conservação da natureza já que a maioria é de uso sustentável e as UC de proteção integral têm área reduzida e estão concentradas em determinadas regiões. Algumas espécies apresentaram situação de risco, estando menos de 1% de sua área de ocorrência coberta por UC de proteção integral e seus habitats estão expostos a expansão de atividades socioeconômicas. No entanto verificou-se que ainda existe potencial para conservação...

Arborização, floricultura e paisagismo com plantas da Caatinga.

ALVAREZ, I. A.; KIILL, L. H. P.
Fonte: Informativo ABRATES, Brasília, DF, v. 24, n. 3, p. 63-67, dez. 2014. Publicador: Informativo ABRATES, Brasília, DF, v. 24, n. 3, p. 63-67, dez. 2014.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.31%
A flora da Caatinga apresenta grande potencial em termos de arborização e paisagismo devido à rusticidade de suas espécies. O ambiente urbano demanda plantas que exijam a menor quantidade de irrigação e tratos possíveis. O conhecimento do real potencial das espécies vegetais do bioma Caatinga pode, além de outros fatores, contribuir para a menor perda de diversidade biológica, diminuir a perda de material genético e melhorar a qualidade de vida da população por meio do uso sustentável de seus recursos. Aqui retratamos alguns das principais questões para implantar uma arborização e floricultura com plantas da Caatinga e de que forma seria a aplicação dessas no paisagismo das cidades e no comércio. Ainda destacamos algumas espécies com potencial ornamental de ocorrência na Caatinga, entre elas das famílias Leguminosae, Convolvulaceae, Bignoniaceae e Cactaceae.; 2014; Edição das Palestras do V Workshop de Tecnologia e Fisiologia de Sementes e Mudas, Petrolina, dez. 2014.

Emergência e sobrevivência de plântulas de imbuzeiro (Spondias tuberosa Arruda) na Caatinga.

CAVALCANTI, N. de B.; RESENDE, G. M. de; DRUMOND, M. A.; BRITO, L. T. de L.
Fonte: Caatinga, Mossoró, v. 19, n. 4, p. 391-396, out./dez. 2006. Publicador: Caatinga, Mossoró, v. 19, n. 4, p. 391-396, out./dez. 2006.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
47.18%
Este trabalho teve como objetivo avaliar a emergência e a sobrevivência de plântulas de imbuzeiro (Spondias tuberosa Arruda.) na caatinga. O ensaio foi realizado de janeiro de 2001 a dezembro de 2004 com 37 plantas de imbuzeiro, selecionadas ao acaso em área de caatinga da Embrapa Semi-Árido, Petrolina - PE. Emcada planta foram demarcados aleatoriamente quatro quadrantes de 1 m² abaixo da copa para contagem da emergência e sobrevivência das plântulas. As observações foram realizadas a cada 15 dias na estação chuvosa e 30 dias na estação seca. Foi instalado um pluviômetro na área do experimento para obtenção dos valores da precipitação ocorrida durante o período de avaliação. Os maiores índices de emergência ocorreram no período de maior precipitação com 57,89 plântulas.m², em média, por planta-mãe na estação chuvosa de 2004. Poucas plântulas sobreviveram até o final do peródo de avaliação. O estádio plântula é o mais crítico para a sobrevivência e o desenvolvimento do imbuzeiro na caatinga. O maior volume de precipitação contribuiu significativamente para uma maior taxa de germinação e emergência de plântulas de imbuzeiro.; 2006

Alterações fisiológicas e bioquímicas em quatro espécies florestais do bioma caatinga submetidas a alagamento; Physiological and biochemical alterations in four forestry species of the caatinga biome subject to flooding

Ferreira, Débora Teresa da Rocha Gomes
Fonte: Universidade Federal de Alagoas; BR; Agronomia; Produção vegetal; Proteção de plantas; Programa de Pós-Graduação em Agronomia; UFAL Publicador: Universidade Federal de Alagoas; BR; Agronomia; Produção vegetal; Proteção de plantas; Programa de Pós-Graduação em Agronomia; UFAL
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
The Brazilian Northeast presents, for the most part, a semi-arid climate, hot and dry. This region is predominantly occupied by the Caatinga biome characterized by presence of xerophytic vegetation, with variety of physiognomy and floristic. Part of the São Francisco River Basin in the states of Alagoas and Sergipe, is part of this biome. However, this presents little knowledge of vegetation component and advanced levels of environmental degradation. For its recovery is essential knowledge of the species ecophysiology to be used for revegetation of the basin areas and especially in marginal areas of the waterways of the Caatinga. Thus, this study aimed to investigate the behavior of species that occur in the Caatinga biome, compared to soil flooding (stress anoxic / hypoxic) in order to indicate the same for revegetation of the marginal areas of the waterways of the Caatinga. Seedlings of Tabebuia aurea, Caesalpinia ferrea, Aspidosperma pyrifolium and Bauhinia forficata, with five months of age were subjected to soil flooding permanent or temporary (flooding followed by drainage). For the flood water depth was maintained between 10-20 mm above ground level. Throughout the experiment we evaluated the fluorescence emission of chlorophyll...

Biometria, germinação e crescimento inicial de Erythrina velutina Willd. (Leguminosae - Papilionoideae) ocorrente em caatinga e brejo de altitude (PE)

Tavares da Silva Junior, Valter; Carvalho de Alencar Barbosa, Dilosa (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.34%
Erythrina velutina Willd. é uma espécie lenhosa com cerca de 10 m de altura, sementes de coloração vermelha e dispersa por animais. O objetivo deste trabalho foi comparar a biometria de frutos e sementes, o potencial germinativo das sementes sob diferentes potenciais hídricos e a variação de temperatura, além do crescimento inicial em solos dos locais de coleta de duas populações. As populações localizadas em áreas de caatinga (Alagoinha) e brejo de altitude (Poção), a 700 e 950 m, respectivamente, ambas na zona do agreste, da região semi-árida do estado de Pernambuco. Os frutos e as sementes foram avaliados, quanto ao comprimento, largura, espessura (cm) e peso (g), bem como o número de sementes por fruto, e o volume (cm3) das mesmas. Foi verificada a embebição médias das sementes escarificadas com lixa de ferro ou não (intactas). Na germinação, avaliou-se o efeito da luz branca contínua ou ausente e o fotoperíodo de 12 horas a 25ºC; disponibilidade hídrica, com as sementes submetidas a diferentes potenciais hídricos (controle; -0,1; -0,2; -0,4 e 0,8 MPa), à temperaturas constantes de 20º, 25º, 30º e 35ºC e luz branca contínua; e nas temperatura constantes de 10, 15, 20, 25, 30, 35 e 40ºC também sob luz branca contínua. Para todos os tratamentos...

Riqueza e abundância de abelhas em diferentes estágios de degradação da caatinga como indicadores ambientais no entorno da usina hidrelétrica de Xingó

Coelho Moura, Debora; Cristina Gonçalves Pereira, Eugênia (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.42%
A caatinga está inserida no domínio xeromorfo intertropical, e é classificada como uma formação complexa. Sua vegetação apresenta características anatômicas e/ou fisiológicas relacionadas às adaptações climáticas da área na qual está inserida e é caracterizada pela semi-aridez, com baixos índices de pluviosidade. O uso da vegetação é bastante variado, dependendo da região onde ocorre, sendo a retirada de madeira a principal causa da diminuição da cobertura vegetal, que dá espaço a pecuária extensiva, agricultura de subsistência com a produção de lenha e carvão. O desmatamento causa alteração no ambiente, interferindo na composição da comunidade de abelhas e suas relações com as plantas. Como as abelhas são os principais polinizadores da maioria das angiospermas, participando da manutenção da diversidade florística do ambiente, neste trabalho foram estudadas a riqueza e abundância deste grupo taxonômico em quatro áreas de caatinga, em distintos níveis de degradação, no entorno da Usina Hidroelétrica de Xingó, com intuito de utilizá-las como bioindicadores de áreas degradadas e/ou preservadas. Inicialmente foi confeccionado o mapa base a partir da imagem de satélites LANDSAT 7 ETM+ 7 e cartas planialtimétricas...

Cerrado e caatinga como patrimônio nacional : seminário

Seminário Cerrado e Caatinga como Patrimônio Nacional ( 2010 : Brasília, DF)
Fonte: Câmara dos Deputados, Edições Câmara Publicador: Câmara dos Deputados, Edições Câmara
Tipo: livro Formato: 95 p. : il.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
47.01%
Ao alto do título: Câmara dos Deputados. Comissão de Legislação Participativa.; Seminário baseado na audiência pública realizada pela Comissão de Legislação Participativa em conjunto com a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, em 10 de setembro de 2009, para debater a matéria da PEC nº 115/95, que inclui o Cerrado e a Caatinga na relação dos biomas considerados patrimônio nacional.

Padr?es de distribui??o e a conserva??o das aves passeriformes da caatinga

SOUZA, Manuella Andrade de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
A Caatinga, bioma exclusivamente brasileiro, localizado principalmente na regi?o nordeste, ? um dos ecossistemas menos conhecidos do ponto de vista cient?fico e tamb?m um dos mais amea?ados e transformados pela a??o humana. Foram determinadas as ?reas com maior riqueza de passeriformes, como estas esp?cies est?o distribu?das na regi?o e como utilizam o h?bitat. Al?m disso, tamb?m foi testada a efici?ncia das unidades de conserva??o da Caatinga e das ?reas priorit?rias definidas pelo PROBIO na prote??o de t?xons end?micos e amea?ados da regi?o. Os 273 t?xons de passeriformes registrados para Caatinga, em sua maioria (66%), dependem, direta ou indiretamente, das florestas da regi?o para sobreviver. Foram registrados 37 t?xons end?micos ? regi?o, sendo 26 dependentes de florestas. As ?reas de maior riqueza de esp?cies est?o diretamente relacionadas com a diversidade de h?bitats. Foram identificadas 10 ?reas priorit?rias mais importantes para a conserva??o de t?xons end?micos e amea?ados de passeriformes. As unidades de conserva??o da Caatinga al?m de cobrirem apenas uma pequena extens?o da regi?o, n?o representam bem os t?xons end?micos e amea?ados do bioma. Assim, um sistema eficiente de conserva??o para a Caatinga deve incluir toda a diversidade paisag?stica existente na regi?o...

Taxocenose de serpentes (Squamata: Serpentes) em uma ?rea de transi??o cerrado-caatinga no munic?pio de Castelo do Piau?, Piau?, Brasil

RODRIGUES, Franc?lio da Silva
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
Foi realizado um invent?rio da fauna de serpentes da ?rea de transi??o entre Cerrado e Caatinga no Munic?pio de Castelo do Piau?. Foram realizadas seis expedi??es entre Outubro de 2005 e Julho de 2006, em fitofisionomias de Cerrado Rupestre, Cerrado Aberto e Mata Secund?ria de Cerrado T?pico, que totalizaram 120 dias de trabalho de campo. Foram utilizados tr?s m?todos: Armadilhas de Intercepta??o e Queda, Procura Limitada por Tempo e Encontros Ocasionais. Foram registradas 18 esp?cies. A fam?lia Colubridae apresentou a maior riqueza de esp?cies, assim como nas diferentes forma??es da Am?rica do Sul. A comunidade ? composta por Xenodontinae (11 esp?cies), seguido por Colubrinae (Mastigodryas bifossatus e Spilotes pullatus) e apenas uma esp?cie de Dipsadinae (Leptodeira annulata), refletindo o padr?o evolutivo das linhagens filogen?ticas dos colubr?deos e a estrutura da comunidade. Thamnodynastes sp. (n= 7), Philodryas nattereri (n= 5) e Phimophis iglesiasi (n= 5) foram as esp?cies mais abundantes na ?rea estudada, diferente da domin?ncia de viper?deos observada em outras taxocenoses de serpentes no Brasil. Os estimadores de riqueza Chao 2 e Jack1 indicam que a comunidade ? composta por aproximadamente 24 esp?cies. Procura Limitada por Tempo apresentou o melhor desempenho dentre os m?todos utilizados...

Florística, estrutura e mapeamento da vegetação de caatinga da Estação Ecológica de Aiuaba, Ceará; Floristics, structure and mapping of caatinga vegetation of Aiuaba Ecological Station, Ceará state

Lemos, Jesus Rodrigues
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/03/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.46%
A caatinga foi reconhecida recentemente como uma das 37 grandes regiões naturais do planeta. De um modo geral, tem sido descrita na literatura como pobre, possuindo baixo valor para fins de conservação. Talvez devido a este fato, a caatinga seja o bioma brasileiro mais desvalorizado e menos conhecido botanicamente, permanecendo como um dos mais desconhecidos na América do Sul do ponto de vista científico. Neste contexto, é preemente a necessidade da ampliação do conhecimento sobre a distribuição de organismos e a forma como eles estão organizados em comunidades na caatinga. No Estado do Ceará, a caatinga é a unidade fito-ecológica mais representativa espacialmente, abrangendo aproximadamente 72.980 Km2 e apesar da grande abrangência espacial da caatinga, pouco se conhece ainda sobre seus padrões de comunidades vegetais no Estado. Assim, este trabalho objetivou contribuir com a ampliação do conhecimento sobre a caatinga, investigando a flora e estrutura, bem como realizando o mapeamento orbital das fisionomias existentes na vegetação da Estação Ecológica (EE) de Aiuaba, Ceará. Esta é uma área considerada, pelo Programa Nacional da Biodiversidade/PROBIO, de Alta Importância Biológica no estado do Ceará. Foram realizadas coletas botânicas mensais...

A Paisagem da Caatinga: um Gesto de Burle Marx na Praça Euclides da Cunha; The Landscape of the Caatinga:a Gesture of Burle Marx in the Euclides da Cunha Square;

Paula, Eline Silva de; Silva, Joelmir Marques da; Menezes, Patrícia Carneiro de; Carneiro, Ana Rita Sá; Melo, Vera Lúcia Mayrinck Oliveira
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 08/10/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.34%
Ao projetar a praça Euclides da Cunha em 1935, o paisagista Roberto Burle Marx teve a intenção de criar um jardim temático de plantas do sertão em uma área litorânea. Introduzindo plantas da paisagem da caatinga, Burle Marx não apenas valorizou a vegetação nativa, como trouxe ao habitante da cidade o conhecimento de nossas riquezas naturais, chamando a atenção para o fato de a parcela de nossa flora estar sendo dizimada. Nesse contexto, o presente artigo pretende identificar, na paisagem da praça Euclides da Cunha, uma representação da caatinga, e, assim, garantir medidas de conservação que preservem sua conotação de ecossistema e de monumento. A praça Euclides da Cunha foi restaurada em 2004 pela prefeitura da cidade do Recife em parceria com o Laboratório da Paisagem da Universidade Federal de Pernambuco, fundamentada na Carta de Florença (1981), bem como em estudos detalhados da historiografia da praça e da vegetação da caatinga. Ressalta-se, ainda, que a praça Euclides da Cunha está em processo de tombamento no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) na categoria de jardim histórico.; In 1935, the landscape designer Roberto Burle Marx created the Euclides da Cunha Square as a thematic garden of “caatinga” vegetation in Recife...

Search of leptospires and of antibodies against leptospires in animals and human beings in farms in Pantanal and Caatinga Brazilian biomes; Pesquisa de leptospiras e de anticorpos contra leptospiras em animais e humanos de propriedades rurais nos biomas brasileiros Pantanal e Caatinga

Silva, Felipe Jorge da; Santos, Carlos Eduardo Pereira dos; Silva, Talita Ribeiro; Silva, Glaucenyra Cecília Pinheiro; Loffler, Sylvia Grune; Brihuega, Bibiana; Alarcon, Miguel Frederico Fernandez; Curci, Vera Cláudia Magalhães; Mathias, Luis Antonio
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/09/2015 POR
Relevância na Pesquisa
37.41%
The occurrence of Leptospira and of seroreactivity against Leptospira was investigated in animals and humans from six farms located in two Brazilian biomes that have different geoclimatic conditions: Pantanal – municipalities of Miranda (MS), Itiquira (MT) and Pocone (MT) and Caatinga – municipalities of Sobradinho (BA), Garanhuns (PE) and Sobral (BA). Blood and urine samples of wildlife, domestic animals and humans were collected at each property. The samples were collected from February to April 2012 in Caatinga and from July to September 2012 in Pantanal. The serological reactivity against Leptospira spp. was verified by microscopic agglutination technique (MAT) made with a collection consisting by 24 antigens of Leptospira spp. The leptospires research was carried out by urine samples crop sown in Fletcher resources and Ellinghausen – McCullough – Johnson – Harris (EMJH). Crops with growth of leptospires were referred to the Leptospirosis Laboratory of the Institute of Pathobiology, National Institute of Agricultural Technology, Buenos Aires, Argentina and isolated Leptospira strains were genotyped with the technique of Multiple Locus Variable Number Tandem Repeat Analysis (MLVA). The classification procedure employed the VNTR 4...

Species richness of reptiles in a Caatinga area in northeastern Brazil; Species richness of reptiles in a Caatinga area in northeastern Brazil

Benicio, Ronildo Alves; Lima, Daniel Cassiano; Fonseca, Mariluce Gonçalves
Fonte: Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente – PRODEMA Publicador: Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente – PRODEMA
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 28/03/2015 ENG
Relevância na Pesquisa
37.38%
Diversidade de répteis em uma área de Caatinga no nordeste do Brasil. Apresentamos a diversidade de répteis em uma área de Caatinga no estado do Piauí, nordeste do Brasil. As coletas foram realizadas no período de agosto de 2007 a junho de 2011 (cinco anos) por meio de busca ativa. Foram registradas 28 espécies de répteis, sendo 26 Squamata (13 lagartos, 12 serpentes e um anfisbena), um Testudine e um Crocodiliano. A maioria das espécies (n = 21, 75%) é de ampla distribuição geográfica e generalista, contudo algumas espécies são típicas do bioma Caatinga ou apresentam distribuição restrita ao nordeste brasileiro (n = 7, 25%). Embora nos últimos anos, vários estudos têm sido realizados no estado do Piauí, as regiões de caatinga ainda são subestimadas necessitando de maior atenção e estudos de longo prazo devem ser realizados para este bioma exclusivamente brasileiro.; We present the species richness of reptiles in a Caatinga area in the state of Piauí, northeastern Brazil. Sampling was carried out between August 2007 to June 2011 (five years) through active search. We recorded 28 species of reptiles, of which 26 belonged to Squamata (13 lizards, 12 snakes and one amphisbaenian), one Testudine and one Crocodilian. Most species (n = 21; 75%) had a general and wide geographic distribution...