Página 1 dos resultados de 1084 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

A influência do Cristianismo no conceito de casamento e de vida privada na Antiguidade Tardia

Dias, Paula Barata
Fonte: Universidade de Aveiro. Departamento de Línguas e Culturas Publicador: Universidade de Aveiro. Departamento de Línguas e Culturas
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.15%
O cristianismo contribuiu para a sobrevivência e a durabilidade de uma proposta moral, social e jurídica sobre o casamento e a vida privada cujos primeiros contornos germinaram no mundo romano pagão dos primeiros séculos da nossa Era e duraram, com poucas oscilações, até aos nossos dias. Coube ao cristianismo, ao transformar-se na religião oficial do mundo romano, tornar universal um modelo de vida que o paganismo havia proposto apenas às elites romanas: o casamento de contornos jurídicos uniformes, duráveis e reconhecidos pelo Estado, a família nuclear, a continência e o celibato são aspectos que, acolhidos sem esforço pela mensagem religiosa cristã, se tornaram dominantes porque a sociedade pagã já estava receptiva às novas propostas. As cartas de S. Jerónimo são testemunho desta nova mentalidade que, ao mesmo tempo que sanciona a intervenção pública, política ou religiosa, sobre a vida privada dos indivíduos, propaga como vida perfeita a que se vive em celibato ou em continência.; Christianity has contributed for the survival and enduring influence of a moral, social and legal view on marriage and private life whose foundations were laid in the pagan Roman world during the first centuries of our era and have lasted...

As controvérsias entre cristianismo e paganismo a partir das crônicas da destruição do Serapeum de Alexandria (391 d. C.) nas obras de Rufino de Aquileia, Sócrates de Constantinopla, Teodoreto de Ciro e Sozomeno

Losekann, Cydne Rosa Lopes
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.15%
Neste trabalho de conclusão de curso serão analisados os relatos acerca da destruição do Serapeum de Alexandria (391 d. C.) nas obras de quatro historiadores. São eles: Rufino de Aquileia, Sócrates de Constantinopla, Teodoreto de Ciro e Sozomeno. Tais autores escreveram a partir de um contexto de ascensão do cristianismo à condição de religião hegemônica no mundo romano, ainda que as tradições do paganismo, vigente durante a Antiguidade, continuassem a exercer influência nas sociedades romanas – sobretudo em Alexandria. Em vista dessas condições, pretende-se compreender como o discurso comum a esses relatos se relacionou com a consolidação do cristianismo e com sua busca por afirmação frente ao paganismo.

Um espelho esmaecido: o reino visigodo de Toledo, cristianismo e monarquia

Andrade Filho, Ruy de Oliveira
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 124-151
POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
This paper aims to present some characteristics of Hispania in Late Antiquity and Early Middle Ages (4th-8th centuries). Search through a brief analysis of the relationship between Christianity and the Catholic Monarchy stood raise some issues and questions. We understand that Christianity has played and plays a significant role in the historical development of the Iberian countries. But in its installation and attempt to consolidation as hegemonic religion in the peninsula, faced several challenges. His alliance with the monarchy stood represented one of the ways to make stronger its dominance. In turn, the Monarchy, preserving its characteristic elective associated strongly with Christianity, giving him a theocratic character trying to raise the sovereign above the fray aristocratic, without much success. Thus, our text points to some of the paths followed by these two elements, Christianity and Monarchy at the time of the Kingdom of Toledo, proposing more reflections and ways that effectively covering them. We hope to have achieved it.; O presente ensaio visa apresentar algumas características da Hispânia na Antiguidade Tardia ou Primeira Idade Média (séculos IV-VIII). Através de uma breve análise da relação entre o Cristianismo e a Monarquia Visigoda Católica...

Reconciliação do platonismo com o cristianismo na relação mestre e discípulo : uma análise a partir de migalhas filosóficas de Kierkegaard

Lindemann, Ricardo
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Filosofia, Programa de Pós-Graduação em Filosofia, 2014.; Este trabalho tem como objetivo investigar a relação entre Platonismo e Cristianismo em Migalhas Filosóficas de Kierkegaard, mostrando que a diferença entre os modelos do Platonismo e do Cristianismo, apontadas pelo autor, na relação Mestre e Discípulona mesma obra, assinada por seu pseudônimo Johannes Climacus, não implica que tais modelos sejam essencial e mutuamente excludentes, mas que são passíveis de uma reconciliação. Para tanto, a partir do Platonismo e suas teorias interdependentes de Reminiscência e Metempsicose, será sustentado que a diferença supramencionada é, em certa medida, artificialmente criada ou exageradamente radicalizada pelo autor, e setentará evidenciar eventuais incompatibilidades do Cristianismo assim ‘inventado’ por Climacus com o Cristianismo primitivo (sugerindo pesquisa em Orígenes) e tradicional,bem como alguns dos mais relevantes pontos em comum deste último com o Platonismo, particularmente o Princípio da Imanência. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT; This work has the object to investigate the relation between Platonism and Christianityin Kierkegaard’s Philosophical Fragments...

Ser Eva e dever ser Maria : paradigmas do feminino no cristianismo

Ribeiro, Silvana Mota
Fonte: Celta Editora Publicador: Celta Editora
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2000 POR
Relevância na Pesquisa
37.15%
Considerando as mútuas influências dos campos teológico-religioso e sociocultural, é pertinente analisar as imagens da mulher projectadas pelo Cristianismo, percebendo que delas podem ser retiradas consequências ao nível dos modelos de auto-representação femininos e das desigualdades e hierarquias de género. Enquadramos este tema numa perspectiva que contempla a interiorização de imagens e a construção da identidade feminina no processo de interacção social, salientando a importância dos esquemas inconscientes de auto-percepção das mulheres, que moldam modos de ser e contribuem, em grande parte, para a perpetuação estrutural da ordem masculina e feminina. Fornecendo um discurso povoado de imagens justificadoras - mas apresentadas como naturais e de origem divina -, o Cristianismo disponibiliza às mulheres os seus modelos de representação que estas, secularmente, tendem a aceitar como naturais e não como histórica e socialmente construídos. Assim, a Igreja encara a mulher fixando imagens, continuamente sujeitas a processos de sedimentação, do que a mulher é e do que deveria ser.

Cristianismo e mitraísmo na Roma antiga: aspectos comparativos, sécs I-IV

Afonso, Cátia Alexandra
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Tese de mestrado, História e Cultura das Religiões, Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2013; Neste trabalho propus-me a elaborar uma comparação entre duas religiões mistéricas: Cristianismo e Mitraísmo, na Roma antiga, entre os séculos I a IV. Foi assim possível ver os pontos em que se assemelhavam e aqueles em que divergiam conforme as suas raízes e povos com quem contactaram. É também possível ver que a forma como foram divulgadas e aceites por determinados grupos foi de extrema importância na adopção da sua forma final. No caso do Cristianismo, este foi levado por Paulo até aos povos pagãos da bacia do Mediterrâneo que ajudaram a moldá-lo com algumas das suas crenças e celebrações. Já o Mitraísmo, tendo sido adoptado principalmente por soldados leva a que este adoptasse uma forma mais restrita e secreta já que as mulheres não podiam fazer parte do culto. É possível ver uma evolução nestas duas crenças conforme muda o poder dentro do Império e as recorrentes perseguições ajudam a que o Cristianismo acabe por se tornar mais forte até ao momento em que este passa a ser visto como uma forma de unir todo o Império. Com a queda do paganismo, o seu concorrente torna-se na religião oficial que acaba por se consolidar e espalhar mesmo após a queda do Império tornando-se assim uma das grandes religiões do mundo.

A ética kantiana e o espírito do cristianismo

Martins, Nuno O.
Fonte: UCP - Faculdade de Teologia Publicador: UCP - Faculdade de Teologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /06/2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.15%
O presente trabalho procura fazer uma análise do pensamento ético de Immanuel Kant, e relacionar a moral kantiana com o conceito de pessoa do Cristianismo, tendo em conta a interpretação cristã de conceitos como matéria, forma e espírito. Será argumentado que a noção de "espírito" do Cristianismo se enquadra numa visão integral da pessoa humana, e não implica uma separação entre matéria e espírito, separação essa que se encontra presente implicitamente na moral kantiana. Será argumentado que uma visão cristã do pensamento kantiano permite obter uma visão diferente acerca da possibilidade do que Kant designa por santidade da vontade. Antes de começar a tratar as questões éticas que Kant aborda, vai-se procurar, na medida do possível, fazer uma breve introdução ao sistema kantiano, que constitui a base dos principais conceitos usados por Kant nas suas reflexões éticas. É indispensável, tendo em conta as questões que se pretende focar, ter esta perspectiva da origem dos conceitos utilizados e da globalidade do contexto onde se enquadram. É igualmente importante notar que será tratada a fase de Kant geralmente denominada por período crítico. (Introdução)

Transcendência e Antropologia do Cristianismo: linguagem, mudança e individualismo

Robbins,Joel
Fonte: Instituto de Estudos da Religião Publicador: Instituto de Estudos da Religião
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
Nas últimas décadas, temos presenciado o surgimento de uma Antropologia do Cristianismo. Destacam-se, nesse campo emergente, as seguintes questões-chave: 1) o papel do Cristianismo em esforços de promoção de mudança social; 2) o caráter distintivo das interpretações Cristãs sobre a linguagem; 3) a tendência do Cristianismo a fomentar o individualismo. Este artigo oferece um relato sintético desses precessos considerando como as diversas interpretações cristãs da tensão entre transcendência e mundano conformam as maneiras pelas quais diversas igrejas lidam com essas questões.

Pluralismo e novas identidades no cristianismo brasileiro

Oliveira, Gustavo Gilson Sousa de
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.15%
O campo religioso brasileiro vivenciou um amplo processo de pluralização nas últimas décadas. A diversificação das identidades, discursos e movimentos cristãos no país desempenhou um papel primordial nessa pluralização. O trabalho apresentado desenvolve uma análise dos principais discursos cristãos surgidos no Brasil, na segunda metade do século XX. Busca explicitar seus processos de formação, os deslocamentos sofridos ao longo de sua trajetória, quais as práticas e lógicas sociais que compõem esses discursos, quais as narrativas e fantasias que os sustentam ou desafiam, e quais as relações e implicações estabelecidas ou delineadas entre esses discursos e movimentos e as dimensões cultural, política e econômica na sociedade brasileira atual. O estudo realizado observou que o processo de modernização do país promoveu um amplo deslocamento do imaginário religioso católico nacional, até então hegemônico, e desencadeou um movimento de desconstrução da polarização antagônica entre catolicismo e protestantismo que sustentava esse imaginário. A partir desse deslocamento inicial foram formados três diferentes classes de novos movimentos cristãos: os movimentos que buscaram articular o cristianismo à modernidade (ecumenismo...

Pluralismo e novas identidades no cristianismo brasileiro

Oliveira, Gustavo Gilson Sousa de
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.15%
O campo religioso brasileiro vivenciou um amplo processo de pluralização nas últimas décadas. A diversificação das identidades, discursos e movimentos cristãos no país desempenhou um papel primordial nessa pluralização. O trabalho apresentado desenvolve uma análise dos principais discursos cristãos surgidos no Brasil, na segunda metade do século XX. Busca explicitar seus processos de formação, os deslocamentos sofridos ao longo de sua trajetória, quais as práticas e lógicas sociais que compõem esses discursos, quais as narrativas e fantasias que os sustentam ou desafiam, e quais as relações e implicações estabelecidas ou delineadas entre esses discursos e movimentos e as dimensões cultural, política e econômica na sociedade brasileira atual. O estudo realizado observou que o processo de modernização do país promoveu um amplo deslocamento do imaginário religioso católico nacional, até então hegemônico, e desencadeou um movimento de desconstrução da polarização antagônica entre catolicismo e protestantismo que sustentava esse imaginário. A partir desse deslocamento inicial foram formados três diferentes classes de novos movimentos cristãos: os movimentos que buscaram articular o cristianismo à modernidade (ecumenismo...

O cristianismo no Japão

Hichmeh, Yuri Sócrates Saleh
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.26%
Resumo: O ano de 1549 marcou o início do chamado "Século Cristão do Japão", termo cunhado pelo historiador Charles Boxer e que descreve o período durante o qual a Companhia de Jesus penetrou no arquipélago japonês, com vistas a evangelizar a população e aumentar as fronteiras da cristandade. Apesar dos avanços dos inacianos no processo de conversão, o "Século Cristão" foi traumaticamente encerrado, contando com a proibição do cristianismo em solo japonês - por determinação do Sh?gun da época - e com o total rompimento dos laços comerciais luso-nipônicos. Assim, a presente pesquisa pretende analisar as bases ideológicas legitimadoras da perseguição japonesa ao cristianismo, avaliando a forma como o Bakufu Tokugawa construiu uma ideia de "incompatibilidade" entre a religião europeia e o Japão a fim de difamar e marginalizar a Companhia de Jesus, seus representantes e seguidores, em um processo de fortalecimento da identidade japonesa. Para tanto, serão cotejados documentos ocidentais, como cartas de jesuítas e relatos de viajantes, em paralelo às fontes principais selecionadas, de origem nipônica: as obras Myotei Mondo e Ha Daiusu, do estudioso japonês Fabian Fukan (1565-1621), capazes de fornecer denso conteúdo quanto às bases ideológicas do cristianismo no Japão e...

Violência e idolatria no cristianismo: uma leitura da invasão cristã européia a partir da crítica da religião de Feuerbach e da concepção bíblica de Deus

Mangoni, José Antônio
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.26%
O presente trabalho tem como tema central "A idolatria e a violência no cristianismo". Quer, a partir de um estudo bibliográfico, referente ao período da invasão espanhola nas Américas, visualizar as motivações eclesiais presentes neste período. Tendo como pano de fundo a violência, procura analisar a religião, a invasão espanhola e a idolatria. Feuerbach é um dos referenciais teóricos que ajuda nesta caminhada, principalmente na sua concepção que Deus é projeção humana. Assim, ao analisar os documentos históricos do período, percebe-se que Deus nada mais era, naquele momento, que uma projeção humana dos ideais de expansão territorial e justificação para a violência contra as nações indígenas. Em seu nome foram mortos os índios, e em seu nome destruiu-se a riquíssima cultura e religião indígena, e implantou-se um colonialismo opressor e uma religião do medo. O trabalho consta de três capítulos: o primeiro "Religião, violência e revelação" faz um apanhado da concepção da religião, da origem da violência e como a revelação pode superar a violência que origina-se da própria religião; o segundo capítulo "Invasão, violência e profetismo" faz uma análise documental da invasão espanhola...

História do Cristianismo e as origens cristãs

de Souza, José Carlos
Fonte: Universidade Metodista de São Paulo Publicador: Universidade Metodista de São Paulo
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Relevância na Pesquisa
37.15%
• Identificar os pressupostos, a metodologia e as principais tarefas de uma história do cristianismo. • Analisar as origens, a formação e o desenvolvimento das primeiras comunidades cristãs no contexto das sociedades palestinenses e greco-romanas.

De un cristianismo en crisis hacia un cristianismo místico

Rodrígues da Silva, Gilberto
Fonte: Pontifícia Universidade Javeriana Publicador: Pontifícia Universidade Javeriana
Tipo: bachelorThesis; Trabajo de Grado Pregrado Formato: Pdf
Relevância na Pesquisa
37.26%
Nosotros cristianos estamos pasando por un momento muy especial, pues vivimos en un nuevo mundo en donde enfrentamos desafíos nunca vistos antes por los cristianos que nos antecedieron, este momento singular por el cual atraviesa el cristianismo contemporáneo nos desafía no sólo a asumir la fe cristiana como en las primeras comunidades luego de la muerte de Jesús, a elaborar una doctrina y una teología capaces de dialogar con el mundo como en los siglos III-IV después que la Iglesia fue considerada como religión oficial del Imperio Romano y a cultivar una espiritualidad accesible a la mayoría de los cristianos como en la Edad Media. Sin embargo, hoy somos desafiados a vivir otra espiritualidad posible como puerta de entrada a un nuevo cristianismo, porque todas nuestras tradiciones se hacen vulnerables ante el mundo actual, e incapaces de hablar al corazón del nuevo ser humano que surge a partir de las grandes transformaciones que cambiaron no sólo el orden mundial sino también la humanidad entera.

"Contra christianos" : la crítica filológica de Porfirio al cristianismo

Morillas Esteban, Jordi
Fonte: Murcia: Universidad, Secretariado de Publicaciones Publicador: Murcia: Universidad, Secretariado de Publicaciones
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
37.26%
El presente artículo está concebido como la continuación de nuestro estudio sobre Celso publicado en el nº 34 de la revista Daimon y pretende presentar la crítica de carácter fundamentalmente filológico de Porfirio de Tirso al cristianismo en su obra Kathà Christianón. Estructurado nuestro estudio en dos partes, en la primera se lleva a cabo una breve historia del origen y fortuna de la obra, para pasar, en la segunda, a una exposición detallada de algunos puntos importantes de la crítica porfiriana al cristianismo, centrándonos en el Nuevo Testamento. En la conclusión se valorará críticamente las invectivas de Porfirio al Cristianismo.

La expansión del cristianismo en el Imperio Romano: Jerusalén, Antioquía de Siria, Alejandría y Roma.; The expansion of the christianity in the Roman Empire: Jerusalem, Antakya of Siria, Alexandria and Rome.

Ríos Cerezo, Gabriel
Fonte: Universidade de Cantabria Publicador: Universidade de Cantabria
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
SPA
Relevância na Pesquisa
37.33%
RESUMEN: El en presente trabajo de final carrera he pretendido realizar un análisis bibliográfico sobre la expansión del cristianismo y la formación de las sedes episcopales, y las principales Iglesias en el Imperio Romano. A lo largo del trabajo, se va realizando una descripción cronológica de la expansión y formación del cristianismo en Jerusalén, Antioquía de Siria, Alejandría y Roma. Este trabajo se centra en el desarrollo de la religión cristiana, desde la muerte de su Mesías, Jesús de Nazaret, hasta la llegada de Constantino I y la oficialidad del cristianismo en el Imperio. A parte de explicar las sedes episcopales, en el trabajo se desarrollarán los personajes más importantes y los textos referencia en el cristianismo de esta época.; ABSTRACT: In this project of end of degree I have tried to realize one bibliographical analysis about the expansion of the Christianity and the formation of the Episcopal headquarters, and the principal churches in the Roman Empire. In this work it is done a chronological description of the expansion and formation of the Christianity in Jerusalem, Antioch of Syria, Alexandria and Rome. This work analyzes the development of the Christian religion, from the death of his Messiah...

Los or??genes del cristianismo hispano: algunas claves sociol??gicas

Fern??ndez Ubi??a, Jos??
Fonte: Consejo Superior de Investigaciones Cient??ficas (CSIC) Publicador: Consejo Superior de Investigaciones Cient??ficas (CSIC)
Tipo: Artigo de Revista Científica
SPA
Relevância na Pesquisa
37.15%
El cristianismo se implant?? en Hispania a partir del siglo III, con contenidos y formas de car??cter sincretista y entre las oligarqu??as y capas altas sociales. Por ser estos sectores sus principales difusores y dirigentes, las iglesias hispanas vivieron en plena armon??a con su entorno social y asumieron paulatinamente, sin rupturas traum??ticas, el papel integrador y pol??tico antes desempe??ado por la religi??n romana. La espiritualidad ferviente y libre de las primeras comunidades cristianas s??lo se conoci?? en el siglo IV, entre arist??cratas her??ticos, perseguidos y marginados por el Estado romano y por la Iglesia ortodoxa.; From the third century on Christianity became rooted in Hispania as a syncretic religion that appealed mainly to urban oligarchy and high social strata. Because they were the main Christian disseminators and leaders, the Spanish churches lived in perfect harmony with their social environment and that made it possible for them to assume, without traumatic breaks, the political role and policy of integration previously played by the Roman religion. The first Christian communities??? fervent and free spirituality was shared in Hispania especially throughout the fourth century, above all among heretic aristocrats who were relentlessly harassed both by the Roman State and the orthodox Church.

Cristianismo e decadence

Almir Jose Weinfortner
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/02/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.52%
o propósito básico deste estudo é procurar compreender a vontade débil a partir da relação conceitual entre a décadence e o Cristianismo. Para trilhar tal caminho, é imprescindível que sigamos as pegadas de Nietzsche, desenvolvendo uma crítica à religião, mais especificamente ao Cristianismo. O estudo tem início com a discussão acerca do fenômeno da crença religiosa, buscando o seu significado e fundamento. Um dos alicerces básicos deste primeiro momento é a atenção dedicada à estruturação do conceito de fé, tal como aparece em O Anticristo. Desenvolvida esta questão, num segundo momento procuramos compreender a vontade débil a partir do Cristianismo - segundo Nietzsche, melhor representante desse tipo de vontade. Alicerçamos este estudo na configuração do Cristianismo como um "mau inimigo", nos conceitos de "corrupção da vontade" e "compaixão" - elementos conceituais de importância considerável na caracterização do Cristianismo desenvolvida por Nietzsche. Esta discussão encaminha para o desenvolvimento do capítulo que trata do conceito de décadence. O estudo tem início com a apresentação do que Nietzsche considera sua "experiência pessoal com a décadence", da qual ele se considera um "mestre". Na seqüência do capítulo...

Subjetividade e objetividade no debate entre socratismo e cristianismo em Kierkegaard : uma analise a partir do Post-Scriptum

Marcio Gimenes de Paula
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/03/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
Em que consiste o pensamento objetivo? Qual é a base do pensamento subjetivo? Há uma cisão irrecuperável entre essas duas formas de pensar? Poderiam ambas ajudar-se mutuamente? A objetividade não foi, ao longo dos anos, confundida com objetivismo? Subjetividade não foi confundida com subjetivismo, arbitrariedade ou mera vontade individual? Pensando nessas questões- e no conflito entre subjetividade e objetividade desenvolvo nessa dissertação um estudo de tal temática baseando-me na obra de Kierkegaard (1813-1855). Para a realização de tal tarefa, analiso especialmente o Post-Scriptum, relacionando-o com algumas outras obras suas e pseudônimos do pensador dinamarquês. A relação entre subjetividade e objetividade em Kierkegaard se esclarece através da sua concepção das figuras de Sócrates e Cristo. O pensador grego e Cristo- a suma imagem do mistério- são tomados como exemplos de subjetividade, a despeito de suas diferenças. Nessa pesquisa, três outros autores são de importância capital para Kierkegaard: Hegel, Lessing e Feuerbach. Hegel não figura apenas como oponente de Kierkegaard. Tal oposição kierkegaardiana foi tratada como uma estratégia no contexto geral de suas obras. O pensador dinamarquês também não defende uma subjetividade que pode ser confundida com qualquer espécie de subjetivismo...

O movimento Mucker à luz do cristianismo primitivo na interpretação de Rinaldo Fabris e José Comblin

Zanon, Maria de Lurdes
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.26%
A presente dissertação de Mestrado em Teologia, O Movimento Mucker à luz do cristianismo primitivo na interpretação de Rinaldo Fabris e José Comblin, estuda o movimento, que nasceu em 1868, na sociedade de São Leopoldo, Rio Grande do Sul, e foi exterminado em agosto de 1874. Era composto de imigrantes alemães e descendentes, pertencentes às igrejas Protestante e Católica, inseridos numa sociedade em que, pelo capitalismo, sentiam-se marginalizados. Em torno do curandeiro João Jorge Maurer e sua esposa Jacobina Mentz que, a partir de 1873, passou a liderar o movimento, nasceu um grupo religioso que mais tarde foi chamado de Mucker. Unidos, criaram uma sociedade capaz de corrigir as injustiças sociais, diferente daquela em que viviam. O movimento, que desafiou o poder civil e religioso, nos meados do século XIX, será confrontado com o movimento religioso que Jesus de Nazaré criou na Palestina do século I, o Cristianismo, pois também havia, nessa sociedade, injustiças semelhantes às que existiam na colônia de imigrantes alemães. É, portanto, um trabalho de aproximação do movimento de Jacobina Mentz e do Cristianismo primitivo, que tem suas origens na pregação de Jesus de Nazaré.; This Master's thesis in Theology...