Página 1 dos resultados de 50 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Comunicação aumentativa : estratégia para a inclusão

Anica, Gertrudes Maria Belas
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
67.01%
A paralisia cerebral é um dos factores que frequentemente leva a graves perturbações na comunicação. Estas limitações causam enormes barreiras no desenvolvimento dos indivíduos, sendo importante proporcionar àqueles que apresentam disfunções na comunicação os meios para se expressarem e comunicarem. A comunicação aumentativa tem como objectivo proporcionar as ajudas técnicas específicas que ampliem as capacidades de expressão permitindo compensar as disfunções comunicativas e proporcionar a comunicação, a aprendizagem, a interacção, a autonomia,melhorando as competências globais dos indivíduos e possibilitando-lhes uma melhor qualidade de vida. Este trabalho resultou da intervenção fundamentada nos pressupostos e nos procedimentos da intervenção-acção com uma aluna com Paralisia Cerebral e sem linguagem oral, com o objectivo de melhorar os seus níveis de interacção com os pares, os professores e os familiares. Esta intervenção centrou-se no desenvolvimento e na aplicação de um sistema aumentativo de comunicação e numa perspectiva ecológica de desenvolvimento, promoveu uma maior adaptação da aluna ao meio envolvente, a sua inclusão na turma e a sua socialização na comunidade escolar.; Orientador: Maria Odete Emygdio de Silva

Comunicação aumentativa e alternativa para sujeitos com transtornos globais do desenvolvimento na promoção da expressão e intencionalidade por meio de ações mediadoras

Bez, Maria Rosangela
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.86%
A linguagem e a comunicação são processos fundamentais para o desenvolvimento humano. Mas longe de serem processos inatos ou maturacionais são processos sócio-históricos que se desenvolvem ao longo da vida. Dessa forma, quando as crianças chegam à idade escolar trazem com elas uma linguagem e comunicação oral não como produtos acabados, mas como processos sociais e em desenvolvimento Professores de séries iniciais muitas vezes são surpreendidos quando uma criança não fala, ficando sem ação, pois a expectativa deles é trabalhar apenas com a escrita. Eles pressupõem que oralidade já deveria estar desenvolvida em seus alunos. A escola tem papel fundamental nesse processo de alfabetização, mas também no desenvolvimento da linguagem como um todo incluindo as diversas formas de comunicação possíveis, pois, é de suma importância que a escola acolha todas as pessoas sem discriminações ou preconceitos. Esta pesquisa teve como foco principal propor ações mediadoras com uso de recursos e estratégias de CAA para promover o desenvolvimento da comunicação em sujeitos com TGD. As ações mediadoras foram embasadas nos pressupostos da Teoria Sócio-Histórica, focando em estratégias nas quais a interação vise à comunicação com recursos de CAA de baixa e alta tecnologia como foco principal. O presente trabalho estruturou-se como um estudo de caso (multicaso) de dois sujeitos incluídos nas séries iniciais do ensino fundamental na rede publica municipal da grande Porto Alegre. Ambos os sujeitos tem TGD...

Comunicação aumentativa e alternativa para o desenvolvimento da oralidade de pessoas com autismo

Avila, Bárbara Gorziza
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.55%
A pesquisa de mestrado relatada ao longo desta dissertação contemplou o desenvolvimento de um sistema de comunicação altenativa em alta tecnologia voltado para a comunicação de crianças com autismo não oralizadas. O processo de construção do Sistema de Comunicação Alternativa para o Letramento de pessoas com Autismo, SCALA, desdobrou-se em três etapas, abrangendo o seu desenvolvimento e avaliação do mesmo com potenciais usuários da ferramenta. Na primeira etapa deste trabalho, foram estabelecidos os resquisitos do sistema, a primeira modelagem do SCALA e suas propostas de interface. Concomitantemente, desenvolveu-se um estudo de caso com uma criança diagnosticada com autismo não oralizada. Nesta etapa, inseriu-se a CAA no cotidiano da criança, iniciando com recursos de baixa tecnologia, e finalmente passando para alta tecnologia, chegando ao uso do sistema SCALA em atividades pedagógicas voltadas para o desenvolvimento da comunicação. As estratégias de CAA desenvolvidas ao longo do estudo, pautadas no uso de recursos de comunicação alternativa e do sistema SCALA, permitiram identificar as potencialidades deste sistema no desenvolvimento da comunicação oral de uma criança com autismo. Na última etapa, verificou-se a usabilidade do sistema SCALA seguindo as heurísticas definidas por Nielsen e adaptadas por Rauber. Para a verificação da usabilidade...

Tecnologias assistivas e a comunicação aumentativa e alternativa no contexto da inclusão escolar : construindo possibilidades

Moreira, Carla Cristina Cadaxa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
57.16%
O aluno com paralisia cerebral pode apresentar diferentes características que dificultam seu desenvolvimento. No âmbito da sala de aula, tais singularidades demandam estratégias pedagógicas a fim de remover as barreiras à aprendizagem. Dentre elas, a acessibilidade aos processos de comunicação é fundamental. A presente pesquisa aborda tal temática, perguntando-se pelo uso pedagógico das tecnologias assistivas (TA) e da comunicação aumentativa e alternativa (CAA). Trata-se de uma pesquisa qualitativa, exploratória e construída a partir de entrevistas, questionários e observação em sala de aula. As unidades de análise contemplam o aluno com paralisia cerebral e os dispositivos de apoio para a inclusão; os recursos tecnológicos e a formação de professores; a utilização das tecnologias assistivas e da comunicação aumentativa e alternativa nos processos de ensino e aprendizagem. A análise baseia-se nos preceitos da educação inclusiva, com ênfase em autores como Carvalho (2000), Manzini (2008) e Nunes; Sobrinho (2008). Como principais resultados salienta-se que o tema é pouco abordado pelos teóricos e profissionais da educação e da saúde, prejudicando, assim, os processos escolares dos alunos com paralisia cerebral; que o uso pedagógico das TA e da CAA efetiva-se e sustenta-se a partir de diferentes apoios interdisciplinares; que as tecnologias devem ser redimensionadas considerando as particularidades de cada aluno e do contexto educacional.; La pupila con parálisis cerebral puede presentar diversas características que hagan le difícil su desarrollo. En el alcance de la sala de clase...

As TIC na comunicação aumentativa e alternativa

Pinheiro, Patrícia Alexandra Loureiro; Gomes, Maria João
Fonte: Universidade do Minho. Centro de Investigação em Educação Publicador: Universidade do Minho. Centro de Investigação em Educação
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
67.27%
A presente comunicação incide num estudo a realizar no âmbito das TIC aplicadas à Comunicação Alternativa e Aumentativa. No contexto escolar o trabalho com crianças com Necessidades Educativas Especiais colide com as dificuldades de comunicação, provocadas por limitações cognitivas e pela inexistência de uma comunicação eficaz. As ajudas técnicas para a Comunicação Alternativa e Aumentativa constituem um elemento essencial facilitador nos vários domínios da vida destas crianças: autonomia, socialização, aprendizagem. Numa era em que os dispositivos móveis proliferam, os sistemas de Comunicação Aumentativa e Alternativa acompanham essa tendência. O quotidiano das crianças com Necessidades Educativas Especiais com dificuldades de comunicação começa a deixar os sistemas de comunicação “de papel” e a abraçar os digitais. Com este estudo, pretendemos obter um quadro geral do uso das TIC, ao nível do hardware e do software para a Comunicação Aumentativa e Alternativa, por parte dos professores que atuam nas Unidades de Atendimento da Educação Especial.

Comunicação aumentativa e alternativa: o caderno de comunicação

Nascimento, Sofia Isabel Simões do
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.52%
Tendo em conta o princípio da escola inclusiva, qualquer professor poderá ter nas suas turmas, alunos que necessitem de um Sistema Aumentativo e Alternativo de Comunicação para se fazerem entender. É sobre esta temática que irá incidir este trabalho: temos um aluno, do sexo masculino, com 12 anos de idade, portador de Síndrome X Frágil, com limitações acentuadas a nível da linguagem expressiva, que necessita de um sistema de ajuda para se fazer entender. Foi com base nesta realidade que foi planificada uma intervenção, visando proporcionar ao aluno o acesso à comunicação e linguagem através da implementação de um caderno de comunicação, que favorecesse o desenvolvimento da linguagem expressiva, melhorasse o seu desenvolvimento cognitivo e reduzisse a frustração, proporcionando-lhe bem-estar emocional e aumentando a aprendizagem e o seu desenvolvimento global. Podemos concluir que os ganhos foram significativos para o sujeito em estudo; no entanto, é importante que a utilização de sistemas aumentativos e alternativos de comunicação não fique restrito a um só contexto, mas seja estendido a todos aqueles em que a criança participa.; Taking into account the principle of inclusive school, any teacher can receive in her classes...

COMUNICAR COM SÍMBOLOS - EMPODERAMENTO COMUNICATIVO

Boné, Maria; Bonito, Jorge
Fonte: Universidad de Guanajuato et al. Publicador: Universidad de Guanajuato et al.
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
47.03%
podem ler, porque o sistema de ensino e de aprendizagem não lhes proporcionou essa possibilidade, tanto ao nível da leitura como da escrita. A descoberta adaptativa desta obra abre a porta à vasta possibilidade de A comunicação é um processo universal entre os seres humanos, através do qual se adquire a cultura envolvente, se partilha informação e atua intencionalmente com o objetivo de influenciar o comportamento dos outros. O discurso oral é a forma de expressão mais usada pelas pessoas para comunicar. Todavia, crianças, jovens e adultos, em resultado de razões diversas, estão impossibilitados de comunicar através da fala ou fazem-no de forma limitada. Perante estes casos revela-se fundamental, o mais precoce possível, a introdução, de um Sistema de Comunicação Alternativa ou Aumentativa que ajude essas pessoas a interagir eficazmente com o meio social (Ferreira, Ponte & Azevedo, 2000; Van Tetzchner & Martinsen, 2000). Recorrendo a estes sistemas de comunicação é possível promover capacidades comunicativas e linguísticas, facilitando ou possibilitando a interação comunicativa e a partilha de informação que concorrem para o desenvolvimento pessoal O trabalho que realizámos objetiva a intervenção com vista ao incentivo da comunicação aumentativa como fator promotor e enriquecedor da comunicação. Desenvolveu-se uma adaptação da obra “Amélia quer um cão”...

A educação para a autonomia e o empoderamento comunicativo: o caso da "Amélia quer um cão"

Boné, Maria; Bonito, Jorge
Fonte: UNISAL Publicador: UNISAL
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.97%
Algumas pessoas, em resultado de razões diversas, estão impossibilitadas de comunicar através da fala ou fazem-no de forma limitada. Perante estes casos revela-se fundamental, o mais precoce possível, a introdução, de um Sistema de Comunicação Alternativa ou Aumentativa que ajude essas pessoas a interagir eficazmente com o meio social. Este trabalho objetiva a intervenção com vista ao incentivo da comunicação aumentativa como fator promotor e enriquecedor da comunicação. Desenvolveu-se uma adaptação da obra “Amélia quer um cão”, com texto de Tim Bowley e ilustração de André Neves, com base no software “Comunicar com símbolos”. Destacaram-se as ideias fundamentais criando frases simples e a respetiva correspondência simbólica. Foi mantido o texto original, perspetivando a sua leitura, numa fase posterior, de domínio das técnicas de leitura. A abordagem e exploração da obra adequa-se a crianças e a adultos não leitores ou em fase de aquisição da leitura e da correta estruturação frásica, que manifestem alguns comprometimentos. A descoberta adaptativa desta obra abre a porta à vasta possibilidade de criar documentos e contextos promotores da literacia entre grupos de pessoas que necessitam de adaptações...

Sistema de CAA com adaptação ao contexto físico

Garcia, Luís; Oliveira, Luís
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /06/2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.84%
Comunicação apresentada na Iberdiscap2011 - VI Congreso Iberoamericano de Tecnologías de Apoyo a la Discapacidad, Palma de Maiorca (Espanha), 16-17 Junho 2011; Vários estudos apontam para a existência de determinados padrões de comunicação em alguns contextos físicos. Neste artigo discute-se uma abordagem que permite dotar os sistemas de comunicação aumentativa e alternativa de capacidades de adaptação ao contexto físico. Este apoio contextual deverá contribuir para um aumento da rapidez de escrita e acesso a vocabulário mais rico favorecendo assim uma maior expressividade na comunicação. Como exemplo descreve-se a implementação de um mecanismo de adaptação ao contexto físico no sistema de comunicação alternativa Eugénio que se baseia na associação de diferentes perfis de utilização às localizações físicas com interesse para o utilizador.

Comunicação alternativa e aumentativa na multideficiência

Pinheiro, Vasco Fernando Castilho
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /07/2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.77%
A escola de inclusão é facilitadora de oportunidades adequadas às capacidades e necessidades de cada aluno. A declaração de Salamanca, datada de 1994, tem como princípio orientador a possibilidade/necessidade de as escolas receberem qualquer criança, independentemente da sua condição física, social, emocional ou intelectual. É sabido que grande parte dos alunos com necessidades educativas especiais (NEE) apresentam graves distúrbios ao nível da comunicação oral, dificultando tanto a interação com os seus pares e professores, como o processo de ensino e aprendizagem e a inclusão. Nesse sentido, quem pesquisa está preocupado em encontrar e analisar outros recursos que possam ser alternativos e/ou suplementares à fala com o objetivo de possibilitar aos alunos com este tipo de distúrbios e com multideficiência, a inclusão social e escolar. Neste estudo de caso têm-se como objetivos, a melhorar as competências comunicativas com a introdução da Comunicação Aumentativa e Alternativa e, verificar se a introdução do programa melhorou os níveis comunicativos de determinado aluno. Através da implementação e, adequando os diferentes recursos comunicativos, as atividades irão ser realizadas com os vários técnicos da escola; professora especializada...

Promover a comunicação: projeto de intervenção

Silva, Ana Felisbela Melo da
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /09/2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.56%
A paralisia cerebral é um dos fatores que frequentemente leva a graves perturbações na comunicação. Estas limitações causam enormes barreiras no desenvolvimento integral dos indivíduos, sendo importante proporcionar àqueles que apresentam disfunções na comunicação os meios para se expressarem e comunicarem. “Promover a comunicação” espelha a investigação realizada junto de uma criança com paralisia cerebral sem linguagem oral, com o objetivo de melhorar os seus níveis de interação. Planeou-se a realização de um estudo que permitisse conhecer a criança e a sua problemática, assim como o contexto educativo onde se encontra inserida, tendo por referencial uma visão holística da mesma. Neste sentido, desenvolveram-se atividades na área da comunicação, recorrendo a meios aumentativos da comunicação aliados sempre que possível às Tecnologias da Informação e da Comunicação. A comunicação aumentativa tem como objetivo proporcionar as ajudas técnicas específicas que ampliem as capacidades de expressão, permitindo compensar as disfunções comunicativas e proporcionar a comunicação, a aprendizagem, a interação, a autonomia, melhorando as competências globais dos indivíduos e possibilitando-lhes uma melhor qualidade de vida. Procurou-se também articular com os recursos existentes na comunidade educativa...

A importância da comunicação aumentativa/alternativa em alunos com paralisia cerebral no 1º ciclo do ensino básico

Freixo, Ana Rita Grácio
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /07/2013 POR
Relevância na Pesquisa
56.73%
O conceito de inclusão é explorado em diferentes contextos e situações. No âmbito da educação ganha especial relevância uma vez que surge num contexto favorável à criação de cidadãos responsáveis e solidários. Nas escolas é comum existirem alunos com diferentes níveis, com diferentes dificuldades. Os métodos de ensino utilizados nem sempre são os mais adequados para todos. O que pode resultar com um aluno não quer dizer que esteja a ajudar o outro a ter sucesso. Uma escola inclusiva preocupa-se com isso mesmo, com a inclusão. Mas é uma inclusão em todos os aspetos, não se trata de incluir apenas por estar presente, mas sim incluir, partilhar, cooperar, existir uma relação de duplo sentido. Uns aprendem com os outros. E aprender em conjunto faz com que os alunos cresçam não só intelectualmente e academicamente, mas também a nível pessoal e social. Neste trabalho explora-se a inclusão e o sucesso de alunos com Paralisia Cerebral em turmas do 1º ciclo do ensino regular associados ao recurso a instrumentos de Comunicação Aumentativa/Alternativa.

O jogo e a literatura infantil: um meio para a comunicação aumentativa e alternativa

Patrão, Marilene Vida
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /09/2013 POR
Relevância na Pesquisa
56.77%
O objetivo principal deste trabalho de investigação é apresentar e mostrar o contributo do jogo e da literatura infantil para o desenvolvimento e aprendizagem de um sistema de Comunicação Aumentativa e Alternativa (CAA). Por conseguinte, houve uma pesquisa científica cuidada para elaborar o enquadramento teórico, de forma, a realizar uma descrição de conceitos, ideias, sistemas e métodos. Procedeu-se, ainda, a um pequeno relato das caraterísticas de alguns métodos possíveis para a investigação e determinou-se qual seria o mais indicado. O método seleccionado foi a investigação-ação (I-A) com o auxílio da entrevista, pelo facto de ser possível observar diretamente o trabalho desenvolvido com a criança, bem como a opinião da educadora de infância sobre o contributo que o jogo e a literatura infantil teve na aprendizagem e no desenvolvimento da CAA em crianças com dificuldades de comunicação oral e/ou escrita. Ao analisar os dados, constatou-se que o jogo e a literatura infantil proporcionam momentos lúdico-pedagógicos positivos para a aprendizagem e para o desenvolvimento de um sistema de CAA, favorecendo o desenvolvimento pessoal e social da criança.

Discurso de fisioterapeutas acerca da comunicação com sujeitos com encefalopatia crônica não progressiva

Bortagarai,Francine Manara; Ramos,Ana Paula
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Paraná Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.54%
INTRODUÇÃO: A Encefalopatia Crônica Não Progressiva (ECNP) refere-se ao prejuízo motor não evolutivo, adquirido antes dos dois primeiros anos de vida, que manifesta desordem do movimento e da postura. Além do atraso nas aquisições motoras, o sujeito acometido por essa patologia pode apresentar problemas de visão, cognição, comunicação e comportamento, dependendo da gravidade do comprometimento neurológico. Para tanto, há a necessidade de uma equipe de profissionais da área da saúde para auxiliá-lo e de uma visão humanista em seu atendimento. OBJETIVO: Analisar as formas de comunicação utilizadas entre fisioterapeutas e sujeitos com encefalopatia crônica não progressiva (ECNP). MATERIAIS E MÉTODOS: Foram realizadas entrevistas individuais com perguntas abertas pertinentes à temática. A análise dos dados ocorreu com a seleção e o agrupamento das ideias mais relevantes sobre o tema a partir de análise crítica e relacional. RESULTADOS: A forma de comunicação não verbal mais referida pelos fisioterapeutas foi a cinésica (expressão facial e corporal), enfatizada como importante e presente na sessão de fisioterapia com o sujeito com ECNP. O grupo investigado afirma ter dificuldades na interpretação da leitura corporal desses sujeitos. A abordagem de tal tema demonstrou-se deficitária na vida acadêmica de grande parte dos fisioterapeutas investigados. Do mesmo modo...

Dialogismo e comunicação aumentativa alternativa em um caso

Brancalioni,Ana Rita; Moreno,Ana Clara; Souza,Ana Paula Ramos de; Cesa,Carla Ciceri
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
56.77%
TEMA: a evolução linguística de um sujeito com síndrome não esclarecida, caracterizada por prejuízos motores e ausência de fala, a partir da introdução do recurso da prancha de Comunicação Aumentativa Alternativa (CAA). PROCEDIMENTOS: realizou-se um estudo de caso de um sujeito, que no início da pesquisa tinha 6 anos e 8 meses. O período estudado compreendeu agosto de 2007 a dezembro de 2008. Este sujeito já se encontrava em atendimento fonoaudiológico desde 2002, com queixa de escape de saliva e ausência de fala, apresentando poucas evoluções fonoaudiológicas, no que se refere à oralidade. Durante o período estudado, a intervenção fonoaudiológica preconizou a introdução da prancha de CAA em um funcionamento dialógico que incluiu a família e a escola. Foram realizadas avaliações observacionais por meio do PROC antes e após o período estudado. RESULTADOS: a evolução do menino foi positiva tanto em relação à compreensão, quanto expressão linguística. O uso da CAA favoreceu o surgimento da fala. Tanto na família quanto na escola, foi possível perceber boa incorporação do uso desse recurso considerando a perspectiva teórica em que foi introduzido. CONCLUSÃO: a CAA, em uma perspectiva dialógica...

Curso Uso Terapêutico de Tecnologias Assistivas: direito das pessoas com deficiência e ampliação da comunicação - 2015

Friche, Amélia Augusta de Lima; Araújo, Maria Rizoneide Negreiros de; Reis, Nivania Maria de Melo; Bonolo, Palmira de Fátima
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.82%
Este curso integra um conjunto de quatro qualificações sobre o tema geral “uso terapêutico de tecnologias assistivas”, organizado com esta finalidade. Tem o objetivo de promover a atualização dos participantes sobre o emprego dessas tecnologias no âmbito da habilitação e da reabilitação de pessoas com capacidade de comunicação limitada e/ou comprometida. Os temas abordados são: Comunicação aumentativa e alternativa – sistemas de comunicação aumentativa e alternativa, pranchas de comunicação, recursos e adaptações; recursos para acesso ao computador – etapas no desenvolvimento de atividades com o computador, acessibilidade ao computador; para pessoas de baixa visão e cegueira (leitor de tela); e casos clínicos.

O uso de sistemas aumentativos e alternativos de comunicação em contexto de interação entre hipoterapeuta e criança com paralisia cerebral

Moreira, Raquel Alexandra
Fonte: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti Publicador: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.49%
Dissertação apresentada à Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti, para obtenção do grau de mestre em ciências da educação, área de especialização em Educação Especial; O contexto de interação hipoterapeuta-criança com Paralisia Cerebral, pelo seu potencial facilitador de comunicação, reveste-se de particular interesse no que refere o uso de Sistemas Aumentativos e Alternativos de Comunicação (SAACs). Assim, com o presente estudo pretendeu-se avaliar a promoção do uso funcional destes sistemas, por parte de profissionais que realizam sessões de hipoterapia com estas crianças. Para tal, foi desenvolvido um questionário visando i) caracterizar o perfil dos hipoterapeutas que promovem e/ou não promovem o uso de SAACs junto de crianças com PC, assim como a sua formação e perceção da mesma, ii) descrever os SAACs de que se fazem acompanhar os indivíduos com Paralisia Cerebral durante as sessões de hipoterapia, iii) determinar as funções comunicativas efetivamente promovidas pelos hipoterapeutas, iv) registar a opinião destes profissionais sobre as características que um SAAC deve apresentar de forma a permitir o seu uso funcional, bem como os principais motivos apresentados pelos mesmos para o facto de não recorrerem a SAACs nas sessões de hipoterapia com crianças com Paralisia Cerebral. Setenta e cinco profissionais...

Curso Uso Terapêutico de Tecnologias Assistivas: direito das pessoas com deficiência e ampliação da comunicação - 2015

Friche, Amélia Augusta de Lima; Araújo, Maria Rizoneide Negreiros de; Reis, Nivania Maria de Melo; Bonolo, Palmira de Fátima
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto Formato: Arquivo texto em PDF, ilustrado, 77 páginas
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.82%
Este curso integra um conjunto de quatro qualificações sobre o tema geral “uso terapêutico de tecnologias assistivas”, organizado com esta finalidade. Tem o objetivo de promover a atualização dos participantes sobre o emprego dessas tecnologias no âmbito da habilitação e da reabilitação de pessoas com capacidade de comunicação limitada e/ou comprometida. Os temas abordados são: Comunicação aumentativa e alternativa – sistemas de comunicação aumentativa e alternativa, pranchas de comunicação, recursos e adaptações; recursos para acesso ao computador – etapas no desenvolvimento de atividades com o computador, acessibilidade ao computador; para pessoas de baixa visão e cegueira (leitor de tela); e casos clínicos.; 2015; Ministério da Saúde

A contribuição do PECS no desenvolvimento da comunicação de uma aluna com perturbações do espectro do autismo

Brito, Maria Margarida Vilela de Almeida Guerra
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.56%
Dissertação de Mestrado em Ciências da Educação, Especialização em Comunicação e Tecnologias Educativas; Nesta dissertação pretendemos dar a conhecer a especificidade da problemática do autismo, através de uma investigação fundamentada, séria e rigorosa tanto no ponto de vista do enquadramento conceptual, como no que concerne à metodologia de trabalho de campo. Este projeto está organizado como um estudo de caso, dado que irá consistir numa metodologia de investigação aprofundada acerca de um caso de uma aluna com Perturbação do Espectro do Autismo (PEA), com dificuldades graves na comunicação. No presente trabalho utilizamos as Tecnologias de informação e comunicação (TIC). A utilização das TIC nas práticas pedagógicas dos alunos com PEA contribuem de forma evidente para o desenvolvimento da comunicação e interação social. A revisão da literatura efetuada refere que o sistema de comunicação por troca de imagens (PECS) é uma tecnologia de apoio para a comunicação aumentativa e alternativa (CAA) que permite obter resultados excelentes em crianças/jovens com PEA, a nível comunicativo. No nosso trabalho, este sistema foi implementado a uma aluna com PEA, com limitações na comunicação...

A comunicação aumentativa como facilitador da participação num grupo de Jardim de Infância

Teixeira, Rodrigo Miguel Leote
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
67.13%
O presente trabalho é um relatório de um projeto de nvestigação-ação, no âmbito do Mestrado em Ciências da Educação – Educação Especial: domínio cognitivo e motor. Este trabalho de investigação, realizado por um professor de educação especial, implicou os diferentes contextos educativos, respetivos intervenientes e os próprios pares, no desenvolvimento de uma criança, em idade pré-escolar, com Paralisia Cerebral e consequentes dificuldades motoras e de comunicação, sem linguagem oral, em contexto de sala de aula, com o grupo/turma. Esta intervenção tem como objetivos principais não só melhorar os níveis de interação com os pares, educadoras e familiares como também, promover o desenvolvimento da comunicação e da participação nas atividades do jardim-de-infância, através de um sistema de Comunicação Aumentativa, Sistema Pictográfico de Comunicação (SPC). A intervenção centrou-se no desenvolvimento e na aplicação deste Sistema de Comunicação para, numa perspetiva ecológica de desenvolvimento, promover uma maior adaptação do aluno no meio envolvente e a sua participação e inclusão na turma. Este sistema foi utilizado por nós, pelas crianças do grupo/turma, pela educadora de infância...