Página 1 dos resultados de 28700 itens digitais encontrados em 0.012 segundos

Mecanismos de regulação de catecolaminas nas células cromafins : papel da interleucina 1-ß e do neuropeptídeo Y

Salgado, Joana Margarida Rosmaninho
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado Formato: aplication/PDF
POR
Relevância na Pesquisa
36.68%
A activacao do eixo hipotalamo-glandula pituitaria-suprarrenal (HPA) pode modular o sistema imunitario. As citocinas e o neuropeptideo Y (NPY) sao reguladores do eixo HPA e ambos sao produzidos pela medula da supra-renal. A interleucina-1β (IL-1β) e uma citocina cuja funcao na libertacao de catecolaminas pelas celulas cromafins e ainda controversa. Por outro lado, o NPY e um neuropeptideo que pode ser co-libertado com as catecolaminas e ainda estimular a libertacao de catecolaminas pelas celulas cromafins humanas e de murganho. No entanto os mecanismos intracelulares acoplados a activacao dos receptores do NPY e a estimulacao da libertacao de catecolaminas ainda e desconhecido. O primeiro objectivo deste trabalho consistiu em estudar os mecanismos intracelulares acoplados a activacao do receptor Y1 do NPY que induzem um aumento da libertacao de catecolaminas (noradrenalina, NA e adrenalina, AD) pelas celulas cromafins de murganho. O antagonista do receptor Y1, BIBP 3226, inibiu o efeito estimulador do NPY, comprovando que o receptor Y1 esta envolvido no processo de libertacao de catecolaminas pelas celulas cromafins de murganho. Alem disso, verificou-se que libertacao de catecolaminas estimulada pela activacao do receptor Y1 ocorre atraves de um processo dependente de Ca2+. Por outro lado...

Linking open chromatin to pluripotency in ES cells : the role of the chromatin remodeler Chd1; Relacionando cromatina aberta com pluripotência em células estaminais embrionárias : o papel do remodelador da cromatina Chd1

Maia, Alexandre Gaspar
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
ENG
Relevância na Pesquisa
36.68%
Embryonic Stem (ES) cells are the prototypical pluripotent stem cells that can self-renew indefinitely and give rise to all cell types of the body. Through a transcriptional profile using microarrays, we have discovered that the mouse embryonic germ line have high transcriptional similarities to pluripotent stem cells, including mouse ES cells. A group of about 220 genes are up-regulated in pluripotent stem cells when compared to differentiated cells. From this cluster (that we called the pluricluster) we decided to test the effect of down-regulation in ES cells self-renewal and pluripotency. We developed a lentiviral RNA-interference screen to test the role of 41 candidate genes (chosen amongst the pluricluster with a bias towards transcription factors, chromatin remodelers, DNA/RNA binding proteins, oncogenes and unknown genes). Our screen identified 18 genes with RNAi phenotype including Chd1, NFYa, NFYb and Sall4. The last three genes allowed me to follow further characterization of their role in ES cells and reprogramming, as a collaboration project. However, Chd1 was the only novel regulator that had both self-renewal defects and loss of Oct4 activity in this screen. Chd1 is a chromatin remodeler that has been shown to recognize H3K4me3 and is associated with transcriptional activation and splicing. Our work shows clear evidence that Chd1 correlates with H3K4me3 enrichment...

Aspectos moleculares envolvidos na apoptose de células mononucleares em pacientes com paracoccidioidomicose.; Molecular aspects involved in the apoptosis of mononuclear cells of patients with paracoccidioidomycosis.

Cacere, Camila Rodrigues
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 05/05/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.69%
A hiporreatividade das células T observada na resposta imune a antígenos de P. brasiliensis de pacientes com paracoccidioidomicose ativa deve contribuir para o não controle da doença, levando à disseminação do fungo. É, na maioria das vezes, reversível com tratamento antifúngico. Os mecanismos que levam a esta hiporreatividade não são bem conhecidos. No entanto, foram demonstrados em resultados prévios em nosso laboratório que células mononucleares de pacientes frente a gp43 apresentam níveis elevados de apoptose. Para tentarmos explicar esse mecanismo, nossa primeira hipótese foi de avaliar se a ativação celular desses pacientes estavam sendo prejudicada por uma ativação inadequada induzida pela expressão alterada de moléculas co-estimulatórias como CD80, CD86, CD28, CD152, ICOS e PD-1. A expressão dessas moléculas foi avaliada em células T e monócitos de pacientes com doença ativa (n = 7...) e controles curados (n = 2...) de um episódio prévio de PCM, mantidas em cultura com antígeno metabólico de Candida albicans (CMA), gp43 ou sem estímulo após 4 dias em cultura. Os resultados obtidos demonstraram que a expressão do CD28 foi comparável entre doentes e controles, e que a expressão de CD152...

Produção e uso da proteína de fusão VP22.Pax4 na diferenciação de células-tronco em células produtoras de insulina; Production and use of the VP22.Pax4 fusion protein for stem cells differentiation into insulin-producing cells

Gabanyi, Ilana
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/11/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.69%
O Diabetes Mellitus tipo I (DM1) é causado pela destruição auto-imune das células β pancreáticas, encontradas na porção endócrina do pâncreas, constituída pelas ilhotas pancreáticas. As células β são responsáveis pela produção e liberação de insulina, um hormônio que promove a internalização da glicose pelas células. Junto com outros hormônios, a insulina é um dos principais reguladores do nível de glicose sanguinea (glicemia). Uma das terapias utilizadas para o tratamento do DM1 é o transplante de ilhotas pancreáticas. Entretanto, um dos maiores problemas em relação a esta terapia é a falta de massa celular adequada para ser infundida no paciente. Uma tentativa para solucionar este problema, é o desenvolvimento de fontes alternativas de células produtoras de insulina, como as células-tronco, que possuem a capacidade de se diferenciarem em diversos tipos de células, inclusive nas produtoras de insulina. Pax4 é um dos fatores de transcrição responsáveis pela diferenciação de células β , sendo essencial para o apropriado desenvolvimento e maturação destas, constitui um bom candidato para induzir a diferenciação de células-tronco em células produtoras de insulina in vitro. Para introduzir o Pax4 nas células-tronco...

Avaliação de aspectos inatos e adaptativos do sistema imune na psoríase: análise fenotípica e funcional de células natural killer e células T; Innate and adaptive features of the immune system in psoriasis: phenotypic and functional analyses of natural killer cells and T cells

Batista, Mariana Dias
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.68%
INTRODUÇÃO: A psoríase é doença inflamatória hiperproliferativa da pele, na qual mecanismos imunológicos são cruciais para o processo patogênico. O marcador CD57 denota inabilidade de replicação e imuno-senescência de células T CD8+, e sua expressão foi demonstrada em diversas condições inflamatórias. CD57 também pode ser expresso por células natural killer (NK), nas quais é considerado marcador de maturidade, por ser em geral adquirido pelas formas mais diferenciadas CD56+CD16+. A expressão de CD57 e outros receptores de células NK não foi amplamente investigada na psoríase. OBJETIVOS: Este estudo buscou examinar o fenótipo de células NK em biópsias de pele e células mononucleares do sangue periférico (CMSP) de pacientes com psoríase em relação a controles sadios. Este estudo investigou também o fenótipo e características funcionais de células T isoladas da pele lesional e não afetada de pacientes com psoríase. MÉTODOS: Foram isoladas células NK dos subtipos CD56+CD16- e CD56+CD16+ de pele lesional, não afetada e CMSP de pacientes com psoríase, comparadas com pele normal e CMSP de controles sadios. A expressão de CD57, NKG2A e NKG2C foi determinada nesses subtipos de células por citometria de fluxo. Células T CD4+ e CD8+ foram isoladas da pele lesional e não afetada de pacientes com psoríase...

Análise do envolvimento do receptor de quimiocinas - CCR5 - na migração de células T reguladoras: correlação com o desenvolvimento de carcinoma espinocelular

Oliveira, Carine Ervolino de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.68%
Apesar dos avanços sobre a efetiva participação das células T reguladoras (Treg) na resposta imune antitumoral, ainda existem vários pontos que precisam ser esclarecidos. Visto que, os fatores que controlam a migração destas células para o microambiente tumoral ainda não estão totalmente definidos, o esclarecimento dos mecanismos de migração de células Treg no contexto do câncer poderia fornecer novos alvos para o desenvolvimento de terapias mais específicas. Diversos modelos de estudo demonstraram que o recrutamento preferencial de células Treg ao invés de outros tipos de células T pode ser explicado pela expressão diferencial de receptores de quimiocinas como o CCR5. Assim, é de extrema importância estabelecer qual é o papel de CCR5 na migração de células Treg em tumores induzidos quimicamente e seu envolvimento no desenvolvimento tumoral. Baseado no exposto, o presente estudo analisou o envolvimento de CCR5 na migração de células Treg e a sua correlação com o desenvolvimento de carcinoma espinocelular (CEC) induzido quimicamente. Os resultados obtidos demonstraram que camundongos geneticamente deficentes de CCR5 (CCR5KO) apresentaram baixo número de células Treg nas lesões e foram menos suscetíveis ao desenvolvimento de carcinoma espinocelular. Na fase de progressão tumoral verificou-se o desenvolvimento de CEC in situ por animais CCR5KO em combinação com a maior infiltração leucocitária...

Modificação de superfícies para o uso em cultura de células; Surface modification for use in cell culture

Araujo, Wagner Wlysses Rodrigues de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 16/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.68%
O projeto de novos materiais para aplicações tecnológicas em biomateriais e bioengenharia é altamente dependente de como as células aderem à superfície de um material. A adesão e crescimento em biomateriais depende de propriedades do substrato, tais como molhabilidade da superfície, a topografia e a composição química de superfície. O objetivo deste estudo foi investigar as interações de diversos materiais com culturas celulares de células epitelial CHO (Ovário de Hamster Chinês). Os materiais utilizados foram SU-8 2005 (elétron-resiste, Microchem), PDMS (Poli (dimetil siloxano), Down Corning), DLC (Diamond-like Carbon) e vidro foi utilizado como referência. Superfícies de vidro, SU-8, PDMS e DLC lisas (planas) e isentas de modificação ou tratamento específico foram avaliadas quanto ao cultivo de células CHO. Valores médios dos fatores de forma (Ff) de 450 células foram calculados para cada uma das culturas realizadas sobre os 4 substratos. Foram obtidos Ff próximos a 0,52 para o vidro, o SU-8 liso e o DLC, demonstrando um bom espraiamento das células nessas superfícies. A superfície de PDMS apresentou valor unitário para o fator de forma (Ff), que está relacionado a um baixo espraiamento das células. A energia de superfície (ES) obtida para o PDMS é compatível com o resultado de fator de forma (Ff)...

Estabelecimento da técnica de indução da diferenciação celular in vitro de células tronco embrionárias de camundongos em células cardíacas e células nervosas.

Paz, Ana Helena da Rosa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.69%
Células tronco são células que possuem a capacidade de originar diferentes tipos celulares maduros. Podem ser classificadas como células tronco embrionárias (células ES), quando isoladas de embriões em estágios iniciais do desenvolvimento; ou como células tronco adultas, quando isoladas de diferentes tecidos de indivíduos adultos. Por outro lado, as células tronco podem ser classificadas conforme o seu potencial de diferenciação celular. Assim, podem ser denominadas como totipotentes, isoladas do embrião, quando este possui até oito células. Células tronco totipotentes possuem a capacidade de gerar todos os tipos celulares oriundos dos três folhetos embrionários, e também podem dar origem aos tecidos formadores dos anexos embrionários. Somente as células totipotentes possuem esta capacidade, e por isso, somente estas, podem gerar um novo indivíduo completo. As células tronco pluripotentes, isoladas de blastocistos ou de carcinomas embrionários, possuem a capacidade de se diferenciar em todos os cerca de 200 tipos de tecidos especializados, que compõem o indivíduo adulto. Contudo, vale ressaltar que as células tronco pluripotentes jamais poderão originar um novo indivíduo. Por fim, existe ainda a classificação de células tronco multipotentes...

Expressão das citoqueratinas 7 e 20 nas células caliciformes e células colunares azuis em pacientes com suspeita endoscópica de esôfago de Barrett

Cantarelli Junior, João Carlos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.68%
Introdução: O esôfago de Barrett é uma condição associada ao refluxo gastroesofágico e que predispõe ao surgimento de displasia e adenocarcinoma. Durante a endoscopia digestiva alta, a suspeita do esôfago de Barrett ocorre quando projeções de epitélio colunar são visualizados acima da junção esofagogástrica, e o diagnóstico somente é confirmado quando biópsias neste epitélio demonstram a presença de metaplasia intestinal. A metaplasia intestinal é definida pela observação de células caliciformes (goblet cells) à coloração de hematoxilina/eosina e com positividade para alcian blue ph 2,5. Entretanto, um tipo muito freqüente de células, as chamadas células colunares azuis (columnar blue cells), podem ser observadas durante o exame histológico. Estas células têm a aparência de células colunares gástricas à hematoxilina/eosina, mas ao contrário destas, coram-se positivamente com alcian blue. Alguns autores consideram que estas células podem representar um estágio transicional entre célula colunar e célula caliciforme. Porém, quando estão presentes, e na ausência de células caliciformes, não são consideradas para a definição do diagnóstico de esôfago de Barrett. Estudos recentes têm sugerido que certos padrões de expressão das citoqueratinas 7 e 20 podem ser usados como fator diferencial entre metaplasia intestinal do esôfago e da cárdia. Porém...

Efeito da concentração de soro fetal bovino e do dexametasona no crescimento e infiltração de celulas vero sobre geis de colageno tipo I

Arnaldo Rodrigues dos Santos Junior
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/08/1996 PT
Relevância na Pesquisa
36.7%
Células Vero foram cultivadas sobre géis 3D de colágeno tipo I ou em lamínulas de vidro por 48h com 10% de soro fetal bovino (SFB). Após este tempo de cultivo as células passaram a ser mantidas em meio sem SFB, com 10 % de SFB, com 10 % de SFB mais dexametasona (DEX) e com 20 % de SFB. Amostras foram fixadas após 48h, 120h e 240h de cultivo. Os géis foram incluidos em paraplast e cortados com 7Jlm de espessura. As amostras foram coradas com hematoxilina-eosina (HE), cresil violeta (CV), azul de toluidina (A T) e xylidine ponceau (XP). Foi realizado também imunocitoquímcia para colágeno IV (CaL IV) e para fibronectina (FN). Com as células cultivadas sobre lamínulas foram obtidos os índices mitóticos e as curvas de crescimento da cultura. Células cultivadas em colágeno por 24h, foram analizadas em microscopia eletrônica de varredura (MEV). Um ensaio em microplacas para a adesão celular com 24h de cultivo também foi realizado. As células que foram cultivadas sobre lamínulas e coradas com CV, em todos os casos analisados, mostravam morfologia irregular e com alguns prolongamentos, exceto nas regiões confluentes onde encontramos apenas células com formas poliédricas. Encontramos também a formação de grumos celulares nas amostras tratadas com DEX. Material bem corado com XP foi evidenciado tanto com 120h quanto com 240h de cultivo. Os grumos celulares nas amostras tratadas com DEX foram os pontos onde encontramos coloração mais intensa. O A T mostrou nas primeiras 48h células com citoplasma...

Analises dos efeitos da matriz extracellular, citocinas e quimiocinas na manutenção in vitro das celulas natural killer-uterinas isoladas de camundongos; Analysis of the effects from extracellular matrix, cytokines and chemokines in maintenance in vitro of isolated mice uterine natural killer cells

Aline Macedo Farias
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/11/2007 PT
Relevância na Pesquisa
36.69%
o sucesso da implantação e desenvolvimento embrionário em animais de placentação do tipo hemocorial requer além da presençafísica do embrião/feto,uma dinâmica de alterações seqüenciais na interface materno-fetal do útero gestante. Tais alterações são mediadas e controladas pelas ações sincronizadas de uma série de fatores de efeito endócrino, parácrino e autócrino, com o comprometimento de diversas células presentes nesta interface. Dentre as peculiaridades do útero gestante, o recrutamento e o acúmulo de células uNK têm sido apontado como de fundamental importância na modulação da homeostase da interface materno-fetal para o desenvolvimento normal da gestação. Por outro lado, a complexidade das múltiplas interações célula-célula e citocinas-células que modulam a interação materno-fetal, dificulta a compreensão plena dos mecanismos envolvendo a participação das células uNK na imunomodulação do útero gestante. Portanto, procuram-se por procedimentos que permitam as análises do comportamento das células uNK em condiçõesexperimentais controladas,assim como, elucidar tanto as vias da ativação, quanto da inibição das atividades moduladorasdestas células na gestação. O presente trabalho teve como objetivo estabelecer um modelo experimental de cultivo de células uNK avaliando desde a viabilidade das células isoladas do útero de camundongos gestantes e...

Avaliação da espressão de glicoproteinas potencialmente especificas na membrana plasmatica de celulas Natural Killer uterinas de camundogos; Evaluation of expression of potentially specific glycoproteins in plasmatic membrane of mouse uterine Natural Killer

Marcia Cristina Bizinotto de Assunção
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/07/2006 PT
Relevância na Pesquisa
36.68%
O fenômeno da gestação em mamíferos de placentação hemocorial, onde o feto alogênico, apresentando metade dos genes de origem paterna, desenvolve um íntimo contato com o tecido materno sem desencadear uma resposta de rejeição pelo sistema imune materno, é ainda uma questão da imunologia da reprodução não esclarecida completamente. O diálogo na interface materno-fetal do útero gestante envolve uma gama de citocinas da categoria Th1fTh2, bem como de várias populações celulares, onde se destacam as células Natural KiUer uterinas (uNK). As uNK são populações linfocitárias transitórias que migram a partir de progenitores localizados em órgãos linfóides secundários como linfonodo e baço para o útero gestante e, neste proliferam e diferenciam ao longo da gestação. A presença destas células no útero gestante tem sido relacionada com o reconhecimento dos antígenos HLA-G e HLA-E expressos pelos trofoblastos, resultando na inibição tanto da resposta imune inata quanto da adaptativa. Esta atuação peculiar das uNK sugere que a modulação destas células no útero gestante esteja relacionada com a expressão de receptores específicos não compartilhada com células NK circulantes (eNK). Em uNK de camundongos...

Estudo dos repertórios de receptores killer nas células natural Killer e nos linfócitos T do sangue periférico de indivíduos adultos normais

Santos, Marlene Araújo dos
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /12/2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.68%
A citotoxicidade mediada por células tem um papel fundamental na resposta imune inata e adaptativa do nosso organismo, nomeadamente no que respeita à eliminação de células tumorais e de células infectadas por vírus. Para além das células natural killer (NK), também os linfócitos T (LT) citotóxicos estão implicados neste processo. As células NK caracterizam-se do ponto de vista fenotípico pela ausência de expressão do complexo CD3/TCR (T cell receptor, receptor da célula T) e pela expressão de CD16 e/ou CD56 na membrana. Podem ser distinguidas duas subpopulações de células NK no sangue periférico de adultos normais: as células NK CD56+, que têm intensidade fraca de expressão de CD56 e que expressam CD16; e as células NK CD56++, que têm intensidade forte de expressão de CD56, que não expressam ou expressam parcialmente CD16 com uma intensidade fraca. Enquanto as primeiras, que representam 90-95% das células NK circulantes, têm maior actividade citotóxica, as segundas constituem apenas 5-10% das células NK circulantes e têm fundamentalmente funções imunorreguladoras. No seu citoplasma, as células NK possuem, de forma constitutiva, grânulos que armazenam proteínas, como granzimas e perforinas...

Efeito das células T reguladoras nas interacções entre células dendríticas, células T efectoras tipo 1 e células T efectoras tipo17

Vaz, Ana Maria Antunes de Pinho Simões, 1986-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
36.71%
Tese de mestrado. Biologia (Biologia Humana e Ambiente). Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2009; As células T reguladoras são essenciais para o controlo do desenvolvimento de doenças autoimunes. Recentemente foi descrito que a expressão do gene Foxp3 é necessária e suficiente para a geração e função destas células. No entanto, se a especificidade antigénica das células T reguladoras é essencial ou não para a sua função supressora nos tecidos inflamados é ainda desconhecido. Neste projecto pretendemos estudar os efeitos de células T reguladoras específicas e não específicas para o péptido da proteína básica da mielina Ac1-11 (MBP1-11) nos contactos entre células dendríticas, células Th1 e células Th17. Para tal, células T reguladoras e células T efectoras MBP1-11 específicas foram geradas in vitro a partir de células do baço de animais Tg/Tg Foxp3-KIgfp/gfp e células T reguladoras e células T efectoras policlonais foram geradas in vitro a partir de células do baço de animais B10.PL Foxp3-KIgfp/gfp. Para além destas, células dendríticas de murganhos CD11c-YFP foram também utilizadas. Os dados obtidos através da aquisição de imagens de culturas contendo os três tipos de células (células T reguladoras...

Ativação de células dendríticas na geração de células T CD8+ e T CD4+ anti-tumorais de memória

Maito, Fábio Luiz Dal Moro
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
36.69%
De acordo com a hipótese da vigilância imunológica, o sistema imune é relevante no controle do crescimento tumoral. Entretanto, a resposta imune não é capaz de barrar a progressão de todos os tumores. Uma possível explicação para isso é a tolerização das células imunes proporcionada pelo ambiente imunossupressor gerado por tumores, favorecendo seu desenvolvimento e diminuindo a eficácia da resposta imune contra o tumor. O presente estudo visou analisar a formação de respostas imunes anti-tumorais in vivo, bem como identificar mecanismos capazes de reverter a tolerância induzida pelo tumor à resposta imune. Para realizar este trabalho foram usados três sistemas experimentais: (1) injeção subcutânea de tumor B16F10 para análise da resposta imune policlonal, (2) injeção subcutânea de B16OVA (OVA257-264 SIINFEKL) com transferência adotiva de células OT-I para o estudo da geração de resposta de células T CD8+ e (3) construção e injeção subcutânea de uma linhagem de B16F10 expressando um antígeno restrito ao MHC classe II (B16EaRFP) com transferência adotiva de células TEa para o estudo da geração de resposta anti-tumoral de células T CD4+.Com estes modelos experimentais foi observada diminuição de células no infiltrado peritumoral e da celularidade nos linfonodos drenantes (LND) à medida que o tumor B16F10 cresce...

Estudo do efeito do envelhecimento sobre a capacidade das células dendríticas estimularem células T

Pereira, Luciana Farias
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
36.71%
O envelhecimento está associado com o declínio progressivo nas funções do sistema imunológico (imunosenescência), tanto na imunidade humoral quanto na imunidade mediada por células, resultando em maior suscetibilidade a infecções e câncer, além da diminuição na capacidade de responder a vacinas. As células dendríticas (DCs) são as mais poderosas e eficientes apresentadoras de antígenos (APC), desempenhando um papel primordial na apresentação e conseqüente resposta imune mediada por células T. Poucos estudos enfocam a atividade das células dendríticas no envelhecimento, sendo que a maioria dos dados são relativos às funções das células T. As interações entre as células dendríticas e as células T afetam o processamento e consequente apresentação de antígenos, influenciando a efetividade das respostas imunes mediadas por células T. Este trabalho teve como objetivo avaliar a capacidade estimulatória de células dendríticas de camundongos velhos em uma resposta específica T CD4+ comparada à resposta imune de camundongos jovens. Para isso, células T de camundongos transgênicos TEa, específicas para o complexo Ea:IAb foram transferidas para camundongos normais C57Bl/6, células T de camundongos jovens para animais velhos e jovens...

Influência das citocinas IL-10, TGF-β1 e IFN-γ na susceptibilidade de células trofoblásticas humanas (linhagem BeWo) e células epiteliais uterinas humanas (linhagem HeLa) à infecção por Toxoplasma gondii: papel na expressão de ICAM-1, na adesão do parasito à célula hospedeira e vias de sinalização intracelulares ativadas

Barbosa, Bellisa de Freitas
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
36.71%
Toxoplasma gondii é um protozoário parasito intracelular obrigatório capaz de infectar uma diversidade de células, incluindo células trofoblásticas. Estudos prévios demonstraram que interleucina (IL)-10, fator transformador de crescimento (TGF)-β1 e interferon (IFN)-γ são importantes citocinas envolvidas na susceptibilidade de células trofoblásticas humanas (linhagem BeWo) e células epiteliais uterinas humanas (linhagem HeLa) à infecção por T. gondii. Adicionalmente, T. gondii é capaz de aderir à membrana plasmática de células hospedeiras através da molécula de adesão intercelular tipo 1 (ICAM-1). O presente estudo investigou dois objetivos gerais: (i) verificar o papel de IL-10, TGF-β1 e IFN-γ na expressão de ICAM-1 em células BeWo e HeLa, bem como analisar a influência de ICAM-1 na adesão de T. gondii a estas células quando tratadas ou não com as mesmas citocinas; e (ii) verificar os mecanismos intracelulares ativados por IL-10, TGF-β1 e IFN-γ em células BeWo e HeLa no intuito de compreender os efeitos diferenciais exercidos por essas citocinas nessas distintas linhagens celulares. Para executar o primeiro objetivo, células BeWo e HeLa foram infectadas por T. gondii (cepa RH) e tratadas com rIL-10...

Mecanismos de supresión de la respuesta inmune inducidos por células t reguladoras en leucemias agudas y su relación con la evolución clínica de la enfermedad.

Murillo Mendoza, Andrea Paola
Fonte: Pontifícia Universidade Javeriana Publicador: Pontifícia Universidade Javeriana
Formato: PDF
Relevância na Pesquisa
36.7%
Para logar el balance controlado entre el mantenimiento de la tolerancia periférica a antígenos propios y la preservación del potencial para iniciar una respuesta inmune contra agentes infecciosos sin que ocurra una ruptura de la homeostasis inmune, existe una subpoblación especializada de linfocitos T CD4+ denominados células T reguladoras (Treg), caracterizadas por ser inhibidoras potentes de la activación y expansión de células T efectoras, células dendríticas (CD) y células natural killer (NK). Se han identificado dos subpoblaciones principales de células Treg con capacidades inmunosupresoras pero con diferentes marcadores de superficie y modo de generación dentro de las que se encuentran las células Treg naturales y las células Treg inducidas. Las células Treg naturales se originan en el timo y de este órgano inmunológico migran a la periferia con un fenotipo específico (CD4+CD25++FOXP3+), estas células constituyen aproximadamente entre el 5-10% de la población total de células T CD4+. Las células Treg inducidas se generan en la periferia a partir de células T vírgenes (CD4+CD25-FOXP3-), y se han clasificado como células Tr1 y Th3 según su perfil de secreción de citoquinas como la IL-10 y el TGF-β. En el caso de las Treg inducidas la expresión del factor de transcripción FOXP3 es transitoria y de menor intensidad. Desde una perspectiva funcional...

Aislamiento y caracterización morfológica de células madre mesenquimales de ratón Balb/c.

Ortega Rojas, Cynthia Carolina
Fonte: Ibagué : Universidad del Tolima, 2014; Facultad de Ciencias, Programa de Biología Publicador: Ibagué : Universidad del Tolima, 2014; Facultad de Ciencias, Programa de Biología
Tipo: Trabajo de grado - Pregrado; Text; info:eu-repo/semantics/bachelorThesis; info:eu-repo/semantics/submittedVersion Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
36.69%
117 Páginas; Los progenitores mesenquimales son un grupo de células madre adultas aisladas de la médula ósea como células adherentes de morfología fibroblastoides, capaces de diferenciarse hacia células de origen mesodérmico como osteocitos, condrocitos y adipocitos (Chamberlain G, 2007). Evidencias experimentales han demostrado que las células madre mesenquimales (CMM) a pesar de ser clasificadas como células multipotentes se han diferenciado hacia linajes diferentes a la capa germinal de las que proceden (Beyer N & Da Silva L, 2006), lo que quiere decir que a partir de células multipotentes se ha conseguido obtener células que presentan la misma potencialidad que las células madres embrionarias (CME), lo que se traduce en inmensas posibilidades terapéuticas (Beyer N & Da Silva L, 2006). Con el objetivo de aislar y caracterizar morfológicamente CMM de ratones Balb/c para el desarrollo de futuros proyectos de terapia celular, se seleccionaron de 3 a 7 ratones Balb/c entre 50 a 100 g de peso corporal para realizar el aislamiento de las médulas óseas de los fémures. Las células obtenidas se cultivaron en medio DMEM bajo en glucosa (DMEM-bg) suplementado con 10% de suero fetal bovino (FBS) y penicilina/estreptomicina. La forma de crecimiento de las células y su inmunomarcaje positivo a bromodeoxiuridina BrdU...

Isolamento e caracterização das células da notocorda humana: Implicações para o desenvolvimento de terapias celulares para a doença degenerativa discal

Rodrigues-Pinto,Ricardo; Oliveira,António; Richardson,Stephen M.; Hoyland,Judith A.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.7%
Introdução: Para o desenvolvimento de terapêuticas celulares para o tratamento da degeneração do disco intervertebral é necessário o conhecimento detalhado das células que o constituem e das vias moleculares que levam à sua diferenciação. O núcleo pulposo (NP) embrionário, fetal e dos primeiros anos de vida é formado por células grandes e vacuoladas da notocorda; no entanto, com a maturidade esquelética, as células da notocorda desaparecem e são substituídas por células menores, semelhantes a condrócitos. Estudos animais e in vitro demonstraram que as células da notocorda exercem efeitos anabólicos e protetores sobre o disco intervertebral, pelo que o seu desaparecimento do NP humano tem sido implicado na patogénese da degeneração discal. Deste modo, o estudo destas células e dos seus mecanismos de regulação poderá identificar fatores envolvidos na homeostasia do disco intervertebral e ajudar no desenvolvimento de terapêuticas celulares para regenerar ou substituir as células do disco intervertebral degenerado. No entanto, o estudo de células da notocorda humana tem sido dificultado por restrições éticas, logísticas e técnicas, o que constitui uma importante limitação para o avanço científico nesta área. Este estudo foi realizado com o objetivo de isolar células da notocorda (precursoras do NP) das do esclerótomo (precursoras do anel fibroso (AF) e das vértebras) a partir de embriões e fetos humanos e caracterizar o seu fenótipo e os mecanismos ou moléculas reguladores da sua função no disco intervertebral. Métodos: Embriões e fetos humanos (3.5 a 12 semanas pósconceção) foram dissecados e caracterizados morfologicamente para confirmar a presença de células da notocorda na coluna vertebral em desenvolvimento. Uma vez que nesta altura do desenvolvimento humano não existe uma demarcação óbvia dos limites entre o NP...