Página 1 dos resultados de 189 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Abordagem diagnóstica e terapêutica da cólica renal por litiase urinária

Pedro, Vera Carina Murtinho Luís Santos
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.11%
Contexto: Como urgência urológica mais frequente e entidade que afecta uma significativa parte da população, a orientação de um doente com cólica renal deve ser um assunto esclarecido para os médicos. Para o doente, trata-se de uma dor bastante intensa, pelo que urge a necessidade de um tratamento rápido e eficaz, diminuindo a morbilidade que a mesma causa. Objectivo: Os objectivos da revisão consistem em indicar a abordagem imediata da cólica renal, identificar os melhores meios de diagnóstico, assim como apresentar a abordagem diferida num doente com cólica renal por litíase ureteral. Métodos: Procedeu-se à revisão e análise da literatura médica sobre cólica renal, desde o ano 2003 a 2013, das principais revistas científicas e de diversas áreas. Realizaram-se pesquisas na base de dados PubMed e no Índex de Revistas Médicas Portuguesas, de forma a encontrar estudos, artigos de revisão e guidelines acerca do tema cólica renal. Foram também consultadas as publicações da Associação Portuguesa de Urologia acerca do tema e seus subtemas. Resultados: Perante a clínica de cólica renal é importante excluir critérios de gravidade e tratar a dor. O diclofenac e a morfina são os fármacos com maior evidência. O parecoxib mostra-se igualmente eficaz e com menos efeitos secundários. Outro medicamento que revelou um perfil interessante foi a drotaverina. A terapêutica médica expulsiva é indicada para a maioria dos doentes com cálculos <10 mm. O estudo imagiológico é o principal meio de caracterizar a obstrução e alcançar o diagnóstico definitivo: a litíase urinária é o mais comum. A ecografia é o método mais barato e rápido...

Ocorrência de cálculo renal e/ou ureteral em gatos com doença renal crônica atendidos no Hospital Veterinário da Universidade de São Paulo; Nephrolithiasis and/or ureterolithiasis occurrence in cats with chronic kidney disease attended at the Veterinary Hospital of the University of São Paulo

Pimenta, Marcela Malvini
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/07/2013 PT
Relevância na Pesquisa
56.57%
Mais do que uma realidade na clínica de felinos, os cálculos renais em gatos tornaram-se motivo de grande preocupação para a especialidade. Em contraste aos cálculos de estruvita encontrados frequentemente na vesícula urinária, os cálculos de oxalato de cálcio (CaOx), localizados em rins e ou ureteres passaram a compor um novo perfil da urolitíase. Foi realizado um estudo clínico transversal com 96 gatos com o objetivo de determinar a ocorrência de cálculos de origem renal (nefrolitíase e ureterolitíase) em gatos portadores de DRC e uma possível associação entre essas duas doenças. Destes pacientes, 24 foram excluídos por não atenderem os critérios necessários para classificação entre os grupos. Assim, 72 gatos portadores de DRC foram divididos em dois grupos, DRC com evidências de nefrolitíase e ou ureterolitíase (n=47), e DRC sem evidências de nefrolitíase e ou ureterolitíase (n=25). Os grupos mostraram homogeneidade em relação à classificação da DRC segundo os estágios propostos pela IRIS - International Renal Interest Society (p= 0,5613), como também em relação à idade (p=0,274). Contudo, os gatos classificados no estágio II da DRC foram os mais representados em ambos os grupos. Apesar disso...

Efeito da manipulação neonatal sobre a função renal, ingestão hídrica e concentrações plasmáticas de corticosterona e angiotensina II em ratos

Jacobs, Silvana
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.11%
A estimulação neonatal tem sido utilizada há algumas décadas como modelo experimental para analisar os mecanismos pelos quais variações precoces do ambiente do animal afetam o desenvolvimento de sistemas neurais, dando origem a alterações comportamentais e neuroendócrinas estáveis. Uma das alterações mais características é a diminuição do medo a ambientes novos e uma resposta menos acentuada da secreção de glicocorticóides pela supra-renal a estímulos estressantes. O objetivo do presente estudo foi avaliar os efeitos da manipulação neonatal sobre o sistema angiotensinérgico, sobre a regulação hídrica e o desenvolvimento renal, visto que os ratos apresentam os rins e o trato urinário imaturos ao nascimento e seu desenvolvimento depende de angiotensina II. Investigamos aspectos do desenvolvimento e também da função renal em ratos machos de diferentes idades (11, 45 e 90 dias). Para isso, ratos Wistar foram divididos em dois grupos, dos quais um deles foi submetido a 1 minuto diário de manipulação durante os primeiros 10 dias de vida (grupo manipulado), enquanto o outro grupo não sofreu nenhum tipo de intervenção (grupo não manipulado). Aos 11 dias, os animais foram pesados e em seguida decapitados para coleta de sangue...

Identificação e descrição dos achados histológicos não-neoplásicos do parênquima renal em espécimes de nefrectomia por neoplasias renais primárias

Fiss, Daniela Vasques da Conceição
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.17%
Introdução: Nefrectomia radical tem sido o tratamento mais utilizado para o carcinoma de células renais. Atualmente, a preservação da função renal do paciente após a cirurgia tem sido um fator de preocupação, já que a sobrevida desses pacientes vem aumentando, assim como a detecção de lesões pequenas, incidentais e assintomáticas. Vários estudos tentam identificar fatores preditores da função renal pós-operatória, no entanto poucos avaliam os achados não-neoplásicos do parênquima renal. Objetivos: O estudo tem como objetivos: 1) descrever as alterações nãoneoplásicas do parênquima renal encontradas nos espécimes de nefrectomia; 2) correlacionar os achados com a função renal pós-operatória dos pacientes e 3) correlacionar essas alterações com o laudo anatomopatológico original. Materiais e métodos: Foram revisados 262 exames anatomopatológicos de espécimes de nefrectomias realizadas em pacientes adultos por neoplasias primárias renais no Hospital de Clínicas de Porto Alegre durante o período de 2005 a 2009. O laudo anatomopatológico e o prontuário eletrônico desses pacientes foram revisados de forma cegada. Um patologista renal realizou a revisão de todas lâminas histopatológicas do estudo. Posteriormente...

Coagulo fibrotico : nova causa de retenção de fragmentos pos leoc para calculo em calice inferior renal?

Antonio Gugliotta
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/05/1999 PT
Relevância na Pesquisa
36.52%
Estudou-se, prospectivamente, uma população de 20 pacientes com cálculo renal, específicamente localizado no cálice inferior, tratado por meio da litotripsía extracorpórea por ondas de choque (LEGC) e que tiveram os fragmentos retidos no pólo inferior renal. Nesse estudo procurou-se a confirmação da existência de uma nova causa de retenção desses fragmentos, isto é, a formação de um coágulo fibrótico no cálice inferior impedindo a eliminação. Os pacientes com idade entre 25 e 60 anos, sendo 13 homens e 7 mulheres, sem infecção urinária, foram distribuídos de acordo com a morfologia calicial e o tamanho do cálculo. Tivemos cinco casos (25%) com cálculo < de 2 em, sendo dois com morfologia favorável (10%) e três com morfologia desfavorável (15%); 15 casos (75%) com cálculo> 2 em, sendo cinco com morfologia favorável (25%) e dez com morfologia calicial desfavorável (50%). A metodologia utilizada compreende a história clínica, a avaliação radiológica confirmando a presença de cálculo radiopaco em cálice inferior renal e o estudo da morfologia ou da anatomia calicial desse pólo inferior do rim. O resultado dessa análise apresentou 12 casos (69%) com morfologia desfavorável e 8 casos (40%) de morfologia calicial renal favorável. Todos os pacientes foram submetidos a litotripsia extracorpórea por ondas de choque...

Estudo da ocorrência de litíase renal e ureteral em gatos com doença renal crônica

Pimenta,Marcela Malvini; Reche-Júnior,Archivaldo; Freitas,Mariana F.; Kogika,Márcia Mery; Hagiwara,Mitika Kuribayashi
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.25%
Investigou-se a ocorrência de nefrolitíase e/ou ureterolitíase em 72 gatos portadores de doença renal crônica (DRC), classificados predominantemente no estágio II, segundo os critérios designados pela IRIS - International Renal Interest Society. Destes pacientes, 47 (65,27%) apresentaram litíase renal e ou ureteral. Não houve diferença estatística entre o grupo de estudo (DRC com cálculo) e o grupo controle (DRC sem cálculo) em relação à idade (p=0,274). Apesar disso, os pacientes portadores de nefrolitíase e/ou ureterolitíase apresentaram maiores indícios de lesão renal, caracterizados por diferenças estatisticamente relevantes da densidade urinária (p=0,013) e pelo menor tamanho dos rins direito (p=0,009) e esquerdo (p=0,048). Encontrou-se similaridade entre os grupos em relação a outros parâmetros, tais como as concentrações plasmáticas de cálcio total, cálcio ionizado, fósforo, sódio, potássio e paratormônio intacto (PTHi). Os valores das concentrações séricas de ureia e bicarbonato diferiram entre os grupos, com valores de p=0,039 e p=0,037, respectivamente. Além disso, foi mensurada a pressão arterial, que se manteve inalterada na comparação entre o grupo de estudo e o grupo controle. Os resultados obtidos reforçam a necessidade de acompanhamento ultrassonográfico de todos os pacientes portadores de DRC...

Urolitíase no alotransplante renal

Cologna,Adauto José; Martins,Antonio Carlos Pereira; Suaid,Haylton Jorge; Tucci Júnior,Silvio; Reis,Rodolfo Borges dos; Paschoal,Ricardo Mesquita; Domingos,André Luis Alonso; Silva-Lima,Lucy Vieira da
Fonte: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Publicador: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2003 PT
Relevância na Pesquisa
36.34%
OBJETIVO: A litíase urinária é uma complicação incomum no alotransplante renal, a incidência varia de 0,02 a 3,4%. A maioria dos cálculos forma-se após o transplante, porém alguns podem ser transferidos junto com o enxerto para o hospedeiro. O tratamento desta complicação está baseado em alguns casos descritos na literatura. O objetivo deste trabalho é o de relatar a incidência da litíase renal no paciente com transplante renal, assim como a conduta adotada no HCFMRPUSP. MÉTODOS: Foram analisados 953 pacientes submetidos a transplante renal no HCFMRPUSP, de fevereiro 1968 a maio de 2003. A idade média foi de 47,2 anos (35 a 63 anos). Em 09 pacientes, o rim foi proveniente de doador cadáver e apenas 01 doador vivo. RESULTADOS:Foram diagnosticados 10 casos de litíase (1,05%). Em 02 pacientes (20%) o cálculo foi diagnosticado no intraoperatório, em 01 (10%) no peri-operatório (5º. dia), os 07 restantes (70%) no pós-operatório tardio. Em 04 pacientes (57%) não havia sintomatologia específica, 02 (29%) apresentaram ITU, em 03 (43%) ocorreu elevação da creatinina sérica. De 8 pacientes com litíase no pós-operatorio, em 06 os cálculos estavam localizados no rim e 02 no ureter. Dos pacientes com cálculos renais...

Microrganismos cariogênicos em pacientes com insuficiência renal crônica em hemodiálise

FUJIMAKI,Mitsue; ROSA,Odila Pereira da Silva; TORRES,Sérgio Aparecido
Fonte: Universidade de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1998 PT
Relevância na Pesquisa
36.15%
Neste estudo comparativo, avaliaram-se a prevalência de cárie, o índice de cálculo, o fluxo salivar e as quantificações de microrganismos cariogênicos na saliva, em pacientes com insuficiência renal crônica submetidos à hemodiálise e em indivíduos normais, pareados quanto a idade e sexo. Não houve diferença significante entre os grupos em relação aos índices CPOD e CPOS, ao fluxo de saliva total estimulada ou às contagens de estreptococos mutans e lactobacilos em meios seletivos. Notável foi a verificação da grande necessidade de tratamento odontológico e de instruções para o controle de placa pelos pacientes. Estes apresentaram índices de superfícies e dentes cariados e perdidos significantemente maiores, índices de superfícies e dentes restaurados significantemente menores e índice de cálculo significantemente maior do que os indivíduos normais, demonstrando a necessidade da realização de um programa preventivo e curativo para esse grupo de pacientes especiais.

Desempenho de seis modelos de predição prognóstica em pacientes críticos que receberam suporte renal extracorpóreo

Maccariello,Elizabeth R.; Valente,Carla; Nogueira,Lina; Ismael,Márcia; Valença,Ricardo V. R.; Machado,José E. S.; Rocha,Eduardo; Soares,Márcio
Fonte: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB Publicador: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.25%
JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Não existe consenso sobre qual modelo prognóstico deva ser utilizado em pacientes com disfunção renal aguda (DRA). O objetivo deste estudo foi avaliar o desempenho de seis escores de prognóstico em pacientes que necessitaram de suporte renal. MÉTODO: Coorte prospectiva de pacientes internados nas unidades de terapia intensiva (UTI) de três hospitais terciários que necessitaram de suporte renal por DRA durante 32 meses. Foram excluídos os pacientes crônicos em programa de diálise ou com < 24h de internação na UTI. Os dados das primeiras 24h de UTI foram utilizados no cálculo do SAPS II e do APACHE II, e os dados das primeiras 24h de suporte renal foram utilizados no cálculo dos escores LOD, ODIN, Liaño e Mehta. A discriminação foi avaliada através da área sobre a curva ROC (AUROC) e a calibração através do teste do goodness-of-fit de Hosmer-Lemeshow. A letalidade hospitalar foi o desfecho de interesse. RESULTADOS: Quatrocentos e sesseta e sete pacientes foram incluídos e a letalidade hospitalar foi 75%. Os valores dos escores SAPS II, APACHE II e LOD foram 48,5 ± 11,2, 27,4 ± 6,3, 7 (5-8) pontos, respectivamente. A calibração foi adequada para todos os escores, com exceção do Mehta (p = 0...

Prevalência da doença renal crônica nos estágios 3, 4 e 5 em adultos

Bastos,Rita Maria Rodrigues; Bastos,Marcus Gomes; Ribeiro,Luís Cláudio; Bastos,Ricardo Villela; Teixeira,Maria Teresa Bustamante
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.19%
INTRODUÇÃO: Medidas que otimizem a detecção precoce da doença renal crônica (DRC) são fundamentais para o retardo na evolução da doença e diminuição do aporte de indivíduos às terapias renais de substituição. OBJETIVOS: Estimar a prevalência da DRC em seus estágios 3, 4 e 5, utilizando registros laboratoriais de indivíduos submetidos a dosagem de creatinina sérica por causas diversas em laboratório da rede particular do município de Juiz de Fora, no período de 2004 e 2005. MÉTODOS: O estudo foi consubstanciado pelo cálculo estimado da filtração glomerular, utilizando a equação do estudo MDRD (Modification of diet in renal disease), e seguiu os critérios propostos pelo K/DOQI (Kidney Disease Outcomes Quality Initiative) para o diagnóstico e classificação da DRC. RESULTADOS: A prevalência encontrada foi de 9,6%, sendo 12,2% no sexo feminino, 5,8% no sexo masculino, 3,7% em indivíduos abaixo de 60 anos e 25,2% acima de 60 anos. CONCLUSÃO: Os resultados evidenciam a prevalência da DRC não apenas como um indicador epidemiológico, mas demonstram um aspecto operacional alternativo para otimizar a capacidade de detecção dos casos e permitem sugerir a inclusão do cálculo da filtração glomerular como um dado complementar aos resultados das dosagens de creatinina sérica fornecidos pelos laboratórios.

Análise da Progressão da Doença Renal Crônica: Experiência de Uum Centro Universitário Especializado em Tratamento Conservador em Pernambuco

Elihimas Júnior, Ubiracé Fernando; Filho, Brivaldo Markman (Orientador); Valente, Lucila Maria (Coorientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
36.16%
A doença renal crônica consiste em lesão renal com perda progressiva e irreversível das funções. Na fase mais avançada, os rins não mantêm a homeostase e o paciente necessita de terapia renal substitutiva. O declínio da taxa de função renal é influenciado por vários fatores de risco que podem acelerar a progressão da doença renal. Nesta dissertação foram construídos dois artigos com objetivos distintos, porém com ênfase na influência dos fatores de risco para o declínio da função renal. O primeiro artigo, sob título Tabagismo como fator de risco para progressão da doença renal crônica – revisão sistemática objetivou identificar evidências científicas sobre o tabagismo como fator de risco para doença renal crônica. Foi uma revisão sistemática com pesquisa nas bases de dados Medline, LiLACS, SciELO, Google Acadêmico, Trials.gov e Embase, de artigos publicados entre 1998 e 2013, obedecendo a critérios de inclusão e exclusão. O segundo artigo, com título: Meta-precoce da DRC: pontuação preditiva para identificar pacientes progressores rápidos para doença renal crônica teve por objetivo construir uma pontuação preditiva baseada em dados clínicos e laboratoriais, para identificar indivíduos com alta velocidade de progressão da doença renal crônica. Foi uma coorte dinâmica...

Influência dos métodos de correção de atenuação na quantificação da função renal relativa em cintigrafia renal com 99mTc-DMSA; Relative renal function estimate by renal scintigraphy with 99mTc-DMSA: influence of attenuation correction methods

Amaro, Andreia; Silva, H.; Santos, A. I.; Carolino, Elisabete; Vaz, Tânia; Vieira, Lina
Fonte: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa Publicador: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /05/2015 POR
Relevância na Pesquisa
36.3%
Introdução – A estimativa da função renal relativa (FRR) através de cintigrafia renal (CR) com ácido dimercaptossuccínico marcado com tecnécio-99 metaestável (99mTc-DMSA) pode ser influenciada pela profundidade renal (PR), atendendo ao efeito de atenuação por parte dos tecidos moles que envolvem os rins. Dado que raramente é conhecida esta mesma PR, diferentes métodos de correção de atenuação (CA) foram desenvolvidos, nomeadamente os que utilizam fórmulas empíricas, como os de Raynaud, de Taylor ou de Tonnesen, ou recorrendo à aplicação direta da média geométrica (MG). Objetivos – Identificar a influência dos diferentes métodos de CA na quantificação da função renal relativa através da CR com 99mTc-DMSA e avaliar a respetiva variabilidade dos resultados de PR. Metodologia – Trinta e um pacientes com indicação para realização de CR com 99mTc-DMSA foram submetidos ao mesmo protocolo de aquisição. O processamento foi efetuado por dois operadores independentes, três vezes por exame, variando para o mesmo processamento o método de determinação da FRR: Raynaud, Taylor, Tonnesen, MG ou sem correção de atenuação (SCA). Aplicou-se o teste de Friedman para o estudo da influência dos diferentes métodos de CA e a correlação de Pearson para a associação e significância dos valores de PR com as variáveis idade...

Insuficiência renal : novas abordagens terapêuticas. Hemodiálise

Figueiredo, Mariana Lobo Alexandre e
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em 04/06/2010 POR
Relevância na Pesquisa
36.15%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; Sendo a insuficiência renal causa líder de mortalidade quer em cães quer em gatos, torna-se fundamental acompanhar o desenvolvimento de novos métodos de tratamento, capazes de preservar o bem-estar animal, proporcionando uma maior esperança média de vida, com qualidade e conforto. Assim, o principal objectivo do presente trabalho, foi o de explorar, desenvolver e dar a conhecer as novas abordagens terapêuticas no domínio da insuficiência renal nestas espécies, dando especial destaque e importância à técnica extracorporal, hemodiálise, assim como à diálise peritoneal, nas quais se centrou o estudo realizado. Fazem igualmente parte dos objectivos desta dissertação a avaliação da eficácia destes métodos terapêuticos, e da forma como os mesmos constituem uma mais valia para os doentes insuficientes renais. Para isso, foram analisados três casos clínicos, de animais insuficientes renais crónicos, os quais manifestavam um processo de agudização da doença, caracterizado por uma azotémia grave, por um mal-estar geral, elevado grau de prostração, e acentuada diminuição da sua qualidade de vida. Para cada um, procedeu-se à avaliação laboratorial de parâmetros bioquímicos caracterizadores da função renal do paciente...

DADOS EPIDEMIOLÓGICOS DA LITÍASE RENAL, EM HOSPITAL DE REFERÊNCIA, EM BELO HORIZONTE, MINAS GERAIS; EPIDEMIOLOGY OF RENAL CALCULI IN A REFERENCE HOSPITAL IN BELO HORIZONTE, MINAS GERAIS STATE

Petroianu, Andy; Oliveira Neto, José Estevão; Alberti, Luiz R.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/03/2001 POR
Relevância na Pesquisa
36.27%
Introdução: A litíase renal é uma afecção muito comum na prática clínica e múltiplos fatores estão relacionados com sua etiopatogenia, embora não tenhamos encontrado estudo algum sobre a epidemiologia da litíase no Brasil.Objetivo: Avaliar a influência da idade, do sexo, da cor da pele e da lateralidade como fatores de risco para cálculo renal. Pacientes e Métodos: Foram estudados 400 prontuários de pacientes com diagnóstico de litíase urinária, nos Serviços de Nefrologia e Urologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte. Todos os diagnósticos foram confirmados pela história clínica associada a métodos de imagem. Resultados: Houve predomínio de pacientes do sexo feminino (54,5 %) sobre o masculino com litíase renal. Os doentes brancos constituíram a maioria (75%), seguidos pelos mulatos (23,3%) e, em uma muito pequena proporção, pelos negros (1,8%). A idade média foi de 39,81, +- 15,61 anos. Não houve diferenças quanto à lateralidade dos cálculos, mas os homens tiveram mais cálculos bilaterais do que as mulheres.Conclusão: Na população estudada no presente trabalho, o cálculo renal foi mais freqüente em adultos jovens, brancos e do sexo feminino...

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO E PATOLOGIAS BUCAIS EM PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA

BRANDÃO, Caroline de Sousa Gomes; UFPR; MIKSZA, Talita Farias; UFPR; FIGLARZ, Rafaela Casagrande; Fundacao Pro Renal
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 09/08/2007 POR
Relevância na Pesquisa
46.03%
A perda da função renal dificulta o metabolismo do cálcio e do fósforo diminuindo a capacidade de ativação da vitamina D, provocando hipocalcemia e hiperparatireoidismo. A reposição de cálcio é feita através da administração de cerca de 10 comprimidos de carbonato de cálcio diária ocasionando a formação de uma espessa camada de cálculo sobre os dentes dos pacientes que apresentam uma higiene bucal deficiente. Além da terapia periodontal intervencionista, é essencial terapias preventivas e de manutenções trimestrais. Este trabalho tem como objetivo demonstrar a severidade alcançada pela doença periodontal em indivíduos renais através de relato de caso clinico.Paciente R.F., 28 anos, relatou na queixa principal estar com os dentes amolecidos e doendo. Na história médica relatou fazer hemodiálise 3 vezes por semana, tomar medicações antihipertensivas, diuréticas, para repor cálcio e anemia. Sua pressão arterial no dia do exame era de 100/ 60 mmHg e seus batimentos 63/min. Disse fumar 15 cigarros/dia e seguir a dieta médica restrita. Sua última visita ao dentista havia sido há 1 ano atrás. Após exame clínico detalhado e radiográfico foi realizado o tratamento levando em consideração sua condição sistêmica. Foram realizadas exodontias...

Estudio de la función renal en pacientes con hipotiroidismo subclínico: Respuesta al tratamiento con levotiroxina

Barovero,M; Mereshian,P; Geres,A; Fernández,S; Pautasso,M; López,M; Martínez Ruiz,E
Fonte: Revista argentina de endocrinología y metabolismo Publicador: Revista argentina de endocrinología y metabolismo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 ES
Relevância na Pesquisa
36.25%
La enfermedad renal crónica (ERC) ha sido reconocida recientemente como un problema de Salud Pública. El hipotiroidismo subclínico (HSC) se presenta con baja tasa de filtrado glomerular (FG), debido a una reducción en el flujo sanguíneo renal. Objetivo: Evaluar la función renal en pacientes con HSC al momento del diagnóstico y luego de ser tratados con levotiroxina (LT4). Material y Métodos: Treinta y tres pacientes entre 18 y 85 años con HSC (TSH 4,5- 10 mUI/L y T4L 0,8-1,9 ng/dl- método (CLIA), en quienes se evaluó FG previo al tratamiento con LT4 y veinticuatro pacientes postratamiento promedio ≥ 6 meses. Se determinaron TPOab (CLIA VR < a 22KUI/L), glucemia, uremia, creatininemia, perfil lipídico (método: autoanalizador, Dimensión RXL max Siemens). Para cálculo de FG se aplicó la fórmula MDRD4 y se agruparon en 4 estadios en función del valor obtenido. Se trabajó con un nivel de significancia del 5 %. Se utilizó para el análisis estadístico el programa SPSS versión 17, aplicándose test de chi cuadrado y cálculo de media y desvío estándar para variables cuantitativas. Resultados: Los aspectos clínicos y bioquímicos pre y postratamiento respectivamente son: edad 52 vs. 51 años, TSH mUI/ml 5,42 vs. 1...

El cálculo de la creatinina sérica basal sobrestima el diagnóstico de alteración renal aguda en pacientes operados de cirugía cardíaca

Candela-Toha,A.M.; Recio-Vázquez,M.; Delgado-Montero,A.; Rey,J.M. del; Muriel,A.; Liaño,F.; Tenorio,T.
Fonte: Nefrología (Madrid) Publicador: Nefrología (Madrid)
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/01/2012 SPA
Relevância na Pesquisa
36.39%
Introducción y objetivo: La definición y clasificación actual de insuficiencia renal aguda se basa en criterios de consenso (sistemas RIFLE y AKIN). De los parámetros recomendados (creatinina, tasa de filtración glomerular y diuresis), la creatinina es el más empleado. En ausencia de valor basal conocido se recomienda su estimación a partir de la ecuación MDRD simplificada, asumiendo en el cálculo una tasa de filtración de 75 ml/min/1,73 m². El objetivo del presente trabajo fue evaluar la repercusión diagnóstica del empleo de la creatinina basal estimada frente al valor real medido en pacientes operados de cirugía cardíaca. Métodos: Análisis de pacientes operados de cirugía cardíaca mayor incluidos de forma prospectiva en una base de datos. Para cada paciente se calculó el estadio RIFLE máximo alcanzado usando la creatinina basal medida y la estimada. Se analizó la repercusión sobre el diagnóstico mediante coeficientes de correlación intraclase, análisis de concordancia y gráficas de Bland y Altman. Resultados: La incidencia de insuficiencia renal aguda postoperatoria en 2.103 casos operados entre 2002 y 2007 fue del 29,1% al utilizar la creatinina estimada (14,3% con la medida). Esto supone una sobrestimación del 104%...

Litiasis renal inducida por Indinavir

Traba Villameytide,Mª L.; Fernández-Guerrero,M.
Fonte: Actas Urológicas Españolas Publicador: Actas Urológicas Españolas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/08/2004 SPA
Relevância na Pesquisa
46.08%
El indinavir es un nuevo, específico y potente fármaco que actúa, como otros agentes anti-retrovirales, inhibiendo la proteasa del virus de la inmunodeficiencia humana (VIH-1) o de la inmunodeficiencia adquirida (SIDA). El indinavir se une al centro activo del enzima, originando un descenso en plasma de ARN VIH-1 y un aumento de los linfocitos T-CD4 "helper" dando origen a un descenso del enzima, necesaria para la maduración y replicación del VIH-1. El presente trabajo estudia la cristaluria de dos de los nueve pacientes que padecían VIH-1 y/o SIDA tratados con indinavir, así como el cálculo formado por uno de los dos pacientes que presentaban cristaluria. El estudio se realizó con microscopio de luz polarizada y por espectrofotometría infrarroja, mostrando que la visualización de la cristaluria con microscopio de luz polarizada es útil para la caracterización de las mismas, así como para el estudio de los cálculos renales es útil el análisis por espectrofotometría infrarroja.

Mantenimiento de la función renal residual en hemodiálisis: experiencia de 5 años de una pauta de diálisis incremental

Fernández-Lucas,Milagros; Teruel-Briones,José L.; Gomis-Couto,Antonio; Villacorta-Pérez,Javier; Quereda-Rodríguez-Navarro,Carlos
Fonte: Nefrología (Madrid) Publicador: Nefrología (Madrid)
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/01/2012 SPA
Relevância na Pesquisa
36.12%
Introducción: A diferencia de los pacientes tratados con diálisis peritoneal, la programación de una dosis incremental de diálisis no se considera en el enfermo tratado con hemodiálisis (HD) periódica, ni tampoco es habitual tener en cuenta la función renal residual en el cálculo de la dosis total de diálisis, asumiéndose como tal la proporcionada exclusivamente por el aclaramiento del dializador. A partir del año 2006 decidimos establecer una pauta incremental de diálisis al inicio del tratamiento renal sustitutivo, valorando la posibilidad de comenzar con 2 HD/semana cuando el aclaramiento renal de urea fuera igual o superior a 2,5 ml/min. En el presente trabajo presentamos nuestra experiencia de los primeros 5 años de aplicación de esta pauta incremental de HD y su repercusión sobre la función renal residual. Metodología: Se han incluido a todos los enfermos que iniciaron tratamiento con HD periódica entre el 1/1/2006 y el 30/9/2010, y permanecieron en diálisis más de tres meses. El seguimiento de los enfermos finalizó el 31/12/2010 (fecha de cierre del estudio). Cuando un enfermo inicia HD se determina el aclaramiento de urea y creatinina con las concentraciones de urea y creatinina en una muestra de sangre obtenida antes de la diálisis y la orina de las 24 horas previas al inicio de la primera sesión de diálisis de la semana. Si el aclaramiento de urea es igual o superior a 2...

Insuficiencia renal oculta y prescripción de fármacos en pacientes hospitalizados

Peña Porta,J. M.; Vera Floristán,C. V. de; Bueno Lozano,M.
Fonte: Anales de Medicina Interna Publicador: Anales de Medicina Interna
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/05/2007 SPA
Relevância na Pesquisa
36.32%
Fundamento y objetivo: Con la utilización de fórmulas para el cálculo de la tasa de filtrado glomerular se puede detectar la presencia de la denominada Insuficiencia renal "oculta" (IRO) (coexistencia de cifras de creatinina sérica normales junto con un aclaramiento inferior a 60 mL/min/1,73 m²). El objetivo de este estudio fue analizar la prevalencia de IRO en pacientes hospitalizados y como ello repercute en la prescripción de fármacos. Pacientes y método: Se incluyeron 567 pacientes ingresados en la Sección de Medicina Interna del Hospital de Barbastro (Huesca) en un periodo de tres meses (abril-junio de 2006). Se cálculo el FG aplicando la fórmula MDRD abreviada. Mediante regresión logística se analizaron los factores asociados a la presencia de IRO. Se registraron los fármacos potencialmente peligrosos prescritos en el informe de alta. Resultados: La prevalencia de IRO se situó en el 10,8%. El 35,2% de la muestra presentaba un estadio de enfermedad renal crónica grado 3, 4 ó 5 según los criterios de la National Kidney Foundation (NKF). Las variables que se asociaron con la presencia de IRO fueron la edad (expB = 1,035; IC95% 1,012 - 1,060; p = 0,004) y el sexo femenino (expB = 4,669; IC95% 2,461 - 8,856; p < 0...