Página 1 dos resultados de 717 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Estrutura genética de populações de Encholirium (Bromeliaceae) e implicações para sua conservação. ; Population genetic structure of Encholirium (bromeliaceae) and implications for conservation.

Cavallari, Marcelo Mattos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/10/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.44%
Encholirium é um gênero de Bromeliaceae de distribuição restrita ao território brasileiro, ocorrendo exclusivamente em afloramentos rochosos nos domínios do Cerrado, Caatinga e Floresta Atlântica, e com centro de diversidade na Cadeia do Espinhaço de Minas Gerais. Possui 23 espécies, das qua is 12 não estão protegidas por nenhuma Unidade de Conservação. O objetivo deste trabalho foi gerar informações úteis para a conservação de três espécies deste gênero, endêmicas da porção mineira da Cadeia do Espinhaço, através da análise da estrutura genética de suas populações. O conhecimento da distribuição da variabilidade genética existente em populações naturais de espécies ameaçadas é fundamental para o planejamento de sua conservação. E. pedicellatum e E. biflorum são espécies conhecidas por apenas uma população cada, ambas ocorrendo fora de Unidades de Conservação, e, desta forma, criticamente ameaçadas de extinção. E. subsecundum é mais bem distribuída, apresentando algumas populações protegidas. As três espécies apresentam propagação vegetativa e aparentemente o estabelecimento de plântulas nas populações é um evento raro. Foram amostradas quatro populações de E. subsecundum ao longo de 200 km...

A ocorrência do mutualismo facultativo entre Dyckia maritima Backer (Bromeliaceae) e o cupim Cortaritermes silvestrii (Holmgren), Nasutitermitinae, em afloramentos rochosos no Parque Estadual de Itapuã, Viamão, RS; The occurrence of facultative mutualism between Dyckia maritima Backer (Bromeliaceae)

Waldemar, Celso Copstein; Irgang, Bruno Edgar
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.44%
A ocorrência do mutualismo facultativo entre Dyckia maritima Backer (Bromeliaceae) e o cupim Cortaritermes silvestrii (Holmgren), Nasutitermitinae, em afloramentos rochosos no Parque Estadual de Itapuã, Viamão, RS). A presença de colônias de C. silvestrii é comum nos lajeados existentes em Itapuã. Na estação Morro da Grota1, 92,0 % dos termiteiros situados na rocha exposta e em ilhas de vegetação estão associados a D. maritima. Esta convivência ocorre em 31,2 % das ilhas na qual esta bromélia se faz presente. Nas ilhas, a comparação entre os substratos aonde D. maritima vegeta, o solo litólico húmico existente sob o manto do musgo Campylopus spp. e o substrato constituído pelo cupinzeiro indica que este último possui os teores mais elevados dos nutrientes P, K, Ca, Mg, Zn e Mn, maior CTC e maiores teores de partículas finas, principalmente o silte. O estabelecimento de D. maritima sobre os termiteiros de grande porte aumenta o seu valor de cobertura em ilhas de vegetação quando comparado com ilhas sem termiteiros ou com termiteiros de pequeno porte em áreas entre 2,7 a 8,0 m2. Este fato é atribuído à melhoria físico-química do substrato e ao aumento de superfície e volume aptos a serem colonizados pela bromélia e proporciona maior competitividade em relação a outras espécies vegetais. As características apresentadas pela interação entre este cupim e D. maritima...

Genetics, evolution and conservation of Bromeliaceae

Zanella, Camila Martini; Janke, Aline; Silva, Clarisse Palma da; Santos, Eliane Kaltchuk dos; Pinheiro, Felipe Grillo; Paggi, Gecele Matos; Soares, Luis E. S.; Goetze, Márcia; Büttow, Míriam Valli; Bered, Fernanda
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
ENG
Relevância na Pesquisa
37.36%
Bromeliaceae is a morphologically distinctive and ecologically diverse family originating in the New World. Three centers of diversity, 58 genera, and about 3,140 bromeliad species are currently recognized. We compiled all of the studies related to the reproductive biology, genetic diversity, and population structure of the Bromeliaceae, and discuss the evolution and conservation of this family. Bromeliads are preferentially pollinated by vertebrates and show marked variation in breeding systems, from predominant inbreeding to predominant outcrossing, as well as constancy in chromosome number (2n = 2x = 50). Autogamous or mixed mating system bromeliads have a high inbreeding coefficient (FIS), while outcrossing species show low FIS. The degree of differentiation among populations (FST) of species ranges from 0.043 to 0.961, which can be influenced by pollen and seed dispersal effects, clonal growth, gene flow rates, and connectivity among populations. The evolutionary history of the Bromeliaceae is poorly known, although some studies have indicated that the family arose in the Guayana Shield roughly 100 Mya. We believe that genetic, cytogenetic, and reproductive data will be essential for diagnosing species status and for assisting conservation programs.

Floral anatomy of Bromeliaceae, with particular reference to the evolution of epigyny and septal nectaries in commelinid monocots

Sajo, M. G.; Rudall, P. J.; Prychid, C. J.
Fonte: Springer Publicador: Springer
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 215-231
ENG
Relevância na Pesquisa
37.55%
Floral anatomy is described in ten genera of Bromeliaceae, including three members of subfamily Bromelioideae, three Tillandsioideae, and four genera of the polyphyletic subfamily Pitcairnioideae (including Brocchinia, the putatively basal genus of Bromeliaceae). Bromeliaceae are probably unique in the order Poales in possessing septal nectaries and epigynous or semi-epigynous flowers. Evidence presented here from floral ontogeny, vasculature, and the relative positions of nectary and ovules indicates that there could have been one or more reversals to apparent hypogyny in Bromeliaceae, although this hypothesis requires a better-resolved phylogeny. Such evolutionary reversals probably evolved in response to specialist pollinators, and in conjunction with other aspects of floral morphology of Bromeliaceae, such as the petal appendages of some species. The ovary is initiated in an inferior position even in semi-epigynous or hypogynous species. The ovary of all so-called hypogynous Bromeliaceae is actually semi-inferior, because the septal nectary is infralocular; in these species the nectaries have a labyrinthine surface and many vascular bundles. Brocchinia differs from most other fully epigynous species in that each carpel is secretory at the apex and reproductive...

Anatomy of the floral scape of Bromeliaceae

Proença, Suzana Lúcia; Sajo, Maria das Graças
Fonte: Sociedade Botânica de São Paulo Publicador: Sociedade Botânica de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 399-408
ENG
Relevância na Pesquisa
37.36%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Este trabalho descreve a anatomia do escapo floral de doze espécies de Bromeliaceae pertencentes às subfamílias Bromelioideae, Tillandsioideae e Pitcairnioideae e tem como objetivo ampliar o conhecimento anatômico da família e desse órgão em particular. Embora todos os escapos apresentem uma organização similar, observam-se variações na estrutura da epiderme, do córtex e do cilindro vascular. Tais variações são descritas para os escapos estudados e, quando são analisadas em conjunto, podem auxiliar na identificação das espécies. Esses aspectos são descritos para cada um dos escapos e discutidos dentro de um contexto taxonômico.; This paper describes the anatomy of the floral scape for 12 species of Bromeliaceae, belonging to the subfamilies Bromelioideae, Tillandsioideae and Pitcairnioideae. Although all the scapes have a similar organization, there are variations in the structure of the epidermis, cortex and vascular cylinder. Such variations are described for the studied scapes and, when considered together they can help to identify the species. These aspects are described for each scape and discussed under a taxonomic point of view.

Structure and development of the ovule in Bromeliaceae

Sajo, M. Graça; Prychid, Christina J.; Rudall, Paula J.
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 261-267
ENG
Relevância na Pesquisa
37.25%
Ovule structure and development are described for twelve species of Bromeliaceae, representing ten genera and all three subfamilies, including all three tribes of the polyphyletic subfamily Pitcairnioideae (Brocchinieae, Puyeae and Pitcairnieae). The characteristic micropylar and chalazal seed appendages of Bromeliaceae are compared with developing structures in the ovules. Chalazal seed appendages have also been reported in the putatively related family Rapateaceae, but they differ in detailed structure, and may have evolved independently in the two families.

Associações entre aranhas Salticidae e Bromeliaceae : historia natural, distribuição espacial e mutualismos; Associations between jumping spiders (Salticidae) and Bromeliaceae

Gustavo Quevedo Romero
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/07/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
O entendimento das interações entre artrópodes e plantas tem crescido consideravelmente nos últimos poucos anos. Embora as aranhas estejam entre os grupos de artrópodes mais abundantes e constituam as principais guildas de predadores sobre a vegetação, poucos estudos envolvendo aranhas e plantas foram desenvolvidos. Aqui, reportamos um conjunto de informações mostrando que algumas espécies de salticídeos são estritamente associadas com Bromeliaceae em várias fitofisionomias sul-americanas, incluindo cerrados, florestas semidecíduas e sazonais, vegetação de dunas costeiras, restingas, afloramentos rochosos, florestas de altitude, chacos e florestas ombrófilas densas, em várias localidades do Brasil, Paraguai, Bolívia e Argentina. Enquanto algumas espécies de aranhas foram especialistas, ocorrendo quase exclusivamente em uma única espécie de planta hospedeira (e.g., Psecas chapoda sobre Bromelia balansae), outras foram generalistas e habitaram até 7-8 espécies de bromélias. Geralmente, as aranhas habitaram e selecionaram as bromélias maiores e/ou aquelas com arquitetura natural (e.g., simulação de inflorescência ou inclusão de folhas secas no centro da roseta). Portanto, as aranhas podem avaliar, em detalhes finos...

Distribuição espacial, fenologia e polinização de bromeliaceae na Mata Atlantica do Alto da Serra de Paranapiacaba, SP

Caio Graco Machado Santos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/12/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.25%
Este estudo investigou a distribuição espacial, a fenologia e os visitantes florais de dezesseis espécies de bromeliáceas pertencentes aos gêneros Tillandsia (3spp.), Vriesea (7 spp.), Aechmea (3 spp.), Billbergia (1 sp.) and Nidularium (2 spp.), em ambientes com estágios sucessionais diversos. Os dados de campo foram obtidos em uma área de mata atlântica no Parque Estadual Intervales, município de Ribeirão Grande, SP, Brasil. Foram estabelecidas transecções amostrais em diferentes estágios sucessionais, onde foi registrada a localização dos indivíduos nos estratos da vegetação e realizados censos mensais da fenologia de floração. Os visitantes florais foram registrados por observações naturalísticas. Os resultados indicam que a riqueza de espécies de bromélias é inversamente proporcional ao grau de perturbação da vegetação e que a altura de fixação no substrato é significativamente diferente entre as espécies, de acordo com o hábito e a tolerância à luminosidade. A comunidade de bromeliáceas apresentou um padrão de floração seqüencial ao longo do ano, com um maior número de espécies floridas na estação chuvosa. A maioria das espécies apresentou a síndrome da omitofilia, ocorrendo também algumas espécies quiropterófilas e uma apresentando morfologia floral intermediária a estas duas síndromes. Oito espécies de beijaflores visitaram as flores das bromélias; Phaethornis eurynome e Thalurania glaucopis foram os visitantes mais freqüentes. Flores de 26 espécies pertencentes a outras famílias de plantas também foram visitadas por beija-flores...

Metabólitos secundários da família bromeliaceae

Manetti,Liliana Maria; Delaporte,Rosemeres Horwat; Laverde Jr.,Antonio
Fonte: Sociedade Brasileira de Química Publicador: Sociedade Brasileira de Química
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.25%
This review describes aspects of the Bromeliaceae family dealing the traditional applications, biological activities and distribution of secondary metabolites in distinct subfamilies. Some species are used with medicinal purposed in the treatment of respiratory, diabetes or inflammation diseases, and gastrointestinal disorders. Special emphasis on cycloartane triterpenoids and flavonoids, typical metabolites of this family, are presented. Bromeliaceae is unique amongst the monocotyledons in the frequency and variety of flavonoids with hydroxylation or methoxylation at the 6-position. Other compound classes as steroids, hidroxycinnamic acids, phenylpropane diglycerides, lignans, are presented.

Morphoanatomy and ontogeny of fruit in Bromeliaceae species

Fagundes,Natividad Ferreira; Mariath,Jorge Ernesto de Araujo
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 EN
Relevância na Pesquisa
37.36%
This study aims to give an overall view of fruit structure in Bromeliaceae, since these studies are extremely scarce in this family, showing the morphology, anatomy and ontogeny of fruits of six species belonging to six different genera, representing three subfamilies. All species studied have a tricarpellary and trilocular ovary, with an obturator covering the placental region. Dyckia maritima, Pitcairnia flammea, Tillandsia aeranthos and Vriesea carinata have capsular fruits (septicidal or biscidal), characterized mainly by the presence of macrosclereids in the exocarp or endocarp, fibers in the ventral region of the carpels, six dehiscence lines and three vascular bundles in each carpel. Aechmea calyculata and Billbergia nutans have fruits classified as berries, presenting exocarp and hypodermis as mechanical layers and many vascular bundles in each carpel. Many useful characters for taxonomy of Bromeliaceae were revealed, so fruits are excellent tools for delimitation of genera and subfamilies. In relation to Bromeliaceae capsules, macrosclereids are conspicuous structures of the pericarp and fruit anatomy is greatly related to dehiscence type. The U-shaped cell wall thickenings are a very common character in this family and can be identified as structures also occurring in monocot fruits.

A informação sobre a flora Bromeliaceae no cerrado: na literatura e nos herbários.

MIRANDA, Z. de J. G.
Fonte: 2001. Publicador: 2001.
Tipo: Teses/dissertações (ALICE) Formato: 264 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.25%
A presente dissertacao tem o objetivo de mapear o estado atual da pesquisa sobre a flora de Bromeliaceae que ocorre no Cerrado cuja area considerada segue a delimitacao estabelecida pelo RADAM-Brasil. Partiu-se de dois pressupostos: 1) Na literatura especializada em flora do Cerrado, a familia Bromeliaceae aparece de forma incipiente, supostamente aquem da diversidade registrada na literatura taxonomica sobre bromelias; 2) Na literatura sobre bromelias em geral, as especies do Cerrado aparecem de forma dispersa e inespecifica, dificultando a sua identificacao. Foram analisadas as informacoes existentes em tres fontes distintas: 1) As floras de Cerrado que citam especies da familia com ocorrencia no Bioma; 2) A literatura taxonomica sobre bromelias que cita especies com ocorrencia na regiao; 3) Os herbarios que desenvolvem pesquisas sobre a flora local. Foi possivel constatar que as tres fontes divergem em quantidade de especies citadas. A literatura sobre floras do Cerrado apontou a existencia de 17 generos, 109 especies e 11 variedades para o Bioma. Foram citados 23 especimes indeterminados. Ja a literatura taxonomica sobre bromelias apontou 22 generos, 182 especies e 9 variedades ocorrendo na regiao. O material herbario registrou a ocorrencia de 18 generos...

Fenologia da floração, ecologia da polinização e conservação de Bromeliaceae na Floresta Atlântica Nordestina

Alves de Siqueira Filho, José; Cristina Sobreira Machado, Isabel (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.44%
A fenologia da floração e as guildas de polinização de 35 espécies de Bromeliaceae foram estudadas em um remanescente de Floresta Atlântica Montana em Pernambuco, Nordeste do Brasil. Não foi encontrada correlação entre a precipitação pluviométrica e o total de espécies floridas, sendo que 7,87 ± 2,22 spp. (n = 30 quinzenas) florescem na estação seca (outubro a fevereiro) e 8,28 ± 2,02 spp. (n = 37 quinzenas) florescem na estação chuvosa (março a setembro). As flores das Bromeliaceae variam de 5,5 mm (Aechmea mertensii) a 91mm (Bromelia karatas), predominando as cores vermelha (25,7%), rósea (17,1%) e branca (17,1%). A estratégia fenológica do tipo disponibilidade regular e a ornitofilia foram predominantes e geralmente estão associadas com plantas epífitas e facultativas de flores longo-tubulosas, com volumes de néctar variando entre 2,27 a 646,5 μl (n = 28 spp.) e pouco concentrado (<30%). O tipo e o tamanho da inflorescência, bem como o total de flores por inflorescência ocorreu indistintamente entre os modos de polinização. O volume médio de néctar variou significativamente entre as guildas de polinização (H = 11,3263, gl = 2, p = 0,0035, n = 28 spp.). A concentração média de açúcares no néctar da comunidade foi de 24...

Efeito antinociceptivo de espécies de bromeliaceae nativas da caatinga: um estudo comparativo

Raquel Gomes de Lima Saraiva, Sarah; Lúcia Cavalcanti de Amorim, Elba (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.25%
Bromeliaceae é uma família de monocotiledôneas de grande importância pela sua diversidade ecológica. Possui 57 gêneros e cerca de 3.000 espécies, das quais 40% podem ser encontradas no Brasil. A família apresenta uma longa história de uso etnobotânico, como fonte de fibras, alimentos e medicamentos. Foram selecionadas para o estudo três espécies de Bromeliaceae, Neoglaziovia variegata (Nv-EtOH), Encholirium spectabile (Es-EtOH) e Bromelia laciniosa (Bl-EtOH), todas com domínio fitogeográfico na caatinga. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito antinociceptivo do extrato etanólico bruto dessas espécies em camundongos, utilizando estímulos químicos (teste das contorções abdominais induzidas pelo ácido acético e teste da formalina) e térmico (teste da placa quente), bem como realizar o estudo de toxicidade aguda, a fim de assegurar a utilização dos extratos e servir de parâmetros para o desenvolvimento de futuros medicamentos. Quanto à atividade antinociceptiva, os extratos demonstraram efeito em todos os ensaios experimentais. Nv-EtOH (100, 200 e 400 mg/kg, i.p.) reduziu significativamente o comportamento nociceptivo dos animais no teste das contorções abdominais. Este extrato também reduziu o tempo em que os animais lamberam a pata na 1ª e 2ª fase do teste da formalina...

Efeito antinociceptivo de espécies de Bromeliaceae nativas da caatinga: um estudo comparativo

Lima-Saraiva, Sarah Raquel Gomes de
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Bromeliaceae é uma família de monocotiledôneas de grande importância pela sua diversidade ecológica. Possui 57 gêneros e cerca de 3.000 espécies, das quais 40% podem ser encontradas no Brasil. A família apresenta uma longa história de uso etnobotânico, como fonte de fibras, alimentos e medicamentos. Foram selecionadas para o estudo três espécies de Bromeliaceae, Neoglaziovia variegata (Nv-EtOH), Encholirium spectabile (Es-EtOH) e Bromelia laciniosa (Bl-EtOH), todas com domínio fitogeográfico na caatinga. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito antinociceptivo do extrato etanólico bruto dessas espécies em camundongos, utilizando estímulos químicos (teste das contorções abdominais induzidas pelo ácido acético e teste da formalina) e térmico (teste da placa quente), bem como realizar o estudo de toxicidade aguda, a fim de assegurar a utilização dos extratos e servir de parâmetros para o desenvolvimento de futuros medicamentos. Quanto à atividade antinociceptiva, os extratos demonstraram efeito em todos os ensaios experimentais. Nv-EtOH (100, 200 e 400 mg/kg, i.p.) reduziu significativamente o comportamento nociceptivo dos animais no teste das contorções abdominais. Este extrato também reduziu o tempo em que os animais lamberam a pata na 1ª e 2ª fase do teste da formalina...

Brazilian Bromeliaceae species: isolation of arylpropanoid acid derivatives and antiradical potential

Rocha,Fabíola D.; Yano,Mami; Cunha,Márcio R. da; Gabriel,Felipe T.; Cordeiro,Renato S. B.; Menezes,Fábio S.; Kaplan,Maria Auxiliadora C.
Fonte: Sociedade Brasileira de Farmacognosia Publicador: Sociedade Brasileira de Farmacognosia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2010 EN
Relevância na Pesquisa
37.25%
A total of twenty different extracts from six Brazilian Bromeliaceae species was screened for antioxidant activity by assessment of their capacity to scavenge the DPPH radical. In a general way, the polar rhizome extracts from Bromeliaceae representatives showed better antioxidant results than the extracts from leaves and fruits of the same species. The best results were found for the rhizome extracts of Vriesea procera (Mart. ex Schult.f.) Wittm. and Neoregelia cruenta (Graham) L.B. Sm. Crude methanol extract of Ananas bracteatus (Lindl.) Schult. & Schult. f. leaf had a significant antiradical activity among the leaves extracts assessed its purification afforded four metabolites: 2-O-feruloyl glyceride, 2-O-p-coumaroyl glyceride, 5,7,4'-trihydroxy-3,3',5'-trimethoxyflavone and 3-O-β-D-glucopyranosyl sitosterol.

Flora of the Serra do Cipó, Minas Gerais: Bromeliaceae – Bromelioideae; Flora da Serra do Cipó, Minas Gerais: Bromeliaceae - Bromelioideae

Luiz-Santos, Anderson; Wanderley, Maria das Graças Lapa
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 24/12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.44%
The taxonomic treatment of Bromelioideae (Bromeliaceae) for the project “Flora of Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasil” is presented. The subfamily is represented in the study area by 12 genera and 19 species: Acanthostachys (1 species), Aechmea (4 species), Ananas (1 species), Billbergia (4 species), Bromelia (1 species), Cryptanthus (1 species), Eduandrea (1 species), Lapanthus (1 species), Neoregelia (2 species), Orthophytum (1 species), Quesnelia (1 species) and Wittrockia (1 species). Descriptions and illustrations as well as comments on the taxonomy, geographic distribution, phenology, and keys to genera and species are provided.; Apresenta-se o tratamento taxonômico da subfamília Bromelioideae (Bromeliaceae) para o projeto “Flora da Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasil”. Bromelioideae está representada na área de estudo por 12 gêneros e 19 espécies: Acanthostachys (1 espécie), Aechmea (4 espécies), Ananas (1 espécie), Billbergia (4 espécies), Bromelia (1 espécie), Cryptanthus (1 espécie), Eduandrea (1 espécie), Lapanthus (1 espécie), Neoregelia (2 espécies), Orthophytum (1 espécies), Quesnelia (1 espécie) e Wittrockia (1 espécie). São apresentadas chaves para gêneros e espécies, descrições e ilustrações...

Flora da Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasil: Bromeliaceae - Tillandsioideae; Flora of the Serra do Cipó, Minas Gerais: Bromeliaceae - Tillandsioideae

Coffani-Nunes, João Vicente; Versieux, Leonardo M.; Wanderley, Maria das Graças Lapa; Pirani, José Rubens
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
The taxonomic treatment of Tillandsioideae (Bromeliaceae) for the project"Flora of Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasil" is presented. The subfamily is represented in the study area by four genera and 24 species: Alcantarea (2 species), Racinaea (1 species), Tillandsia (9 species) and Vriesea (12 species). Descriptions and illustrations as well as comments on the taxonomy, geographic distribution, phenology, and keys to genera and species are presented. A new synonym, Vriesea monacorum L.B.Sm., is considered under the concept of V. schwackeana Mez. Alcantarea hatschbachii is rediscovered.; Apresenta-se o tratamento taxonômico de Tillandsioideae (Bromeliaceae) para o projeto "Flora da Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasil". A subfamília está representada na área de estudo por quatro gêneros e 24 espécies: Alcantarea (2 espécies), Racinaea (1 espécie), Tillandsia (9 espécies) e Vriesea (12 espécies). São apresentadas chaves para gêneros e espécies, descrições e ilustrações, bem como comentários sobre a taxonomia, distribuição geográfica e fenologia. Propõe-se a sinonimização de Vriesea monacorum L.B.Sm. sob V. schwackeana Mez. Alcantarea hatschbachii é redescoberta.

Adventitious roots morphoanatomy of Rheophytes Dyckia brevifolia (Baker) and D. distachya (Hassle) (Bromeliaceae); Morfoanatomia de raízes adventícias das Reófitas Dyckia brevifolia (Baker) e D. distachya (Hassler) (Bromeliaceae)doi: 10.5007/2178-4574.2008v37p81

Lobo, Ghislaine Maria; Voltolini, Caroline Heinig; Universidade Federal de Santa Catarina; Reis, Ademir; Universidade Federal de Santa Catarina; Santos, Marisa; Universidade Federal de Santa Catarina
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2008 POR
Relevância na Pesquisa
37.5%
Rheophytes are species of plants that occur in the nature exclusiveiy beside swift-running streams and rivers which experience frequent and sudden floods. This study relate the morphoanatomical characteristics of the Dyckia brevifolia Baker and D. distachya Hassler two species of rheophytes bromeliad that occur at south Brazil. The roots of the two species are similar anatomicaly and they are constituted by ring tissue, cortex and central cylinder. The one-Iayer epidermis with root-hairs further covering. The cortex is constituted by outer parenchyma, sclerenchymatic ring, inner parenchyma and endodermis. The number of.exodermis layers is distinct among these species, it is higher in D. distachya. At the general way, the features find out in the adventiceus roots of D. brevifolia and D. distachya are similar at the others Bromeliaceae species. However, such characteristics must to favor the establishment and survival of these species in the rheophytic environment.; Reófitas são espécies de plantas que na natureza estão confinadas a leitos de córregos e rios encachoeirados, ao alcance de inundações bruscas regulares. Este estudo relaciona caracteres morfoanatômicos das raízes adventícias de Dyckia brevifolia Baker e D. distachya Hassler...

Current floristic and phytogeographic knowledge of Mexican Bromeliaceae

Espejo Serna,Adolfo; López-Ferrari,Ana Rosa
Fonte: Revista de Biología Tropical Publicador: Revista de Biología Tropical
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1998 EN
Relevância na Pesquisa
37.5%
A current floristic and phytogeographic knowledge of native Mexican Bromeliaceae is presented. There are 22 genera of Bromeliaceae recorded from the country that include 326 species. The genus Ursulaea with 2 species is endemic to Mexico, while Hechtia with 48 of its 50 species has its principal center of diversity in the country. Tillandsia (175 spp), Hechtia (48 spp) and Pitcairnia (46 spp) are the genera with the greatest number of species. We present a comparative analysis of Mexican Bromeliaceae with that of other American regions that have recently published accounts for the Family, particularly the Mesomerican area, Venezuela, Ecuador, and the Guianas. Our results led us to the conclusion that all these floras should be considered as distinct. We observe a progressive decrease of the Simpson index value related with the remoteness of the Mexican area. A general analysis of the species numbers of Mexican bromeliad genera shows a distinct preference of the species for coniferous and oak forests, followed by tropical caducifolious forests. There is also significant representation of the family in other vegetation types such as cloud forests and tropical perennifolious forests. Generally Mexican Bromeliaceae species have scarce and sparse populations and in many cases they inhabit cliffs...

Bromeliaceae de los páramos y subpáramos andinos Venezolanos

Morillo,Gilberto; Briceño,Benito; Olica-Esteva,Francisco
Fonte: Fundación Instituto Botánico de Venezuela Dr. Tobías Lasser Publicador: Fundación Instituto Botánico de Venezuela Dr. Tobías Lasser
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 ES
Relevância na Pesquisa
37.36%
Se realizó un estudio florístico preliminar de las Bromeliaceae de páramos y subpáramos de los Andes venezolanos, según técnicas tradicionales de taxonomía, utilizando muestras de herbario, plantas bajo cultivo, y plantas en su ambiente natural. Los resultados se presentan en una sinopsis que incluye claves para las subfamilias, géneros y especies, descripciones de los géneros y especies e ilustraciones de 19 especies. Se encontraron ocho géneros y 33 especies, distribuidas bajo cinco patrones principales: endémicas siete, andinas 15, neotropicales tres, centro-sudamericanas tres y disyuntas dos. Las 33 especies registradas representan el 10% del total de especies de Bromeliaceae registradas para el país y 33% del total de Bromeliaceae parameras de Colombia.