Página 1 dos resultados de 4 itens digitais encontrados em 0.111 segundos

Estado militar e instabilidade politica na Bolivia : (1971-1978)

Aldo Duran Gil
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/09/2003 PT
Relevância na Pesquisa
65.91%
Este trabalho analisa o processo de reprodução de crises e instabilidade política no quadro de funcionamento do Estado militar boliviano do período 1971-78. Afasta-se dos tradicionais enfoques sobre o fenômeno da instabilidade política e da problemática militar e propõe uma análise teórica alternativa. Parte-se da discussão de que tal fenômeno político deve ser examinado à luz da relação entre crise política e instabilidade política no quadro de funcionamento reprodutivo do Estado burguês. Detecta-se que as principais causas da instabilidade política no período em foco foram provocadas pela relação entre Estado militar e classes dominantes. Mais especificamente, demonstra a tese segundo a qual as principais causas da instabilidade política foram desencadeadas por três crises devastadoras, intimamente relacionadas: a crise de hegemonia, a crise de acumulação de capital e a crise de sucessão militar-governamental. A primeira se relaciona com a crise de hegemonia vacilante do capital monopolista americano no país. A segunda se relaciona com o processo de acumulação de capital pautado pela prática de extração de mais-valia e sobrelucros imediatos pelas classes dominantes, viabilizado por uma política de desnacionalização da economia boliviana a longo prazo e que...

O Estado-de-golpe : uma analise do estado boliviano sob o periodo de maior instabilidade e crise politica (1978-1982)

Aldo Duran Gil
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //1998 PT
Relevância na Pesquisa
125.94%
Esta dissertação discute o funcionamento do Estado boliviano no período 1978-1982, tendo como objeto de análise a relação do Estado com as classes dominantes. Num primeiro momento, procura-se entender, de um lado, as razões que levaram o Estado boliviano a funcionar como um Estado burguês relativamente mais modernizado ? apesar de seu alto índice de atraso e dependência -; e de outro, pretende-se determinar as principais características, bem como a performance desse Estado ao longo do regime militar de Banzer (1971-1978). Em seguida, faz-se uma caracterização do Estado boliviano sob os governos efêmeros instaurados no período em questão, buscando determinar as principais contradições e crises do Estado; sendo essas últimas agravadas pelas lutas entre frações dominantes com o fim de controlar o aparelho estatal através do golpe de Estado e impor, dessa maneira, a política estatal determinada pela prática da maximização do lucro no curto prazo ? esse fator tornou-se um dos elementos importantes de instabilidade política do período, marcado pelos golpes e contra-golpes de Estado. A dissertação utiliza como conceito-chave o ?conceito de Estado capitalista? proposto por Nicos Poulantzas em Poder Político e Classes Sociais. Tal conceito...

América do Sul

Martins, Humberto Eustáquio Soares
Fonte: Superior Tribunal de Justiça do Brasil Publicador: Superior Tribunal de Justiça do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 22454 bytes; application/pdf
PT_BR
Relevância na Pesquisa
55.79%
Comenta a influência dos Estados Unidos, em relação as crises venezuelana e boliviana: na Venezuela, um golpe de Estado articulado pelos setores mais conservadores, depôs o presidente eleito; na Bolívia, setores do campesinato, rebelaram-se contra o governo Gonzalo Sánchez de Lozada, episódios, que revelam uma transferência para a América do Sul do eixo das grandes decisões internacionais que dizem respeito a esta parte do mundo, ao contrário do que acontecia no passado, quando os norte-americanos decidiam o que devia ser feito, e quando devia ser feito, na América do Sul. Conclui afirmando que os governos do Brasil e da Argentina, legitimamente eleitos, afinados em matéria de política internacional, inviabilizam, de agora em diante, a velha política de jogar país contra país, posta em prática durante tanto tempo, e que hoje, a América do Sul vive um novo tempo, com novas decisões internacionais.

CONSIDERAÇÕES SOBRE O GOLPE MILITAR DE 21 DE AGOSTO DE 1971 NA BOLÍVIA

Gil, Aldo Duran
Fonte: Revista HISTEDBR On-line Publicador: Revista HISTEDBR On-line
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 31/08/2014 POR
Relevância na Pesquisa
55.91%
Este artigo tem como objetivo refletir sobre alguns aspectos importantes em relação ao golpe militar de 21 de agosto de 1971 na Bolívia, que derrubou a Assembleia Popular e o governo Torres (1970-1971), e seu impacto nos âmbitos nacional e internacional. Para tanto, examina-se o caráter de classe do golpe na conjuntura de 1970-1971, focando o sentido da mobilização a favor do golpe e seu caráter internacional.