Página 1 dos resultados de 855 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Estudo da biologia reprodutiva e do potencial biotecnológico e alimentar de holotúrias da costa de Peniche

Santos, Rita Figueiras Alves dos
Fonte: Instituto Politécnico de Leiria Publicador: Instituto Politécnico de Leiria
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.48%
Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Aquacultura apresentada à ESTM - Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar do Instituto Politécnico de Leiria.; A biologia reprodutiva de duas espécies de holotúrias foi estudada através da avaliação do Índice Gonadossomático e análises histológicas aos túbulos das gónadas. O potencial biotecnológico foi realizado pela avaliação da capacidade antioxidante, antimicrobiana e antitumoral de extratos orgânicos e a avaliação do perfil lipídico foi efetuada através da quantificação da gordura total e perfil em ácidos gordos, para as três espécies.

Biologia reprodutiva, estrutura e dinâmica populacional e avaliação do grau de risco de extinção de Aegla strinatii Türkay, 1972 (Crustacea, Decapoda, Aeglidae); Reproductive Biology, Population Dynamics and Risk of Extinction of Aegla strinatii Türkay, 1972 (Crustacea, Decapoda, Aeglidae)

Rocha, Sergio Schwarz da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.68%
O objetivo principal deste trabalho é contribuir para a preservação e/ou manejo da única população conhecida de Aegla strinatii e reforçar ainda mais a necessidade de preservação da área de ocorrência da espécie. Para tanto, foram realizadas coletas mensais ao longo de dois anos de trabalho de campo no Parque Estadual de Jacupiranga, considerado a segunda maior unidade de conservação do Estado com 150.000 hectares, englobando os municípios de Jacupiranga, Barra do Turvo, Cananéia, Iporanga, Eldorado e Cajati (CLAUSET, 1999). Os espécimes foram coletados com peneiras e armadilhas, no rio das Ostras (S 24°38'16.2" ; W48°24'05.2"),situado no núcleo Caverna do Diabo, no município de Eldorado. Os objetivos da presente contribuição eram: determinar a razão sexual, composição da população, período de recrutamento e crescimento da espécie; quantificar do grau de heteroquelia; verificar o padrão reprodutivo e determinar a fecundidade; verificar uma possível variação do tamanho dos ovos durante o desenvolvimento embrionário; verificar a ocorrência de desovas sucessivas; avaliar, macroscópica e microscopicamente, as gônadas de fêmeas, caracterizando assim os estágios de desenvolvimento gonadal; determinar a primeira maturação de machos e fêmeas; avaliar a distribuição geográfica de Aegla strinatii...

Biologia reprodutiva de duas espécies do gênero Bryconamericus (Characidae: Tetragonopterinae) dos sistemas dos Rios Jacuí e Uruguai, RS

Lampert, Vinicius Renner
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.48%
Neste trabalho são abordados aspectos da biologia reprodutiva como o período reprodutivo, fecundidade e presença de caracteres sexuais secundários de duas espécies do gênero Bryconamericus, que são tetragonopteríneos pertencentes à família Characidae. O gênero distribui-se desde a Costa Rica até o Oeste da Argentina por uma variedade de ecossistemas de água doce. Foram feitas coletas mensais nos rios Vacacaí e Ibicuí no Rio Grande do sul, entre abril de 2001 e março de 2002, utilizando redes do tipo picaré. Os animais capturados foram fixados em formol 10% e, em laboratório, foram medidos, pesados, separados por sexo e dissecados para a retirada e pesagem de gônadas, estômago e fígado. A partir destes dados, foram calculados os índices gonadossomático, de repleção estomacal e hepatossomático. As gônadas foram identificadas macro e microscopicamente quanto ao estádio de maturação. O período reprodutivo de B. iheringii compreende os meses de setembro e outubro e o de B. stramineus, os meses de outubro, novembro e fevereiro. O teste de correlação não paramétrico de Spearman não demonstrou significância entre as médias de IGS das duas espécies e os fatores bióticos e abióticos, com exceção dos valores de IGS de machos de B. stramineus e os valores do fotoperíodo...

Biologia reprodutiva do lagostim Parastacus varicosus Faxon, 1898 (Decapoda : Parastacidae) da Bacia do Rio Gravataí, Rio Grande do Sul

Castiglioni, Daiana da Silva
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.64%
Considerando à lacuna sobre as informações da biologia reprodutiva dos crustáceos de água doce no Brasil, principalmente dos lagostins, a presente pesquisa teve como objetivo caracterizar aspectos da dinâmica da reprodução, como a descrição e desenvolvimento das gônadas, e analisar as variações bioquímicas do metabolismo intermediário de Parastacus varicosus Faxon, 1898 para relacioná-las ao período reprodutivo. Os animais foram amostrados de junho de 2004 a maio de 2005 em um arroio pertencente à Bacia do Rio Gravataí, localidade Cova do Touro, Gravataí, Rio Grande do Sul. As fêmeas foram separadas em três estágios gonadais de acordo com a maturação. Todos animais apresentaram os dois pares de aberturas e dutos genitais. Foram identificados histologicamente 40 machos, 32 fêmeas e 6 espécimes transicionais. Os índices gonadossomático (IG) e hepatossomático (IH) foram determinados. Ocorreu um aumento do IG e uma diminuição no IH, no período de passagem da primavera para o verão, indicando uma maior atividade reprodutiva no verão e uma possível transferência das reservas do hepatopâncreas para a gônada nesse período. Nas análises bioquímicas da hemolinfa, hepatopâncreas, músculo e gônadas os níveis de glicose...

Biologia reprodutiva de Scinax fuscomarginatus, na represa do Ribeirão Lavapes, Botucatu, SP (Amphibia, Anura, Hylidae)

Esteves, Maria Clara da Silva
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
66.64%
Diversos estudos sobre a biologia reprodutiva dos anfíbios anuros têm sido realizados. Com eles é possível compreender melhor a ecologia desses animais em seu ambiente natural. Desta forma, o presente trabalho tem por objetivo o estudo da biologia reprodutiva da espécie Scinax fuscomarginatus, visando analisar: a) o sítio e turno de vocalização; b) a influência dos fatores bióticos e abióticos na atividade reprodutiva da espécie; c) o comportamento reprodutivo e; d) a distribuição temporal e espacial da espécie. A área de estudos situa-se na represa do Ribeirão Lavapés, localizada na Escola do Meio Ambiente (22º 55’ 23’’S e 48º 27’ 28’’W), Botucatu/SP. A coleta de dados foi realizada de dezembro de 2008 a novembro de 2009. A atividade de vocalização de S. fuscomarginatus ocorreu de dezembro de 2008 a março de 2009. No período de abril a agosto de 2009 a espécie não vocalizou e nenhum indivíduo foi observado na área. A partir do início do mês de setembro a espécie voltou a vocalizar e a ser observada no local. Nos meses de outubro e novembro foi registrada a maior abundância de indivíduos em atividade de vocalização (n=100). O coro era iniciado antes do crepúsculo e o pico de atividade foi entre 20 h e 21 h. Os machos vocalizavam ao redor da represa...

Biologia reprodutiva e comportamento cooperativo em ninhos de Cypsnagra Hirundinacea

Santos, Luane Reis dos
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
66.54%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Ecologia, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, 2008.; Cypsnagra hirundinacea (Aves: Thraupidae) é uma espécie que ocorre em áreas abertas do Cerrado e possui reprodução cooperativa, onde os ajudantes são filhotes de estações reprodutivas passadas. O primeiro capítulo desta dissertação apresenta uma descrição de aspectos da biologia reprodutiva de C. hirundinacea, incluindo período reprodutivo, ninho, ovos, filhotes, período de incubação e ninhegos, cuidado parental e reprodução cooperativa. O segundo capítulo tem como objetivo estimar a probabilidade de sobrevivência do período total de ninhos, do período de incubação e do período de ninhegos e avaliar o efeito de variáveis temporais e ambientais sobre o sucesso reprodutivo de C. hirundinacea. A busca e monitoramento de ninhos foram realizados na Estação Ecológica de Águas Emendadas (ESECAE), DF, entre os anos de 2002 e 2007. Ao longo de todo o estudo foram encontrados 64 ninhos. O período reprodutivo se inicia em meados de agosto e se estende até a primeira quinzena de dezembro. As características dos ninhos, ovos e ninhegos estão de acordo com a variação encontrada na família Thraupidae. O tamanho da ninhada variou entre um e três ovos e o período de incubação foi de 16 ± 0...

História natural, biologia reprodutiva, parâmetros populacionais e comunidades de pequenos mamíferos não-voadores em três habitats florestados do Pantanal de Poconé, MT

Aragona, Mônica
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
66.67%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, 2008.; Os pequenos mamíferos não voadores foram estudados na Faz. Aparecida, município de Nossa Senhora do Livramento (16º14’19’’S e 56º22’51’’W), Pantanal de Poconé, MT, Brasil. Os objetivos foram descrever aspectos da história natural, da biologia reprodutiva e parâmetros populacionais de algumas espécies, além de descrever e comparar as comunidades de pequenos mamíferos em três hábitats florestais representativos da região. Ao todo três métodos de coleta foram usados para inventariar as espécies: transectos lineares, programa de monitoramento e coletas aleatórias. Os dois primeiros métodos usaram armadilhas do tipo Sherman e Gaiola de Gancho. Os transectos lineares foram montados em fisionomias abertas e fechadas, entre junho e agosto de 2005. Todos os animais capturados foram coletados para formar uma coleção de referência. O programa de monitoramento foi realizado mensalmente entre fevereiro de 2006 e agosto de 2007 (exceto janeiro e abril de 2007) em dez grades amostrais, de cem pontos cada, em três tipos de florestas localmente denominadas de cambarazal (3), landi (3) e cordilheira (3) e em uma área de campo de murundus. Cambarazais...

Biologia reprodutiva de Suiriri affinis e S. islerorum (Aves: Tyrannidae) no cerrado do Brasil central

Lopes, Leonardo Esteves; Marini, Miguel Ângelo
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.48%
A biologia reprodutiva de Suiriri affinis (suiriri-do-cerrado) e S. islerorum (suiriri-da-chapada) é descrita pela primeira vez. O ninho de S. affinis é em forma de cesto raso, sendo construído com fibras vegetais e forrado por painas, sendo todas essas camadas firmemente unidas por grande quantidade de teia de aranha. O seu exterior é ornamentado com liquens e fragmentos de folhas secas. O ninho é apoiado pela base e laterais entre dois ou mais ramos divergentes. Embora superficialmente similar, o ninho de S. islerorum apresenta várias diferenças, sendo mais baixo, raso e apoiado pelas laterais entre uma forquilha. O seu interior é forrado por uma camada adicional de fibras vegetais por sobre as painas. A construção dos ninhos de ambas as espécies é exclusividade das fêmeas. Os ovos de S. affinis são branco-perolados (média de 20,8 x 15,1 mm, 2,5 g), enquanto que os de S. islerorum são creme claro (20,4 x 15,4 mm, 2,4 g), apresentando uma coroa de manchas marrons escuras ao redor do pólo rombo. Os filhotes de S. affinis apresentam a cabeça, superfície dorsal e coberteiras das asas marcadas por abundantes e diminutas manchas brancas, enquanto que os filhotes de S. islerorum são semelhantes aos adultos. A incubação é realizada exclusivamente pelas fêmeas...

Biologia reprodutiva de Tyrannus savana (Aves, Tyrannidae) em cerrado do Brasil Central; Breeding biology of Tyrannus savana (Aves, Tyrannidae) in cerrado of Central Brazil

Marini, Miguel Ângelo; Lôbo, Yonara Patrícia Prado; Lopes, Leonardo Esteves; França, Leonardo Fernandes; Paiva, Luciana Vieira de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.48%
A tesourinha Tyrannus savana é um Passeriforme (Tyrannidae) migratório que ocorre no Planalto central entre os meses de agosto e fevereiro. Sua biologia reprodutiva é ainda pouco conhecida e foi abordada pelo presente estudo quanto aos seguintes aspectos: período reprodutivo, tamanho da ninhada, tempo de incubação e de permanência dos ninhegos no ninho, características dos ninhos e ovos, taxa de sucesso dos ninhos e taxa de predação. O estudo foi realizado na Estação Ecológica Águas Emendadas e em fragmentos do entorno, DF, nas estações reprodutivas de 2002 a 2007. Os ninhos (n = 78) foram monitorados em intervalos de 2-4 dias. O período reprodutivo estendeu-se de setembro a dezembro. O período médio de incubação foi de 13,6 ± 0,4 dias (n = 21) (média ± EP), e a permanência dos ninhegos no ninho foi de 15 ± 0,4 dias (n = 27). A maioria dos ninhos (n = 39) foi encontrada em cerrado ralo e em plantas-suporte do gênero Kielmeyera. O tamanho da ninhada variou de 1 a 3 ovos com média de 2,5 ± 0,3 ovos. O comprimento e a largura média dos ovos foram de 22,2 ± 0,2 mm e 15,8 ± 0,1 mm (n = 6), respectivamente, e o peso médio foi de 3,0 ± 0,2 g (n = 5). Trinta ninhos (52,5%) tiveram sucesso, 24 (43,8%) foram predados e apenas dois (3...

Biologia reprodutiva de Suiriri affinis e S. islerorum (Aves: Tyrannidae) no cerrado do Brasil central

Lopes,Leonardo Esteves; Marini,Miguel Ângelo
Fonte: Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo Publicador: Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2005 PT
Relevância na Pesquisa
66.48%
A biologia reprodutiva de Suiriri affinis (suiriri-do-cerrado) e S. islerorum (suiriri-da-chapada) é descrita pela primeira vez. O ninho de S. affinis é em forma de cesto raso, sendo construído com fibras vegetais e forrado por painas, sendo todas essas camadas firmemente unidas por grande quantidade de teia de aranha. O seu exterior é ornamentado com liquens e fragmentos de folhas secas. O ninho é apoiado pela base e laterais entre dois ou mais ramos divergentes. Embora superficialmente similar, o ninho de S. islerorum apresenta várias diferenças, sendo mais baixo, raso e apoiado pelas laterais entre uma forquilha. O seu interior é forrado por uma camada adicional de fibras vegetais por sobre as painas. A construção dos ninhos de ambas as espécies é exclusividade das fêmeas. Os ovos de S. affinis são branco-perolados (média de 20,8 x 15,1 mm, 2,5 g), enquanto que os de S. islerorum são creme claro (20,4 x 15,4 mm, 2,4 g), apresentando uma coroa de manchas marrons escuras ao redor do pólo rombo. Os filhotes de S. affinis apresentam a cabeça, superfície dorsal e coberteiras das asas marcadas por abundantes e diminutas manchas brancas, enquanto que os filhotes de S. islerorum são semelhantes aos adultos. A incubação é realizada exclusivamente pelas fêmeas...

Biologia reprodutiva de Melocactus glaucescens Buining & Brederoo e M. paucispinus G. Heimen & R. Paul (Cactaceae), na Chapada Diamantina, Nordeste do Brasil

Colaço,Miguel A.S.; Fonseca,Roseneide B.S.; Lambert,Sabrina M.; Costa,Cristiana B.N.; Machado,Caio G.; Borba,Eduardo L.
Fonte: Sociedade Botânica de São Paulo Publicador: Sociedade Botânica de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.53%
Foi estudada a biologia reprodutiva de Melocactus glaucescens e M. paucispinus (Cactaceae) no Município de Morro do Chapéu, Chapada Diamantina, Bahia, sendo abordados aspectos da fenologia, biologia floral, polinização e sistema reprodutivo. Foram registrados os períodos de floração e frutificação, visitantes florais, freqüência e tipo de visitas, além de estratégia e comportamento dos visitantes às flores. Foram realizadas polinizações experimentais para verificar o sistema reprodutivo das espécies. As duas espécies de Melocactus estudadas apresentaram sobreposição de floração ao longo do período de estudo. Os atributos florais de ambas as espécies são típicos da síndrome da ornitofilia: cores atrativas, estrutura tubulosa e produção de néctar com baixa concentração de solutos, entre 20% e 30%. O beija-flor Chlorostilbon aureoventris Boucier & Mulsant (1948) foi o visitante mais freqüente, com 82% e 89% do total de visitas para M. paucispinus e M. glaucescens, respectivamente. Outras espécies de beija-flores e borboletas também visitaram as flores das espécies. A sobreposição no período de floração e a similaridade na composição da guilda de polinizadores destas e demais espécies simpátricas de Melocactus favorece a hibridação no gênero...

BIOLOGIA REPRODUTIVA DA LINHAGEM MERINO BOOROOLA: UM MODELO EXPERIMENTAL PARA ESTUDOS RELATIVOS À OVULAÇÃO DOS OVINOS

Souza,Carlos José Hoff de; Moraes,José Carlos Ferrugem
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1993 PT
Relevância na Pesquisa
66.53%
A linhagem prolífica de ovinos Merino Booroola, é apresentada como modelo experimental para estudo da biologia da ovulação. São caracterizados o modo de herança gênica, a identificação dos genótipos, ações do gene e aspectos da biologia reprodutiva para subsidiar o uso deste modelo biológico. A descrição do mecanismo de ação e o produto do gene Booroola, além de proporcionar a elucidação de aspectos do mecanismo da ovulação, poderá servir como ferramenta para o seu controle nos mamíferos.

Biologia reprodutiva de etnovariedades de mandioca

Silva,Rainério Meireles da; Bandel,Gerhard; Faraldo,Maria Inez Fernandes; Martins,Paulo Sodero
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66.67%
O conhecimento da biologia reprodutiva da mandioca é essencial para o desenvolvimento de programas de melhoramento genético e compreensão do processo de domesticação. Este trabalho avalia aspectos que influenciam a reprodução sexuada, tais como morfologia floral, ecologia da polinização, produção e viabilidade dos grãos de pólen, apomixia, produção e germinação de sementes de etnovariedades de mandioca coletadas em roças de caboclos e índios da Região Amazônica e do Estado de São Paulo. Os aspectos da biologia reprodutiva foram estudados a partir de avaliações de campo e coleta de botões florais e sementes. Os experimentos foram realizados em Piracicaba, SP. Constatou-se alteração na morfologia floral da etnovariedade DG-55, a qual possui flores hermafroditas, e DG-65 e variedade Mantiqueira, que apresentaram menor número de óvulos por ovário. A abelha (Apis mellifera) foi o principal polinizador da mandioca. Houve variação significativa no número e viabilidade de grãos de pólen, constatando-se que as anteras do verticilo superior da flor masculina apresentaram, significativamente, maior número de grãos de pólen. Não foi constatada apomixia. Foi detectado maior número de frutos com duas ou três sementes. No entanto...

Fenologia e biologia reprodutiva do Pau-brasil (Caesalpinia echinata Lam., Leguminosae-Caesalpinioideae) em remanescente de floresta atlântica semidecidual em Pernambuco

Angélica de Andrade Pinheiro Borges, Laís; Valentina Lopes, Ariadna (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.53%
O pau-brasil (Caesalpinia echinata Lam.) é uma Leguminosae arbórea nativa da Floresta Atlântica brasileira com grande valor histórico e econômico para o país. Foi intensamente explorado desde o início da colonização, encontrando-se atualmente em perigo de extinção. O objetivo deste trabalho foi investigar a fenologia e a biologia reprodutiva da espécie, conhecimentos essenciais para a sua conservação. O estudo foi realizado na Estação Ecológica do Tapacurá, remanescente de Floresta Atlântica em Pernambuco e local de ocorrência natural da espécie, de outubro/2004 a dezembro/2005. Caesalpinia echinata apresentou episódios de floração de diferentes intensidades durante o período de estudo, tendo sido os mais intensos em fevereiro e dezembro/2005. Os episódios de frutificação ocorreram logo após os de floração, tendo sido o mais intenso em março/2005. As flores, dispostas em inflorescências racemosas em um número médio de 32,7 ± 12,8 (8-69), são melitófilas, zigomorfas, pentâmeras, com sépalas verdes e pétalas amarelas, a pétala estandarte com uma mácula vermelha. Emitem um forte odor adocicado, cujas principais regiões de emissão foram as sépalas. O androceu é constituído por dez estames com filetes e anteras de tamanhos diferentes...

Biologia reprodutiva dos tubarões Carcharhinus falciformis, C. plumbeus, Pseudocarcharias kamoharai e ocorrências do Rinchodon typus, no Atlântico Tropical e ecologia da raia Dasyatis americana, na Rebio Rocas - Brasil

Guilherme Vasconcelos de Oliveira, Paulo; Hissa Vieira Hazin, Fábio (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.69%
O presente trabalho relata a biologia de 3 espécies de tubarões, o Carcharhinus falciformis, Carcharhinus plumbeus e o Pseudocarcharias kamoharai, além da ecologia da raia prego, Dasyatis americana. Primeiramente foi estudada a biologia reprodutiva do C. falciformis, sendo examinado um total de 96 indivíduos, sendo 48 machos e 48 fêmeas, capturados na região Equatorial do Oceano Atlântico, nas proximidades do Arquipélago de São Pedro e São e São Paulo (0°55 10 N;29°20 33 W). O comprimento total (CT) dos indivíduos variou entre 83,0 e 272,0cm, para as fêmeas e entre 75,0 e 295,0 para os machos. Estes dados sugerem um tamanho de primeira maturação sexual para o tubarão lombo-preto, em águas equatoriais, de aproximadamente 230,0cm, para as fêmeas e de 210,0 a 230,0cm para os machos. A distribuição mensal das fases sexuais ao longo do ano das fêmeas, não apresentaram uma tendência clara, sugerindo que pelo menos, na área estudada, esta espécie, não apresenta um ciclo gestacional anual claro. A proporção sexual dos embriões foi igual a 1:1,4 (macho:fêmea), com uma fecundidade de 4 a 15 embriões por período gestacional. Outra espécie que também teve os aspectos da sua biologia reprodutiva investigados foi o C. plumbeus...

Avalia??o da biologia reprodutiva de Plagioscion squamosissimus (HECKEL, 1840) e Plagioscion surinamensis (BLEEKER, 1873) no terminal de Vila do Conde e ?rea adjacente (Barcarena - PA)

BARBOSA, Neuciane Dias
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.59%
O Porto de Vila do Conde, situado no munic?pio de Barcarena/PA, v?m sofrendo diversos desastres ambientais nos ?ltimos anos o que pode eventualmente acarretar no desequil?brio do uso que os recursos aqu?ticos fazem do ambiente e no ecossistema como um todo. A pesca artesanal nesta regi?o ? bastante relevante, destacando Plagioscion squamosissimus e P. surinamensis que s?o importantes como fontes de renda e de alimento para a popula??o. O objetivo deste estudo foi descrever as ?reas de concentra??o e a biologia reprodutiva de P. squamosissimus e P. surinamensis na ?rea adjacente ao Porto de Vila do Conde, destacando a import?ncia da utiliza??o destes ambientes para reprodu??o. Para identificar a ?poca e os pesqueiros de maior abund?ncia foram realizados c?lculos de CPUE (Kg/viagem) por meio de dados obtidos no per?odo de junho de 2007 a maio de 2008. A determina??o do uso da ?rea para reprodu??o e a descri??o da biologia reprodutiva foi efetuada atrav?s da coleta de 40 a 53 indiv?duos de cada esp?cie por bimestre, obtidos pela pesca comercial. Em laborat?rio, foram obtidos valores de peso e comprimento e as g?nadas foram retiradas para a determina??o do est?gio de maturidade. A abund?ncia de P. squamosissimus ? m?xima entre setembro a fevereiro e P. surinamensis ocorreu principalmente entre mar?o a maio. A rela??o peso-comprimento mostrou isometria para as f?meas de P. squamosissimus e ambos os sexos de P. surinamensis. Apenas os machos da esp?cie P. squamosissimus apresentaram alometria positiva. A propor??o sexual foi favor?vel aos machos de P. surinamensis (1...

Biologia reprodutiva da arara-azul-de-lear Anodorhynchus leari (Aves: Psittacidae) na Estação Biológica de Canudos, BA; Breeding biology of Lear\'s Macaw Anodorhynchus leari (Aves: Psittacidae) at Canudos Biological Station - BA

Assis, Erica Cristina Pacífico de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.62%
Anodorhynchus leari é uma ave endêmica do Bioma Caatinga e um dos psitacídeos mais ameaçados de extinção na região neotropical. Ela se reproduz apenas em formações rochosas de arenito-calcário, localizadas em dois sítios protegidos no norte do estado da Bahia; a Estação Biológica de Canudos (Toca Velha) e a Estação Ecológica do Raso da Catarina (Serra Branca). Este estudo teve por objetivo agregar informações sobre a história natural da arara-azul-de-lear, com ênfase em suas atividades reprodutivas. No Capítulo 1 descreve-se a estrutura e a disposição das cavidades encontradas nos paredões da Estação Biológica de Canudos, as quais foram acessadas internamente por meio do método de rapel. Verificou-se que os ninhos das araras estão em túneis ou salões/galerias amplos e profundos, locais formados naturalmente por ações de intempéries nas formações rochosas de 53m de altura vertical em média. Definitivamente as cavidades com ninhos não são confeccionadas ou alteradas pelas araras, para fins reprodutivos. Na área estudada existem muitas cavidades com as mesmas condições ambientais internas. No mesmo sítio, entre os anos de 2008 e 2011, foram localizadas 38 cavidades ativas. No Capítulo 2 buscou-se descrever detalhadamente a biologia reprodutiva da arara-azul-de-lear...

Aspectos genéticos e ecológicos da biologia reprodutiva de Vriesea gigantea (Bromeliaceae)

Paggi, Gecele Matos; Lexer, Christian
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.63%
Fatores como a biologia reprodutiva, sistema de cruzamento, fluxo gênico, distribuição espacial das plantas e dispersão de sementes tem um profundo efeito na composição e estrutura genética de populações naturais. Os sistemas de cruzamento de plantas e a fertilidade estão diretamente relacionados com questões evolutivas e de biologia da conservação. Vriesea gigantea é uma espécie endêmica da Mata Atlântica, autocompatível e que apresenta limitação de pólen em populações do sul do Brasil. Estas mesmas populações também apresentaram alta fertilidade, considerando parâmetros de produção de flores, frutos e sementes e características do pólen. As populações naturais de V. gigantea vêm sendo reduzidas em função da ação antropogênica, tanto pela destruição do habitat quanto pela coleta predatória. Recentes estudos moleculares revelaram que as populações de V. gigantea são geneticamente estruturadas, apresentam baixo fluxo gênico e alto coeficiente de endocruzamento. Estudos visando um melhor entendimento da evolução do sistema de cruzamento e conservação de espécies de bromélias não foram realizados até o momento. Neste contexto, a presente tese, está organizada em forma de três artigos. No Capítulo II a biologia reprodutiva e o sistema de cruzamento de V. gigantea foram caracterizados...

Biologia reprodutiva de Palicourea macrobotrys Ruiz & Pavon (Rubiaceae): um possível caso de homostilia no gênero Palicourea Aubl.

Coelho,Christiano P.; Barbosa,Ana Angélica A.
Fonte: Sociedade Botânica de São Paulo Publicador: Sociedade Botânica de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2003 PT
Relevância na Pesquisa
66.53%
O gênero Palicourea Aubl. (Rubiaceae) é restrito aos neotrópicos e inclui aproximadamente 200 espécies de arbustos ou pequenas árvores, que produzem flores tubulares, coloridas e sem odor, dispostas em inflorescências paniculadas e polinizadas por beija-flores, sendo quase todas as espécies distílicas. Homostilia é uma condição rara no gênero. O objetivo do estudo foi caracterizar a biologia reprodutiva de Palicourea macrobotrys Ruiz & Pavon e sua biologia de polinização, avaliando o sistema reprodutivo. O estudo foi desenvolvido na Estação Ecológica do Panga, município de Uberlândia, MG (19°11'10" S e 48°24'35" W), entre os meses de maio de 2000 e maio de 2001. A espécie floresceu de dezembro a junho, e frutificou a partir de março; apresenta inflorescências com cerca de 60 flores hermafroditas, pentâmeras, isostêmones e homostílicas. A flor abre entre 5:00 e 7:00 h e dura cerca de 14 horas. O volume de néctar produzido é de 6,86 µL, com concentração média de açúcares de 18%. Os visitantes florais observados foram formigas, uma espécie de abelha, borboletas e beija-flores, principalmente no período da manhã, entre 7:00 e 12:00 h. O beija-flor Thalurania furcata foi considerado o principal polinizador devido ao seu comportamento na flor e freqüência de visitas. A espécie é autocompatível...

Biologia reprodutiva de etnovariedades de mandioca; Reproductive biology of cassava landraces

Silva, Rainério Meireles da; Bandel, Gerhard; Faraldo, Maria Inez Fernandes; Martins, Paulo Sodero
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2001 POR
Relevância na Pesquisa
66.67%
O conhecimento da biologia reprodutiva da mandioca é essencial para o desenvolvimento de programas de melhoramento genético e compreensão do processo de domesticação. Este trabalho avalia aspectos que influenciam a reprodução sexuada, tais como morfologia floral, ecologia da polinização, produção e viabilidade dos grãos de pólen, apomixia, produção e germinação de sementes de etnovariedades de mandioca coletadas em roças de caboclos e índios da Região Amazônica e do Estado de São Paulo. Os aspectos da biologia reprodutiva foram estudados a partir de avaliações de campo e coleta de botões florais e sementes. Os experimentos foram realizados em Piracicaba, SP. Constatou-se alteração na morfologia floral da etnovariedade DG-55, a qual possui flores hermafroditas, e DG-65 e variedade Mantiqueira, que apresentaram menor número de óvulos por ovário. A abelha (Apis mellifera) foi o principal polinizador da mandioca. Houve variação significativa no número e viabilidade de grãos de pólen, constatando-se que as anteras do verticilo superior da flor masculina apresentaram, significativamente, maior número de grãos de pólen. Não foi constatada apomixia. Foi detectado maior número de frutos com duas ou três sementes. No entanto...