Página 1 dos resultados de 4186 itens digitais encontrados em 0.022 segundos

Impactos socioeconômicos da expansão do setor sucroenergético: uma análise espacial dinâmica sobre o bem-estar social no Estado de São Paulo (2000-2008); Impact of sugarcane sector expansion on social-economical concerns: a dynamic spatial analysis about social welfare in Sao Paulo State (2000-2008)

Satolo, Luiz Fernando
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
96.02%
Na primeira década dos anos 2000, houve uma intensa expansão do setor sucroenergético no Estado de São Paulo. O objetivo desse trabalho é avaliar os impactos socioeconômicos dessa expansão, tendo como base a representação de bem-estar social proposta por Deaton & Muellbauer (2009). Os impactos da expansão do setor sucroenergético sobre o nível médio da renda per capita e sobre sua distribuição entre os municípios paulistas foi estimado através de um modelo de painel espacial dinâmico desenvolvido a partir da decomposição da renda per capita em seus principais determinantes proposta por Barros et al. (2004). Além da proporção de adultos na população municipal, da taxa de utilização da força de trabalho e do rendimento médio dos vínculos empregatícios, também foram incluídas como variáveis de controle no modelo a taxa de utilização da força de trabalho na agropecuária e o rendimento médio dos vínculos empregatícios na agropecuária. Adicionalmente, para isolar os impactos socioeconômicos da expansão do setor sucroenergético, a participação da agropecuária na área do município, a participação da agricultura na área da agropecuária, a participação da cana-deaçúcar na área da agricultura e uma dummy para os municípios com usina em operação foram incluídas no modelo. As séries abrangem os 645 municípios paulistas no período de 2000 a 2008. Os resultados do modelo Método Generalizado de Momentos em Sistema GMM-SYS evidenciam a existência de relação de dependência espacial e temporal positiva no PIB real per capita. Os efeitos diretos e indiretos estimados indicam que a expansão do setor sucroenergético apresentou um impacto positivo sobre o nível médio da renda per capita e...

AS POLÍTICAS DE AÇÕES AFIRMATIVAS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL E O ESTADO DO BEM ESTAR SOCIAL

Silva Filho, Penildon
Fonte: INPEAU Publicador: INPEAU
Tipo: Artigo de Revista Científica
PT_BR
Relevância na Pesquisa
95.99%
O artigo desenvolve uma discussão sobre os direitos humanos e equidade e sobre as políticas de ações afirmativas efetivadas por universidades públicas brasileiras e sua relação com as políticas públicas implementadas em diferenças momento históricos no mundo. Inicia trazendo contribuições no campo do conhecimento sobre os direitos humanos, com ênfase no princípio da igualdade, equidade, justiça social e respeito à diferença. O estudo das políticas de ação afirmativa no mundo e no Brasil sinalizam os efeitos positivos dessa política na promoção da equidade neste nível de ensino e denotam o embate mais amplo de uma sociedade que almeja o Estado do Bem Estar Social como instrumento de promoção de cidadania contra a visão de diminuição do Estado e dos direitos sociais.

O papel do estado no Uruguai contemporâneo : políticas públicas e bem-estar social (2005 - 2009)

Almeida, Luíza Helena Salviano dos Santos Montes
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
96.12%
Disertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Centro de Estudos Comparados sobre as Américas, 2011.; O tema deste trabalho é o Estado de Bem-Estar Social de acordo com a visão de qual papel o Estado deve desempenhar, discutindo o caso do Estado uruguaio em um período recente (2005-2009). Para isso, apresenta-se a matriz originária do Estado de Bem-estar uruguaio apresentada pelos autores uruguaios Midaglia e Robert (2001); identifica-se os programas propostos pelo governo de Tabaré Vázquez (2005-2010) e, após análise de conteúdo de documentos como legislação, fichas dos programas, atas de reuniões do parlamento e matérias de jornais, faz-se uma comparação dessa matriz com os programas, a fim de verificar alterações quanto à visão de que papel o Estado deve desempenhar e de que forma isso afeta o tradicional Estado de Bem-estar Social, que no Uruguai foi desenvolvido bem cedo em relação ao resto do continente. Identifica-se que o país passa por uma transformação dos seus programas sociais que acompanham as tendências de outros países da América Latina. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT; This work’s theme is the welfare state according to the vision of what role should the State play in the Uruguayan case analyzing a recent period (2005-2009). For that...

As políticas públicas de emprego e o tripartismo : desafios para a coordenação do bem-estar social no Brasil

Gonçalves, Lorena Ferraz C.
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
96.15%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Centro de Pesquisa e Pós-Graduação sobre as Américas, Programa de Pós-graduação em Estudos Comparados sobre as Américas, 2013.; Este estudo trata da relação entre coordenação, tripartismo, políticas públicas de emprego e bem-estar social na configuração institucional do capitalismo brasileiro. Parte-se da análise dos mecanismos políticos e institucionais de representação dos interesses capital/trabalho e também da análise da construção de consensos políticos como variáveis na condução dos objetivos de bem-estar social, de emprego e de crescimento econômico. O objetivo geral do trabalho é identificar o lugar da coordenação tripartite das políticas públicas de emprego e seu papel para entender as relações entre Estado, empresários e trabalhadores na coordenação do estado de bem- estar social no Brasil. O objetivo complementar é contribuir para o entendimento da especificidade institucional do capitalismo brasileiro na estruturação do tripartismo das políticas públicas de emprego, identificando possíveis fragilidades da coordenação tripartite. Considerando que o estudo pode encaminhar análises amplas sobre a configuração institucional do capitalismo brasileiro por meio da conexão com as políticas de emprego...

Receita pública e bem-estar social nos municípios mineiros emancipados no período de 1988 a 1997

Reis,Paulo Ricardo da Costa; Costa,Thiago de Melo Teixeira da; Silveira,Suely de Fátima Ramos
Fonte: Escola de Administração da UFRGS Publicador: Escola de Administração da UFRGS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
96.03%
O movimento de descentralizações política, administrativa e fiscal intensificado a partir de 1988 tinha como objetivo promover a transferência de poder, recursos e atribuições para os governos locais. Além disso, esse fenômeno impulsionou o processo de emancipação municipal com o intuito de aproximar o poder público da sociedade, promovendo a melhoria da prestação de serviços. Este estudo apresenta a análise das receitas públicas e do bem-estar social dos municípios mineiros emancipados no período de 1988 a 1997. Para tanto, utilizaram-se testes de médias no intuito de comparar o desempenho dos municípios emancipados com o desempenho de seus municípios de origem. Como conclusão, verificou-se que os novos municípios são beneficiados com as transferências governamentais e possuem a mesma capacidade de arrecadação tributária dos seus municípios de origem. Não obstante, isso não permitiu que os citados municípios apresentassem nível de bem-estar superior em relação aos municípios de origem, assim como maior eficiência na gestão desses recursos, uma vez que estão mais próximos dos usuários.

Estados de bem-estar social e estratégias de desenvolvimento na América Latina: um novo desenvolvimentismo em gestação?

Draibe,Sônia M.; Riesco,Manuel
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS Publicador: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
96.07%
Os objetivos deste ensaio são principalmente metodológicos. Ele aponta princípios, parâmetros e um arcabouço analítico que consideramos interessante para os estudos de políticas sociais e de desenvolvimento na América Latina - particularmente, sobre as distintas estratégias de desenvolvimento e a evolução do Estado de Bem Estar Social na região. A América Latina está emergindo de um século de transformação - de uma economia tradicional agrária para uma urbano-industrial - em que os países assumiram diferentes trajetórias históricas. A transição conduzida pelo Estado seguiu duas estratégias sucessivas de desenvolvimento. Dos anos 1920 até a década de 1980, o desenvolvimentismo estatal assumiu, em geral com sucesso, o duplo desafio do progresso social e econômico. Nas duas últimas décadas do século, os estados latino-americanos adotaram as políticas do Consenso de Washington, que enfatizavam a importância das empresas no marco da globalização e beneficiavam aquelas poucas exitosas. Quais eram as características e funções do Estado de Bem Estar Social nas duas estratégias de desenvolvimento? O artigo sugere que, para reduzir as condições sociais e econômicas extremamente heterogêneas na região...

Ferdinand Lassalle e o estado de bem-estar social; Ferdinand Lassalle and the Welfare Social State

Neto, Arnaldo Bastos Santos; Santos, Leila Borges Dias
Fonte: Maria Cristina Vidotte Blanco Tárrega Publicador: Maria Cristina Vidotte Blanco Tárrega
Tipo: Artigo de Revista Científica
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.09%
v. 33, n. 1, p. 84-93, jan. / jun. 2009.; This article discusses Ferdinand Lassalle theoretical formulations, seeking to demonstrate the relevance of his thought to the discussion of the Welfare Social State. Lassalle was the first thinker of a mass democracy and the political strategy formulator that will lead to power the social democratic parties responsible for the construction of the Welfare State. Your thoughts would be marked by an idealism and realism combination, ranging from the particular mystique of "German metaphysics nation" for the consideration of the real power factors. At the time that the Welfare Social State pass to an assumptions crisis it is imperative to remember its main architect history.; O presente artigo discute as formulações teóricas de Ferdinand Lassalle, procurando demonstrar a atualidade de seu pensamento para a discussão do Estado de Bem-Estar Social. Lassalle foi o primeiro pensador de uma democracia de massas e formulador da estratégia política que levará ao poder os partidos social-democratas responsáveis pela construção do Welfare State. Seu pensamento seria marcado por uma combinação de idealismo e realismo, indo da particular mística da “nação metafísica alemã” à consideração dos fatores reais de poder. No momento em que o Estado de Bem-Estar Social passa por uma crise de pressupostos torna-se imperioso relembrar a trajetória de seu principal arquiteto.

Economia, Instituições e Estado de Bem-Estar Social: Respostas à Nova Configuração do Capitalismo pós-1970

Guimarães,Alexandre Queiroz
Fonte: Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) Publicador: Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2015 PT
Relevância na Pesquisa
96.04%
As décadas de 1950 e 1960 foram marcadas por grande prosperidade econômica e expansão dos Estados de Bem-Estar Social. Entretanto, dificuldades e mudanças marcaram os anos 1970. O artigo explora as respostas adotadas pelos países desenvolvidos às novas configurações do capitalismo, mostrando como foram influenciadas pelas instituições nacionais e pelo regime de Estados de Bem-Estar Social. Argumenta-se que os novos constrangimentos não conduziram à convergência nas estratégias e tampouco inviabilizaram este tipo de Estados. Dá-se especial atenção ao modelo escandinavo e à sua capacidade de conciliar bom desempenho e igualdade, enfatizando o papel das práticas corporativistas e da grande capacidade institucional. Em suma, o artigo discute pontos centrais no estudo da economia política ao lidar com um aspecto essencial para a legitimidade do capitalismo e ao explorar o impacto das instituições e mostrar que o capitalismo continua diverso.

Os estados de bem-estar social da Europa Ocidental : tipologias, fundamentos e evidências; The Western Europe's welfare states : typologies, fundamentals and evidences

Paulo José Whitaker Wolf
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/02/2015 PT
Relevância na Pesquisa
96.18%
Esta dissertação tem o objetivo de analisar a natureza dos Estados de Bem-Estar Social, as diferenças existentes entre esses arranjos no caso da Europa Ocidental, bem como as causas e consequências mais gerais dessas diferenças. Os Estados de Bem-Estar Social devem ser entendidos como uma dentre as formas possíveis de sistemas de proteção social e que se caracteriza pelo fato de que o Estado assume um papel mais contundente no atendimento das necessidades individuais fundamentais relativamente às demais formas de provisão, como o mercado e a família. Esses arranjos se diferenciam em função do perfil das políticas públicas, em geral, e das políticas econômica e social, em particular, sendo determinados pelo processo de interação entre atores com distintos interesses e com diferentes capacidades de impor esses interesses sobre os demais em determinadas circunstâncias históricas e institucionais. Tendo-se em vista as características comuns às diferentes experiências nacionais, é possível identificar quatro modelos de Estado de Bem-Estar Social na Europa Ocidental, quais sejam, os modelos anglo-saxão, continental, escandinavo e mediterrâneo. Esses modelos apresentam diferentes graus de sofisticação, em função do comprometimento do Estado em assegurar a todos a possibilidade de contribuir e partilhar da riqueza social. Essas diferenças...

O papel do Estado na economia : uma análise do Estado de bem-estar social e da economia institucional

Oliveira, Cecília Rafaela de Souza, 1990-
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Monografia Graduação Formato: 31 f.; application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
96.11%
Orientador: Angela Welters; Monografia(Graduação) - Universidade Federal do Paraná,Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Curso de Ciências Econômicas; Resumo:O objetivo deste trabalho é analisar a importância, no período atual, do papel do Estado como um agente ativo na economia. Com esse intuito foi utilizada primeiramente a economia de bem-estar social para estabelecer o papel estatal e a característica de sua forma de intervenção, realizada através da criação de políticas sociais orientadas pela concepção de cidadania. Num segundo momento faz-se referência à Economia Institucional e ao papel do Estado como criador de instituições e regulador de conflitos. Por fim, buscamos confrontar o Estado de bem-estar com a existência de instituições. Os resultados encontrados mostram que o próprio estado de bem-estar é dependente da articulação de instituições para alcançar seus objetivos, devido às diversas situações de risco à que estão submetidos os indivíduos. As hipóteses levantadas por esse estudo são a da necessidade de um papel ativo do Estado como promotor de direitos sociais e coordenador estratégico na busca pelo desenvolvimento; Abstract: The objective of this study is to analyze the importance...

Co-culpabilidade estatal (classes /elites econômicas) na promoção do bem-estar social

Silva, João Batista De Araújo
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.13%
O presente estudo tem como objetivo averiguar a relação existente entre a forma de organização do Estado e o Bem-Estar social. Neste sentido, demonstra-se importante a análise do fator econômico na sociedade e sua correlação com a efetividade de direitos relativos ao Bem-Estar social. Busca-se respostas que permitam inferir o porquê do descumprimento de legislações que já amparam direitos reconhecidos à sociedade. Pretende-se verificar possíveis reflexos diretos e indiretos do modo de produção capitalista na gestão social do Estado. Como fundamentação do presente trabalho, buscou-se referência nas obras de grandes filósofos e pensadores como HEGEL sobre a forma de organização social; MARX e ENGELS sobre a relação entre economia e sociedade e LYRA FILHO que analisou em tempos modernos as relações de interferência entre a forma de organização estatal e o seu modo de produção. A pesquisa realizada nesta oportunidade encontrou ainda, suporte em diversas áreas do conhecimento humano, tais como a Sociologia e Filosofia, que através de seus exponenciais contribuíram grandemente para as induções e deduções inferidas ao longo do desenvolvimento deste. Ao final, pôde-se ter uma visão ampla dos mecanismos coordenadores do funcionamento do processo social e o grau de pertinência entre economia e a forma como o Estado executa medidas na promoção do bem-estar social.; This study aims to investigate the relationship between the form of state organization and welfare state. In this sense...

Searching for the determinants of the level of social welfare in Latin America; Texto para Discussão (TD) 328: Searching for the determinants of the level of social welfare in Latin America; Procura os determinantes do nível de bem-estar social na América Latina

Barros, Ricardo; Camargo, José Márcio
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
EN-US
Relevância na Pesquisa
96.12%
O artigo investiga os determinantes aproximados do nível coletivo de bem-estar social na América Latina e identifica os principais fatores que geram menores níveis de bem-estar na região, em comparação com economias industriais, assim como os fatores que provocam variações inter-regionais de bem-estar. A partir da análise dos fatores considerados mais relevantes, demonstra que tal nível é uma função crescente do índice médio de renda per capita e uma função inversa do grau de desigualdade de renda. Como o relacionamento entre o nível de bem-estar e o grau de correlação entre os diferentes fatores é intrinsicamente complexo, busca-se indicações preliminares da relativa importância dos fatores, apresentando certas equações baseadas em parâmetros disponíveis. São analisadas também certas implicações políticas, visando a melhoria do nível em questão.; 38 p. : il.

Searching for the determinants of the level of social welfare in Latin America; Discussion Paper 50 : Searching for the determinants of the level of social welfare in Latin America; Procurando os determinantes do nível de bem-estar social na América Latina

Barros, Ricardo; Camargo, José Márcio
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Discussion Paper
EN-US
Relevância na Pesquisa
96.16%
O artigo investiga os determinantes aproximados do nível coletivo de bem-estar social na América Latina e identifica os principais fatores que geram menores níveis de bem-estar na região, em comparação com economias industriais, assim como os fatores que provocam variações inter-regionais de bem-estar. A partir da análise dos fatores considerados mais relevantes, demonstra que tal nível é uma função crescente do índice médio de renda per capita e uma função inversa do grau de desigualdade de renda. Como o relacionamento entre o nível de bem-estar e o grau de correlação entre os diferentes fatores é intrinsecamente complexo, busca-se indicações preliminares da relativa importância dos fatores, apresentando certas equações baseadas em parâmetros disponíveis. São analisadas também certas implicações políticas, visando a melhoria do nível em questão.; 38 p. : il.

Nível de bem-estar social no Brasil metropolitano: uma comparação inter-regional; Texto para Discussão (TD) 730: Nível de bem-estar social no Brasil metropolitano: uma comparação inter-regional; Level of social welfare in metropolitan Brazil: an inter-regional comparison

Ramos, Lauro; Ávila, Marcelo de
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
96.17%
A questão da avaliação do nível de bem-estar de uma determinada sociedade é tarefa bastante complexa, haja vista que engloba a consideração de uma vasta gama de fatores, não só de natureza estritamente econômica. Não obstante, dada a relevância do tema e sua constante presença no debate a respeito dos frutos das políticas públicas, estrutura institucional e desenvolvimento econômico, essa tarefa vem sendo perseguida por intermédio de simplificações que tornem a mensuração do bem-estar social possível, a despeito do sacrifício de algumas de suas facetas. Nesses termos, o objetivo deste trabalho é, a partir de alguns critérios propostos na literatura pertinente baseados em diferentes soluções de compromisso entre “eficiência econômica” e “justiça social”, proceder à comparação do nível de bem-estar social entre as 10 regiões metropolitanas brasileiras, assim como avaliar a evolução do bem-estar em cada região no início desta década, com base nas informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do IBGE para 1992 e 1996.; 13 p.

NEM NEOLIBERALISMO NEM INTERVENCIONISMO IRRESTRITO: HABERMAS SOBRE A IDEIA DE REGULAÇÃO INDIRETA NO QUE TANGE ÀS FUNÇÕES DO ESTADO DE BEM-ESTAR SOCIAL; NEITHER NEOLIBERALISM NOR UNRESTRICTED INTERVENTIONISM: HABERMAS ON THE IDEA OF INDIRECT REGULATION ABOUT WELFARE STATE’S FUNCTIONS

Danner, Leno Francisco
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 03/07/2014 POR
Relevância na Pesquisa
96.19%
neste artigo, por meio da tematização do conceito de regulação indireta, defende-se a contraposição de Habermas ao neoliberalismo e sua crítica à posição social-democrata no que tange ao modelo de Estado de bem-estar social. Habermas não aceita a ideia neoliberal de um Estado mínimo e a consequente retomada do laissez-faire econômico, mas também é crítico da tecnocracia, da burocratização e do paternalismo de bem-estar, característicos das administrações social-democratas. A ideia de regulação indireta, com isso, aponta para a importância basilar do Estado de bem-estar social no que tange à intervenção econômica e à integração social, mas pressupõe a necessidade de focos de democracia de base como forma de evitar-se a tecnocracia, a burocratização e o paternalismo de bem-estar, que solapariam muito da efetividade da democratização política do poder nas sociedades contemporâneas. Estado de bem-estar social e democracia de base, assim, complementar-se-iam de maneira intrínseca, possibilitando a reafirmação, hodiernamente, da posição teórico-política social-democrata; this paper analyzes the Habermasian concept of indirect regulation defending that Habermas is opposed to neoliberalism and criticizes social-democracy whit respect to Welfare State. Habermas doesn’t accept neoliberal idea of a minimal State and its consequence...

NEM NEOLIBERALISMO NEM INTERVENCIONISMO IRRESTRITO: HABERMAS SOBRE A IDEIA DE REGULAÇÃO INDIRETA NO QUE TANGE ÀS FUNÇÕES DO ESTADO DE BEM-ESTAR SOCIAL; NEITHER NEOLIBERALISM NOR UNRESTRICTED INTERVENTIONISM: HABERMAS ON THE IDEA OF INDIRECT REGULATION ABOUT WELFARE STATE’S FUNCTIONS

Danner, Leno Francisco
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion;
Publicado em 14/01/2015 EN
Relevância na Pesquisa
96.19%
neste artigo, por meio da tematização do conceito de regulação indireta, defende-se a contraposição de Habermas ao neoliberalismo e sua crítica à posição social-democrata no que tange ao modelo de Estado de bem-estar social. Habermas não aceita a ideia neoliberal de um Estado mínimo e a consequente retomada do laissez-faire econômico, mas também é crítico da tecnocracia, da burocratização e do paternalismo de bem-estar, característicos das administrações social-democratas. A ideia de regulação indireta, com isso, aponta para a importância basilar do Estado de bem-estar social no que tange à intervenção econômica e à integração social, mas pressupõe a necessidade de focos de democracia de base como forma de evitar-se a tecnocracia, a burocratização e o paternalismo de bem-estar, que solapariam muito da efetividade da democratização política do poder nas sociedades contemporâneas. Estado de bem-estar social e democracia de base, assim, complementar-se-iam de maneira intrínseca, possibilitando a reafirmação, hodiernamente, da posição teórico-política social-democrata.; this paper analyzes the Habermasian concept of indirect regulation defending that Habermas is opposed to neoliberalism and criticizes social-democracy whit respect to Welfare State. Habermas doesn’t accept neoliberal idea of a minimal State and its consequence...

O movimento dos trabalhadores nos anos do Estado de Bem-Estar Social: uma questão em debate

Bizerra, Fernando de Araújo; de Souza, Reivan Marinho
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Política Social da UFES Publicador: Programa de Pós-Graduação em Política Social da UFES
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 27/02/2013 POR
Relevância na Pesquisa
105.99%
No presente artigo são tecidas considerações acerca dos impactos do Estado de Bem-Estar Social sobre o movimento dos trabalhadores no século XX, na luta pela emancipação humana. Resultante de uma pesquisa bibliográfica, orientada à luz da tradição marxista, objetiva-se analisar como e por que essa forma de intervenção do Estado, dominante durante os “anos gloriosos” do capitalismo, interferiu na organização política e na luta do proletariado em torno da construção de uma sociabilidade emancipada dos grilhões capitalistas.

Uma Tecnociência para o Bem-estar Social

Yanarico, Agustín Apaza
Fonte: Ciência & Tecnologia Social Publicador: Ciência & Tecnologia Social
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 16/06/2011 POR
Relevância na Pesquisa
106.02%
A tecnociência no mundo contemporâneo tornou-se a principal fonte de poder (produtivo e estrutural) na sociedade de conhecimento, ao próprio tempo, a fonte principal financeira dos processos tecnocientíficos. Os investimentos públicos se orientam, geralmente, pelos valores de inovação, progresso, desenvolvimento, utilidade, democracia, eficácia econômica, liberdade individual e lucro, em suma: mercado para o consumo das sociedades. Em contraste, na prática real se descuida dos valores de bem-estar social, solidariedade, libertação humana, democracia participativa, direitos sociais, econômicos e culturais. Qual a causa deste dilema? Como superar este paradoxo? Neste trabalho tentamos colocar a luz estes problemas e se sugere alternativas. Primeiro esclarecemos o que se entende por tecnociência; em seguida, sustenta-se que uma das maiores causas do dilema é adotar o modelo linear de Bush (1945) para o desenvolvimento tecnocientífico e o beneficio social derivado de tal modelo. Uma alternativa a ele sugere-se, entender a tecnociência como um processo social onde os usuários participam, democraticamente, nas decisões tecnocientíficas, visando as prioridades fundamentais do contexto social onde se pertence.

As contribuições e os dilemas da crítica feminista para a análise do Estado de Bem-Estar Social; Contributions and the dilemmas of feminist critics for the analysis of the Welfare State

Gama, Andréa Sousa
Fonte: UnB-BCE Publicador: UnB-BCE
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado por pares; ; Formato: application/pdf
Publicado em 14/08/2009 POR
Relevância na Pesquisa
96.08%
A finalidade desse trabalho é mapear os referenciais feministas de análise sobre o Estado de Bem-Estar Social e pontuar os dilemas contemporâneos evidenciados na literatura comparativa mais recente. Considerando que o objetivo da promoção da igualdade de gênero por políticas públicas trilha caminhos diferenciados na sua interpretação e proposição política, duas vertentes presentes na literatura são analisadas: a perspectiva da conciliação trabalho-família e a perspectiva da igualdade de gênero. A primeira vertente focaliza as desigualdades de gênero no mercado de trabalho, no interior da família e as variações das políticas sociais e de mercado de trabalho quanto ao nível de suporte oferecido aos pais e no quanto incentivam as divisões dos ‘cuidados’ e do trabalho remunerado. A segunda coloca o problema em termos igualitaristas na direção da neutralidade de gênero na alocação das oportunidades, condições de vida e resultados do bem-estar. Por fim, são levantados alguns questionamentos relativos às potencialidades e limites das políticas sociais brasileiras contemporâneas.; he purpose of this paper is mapping out the benchmarks of feminist analysis on the role of Welfare State and scoring the contemporary dilemmas highlighted in the most recent comparative literature. Whereas the objective of the promotion of gender equality in public policies tracks different paths in their interpretation...

Habermas e a ideia de continuidade reflexiva do projeto de Estado de bem-estar social

Danner,Leno Francisco
Fonte: Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa Publicador: Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
96.13%
O artigo discute a proposta de reformulação da social-democracia por parte de Habermas, bem como a sua contraposição ao neoliberalismo. A crítica de Habermas à social-democracia centra-se na tendência de, no que tange à condução do Estado de bem-estar social, se substituir a democracia de base pela predominância do partido e da sua elite burocrática, o que dificultaria a democratização política do poder, ao passo que a sua crítica ao neoliberalismo aponta para uma recusa, por parte deste, da vinculação político-económica da normatividade do social, que enquadraria o político e o económico a partir de interesses generalizáveis, via Estado de bem-estar social. Estes dois aspetos do pensamento político de Habermas são sintetizados nesta artigo na ideia de continuidade reflexiva do projeto de Estado de bem-estar social.