Página 1 dos resultados de 63 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Caracterização morfométrica das sub-bacias no município de Xapuri: subsídios à gestão territorial na Amazônia Ocidental

Abud,Éllen Albuquerque; Lani,João Luiz; Araújo,Edson Alves de; Amaral,Eufran Ferreira do; Bardales,Nilson Gomes; Filho,Elpídio Inácio Fernandes
Fonte: Instituto de Pesquisas Ambientais em Bacias Hidrográficas Publicador: Instituto de Pesquisas Ambientais em Bacias Hidrográficas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
47.05%
O trabalho objetivou a caracterização morfométrica das sub-bacias hidrográficas que ocorrem no município de Xapuri e a construção de um modelo explicativo do nível de impacto e resiliência das bacias hidrográficas do município com ênfase na estruturação de uma ferramenta para uso por não especialistas para subsidiar a tomada de decisão sobre a ocupação do território. A área de estudo está localizada no Estado do Acre e apresenta quatro sub-bacias: Alto Acre, rio Xapuri, Xipamanu e Riozinho do Rola. Realizou-se o levantamento cartográfico da área, as características morfométricas e de uso e cobertura da terra que resultou no zoneamento pedo-hidrográfico do município. As sub-bacias Xapuri, Xipamanu e Riozinho do Rôla apresentaram densidade e ordem de drenagem que indicam uma baixa eficiência de drenagem, porém o Alto Acre apresentou ordem de drenagem elevada (nona ordem) contrariando os índices geométricos e a densidade de drenagem, sendo considerada eficiente a drenagem. Ocorre no município de Xapuri alteração considerável nas áreas de preservação permanente e já se tem uma conversão em áreas de menor resiliência sujeitas a impactos associados a uma alta sensibilidade. O zoneamento pedo-hidrográfico permite visualizar o município num contexto de gestão territorial por meio de um enfoque ecossistêmico e de uma visão qualitativa dos potenciais e das fragilidades.

Gest??o de recursos h??dricos em bacias hidrogr??ficas: representa????es computacionais do ciclo hidrol??gico em sistemas de informa????es geogr??ficas

Ruhoff, Anderson Luis; Pereira, Rudiney Soares
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.87%
O presente artigo teve como objetivo implementar e realizar uma simula????o computacional num??rica do escoamento superficial da ??gua, transformando um SIG em uma representa????o realista dos processos espa??o-temporais. Este estudo insere-se nas atividades previstas pelo Fundo Setorial de Recursos H??dricos, atrav??s do gerenciamento de recursos h??dricos em bacias na Regi??o Sul do Brasil. Uma das ??reas priorit??rias estabelecidas pelo CT Hidro ?? a de Uso e Conserva????o dos Solos e Sistemas H??dricos, em que os principais problemas s??o a eros??o e compacta????o do solo, perda de cobertura natural e reflorestamentos inadequados. O programa visa subsidiar a preserva????o dos recursos h??dricos das bacias hidrogr??ficas. Entre os principais resultados, destaca-se o grande volume de ??gua escoada superficialmente, em que aproximadamente 46,32% do total precipitado na Bacia do Arroio Grande ?? perdido, o que representa mais de 90.500.000 m?? de ??gua.; The paper had the objective to implement a numeric computer simulation of the superficial flow of, transforming a GIS into a realistic system of the time-space. This study fits in the activities predicted by the Fundo Setorial de Recursos H??dricos, through the managing of the hydric resources in South Brazil. One area establish by CT Hidro is the land use and cover changing and soil conservation at water systems where the main problems are the soil erosion and soil compaction...

Gest??o integrada de bacias hidrogr??ficas e zonas costeiras no Brasil: implica????es para a regi??o hidrogr??fica Amaz??nica

Nicolodi, Jo??o Luis; Zamboni, Ademilson; Barroso, Gilberto Fonseca
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
97.22%
As bacias hidrogr??ficas exorr??icas est??o conectadas ?? zona costeira por fluxos hidrol??gicos como ??gua, sedimento, mat??ria org??nica e inorg??nica, e esp??cies biol??gicas que, em parte, condicionam a din??mica do ambiente marinho adjacente. Diversas atividades humanas desestabilizam a integridade dos ecossistemas costeiros e colocam em risco a provis??o dos bens e servi??os proporcionados por estes sistemas. A necessidade de abordagens integradas de gest??o do cont??nuo fl??viomarinho tem sido reconhecida em diversos f??runs e programas internacionais de conserva????o e de desenvolvimento sustent??vel. No Brasil, a C??mara T??cnica de Integra????o da Gest??o de Bacias Hidrogr??ficas e dos Sistemas Estuarinos e Zona Costeira ??? CTCOST do Conselho Nacional de Recursos H??dricos ??? CNRH tem fomentado a integra????o dos instrumentos de gest??o destas duas pol??ticas. A premissa b??sica ?? considerar o gradiente fl??vio-marinho como interconex??o entre o continente e o oceano, com o sistema estuarino funcionado como unidade de interface da gest??o integrada. O maior desafio para gest??o integrada ?? delimitar o sistema estuarino que apresenta limites difusos quanto aos gradientes de salinidade e par??metros correlacionados. Os problemas de delimita????o do sistema estuarino parecem ser intang??veis para sistemas de drenagem de grande porte. No entanto...

Marcos jur??dicos da gest??o integrada das bacias hidrogr??ficas e da zona costeira a partir da Constitui????o Federal de 1988

Silva, Helen Neves da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
67.26%
Disserta????o(mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande, Programa de P??s-Gradua????o em Gerenciamento Costeiro, Instituto de Oceanografia, 2012.; O equil??brio ecol??gico ?? reconhecido pela Constitui????o Federal como elemento indispens??vel para a manuten????o das caracter??sticas dos ecossistemas, para a qualidade de vida e para o desenvolvimento sustent??vel. Logo, a defesa do meio ambiente exige estrat??gias multitem??ticas, que considerem e incorporem a unicidade do meio ambiente. Neste contexto, est?? inserida a gest??o integrada da zona costeira e das bacias hidrogr??ficas, que leva em considera????o, al??m das intera????es ecol??gicas, as intera????es sociais e econ??micas de ambos os ecossistemas. No entanto, a gest??o de bacias hidrogr??ficas que cont??m trechos de zona costeira est?? focada apenas na conserva????o dos recursos h??dricos, operando de modo dissociado da gest??o costeira, que visa o gerenciamento de m??ltiplos recursos por meio do planejamento e ordenamento do uso do solo e das ??guas dentro da costa. A concentra????o demogr??fica na regi??o costeira do Brasil e as atividades nela desenvolvidas causam intensa press??o antr??pica sobre as bacias hidrogr??ficas, assim como as atividades realizadas no ??mbito das bacias impactam direta ou indiretamente a zona costeira...

Gest?o integrada de recursos h?dricos - o caso da bacia hidrogr?fica do Rio Doce

Domingues, Lilian M?rcia
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
56.75%
O desenvolvimento econ?mico e a ampla utiliza??o da ?gua como parte imprescind?vel dos processos produtivos acarretaram na degrada??o acelerada dos mananciais e escassez em muitas regi?es no mundo, raz?o pela qual o tema ?Gest?o Integrada de Recursos H?dricos (GIRH)? tem ganhado mais for?a e import?ncia nos ?ltimos anos. No Brasil, na bacia do rio Doce ? bacia de dom?nio da Uni?o, com cerca de 86% de sua ?rea pertencente ao Estado de Minas Gerais e 14% ao Esp?rito Santo, o processo de GIRH vem sendo implementado. A partir da necessidade comum destes Estados e da Uni?o em preparar seus Planos de Recursos H?dricos, foram reunidos esfor?os com outros atores sociais da bacia para a elabora??o do Plano Integrado de Recursos H?dricos ? PIRH - e dos Planos de A??es para as bacias afluentes ? PARHs, culminando na celebra??o de um Conv?nio de Integra??o - ?Pacto das ?guas? - para uma gest?o compartilhada. A avalia??o do processo de integra??o na gest?o dos recursos h?dricos desta importante bacia hidrogr?fica brasileira baseou-se nas treze fundamentais ?reas de mudan?a em GIRH e sua caixa de ferramentas, defendidas pela Parceria Mundial da ?gua (GWP) como um importante caminho para a gest?o mais coordenada dos recursos h?dricos. O PIRH-Doce...

Estimativa de par?metros hidrodin?micos de aqu?feros em ?reas de embasamento atrav?s de m?todos indiretos

Silva, Rebeca Ferreira Gonzaga
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Evolu??o Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Evolu??o Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
67.12%
A recess?o representa o per?odo em que a vaz?o de um rio ? mantida predominantemente pela restitui??o de ?guas subterr?neas, constituindo, ent?o, o fluxo de base. Em bacias hidrogr?ficas, o coeficiente de recess?o ? um par?metro hidrol?gico que informa a taxa de produ??o do fluxo de base. O coeficiente de recess?o (ou de esgotamento) pode ser determinado de forma indireta por diversos m?todos gr?ficos com uso de s?rie de dados hidrol?gicos. A partir deste coeficiente ? poss?vel calcular outros par?metros importantes, como a transmissividade de aqu?feros. O coeficiente de recess?o possibilita ainda obter informa??es sobre as vaz?es m?nimas em canais de drenagem, que, usualmente, s?o obtidas atrav?s de outros ?ndices hidrol?gicos, como o Q7,10, muito empregado na gest?o de recursos h?dricos superficiais. No presente trabalho foram determinados os coeficientes de recess?o, a transmissividade e o coeficiente de armazenamento para seis bacias, atrav?s de diversos m?todos indiretos. Foram calculados tamb?m alguns ?ndices morfom?tricos, como a amplitude, o slope index e o ?ndice de compacidade, permitindo assim a correla??o entre as caracter?sticas morfom?tricas das bacias e os par?metros hidrodin?micos das mesmas. Os m?todos utilizados para a determina??o do coeficiente de recess?o foram: Maillet...

Gest?o participativa dos recursos h?dricos: uma an?lise da forma??o, da consolida??o e do funcionamento do subcomit? da bacia hidrogr?fica do Ribeir?o da Mata.

Guedes, Bruna de F?tima Pedrosa
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
56.67%
Este trabalho ? o resultado do interesse em conhecer e analisar o novo modelo de erenciamento dos recursos h?dricos no Brasil, proposto pela Pol?tica Nacional de Recursos H?dricos, em 1997, em substitui??o ao antigo C?digo das ?guas, de 1934. Com foco na gest?o descentralizada e participativa dos recursos h?dricos, em que colaboram o Poder P?blico, os usu?rios e a sociedade civil, a Lei Federal n? 9.433/97 estabelece que a bacia hidrogr?fica ? a unidade territorial fundamental para a implementa??o da Pol?tica Nacional de Recursos H?dricos, bem como para a atua??o do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos H?dricos, com vistas ? promo??o de uma pol?tica p?blica que respeite as diverg?ncias e singularidades dos cen?rios sociais, econ?micos e ambientais que comp?em a bacia. O trabalho n?o aborda apenas alegisla??o pertinente e as diretrizes estabelecidas no plano federal e no Estado de Minas Gerais, mas tamb?m cont?m um estudo de caso sobre a bacia hidrogr?fica do Ribeir?o da Mata, localizada na vertente norte da Regi?o Metropolitana de Belo Horizonte, destacando o trabalho e a atua??o do Comit? da Bacia Hidrogr?fica do Rio das Velhas, do Subcomit? da Bacia Hidrogr?fica do Ribeir?o da Mata e do Projeto Manuelz?o. __________________________________________________________________________________________; ABSTRACT: This research is the result of an interest in knowing and analyzing the new Brazilian hydro resources management...

Modelo cognitivo informacional de suporte a decis?o aplicado ? gest?o de bacias urbanas

BAGANHA J?NIOR, Luiz Gonzaga
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
Relevância na Pesquisa
56.58%
A pesquisa foi realizada a partir da escolha da ?rea correspondente ? bacia do igarap? Tucunduba, na zona urbana de Bel?m, capital do Estado do Par?, e ? voltada para o desenvolvimento de uma estrutura cognitiva causal computacional capaz de identificar e qualificar os potenciais processos indicadores de conflitos gerados pelos usos m?ltiplos da ?gua nesta bacia hidrogr?fica urbana, e com isto viabilizar decis?es no ?mbito das medidas estruturais e n?o estruturais. A utiliza??o de um modelo qualitativo, utilizando metodologias informacionais, como o software Decision Explorer, na ?rea de recursos h?dricos, visa entender n?o somente os aspectos hidrol?gicos, mas tamb?m os aspectos sociais, indispens?veis na tomada de decis?o diante de um cen?rio de conflitualidade quanto ao uso desses recursos. Este software ? uma ferramenta para o desenvolvimento do mapeamento cognitivo, atrav?s do qual ser?o agrupados os conceitos unindo causas e efeitos representativos por meio de visualiza??o codificada dos mesmos. A identifica??o e qualifica??o dos conflitos decorrentes dos usos m?ltiplos da ?gua foram realizadas a partir de entrevistas com especialistas na ?rea de gest?o e saneamento, sendo posteriormente gerados os mapas cognitivos possibilitando assim a descri??o do sistema escolhido e a identifica??o das poss?veis solu??es mediadoras para os conflitos ali identificados. O resultado obtido a partir das entrevistas foi agregado em um ?nico mapa com o intuito de comprovar a hip?tese formulada na pesquisa...

Gest?o de conflitos pelo uso da ?gua em bacias hidrogr?ficas urbanas

SILVA, Andressa Mac?do e
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
Relevância na Pesquisa
96.97%
Estuda a gest?o de conflitos pelo uso da ?gua em bacias hidrogr?ficas urbanas. Prop?e a utiliza??o de medidas n?o-estruturais no equacionamento destes conflitos utilizando como ferramenta de apoio metodologias informacionais, mais precisamente, o software de an?lise de dados qualitativos, Nvivo. A pesquisa foi realizada na Bacia do Igarap? Tucunduba e contou com a revis?o bibliogr?fica a respeito da ?rea estudada e da problem?tica abordada, al?m do uso do Nvivo, obtendo como resultado tabela, matrizes e gr?ficos comparativos, fazendo assim o teste da hip?tese levantada. Conclui que as medidas n?o-estruturais s?o amplamente indicadas no que concerne a conflitos originados pela polui??o h?drica, especialmente, no que tange a quest?o do lixo. Recomenda ainda um Projeto de Educa??o Ambiental para o local, que seja posteriormente ampliado, cont?nuo e concomitante a todo e qualquer outro projeto.; ABSTRACT: This dissertation studies the management of conflicts on the use of the water in urban watershed. It proposes the use of non-structural measures for the equationing of conflicts using as tool of support information methodologies, more precisely, the software of analysis of qualitative data, Nvivo. The research was accomplished within in Igarap? Tucunduba Basin. It counted with bibliographical review regarding the case study area and of conflicts...

Modelo de processo participativo de enquadramento aplicado a bacias hidrogr?ficas urbanas: bacia do Tucunduba - PA

SANTOS, Ver?nica Jussara Costa
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.74%
O enquadramento de corpos d??gua ? um instrumento legal do arcabou?o da legisla??o ambiental brasileira contemplado na Pol?tica Nacional de Recursos H?dricos, por meio da Lei 9.433/97. A presente disserta??o apresenta um modelo de enquadramento participativo aplicado a bacias urbanas, com aplica??o na Bacia Hidrogr?fica do Igarap? Tucunduba, em Bel?m/PA. A metodologia desenvolvida baseou-se em cinco etapas, que tiveram como base: a pesquisa bibliogr?fica em fontes diversas; o resgate dos trabalhos j? desenvolvidos na bacia que empregaram metodologias informacionais de suporte ? decis?o; a elabora??o do diagn?stico do uso e da ocupa??o do solo e dos recursos h?dricos na bacia hidrogr?fica; a realiza??o das oficinas de enquadramento com os atores locais; a aplica??o do sofware Decision Explore como um Sistema de Suporte a Decis?o (SSD), utilizado para organizar os dados gerados nas oficinas; o resgate dos trabalhos sobre qualidade da ?gua realizados na bacia do Tucunduba, e por fim a defini??o da proposta de enquadramento participativo, com base na a classifica??o atual do corpo h?drico e nos usos futuros para a bacia do Tucunduba. Com base no reconhecimento de campo, nas discuss?es sobre os usos atuais e sobre as expectativas dos atores locais em rela??o ao futuro da qualidade ambiental da bacia e na avalia??o dos dados de qualidade de ?gua na bacia obtidos...

Infra-estrutura de esgoto sanit?rio no munic?pio de Bel?m: cobran?a por servi?os de esgotamento sanit?rio nas bacias hidrogr?ficas do Reduto e do Una

LIMA, Mara L?bia Viana de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.68%
A remunera??o dos servi?os de esgotamento sanit?rio no Brasil ? feita geralmente atrav?s de tarifas calculadas proporcionalmente ao consumo de ?gua, e empregada para a realiza??o de servi?os de opera??o e manuten??o da coleta e tratamento dos esgotos sanit?rios, e tamb?m como fonte de recursos para provis?o dessa importante infra-estrutura. O percentual varia de concession?ria e corresponde ao volume de esgoto gerado ap?s o consumo de ?gua. Com esse crit?rio de cobran?a as concession?rias de saneamento t?m demonstrado de forma indireta, o grau de utiliza??o diferenciada que cada usu?rio faz do sistema de esgoto, por?m tamb?m tem levantado questionamentos se o valor cobrado na tarifa de esgoto, com base num percentual do consumo de ?gua, corresponde realmente ? contribui??o efetiva de esgoto ?s redes coletoras. Por outro lado, n?o se tem conhecimento de quais fatores interferem na cobran?a por servi?os de esgotamento sanit?rio e de como os diferentes percentuais adotados representam efetivamente a contribui??o de esgoto ? rede coletora, o que levou ao questionamento sobre sua legitimidade, j? que nem toda ?gua consumida retorna ao meio ambiente na forma de esgoto. O estudo realizado nesta disserta??o tem como objetivo identificar quais os fatores e de que forma podem interferir na cobran?a pela utiliza??o de servi?os de esgotamento sanit?rio. Foram adotados indicadores urban?sticos...

Fundamentos para o planejamento e gest?o metropolitanos por ilhas e bacias hidrogr?ficas: uma alternativa para regi?o metropolitana de Bel?m

SENA, Lucinda Freitas de Assis
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
97.03%
Esta disserta??o faz uma reflex?o sobre a aus?ncia de um efetivo sistema de planejamento e gest?o da Regi?o Metropolitana de Bel?m (RMB), fundamental para equacionar seus problemas plurimunicipais. Trata-se de um trabalho que al?m de fazer tal reflex?o, sugere fundamentos que contribuam para a constru??o de uma proposta de planejamento e gest?o da RMB, com base na adapta??o de determinados instrumentos institu?dos pela Pol?tica Nacional de Recursos H?dricos, Lei n?. 9.433/97. Esta adapta??o foi poss?vel a partir da compreens?o e identifica??o da estrutura hidrogr?fica do territ?rio da RMB que, associadas aos instrumentos de gest?o adotados pela referida Lei, resultou em instrumentos institucionais e t?cnicos que primam pelo uso das bacias hidrogr?ficas metropolitanas como unidades estrat?gicas de planejamento e gest?o e pelo uso de princ?pios de participa??o democr?tica no equacionamento dos problemas de interesse dos munic?pios dessa regi?o.; ABSTRACT: This dissertation does a reflection on the absence of an effective planning system and administration of the Metropolitan Area of Bel?m (RMB), fundamental to set out their mutual municipal districts problems. It is a work that besides doing such reflection, he suggests fundaments to contribute to the construction of a planning proposal and administration of RMB...

Condi??es s?cio-ambientais da bacia hidrogr?fica do rio Caet? (Par?, Brasil)

GUIMAR?ES, Danielly de Oliveira
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
56.74%
A aus?ncia de gerenciamento em bacias hidrogr?ficas, na regi?o Amaz?nica, tem afetado seus recursos h?dricos nos ?ltimos anos. Por esta raz?o, esta tese visa estudar os aspectos sociais e ambientais de dezoito comunidades rurais ao longo da Bacia Hidrogr?fica do Caet?, bem como o efeito da descarga de ?gua residual lan?ada no estu?rio do Caet? e no rio Cereja, na cidade de Bragan?a. A metodologia adotada para o levantamento do perfil socioecon?mico e das condi??es de vida e moradia foi baseada na aplica??o de question?rios estruturados e semi-estruturados. Em algumas comunidades, a produ??o dom?stica de lixo foi estimada e catalogada, em 20% das resid?ncias. Quanto ? qualidade da ?gua subterr?nea, an?lises das vari?veis f?sicoqu?micas e microbiol?gicas (turbidez, cor real, cor aparente, pH, temperatura, ferro dissolvido, nutrientes dissolvidos, coliformes termotolerantes e coliformes totais) foram realizadas nos principais po?os que abastecem as comunidades rurais estudadas. Coletas oceanogr?ficas (com medidas de vari?veis hidrol?gicas e hidrodin?micas) como tamb?m an?lises microbiol?gicas foram realizadas nas ?reas mais urbanizadas do estu?rio do Caet? e do rio Cereja, para caracterizar a qualidade das ?guas nos setores estudados. Os principais impactos ambientais foram identificados...

A composi??o e a distribui??o da ictiofauna de interesse ornamental no estado do Par?

CARVALHO JUNIOR, Jaime Ribeiro
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.75%
A ictiofauna de interesse ornamental do estado do Par? foi estudada com enfoque na sua composi??o e distribui??o nas regi?es hidrogr?ficas paraense. Revelou atrav?s do invent?rio de esp?cies divida em: Loricariidae (329), seguida pelas Characidae (139), Cichlidae (133), Callichthyidae (51), Lebiasinidae e Auchenipteridae (22), Pimelodidae (21), otamotrygonidae e Doradidae (19), Anostomidae e Rivulidae (16) e Crenuchidae e Poeciliidae (10). Registraram-se ainda casos de fam?lia com menos de 10 spp, tendo sido registradas uma riqueza de 928 esp?cies, pertencentes a 271 g?neros e distribu?das em 47 fam?lias e 14 ordens. Das esp?cies registradas, 595 esp?cies apresentaram identifica??es taxon?micas e registros nos diferentes bancos de dados, enquanto 333 esp?cies foram identificadas com ?status? taxon?mico ainda indefinido. Mesmo com o registro de 270 g?neros distintos, ressalta-se a riqueza muito elevada concentrada em 12 g?neros com n?meros acima de 15 esp?cies: Loricariidae com os g?neros Ancistrus (44, 4,74%), Hypancistrus (24, 2,59%), Hypostomus (24, 2,59%), Baryancistrus (23, 2,48%), Pseudacanthicus (22, 2,37%) e Peckoltia (30, 3,23%); Callichthyidae com g?nero Corydoras (44, 4,74%); Cichlidae com os g?neros Crenicichla (44...

Regionaliza??o de curvas de perman?ncia de vaz?o de regi?es hidrogr?ficas do estado do Par?

COSTA, Andr?ia Silva; CARIELLO, Brunna Lucena; BLANCO, Claudio Jos? Cavalcante; PESSOA, Francisco Carlos Lira
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
56.74%
O presente artigo aborda a regionaliza??o de curvas de perman?ncia de vaz?es para os rios das regi?es hidrogr?ficas da Calha Norte e do Xingu no Estado do Par?. Os modelos tiveram como base de dados 25 esta??es fluviom?tricas localizadas nas referidas regi?es. As curvas de perman?ncia foram calibradas utilizando-se 5 modelos matem?ticos de regress?o (pot?ncia, exponencial, logar?tmico, quadr?tico e c?bico). O modelo c?bico foi o que se ajustou melhor aos dados observados das esta??es da Calha Norte. J? para a regi?o do Xingu, foi o modelo exponencial, que melhor se ajustou. Modelos de regionaliza??o foram estabelecidos, usando-se a t?cnica de regress?o m?ltipla. A varia??o espacial dos par?metros dos modelos, foi explicada em termos de ?rea de drenagem, precipita??o m?dia anual, comprimento e desn?vel do rio. Os modelos foram validados atrav?s de duas bacias-alvo de cada regi?o, obtendo resultados satisfat?rios pelos ajustes gr?ficos das vaz?es simuladas e observadas. Matematicamente, o bom ajuste foi representado pelos erros quadr?ticos relativos m?dios percentuais e coeficientes de Nash-Sutcliffe calculados para o modelo c?bico (Calha Norte) e exponencial (Xingu). O bom desempenho dos modelos, os credencia na estimativa das curvas de perman?ncia de vaz?es das regi?es de estudo.; ABSTRACT: This paper describes the regionalization of flow duration curves for rivers located in the Calha Norte and Xingu hydrologic regions...

S?ntese da hidrogeologia nas bacias sedimentares do Amazonas e do Solim?es: Sistemas Aqu?feros I??-Solim?es e Alter do Ch?o

SOUZA, Eliene Lopes de; GALV?O, Paulo Henrique Ferreira; PINHEIRO, Cleane do Socorro da Silva; BAESSA, Marcus Paulus Martins; DEM?TRIO, Jos? Geilson Alves; BRITO, Wilker Roberto Rodrigues
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
56.91%
Mapas geol?gicos e cartas estratigr?ficas das bacias sedimentares do Amazonas e do Solim?es foram revisados, ?enfatizando-se as forma??es Alter do Ch?o, I?? e Solim?es, detentoras das maiores reservas de ?gua doce subterr?nea, nessas bacias. A car?ncia de informa??es sobre essas forma??es foi minimizada pela utiliza??o de amostras de sondagens estratigr?ficas e de perfis construtivos, litol?gicos e geof?sicos de po?os de capta??o de ?gua e de petr?leo obtidos na Base Operacional Ge?logo Pedro de Moura, regi?o de Urucu, cerca de 650 km a sudoeste de Manaus (AM). Na Bacia do Amazonas, o Sistema Aqu?fero Alter do Ch?o comporta aqu?feros livres e confinados, com coeficiente de transmissividades entre 1,5 x 10-3 e 9,1 x 10-3 m2/s, indicados para abastecimento p?blico; na Bacia do Solim?es, esse Sistema ? confinado pelo Aquiclude Solim?es, ao qual se sobrep?e o Sistema Aqu?fero I??-Solim?es. A reserva de ?gua estimada ? de 33.000 km3. O Sistema Aqu?fero I??-Solim?es, em Urucu, ? livre-confinado, com dois aqu?feros hidraulicamente conectados: o mais superficial, com topo e base em profundidades pr?ximas de 20 e 70 m, respectivamente, e o mais profundo, entre 50 e 120 m. Com ?rea de afloramento na Bacia do Solim?es de 948.600 km2...

Contribui??o do cadastro ambiental rural na conserva??o de recursos naturais nos limites de duas bacias hidrogr?ficas amaz?nicas

MONTEIRO, Felipe Freire
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.68%
A convers?o de floresta prim?ria para outros usos alternativos do solo vem ocorrendo aceleradamente na regi?o amaz?nica. Esse processo tem ocorrido em grande parte por conta do desenvolvimento da atividade pecuarista, agricultura em larga escala e de subsist?ncia, explora??o madeireira comercial e minera??o. Nesse contexto, a fim de promover a conserva??o dos recursos naturais, o Governo brasileiro adotou o sistema de unidades de conserva??o, terras ind?genas e quilombolas. Al?m disso, foram criados instrumentos como o Cadastro Ambiental Rural ? CAR objetivando mapear e monitorar as propriedades rurais quanto ao atendimento do disposto no C?digo Florestal brasileiro, considerando principalmente as ?reas com restri??o legal ao uso do solo. Assim, esta pesquisa procurou avaliar a capacidade das ?reas de reserva legal em garantir a conserva??o dos recursos naturais em propriedades rurais, utilizando-se para tanto dados do CAR e produtos tem?ticos de uso e cobertura da terra oriundos de projetos institucionais federais. Para isto, foram avaliadas duas bacias amaz?nicas, considerando os princ?pios de ecologia de paisagem e com o uso de m?tricas de paisagem. Os resultados apontam duas ?reas com caracter?sticas diferenciadas, sendo uma de maior capacidade de conserva??o de recursos e outra mais fragmentada...

Rela??es entre raios e chuvas na Amaz?nia Oriental

POMPEU, Marcela Machado
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.87%
O objetivo desse estudo foi analisar a rela??o entre descargas el?tricas, associadas ? precipita??o dentro de ?reas selecionadas no leste da Amaz?nia no per?odo de setembro de 2008 a dezembro de 2010. Os estudos foram realizados dentro de um raio de 100 km centralizados em pluvi?metros instalados das localidades de Bel?m, Caxiuan? e Santar?m. Essas ?reas foram escolhidas por encontrarem-se aproximadamente na mesma latitude, e v?o se distanciando do Oceano Atl?ntico, buscando observar a sazonalidade dos sistemas precipitantes causadores de raios e sua penetra??o no continente, observando as caracter?sticas climatol?gica distintas de cada ?rea. Os dados de chuvas foram obtidos atrav?s do banco de dados da ANA, RPCH, INMET e atrav?s do Projeto LBA. Os sistemas meteorol?gicos de grande escala acompanhados de sistemas de escala menores, parecem atuar primeiramente em Bel?m e v?o adentrando o continente atingindo as outras ?reas de estudo. Em Bel?m, tamb?m foram observadas as maiores ocorr?ncias de raios comparados com Caxiuan? e Santar?m, sendo que nessas localidades, os raios antecedem as chuvas em quase todas as observa??es. Foram observadas as defasagens dos m?ximos de ocorr?ncias de raios e chuvas de aproximadamente dois meses acompanhando principalmente o sentido norte sul de deslocamento da ZCIT e seu acoplamento com outros sistemas de escala local ou de meso escala. Foi feito um estudo de caso em Bel?m e Santar?m onde observou-se que a ZCIT n?o segue o mesmo padr?o de deslocamento para as duas localidades ...

O desafio das ?guas numa metr?pole amaz?nida: uma reflex?o das pol?ticas de prote??o dos mananciais da regi?o metropolitana de Bel?m-PA (1984 ? 2004)

BORDALO, Carlos Alexandre Le?o
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
67.29%
Falar sobre as interrup??es constantes no abastecimento de ?gua ? popula??o dos munic?pios que comp?em a Regi?o Metropolitana de Bel?m, no Estado do Par?, que ?, sem d?vida, agraciado por uma rica rede de grandes bacias hidrogr?ficas (Bacia Amaz?nica, Bacia do Tocantins-Araguaia e Costeira do Nordeste Ocidental), parece ser uma grande contradi??o. Se o problema n?o est? na baixa disponibilidade h?drica como ocorre em algumas regi?es metropolitanas do pa?s (S?o Paulo, Recife e Rio de Janeiro), por que as demandas urbanas da popula??o residente na ?rea de expans?o da metr?pole n?o est?o sendo atendidas satisfatoriamente? Que fatores estariam comprometendo a qualidade do sistema de abastecimento de ?gua da RMB? E como o Governo do Estado do Par? e a Prefeitura Municipal de Bel?m implementaram pol?ticas voltadas para a prote??o dos mananciais do Utinga, principal respons?vel pelo abastecimento dessa popula??o? Essas quest?es, ora levantadas, refletem o ponto central desta tese que ? entendermos como numa metr?pole amazonida, localizada numa regi?o rica em disponibilidade h?drica superficial e subterr?nea, o sistema p?blico de abastecimento de ?gua pot?vel dos mananciais do Utinga tem desafiado a cidade para sobreviver. Para tanto, foi preciso avaliar a import?ncia de seus recursos h?dricos...

Projeto de integra????o do Rio S??o Francisco com as bacias hidrogr??ficas do nordeste setentrional: an??lise da informa????o t??cnica conjunta N.?? 144/2005, do Minist??rio P??blico Federal, e da licen??a pr??via N.?? 200/2005, do IBAMA

Carvalho, Ana Lu??sa Soares de
Fonte: Centro Universitário de Brasília Publicador: Centro Universitário de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.97%
A seca na regi??o nordeste do Brasil influ??ncia diretamente na economia do pa??s, uma vez que prejudica toda a agricultura e a pecu??ria local, contribuindo, assim, para o desemprego e o ??xodo rural. Al??m disso, a inibi????o do acesso ?? ??gua ?? popula????o configura viola????o ao direito fundamental da dignidade humana, tornando-se responsabilidade do Estado. Nesse contexto, o governo, para solucionar esse problema, considerou como melhor op????o executar o Projeto de Integra????o do Rio S??o Francisco com as Bacias Hidrogr??ficas do Nordeste Setentrional (PISF). Assim, o presente estudo teve como objetivo identificar os impactos ambientais causados pela obra, a viabilidade do projeto e a constitucionalidade da Licen??a Pr??via N.??200/2005 concedida pelo IBAMA. Para isso, foi realizada uma an??lise jur??dica dos documentos emitidos pelo Minist??rio P??blico Federal, pelo Minist??rio da Integra????o Nacional e pelo IBAMA sobre a realiza????o do PISF, sem entrar no m??rito dos conhecimentos t??cnicos de engenharia. Dessa forma, foi poss??vel identificar o cumprimento dos requisitos legais e constitucionais necess??rios para concess??o de licen??a pr??via ao projeto.