Página 1 dos resultados de 666 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Influência da aplicação de ácido indol-3-acético na expressão dos receptores de etileno e na atividade de duas enzimas relacionadas ao metabolismo de amido em bananas; Influence of the indole-3-acetic acid levels on expression of ethylene receptors and on activity of starch -metabolizing enzymes in bananas

Foresto, Mariana Faulin
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
27.52%
A literatura têm indicado que a via metabólica de degradação de amido em bananas é regulada tanto por etileno quanto por auxinas, dentre outros fatores. Visando melhor entender o mecanismo pelo qual isso ocorre, acompanhou-se o amadurecimento de bananas infiltradas com ácido indol-3-acético (AIA) utilizando um modelo de infiltração do hormônio em fatias do fruto. Foram avaliados os níveis de AIA endógeno, a evolução na degradação de amido e síntese de açúcares solúveis, a ocorrência de alterações na transcrição e atividade das enzimas β-amilase e DPE2 e a possível correlação destes eventos com alterações na via de transdução de sinal de etileno - hormônio reconhecidamente responsável por desencadear a ativação do metabolismo degradatório de amido durante o amadurecimento. Nos frutos tratados com AIA, os resultados apontaram atraso na degradação de amido e no acúmulo de açúcares solúveis; as variações nos níveis de atividade e de transcritos de β-amilase nos grupos controle e tratado foram semelhantes; contudo, no grupo tratado a evolução destes processos ocorreu com atraso em relação ao controle. Os níveis de transcritos de DPE2, mais expressivos no início do amadurecimento em ambos os grupos...

Perfis de compostos voláteis de banana submetidos a diferentes tratamentos pós-colheita e suas correlações com a expressão diferencial dos receptores de etileno; Volatile compounds profile of bananas submitted to different post-harvest treatments and its correlations to differential expression of ethylene receptors.

Chiebáo, Helena Pontes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
27.52%
O aroma de frutos é um atributo fortemente associado à qualidade, e quaisquer alterações ambientais ou tratamentos pós-colheita podem alterar a sua composição. Acredita-se que a biossíntese de voláteis seja um dos processos regulados pelo etileno. Estudos indicam que a expressão diferencial dos elementos que compõem os receptores de etileno desempenha importante papel na sinalização dos processos ligados ao amadurecimento, entre eles a formação do aroma. Os objetivos deste trabalho são: caracterizar as alterações decorrentes de tratamentos pós-colheita no aroma de banana durante o amadurecimento, e correlacionar com as variações nos padrões de expressão gênica diferencial dos receptores de etileno. Bananas pré-climatéricas variedade Nanicão foram divididas em quatro grupos: controle (não tratado), etileno (100ppm/12h), 1-MCP (100ppb/12h), armazenados a 20°C, e grupo frio (armazenado por 15 dias a 13°C). Foram analisados diariamente a produção de etileno e de CO2 por CG. Foram analisadas a cor da casca, açúcares solúveis e amido. Os compostos voláteis foram isolados por microextração em fase sólida (SPME) em frutos inteiros e polpas e analisados em CG-MS. Para confirmar os resultados e verificar se as alterações encontradas se repetem em outras variedades de bananas...

Efeitos de concentrações de etileno e temperaturas na climatização de bananas de regiões subtropicais; Effect of ethylene concentrations and temperatures in air conditioning of banana subtropical

Paulo, Bruno Kreusburg
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
27.81%
O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de bananas, e mesmo com boas condições climáticas para produzir bananas de excelente qualidade, os procedimentos pós-colheita são ainda inapropriados. Somente alguns poucos produtores têm unidades de desverdecimento em suas propriedades. Predominantemente, as bananas são preparadas para o mercado por atacadistas. No presente trabalho duas cultivares de bananas, Grande Naine e Prata Anã foram colhidas em duas épocas distintas, caracterizadas pelas estações de inverno e verão, sendo logo após climatizadas em combinações de três temperaturas e quatro concentrações de etileno. As bananas foram desverdecidas em intervalos de 24 horas em temperaturas de 13, 17 e 21ºC com uma fonte comercial de etileno (Banasil®) da qual 12,5, 25, 50 e 100mL foram colocados no gerador de etileno. Durante o processo de climatização, as concentrações de etileno na unidade de desverdecimento foram monitoradas por períodos de até 6 horas. No início do processo de desverdecimento, no terceiro e no quinto dia a cor de cobertura da casca e demais variáveis qualitativas foram determinadas. As concentrações de etileno não influenciam as modificações de cor de casca e o amadurecimento de ambas as cultivares. A máxima concentração de etileno (1350ppm) foi determinada quando 100mL de Banasil® foram utilizados. Mesmo com o menor volume de Banasil® um pico de 90pmm de etileno foi determinado na unidade de climatização e esta concentração foi suficiente para amadurecer adequadamente as bananas das duas cultivares. Desverdecimento a 13ºC causou um atraso de dois dias no amadurecimento das bananas da cultivar Grande Naine enquanto que na temperatura de 21ºC houve uma aceleração do amadurecimento. Bananas ‘Grande Naine’ atingiram o estádio de plenamente maduras em quatro dias enquanto que as bananas ‘Prata Anã’ completaram o amadurecimento em três dias. Bananas colhidas depois do ciclo do inverno apresentam o mesmo comportamento no amadurecimento que bananas colhidas no ciclo de verão. Há somente um pequeno atraso neste amadurecimento e a cor de casca é mais opaca...

Desenvolvimento, caracterização e aplicações de biofilmes a base de pectina, gelatina e acidos graxos em bananas e sementes de brocolos.; Development, characterization and applications of biofilmes the greasy base of pectina, gelatin and acid in bananas and seeds of brócolos.

Juliana Alves Batista
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/03/2004 PT
Relevância na Pesquisa
27.6%
O desenvolvimento e a aplicação de filmes ou coberturas biodegradáveis são técnicas praticadas há vários anos que visam promover melhoria na qualidade do produto embalado ou revestido. O objetivo do presente trabalho foi desenvolver e caracterizar filmes a base de pectina e ácidos graxos e da mistura pectina/gelatina, adicionados ou não de ácidos graxos, e verificar sua eficiência como cobertura para bananas e sementes de brócolos. Os filmes foram caracterizados quanto às propriedades de barreira à água e ao oxigênio, solubilidade em água, propriedades mecânicas, opacidade e microscopia eletrônica de varredura (MEV). A adição crescente dos ácidos láurico, palmítico e esteárico e da mistura (blenda) desses ácidos (1:1:1) em todos os filmes elaborados promoveu um aumento da permeabilidade ao vapor de água, verificando-se através da MEV que não houve incorporação desse material lipídico na matriz filmogênica. Filmes compostos de pectina/gelatina apresentaram aumento da permeabilidade ao vapor de água e da opacidade, diminuição da resistência à tração e aumento da elongação, quando a blenda de ácidos graxos foi adicionada. Os filmes compostos com maior proporção de gelatina apresentaram a menor solubilidade em água. Todos os filmes caracterizados quanto à permeabilidade ao oxigênio apresentaram resultados semelhantes. A partir dos filmes obtidos com menor permeabilidade ao vapor de água e alta resistência à tração...

Aspectos fundamentais da evolução geomorfologica cenozoica da Bacia do rio Bananas, Guarapuava - PR

Camargo Filho, Mauricio
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xvi, 195f.| il., grafs., 5 mapas dobrados
POR
Relevância na Pesquisa
37.27%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciencias Humanas; Estudo da evolução geomorfológica cenozóica da bacia do rio Bananas no município de Guarapuava, Paraná. As formas encontradas na bacia são fruto de uma evolução que teve início a partir do Terciário, culminando com grandes fases de pediplanação pleistocênicas, cujas formas residuais e aspectos paleogeográficos, encontram-se impressos na morfologia. Efetua o levantamento do uso do solo de 1963 a 1980.

Efeito da secagem nos teores de compostos fenólicos e da atividade antioxidante de bananas Musa nana e Musa cavendishii

Guiné, Raquel; Barroca, Maria João
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.46%
Bananas e plátanos são hoje cultivadas em todas as regiões tropicais húmidas e constituem o quarto fruto mais cultivado do mundo. A casca da fruta varia de verde profundo a amarelo ou vermelho, enquanto que a polpa varia de branco-marfim para amarelo ou salmão-amarelo. A polpa pode ser firme, adstringente e pegajosa, quando verde, tornando-se escorregadia quando madura. O sabor pode ser leve e doce ou sub-ácido com um tom de maçã. As bananas das cultivares Musa nana (MN) e Musa cavendishii (MC) foram submetidas a secagem para a comparação das suas propriedades com a correspondente fruta em fresco. Os processos de secagem usados foram a secagem em estufa convectiva e a liofilização. Todas as amostras, bananas em fresco e após secagem, foram trituradas e depois foram usadas 5 g de amostra. Subsequentemente, foram realizadas seis extrações sucessivas para cada amostra (três com metanol e três com uma solução de acetona (40% v/v) ), com duração de uma hora cada, feitas com o auxílio de um banho de ultrassons. Para cada extrato foi determinado o conteúdo fenólico por reagente Folin-Ciocalteu, e a capacidade antioxidante foi estimada utilizando os ensaios de ABTS. Os resultados permitiram concluir que os dois tipos de banana estudados apresentaram resultados semelhantes no que diz respeito aos compostos fenólicos totais presentes. Ainda mais...

Diferenças entre bananas de cultivares Prata e Nanicão ao longo do amadurecimento: características físico-químicas e compostos voláteis

Nascimento Junior,Baraquizio Braga do; Ozorio,Leonardo Peçanha; Rezende,Claudia Moraes; Soares,Antônio Gomes; Fonseca,Marcos José de Oliveira
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.27%
Bananas verdes [Nanicão (Musa sp., subgrupo Cavendish) e Prata (Musa sp., subgrupo Prata)] foram estudadas durante o seu amadurecimento. As propriedades físicas (firmeza), físico-químicas (pH, acidez total titulável e sólidos solúveis) e químicas (açúcares, compostos fenólicos e voláteis) foram analisadas e demonstraram diferenças significantes (p < 0,05) entre as bananas. A banana Prata apresentou valores mais altos de compostos fenólicos, sólidos solúveis, açúcares e firmeza do que a banana Nanicão. O método de coleta e análise dos compostos voláteis foram o headspace em dedo frio e a cromatografia gasosa. Os ésteres acetatos, butiratos, isobutiratos e isovaleratos foram predominantes. A banana Prata produziu maiores concentrações de voláteis do que a Nanicão, exceto para os acetatos. O comportamento das curvas de produção dos ésteres seguiu um aumento contínuo, até um pico, para em seguida apresentar uma diminuição no estágio de escurecimento das cascas dos frutos.

Workshop 3: Pests and diseases in bananas - projecting the effects of climate change.

STAVER, C.; RODRIGUEZ, M. A. D.; VICENTE, L. P.
Fonte: In: PROMUSA SYMPOSIUM, 2011, Salvador. Bananas and plantains: toward sustainable global production and improved uses: abstracts. [S.l.]: [ISHS], 2011. p. 181. Publicador: In: PROMUSA SYMPOSIUM, 2011, Salvador. Bananas and plantains: toward sustainable global production and improved uses: abstracts. [S.l.]: [ISHS], 2011. p. 181.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE)
EN
Relevância na Pesquisa
37.11%
Over several decades, ProMusa has addressed important disease threats such as black leaf streak (black Sigatoka), Fusarium wilt, banana streak viruses and Banana bunchy top virus.; 2011

Loading bananas at Oracabessa, Saint Mary, Jamaica; The Bryant Slides Collection; The Bryant Slides Collection, Jamaica

Unknown ( Photographer )
Fonte: Universidade da Flórida Publicador: Universidade da Flórida
Tipo: still image Formato: 35 mm
Relevância na Pesquisa
37.11%
The slides were taken on collecting trips sponsored by the William L. Bryant Foundation, where books, music and art indigenous to the regions were gathered. The are organized by geographical location.; This image shows workers near a banana loading area, while donkey pulled carts wait. Once the bananas are unloaded from the carts they will be placed on awaiting boats in the bay of Oracabessa, Saint Mary, Jamaica. One of Oracabessa’s famous residents was Ian Fleming. Fleming built his house GoldenEye, nearby, where he wrote many of his James Bond books. Slide labeled Aracabessa Banana Sheds.

Boats loaded with bananas leaving bay in Oracabessa, Saint Mary, Jamaica; The Bryant Slides Collection; The Bryant Slides Collection, Jamaica

Unknown ( Photographer )
Fonte: Universidade da Flórida Publicador: Universidade da Flórida
Tipo: still image Formato: 35 mm
Relevância na Pesquisa
37.11%
The slides were taken on collecting trips sponsored by the William L. Bryant Foundation, where books, music and art indigenous to the regions were gathered. The are organized by geographical location.; Oracabessa is a small town in Saint Mary, Jamaica. Its harbor was once an important banana port. This harbor town derives its name from the Spanish settlers who established a supply post there called Oracabessa, or "Golden Head." This image shows rows of boats filled with bananas leaving the Oracabessa bay. Slide labeled Aracabessa Banana Loading Boats.

A man carrying bananas on a mountain road in Portland, Jamaica; The Bryant Slides Collection; The Bryant Slides Collection, Jamaica

Unknown ( Photographer )
Fonte: Universidade da Flórida Publicador: Universidade da Flórida
Tipo: still image Formato: 35 mm
Relevância na Pesquisa
37.11%
The slides were taken on collecting trips sponsored by the William L. Bryant Foundation, where books, music and art indigenous to the regions were gathered. The are organized by geographical location.; A Jamaican man carrying bananas and plant propagation cuttings on his head. Banana trees are growing along the road side. In the distance are mountains and a stream. Slide labeled Jam. on road to Moore Town.

Effect of post-ripening nitrogen atmosphere storage on banana shelf life, visual appearance and aroma

Klieber, A.; Bagnato, A.; Barrett, R.; Sedgley, M.
Fonte: Elsevier Science BV Publicador: Elsevier Science BV
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2002 EN
Relevância na Pesquisa
27.6%
Bananas (Musa acuminata Colla, Cavendish cv. ‘Williams’) were stored in nitrogen at 22 °C for 6, 12 and 24 h at a more green than yellow (stage 3) or more yellow than green (stage 4) ripening stage. Shelf life in nitrogen at 22 °C, that is the time taken from a more yellow than green colour stage 4 to yellow with slight brown flecking stage 7, was not extended when compared to air-stored bananas. However, areas of brown discolouration appeared on bananas placed in nitrogen-storage. The aroma of ripe bananas was assessed with a mass spectrometry-based chemical nose. Bananas stored in nitrogen generally had a riper aroma profile compared with air-storage. An ion with a mass to charge ratio of 61 was strongly associated with nitrogen-treated bananas; this ion is a decomposition product of a known banana aroma compound, ethyl acetate that produces an over-ripe banana note. An ion with a mass to charge ratio of 55 was associated with air-stored bananas; this ion is a decomposition product of ripe bananas (3-methylbutyl ester and 1-butanol). Post-climacteric nitrogen storage is not a suitable method for increasing shelf life, as it causes skin browning.

The effects on the quality of Cavendish bananas, which have been treated with ethylene, of exposure to 1-methylcyclopropene

Bagnato, N.; Barrett, R.; Sedgley, M.; Klieber, A.
Fonte: Blackwell Publishing Ltd Publicador: Blackwell Publishing Ltd
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2003 EN
Relevância na Pesquisa
37.38%
After 48 h of ethylene treatment (300 μL L⁻¹), to induce ripening of mature, green bananas (Musa sp., AAA type, Cavendish subgroup, cv. Williams), fruit were exposed to 0 (control), 3, 300 nL L⁻¹, or 30 μL L⁻¹ 1-methylcyclopropene (1-MCP) for 24, 48 or 72 h at 20 °C. Bananas treated with 300 nL L⁻¹ 1-MCP had a 6-day shelf-life compared with 3 days for non-treated fruit, and 4 days for fruit treated with 3 nL L⁻¹ 1-MCP. Increased shelf-life (half-ripe to over-ripe) occurred without affecting the green life (unripe to halfripe) of bananas, peel appearance, pulp texture, soluble solid concentrations or aroma profiles. Fruit treated with 30 μL L⁻¹ were externally and internally commercially unacceptable, as fruit developed crown rot prior to ripening. Application of 1-MCP at suitable concentrations could extend banana shelf-life, by enhancing marketing and consumer expectations without compromising banana quality.; N. Bagnato, R. Barrett, M. Sedgley, Andreas Klieber; The definitive version is available at www.blackwell-synergy.com

Definição do ponto de colheita comercial e da concentração de etileno exógeno visando melhor aproveitamento do potencial comercial e nutricional de bananas da cultivar Thap Maeo; Definition of harvest time and exogenous etilene concentration aiming at the better commercial and nutritional potential of the bananas of the Thap Maeo cultivar

Saraiva, Lorenzo de Amorim
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/05/2015 PT
Relevância na Pesquisa
27.66%
A banana é um fruto consumido no mundo todo e, ao contrário do que acontece na maioria dos países nos quais predomina o grupo Cavendish, uma grande variedade de cultivares são consumidas nas diferentes regiões do Brasil. No entanto, as informações bioquímicas e fisiológicas a respeito das cultivares consumidas no país são ainda restritas e, apesar de serem muito diferentes entre si, são tratadas da mesma maneira na pré e pós-colheita, o que muitas vezes compromete a qualidade do fruto. Diante disso, dois pontos são fundamentais para a obtenção de frutos de melhor qualidade: a definição do ponto de colheita e o tratamento dos frutos com etileno após a colheita. Hoje a colheita é feita em função do diâmetro dos frutos e o tratamento com etileno é o mesmo para todas as cultivares. Porém, frutos com o mesmo diâmetro nem sempre estão no mesmo estágio de maturidade fisiológica e, usualmente, o tratamento pós-colheita feito com etileno, visando o amadurecimento mais rápido e uniforme dos frutos, não segue nenhuma orientação técnica. A consequência da falta de critérios definidos para a colheita e para a aplicação de etileno resulta em bananas com baixa qualidade e com vida-de-prateleira curta. A produção de banana é dificultada pelos problemas fitossanitários que ocorrem nas plantações...

Bananas, the longest transatlantic dispute in the World Trading System : a post-mortem

DE MELO, Jaime
Fonte: Instituto Universitário Europeu Publicador: Instituto Universitário Europeu
Tipo: Outros Formato: application/pdf
EN
Relevância na Pesquisa
37.11%
This paper revisits the celebrated conflict that lasted close to two decades and pitted the EU against the US and against MFN suppliers of bananas. This was a classic clash about the appropriation of large rents. The paper starts by recalling the major turning points in the dispute and argues that the EU-US conflict could largely be explained by the changing landscape on trade-policy making on both sides of the Atlantic. As to the EU-MFN grower dispute, as shown in the discussion of estimates put forth by the parties at conflict, it is largely explained by uncertainty on the distribution of quota rents and on the reluctance to use economic analysis in the panel decisions.

Desenvolvimento de um metodo para determinação de materias estranhas em bananas-passas e avaliação da contaminação de produtos comerciais

Maragarida Kikuta Barbieri
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/12/1994 PT
Relevância na Pesquisa
27.6%
Os métodos recomendados para determinação de matérias estranhas de uvas-passas, tâmaras e figos secos, baseados na flutuação em frasco armadilha de Wildman, foram testados em bananas-passas contaminadas artificialmente com ovos de mosca (Drosophila melanogaster), insetos (Cryptolestes ferrugineus) na forma de larvas, de adultos inteiros e cabeças, ácaros (Tyrophagus putrescentiae), pêlos de roedores e de humanos, e nenhum deles se mostrou adequado devido à grande quantidade de material constituinte da banana que aparecia na etapa de flutuação. A etapa de lavagem das bananas foi testada com água aquecida a 55-70°C obtida de dois sistemas hidráulicos diferentes, um com fluxo de 6,4L/min e outro com 2,7L/min, não havendo diferença na recuperação das matérias estranhas. O ataque ao resíduo foi testado com algumas enzimas (protease, alfa-amilase, pectinase, celulase, alcalase, amiloglicosidase) e hidróxido de sódio e ácido clorídrico em diferentes concentrações. O ataque ao resíduo com ácido mostrou-se mais adequado, pela diminuição da quantidade do resíduo e por não provocar alteração drástica na morfologia dos ovos de mosca recuperados. A concentração de HCl e o tempo de contato a serem utilizados foram otimizados e obtiveram-se os valores de 1...

Pacific Bananas: Complex Origins, Multiple Dispersals?

Kennedy, Jean
Fonte: University of Hawaii Press Publicador: University of Hawaii Press
Tipo: Artigo de Revista Científica
Relevância na Pesquisa
37.11%
This paper reviews recent genetic evidence for the origins of the traditional cultivated bananas of the Pacific, and shows that they are unexpectedly complex. Current assumption of their prevailing west-to-east spread from Southeast Asia into the Pacific

Pós-colheita de bananas `Maçã` submetidas ao 1-MCP; Postharvest life of ´Apple´ bananas submitted to 1-MCP

Pinheiro, Ana Carla Marques
Fonte: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS; DCA - Programa de Pós-graduação; UFLA; BRASIL Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS; DCA - Programa de Pós-graduação; UFLA; BRASIL
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 12/08/2014 PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.64%
A banana é um fruto climatérico que apresenta curto período de conservação após iniciados os processos relativos ao amadurecimento. Técnicas visando o prolongamento da fase pré-climatérica têm sido estudadas e aprimoradas com o objetivo de prolongar sua vida pós-colheita, resguardando-se a manutenção de seus atributos de qualidade. O 1-metilciclopropeno (1-MCP), inibidor da ação do etileno, é um novo produto que tem sido avaliado como uma técnica promissora no prolongamento da vida pós-colheita e manutenção da qualidade de produtos vegetais. Objetivou-se avaliar a influência da aplicação de 50nL.L-1 de 1-MCP em diferentes tempos (0, 6, 9, 12 e 24 horas) no prolongamento da vida pós-colheita, comportamento respiratório e de produção de etileno e na qualidade física, química e sensorial de bananas ´Maçã´ armazenadas a temperatura ambiente. Objetivou-se também avaliar o efeito do 1-MCP em diferentes concentrações (0, 50, 100, 150, 200 nL.L-1, durante 9 horas) e armazenamento refrigerado (13oC) no retardo do amadurecimento e qualidade das bananas quando maduras. A aplicação de 50 nL.L-1de 1-MCP durante 9 ou 12 horas é a mais indicada para o armazenamento de bananas ´Maçã´ sob temperatura ambiente (22 a 25  1ºC e 80  5% UR)...

Characterisation of South African isolates of Fusarium oxysporum f.sp. cubense from Cavendish bananas

Visser,Marinda; Gordon,Tom; Fourie,Gerda; Viljoen,Altus
Fonte: South African Journal of Science Publicador: South African Journal of Science
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2010 EN
Relevância na Pesquisa
37.27%
Fusarium wilt, caused bythe soil-borne fungusFusarium oxysporum f.sp. cubense (Foc), is a serious vascular disease of bananas in most subtropical and tropical regions of the world. Twenty-four vegetative compatibility groups (VCGs) and three pathogenic races have been identified in Foc, reflecting a relatively high genetic diversity for an asexual fungus. To characterise a South African population of Foc, a collection of 128 isolates from diverse geographic origins were isolated from diseased Cavendish bananas and subjected to VCG analysis and sequencing of the translation elongation factor 1-α (TEF) gene region. The presence of mating type genes was also determined using MAT-1 and MAT-2 specific primers. VCG 0120 was established as the only VCG of Foc present in the South African population studied. Only the MAT-2 idiomorph was present in all the local isolates of Foc. A phylogenetic analysis of DNA sequences of the TEF gene region revealed that the South African isolates grouped closely with VCG 0120 isolates from Australia and Asia. These results suggest that the South African population of Foc was most likely introduced in a limited number of events and that it had spread with infected planting material within the country. The presence of only one mating type and the limited diversity in this pathogen render it unlikely to rapidly overcome disease management strategies involving host resistance.

Poliaminas exógenas como anti-senescentes durante a maturação de bananas (Musa AAA Cavendish cv Nanica)

Lima,G. P. P.; Piza,I. M. T.; Mosca,J. L.; Lacerda,S. A.; Giannoni,J. A.
Fonte: Facultad de Agronomía. Universidad del Zulia Publicador: Facultad de Agronomía. Universidad del Zulia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.11%
Este estudo empregou poliaminas exógenas como possível retardante de maturação de bananas (Musa AAA Cavendish cv Nanica). As frutas maduras fisiologicamente foram imersas em soluções de poliaminas (Putrescina + Espermidina) em duas concentrações 100 e 200 mM. Analisou-se teor de poliaminas endógenas e atividade da peroxidase (EC 1.11.1.7) da polpa das frutas durante 12 dias, com intervalo de 3 dias. Os resultados analisados por regressão, mostraram que a aplicação exógena do mix de poliaminas foi efetiva quanto ao retardo da maturação, principalmente na alteração de cor. A atividade da enzima peroxidase não foi alterada pela aplicação exógena de poliaminas.