Página 1 dos resultados de 282 itens digitais encontrados em 0.064 segundos

Perceções do impacto e efeitos da avaliação externa de escolas: análise dos contraditórios de 2011-2012

Melo, Nazaré Maria dos Santos Cunha e
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
136.14%
No atual contexto socioeconómico e político, com a valorização dos poderes locais, autonomia das escolas e, a definição de objetivos nacionais e de patamares de resultados a atingir, surge a problemática da avaliação de escolas como forma de as responsabilizar, numa perspetiva de prestação de contas à Administração central, comunidade local e ao público em geral, aspirando a melhoria da qualidade do sistema educativo, sendo o principal objetivo deste trabalho obter dados que contribuam para conhecer como as escolas percecionam a utilidade e eficácia da Avaliação Externa de Escolas (AEE). Na primeira parte deste trabalho, a revisão da literatura sobre a avaliação de escolas catapultou-nos para os estudos em torno da eficácia do desempenho das escolas, e, ainda, para as diferentes iniciativas e, enquadramento normativo-legal do sistema educativo em Portugal. A Lei n.31/2002 de 20 de dezembro instituiu um “sistema de avaliação da educação e do ensino não superior” com caráter obrigatório, tendo ocorrido o primeiro ciclo avaliativo entre 2006-2011 e iniciado o segundo ciclo no ano de 2011-2012. Após a receção do projeto de relatório de AEE, as escolas podem apresentar o contraditório à avaliação realizada. Na segunda parte deste trabalho realizámos um estudo empírico1 com base na análise dos 66 contraditórios produzidos pelas escolas em Portugal continental...

Impacto de um dispositivo de avaliação externa na avaliação da qualidade em creche : um estudo sobre as perspetivas de desenvolvimento profissional nos educadores de infância

Sousa, Joana Raquel Faria de
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
116.04%
Dissertação de mestrado em Ciências da Educação (área de especialização em Desenvolvimento Curricular); A presente investigação “Impacto de um dispositivo de Avaliação Externa na Avaliação da Qualidade em Creche. Um estudo sobre as perspetivas de Desenvolvimento Profissional nos Educadores de Infância” pretende analisar as transformações vividas na educação de infância que têm vindo a alterar o âmbito curricular e a sua identidade. Numa sociedade onde se “olha” a educação de infância numa perspetiva algo “assistencialista”, procuram-se respostas, alteramse estruturas organizativas e modificam-se processos educativos que permitam oferecer a esta etapa educativa uma maior credibilidade. Uma das alterações relaciona-se com o Modelo de Avaliação da Qualidade em Creche (MAQC) proposto pelo Instituto de Segurança Social (ISS, I.P.), relativamente às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS). O MAQC surge com a ambição de criar um referencial normativo que permita a avaliação da qualidade e distinga positivamente as IPSS que o estão a implementar com base em processos de autoavaliação que forçam a eficácia através do envolvimento de todos os atores no processo de avaliação (Stufflebeam...

A avaliação externa de escolas no ensino especializado da música : um estudo de caso

Marques, Helena Maria da Costa Queirós
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
106.14%
Dissertação de mestrado em Ciências da Educação (área de especialização em Desenvolvimento Curricular); O currículo no ensino especializado de música em Portugal, depara-se com uma referencialidade bastante ambígua. De um lado existe uma racionalidade situada entre os mundos da educação e os mundos das artes e da cultura, nos quais a afirmação das suas particularidades se enquadra numa perspetiva situada entre a individualização do trabalho formativo, artístico e pedagógico e a sua integração em coletivos de dimensões variáveis. Do outro, uma racionalidade, por parte do Estado, centrada na hegemonia de um determinado modelo curricular, assente no “modelo escolar” protagonizado na afirmação de um sistema educativo e de um currículo “unificado e coerente” (Vasconcelos, 2002; Fernandes, 2007.) O ensino especializado da música tem tido pouco destaque na literatura académica, havendo falta de estudos científicos nesta área (Domingues, 2007). Com esta investigação pretendemos estudar o impacto e os efeitos da avaliação externa (Pacheco, et al, 2014) no ensino especializado da música. Através de uma abordagem de investigação de natureza qualitativa (Bogdan & Bikle, 1999), constituída por entrevistas a diretores dos conservatórios (n=6) e da análise documental dos relatórios da avaliação externa...

O impacto da avaliação externa de escolas na educação pré-escolar pública e seus efeitos na rede privada

Rodrigues, Eduarda Cristina Capela da Silva
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
126.15%
Dissertação de mestrado em Ciências da Educação (área de especialização em Desenvolvimento Curricular); Esta dissertação de mestrado em Desenvolvimento Curricular situa-se no âmbito da avaliação externa de escolas e integra-se no projeto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) PTDC/CPE-CED/116674/2010 sobre o impacto e efeitos da avaliação externa de escolas do ensino não superior. A avaliação externa de escolas emerge de políticas supranacionais e internacionais de regulação do conhecimento e das suas formas de avaliação, no intuito de responder às necessidades sociais, que se vêm impondo desde as últimas décadas do século XX, de formação de mais alunos com novas qualificações que os preparem para competirem num mundo cada vez mais globalizado. Simultaneamente, as políticas económicas que defendem a autonomia das escolas como meio de redução de custos, desenvolvem práticas de accountability traduzidas na implementação de uma cultura de avaliação, ancorada em conceitos de melhoria, qualidade, eficácia/eficiência.A educação pré-escolar em Portugal, por força de fatores históricos, evoluiu de modo diferente, quer se trate da rede pública ou da rede privada, isto é...

Avaliação externa de escolas : os efeitos indiretos do ensino público no ensino privado

Sousa, Joana Raquel Faria de; Pacheco, José Augusto
Fonte: Universidade do Minho. Instituto de Educação. Centro de Investigação em Educação (CIEd) Publicador: Universidade do Minho. Instituto de Educação. Centro de Investigação em Educação (CIEd)
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
106.13%
Publicado em "Atas do XII Congresso Internacional Galego-Português de Psicopedagogia", ISBN 978-989-8525-22-2; Tendo como referência a análise da realidade portuguesa, pretendemos, com esta comunicação, abordar a avaliação externa de escolas a partir das políticas de “accountability” (Taubman, 2009) e de partilha de conhecimento (Steiner-Khaamasi, 2012), que, por sua vez, estão na origem das reformas viajantes, quer processos e práticas de regulação baseada na avaliação externa (Stake & Schwand, 2007; Pacheco, Seabra, Morgado & Van Hattum, 2014). A comunicação insere-se num projeto de investigação, financiado pela Fundação Ciência e Tecnologia, visando o estudo do impacto e efeitos da avaliação externa de escolas na escola e na comunidade no plano das mudanças organizacionais, curriculares e pedagógicas. Considerando os efeitos essencialmente discursivos e procedimentais da avaliação, analisamos de modo mais concreto, mediante uma metodologia qualitativa, baseada na análise documental, em que o corpus de análise é constituído pelas orientações Instituto da Segurança Social (ISS) do Modelo de Avaliação da Qualidade em Creche (MAQC), e na realização de inquérito por entrevistas (Bogdan & Biklen...

Estudos sobre avaliação externa das escolas

Fialho, Isabel; Saragoça, José; Correia, Ana Paula; Silvestre, Maria José; Gomes, Sónia
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
116.11%
Este estudo insere-se no Projeto Impacto e Efeitos da Avaliação Externa nas Escolas do Ensino não Superior, financiado pela FCT (PTDC/CPE-CED/116674/2010) e desenvolvido por equipas das Universidades do Minho, Porto, Coimbra, Lisboa, Évora e Algarve. Nesta comunicação apresentamos os resultados de uma análise de relatórios internacionais produzidos em 2009, 2010 e 2012 que fazem referencia à avaliação externa das escolas em Portugal. Nesta análise são abordados aspetos como a organização da avaliação externa, os planos de melhoria e acompanhamento, a articulação entre a autoavaliação e a avaliação externa, entre outros; salientando os pontos fortes e os pontos fracos assim como algumas recomendações, é ainda apresentada uma síntese de alguns aspetos comuns referidos nos relatórios analisados.

O Programa de Avaliação Externa das Escolas em Portugal à luz de relatórios internacionais

Fialho, Isabel; Saragoça, José; Correia, Ana Paula; Silvestre, Maria José; Gomes, Sónia
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
116.16%
Ao longo das duas últimas décadas, em contextos sociopolíticos muito diversos, a avaliação das organizações escolares, assumindo diferentes configurações e domínios de incidência, tem ocupado um lugar de destaque na agenda das políticas educativas. O Programa de Avaliação Externa das Escolas (PAEE), instituído em Portugal desde 2007, sob a responsabilidade da Inspeção Geral da Educação e Ciência (IGEC), resultou de um percurso, com mais de uma década, em programas e em projetos, nacionais e internacionais. A experiência portuguesa no que concerne aos processos de avaliação externa é ainda muito curta quando comparada com a de outros países da Europa. Todavia, o caminho percorrido tem conduzido à alteração de algumas práticas e evidenciou potencialidades e fragilidades nos processos de avaliação, que têm vindo a ser divulgadas em diversos estudos, pareceres e relatórios sobre a avaliação externa das escolas, tanto em Portugal como no restante espaço europeu. Nesta comunicação, apresentamos os resultados de uma análise desenvolvida no âmbito de um projeto de investigação financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) - Impacto e Efeitos da Avaliação Externa nas Escolas do Ensino não Superior (PTDC/CPE-CED/116674/2010)...

O Programa de Avaliação Externa das Escolas em Portugal à luz de relatórios internacionais

Fialho, Isabel; Saragoça, José; Correia, Ana Paula; Silvestre, M. José; Gomes, Sónia
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
106.16%
Ao longo das duas últimas décadas, em contextos sociopolíticos muito diversos, a avaliação das organizações escolares, assumindo diferentes configurações e domínios de incidência, tem ocupado um lugar de destaque na agenda das políticas educativas. O Programa de Avaliação Externa das Escolas (PAEE), instituído em Portugal desde 2007, sob a responsabilidade da Inspeção Geral da Educação e Ciência (IGEC), resultou de um percurso, com mais de uma década, em programas e em projetos, nacionais e internacionais. A experiência portuguesa no que concerne aos processos de avaliação externa é ainda muito curta quando comparada com a de outros países da Europa. Todavia, o caminho percorrido tem conduzido à alteração de algumas práticas e evidenciou potencialidades e fragilidades nos processos de avaliação, que têm vindo a ser divulgadas em diversos estudos, pareceres e relatórios sobre a avaliação externa das escolas, tanto em Portugal como no restante espaço europeu. Nesta comunicação, apresentamos os resultados de uma análise desenvolvida no âmbito de um projeto de investigação financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) - Impacto e Efeitos da Avaliação Externa nas Escolas do Ensino não Superior (PTDC/CPECED/ 116674/2010)...

A prestação do serviço educativo: asserções nos relatórios de avaliação externa de três agrupamentos de escolas – concelho de Serpa

Andrade, Florentina; Cruz, Paulo; Banha, Susana; Fialho, Isabel
Fonte: Centro de Investigação em Educação e Psicologia - Universidade de Évora Publicador: Centro de Investigação em Educação e Psicologia - Universidade de Évora
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
116.05%
A avaliação externa das escolas, da responsabilidade da Inspeção-Geral da Educação, obedece a um quadro de referência organizado em cinco domínios de análise, sustentados por um conjunto de fatores. Considerando-se o domínio “Prestação do serviço educativo” aquele que tem uma relação mais próxima com os resultados educativos, fez-se a análise detalhada da sua avaliação nos relatórios dos agrupamentos de escolas do concelho de Serpa. Para o efeito, procede-se a uma análise crítica comparativa com o objetivo de verificar a conformidade da avaliação efetuada com o quadro de referência e a sua coerência com a classificação atribuída a cada um dos agrupamentos, no domínio supramencionado. Conclui-se que, atendendo ao cariz discursivo apresentado em cada um dos relatórios analisados, a existência de um quadro de referência não assegura a aplicação de critérios avaliativos uniformes e objetivos pelas equipas avaliativas, no que ao domínio “Prestação do serviço educativo” respeita.

Seminário Avaliação externa de escolas. Percursos, consensos e divergências

Fialho, Isabel; Saragoça, José; Silvestre, Maria José; Correia, Ana paula; Gomes, Sónia
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
126.19%
Este seminário insere-se no Projeto Impacto e Efeitos da Avaliação Externa nas Escolas do Ensino não Superior, financiado pela FCT (PTDC/CPE-CED/116674/2010) e desenvolvido por equipas das Universidades do Minho, Porto, Coimbra, Lisboa, Évora e Algarve. O programa de Avaliação Externa das Escolas, iniciado em 2006/2007, sob a responsabilidade da Inspeção Geral de Educação justifica-se, entre outros, pelo objetivo de promover processos de melhoria da educação, articulando-se com a autoavaliação, a regulação do sistema educativo e a participação social nas escolas. Este Projeto tendo como fim estudar o impacto e efeitos da avaliação externa das escolas sobre as escolas e a comunidade, recorre a um quadro teórico e metodológico que permite responder às seguintes questões: A Avaliação Externa das Escolas produz impacto e efeitos na melhoria da escola ao nível organizacional, curricular e pedagógico?; na consolidação da autoavaliação institucional?; na participação da comunidade na vida social da escola?; na apropriação pela escola e comunidade dos referentes utilizados na avaliação institucional? Neste seminário pretende-se divulgar algum do trabalho já realizado no âmbito do projeto e aprofundar o quadro metodológico da investigação...

Os contraditórios na Avaliação Externa das Escolas. Consensos e divergências

Fialho, Isabel; Saragoça, José; Silvestre, Maria José; Matos, Conceição; Correia, Ana paula; Sónia, Gomes
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
116.13%
Nesta comunicação, apresentamos os resultados de um estudo desenvolvido no âmbito de projeto de investigação - Impacto e Efeitos da Avaliação Externa nas Escolas do Ensino não Superior (AEEENS). Este estudo corresponde à análise de contraditórios produzidos pelas escolas, em resposta aos relatórios de avaliação externa. Estes contraditórios foram retirados de uma amostra representativa de 40% das escolas avaliadas simultaneamente, nos dois ciclos de avaliação – 1º ciclo (2006-2011) e 2º ciclo de (2011-2012), nas quatro áreas territoriais onde a IGEC exerce a sua atividade (Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve). A amostra inclui 100 escolas 50% das quais obtiveram as classificações mais altas nos relatórios e 50% tiveram as classificações mais baixas. Foram analisados todos os contraditórios (N=69) desta amostra de escolas o que significa que apenas 35% exerceram o direito do contraditório. Este estudo teve por objetivo central percecionar e dar conta dos ‘consensos’ e das ‘divergências’ entre relatórios e contraditórios com vista à construção de significados, a partir de elementos discursivos explícitos e/ou implícitos. Na análise dos dados e apuramento dos resultados procedeu-se à análise discursiva do conteúdo dos contraditórios...

Avaliação externa das escolas em Portugal. Que impacto e efeitos na escola e na sala de aula?

Fialho, Isabel; Saragoça, José; Silvestre, Maria José; Gomes, Sónia
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
116.15%
Portugal iniciou, em 2007, um Programa de Avaliação Externa das Escolas, sob a responsabilidade da Inspeção-Geral de Educação. Atualmente está em curso o segundo ciclo de avaliação. Desta avaliação externa resulta um Relatório que é enviado para as escolas ao qual estas podem responder com um Contraditório. O trabalho que apresentamos é parte de um estudo desenvolvido no âmbito de um projeto de investigação em curso, intitulado «Impacto e Efeitos da Avaliação Externa nas Escolas do Ensino não Superior». A partir da análise dos Contraditórios aos Relatórios oficiais procurámos respostas para duas questões: A avaliação externa teve impacto na escola e conduziu as escolas a implementarem mudanças na organização e em contexto de sala de aula? Se sim, que mudanças foram planeadas e/ou implementadas? Metodologicamente, recorremos à análise de conteúdo dos Contraditórios, a partir de uma matriz de categorização previamente estabelecida em torno de duas variáveis: «impacto e efeitos do Relatório na escola» e «impacto e efeitos do Relatório na sala de aula». Os principais resultados evidenciam que, em geral, os Relatórios produzem impactos e efeitos maioritariamente positivos, sendo globalmente assumidos como um instrumento potenciador de autorregulação escolar e de aprendizagem e melhoria contínuas.

Efeitos da avaliação externa das escolas nos resultados escolares e na qualidade do serviço educativo prestado

Silvestre, Maria José; Fialho, Isabel
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
116.18%
A escola é hoje entendida como um locus privilegiado para potenciar desenvolvimento a médio e longo prazo, considerando-se a sua capacidade para intervir no crescimento sustentável da sociedade, por via da prestação de um serviço educativo de qualidade, focalizado, sobretudo, nos resultados escolares dos alunos. O referencial avaliativo do programa de Avaliação Externa das Escolas (AEE), levado a cabo pela Inspeção-Geral de Educação e Ciência (IGEC), integra atualmente três domínios, subdivididos em fatores. Da AEE resulta um Relatório enviado para as escolas. O trabalho que apresentamos integra a nossa Tese de Doutoramento, a qual se insere num estudo maior, desenvolvido no âmbito de um projeto de investigação nacional em curso, intitulado «Impacto e Efeitos da Avaliação Externa nas Escolas do Ensino não Superior». Centrámo-nos nos domínios «Resultados» e «Prestação do Serviço Educativo», para, a partir da análise dos Relatórios, procurarmos respostas para a questão central: Quais os efeitos que a Avaliação Externa das Escolas operou nos resultados educativos e na qualidade do serviço educativo prestado? (domínios «Resultados» e «Prestação do Serviço Educativo» do Quadro de Referência da AEE do 1.º ciclo avaliativo). Metodologicamente...

Avaliação Externa das Escolas em Portugal. Que Impacto e Efeitos na Escola e na Sala de Aula?

Fialho, Isabel; Saragoça, José; Silvestre, Maria José; Gomes, Sónia
Fonte: Organizadores, autores e Universidade de Cabo Verde Publicador: Organizadores, autores e Universidade de Cabo Verde
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
116%
Portugal iniciou, em 2007, um Programa de Avaliação Externa das Escolas, sob a responsabilidade da Inspeção-Geral de Educação. Atualmente está em curso o segundo ciclo de avaliação.

Avaliação externa das escolas em Portugal. Que impacto e efeitos na escola e na sala de aula?/

Fialho, Isabel; Saragoça, José; Silvestre, Maria José; Gomes, Sónia
Fonte: Uni-CV Publicador: Uni-CV
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
106.15%
Portugal iniciou, em 2007, um Programa de Avaliação Externa das Escolas, sob a responsabilidade da Inspeção-Geral de Educação. Atualmente está em curso o segundo ciclo de avaliação. Desta avaliação externa resulta um Relatório que é enviado para as escolas e ao qual estas podem responder com um Contraditório. O trabalho que apresentamos é parte de um estudo desenvolvido no âmbito de um projeto de investigação em curso, intitulado «Impacto e Efeitos da Avaliação Externa nas Escolas do Ensino não Superior». A partir da análise dos Contraditórios aos Relatórios oficiais procurámos respostas para duas questões: A avaliação externa teve impacto na escola e conduziu as escolas a implementarem mudanças na organização e em contexto de sala de aula? Se sim, que mudanças foram planeadas e/ou implementadas? Metodologicamente, recorremos à análise de conteúdo dos Contraditórios, a partir de uma matriz de categorização previamente estabelecida em torno de duas variáveis: «impacto e efeitos do Relatório na escola» e «impacto e efeitos do Relatório na sala de aula». Os principais resultados evidenciam que, em geral, os Relatórios produzem impactos e efeitos maioritariamente positivos, sendo globalmente assumidos como um instrumento potenciador de autorregulação escolar e de aprendizagem e melhoria contínuas / Portugal a commencé...

Relatórios internacionais. Um olhar sobre a avaliação externa de escolas

Fialho, Isabel; Saragoça, José; Silvestre, Maria José; Correia, Ana Paula; Sónia, Gomes
Fonte: Porto Editora Publicador: Porto Editora
Tipo: Parte de Livro
POR
Relevância na Pesquisa
106.1%
O presente texto baseia-se numa revisão da literatura focada em relatórios internacionais que fazem referência ao Programa de Avaliação Externa das Escolas que vigora em Portugal desde 2006/2007. Privilegiou-se a pesquisa on-line utilizando como palavras-chave: “avaliação externa de escolas”, Portugal / “external evaluation of schools”, Portugal; no período compreendido entre 2008 e 2012. Apenas quatro relatórios corresponderam aos critérios da pesquisa, tendo-se procedido à sua leitura e análise de conteúdo. Este estudo permitiu identificar um conjunto de boas práticas, de aspetos a melhorar e de recomendações, podendo constituir um contributo para a reformulação e/ou consolidação do Programa de Avaliação Externa das Escolas.

A avaliação externa de escolas: quando um agrupamento pretende uma escola de qualidade...

Gonçalves, Maria José Broeiro
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
106.16%
Tese de mestrado, Educação (Administração e Organização Educacional), Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2009; O presente estudo procurou compreender o processo de avaliação externa da IGE ocorrido em 2007/2008 num Agrupamento Vertical de Escolas de Lisboa e o impacto que a publicação do seu relatório teve na comunidade educativa. Assim, foram objecto de estudo as alterações de práticas, as melhorias e os planos de acção desenvolvidos pelo Agrupamento em 2008/2009, tendo em vista a superação dos pontos fracos e dos constrangimentos apontados. As dimensões de análise incluíram os processos de avaliação de escolas, onde se enquadra a avaliação externa, a prestação de contas a que as escolas estão sujeitas, a procura da qualidade educacional; o papel da liderança e da cultura de escola e, ainda, a promoção da melhoria nas escolas deste Agrupamento. Neste estudo de caso recorreu-se à pesquisa e análise documental, à observação e à entrevista. Participaram no estudo o ex-Presidente do Conselho Executivo, a ex-Presidente do Concelho Pedagógico e um membro da antiga Assembleia do Agrupamento de Escolas que no momento, fazia parte do Conselho Geral Transitório. Os resultados indiciam uma melhoria de quase todos os pontos fracos e constrangimentos indicados...

Rankings e avaliação externa de escolas: que relação?

Oliveira, Helena Maria Beirão Amaral de
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
146.15%
A presente dissertação teve como objetivo analisar a relação entre a Avaliação Externa de Escolas e os resultados dos alunos nos exames nacionais do 9º. 11º e 12º anos, expressos nos rankings das escolas. Para o efeito procedemos à revisão da literatura especializada no domínio da eficácia e avaliação de escolas, seguida da problematização dos rankings. Posteriormente, num estudo empírico de natureza documental, criámos uma base de dados com um grupo de escolas da zona centro, que no ano letivo 2011-2012 tinham sido sujeitas ao segundo ciclo de avaliação externa, analisando a relação entre as posições ocupadas nos rankings nacionais (9.ºano, 11º ano e 12.º ano) e as classificações atribuídas pela Inspeção-Geral da Educação no processo de avaliação externa dessas mesmas escolas. Os dados revelam a existência de relação significativa entre posição no ranking e a classificação no domínio Resultados no quadro de AEE, não se revelando significativa relativamente aos restantes domínios. Todavia, admitíamos que essa relação seria mais elevada no segundo ciclo de AEE dado que se verificou uma contextualização quer dos rankings quer dos resultados académicos na AEE, o que só se verificou nos nossos dados relativos às escolas secundárias. Acresce...

Que ruturas e que continuidades do antigo para o atual modelo de avaliação externa das escolas

Rocha, Patrícia Alexandra Tavares, 1988-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
106.14%
Relatório de estágio de mestrado, Ciências da Educação (Administração Educacional), Universidade de Lisboa, Instituto de Educação, 2012; Este relatório reflete o processo de estágio realizado na Inspeção-Geral da Educação e Ciência (IGEC) ao longo de nove meses, integrando as atividades que desenvolvi no departamento de Avaliação (a nível do programa de Avaliação Externa de Escolas (AEE)) e na Assessoria para a Cooperação Internacional (a nível da Conferência Internacional Permanente das Inspeções-gerais e Nacionais de Educação e das Escolas Europeias), bem como a observação dos papéis e funções desempenhados por um gestor da IGEC. O foco do relatório é o estudo comparativo do 1ºciclo e do 2º ciclo de Avaliação Externa de Escolas (AEE), com base em três eixos de análise: (a) as diferenças e as semelhanças entre o atual e o anterior modelo de AEE; (b) as razões que estão na base das mudanças efetuadas; (c) os resultados que foram alcançados no 1ºano do 2ºciclo de AEE. A metodologia usada para recolha de dados foi a pesquisa arquivística e a entrevista semi-diretiva, recorrendo à análise de conteúdo para tratamento dos dados. O estudo possibilitou constatar as seguintes principais alterações entre os dois modelos: os objetivos...

Perceções dos docentes de uma escola secundária sobre o processo de avaliação externa

Morgado, José Carlos; Seabra, Filipa
Fonte: Centro de Investigação em Educação / Instituto de Educação Publicador: Centro de Investigação em Educação / Instituto de Educação
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
116.05%
Uma das principais preocupações políticas e pedagógicas relativas à Avaliação Externa de Escolas (AEE) é o impacto que esse processo produz ao nível das instituições escolares, quer ao nível da prestação de contas, quer ao nível do serviço educativo que prestam. Neste contexto, um conjunto de universidades portuguesas tem vindo a desenvolver um projeto de investigação que visa identificar os efeitos e impactos da Avaliação Externa de Escolas (PTDC/CPE-CED/116674/2010). Insere-se neste projeto um conjunto de estudos de caso através dos quais se pretende validar algumas informações recolhidas através de outros procedimentos de recolha de dados desenvolvidos previamente e a uma escala mais ampla. A presente comunicação dá conta de resultados parciais de um destes estudos de caso, que teve lugar numa escola secundária da região Norte do país. Concretamente, apresentam-se dados de um inquérito por questionário que pretendeu dar voz a um dos grupos de interlocutores mais privilegiados na mudança da escola – os professores –, uma vez que estão no cerne dos processos avaliativos que aí se desenvolvem, usufruindo da possibilidade de neles participarem quer como sujeitos quer como objetos de avaliação. Além do mais...