Página 1 dos resultados de 1785 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Bem-estar subjetivo, locus de controlo e autoestima em adultos

Duarte, Paula Cristina Siango 
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.3%
O objectivo desta investigação é verificar a existência de uma relação de influência ou não entre a autoestima e o locus de controlo relativamente ao bem-estar e, simultaneamente, perceber se estas variáveis serão significativas em relação ao bem-estar subjetivo. Para analisar essa relação, utilizou-se a escala de Satisfação com a Vida (Simões, 2003), a Escala de Afectividade Positiva e Negativa (Galinha & Ribeiro, 2005b), escala de Locus de Controlo de Rotter (Barros, Barros & Neto, 1993) e a escala de Autoestima Global (M. Rosenberg. Adaptação portuguesa: Faria & Silva 1999). A amostra do estudo é constituída por 184 sujeitos, que se consideram saudáveis e com idades entre os 21 e os 78 anos. Os principais resultados demonstram que há uma correlação positiva e estatisticamente significativa entre a autoestima e as dimensões do bem-estar subjetivo, afectividade positiva e a satisfação com a vida. O locus de controlo externo correlacionou-se de forma negativa e estatisticamente significativa com a afectividade positiva e com a satisfação com a vida e de forma positiva e estatisticamente significativa com a afectividade negativa, o que indica que quanto maior a externalidade, menor é a satisfação com a vida e menor a afectividade positiva. Em relação à autoestima...

Vinculação, memórias de cuidados parentais e autoestima em adultos

Bento, Vânia Filipa Veiga
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
A Teoria da Vinculação (Bowlby, 1990) dá a conhecer a importância do envolvimento parental (Rocha, Mota, & Matos, 2011) e como este se repercute na autoestima do sujeito adulto (Demidenko, Tasca, Kennedy, & Bissada, 2010). Como tal o principal objetivo deste estudo foi analisar a relação entre a vinculação, memórias de cuidados parentais e autoestima. Esta investigação permitiu reconhecer a diferenciação entre indivíduos seguros e inseguros e como estes padrões se relacionam com as variáveis enunciadas. Para tal, foi utilizada uma amostra de 200 indivíduos, 45 (22.5%) do sexo masculino e 155 (77.5%) do sexo feminino, com idades entre os 18 e os 59 anos (M = 28,74; DP = 10,00). Nesta investigação foi preparado um questionário sociodemográfico e aplicadas três medidas: Escala de Vinculação do Adulto (EVA; Canavarro., 1995), Memórias de Infância (EMBU; Canavarro., 1996; 1999) e o Questionário de Autoestima Global de Rosenberg (RSES; Faria., 2000). Os principais resultados sugerem diferenças estatisticamente significativas entre os grupos Seguro e Inseguro para as memórias dos cuidados parentais e autoestima e observa-se uma relação entre as variáveis vinculação, memórias de cuidados parentais e autoestima. Reconhece-se desta forma a influência da vinculação sobre a dimensão parental e consequente desenvolvimento da autoestima.; The Attachment Theory (Bowlby...

Avaliação da ansiedade, depressão e autoestima em docentes de enfermagem de universidades pública e privada; Evaluation of anxiety, depression and self-esteem in nursing faculty of public and private universities

Terra, Fábio de Souza
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/02/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
O estudo teve como objetivo avaliar a presença de ansiedade, depressão e autoestima em docentes de Enfermagem de universidades pública e privada de um município do Sul do Estado de Minas Gerais e comparar as medidas apresentadas pelos dois grupos. Trata-se de um estudo descritivo, correlacional, de corte transversal e abordagem quantitativa, desenvolvida com 71 docentes de duas universidades (39 da pública e 32 da privada) localizadas no município de Alfenas-MG. A coleta de dados ocorreu no final do primeiro semestre letivo do ano de 2010, após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa. Para essa etapa, utilizaram-se quatro instrumentos: questionário semiestruturado com variáveis sociodemográficas, da atividade laboral e hábitos de vida; Inventário de Ansiedade de Beck; Inventário de Depressão de Beck; e Escala de Autoestima de Rosenberg. Após a coleta, os dados foram tabulados em programa estatístico, para análise estatística descritiva e inferencial, assim como a avaliação da consistência interna das escalas. Como resultado, constatou-se que houve predomínio de docentes do sexo feminino, com faixa etária de 31 a 40 anos, católicos, casados, renda familiar mensal de 4001 a 6000 reais, com casa própria e formação universitária em Enfermagem...

Avaliação da postura, qualidade de vida, imagem corporal e autoestima em mulheres com mastectomia sem reconstrução e com a reconstrução imediata da mama; Assessment of body posture, quality of life, body image, and self-esteem in women with mastectomy without reconstruction and immediate breast reconstruction

Peres, Ana Carolina Atanes Mendes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/05/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
INTRODUÇÃO: A mastectomia é um procedimento que pode gerar diversas repercussões tanto físicas quanto emocionais. Atualmente há uma tendência para que a reconstrução da mama seja realizada o quanto antes com o objetivo de amenizar o impacto psicológico da doença. Na literatura são escassos os estudos sobre os efeitos da mastectomia e da reconstrução mamária na postura. Ainda na literatura é possível observar que não há um consenso sobre a qualidade de vida, imagem corporal e autoestima em mulheres submetidas à mastectomia com e sem reconstrução da mama. OBJETIVO: Avaliar a postura, qualidade de vida, imagem corporal e autoestima em mulheres com mastectomia sem reconstrução e com reconstrução imediata da mama. METODOLOGIA: Participaram do estudo 76 mulheres com idade entre 35 e 70 anos diagnosticadas com câncer de mama e submetidas à mastectomia, sendo divididas em dois grupos: sem reconstrução da mama (MSR; n=38) e com reconstrução mamária imediata com retalho abdominal (M+RI; n=38). Para a avaliação da postura foram localizados e demarcados pontos anatômicos específicos para a obtenção de fotografias em vista anterior, posterior, lateral direita e esquerda. As fotografias foram analisadas pelo Software para Avaliação Postural (SAPO). Na avaliação da qualidade de vida foi utilizado o questionário Short- Form Health Survey; na imagem corporal o Questionário de Imagem Corporal após o Câncer de Mama e a autoestima foi avaliada pela Escala de Autoestima de Rosenberg. O nível de significância estabelecido foi de alfa= 0...

Sintomatologia depressiva e ansiosa e níveis de autoestima em jovens: uma abordagem em articulação com o desempenho escolar nas disciplinas de português e de matemática

Magalhães, Ana Margarida Taveira dos Santos Madureira de
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; A sintomatologia depressiva e ansiosa e a autoestima são variáveis que assumem ligação com o desempenho escolar. O estado intrapsíquico do aluno parece espelhar o seu desempenho escolar, da mesma forma que o desempenho escolar reflete o estado psicológico do jovem. O objetivo do presente estudo visou avaliar a existência de associações entre a sintomatologia depressiva/ansiosa, a autoestima e o desempenho escolar nas disciplinas de Português e de Matemática. Pretendeu-se ainda averiguar eventuais associações entre habilitações académicas parentais, a configuração familiar, o desempenho escolar e a autoestima. Para o efeito, recorreu-se a uma amostra de 302 alunos da zona norte de Portugal, com idades compreendidas entre os 12 e os 17 anos (M=13,80; DP=1,23), de ambos os sexos (53,6 % do sexo masculino e 46,4% do sexo feminino). A recolha de dados realizou-se através da utilização de três instrumentos de autorrelato: a Escala de Ansiedade, Depressão e Stresse para Crianças e Adolescentes, adaptada de Lovibond e Lovibond (2000) por Antunes (2008) e Passos (2008) para avaliar a existência de sintomatologia depressiva e ansiosa; a Escala de Autoestima de Rosenberg...

A autoestima afeta a insatisfação corporal em adolescentes do sexo feminino?

Fortes,Leonardo de Sousa; Cipriani,Flávia Marcele; Coelho,Fernanda Dias; Paes,Santiago Tavares; Ferreira,Maria Elisa Caputo
Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo Publicador: Sociedade de Pediatria de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.33%
Objetivo: O objetivo do estudo foi avaliar a influência da autoestima na insatisfação corporal de adolescentes do sexo feminino. Métodos: Participaram 397 adolescentes com idade entre 12 e 17 anos. Utilizou-se o Body Shape Questionnaire (BSQ) para avaliar a insatisfação corporal. A Escala de Autoestima de Rosemberg foi utilizada para avaliar a autoestima. Foram mensurados peso corporal, estatura e dobras cutâneas. Esses dados antropométricos foram controlados nas análises estatísticas. Resultados: O modelo de regressão múltipla indicou influência das subescalas "autoestima positiva" (R2=0,16; p=0,001) e "autoestima negativa" (R2=0,23; p=0,001) nos escores do BSQ. A análise univariada de covariância demonstrou diferenças nos escores do BSQ (p=0,001) em razão dos grupos de autoestima. Conclusão: Concluiu-se que a autoestima influenciou a insatisfação corporal em meninas adolescentes de Juiz de Fora/MG.

Associação dos níveis de motivação e autoestima na aderência à prática de atividade física de universitários

Lages, Solange Maria Ribeiro Nunes
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
A aderência à prática da atividade física se constitui na maior dificuldade encontrada pelos profissionais da área da saúde. É importante ter conhecimento de determinantes que podem influenciar na aderência. Os objetivos do presente estudo foram o de elaborar, desenvolver e validar uma escala para avaliar a Autoestima referenciada na aderência da prática da atividade física e verificar a associação da Motivação e Autoestima à prática de atividade física. A Escala de Autoestima proposta para validação é uma escala de auto-resposta com dezesseis itens, cinco dimensões e com respostas com três níveis de concordância. Os participantes no estudo de validação são 312 universitários de ambos os sexos, com idades compreendidas entre 18 e 35 anos. Metade deles é praticante regular de atividade física. A Análise Fatorial dos itens mostra cinco dimensões: Introspecção, Imagem Física, Satisfação com a vida, Aceitação e Confiança. As propriedades psicométricas são aceitáveis, com Alfa de Cronbach igual a 0,75. O estudo de validação baseado nas correlações entre esta escala e a de Rosenberg, segundo o teste Qui-quadrado de Pearson, com sig. p < 0, 001 nas classificações e na correlação sugere que a escala pode ser utilizada em estudos de investigação e programas de promoção da saúde. As escalas de Autoestima e de Motivação (MPAM-R) foram aplicadas a um grupo de 110 universitários...

Autoestima y refuerzo en estudiantes de 5º básico de una escuela de alto riesgo

Ramírez Peradotto, Pedro; Duarte Vargas, Juan; Muñoz Valdivia, Roxina
Fonte: Murcia: Universidad de Murcia, Servicio de Publicaciones Publicador: Murcia: Universidad de Murcia, Servicio de Publicaciones
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
37.33%
Este artículo describe los resultados de una investigación cuasi experimental, de grupo experimental y control con pretest – postest, que tuvo como propósito probar un tratamiento basado en un programa de refuerzo de intervalo variable, cuya finalidad era modificar la autoestima escolar de niños entre 10 y 11 años, definidos como de “alto riesgo” por presentar altos índices de repetición de cursos, ausentismo y deserción, que son alumnos de la escuela La Bandera, E-97, colegio de administración municipal, perteneciente a la comuna de Antofagasta, Chile. Teniendo como antecedente el nivel de autoestima medida con el test de Aysén, antes de iniciar el tratamiento, el grupo experimental modifica su autoestima al finalizar el tratamiento disminuyendo a cero el porcentaje de alumnos con autoestima baja e incrementando de 12,8% a 20,5% el grupo de autoestima de rango alto. Por su parte, el grupo control presenta un 7,7% en el grupo de niños con autoestima baja y una disminución de 20,5 a 15,4% en los estudiantes que se ubican en el rango superior de autoestima. No obstante, los resultados no fueron significativos a un nivel de 95% de confianza.

Relaci??n entre la insafisfacci??n con la imagen corporal, autoestima, autoconcepto f??sico y la composici??n corporal en el alumnado de segundo ciclo de Educaci??n Secundaria de la ciudad de Alicante

Est??vez D??az, Manuel
Fonte: Universidad de Granada Publicador: Universidad de Granada
Tipo: Tese de Doutorado
SPA
Relevância na Pesquisa
37.42%
Hoy en d??a se considera probado que la actividad f??sica y la pr??ctica deportiva guardan relaci??n directa con el autoconcepto y que dicha relaci??n es bidireccional (Balaguer & Garc??a Merita, 1994; Go??i & Zulaika, 2000; Go??i, Ruiz de Az??a & Rodr??guez, 2004). Pero esta afirmaci??n tiene que ser matizada ya que tambi??n se sabe, por ejemplo, que no derivan sin m??s efectos beneficiosos de toda actividad f??sica, que se han encontrado asociaciones entre la insatisfacci??n corporal y el ejercicio excesivo o que resulta inadecuado aludir al autoconcepto de forma gen??rica sin diferenciar dimensiones del mismo (Go??i et al., 2004). Se han realizado m??ltiples investigaciones que analizaban los efectos beneficiosos que la pr??ctica deportiva posee en la autoestima y el autoconcepto de las personas (Balaguer et al., 1994; Esnaola, 2003; Sonstroem, 1997). En los ??ltimos a??os se presta tambi??n atenci??n al estudio de la relaci??n que la actividad f??sico-deportiva mantiene con las dimensiones espec??ficas del autoconcepto. Concretamente, los estudios han analizado las relaciones que se establecen entre la actividad f??sico-deportiva y el autoconcepto f??sico (Sonstroem, 1997). Los resultados de los mismos muestran que aquellos adolescentes que practican actividad f??sico-deportiva poseen mayores puntuaciones en los subdominios que hacen referencia a la habilidad deportiva y no tanto en los subdominios sobre la apariencia f??sica (Fox & Corbin...

Influencia de la composici??n corporal y la aceptaci??n por las clases de educaci??n f??sica sobre la autoestima de ni??os de 14-16 a??os de Alicante, Espa??a

Est??vez D??az, Manuel; Muros Molina, Jos?? Joaqu??n; Torres Campos, Beatriz; Pradas de la Fuente, Francisco; Zurita Ortega, F??lix; Cepero Gonz??lez, Mar??a del Mar
Fonte: Aula M??dica; Sociedad Espa??ola de Nutrici??n Parenteral y Enteral (SENPE) Publicador: Aula M??dica; Sociedad Espa??ola de Nutrici??n Parenteral y Enteral (SENPE)
Tipo: Artigo de Revista Científica
SPA
Relevância na Pesquisa
37.36%
Introducci??n: La autoestima parece ser un importante predictor de s??ntomas depresivos entre los j??venes, y sobre todo en el g??nero femenino. Algunos autores sugieren que la existencia de sobrepeso y/o obesidad en j??venes se relaciona con una menor autoestima as?? como la participaci??n deportiva se ha asociado con unos valores m??s altos de la misma. Objetivos: Analizar las relaciones existentes entre el ??ndice de masa corporal, sexo, aceptaci??n a las clases de Educaci??n F??sica y autoestima en una muestra representativa de escolares de 3?? y 4?? de Educaci??n Secundaria Obligatoria de la ciudad de Alicante. M??todos: El estudio se llev?? a cabo sobre una muestra representativa compuesta por 1.150 alumnos escolarizados en la ciudad de Alicante. Se obtuvieron datos sociodemogr??ficos, antropom??tricos, valores de autoestima y de aceptaci??n por las clases de educaci??n f??sica. Resultados: Existe una correlaci??n positiva entre la aceptaci??n a las clases de educaci??n f??sica y el autoestima (r= ,319) y una correlaci??n negativa entre esta y el sexo de los alumnos (r= -,289), siendo el grupo femenino el que muestra unas menores puntuaciones. Existe una correlaci??n negativa entre el autoestima y los valores de ??ndice de masa corporal (r= -...

Motivação e autoestima dos praticantes de exercício em ginásios

Nogueira, Hervé
Fonte: Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.4%
Projeto de Investigação apresentado para a obtenção do grau de Mestre em Psicologia do Desporto e do Exercício; Estudo 1 - Resumo A autoestima é um indicador da estabilidade emocional e um ajuste às exigências da vida, é uma orientação positiva ou negativa na direção de si mesmo, ou seja, uma avaliação geral do próprio trabalho ou valor, isto é uma valorização do self, uma associação intuitiva entre a autoestima positiva e uma boa saúde mental. Não existindo um instrumento de medida da autoestima no contexto do exercício físico em Portugal, foi objetivo deste estudo realizar uma validação inicial da adaptação da versão portuguesa da Rosenberg SelfEsteem Scale (RSES), determinando as suas qualidades psicométricas através da análise fatorial exploratória. Desta forma, participaram no estudo 200 pessoas praticantes de exercício físico, com idades compreendidas entre os 14 anos e os 68 anos (M = 30,74±10,38). Os resultados obtidos revelaram uma estrutura bidimensional discordante com o modelo inicial, porem apresenta uma estrutura concordante com outros estudos (10 itens agrupados em dois fatores, com cinco itens em cada), apresentando índices aceitáveis de validade e fiabilidade (consistência interna de .82 para o fator positivo e de .81 para o fator negativo)...

Práticas educativas do futuro educador/professor e promoção da autoestima dos alunos

Botelho, Daniela Cristina Bettencourt
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 03/07/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.42%
Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico (Relatório de Estágio).; O presente Relatório remete para a reflexão do estágio realizado durante a Prática Educativa Supervisionada I e Prática Educativa Supervisionada II. Atualmente, na prática profissional os professores são confrontados com diversos desafios e situações problemáticas, tornando-se assim essencial formar profissionais críticos, que adaptem a sua prática às crianças e às exigências e necessidades da atualidade. Com a construção deste Relatório tivemos a oportunidade de refletir sobre todo o processo de estágio, realizado com um grupo do Pré-escolar e uma turma do 4.º ano do 1.º Ciclo do Ensino Básico e, consequentemente, contribuir para uma prática futura mais rica e eficaz. Esta reflexão teve por base o cruzamento de dados das práticas, de inferências a partir das ações empreendidas e de fundamentos teóricos. Pensar na educação significa equacionar a ideia de quem queremos formar e são vários os teóricos que apontam para a relevância a dar ao desenvolvimento pessoal e social equilibrado (Sant'Anna & Menegolla, 1991; Ministério da Educação, 1997; Alonso et al., 2011; Vilela, 2010), ao cidadão consciente...

If what I am is what's in me I will always be the best "me" that I can be : Relações entre o estatuto escolar e autoconceito, autoestima, orientações motivacionais e fatores protetores da autoestima em alunos dos 5º, 7º e 9º anos de escolaridade

Gaspar, Tatiana Ferreirim
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; O presente estudo teve como objetivo analisar as relações existentes entre o estatuto escolar e o Autoconceito, Autoestima, orientações motivacionais e fatores de proteção da Autoestima de alunos do 5.º, 7.º e 9.º anos de escolaridade. Participaram neste estudo 198 alunos, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 10 e os 18 anos de idade. Os dados foram recolhidos através da aplicação da Escala de Orientações Motivacionais de Skaalvik (Peixoto, Mata & Monteiro, 2008), da Escala de Proteção da Autoestima de Thompson e Dinnel (Português, 2008) e da Escala de Autoconceito e Autoestima (Peixoto & Almeida, 1999). Os resultados evidenciam que o estatuto escolar introduz diferenças estatisticamente significativas na dimensão académica do Autoconceito e na importância atribuída à dimensão académica do Autoconceito. Foram ainda encontrados efeitos de interação entre o ano de escolaridade e o estatuto escolar entre os alunos de 5.º e 9.º anos de escolaridade, com repetência. Revelam também a existência de diferenças nas orientações motivacionais (orientação para a tarefa e orientação para o evitamento) e no fator de proteção da Autoestima (importância das competências).; ABSTRACT: The aim of this study is to analyse the relations between academic achievement and self-concept...

Autoestima e educação física escolar

César, Márcio da Silva
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
A seguinte pesquisa trata de uma revisão bibliográfica sobre a autoestima relacionada com a educação física escolar, por ser este um espaço que para alguns estudantes, naturalmente, será positivo para o desenvolvimento de uma autoestima elevada e para outros estudantes pode ser um espaço ameaçador para o sentido de valor próprio. O objetivo do trabalho é compreender o constructo autoestima e identificar a sua relação com a educação física escolar. Primeiramente há uma revisão mais global sobre a autoestima na área da Psicologia e posteriormente uma revisão específica da autoestima dentro contexto esportivo e escolar, baseado em revisões de pesquisas na área da Psicologia do Esporte e do Exercício. A partir disto, apresenta diversas estratégias que o professor de Educação Física pode utilizar para criar um ambiente positivo e propício para o desenvolvimento da autoestima em seus alunos, inclusive dos mais tímidos, além de buscar identificar os comportamentos típicos das crianças e adolescentes relacionados com a autoestima no esporte e exercício. São identificados diversos aspectos sutis na conduta do professor que podem surtir efeito no sentido de valor próprio dos seus alunos, e também como lidar com os pensamentos e sentimentos que os alunos apresentam sobre si mesmo...

O conflito interparental, rendimento escolar e autoestima em alunos do 3º ciclo do Ensino Básico

Alves, Ana Filipa
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
Dissertação de Mestrado em Psicologia da Educação; A presente investigação pretende averiguar a perceção dos adolescentes, que frequentam o terceiro ciclo, face aos conflitos interparentais e a sua interferência no rendimento escolar e na autoestima global dos mesmos. Neste sentido formulou-se um problema ao qual se pretende dar uma resposta fundamentada em resultados empíricos. Os objetivos desta investigação consistem em avaliar a relação entre a perceção do conflito interparental e os resultados escolares, determinar diferenças de género na perceção do conflito interparental, identificar a relação entre a perceção do conflito e a autoestima e determinar um possível poder preditor do conflito interparental na autoestima. Este estudo é transversal, de caráter quantitativo do tipo correlacional e comparativo. A população é de conveniência e é composta por 256 adolescentes, de ambos os géneros, do 8ºe 9º ano de escolaridade pertencentes a agrupamento de escolas do concelho de Chaves. Para a recolha de dados recorreu-se ao uso da escala The Children’s Perception of Interparental Conflict Scale (CPIC) que avalia a perceção dos adolescentes face ao conflito e às figuras parentais e da escala Rosenberg’s Self-Esteem Scale (RSES) que avalia os níveis de autoestima global. No que respeita às propriedades psicométricas dos instrumentos...

Imagem corporal, autoestima, necessidades psicológicas básicas de escolares praticantes e não praticantes de dança

Monteiro, Lilian Alves Costa
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.4%
Tese de Doutoramento em Ciências do Desporto; Esta tese analisou os níveis de satisfação da imagem corporal (IC), autoestima, necessidades psicológicas básicas de escolares praticantes e não praticantes de dança da cidade de Macapá-AP-Brasil. A amostra foi composta por 283 escolares com idade entre 09 a 15 anos (M=11,51; DP=1,60), IMC (M=18,72; DP=3,32). Para tal, foi dividida em três estudos, a saber: O Estudo (1) teve como objetivo fazer uma revisão sistemática de literatura para buscar maiores esclarecimentos acerca das evidências científicas disponíveis sobre dança e IC. Os resultados mostraram que bailarinos clássicos, de ambos os sexos, profissionais ou não apresentam níveis de insatisfação e distorção da sua IC. Diferentes tipos de dança podem ser eficazes para aumentar a satisfação da IC das suas praticantes. O IMC foi considerado uma variável significativa da predição na distorção da IC. No ballet e em outras danças houve a prevalência de insatisfação com a IC para os homens pela magreza, enquanto as mulheres estavam insatisfeitas pelo excesso de peso. O Estudo (2) teve o objetivo analisar o efeito da idade, renda familiar, índice de massa corporal (IMC) e prática de dança nos níveis de insatisfação corporal e autoestima em escolares do sexo feminino. Os resultados mostraram que a idade se correlacionou negativamente com a insatisfação corporal (r=-0...

Avaliação da autoestima em docentes de enfermagem de universidades pública e privada; Evaluación de la autoestima en docentes de enfermería de universidades pública y privada; Evaluation of Self-esteem in Nursing Teachers at Public and Private Universities

Terra, Fábio de Souza; Marziale, Maria Helena Palucci; Robazzi, Maria Lúcia do Carmo Cruz
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/02/2013 ENG; POR
Relevância na Pesquisa
37.46%
OBJETIVO: avaliar a autoestima em docentes de enfermagem de universidades pública e privada e comparar as medidas apresentadas pelos dois grupos de professores. MÉTODO: trata-se de pesquisa descritiva, correlacional, transversal, quantitativa, desenvolvida com 71 docentes de duas universidades (pública e privada) de um município do sul do Estado de Minas Gerais. Utilizaram-se um questionário, após validação e teste piloto, e a Escala de Autoestima de Rosenberg. RESULTADO: constatou-se que a maioria dos docentes apresentou autoestima alta, não havendo diferença significativa entre os dois grupos. Analisando-se os escores contínuos dessa escala, observou-se diferença significativa entre as universidades, mostrando que os docentes da universidade privada apresentaram escores mais baixos de autoestima. A Escala de Autoestima de Rosenberg apresentou valor alto de coeficiente alfa. CONCLUSÃO: a autoestima alta foi predominante nos professores estudados, mas os da universidade privada apresentaram escores mais baixos. Esses dados podem auxiliar as instituições a refletir sobre o assunto e investir na construção de ambientes saudáveis, tendo como protagonista o trabalhador/docente de enfermagem, representando avanços para o conhecimento da temática na área de enfermagem.; OBJETIVO: evaluar la autoestima de profesores de Enfermería en universidades pública y privada y comparar las medidas presentadas por los dos grupos de profesores. MÉTODO: Se trata de una investigación descriptiva...

AUTOESTIMA Y CUALIDAD DE VIDA DE UNA SERIE DE GESTANTES ATENDIDAS EN RED PÚBLICA DE SALUD; SELF-ESTEEM AND QUALITY OF LIFE IN A SERIES OF PREGNANT WOMEN ATTENDED IN A PUBLIC HEALTH NETWORK; AUTOESTIMA E QUALIDADE DE VIDA DE UMA SÉRIE DE GESTANTES ATENDIDAS EM REDE PÚBLICA DE SAÚDE

Santos, Alinne Barbosa dos; Universidade Federal do Acre; Santos, Karolynne Elena Peluti; Universidade Federal do Acre; Monteiro, Gina Torres Rego; Fundação Oswaldo Cruz; Prado, Patrícia Rezende do; Universidade Federal do Acre; Amaral, Thatiana Lameir
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; artigo original; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 28/06/2015 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
37.4%
El objetivo fue describir los niveles de autoestima y de cualidad de vida de gestantes atendidas en la red pública de salud de Rio Branco, estado de Acre. Fueron entrevistadas 352 gestantes de la zona urbana, con edad gestacional ≥35 semanas, en 2011. Fue empleada la Escala de Autoestima de Rosenberg y el Cuestionario de Cualidad de Vida de la Organización Mundial de Salud. El perfil de la muestra fue de 21 a 25 años (40,9%), solteras (79,3%), no blancas (82,9%), escolaridad enseñanza media o superior (66,7), renta familiar menor que dos sueldos mínimos (60,2%), multigestas (59,4%) y gravidez actual deseada (85,5). Menor autoestima fue presentada por las embarazadas no casadas y por las de mayor clasificación económica. Se observó menor cualidad de vida, en el dominio físico, entre aquellas de más de 30 años. Así, la presencia de compañero y la clasificación económica parecen influenciar la autoestima, y la edad, la cualidad de vida de las mujeres en el periodo gestacional.; This paper aims to describe the self-esteem and quality of life levels of pregnant women attended in the public health network of Rio Branco, Acre. Three hundred and fifty-two pregnant women from the urban area with ≥35 weeks gestational age were interviewed in 2011. The Rosenberg Self-Esteem Scale and the World Health Organization Quality of Life (WHOQOL) Questionnaire were used in this study. The sample profile evidenced the following information on these women: 40.9% were in the 21-25 age range...

Evaluación de la autoestima en varones con disfunción eréctil tratados con sildenafilo: Análisis de un grupo de pacientes españoles procedentes de un estudio multicéntrico internacional

Martínez-Jabaloyas,J.M.; Moncada,I.; Rodríguez-Vela,L.; Gutiérrez,P.R.; Chaves,J.
Fonte: Actas Urológicas Españolas Publicador: Actas Urológicas Españolas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/09/2010 SPA
Relevância na Pesquisa
37.36%
Introducción y objetivos: La disfunción eréctil (DE) provoca alteraciones psicológicas, principalmente ansiedad y pérdida de la autoestima. Intentamos conocer los cambios emocionales, basados en la autoestima y las relaciones, en un grupo de varones españoles con DE tras el tratamiento con sildenafilo, utilizando para ello el cuestionario SEAR (Self-Esteem And Resationship). Material y método: De un estudio internacional multicéntrico, randomizado, grupos paralelos, doble ciego y controlado por placebo de sildenafilo diseñado para evaluar la autoestima y relaciones en varones con DE, seleccionamos los pacientes reclutados en España. Se compararon los cambios en los diferentes dominios del cuestionario SEAR (autoestima, actividad sexual, autoconfianza y relaciones generales) que se administró antes y después del tratamiento, así como los diferentes dominios del IIEF. También se calculó la correlación entre el cambio en el dominio autoestima del cuestionario SEAR y el dominio función eréctil del IIEF. El estudio estadístico se basó en un análisis de la covarianza del cambio en las puntuaciones y en un estudio de correlación. Resultados: El grupo español de investigadores incluyó 119 pacientes. La puntuación del dominio función eréctil mostró una mejoría significativamente mayor para el grupo de sildenafilo. La diferencia de cambio en la media de la puntuación total del SEAR tras el tratamiento fue de 16...

Self-esteem: the genesis and formation of a socially constructed attribute; Autoestima: génesis y constitución de un atributo socialmente construido; Auto-estima: gênese e constituição de um atributo construído socialmenteSelf-esteem: the genesis and formation of a socially constructed attribute

Franco, Adriana de Fátima; Davis, Claudia
Fonte: ETD - Educação Temática Digital Publicador: ETD - Educação Temática Digital
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 22/11/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
 This study analyses in the boundaries of a social-historical perspective the constitutive elements for self-esteem social construction in the teaching-learning process of pupils who have lived stories of failure in school. Its construction was oriented by the following points: the relations between self-esteem and learning in the last three decades and the human psychism development. We analysed through the story of life report the self-esteem construction process of two young persons who frequented acceleration classes, identifying, through measurement of theoretical abstraction from socio-historical Psychology, the way as the reality experienced in life was meant and valorized. Through biographic analysis we verified that self-esteem is associated to a broad concept and while concrete life conditions will not be altered, alterations in the conscience and, so, in the evaluation way must not be expected. Thus, self-esteem, like any human phenomenon, is produced in the concrete conditions of existence and the school must be effectively committed with the humanization of its pupils.; Este estudo analisa, nos marcos da perspectiva sócio-histórica, os elementos constitutivos da construção social da autoestima no processo ensino-aprendizagem de alunos que viveram histórias de fracasso na escola. Nortearam a sua construção os seguintes pontos: as relações entre autoestima e aprendizagem nas últimas três décadas e o desenvolvimento do psiquismo humano. Analisou-se...