Página 1 dos resultados de 20 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Caracteriza????o Molecular e Biol??gica do v??rus dengue circulante no Brasil

Cruz, Ana Cecilia Ribeiro
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Tese de Doutorado
PT_BR
Relevância na Pesquisa
26.43%
A febre do dengue est?? amplamente distribu??da por todas as ??reas tropicais do mundo. Em certas ??reas end??micas, as formas graves da doen??a, febre hemorr??gica do dengue (FHD) e s??ndrome de choque do dengue (SCD), ocorrem com freq????ncia. Outras manifesta????es cl??nicas, como, por exemplo, encefalopatias, encefalites, mielite transversa, tamb??m tem sido observadas. O nosso objetivo foi a caracteriza????o gen??tica e biol??gica de amostras de v??rus VDEN2 e 3, com ??nfase no car??ter de neurovirul??ncia do v??rus VDEN2. As amostras de VDEN 2 e 3 utilizadas foram isoladas na Servi??o de Arbov??rus do Instituto Evandro Chagas a partir de soro de pacientes com quadro cl??nico de dengue (FD e FHD) e manifesta????es neurol??gicas. Os v??rus padr??o foram o VDEN2 Nova Guin?? C e 44-2, VDEN3 H87. As 11 seq????ncias do v??rus VDEN2 quando comparados entre si e com 16 outras seq????ncias do VDEN2 apresentaram percentual m??dio de identidade nucleot??dica e amino??cido de 89,5 e 99,8% respectivamente. Os estudos filogen??ticos realizados mostram os isolados brasileiros pertencem ao gen??tipo III de origem Asi??tica. As 10 seq????ncias do v??rus VDEN3 quando comparados entre si e com 16 outras seq????ncias do VDEN3 apresentaram percentual m??dio identidade nucleot??dica e amino??cido de 89...

Atividade quimiossensibilizante e antitumoral in vitro do 8-metoxipsoraleno, um novo inibidor da glutation S-transferase-??

Oliveira, Di??go Madureira de
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Tese de Doutorado
PT_BR
Relevância na Pesquisa
26.43%
O c??ncer ?? uma das principais causas de morte e apresenta importantes ??ndices de morbidade em todo o mundo. Gliomas s??o os tumores prim??rios malignos mais comuns e letais em adultos, e embora sejam estudados j?? h?? muito tempo, os avan??os tecnol??gicos n??o se traduziram em ganhos terap??uticos reais, de forma que a sobrevida dos pacientes com esse diagn??stico continua muito baixa. Dessa forma, a pesquisa de novas formas de terapia e f??rmacos se apresenta como uma necessidade para a implementa????o de um tratamento realmente eficaz. As glutation S-transferases (GST) s??o enzimas multifuncionais que atuam na detoxifica????o celular por catalisarem a conjuga????o de compostos ex??genos com o tripept??deo glutation (GSH). Como esta rea????o tamb??m pode ocorrer com mol??culas de agente terap??uticos, a express??o destas enzimas, principalmente a isoforma ??, est?? relacionada com aquisi????o de resist??ncia ?? quimioterapia no c??ncer, tornando-a um alvo na busca por novos f??rmacos. No presente trabalho, o 8-metoxipsoraleno (8-MOP), um derivado do psoraleno de uso cl??nico rotineiro no tratamento de doen??as da pele, ?? apresentado como poss??vel promissor agente antineopl??sico por demonstrar atividade inibit??ria da GST-?? e antiproliferativa em um modelo in vitro de glioma. O estudo adotou uma abordagem que associa t??cnicas qu??micas...

Caracteriza????o molecular e biol??gica do o v??rus dengue circulante e no Brasil

Cruz, Ana Ce ec??lia Rib beiro
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Tese de Doutorado
PT_BR
Relevância na Pesquisa
26.43%
A febre do dengue est?? amplamente distribu??da por todas as ??reas tropicais do mundo. Em certas ??reas end??micas, as formas graves da doen??a, febre hemorr??gica do dengue (FHD) e s??ndrome de choque do dengue (SCD), ocorrem com freq????ncia. Outras manifesta????es cl??nicas, como, por exemplo, encefalopatias, encefalites, mielite transversa, tamb??m tem sido observadas. O nosso objetivo foi a caracteriza????o gen??tica e biol??gica de amostras de v??rus VDEN2 e 3, com ??nfase no car??ter de neurovirul??ncia do v??rus VDEN2. As amostras de VDEN 2 e 3 utilizadas foram isoladas na Servi??o de Arbov??rus do Instituto Evandro Chagas a partir de soro de pacientes com quadro cl??nico de dengue (FD e FHD) e manifesta????es neurol??gicas. Os v??rus padr??o foram o VDEN2 Nova Guin?? C e 44-2, VDEN3 H87. As 11 seq????ncias do v??rus VDEN2 quando comparados entre si e com 16 outras seq????ncias do VDEN2 apresentaram percentual m??dio de identidade nucleot??dica e amino??cido de 89,5 e 99,8% respectivamente. Os estudos filogen??ticos realizados mostram os isolados brasileiros pertencem ao gen??tipo III de origem Asi??tica. As 10 seq????ncias do v??rus VDEN3 quando comparados entre si e com 16 outras seq????ncias do VDEN3 apresentaram percentual m??dio identidade nucleot??dica e amino??cido de 89...

Meningoencefalite e polioencefalomalacia causadas por Herpesv?rus bovino-5 no estado do Par?

CORREA, Gabriela Riet; DUARTE, Marcos Dutra; BARBOSA NETO, Jos? Diomedes; OLIVEIRA, Carlos Magno Chaves; CERQUEIRA, Val?ria Duarte; BRITO, Marilene de Farias; RIET-CORREA, Franklin
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
26.43%
O presente trabalho relata quatro casos de meningoencefalite por BHV-5 em quatro munic?pios no estado do Par? afetando bovinos de 1-2 anos, criados extensivamente. Tr?s casos ocorreram de forma isolada e em um caso foram atingidos 3 animais do rebanho. Os principais sinais cl?nicos observados foram incoordena??o, depress?o acentuada, cegueira, dec?bito lateral, opist?tono e morte. O curso cl?nico foi de 3-4 dias. Macroscopicamente observaram-se ?reas amolecidas, amareladas e cavita??es no c?rtex cerebral. Microscopicamente observaram-se poliencefalomalacia no c?rtex cerebral, t?lamo e n?cleos da base, encefalite e meningite n?o supurativa e corp?sculos de inclus?o intranucleares eosinof?licos em astr?citos. O diagn?stico foi realizado com base nos achados histol?gicos caracter?sticos.; ABSTRACT: Four outbreaks of meningoencephalitis in 1 to 2 years old cattle caused by Bovine herpesvirus-5 are reported in four municipalities in the state of Par?, northern Brazil. In three outbreaks only one animal was affected, in another 3 cattle were affected. Main clinical signs were incoordination, dullness, blindness, recumbence, and opisthotonus. Death occurred after a clinical manifestation period of 3-4 days. Softening and yellowish areas were observed grossly in the cerebral cortex. The histology revealed poliencephalomalacia in the cerebral cortex...

Encefalite viral induzida pelo v?rus da dengue em camundongos su??os albinos: a resposta inflamat?ria do sistema nervoso central do hospedeiro neonato

TURIEL, Ma?ra Catherine Pereira
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.43%
Para estudar a resposta imune inata produzida especificamente no interior do SNC em desenvolvimento, evitando a influencia do sistema imune, empregamos modelo de infeccao viral induzida pela inoculacao intracerebral do virus da dengue em camundongos neonatos. Oito camundongos lactentes de dois dias de idade da esp?cie Mus musculus e variedade suica albina foram inoculados por via intracerebral com homogenado cerebral infectado com a especie Flavivirus (DENV3 genotipo III). Outro conjunto de animais foi utilizado como controle (nao infectado) e inoculado com igual volume de homogenado cerebral nao infectante e mantidos nas mesmas condicoes dos infectados. Decorridos 7 dias apos a infeccao os camundongos doentes foram sacrificados e tiveram seus cerebros processados para imunomarcacao de astrocitos e microglias. Quantificou-se a resposta imune glial no stratum lacunosum molecular (Lac Mol), radiatum (Rad) e pyramidale (Pir) de CA1-2 do hipocampo e na camada molecular do giro denteado (GDMol) usando o fracionador optico para estimar o numero de microglias e astrocitos em animais infectados e controles. Intensa astrocitose reativa e intensa ativacao microglial foram encontradas em animais neonatos com sinais clinicos de meningoencefalite. Entretanto...

Envelhecimento, decl?nio cognitivo e plasticidade astroglial em ca3

TOKUHASHI, Tatyana Pereira
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.43%
Poucos estudos tem se dedicado a investigar em detalhe poss?veis rela??es entre o decl?nio cognitivo associado ao envelhecimento e a plasticidade astroglial no hipocampo. No presente trabalho investigamos poss?veis rela??es entre o desempenho em testes de mem?ria de reconhecimento de objeto e o numero e a distribui??o laminar dos astrocitos em CA3 em modelo murino. Para isso empregamos camundongos f?meas adultas da linhagem C57Bl6 de 6 (n = 7) e 20 meses (n = 5) de idade, mantidos em gaiolas padr?o desde o nascimento,comparando seus desempenhos em tarefas hipocampo-dependentes para reconhecimento da forma, do lugar e do momento em que os objetos selecionados lhes foram expostos. Apos os testes comportamentais todos os animais foram per fundidos com fixadores aldeidicos e tiveram seus c?rebros removidos e processados para imunomarca??o empregando anticorpo seletivo para detec??o da prote?na acida fibrilar dos astrocitos (GFAP). Para evitar poss?vel vi?s amostral empregamos o fracionador ?ptico, um m?todo estereol?gico que n?o e afetado pelo processamento histologico. Os resultados nos testes comportamentais isolados e integrados (mem?ria epis?dica) revelaram que o envelhecimento compromete significativamente (teste T bi-caudal, p<0.05) o reconhecimento da forma...

Ativa??o microglial, les?o da subst?ncia branca e express?o de Nogo-A em ratos submetidos ? isquemia estriatal

LIMA, Rafael Rodrigues
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
26.83%
O objetivo desta investiga??o foi avaliar o padr?o degenerativo de diversos tratos de subst?ncia branca ap?s les?o isqu?mica estriatal, correlacionando o processo degenerativo com os padr?es de ativa??o microglial e express?o de Nogo-A. Para isso, foi induzida isquemia focal com inje??o estereot?xica de endotelina no estriado de ratos adultos, e nos animais controle apenas injetou-se solu??o salina est?ril. Os animais foram perfundidos 3, 7, 14 e 30 dias ap?s isquemia. O c?rebro removido, p?s-fixado, crioprotegido, cortado em criostato e os cortes obtidos submetidos ? investiga??o imunoistoqu?mica com os seguintes anticorpos: Anti-GFAP (1:2000,Dako), Anti-Tau-1 (1:500,Chemicon), Anti-MBP (1:100,Chemicon International), Anti-Nogo A (1:100,Invitrogen), Anti-Iba1 (1:1000, WAKO), Anti-ED1 (1:500, Serotec) e Anti-MHC-II (1:100 Abcam), al?m da visualiza??o do padr?o lesivo com violeta de cresila. As l?minas marcadas pelos diferentes m?todos foram avaliadas qualitativamente e algumas tamb?m quantitativamente (Anti-Nogo A, Anti-ED1, Anti-MHC-II e Anti-Tau-1), com contagens realizadas no estriado e no corpo caloso. Os dados foram tabulados, submetidos ? an?lise estat?stica pelo teste de Tukey (p<0,05) e capturadas micrografias dos achados mais representativos. As l?minas coradas com violeta de cresila revelaram um aumento da densidade celular pela infiltra??o de c?lulas inflamat?rias ? ?rea isqu?mica...

An?lise comparativa dos padr?es neurodegenerativos da subst?ncia cinzenta em diferentes ?reas corticais de ratos adultos submetidos ? les?o isqu?mica focal

SANTOS, Enio Maur?cio Nery dos
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
26.43%
O acidente vascular encef?lico (AVE) pode ocorrer em qual regi?o do Sistema Nervoso Central (SNC), sendo o c?rtex cerebral ? uma das regi?es mais frequentemente afetadas por essa desordem neural aguda, embora inexistam investiga??es que tenham comparado o padr?o lesivo em diferentes regi?es corticais ap?s isquemia focal de mesma intensidade. O objetivo desta investiga??o foi avaliar o padr?o degenerativo de diferentes ?reas corticais ap?s les?o isqu?mica focal. Para isso, induziu-se isquemia focal por microinje??es estereot?xicas de endotelina-1 (ET-1) nos c?rtices somest?sico, motor e de associa??o de ratos adultos (N=45). Nos animais controle injetou-se o mesmo volume de solu??o salina est?ril (N=27). Os animais foram perfundidos 1, 3, e 7 dias ap?s o evento isqu?mico. O enc?falo foi removido, p?s-fixado, crioprotegido e seccionado em criostato. A histopatologia geral foi avaliada em sec??es de 50 coradas pela violeta de cresila. Sec??es de 20?m foram submetidas ? imunoistoqu?mica para marca??o de astr?citos (anti-GFAP), micr?glia/macr?fagos ativados (anti-ED1) e microglia em geral (anti-Iba1). Avaliou-se os padr?es lesivos qualitativamente (por inspe??o em microsc?pio ?ptico) e quantitativamente (pela contagem do n?mero de c?lulas nos lados ipsi e contralateral ? les?o)...

Perda neuronal, ativa??o glial, neurog?nese e altera??es sens?rio-motoras ap?s isquemia focal no c?rtex somest?sico de ratos adultos

CORR?A, Vania Castro
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
46.97%
O Acidente vascular encef?lico (AVE) ? considerado uma das mais importantes causas de morte e perda funcional no mundo. Poucas condi??es neurol?gicas s?o t?o complexas e devastadoras, provocando d?ficits neurol?gicos incapacitantes ou ?bito nos sobreviventes. As regi?es corticais s?o comumente afetadas por AVE, o que resulta em perda sensorial e motora. O estabelecimento dos padr?es neuropatol?gicos em regi?es corticais, incluindo a ?rea somest?sica, ? fundamental para a investiga??o de poss?veis interven??es terap?uticas. No presente estudo, investigamos os padr?es de perda neuronal, microgliose, astrocitose, neurog?nese e os d?ficits funcionais no c?rtex somest?sico prim?rio de ratos adultos, submetidos ? les?es isqu?micas focais, induzidas por microinje??es de 40p Moles de endotelina-1 (ET-1). Foram utilizados 30 ratos (Rattus Norvegicus) da linhagem Wistar, adultos jovens, pesando entre 250-280g. Os animais foram divididos em grupos isqu?micos (N= 21) e controle (N=9). Os mesmos foram perfundidos nos tempos de sobrevida de 1, 3 e 7 dias. Os animais do grupo de 7 dias foram submetidos ? testes comportamentais para avaliar a perda de fun??o sens?rio-motora. Sec??es foram coradas pela violeta de cresila, citocromo oxidase e imunomarcadas para identifica??o neur?nios (anti-NeuN)...

Avalia??o neuropatol?gica da les?o estriatal em ratos machos e f?meas da linhagem lister hooded induzida experimentalmente por microinje??es de endotelina-1

SANTOS, Ijair Rogerio Costa dos
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.43%
A resposta inflamat?ria pode exacerbar o processo lesivo ap?s desordens neurais agudas. O dimorfismo sexual gerado pelas diferentes presen?as hormonais existentes entre macho e f?mea t?m demonstrado habilidades neuroprotetoras end?genas opostas, apresentando uma melhor preserva??o da integridade do tecido nervoso na f?mea, putativamente, devido ? presen?a dos horm?nios gin?genos. N?o existem investiga??es comparando como essa diferen?a pode afetar a resposta inflamat?ria durante o AVE. No presente estudo, investigaram-se as diferen?as nos processos inflamat?rios agudos do dimorfismo sexual de ratos adultos, de ambos os sexos, submetidos ? les?o isqu?mica aguda induzida por Endotelina (ET1) no corpo estriado. Seis grupos experimentais foram delineados: Animais machos de 24 horas de sobrevida (n= 8); machos de 72 horas de sobrevida de (n=8); machos de 7 dias de sobrevida (n=8); e f?meas de 24 horas de sobrevida (n= 8); f?meas de 72 horas de sobrevida de(n=8); f?meas de 7 dias de sobrevida. A an?lise histopatol?gica geral foi realizada em sec??es coradas pela violeta de cresila. Macr?fagos, astr?citos e neur?nios foram identificados por imuno-histoqu?mica com anticorpos espec?ficos para estas c?lulas inflamat?rias (ED1, anti-GFAP e Anti-NeuN...

Efeitos protetores da prolactina em cultivo glial de c?rtex de ratos expostos ao metilmerc?rio

SANTOS, Andr?a Cristina Monteiro dos
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
47.42%
O metilmerc?rio (MeHg) ? um composto comprovadamente neurot?xico cujos mecanismos degenerativos ainda n?o est?o bem esclarecidos. No sistema nervoso central o MeHg ? seq?estrado do interst?cio preferencialmente por astr?citos diminuindo a carga de exposi??o neuronal. Estudos in vitro demonstraram que a prolactina (PRL) possui efeitos mitog?nicos sobre astr?citos, al?m de regular a express?o de citocinas pr?-inflamat?rias. Este estudo teve por objetivo investigar efeitos protetores da prolactina sobre dist?rbios provocados por MeHg na viabilidade, morfologia, express?o de GFAP (glial fibrillary acidic protein), mitog?nese e libera??o de interleucina-1? (IL-1 ?) em cultivo glial de c?rtex cerebral de ratos neonatos focalizando as c?lulas astrogliais. A exposi??o a diferentes concentra??es de MeHg (0,1, 1, 5 e 10 ?M) a diferentes intervalos de tempo (2, 4, 6, 18 e 24 h) ocorreu em cultivos com 10% de soro fetal bovino (SFB). Os resultados obtidos demonstraram diminui??o progressiva de 20% e 62% da viabilidade celular ap?s exposi??o ?s concentra??es de 5 e 10 ?M MeHg no tempo de 24 h, respectivamente, pelo m?todo do 3-4,5-dimetiltiazol-2-yl)-2,5-difenil tetraz?lio bromide (MTT) e dist?rbios na express?o e distribui??o de GFAP. Diferentes concentra??es de prolactina (0.1...

Neurodegenera??o cr?nica em modelo murino: ensaios comportamentais e neuropatol?gicos na doen?a prion em f?meas adultas de camundongos albinos su??os

OLIVEIRA, Roseane Borner de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
26.97%
No presente trabalho implantou-se como modelo experimental para estudos de neurodegenera??o cr?nica a doen?a prion induzida pelo agente ME7 em f?mea adulta no camundongo Su??o albino. As altera??es comportamentais e neuropatol?gicas seguem de perto as previamente descritas para o camundongo C57BL/6j com duas exce??es: 1) o septum ao inv?s do hipocampo ? a regi?o onde se detectou mais precocemente o maior n?mero de microglias ativadas e astr?citos reativos e onde houve a maior redu??o de redes perineuronais nos est?gios iniciais da doen?a; 2) Em rela??o ao C57BL/6j o curso temporal da doen?a ? em m?dia 4 semanas mais longo (26 semanas) e os sintomas iniciais come?am a aparecer 4 semanas mais tarde (16 semanas) na variedade Su??a albina. Semelhante ao encontrado no C57BL/6j n?o se encontrou diferen?a nas estimativas do n?mero de neur?nios nos animais inoculados com o agente ME7 em rela??o aos inoculados com homogenado cerebral normal 15 e 1 8 semanas ap?s a inocula??o. A an?lise comparada do n?mero de microglias ativadas astr?citos reativos e redes perineuronais empregando o fracionador ?ptico revelou diferen?as significativas nos animais sacrificados na 15? em rela??o aos sacrificados na 18? semana p?s-inocula??o, com aumento do n?mero das primeiras e redu??o do n?mero das ?ltimas na 18? semana (teste T...

Caracteriza??o morfol?gica e antig?nica do v?rus Jurua??, isolado de morcego no estado do Par?

ARA?JO, Tais Pinheiro de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.43%
O v?rus Jurua?? (AN 401933) foi isolado a partir de um lote de v?sceras de um morcego capturado na regi?o de Porto Trombetas, munic?pio de Oriximin?, Estado do Par?, em 1982, sendo considerado um v?rus n?o grupado/ n?o classificado. O objetivo deste trabalho foi classificar o v?rus Jurua?? em um t?xon viral, baseando-se nas suas propriedades morfol?gicas, f?sico-qu?micas, antig?nicas e moleculares, bem como descrever as altera??es anatomo-patol?gicas associadas ? infec??o experimental. Camundongos rec?m-nascidos mostraram suscetibilidade ? infec??o pelo v?rus Jurua?? por inocula??o i.c., iniciando os sintomas com quatro dias p.i. e culminando com morte dos animais oito dias p.i.. O v?rus n?o ? sens?vel ? a??o do DCA e consegue aglutinar hem?cias de ganso em pH 5,75. Pelos testes de IH e FC, o v?rus n?o se relaciona com nenhum arbov?rus ou outros v?rus de vertebrados conhecidos testados, reagindo apenas com o seu soro hom?logo. O v?rus n?o causa ECP em linhagens de c?lulas Vero e C6/36, e IFI destas c?lulas tamb?m foi negativa. Entretanto, o v?rus Jurua?? replica em cultivo prim?rio de c?lulas do SNC de camundongo (astr?citos e microglias), confirmada por IFI com dupla marca??o. Cultivos de neur?nios n?o se mostraram suscept?veis ? infec??o pelo v?rus Jurua??...

Indu??o de plasticidade cerebral por remo??o da matriz extracelular ap?s les?o isqu?mica no c?rtex sens?rio-motor de ratos

SOARES, Soanne Chyara da Silva
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.97%
O acidente vascular cerebral (AVC) ? a terceira maior causa de mortalidade e incapacidade no mundo e a principal causa de mortes no Brasil. Ap?s a les?o isqu?mica, pela capacidade limitada do Sistema Nervoso Central (SNC) se regenerar, os d?ficits funcionais geralmente s?o incapacitantes e permanentes. A incapacidade de regenera??o decorre, dentre outros fatores, do ac?mulo de proteoglicanos de sulfato de condroitina (PGSC) no local da les?o, inibindo a plasticidade no microambiente extracelular. A enzima condroitinase ABC (ChABC) tem se mostrado eficiente para degradar os PGSC, proporcionando plasticidade. Esta pesquisa se prop?e a avaliar o efeito da remo??o de PGSC ap?s uma les?o isqu?mica no c?rtex sens?rio-motor prim?rio de ratos. Para tal, utilizou-se 20 ratos Wistar, em 4 grupos experimentais, controle e tratado, com tempo de sobrevida de 7 e 14 dias. Induziu-se uma les?o isqu?mica atrav?s de microinje??es do vasoconstritor ET-1 (Endotelina-1) no c?rtex sens?rio-motor, implantou-se um pol?mero de Etileno vinil acetato saturado com ChABC (tratado) ou BSA (controle). Morfologicamente, avaliamos a ?rea de les?o, que se mostrou sem diferen?a estat?stica entre grupo controle 7 dias (m?dia de 1653,8 ? 162,57mm?), tratado 7 dias (m?dia de 2067...

Redu??o do volume hipocampal, perda neuronal e altera??es gliais em ratos expostos cronicamente ao etanol da adolesc?ncia ? fase adulta

OLIVEIRA, Ana Carolina Alves de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.43%
O consumo de etanol (EtOH) ? considerado um problema de sa?de p?blica do Brasil e no mundo, sendo alvo de pesquisas epidemiol?gicas e de seus efeitos no organismo durante as v?rias etapas do desenvolvimento humano. Neste contexto, torna-se necess?rio o entendimento dos efeitos do EtOH no Sistema Nervoso Central, mais especificamente sobre a forma??o hipocampal, pois embora seja conhecida como uma estrutura particularmente sens?vel aos seus efeitos delet?rios do EtOH, os mecanismos subjacentes aos efeitos de exposi??o cr?nica s?o pouco estabelecidos. O presente estudo objetiva verificar quais as repercuss?es da exposi??o cr?nica ao EtOH em ratos, desde a adolesc?ncia at? a idade adulta, sobre os padr?es morfom?tricos e morfologia hipocampal. Ratos Wistar, f?meas, receberam EtOH por gavagem (6,5 g/kg/dia, 22,5% V/v), do 35? ao 90? dia p?s-natal, sendo comparado com grupo controle, o qual recebeu apenas ?gua destilada. Foi realizada an?lise morfom?trica e estereol?gica, bem como histoqu?mica e imunoistoqu?mica. Para a marca??o imunoistoqu?mica, utilizou-se os anticorpos Anti-NeuN, Anti-GFAP e Anti-Iba1. Verificou-se perda neuronal significativa em CA1 e hilo, com CA3, apresentando diminui??o n?o significante no n?mero de c?lulas Neu-N+. Tamb?m foi encontra redu??o significativa da popula??o microglial em todas as ?reas investigadas...

Mem?ria espacial e morfometria tridimensional da micr?glia de CA1 e do giro denteado do Cebus apella

SANTOS FILHO, Carlos
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
26.43%
O presente trabalho tem o intuito de Investigar poss?veis correla??es entre a morfologia da micr?glia do hipocampo e giro denteado e o desempenho cognitivo individual em teste de mem?ria espacial no Cebus apella. Devido ao bom desempenho do Cebus apella em tarefas cognitivas hipocampo-dependentes, utilizou-se testes selecionados da Bateria Cambridge de Testes Neuropsicol?gicos (CANTAB) utilizada previamente com sucesso tanto em primatas do Velho Mundo quanto em humanos. Empregou-se o teste motor de adapta??o a tela para checar a adapta??o dos indiv?duos ? tela sens?vel ao toque e o teste de aprendizado pareado (TAP) para avaliar aprendizado e mem?ria espacial. Para o estudo da correla??o entre o desempenho individual no TAP da bateria CANTAB e a morfologia da micr?glia, foi necess?rio reconstruir e analisar par?metros morfom?tricos selecionados a partir de micr?glias reconstru?das dos ter?os m?dio e externo da camada molecular do giro denteado e do lacunosum molecular de CA1, empregando microscopia tridimensional. A defini??o dos limites da forma??o hipocampal foi feita empregando-se crit?rios arquitet?nicos previamente definidos. Para imunomarca??o seletiva de micr?glias foi utilizado o anticorpo policlonal (anti-Iba1) dirigido contra a prote?na adaptadora ligante de c?lcio ionizado Iba-1. A partir de procedimentos de estat?stica multivariada identificou-se a ocorr?ncia de agrupamentos microgliais baseados em par?metros morfom?tricos que permitiram a distin??o de pelo menos dois grandes grupos microgliais em todos os indiv?duos. Os resultados comportamentais expressos em taxa de aprendizado e alguns dos par?metros morfom?tricos da micr?glia dos ter?os externo e m?dio da camada molecular do giro denteado revelaram significativas correla??es...

Estudo da neuropatologia induzida pelo v?rus Marab? em modelo murino

FARIAS, Alexandre Maia de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
47.25%
O v?rus Marab? (Be AR 411459) ? um Vesiculov?rus (VSV), membro da fam?lia Rhabdoviridae, isolado em 1983, de um pool de flebotom?neos capturado em Marab?-PA pela Se??o de Arbov?rus do Instituto Evandro Chagas. Na literatura pouco se tem sobre neuropatologia experimental induzida pelo v?rus Marab?, apesar dos 30 anos de isolamento. Um ?nico estudo, por?m, revelou que a infec??o viral em camundongos rec?m-nascidos provoca necrose e picnose em neur?nios em v?rias regi?es do sistema nervoso central (SNC) O objetivo do presente trabalho foi investigar a distribui??o do v?rus Marab? no SNC, a ativa??o microglial e astrocit?ria, aspectos histopatol?gicos; e a express?o de citocinas e ?xido n?trico (NO), na encefalite induzida pelo v?rus Marab? em camundongo BALB/c adultos. Para tanto, foram realizados processamentos de amostras para an?lise histopatologica; immunohistoqu?mica para marca??o de microglia, astr?citos e ant?geno viral; testes de quantifica??o de citocinas e NO; e an?lises estat?sticas. Os resultados demonstraram que os animais infectados (Ai) 3 dias ap?s a inocula??o (d.p.i.) apresentam discreta marca??o do ant?geno viral, bem como quanto a ativa??o de microglia e astr?citos no SNC. Por outro lado, nos Ai 6 d.p.i. a marca??o do ant?geno viral foi observada em quase todas regi?es encef?licas...

Influ?ncias do tamanho da ninhada e da atividade f?sica sobre a plasticidade glial na forma??o hipocampal em modelo murino

VIANA, Lane Coelho
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
46.97%
Estudos anteriores demonstraram efeitos importantes do estresse perinatal no desempenho cognitivo na vida adulta e durante o envelhecimento. Entretanto permanece por ser estudado em detalhe como o exerc?cio f?sico em diferentes fases da vida contribui para reduzir esses d?ficits. Isso ? particularmente verdadeiro quando se trata de documentar as altera??es da matriz extracelular e das c?lulas da glia, largamente ignoradas nesses estudos. Assim o objetivo geral do presente trabalho ? o de investigar as poss?veis influ?ncias do tamanho da ninhada e da atividade f?sica sobre a mem?ria de reconhecimento de objetos na vida adulta e poss?veis altera??es associadas ? plasticidade glial e da matriz extracelular da forma??o hipocampal em modelo murino. Para alcan?ar esses objetivos alteramos o tamanho da ninhada de ratos Wistar de modo a acentuar o grau de competi??o entre os filhotes por tetas funcionais e diminuir a quantidade de cuidado materno por indiv?duo. Durante o per?odo de aleitamento quantificamos o cuidado materno em ninhadas de diferentes tamanhos. Em v?rias janelas temporais submetemos grupos selecionados de sujeitos ao exerc?cio em esteira durante 5 semanas adotando o mesmo protocolo de treinamento. Ap?s o exerc?cio alguns grupos de animais adultos e senis foram submetidos ao teste de mem?ria de reconhecimento de objetos que ? dependente do hipocampo...

Enriquecimento ambiental reduz as altera??es astrocit?rias e a progress?o da doen?a prion em modelo murino: ensaios morfom?tricos, estereol?gicos e comportamentais

TORRES NETO, Jo?o Bento
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
47.62%
J? est? bem estabelecido que um estilo de vida sedent?rio ? fator de risco para uma s?rie de doen?as cr?nicas, dentre elas a doen?a de Alzheimer. A neuropatologia da doen?a de Alzheimer ? caracterizada por dep?sitos amil?ides, perda neuronal, gliose reativa e vacuoliza??o da neur?pila. A doen?a pr?on tem sido amplamente utilizada como modelo experimental para estudar aspectos celulares e moleculares da neurodegenera??o cr?nica em muito semelhante ?quela descrita na doen?a de Alzheimer. O ambiente empobrecido das gaiolas padr?o de laborat?rio tem sido usado para mimetizar um estilo de vida sedent?rio enquanto que o ambiente enriquecido tem sido empregado para mimetizar um estilo de vida ativo. Para testar a hip?tese de que o ambiente enriquecido pode contribuir para desacelerar o curso temporal da neurodegenera??o cr?nica associada ? doen?a pr?on em modelo murino induzimos a doen?a pr?on em vinte camundongos f?meas da variedade su??a albina que tinham sido alojadas aos seis meses de idade em ambiente enriquecido (EE) ou em ambiente padr?o (SE) durante cinco meses. Ap?s esse per?do foram realizadas cirurgias para inje??o estereot?xica intracerebral bilateral de homogendao de c?rebro de camundongo normal (NBH, n=10) ou de camundongo com sinais cl?nicos de doen?a pr?on terminal (ME7...

Surto de intoxica??o por sal em ovinos no estado do Par?

DUARTE, Marcos Dutra; BEZERRA J?NIOR, Pedro Soares; LIMA, Danillo Henrique da Silva; BOMJARDIM, Henrique dos Anjos; OLIVEIRA, Carlos Magno Chaves; SILVA, Nat?lia da Silva e; FAIAL, Kelson do Carmo Freitas; BARBOSA NETO, Jos? Diomedes
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
26.43%
O presente trabalho relata um surto de intoxica??o por sal em ovinos no Brasil, em uma propriedade no estado do Par?. De um total de 545 ovinos, oito animais adoeceram (1,46%) e quatro destes morreram (50%). A avalia??o das instala??es e do manejo indicaram como fatores predisponentes a ingest?o excessiva de mistura mineral e a restri??o h?drica. Os principais sinais cl?nicos foram dec?bito, diminui??o ou aus?ncia da sensibilidade cut?nea, aus?ncia dos reflexos de amea?a, palpebral e auricular, midr?ase, nistagmo, opist?tono, espasticidade de membros, sonol?ncia e estupor. Havia ainda, timpanismo, diarreia, taquipneia, taquicardia, desidrata??o e poli?ria. A evolu??o do quadro cl?nico nos animais que morreram variou de duas horas e meia a 48 horas. As m?dias das concentra??es s?ricas de s?dio e de pot?ssio de 31 ovinos do mesmo lote afetado pela intoxica??o, em amostras colhidas durante o surto, revelaram hipernatremia (190mEq/l) e hipercalemia (8,2mEq/l). ? necropsia, observou-se em um animal, achatamento das circunvolu??es cerebrais. Microscopicamente, neste animal, evidenciou-se vacuoliza??o moderada do neur?pilo, particularmente nas l?minas intermedi?rias do c?rtex cerebral, com aumento dos espa?os perineural e perivascular. Nessas ?reas foram observados ainda...