Página 1 dos resultados de 459 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Fungos associados às sementes de ipê-amarelo (Tabebuia serratifolia), ipê-roxo (Tabebuia impetiginosa), aroeira-pimenteira (Schinus terebinthifolius) e aroeira-salsa (Schinus molle): incidência, efeitos na germinação, transmissão para plântulas e controle; Associated fungi to ipê-amarelo seeds (Tabebuia serratifolia), ipê-roxo (Tabebuia impetiginosa), aroeira-pimenteira (Schinus terebinthifolius) and aroeira-salsa (Schinus molle): incidence, germination effects, seedling transmission and control.

Botelho, Luana da Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/01/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.92%
Os objetivos deste trabalho foram detectar e identificar os fungos presentes em amostras de sementes de ipê-amarelo (Tabebuia serratifolia), ipê-roxo (Tabebuia impetiginosa), aroeira-pimenteira (Schinus terebinthifolius) e aroeira-salsa (Schinus molle), coletadas em diferentes localidades (Piracicaba-SP, Mogi-Guaçu-SP, Rio das Pedras-SP, Ijaci-MG, Itumirim-MG e Lavras-MG) uma parte das amostras foram submetidas à assepsia e a outra não; verificar o efeito desses fungos na germinação dessas sementes; avaliar a transmissão de fungos das sementes para as plântulas; avaliar a patogenicidade de Pestalotiopsis sp. em mudas de aroeira-pimenteira e comparar o efeito de diferentes fungicidas (captam, carbendazim+tiram e carboxim+tiram) na incidência dos fungos e na germinação. Constatou-se que os fungos mais frequentes e em maior incidência encontrados associados às sementes, tanto de ipê-amarelo quanto de ipê-roxo, foram Cladosporium sp., Alternaria alternata, Epicoccum sp., Phoma sp., Geotrichum sp., Penicillium sp., Trichothecium sp., Phomopsis sp., Drechslera sp., Aspergillus spp., Curvularia sp. e Fusarium spp. De maneira geral, a assepsia proporcionou uma redução drástica de todos os fungos, em ambas espécies. Não houve diferença significativa na porcentagem de plântulas normais...

Efeito do extrato de aroeira no processo de proliferação e mineralização de osteoblastos in vitro; Effect of aroira extract in the process of proliferation and mineralization of osteoblasts in vitro

Matos, Adriana Arruda
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.79%
Em virtude do uso indiscriminado de antimicrobianos, a resistência de microrganismos patogênicos à diversas drogas tem aumentado nos últimos anos. Essa situação tem forçado pesquisadores a procurarem por novas drogas, tais como os medicamentos fitoterápicos que são preparações farmacêuticas (extratos, tinturas, pomadas e cápsulas) de ervas medicinais, utilizadas para o tratamento de inúmeras doenças. Uma das espécies brasileiras do cerrado que tem despertado o interesse de várias áreas é a aroeira (Myracrodruon urundeuva), por apresentar ação antiinflamatória, antiproliferativa, antioxidante e antimicrobiana. Dessa maneira o objetivo deste trabalho foi de avaliar o efeito do extrato hidroalcoólico de aroeira na viabilidade celular dos osteoblastos humanos e analisar a influência do extrato hidroalcoólico de aroeira na expressão de metaloproteinase de matriz 2 (MMP-2) e anquilose progressiva humana (ANKH). Nesse estudo foram utilizados osteoblastos humanos cultivados em Meio de Eagle modificado por Dulbecco (DMEM) adicionado de 10% de soro fetal bovino (SFB). Após atingirem a subconfluência as células foram plaqueadas e tratadas com diferentes concentrações do extrato hidroalcoólico de aroeira (Extrato Bruto; 1:10; 1:100; 1:1.000; 1:10.000). Após 24...

Avaliação energética e econômica da substituição de tubetes de plástico por tubetes biodegradáveis na produção de mudas de aroeira - Schinus terebinthifokius Raddi

Iatauro, Ricardo Antoniolli
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xii, 59 f. : il. color., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.47%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Agronomia (Energia na Agricultura) - FCA; Os tubetes ou células de germinação disponíveis hoje no mercado são de derivados do petróleo como o polietileno e o poliestireno tipo isopor, um recurso não renovável. Focalizando o mercado de produtos alternativos, anteriores pesquisas com subprodutos e resíduos agroindustriais resultaram em um material biodegradável com o qual foi possível confeccionar tubetes com volume reduzido (26 cm3) em relação aos convencionais (55 cm3). O objetivo do trabalho foi avaliar os tubetes biodegradáveis comparando-os com tubetes de polietileno através do sistema de produção de mudas de aroeira (Schinus terebinthyfolius Raddi), utilizando-se análise clássica de crescimento, porcentagem de germinação e sobrevivência das mudas e custo de produção operacional da fase de crescimento das mudas. Para estabelecer as comparações os tubetes biodegradáveis e seu material foram caracterizados quimicamente e, mecanicamente por ensaios de resistência à ruptura de corpos de prova por impacto, tração paralela e flexão. No viveiro estabeleceu-se o uso de 230 tubetes biodegradáveis e 230 de plástico...

Influência do extrato de araçá (Psidium cattleianum) e aroeira do sertão (Myracrodruon urundeuva) na prevenção à cárie em modelos animais

Menezes, Taís Elisabete Crivellaro de
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 52 f. : il. + 1 CD-ROM
POR
Relevância na Pesquisa
37.56%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Odontopediatria - FOA; O presente estudo teve como objetivos avaliar a capacidade dos extratos de araçá e de aroeira do sertão em interferir com a microdureza do esmalte dental de ratos submetidos a desafio cariogênico, bem como avaliar o efeito desses extratos sobre a microbiota cariogênica implantada desses animais, e seus possíveis efeitos colaterais. Sessenta ratos do tipo Wistar, divididos em 4 grupos, foram submetidos a desafio cariogênico (dieta NIH-2000) e, metade deles, à cirurgia para remoção das glândulas salivares maiores. Os grupos recebiam, como solução de hidratação, água (controle), extrato de araçá (diluído em água) ou extrato de aroeira (diluída em água). Coletas da microbiota bucal dos animais foram realizadas semanalmente e, após 53 dias, os animais foram sacrificados. Os dentes dos animas foram preparados e submetidos à análise de microdureza longitudinal do esmalte, assim como os órgãos vitais de alguns animais foram removidos e submetidos à análise histopatolágica. O modelo animal e as condições experimentais se mostraram adequadas para a caracterização dos efeitos dos extratos testados sobre a microdureza do esmalte e sobre a microbiota cariogênica...

Caracterizaçao dos taninos da aroeira-preta (Myracrodruon urundeuva)

Queiroz,Carla Regina Amorim dos Anjos; Morais,Sérgio Antônio Lemos de; Nascimento,Evandro Afonso do
Fonte: Sociedade de Investigações Florestais Publicador: Sociedade de Investigações Florestais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
Visando contribuir para a caracterização química de uma madeira nobre nativa e em extinção no Brasil, no presente trabalho estão apresentados os estudos de identificação e quantificação dos taninos da aroeira-preta (Myracrodruon urundeuva), uma espécie da família Anacardiaceae. Este estudo foi conduzido com base nos extratos acetona-água (AA) e metanol-água (MA), em que foram determinados os teores de fenóis totais e proantocianidinas. O teor de fenóis totais foi determinado pelo método Folin-Ciocalteau e pelo método azul-da-prússia modificado. Os valores encontrados para os métodos AA foram 19,1 e 24,7% e para MA, 20,2 e 22,8%, respectivamente. O teor de proantocianidinas foi determinado pelo método da vanilina, tendo alcançado no extrato AA 2,7% e no MA 16,7%. Não foram constatadas as presenças de antocianidinas nem de apigedinidinas, podendo haver 3-deoxi-proantocianidinas do tipo luteolinidinas. Por meio da cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE), foram identificados a fisetina e os ácidos gálico e elágico. Os resultados mostram que a aroeira-preta contém uma elevada quantidade de taninos, que podem contribuir para sua resistência natural à degradação.

Tratamento da vaginose bacteriana com gel vaginal de Aroeira (Schinus terebinthifolius Raddi): ensaio clínico randomizado

Amorim,Melania Maria Ramos de; Santos,Luiz Carlos
Fonte: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Publicador: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.62%
OBJETIVOS: testar a eficácia e a tolerância do gel de aroeira (Schinus terebinthifolius Raddi) para tratamento da vaginose bacteriana. MÉTODOS: quarenta e oito mulheres com vaginose bacteriana sintomática (de acordo com os critérios de Amsel) foram incluídas em ensaio clínico randomizado, duplo-cego, controlado, comparando-se o uso do gel vaginal de aroeira (25 casos) com placebo (23 casos). Os principais desfechos avaliados foram: taxa de cura, presença de lactobacilos na colpocitologia depois do tratamento e efeitos colaterais. Realizou-se análise estatística usando os testes chi2 e exato de Fisher, ao nível de significância de 5%. RESULTADOS: adotando-se os parâmetros clínicos de Amsel para vaginose bacteriana, a taxa de cura foi de 84% no grupo da aroeira e 47,8% no grupo placebo (p = 0,008). Observou-se freqüência significativamente maior de lactobacilos na colpocitologia entre as pacientes tratadas com aroeira (43,5%) em relação ao placebo (4,3%) (p = 0,002). Efeitos adversos relacionados ao tratamento não foram freqüentes em ambos os grupos. CONCLUSÕES: o presente estudo indica que o gel vaginal de aroeira é efetivo e seguro para o tratamento da vaginose bacteriana. Além disso, sugerem-se potenciais efeitos benéficos na flora vaginal.

Ocorrência do parasitóide Labena fiorii sp.n. (Hymenoptera, Ichneumonidae) em larvas de Hedypathes betulinus (Klug), broca da erva-mate e em Chydarteres striatus (Fabricius), broca da aroeira, (Coleoptera, Cerambycidae)

Graf,Vinalto; Marzagão,Márcia Ribeiro
Fonte: Sociedade Brasileira de Zoologia Publicador: Sociedade Brasileira de Zoologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1999 PT
Relevância na Pesquisa
37.19%
The borer beetle Hedypathes betulinus, plague of "erva-mate" (Ilex paraguariensis St. Hil., 1822), has been subject of study aiming its biological control. Larvae of this insect digs galleries in the stem and branches of this tree, difficulting its control. Labena fiorii sp.n. was found in branches of this tree, parasitizing larvae of Hedypathes betulinus in Teixeira Soares and in "aroeira" (Schinus sp.) in larvae of Chydarteres striatus (Fabricius, 1787) in Curitiba, Paraná, Brazil. Labena fiorii sp.n., from Paraná (Curitiba; Teixeira Soares) and Santa Catarina (Seara, Nova Teutônia) Brazil, is described.

Uso de óleo de aroeira-vermelha sobre o desempenho e a morfometria intestinal de frangos de corte

Silva,Maria Aparecida da; Pessotti,Bruna Mirelly de Sousa; Zanini,Surama Freitas; Colnago,Geraldo Luiz; Nunes,Louisiane de Carvalho; Rodrigues,Maria Regina Alves; Ferreira,Larissa
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.74%
Avaliou-se a utilização do óleo essencial extraído dos frutos de aroeira-vermelha (Schinus terebinthifolius Raddi) na dieta de frangos de corte sobre o desempenho e a morfometria intestinal. Utilizaram-se 240 pintos de um dia de idade, machos, da linhagem Cobb, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado em grupos de cinco tratamentos e quatro repetições: sem antibiótico e anticoccidiano (controle negativo); com antibiótico e anticoccidiano (controle positivo); com 0,1% de óleo de aroeira; com 0,2% de óleo de aroeira; e com 0,4% de óleo de aroeira. O consumo de ração, peso corporal e conversão alimentar foram influenciados significativamente pelos tratamentos (P<0,05). As aves tratadas com promotor de crescimento (antibiótico) tiveram desempenho superior ao desempenho das aves não tratadas (P<0,05). De 1-21 dias de idade, a adição de 0,4% de óleo de aroeira resultou em melhoria na conversão alimentar e maior ganho de peso (P<0,05). De 22-47 dias de idade, observou-se que, independente do nível de adição de óleo de aroeira, sua utilização resultou em maior ganho de peso e peso final (P<0,05) e maior altura de vilosidades no jejuno das aves alimentadas com óleo de aroeira comparadas com as aves tratadas com controle negativo (P<0...

Indução, caracterização bioquímica e ultra-estrutural de calos de aroeira-do-sertão (Myracrodruon urundeuva Fr. All.)

Vasconcelos,J.N.C.; Cardoso,N.S.N.; Oliveira,L.M.; Santana,J.R.F.; Fernandez,L.G.; Bello Koblitz,M.G.; Silva,M.L.C.
Fonte: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais Publicador: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
A aroeira-do-sertão (Myracrodruon urundeuva Fr. All.) é espécie arbórea que apresenta grande valor econômico devido às propriedades químicas da casca com elevado teor de taninos. Em decorrência da exploração predatória encontra-se inserida na lista oficial de espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção na categoria vulnerável. A micropropagação vem sendo colocada como importante forma de multiplicação dessa espécie, na busca de alternativa para a exploração sustentável. Este trabalho foi realizado com o objetivo de induzir calos a partir de segmentos foliares usando 2,4-D e caracterizá-los quanto aos aspectos morfológicos e bioquímicos. Os resultados obtidos indicam que é possível induzir calos a partir de segmentos foliares de aroeira-do-sertão utilizando-se 2,4-diclorofenoxiacético (2,4-D). Os calos obtidos foram compactos e não-embriogênicos, apresentando valores médios de 43,32 mg g-1 de açúcares solúveis totais; 23,62 mg g-1 de açúcares redutores; 3,157 mg g-1 de proteína total; 3,147 mg g-1 de aminoácidos livres e 0,914 mg g-1 de compostos fenólicos totais na matéria fresca.

Tempo de destilação e perfil volátil do óleo essencial de aroeira da praia (Schinus terebinthifolius) em Sergipe

Oliveira,L.F.M.; Oliveira Jr,L.F.G.; Santos,M.C.; Narain,N.; Leite Neta,M.T.S.
Fonte: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais Publicador: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.62%
Aos frutos e óleos essenciais da aroeira da praia (Schinus terebinthifolius) atribui-se atividade antimicrobiana sobre bactérias gram positivas além de ação anti-inflamatória. O óleo essencial da aroeira é utilizado no tratamento de micoses, sendo a sua atividade antifúngica atribuída à alta concentração de monoterpenos. Este estudo teve como objetivo determinar o melhor rendimento de destilação de óleo essencial de sementes e folhas da aroeira e os componentes químicos do óleo essencial nos diversos períodos de destilação. Cem gramas de cada material foram destilados em aparato de Clevenger durante 2,5h, 4,0h, 5,5h e 7,0h. O material destilado foi analisado por cromatografia a gás acoplada a espectrofotômetro de massas, onde foi obtido o perfil cromatográfico do material. As sementes de aroeira apresentaram maiores quantidades de óleo essencial, quando comparadas com as folhas em todos os períodos de destilação. O óleo essencial de aroeira mostrou perfil volátil formado principalmente por mono e sesquiterpenos.

Medicamentos Fitoterápicos na odontologia: evidências e perspectivas sobre o uso da aroeira-do-sertão (Myracrodruon urundeuva Allemão)

Machado,A.C.; Oliveira,R.C.
Fonte: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais Publicador: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.56%
Nas pesquisas com fitoterápicos o uso popular pode sugerir espécies potencialmente importantes, porém, faz-se necessário uma série de estudos, entre eles, a identificação de espécies com comprovada ação farmacológica e/ou substâncias biologicamente ativas. O uso de fármacos fitoterápicos na prática clínica, tratamento e prevenção de afecções de menor severidade vêm sendo reconhecido pelo SUS ultimamente. Apesar da utilização de plantas medicinais na odontologia ser ainda pouco explorada, existe pesquisa científica sobre os efeitos antimicrobiano, analgésico e antinflamatório de algumas espécies, entre elas: óleo de copaíba, extrato de romã, cravo da Índia, malva, tanchagem, amoreira, sálvia, e camomila. Nesta revisão o objetivo foi reunir informação sobre o potencial da aroeira-do-sertão (M. urundeuva All), planta utilizada na medicina tradicional nordestina e em alguns países da América do Sul, como fitoterápico na odontologia. Os extratos de aroeira são obtidos através do preparo das folhas, raízes, entrecasca e casca do tronco e galhos. Da casca de M. urundeuva já foram isoladas: chalconas diméricas: urundeuvina A, B, C, e matosina. Encontramos pesquisas sobre os seguintes efeitos da aroeira-do-sertão: ação antimicrobiana; antiinflamatória/cicatrizante no tratamento de ferimentos; gastrites; úlceras gástricas; cervicites; vaginites e hemorróidas. A aroeira conta com bons resultados em pesquisas que avaliaram o controle de microorganismo relacionado à patologias bucais...

Quantificação das substâncias fenólicas totais em órgãos da aroeira Schinus Terebenthifolius (RADDI)

Queires,Luís Carlos Soares; Rodrigues,Luiz Erlon Araujo
Fonte: Instituto de Tecnologia do Paraná - Tecpar Publicador: Instituto de Tecnologia do Paraná - Tecpar
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1998 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
The "aroeira" (Schinus terebenthifolius, RADDI), known as a toxic plant is actually very used in popular medicine, mainly in the treatment of general inflammatory processes. Many of its properties or of its curative effects may be attributed to the different polyphenols that belong to its structural constitution. In this work we have demonstrated that the distribution of total phenols was different in the several organs of the "aroeira", such as leaves, flowers, fruits and stem. The importance of these substances for the plant physiology and defense mechanisms, their ecological relationships and some therapeutic uses were also discussed. The correlation between the polyphenol properties and the metabolism of animal cells, suggest special attention when the infusions or hydroalcoholic extracts, obtained from that plant, are used in humans.

Efeito do armazenamento em diferentes temperaturas e de embalagens na germinação de sementes de Aroeira-do-Sertão

LÚCIO, A. A.; LOPES, A. P.; SILVA, F. F. S. da; PEREIRA, M. S.; DANTAS, B. F.
Fonte: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMI-ÁRIDO, 1., 2006, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semi-Árido, 2006. p 21-25. Publicador: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMI-ÁRIDO, 1., 2006, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semi-Árido, 2006. p 21-25.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.36%
A caatinga, o mais importante bioma do Semi-Árido nordestino, encontra-se ameaçado. As sementes representam a forma mais segura de preservação de espécies que estão na lista de extinção. Por essa razão, foi feito um experimento, no Laboratório de Análises de Sementes da Embrapa Semi-Árido, Petrolina-PE, com o objetivo de avaliar o comportamento fisiológico das sementes de aroeira-do-sertão (Myracrodruon urundeuva M. Allem) em diferentes embalagens e temperaturas de armazenamento. As sementes foram coletadas em plantas matrizes em área do Campo Experimental da Caatinga, na Embrapa, em seguida processadas e armazenadas em duas embalagens (sacos de plástico e de papel), sob três condições distintas: câmara fria (10°C), câmara de germinação (20°C) e ambiente (30°C), durante 3 e 6 meses. Antes e após os períodos de armazenamento, as sementes foram avaliadas quanto à germinação (%) e teor de água. Com base nos resultados obtidos, pode-se concluir que a qualidade fisiológica das sementes de aroeira-do-sertão, armazenadas a 20°C/ 91% UR e na embalagem de papel, é altamente comprometida pelo ataque de fungos, devido ao aumento do teor de água.; 2006

Efeito de diferentes substratos no desenvolvimento de aroeira-vermelha (Schinus terebinthifolius Raddi).

CAVALCANTI, N. de B.; BRITO, L. T. de L.
Fonte: Engenharia Ambiental, Espírito Santo do Pinhal, v. 6, n. 3, p. 320-332, 2009. Publicador: Engenharia Ambiental, Espírito Santo do Pinhal, v. 6, n. 3, p. 320-332, 2009.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.56%
Foram testados diferentes substratos, com o objetivo de verificar os que proporcionam melhores condições para o desenvolvimento de mudas de aroeira-vermelha (Schinus terebinthifolius Raddi), O delineamento experimental utilizado foi em blocos ao acaso com cinco substratos (areia, solo, areia + solo, areia + esterco de bovino e areia + solo + esterco de bovino, sendo as combinações em proporções de 50% de cada material) em quatro repetições. O trabalho foi realizado de setembro de 2007 a dezembro de 2008, em temperatura ambiente, na Embrapa Semi-Árido, em Petrolina, PE. Foram realizadas as avaliações aos 360 dias após o plantio. Em relação ao desenvolvimento do sistema radicular das mudas de aroeira-vermelha, verificou-se que no substrato com areia + esterco e areia + solo + esterco, todas as mudas apresentaram os maiores valores em termos de comprimento. O crescimento em altura das mudas foi influenciado pelos diferentes substratos analisados. Entre os substratos, o melhor foi o com areia + esterco de bovino, que provocou maior crescimento das plantas e a maior produção de matéria seca.; 2009

Processo germinativo e teor de proteínas em plântulas de aroeira-do-sertão (Myracrodruon urundeuva Fr. All.) germinadas em água biossalina.

RAMOS, D. L. D.; SANTOS, R. S.; MATIAS, J. R.; REIS, R. C. R.; DANTAS, B. F.
Fonte: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMIÁRIDO, 7.; JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACEPE/UNIVASF, 1., 2012, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semiárido, 2012. Publicador: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMIÁRIDO, 7.; JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACEPE/UNIVASF, 1., 2012, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semiárido, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; p. 359-366.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Myracrodruon urundeuva Fr. All. é uma espécie arbórea nativa que apresenta excelentes propriedades físicas, químicas e biológicas. Contudo, por causa da exploração predatória, está na lista oficial das espécies brasileiras ameaçadas de extinção. O objetivo deste trabalho foi avaliar a germinação e o teor de proteínas em plântulas de aroeira-do-sertão em água biossalina. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com cinco concentrações de água biossalina (0%, 33%, 50%, 67% e 100%) diluída em água destilada, com quatro repetições de 50 sementes. As sementes foram distribuídas em papel germitest, umedecido com soluções de água biossalina e os rolos obtidos foram mantidos em germinador tipo BOD a 25 °C durante 10 dias. Foram avaliados a porcentagem (G%), tempo médio (TMG), velocidade média (VMG) e índice de velocidade de germinação (IVG) das sementes, bem como o teor de proteínas das folhas e do eixo hipocótilo/raiz das plântulas. Observou-se que a água biossalina não alterou a germinação das sementes de aroeira. Entretanto, o TMG, VMG e IVG das sementes foram prejudicados com concentrações maiores que 50% de água biossalina. O teor de proteínas totais das plântulas a 7 e 13 dias apresentaram respostas diferentes em água biossalina.; 2012

Diversidade genética e RNAdf de isolados de Colletotrichum spp. endofíticos da planta medicinal Schinus terebinthifolius Raddi (Aroeira)

Lima, Jociney dos Santos
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.36%
Resumo: A aroeira (Schinus terebinthifolius Raddi), uma Anacardiaceae, arbórea comum na América do Sul e conhecida como aroeira-vermelha, possuem importância comercial por se tratar de uma planta com propriedades medicinais, fitoquímicas e alimentícias, pelo consumo de seus frutos a pimenta rosa. Foi relatada a existência de variação na produção de princípios ativos entre plantas localizadas no Campus Politécnico da UFPR (com produção) e a plantas localizadas em Guaraqueçaba (BOROS, 2007). O gênero Colletotrichum é frequentemente isolado como endófito sendo um dos gêneros dominantes, além disso, também inclui alguns dos principais fungos fitopatogênicos principal agente das antracnoses e causa prejuízos econômicos em plantações por todo o mundo. Espécies deste gênero são de difícil identificação. Pileggi et al. (2008) sugeriram a rápida separação das espécies de Colletotrichum gloeosporioides e C. boninense por meio de características morfológicas. Foram isolados microrganismos endofíticos das plantas de Schinus terebinthifolius Raddi com variação na produção de fitoquímicos. Verificou-se que as plantas analisadas são colonizadas por uma grande variabilidade de microrganismos endofíticos...

Aspectos fisiológicos de aroeira (Shinus Terebinthifolius Raddi), sob níveis distintos de saturação hídrica em ambiente protegido, e área ciliar em processo de recuperação

Grisi, Fernanda Almeida
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.71%
Diante da grande importância dos ecossistemas ciliares e da necessidade de estudos abrangentes que envolvam características morfoanatômicas, ecofisiológicas, nutricionais e crescimento de espécies arbóreas nativas, o objetivo geral desta tese foi ampliar os conhecimentos sobre os mecanismos adaptativos da aroeira-vermelha (Schinus terebinthifolius Raddi), mediante do estudo de vários aspectos fisiológicos, visando uma melhor compreensão das estratégias desenvolvidas por esta espécie. Dessa forma, vindo a contribuir com dados que auxiliem os projetos de recuperação de matas ciliares no que diz respeito ao comportamento desta espécie em áreas onde é comum ocorrer variações no estado hídrico dos solos. Para tanto, esses estudos foram realizados em ambiente ciliar e em ambiente protegido. Na área de revegetação ciliar em processo de recuperação, localizada na região metropolitana de Curitiba às margens da Represa Iraí, caracterizou-se o comportamento de aroeira-vermelha em relação aos aspectos utricionais e ecofisiológicos. Os teores de nutrientes foliares da espécie em estudo foram satisfatórios. Foram descritas as características físico-químicas nas camadas superficiais do solo. Aos dois anos de implantação...

Propagação vegetativa de aroeira schinus terebinthifolius Raddi Canela Sassafras Ocotea pretiosa Benth & Hook e cedro Cedrela fissilis Vellozo atraves de estacas radicais e caulinares

Rodrigues, Valdemir Antonio, 1956-
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.47%
A presente pesquisa teve a finalidade de avaliar o enraizamento de estacas radiciais e caulinares de três espécies florestais nativas: aroeira [ Schinus terebinthlfolius Raddi); canela sassafrás [ Ocotea pretiosa Benth & Rook); e cedro [Cedrela fissilis Vellozo), agrupadas em três classes diamétricas, em condições de viveiro parcialmente controladas de telado, sombrite 501., ap6s tratamentos com promotores do enraizamento. Os testes foram realizados em duas épocas do ano [outono/inverno e primavera/verão) e observados durante 4 meses. As estacas foram cortadas nas seguintes dimensões: 10 cm de comprimento e 0.4 a 3.2 cm de diâmetro e com 20 cm de comprimento e 0.4 a 2.4 cm de diâmetro, respectivamente para as estacas radiciais e caulinares. As estacas foram tratadas com acido indol-butírico [AIE] e ácido naftaleno-acetico [ANA), na forma de pó em três dosagens 500, 1000 e 1500 ppm. O substrato utilizado foi um composto de vermiculita, areia grossa peneirada e terra preta peneirada na proporções 2:2:1. Os tratamentos auxínicos [AIS e ANA] não apresentaram resultados satlsfat6rlos em todos os testes realizados. Os sub-tratamentos, que são as estacas de diâmetros distintos [fino, médio e grosso) tiveram resultados satisfat6rlos. As estacas radiciais de aroeira plantadas na época do outono não brotaram e nem enraizaram; as caulinares finas...

Avaliaçao do extrato de aroeira (Schinus terebinthifolius Raddi) no processo de cicatrizaçao de gastrorrafias em ratos

Santos, Orlando José dos
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.62%
Resumo: A gastrorrafia isolada ou associada ao uso de adesivos biológicos constituiu ao longo dos séculos e da história da cirurgia a forma usual de promover a cicatrização nas lesões gástricas, entretanto, o uso de fitoterápico tem sido cada vez mais empregado nas rafias gástricas para estabelecer uma cicatriz melhor; Objetivo: o presente estudo tem por objetivo avaliar a cicatrização de ferida provocada no estômago de ratos com uso do extrato hidroalcoólico de aroeira {Schinus terebinthifolius Raddi); Material e Metodo: Foram utilizados 40 ratos, adultos, machos, distribuídos em dois grupos de vinte animais, denominados: grupo aroeira (GA) e grupo controle (GC), cada grupo foi dividido em dois subgrupos (SG) de dez animais conforme o momento das mortes dos animais, (três e sete dias); Em cada animal foi realizado o mesmo procedimento cirúrgico, ou seja, lesão do estômago e gastrorrafia com fio polipropileno (prolene®) 6-0, diferindo apenas que os animais do grupo aroeira receberam dose única de 100mg/kg do extrato hidroalcóolico via intraperitoneal no dia do procedimento e aqueles do grupo controle a mesma quantidade em mililitros (ml) de solução salina isotônica. Os parâmetros avaliados foram: alterações macroscópicas...

Greenhouse mass rearing of a defoliating sawfly for biological control of brazilian peppertree.; CRIAÇÃO DA VESPA-DA-AROEIRA EM CATIVEIRO PARA O CONTROLE BIOLÓGICO DA AROEIRA-MANSA

Pedrosa-Macedo, José Henrique; Poulmann, Wagner; Stolle, Lorena; Ukan, Daniele; Cuda, James P.; Medal, Julio C.
Fonte: FUPEF DO PARANÁ Publicador: FUPEF DO PARANÁ
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 12/03/2007 POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Brazilian peppertree, Schinus terebinthifolius Raddi (Anacardiaceae), is a perennial woody plant native to South America. Introduced into Florida, USA, as a landscape ornamental in the late 19th century, its plasticity and lack of natural enemies became this species a threat to the Florida natural flora,including the Everglades. Although a broad array of control methods (e.g., legal, mechanical, physical and chemical) is available to manage existing stands of Brazilian peppertree, there is general agreement among public and private land managers that biological control can provide an environmentally acceptable, cost effective, and permanent solution to this problem. The biology, ecology and host range of the sawfly Heteroperreyia hubrichi Malaise, 1956 (Hymenoptera: Pergidae), a candidate for biological control of Brazilian peppertree, has been studied for over decade in Brazil, Florida and Hawaii. The population dynamics of the sawfly were studied in Brazil between 2003 and 2004, and the results were compared with previous studies. Because the larvae enter the soil to pupate, two different substrates (vermiculite and natural sand) were tested for their ability to minimize disease problems and facilitate collection of pupae for export to Florida. The result of this study showed that vermiculate was the best substrate for maximizing sawfly pupation.; A aroeira-mansa...