Página 1 dos resultados de 336 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Gravidez e Transição para a Maternidade na Adolescência Determinantes individuais e psicossociais da ocorrência de gravidez e da adaptação. Estudo com adolescentes da Região Autónoma dos Açores.

Araujo Pedrosa, Anabela
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
36.59%
Enquadramento. A importância das características individuais, mas também dos contextos históricos, culturais e sociais nos quais aquelas se desenvolvem e expressam, bem como a diversidade possível de percursos desenvolvimentais com que o indivíduo se depara, emerge com grande evidência quando nos debruçamos sobre o estudo da gravidez e maternidade na adolescência; alvo de grande atenção científica e política nas últimas décadas, surge-nos como uma intrincada tapeçaria onde se entrelaçam dimensões pessoais, interpessoais, socioeconómicas, éticas e mesmo religiosas. Embora as concepções deterministas sobre a fatalidade da maternidade na adolescência para o desenvolvimento posterior das mães e das crianças venham sendo postas em causa pelos resultados dos estudos enquadrados nas perspectivas ecológicas, e nomeadamente no macroparadigma da Psicopatologia do Desenvolvimento, é ainda irrefutável que a sua ocorrência pode ampliar vulnerabilidades prévias e dificultar a prossecução de trajectórias favoráveis de adaptação, para as jovens que engravidam e para os seus filhos. Apesar dos dados disponíveis apontarem para um decréscimo significativo das taxas de nascimentos de mães adolescentes no nosso país...

Gravidez e maternidade na adolescência: um estudo no Município de Uberaba Estado de Minas Gerais - Brasil

Reis, Lyria Maria dos
Fonte: Universidade Aberta de Portugal Publicador: Universidade Aberta de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
36.46%
Dissertação de Mestrado em Comunicação em Saúde apresentada à Universidade Aberta; Trata-se de um estudo sobre a gravidez e a maternidade na adolescência no município de Uberaba, estado de Minas Gerais, Brasil. A gravidez e a maternidade na adolescência são considerados um problema de saúde e social nos países ocidentais desenvolvidos, que pode afectar a saúde das jovens, dos seus filhos e o seu percurso de vida. O número de nados vivos de mães adolescentes em Uberaba no ano de 2005 foi de 700 bebés, uma percentagem de 18,59% do total de nados vivos do município. O objectivo geral deste estudo foi conhecer e compreender a realidade da gravidez e maternidade na adolescência, nas diferentes dimensões de saúde, socioeconómicas e culturais no município de Uberaba. O enquadramento teórico incidiu sobre a saúde, seus determinantes e desenvolvimento humano; sobre a adolescência, sua construção ao longo dos tempos e as transformações biológicas e psicológicas que ocorrem nesta fase da vida; sobre a sexualidade, a contracepção e a comunicação em saúde e educação sexual e sobre a gravidez e a maternidade na adolescência nas diferentes dimensões sanitárias, psicossociais, económicas e culturais no município de Uberaba. O estudo empírico comporta duas partes: a primeira...

Adolescência e maternidade: analisando a rede social e o apoio social; Adolescence and motherhood: understanding the social network and social support

Braga, Iara Falleiros
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.8%
Estudo qualitativo que objetivou analisar a rede social e o apoio social, disponíveis e acessíveis, durante a maternidade, na adolescência. Participaram da pesquisa 20 adolescentes que estavam vivenciando a maternidade, em um distrito de saúde em um município, no interior de São Paulo. Para a coleta de dados, utilizaram-se entrevistas semiestruturadas, diário de campo e a elaboração de um mapa de rede. Os resultados foram agrupados, de acordo com a análise de conteúdo temática, em quatro núcleos temáticos. "Tendo o apoio da minha mãe, já tá bom"; "Depois que eu descobri, fiz o pré-natal certinho"; "Não, não trabalho e nem estudo" e "Foi difícil, mas foi bom". O núcleo temático "Tendo o apoio da minha mãe, já tá bom" evidenciou a família, principalmente a mãe sendo fonte central do apoio social. Este núcleo também traz outras relações significativas para as adolescentes, como os amigos e o companheiro. O núcleo "Depois que eu descobri, fiz o pré-natal certinho" expressa o acesso à rede de serviços de saúde, principalmente os de tecnologia dura, que foi concretizado à medida que as adolescentes usufruíram as tecnologias para a realização do pré-natal. O núcleo "Não, não trabalho e nem estudo" revela as fragilidades da rede e do apoio social...

Maternidade na adolescência: o apoio social da família para o cuidado materno e autocuidado na perspectiva das adolescentes; Teenage motherhood: the familiar social support to the maternal health care and self care from the teenagers´ perspective

Laudade, Lígia Gonzaga Ramos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.83%
A gravidez na adolescência é uma importante temática em saúde pública por relacionar-se à saúde sexual e reprodutiva das adolescentes, exigindo que a jovem mãe adquira responsabilidade e habilidades para o cuidado materno e o autocuidado. Apresenta-se como um momento difícil, pois requer reestruturação pessoal e social, sendo o apoio familiar fundamental para a superação das adversidades, permitindo que a mãe adolescente possa ser a protagonista de sua história. O presente estudo tem como objetivo analisar o apoio social no contexto da família, considerando o perfil estrutural e funcional da família de puérperas adolescentes frente à maternidade, especificamente no cuidado materno e no autocuidado no puerpério. Utiliza-se a abordagem quantitativa para análise da rede social, segundo o Modelo de Escolta Social. Para compreender o significado das vivências da maternidade pelas adolescentes e o apoio social recebido para o cuidado materno e autocuidado, utiliza-se a abordagem qualitativa. Foram realizadas entrevistas com puérperas adolescentes, analisadas por meio da técnica de análise e interpretação de sentidos, sobre a perspectiva teórica do apoio social. A maioria das adolescentes era primípara...

Experiência da maternidade no contexto do HIV/AIDS aos três meses de vida do bebê

Gonçalves, Tonantzin Ribeiro
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.57%
O estudo investigou a experiência da maternidade em portadoras do HIV/Aids aos três meses de vida do filho/a. Participaram do estudo seis mães com idades entre 19 e 30 anos, de nível sócio-econômico baixo, recrutadas em uma Unidade de Saúde referência para HIV/Aids da Grande Porto Alegre. Três destas mães engravidaram sabendo que já eram portadoras da doença, enquanto as demais ficaram sabendo apenas na hora do parto ou logo após. Cada mãe respondeu a uma entrevista estruturada, realizada de forma semi-dirigida, e a um questionário sobre sua saúde e acompanhamento médico. Os relatos das participantes sobre a maternidade foram examinados através de uma análise de conteúdo qualitativa baseada em quatro eixos teóricos derivados da literatura: vida-crescimento, relacionar-se primário, matriz de apoio e, reorganização da identidade. Os resultados mostraram que as mães tinham muitas preocupações com a possibilidade de infecção do filho/a e com a saúde do bebê, além de sentimentos de incerteza quanto ao futuro, culpa e medo do preconceito. Estes temores pareciam mais intensos para as três mães que tiveram seu diagnóstico no momento do nascimento do filho/a. O estigma do HIV/Aids, a presença de conflitos familiares...

Experiência da maternidade no contexto do HIV/Aids aos três meses de vida do bebê; Motherhood Experience in the Context of HIV/Aids in the Third-Month-Baby

Gonçalves, Tonantzin Ribeiro; Piccinini, Cesar Augusto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.42%
O estudo investigou a experiência da maternidade em portadoras do HIV/Aids aos três meses de vida do filho/a. Participaram seis mães (19 a 30 anos), de nível sócio-econômico baixo, três das quais já eram portadoras da doença quando engravidaram, enquanto as demais souberam no parto. As mães foram entrevistadas e suas respostas foram examinadas por meio de uma análise de conteúdo qualitativa baseada em quatro eixos teóricos: vida-crescimento, relacionar-se primário, matriz de apoio e reorganização da identidade. Os resultados mostraram que as mães tinham muitas preocupações com a possibilidade de infecção do filho/a e com a saúde do bebê, além de sentimentos de incerteza quanto ao futuro, culpa e medo do preconceito. Esses temores pareciam mais intensos para as mães que tiveram seu diagnóstico no parto. O estigma do HIV/ Aids, conflitos familiares, dificuldades com o diagnóstico e o tratamento, além de restrições sócio-econômicas e em sua rede de apoio exigiam grande esforço emocional dessas mulheres, sugerindo a necessidade de intervenções psicossociais visando à adesão ao tratamento, à qualidade de vida e ao desenvolvimento do bebê.; This study investigated motherhood experience in HIV-positive women on the third-month-baby. Six mothers...

Maternidade adolescente; Adolescent motherhood

Levandowski, Daniela Centenaro; Piccinini, Cesar Augusto; Lopes, Rita de Cassia Sobreira
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.46%
A maternidade adolescente impõe à jovem novas demandas familiares, educacionais e laborais, além daquelas próprias da adolescência. O objetivo deste trabalho foi revisar estudos sobre a gravidez e a maternidade adolescente, com base em cinco temas: fatores associados à gravidez adolescente, impacto para a jovem, vivência da maternidade, interação mãe-bebê e apoio familiar. Em cada tema, os estudos foram analisados e comparados quanto aos aspectos metodológicos e seus principais achados, o que revelou diversos aspectos contraditórios. Grande parte dos estudos é descritiva, com delineamento transversal e quantitativo, comparando adolescentes e adultas, revelando uma vivência predominantemente negativa da gravidez e da maternidade. Já os estudos qualitativos indicam alguns aspectos positivos. Relatos negativos foram particularmente comuns na gestação, ocorrendo uma adaptação da jovem à maternidade após o nascimento do bebê. Sugere-se que a gravidez e a maternidade na adolescência sejam mais bem examinadas no contexto nacional, para a elaboração de intervenções e políticas públicas que contemplem a heterogeneidade deste grupo.; Adolescent motherhood is a complex situation, which entails new family, educational and work demands for adolescents besides the usual demands of adolescence itself. The aim of this work was to review studies concerning pregnancy and adolescent motherhood. The studies were grouped around five themes: factors associated with adolescent pregnancy...

Experiências na maternidade de primíparas tardias: um estudo qualitativo

Jacobsen, Eliana de Andrade Flores
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.44%
Este estudo propõe-se discutir a vivência da primiparidade tardia, ou seja, a primeira gravidez a partir dos 35 anos de idade. Para isto, foram selecionadas 3 mulheres, dentro de um grupo de 15 primíparas que responderam ao anúncio feito nas redes sociais para a participação deste estudo. As participantes são de nacionalidades portuguesa e brasileira, que tiveram seus filhos com idades entre os 41 e os 45 anos. A análise das narrativas das participantes com o uso do método fenomenológico permitiram identificar algumas unidades de significados que geraram dez constituintes essenciais, que são: (1) Significado de ser mãe; (2) Adiamento da maternidade; (3) Vivência na gravidez; (4) Corpo grávido; (5) A idade e a maternidade; (6) Representação do parto; (7) Vivência da maternidade; (8) Apoio recebido; (9) A sexualidade e (10) O trabalho e a maternidade. De uma forma geral, a experiência da maternidade tardia neste estudo é vista como positiva e não foi considerada tardia, mas o momento ideal ou mais apropriado; ABSTRACT: Experiences in delayed motherhood of primiparous: a qualitative study This study proposes to discuss the experience of the late primiparity, a first pregnancy from the age of 35 years old. For this...

Empowerment da grávida : Fatores de capacitação para a maternidade

Silva, Daniela Neves
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 28/10/2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.65%
Enquadramento: À gravidez associam-se grandes transformações físicas e psicossociais, é um período repleto de sentimentos ambíguos, dúvidas e receios, que determinam a constituição da maternidade. No terceiro trimestre, fatores sociodemográficos, obstétricos e psicossociais parecem influenciar a autonomia, autoeficácia e poder de decisão da grávida, portanto, a sua capacitação para o parto e maternidade. Torna-se pertinente perceber a relação entre estes fatores e o empowerment da grávida. Objetivos: Identificar as variáveis sociodemográficas e de contexto obstétrico que afetam o empowerment da grávida no último trimestre da gestação; Determinar a influência das variáveis psicossociais no empowerment da grávida. Métodos: Estudo não experimental, transversal, quantitativo, descritivo e correlacional com amostra não probabilística por conveniência (n=235). Colheita de dados realizada com aplicação de um instrumento composto pelo questionário sociodemográfico e dados obstétricos, Escala de apoio social (Sherbourne, Stewart, 1991), Escala da expectativa do parto (Wijma e Wijma, 2005), que avalia o medo do parto e Escala do empowerment da grávida (Kameda e Shimada, 2008), a grávidas no terceiro trimestre. Resultados: A maioria das participantes eram nulíparas (56...

Maternidade no contexto do HIV/AIDS: gestação e terceiro mês de vida do bebê

Faria,Evelise Rigoni de; Piccinini,Cesar Augusto
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.46%
Este estudo buscou investigar, em mães primíparas portadoras do HIV/AIDS, percepções e sentimentos sobre maternidade, desenvolvimento do bebê e relação mãe-bebê, na gestação e no terceiro mês de vida do bebê. Participaram cinco mães soropositivas com idade entre 19 e 37 anos. Utilizaram-se entrevistas para investigar diversos aspectos da gestação e da maternidade. As respostas foram examinadas por análise de conteúdo qualitativa com base em três categorias: vivência da maternidade; desenvolvimento do bebê; relação mãe-bebê. As mães relataram preocupação com a possível infecção do bebê, medo do preconceito e frustração pela não amamentação. Prevaleceram, entretanto, satisfações com a maternidade, com a interação mãe-bebê e com o desenvolvimento infantil. Os resultados revelaram que o HIV/AIDS não tem necessariamente um impacto negativo para a maternidade e para a relação mãe-bebê, principalmente quando há presença de apoio familiar, relacionamento positivo com a figura materna e acesso o tratamento especializado. Discute-se a importância de intervenções psicológicas diante da ansiedade associada ao HIV/AIDS na gestação e maternidade.

A relação da mãe com suas figuras de apoio femininas e os sentimentos em relação à maternidade

Lopes,Rita de Cássia Sobreira; Prochnow,Laura Pithan; Piccinini,Cesar Augusto
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.61%
O presente estudo investigou a relação da mãe com suas figuras femininas de apoio e os sentimentos em relação à maternidade no primeiro trimestre de vida do bebê. Dele participaram 47 mães primíparas, de níveis socioeconômicos variados, que tinham uma relação estável com o esposo. Através de uma entrevista individual investigou-se quem eram as pessoas que davam apoio à mãe e qual sua participação. As mães relataram ter uma figura feminina de apoio (98%). Na maioria dos casos (54%) estas figuras serviram de modelo de identificação, sendo o maior percentual (47%) delas a própria mãe. Os companheiros foram mencionados em todos os casos como alguém que oferecia ajuda nos cuidados com o bebê e/ou nas atividades domésticas. Os achados apoiam a literatura, a qual indica que, apesar da importância do companheiro, figuras femininas de apoio se destacam neste momento da maternidade, por apoiarem e acompanharem, e também por valorizarem e instruírem a nova mãe, servindo-lhe de modelo de identificação.

Maternidade e situações estressantes no primeiro ano de vida do bebê

Rapoport,Andrea; Piccinini,Cesar Augusto
Fonte: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia Publicador: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.55%
O objetivo do presente estudo foi investigar situações estressantes envolvendo a maternidade no primeiro ano de vida do bebê e o apoio social recebido. Participaram do estudo 39 mães adultas, primíparas, que viviam com seus companheiros. As mães foram entrevistadas quando o bebê tinha um ano de vida. Os resultados revelaram a existência de diversas situações estressantes e houve maior solicitação de apoio social durante essas situações, e quando este foi recebido auxiliou as mães tanto do ponto de vista emocional como prático. Os resultados sugerem que apoio social dado à mãe mostra-se fundamental tanto para ela como para a sua relação com o/a filho/a.

Percepções de adolescentes sobre o apoio social na maternidade no contexto da atenção primária

Braga,Iara Falleiros; Oliveira,Wanderlei Abadio de; Spanó,Ana Márcia Nakano; Nunes,Marilene Rivany; Silva,Marta Angélica Iossi
Fonte: Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.63%
Objetivo: Buscou-se analisar as percepções de adolescentes sobre apoio social na maternidade. Métodos: Para a coleta de dados, utilizaram-se entrevistas semiestruturadas e a elaboração de mapa de rede, e seguiu-se a análise de conteúdo temático. Participaram da pesquisa 20 adolescentes de 10 a 19 anos, que vivenciaram a maternidade. Resultados: Identificou-se percepções de apoio e de abandono. A primeira oriunda da família, do companheiro, dos amigos e pelo acesso aos serviços de saúde e a segunda denotada pela ausência de apoio social, principalmente do companheiro, amigos e profissionais da saúde. Conclusão: O apoio percebido pelas adolescentes se apresentou frágil e com lacunas. Neste sentido, a enfermagem exerce importante papel na medida em que pode se apropriar da concepção do apoio social como um fator proteção, contribuindo para a construção do cuidado integral em saúde e potencializando as condições de vida das adolescentes.

Representações sociais da maternidade por mulheres adolescentes

Araújo, Elisângela Lima; Cavalcante, Tícia Cassiany Ferro (Orientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
36.77%
A maternidade na adolescência vem sendo historicamente concebida como problema. Contudo, essa não é a única forma de conceber a maternidade na adolescência, pois alguns estudos sinalizam que as adolescentes enquanto mães se sentem mais valorizadas pela sociedade e família. Assim, parece que a maternidade não está sendo representada de forma hegemônica pelas mulheres contemporâneas ainda que inseridas no mesmo contexto social e é preciso abordar o tema de maneira cuidadosa, independente da fase de desenvolvimento que a mulher esteja. Diante desse panorama, este estudo teve como objetivo apreender as representações sociais da maternidade por mulheres adolescentes com e sem a experiência vivida da maternidade. A amostra foi constituída por 24 adolescentes do sexo feminino da região metropolitana do Recife na faixa etária de 15 a 20 anos, que estavam ou não vivenciando a experiência da maternidade. Para a obtenção dos dados foi utilizado questionário sociodemográfico; debate e entrevista semiestruturada. Como resultado, observou-se que a maioria das adolescentes mães está vivenciando a maternidade em companhia do pai genitor da criança e todas as adolescentes não mães estão solteiras; a maioria das adolescentes mães apresentou evasão escolar...

Percursos conducentes à maternidade adolescente em Portugal

Pires, Raquel Sofia Antunes
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
36.69%
Introdução: A maternidade adolescente continua a ser uma preocupação incontornável em diversos países desenvolvidos. Em função da diversidade e potencial magnitude das suas consequências, a fundamentação de políticas e práticas de saúde destinadas à sua prevenção e à minimização do seu impacto, bem como a adequação destas às necessidades de cada realidade sociocultural, têm sido amplamente recomendadas, quer nacional quer internacionalmente. Ancorada numa perspetiva desenvolvimental e ecológica, a presente investigação centrou-se nos percursos conducentes à maternidade adolescente em Portugal, procurando: 1) conhecer as trajetórias individuais na origem da maternidade adolescente nas diferentes regiões do país e 2) identificar fatores e processos explicativos dos comportamentos sexuais e contracetivos de risco para a ocorrência da gravidez, da decisão reprodutiva das jovens que engravidam e do seu ajustamento socioemocional durante a gravidez. Metodologia: A presente investigação é de natureza transversal. Recolhemos dados de 483 adolescentes (< 20 anos) grávidas, 177 que optaram pela interrupção voluntária da gravidez (IVG) e 883 sem história de gravidez, em 81 serviços de saúde e educação de todo o país. Para além de informações sociodemográficas e sobre outras áreas de vida (e.g....

A possível influência da percepção do apoio social, da situação residencial e da vinculação na sintomatologia psicopatológica em mães adolescentes

Lhera, Bárbara Sofia de Oliveira Leitão
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.55%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; Os anexos encontra-se no CD-ROM apenso ao exemplar em papel.; Objectivo: O objectivo principal de esta investigação foi estudar a possível influência da percepção de apoio social, da situação residencial e das representações de vinculação na sintomatologia psicopatológica em mães adolescentes. Amostra: Mães (N = 30) de bebés entre os 0 e os 19 meses de idade, recrutadas na Maternidade Dr. Alfredo da Costa e em instituições de apoio à maternidade. Instrumentos: Após a leitura da Folha de Informação à Participante e a obtenção do Consentimento Informado, cada participante teve de preencher, em conjunto com a investigadora, um Questionário Sociodemográfico e Clínico. De seguida, foram entregues quatro questionários: Escala de Ansiedade, Depressão e Stress (EADS), Escala de Satisfação com o Apoio do Pai do Bebé (ESAPB), Escala de Satisfação com o Suporte Social (ESSS) e o Questionário de Vinculação ao Pai e à Mãe (QVPM). Hipóteses: Foram testadas quatro hipóteses específicas em que a variável dependente foi constituída pelas subescalas Ansiedade...

A massagem no desenvolvimento do bebé e das competências parentais

Bárcia, Sónia Cristina da Silva Vicente Cascão
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
36.44%
Tese de Doutoramento em Psicologia Aplicada especialidade Psicologia Educacional, apresentada ao ISPA - Instituto universitário; O primeiro ano de parentalidade é um ano de crescimento e de adaptação na vida da mulher. Inerentes a esta fase estão uma série de transformações que terão que ocorrer a vários níveis, para que mãe e bebé aprendam a conhecer-se e a ajustar-se em conjunto. Esta primeira relação servirá de modelo no futuro. Saber identificar as necessidades do bebé e conseguir dar respostas adequadas é o objectivo de qualquer mãe. A relação está assim dependente dos protagonistas do processo, ou seja da mãe, do bebé e ainda do ambiente onde se relacionam. Neste processo vários factores podem contribuir para que a ligação na díade seja vivida de uma forma mais tranquila, entre eles destacamos o papel da massagem no bebé como veículo facilitador da relação. A massagem apresenta benefícios tanto para o bebé como para a mãe, a nível psicológico e fisiológico. Este estudo longitudinal pretendeu avaliar as implicações da massagem do bebé na relação mãe-bebé, desde o final da gravidez até aos 12 meses de vida do bebé. Os parâmetros a medir foram: as atitudes relativas à maternidade através do CAQ-P...

Maternidade distanciada : vivências de mães sobre o ajuste entre maternidade e profissão, da gestação ao retorno ao trabalho

Leal, Cláudia Luiz
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.47%
A maternidade por si só já é um momento de grande reestruturação familiar, onde se exige, especialmente da mulher, uma adaptação ao novo papel. Nos tempos atuais, além dos cuidados ao bebê, cada vez mais se percebe mães inseridas no mercado de trabalho, tendo que fazer ajustes importantes entre maternidade e profissão. Neste processo, mostra-se essencial a identificação materna das suas próprias necessidades, utilizando estratégias para enfrentar esta nova fase, tendo a creche como rede de apoio. O objetivo deste trabalho foi investigar as vivências de mulheres primíparas em relação ao ajuste entre maternidade e profissão, da gestação ao retorno ao trabalho, quando seus filhos ingressaram na creche. Participaram do estudo três mulheres que estavam exercendo pela primeira vez a maternidade. Os resultados indicaram que as mães conseguiram de certa forma lidar com a ambivalência entre maternidade e trabalho, fazendo uso de diversas estratégias de enfrentamento, desde as mais práticas, como inserir e adaptar o bebê à sua rotina profissional e colocá-lo numa creche de confiança, até aquelas mais de cunho emocional, como a desidealização do papel materno e a ênfase nas mudanças comportamentais e reações emocionais positivas da criança com a entrada na creche. Concluiu-se que...

Apoio social e experiência da maternidade; Social support and the experience of maternity

Rapoport, Andrea; Piccinini, Cesar Augusto
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2006 POR
Relevância na Pesquisa
36.68%
O apoio social mostra-se importante ao longo de todo o ciclo vital, especialmente durante períodos de mudanças e estresse. Considerando que a experiência da maternidade é um período de transição carregado de muitas situações novas e potencialmente estressantes, o presente artigo tem por objetivo apresentar uma revisão de estudos teóricos e empíricos que relacionam apoio social e maternidade. A literatura examinada indica a importância do apoio de familiares, instituições formais e empregados para a mulher grávida e a nova mãe. A presença deste apoio social tende a aumentar a responsividade materna, beneficiando o bebê, a relação mãe-bebê e a relação conjugal, especialmente em situações estressantes.; Social support is important along all the vital cycle, especially during changes and stress periods. Considering that the experience of motherhood is a transition period overloaded with many new and potentially stressful situations, the present article aims to review theoretical and empirical studies that relate social support and motherhood. The examined literature indicates the importance of support from the family, formal institutions and employees for the pregnant woman and the new mother. The presence of this social support tends to increase maternal responsiveness...

Maternidade na adolescência: Contributos para uma abordagem desenvolvimental

Soares,Isabel; Jongenelen,Inês
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1998 PT
Relevância na Pesquisa
36.53%
As autoras começam por rever a investigação empírica acerca da maternidade na adolescência, especificamente as questões de natureza parental, tradicionalmente centradas na comparação das mães adolescentes e adultas. São analisadas algumas das limitações que emergem deste tipo de investigação, salientando-se a necessidade de focalizar a atenção na variabilidade existente no seio do grupo das mães adolescentes e discutindo-se, em seguida, a inexistência de um quadro conceptual que organize os resultados produzidos pela investigação. Neste âmbito, é apresentado o contributo e as implicações no plano conceptual da abordagem desenvolvimental, para a compreensão desta variabilidade intra-grupo. Em seguida, discute-se a necessidade de perspectivar o fenómeno da maternidade adolescente como um processo de interacção social, apresentando-se para tal uma adaptação do modelo de Schellenbach, Whitman e Borkowski (1992). Por último, discute-se o impacto do apoio social nas suas múltiplas facetas ao nível da maternidade adolescente.