Página 1 dos resultados de 138 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Crenças e fatores psicossociais determinantes da adesão aos antidiabéticos orais; Beliefs and psychosocial determinants factors of adherence to oral

Fernanda Freire Jannuzzi
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/07/2014 PT
Relevância na Pesquisa
28%
A adesão aos antidiabéticos orais é essencial para o controle metabólico do diabetes e pode evitar ou retardar o aparecimento de complicações da doença. Este estudo tem como objetivo identificar as crenças e os fatores psicossociais determinantes da adesão medicamentosa aos antidiabéticos orais. Utilizou-se o referencial teórico da Teoria do Comportamento Planejado. Fizeram parte deste estudo pacientes com diabetes do tipo 2 em uso de antidiabéticos orais, em seguimento ambulatorial. Trata-se de investigação composta por duas fases. Primeira etapa: estudo metodológico, envolvendo o levantamento das crenças relacionadas ao comportamento de aderir aos antidiabéticos orais, bem como a construção e validação de instrumento para identificação dos determinantes psicossociais do comportamento. As crenças foram levantadas junto a 17 pacientes diabéticos por meio de entrevista norteada pela aplicação de instrumento semiestruturado, criado com base nos pressupostos da teoria e variável adicional ao modelo. As entrevistas foram gravadas, transcritas na íntegra e submetidas à análise de conteúdo. Os achados desta etapa subsidiaram a construção de instrumento destinado a identificar os determinantes psicossociais do comportamento...

Investigação da síntese de agentes antidiabéticos derivados de C-Glicosilflavonóides

Jesus, Ana Rita Xavier de
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
27.15%
Tese de mestrado, Química (Química, Saúde e Nutrição), Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2010; Este trabalho teve como objectivo a síntese do composto 8-β-C-glucosilgenisteína (8-β-C-glucosil-4‟,5,7-tri-hidroxi-isoflavona), o componente maioritário da planta medicinal Genista tenera, endémica da Ilha da Madeira. O extracto desta planta possui propriedades antidiabéticas, o que justifica o seu uso tradicional no tratamento da diabetes. Os componentes comercializados da planta foram investigados e nenhum deles, por si só, pode ser considerado responsável pela actividade exibida pela planta. Neste contexto tornou-se imperativa a síntese de 8-β-C-glucosilgenisteína. Um dos passos fulcrais da síntese da molécula-alvo consistiu na C-glucosilação de um precursor fenólico através de um rearranjo de tipo Fries, utilizando um activador e um dador de glucosilo adequados. Foram investigados os activadores BF3•Et2O, Cp2ZrCl2/AgClO4, TMSOTf e Sc(OTf)3 para os quais se escolheram os dadores de glucosilo mais apropriados, nomeadamente fluoreto de glucosilo para os três primeiros e acetato de glucosilo para o último. Analisando os resultados obtidos, verificou-se que o Sc(OTf)3 revelou ser o melhor activador...

Antidiabéticos Orais e Internamentos Atribuíveis à Diabetes em Portugal

Gouveia, M; Laires, P; Borges, M; Augusto, M; Martins, AP
Fonte: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
38%
Introdução: O crescimento da despesa com antidiabéticos orais tem levado a preocupações questionando os ganhos de saúde e vantagens para o sistema de saúde gerados por esses medicamentos. Este estudo contribui para responder a estas questões. Material e Métodos: Numa primeira fase apresentam-se estimativas das três variáveis centrais a utilizar na análise: 1) a prevalência tratada da diabetes por ano e por região de saúde baseadas nos consumos de antidiabéticos orais, 2) o número de episódios de internamento hospitalar atribuíveis à diabetes com base nos riscos relativos das várias patologias e os seus custos e 3) uma caracterização quantitativa dos antidiabéticos orais consumidos através do cálculo da sua vintage média. Através do uso de observações para 10 anos e cinco regiões, perfazendo um total de 50 observações, foi possível estimar um modelo econométrico explicando estatisticamente os internamentos e os custos hospitalares atribuíveis à diabetes por características regionais, pela prevalência tratada e pela vintage média dos antidiabéticos orais. Resultados: Os resultados dos modelos de regressão múltipla mostram que as despesas hospitalares são proporcionais à prevalência tratada...

Antidiabéticos Orais e Internamentos Atribuíveis à Diabetes em Portugal

Gouveia, M; Laires, P; Borges, M; Augusto, M; Martins, AP
Fonte: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
38%
Introdução: O crescimento da despesa com antidiabéticos orais tem levado a preocupações questionando os ganhos de saúde e vantagens para o sistema de saúde gerados por esses medicamentos. Este estudo contribui para responder a estas questões. Material e Métodos: Numa primeira fase apresentam-se estimativas das três variáveis centrais a utilizar na análise: 1) a prevalência tratada da diabetes por ano e por região de saúde baseadas nos consumos de antidiabéticos orais, 2) o número de episódios de internamento hospitalar atribuíveis à diabetes com base nos riscos relativos das várias patologias e os seus custos e 3) uma caracterização quantitativa dos antidiabéticos orais consumidos através do cálculo da sua vintage média. Através do uso de observações para 10 anos e cinco regiões, perfazendo um total de 50 observações, foi possível estimar um modelo econométrico explicando estatisticamente os internamentos e os custos hospitalares atribuíveis à diabetes por características regionais, pela prevalência tratada e pela vintage média dos antidiabéticos orais. Resultados: Os resultados dos modelos de regressão múltipla mostram que as despesas hospitalares são proporcionais à prevalência tratada...

Acompanhamento ambulatorial de gestantes com diabetes mellitus no Hospital Universitário Pedro Ernesto - UERJ

Corrêa,Fernanda H.S.; Gomes,Marília de Brito
Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Publicador: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2004 PT
Relevância na Pesquisa
27.15%
Visando descrever as complicações fetais do diabetes (DM) associadas à gestação, avaliamos 50 gestantes no período de 2001-2002, com idade de 29,6±6,2 anos: 13 (26%) com DM1, 16 (32%) com DM2 e 21 (42%) com DM gestacional (DMG). O início do acompanhamento foi com 16,3±8 sem. para aquelas com DM1, 22,9±7,5 sem. para as com DM2 e 26,0±8,9 sem. para as com DMG. A HbA1c na 1ª. consulta era de 6,1±1,1% (VR: 2,6-6,2%), a glicemia de jejum, 132±39mg/dL e a pós-prandial 190±54mg/dL. 22 gestantes faziam uso de insulina na 1ª. avaliação e 15 de antidiabéticos orais (AO); estas fizeram uso dos AO na concepção e no 1°. trimestre gestacional, sem apresentar anomalias congênitas. O controle metabólico nestas pacientes foi semelhante ao de outras. O parto foi cesáreo em 54,5% dos casos. Como complicações, 56,1% dos fetos foram macrossômicos (peso de 3,48±0,73Kg), sem diferença entre os tipos de DM; não houve associação entre o tipo de tratamento e o peso do neonato. Concluímos que as gestantes com DM chegam tardiamente ao pré-natal, muitas vezes em uso de tratamentos não oficialmente preconizados e apresentam controle metabólico insatisfatório. Este fato se traduz por uma elevada taxa de macrossomia nos recém-natos. Embora não tenhamos encontrado nenhuma complicação relacionada ao uso de AO na gravidez...

Uso de anti-hipertensivos e antidiabéticos por idosos: inquérito em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Gontijo,Mônica de Fátima; Ribeiro,Andréia Queiroz; Klein,Carlos Henrique; Rozenfeld,Suely; Acurcio,Francisco de Assis
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2012 PT
Relevância na Pesquisa
27.65%
A preocupação com efeitos prejudiciais do uso de medicamentos por idosos tem motivado estudos com o objetivo de identificar problemas nessa utilização. Realizou-se um inquérito domiciliar entre aposentados, com idade > 60 anos, residentes em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil (2003), que declararam ter diabetes ou hipertensão arterial. A qualidade do uso de medicamentos anti-hipertensivos e antidiabéticos foi avaliada com base em redundância, associações medicamentosas e fármacos inapropriados. Entre os 283 (89%) idosos autodeclarados hipertensos, em uso de farmacoterapia, 68,2% utilizavam diuréticos, e 37,8% utilizavam IECA. Entre os 22 (64,7%) autodeclarados diabéticos sob farmacoterapia, 45,5% utilizavam insulina, e 77,3%, antidiabéticos orais. Entre os 89 autodeclarados diabéticos hipertensos, 80 (90%) utilizavam anti-hipertensivos, e 51 (57,3%), antidiabéticos. Observou-se o uso de associações medicamentosas, medicamentos redundantes ou inadequados, o que indica a necessidade de seguimento de protocolos terapêuticos e maior atenção à saúde dos pacientes idosos.

Cumprimento da terapia com antidiabéticos orais em usuários da atenção primária

Araújo,Márcio Flávio Moura de; Freitas,Roberto Wagner Júnior Freire de; Fragoso,Luciana Vládia Carvalhêdo; Araújo,Thiago Moura de; Damasceno,Marta Maria Coelho; Zanetti,Maria Lúcia
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
27.65%
O objetivo deste estudo foi avaliar o cumprimento medicamentoso de usuários de antidiabéticos orais. A pesquisa envolveu 437 diabéticos, de ambos os sexos, com idade entre 18-92 anos de 12 unidades básicas de saúde de Fortaleza-Ceará entre março e junho de 2009. Para avaliar a adesão aos antidiabéticos orais aplicou-se, nos domicílios, o Teste de Batalla, o Teste de Medida de Adesão ao Tratamento, além da contagem de comprimidos. Constatou-se, que 74,6%, 86,3% e 71,2%, foram considerados não cumpridores, segundo os testes aplicados, respectivamente. Entre os sujeitos não cumpridores do tratamento com antidiabéticos, 95% já faltaram as consultas do programa terapêutico para diabetes (p=0,000) e 76% estão com a glicemia acima dos valores recomendados (p=0,013). Talvez o cerne do problema esteja na relação profissional/cliente e na educação em saúde. Portanto, o resgate dos fundamentos da promoção da saúde necessitam permear as ações dos profissionais envolvidos na atenção ao diabético.

Nuevas terapias en diabetes: más allá de la insulina inyectable y de los antidiabéticos orales

Alfonso,John Edwin Feliciano; Ariza,Iván Darío Sierra
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2008 ES
Relevância na Pesquisa
27.15%
Novos medicamentos para o tratamento do diabetes tipo 1 e tipo 2 foram incorporados à lista de fármacos tradicionais: antidiabéticos orais e insulinas injetáveis. Estas alternativas de tratamento têm novos mecanismos de ação que aproveitam as propriedades antidiabéticas de certos peptídeos como é o caso da amilina ou do peptídeo similar ao glucagon (GLP-1), cujos níveis são deficientes ou insuficientes no diabetes. Isto acontece pelos análogos da amilina ou do GLP-1, embora também possa ser obtido inibindo a enzima que degrada este último. Além disso, encontra-se disponível no mercado um novo sistema para administrar insulina de maneira não-invasiva por meio de inalação. Este artigo resume os resultados mais importantes e atualizados com relação ao mecanismo de ação, eficácia, efeitos adversos e indicações destes fármacos inovadores.

Utilização de medicamentos por idosos com diabetes do município de Goiânia, Goiás; Drugs utilization by the elderly people with diabetes in the city of Goiania, Goias

Nunes, Marcus Vinicius Oliveira
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva (PRPG); Pró-Reitoria de Pós-graduação (PRPG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva (PRPG); Pró-Reitoria de Pós-graduação (PRPG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
27.15%
Introduction. In Brazil, the percentage of elderly people is increasing considerably over the years. As a consequence, it is observes the increasing of chronical diseases such as diabetes mellitus. It is a disease that requires special attention, because it exposes elderly people to a long care period and to the continued use of medicines, sometimes using multidrugs. Moreover, elderly people are often affected by other comorbidities, by complications of the disease and its treatment. Objective. Analyze the use of medicines by the elderly people with diabetes mellitus in the city of Goiania, Goias, Brazil. Methodology. It is a population-based cross-sectional study carried out with a sample of 173 elderly individuals with diabetes mellitus and medications referred, selected by cluster. Data were collected by household interviews from December 2009 to April 2010 and they were analyzed by the Software Stata 12.0. The identified medicines were classified according to the Anatomical Therapeutic Chemical classification of the World Health Organization. The study was approved by Ethics Committee of the Federal University of Goias . Results. The mean age of old people with diabetes mellitus was 72.5 years and 61.8% were female. The most used medicines were acetylsalicylic acid (20.2%)...

Antidiabetic Drugs and In-patient Admissions Attributable to Diabetes in Portugal; Antidiabéticos Orais e Internamentos Atribuíveis à Diabetes em Portugal

Gouveia, Miguel; Católica Lisbon School of Business and Economics. Lisboa. Portugal.; Laires, Pedro; Outcomes Research. Merck Sharp & Dohme. Oeiras. Portugal.; Borges, Margarida; Unidade de Farmacologia Clínica. Centro Hospitalar de Lisboa Central EPE.
Fonte: Ordem dos Médicos Publicador: Ordem dos Médicos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/x-pdf
Publicado em 12/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
27.94%
Introduction: The growth of oral antidiabetic drugs spending has led to concerns questioning the health gains and benefits for the health system generated by these drugs. This study contributes to answering these questions. Material and Methods: Initially we present estimates of the three variables central to the analysis: 1) the prevalence of treated diabetes per year and health region, based on the consumption of oral antidiabetic drugs, 2) the number of hospitalization episodes and their costs attributable to diabetes, based on the relative risks and 3) a quantitative characterization of the consumption of oral antidiabetics by calculating average vintages by year and region. Through the use of observations for 10 years and five regions, a total of 50 observations, it was possible to estimate an econometric model explaining statistically both hospitalizations and hospital costs attributable to diabetes by regional characteristics, treated prevalence and the average vintage of oral antidiabetic drugs. Results: The results of the multiple regression models show that hospital costs are proportional to the treated prevalence, all else constant, but that the more recent the oral antidiabetic drugs used, the lower are hospital costs. The effects on the number of hospitalizations are similar. Discussion and Conclusions: For an average observation in the sample...

Cumprimento da terapia com antidiabéticos orais em usuários da atenção primária; Oral antidiabetic drug therapy compliance among Brazilian public health system users; El cumplimiento del tratamiento con antidiabéticos orales en usuarios de la atención básica

ARAÚJO, Márcio Flávio Moura de; FREITAS, Roberto Wagner Júnior Freire de; FRAGOSO, Luciana Vládia Carvalhêdo; ARAÚJO, Thiago Moura de; DAMASCENO, Marta Maria Coelho; ZANETTI, Maria Lúcia
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
28%
O objetivo deste estudo foi avaliar o cumprimento medicamentoso de usuários de antidiabéticos orais. A pesquisa envolveu 437 diabéticos, de ambos os sexos, com idade entre 18-92 anos de 12 unidades básicas de saúde de Fortaleza-Ceará entre março e junho de 2009. Para avaliar a adesão aos antidiabéticos orais aplicou-se, nos domicílios, o Teste de Batalla, o Teste de Medida de Adesão ao Tratamento, além da contagem de comprimidos. Constatou-se, que 74,6%, 86,3% e 71,2%, foram considerados não cumpridores, segundo os testes aplicados, respectivamente. Entre os sujeitos não cumpridores do tratamento com antidiabéticos, 95% já faltaram as consultas do programa terapêutico para diabetes (p=0,000) e 76% estão com a glicemia acima dos valores recomendados (p=0,013). Talvez o cerne do problema esteja na relação profissional/cliente e na educação em saúde. Portanto, o resgate dos fundamentos da promoção da saúde necessitam permear as ações dos profissionais envolvidos na atenção ao diabético.; This transversal study aimed to evaluate compliance with pharmacological therapy among users of oral antidiabetic drugs. The research involved 437 diabetic patients of both sexes between 18-92 years of age from12 healthcare centers located in Fortaleza...

Crenças relacionadas à adesão ao tratamento com antidiabéticos orais segundo a Teoria do Comportamento Planejado; Creencias relacionadas a la adhesión al tratamiento con antidiabéticos orales según la Teoría del Comportamiento Planificado; Beliefs related to adherence to oral antidiabetic treatment according to the Theory of Planned Behavior

Jannuzzi, Fernanda Freire; Rodrigues, Roberta Cunha Matheus; Cornélio, Marilia Estevam; São-João, Thaís Moreira; Gallani, Maria Cecília Bueno Jayme
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/07/2014 ENG; POR; SPA
Relevância na Pesquisa
27.87%
OBJETIVO: identificar as crenças salientes comportamentais, normativas, de controle e de autoeficácia, relacionadas ao comportamento de adesão aos antidiabéticos orais, utilizando a Teoria do Comportamento Planejado. MÉTODO: estudo transversal, exploratório, com 17 diabéticos, em uso contínuo de antidiabético oral, em seguimento ambulatorial. As entrevistas individuais foram gravadas, transcritas e submetidas à análise de conteúdo, utilizando-se categorias pré-definidas. RESULTADOS: emergiram crenças comportamentais relacionadas às vantagens e desvantagens do uso dos medicamentos, como a possibilidade de evitar complicações do diabetes, evitar ou retardar o uso de insulina e percepção de reações adversas. Evidenciou-se que os filhos e o médico são importantes referentes sociais que influenciam a adesão medicamentosa. Dentre os fatores que facilitam a adesão destacaram-se o acesso gratuito aos medicamentos e a tomada dos medicamentos relacionada a marcadores temporais. A complexidade terapêutica, por outro lado, foi considerada fator que dificulta a adesão. A compreensão da forma de uso dos medicamentos e o esquecimento impactam a percepção da capacidade de aderir aos antidiabéticos orais. CONCLUSÃO: a adesão medicamentosa é um comportamento complexo...

Adesão ao tratamento do diabetes mellitus: validação de instrumentos para antidiabéticos orais e insulina; Adhesión al tratamiento de la diabetes mellitus: validación de instrumentos para antidiabéticos orales y insulina; Adherence to treatment for diabetes mellitus: validation of instruments for oral antidiabetics and insulin

Boas, Lilian Cristiane Gomes-Villas; Lima, Maria Luisa Soares Almeida Pedroso de; Pace, Ana Emilia
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/01/2014 ENG; POR; SPA
Relevância na Pesquisa
28.04%
OBJETIVOS: verificar a validade de face, de critério e a confiabilidade de duas formas distintas de apresentação do instrumento Medida de Adesão aos Tratamentos, sendo uma para avaliar a adesão ao uso de antidiabéticos orais (Medida de Adesão aos Tratamentos - antidiabéticos orais) e a outra para a adesão ao uso de insulina (Medida de Adesão aos Tratamentos - insulina), bem como avaliar diferenças na adesão entre essas duas modalidades de terapêutica medicamentosa. MÉTODO: estudo metodológico realizado entre 90 adultos com diabetes mellitus tipo 2. A validade de critério foi verificada por meio das curvas de Características de Operação do Receptor; e, para a confiabilidade, calcularam-se o coeficiente alfa de Cronbach, a correlação item-total e o coeficiente de correlação de Pearson. RESULTADOS: a medida de adesão aos tratamentos - adesão ao uso de antidiabéticos orais apresentou sensibilidade de 0,84, especificidade de 0,35 e coeficiente alfa de Cronbach de 0,84. Para a medida de adesão aos tratamentos - insulina, os valores encontrados foram, respectivamente, 0,60, 0,21 e 0,68. Encontrou-se diferença estatisticamente significante entre os escores finais das duas formas do instrumento, indicando maior adesão ao uso da insulina do que aos antidiabéticos orais. CONCLUSÃO: conclui-se que as duas formas do instrumento medida de adesão aos tratamentos são confiáveis e devem ser utilizadas para avaliar a adesão ao tratamento medicamentoso das pessoas com diabetes mellitus.; OBJETIVOS: verificar la validez aparente...

Prevalencia y factores asociados de la automonitorización glucémica en pacientes diabéticos tipo 2 no tratados con insulina en la Comunidad Valenciana

Cano-Blanquer,Diego; Cervera-Casino,Pedro; Peiró-Moreno,Salvador; Mateu-García,Mónica; Barreda-Aznar,Amparo
Fonte: Revista Española de Salud Pública Publicador: Revista Española de Salud Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/04/2013 SPA
Relevância na Pesquisa
27.15%
Fundamentos: La utilidad de la automonitorización de la glucemia (AMGS) en pacientes con diabetes tipo 2 (DM2) no tratados con insulina (NTI) es objeto de controversia. Los objetivos de este trabajo son describir la prevalencia de AMGS en sujetos con DM2 NTI en la Comunidad Valenciana y analizar los factores asociados a su a su uso. Método: Estudio transversal en 83 consultas de atención primaria mediante revisión de la historia clínica electrónica y entrevista a 573 sujetos con DM2-NTI. Se analizó la asociación entre la indicación de AMGS y las características del paciente, médico y organizativas. Resultados: 289 (50,4%) de los pacientes con DM2-NTI utilizaban AMGS. En el análisis multivariante el uso de AMGS se asoció a la menor edad (OR:2,3 para 65-84y 6,0 para <65, vs 85+ años), duración de la diabetes (OR:2,2 para 10-15 años vs 0-5 años), sedentarismo (OR:1,6), obesidad (OR:1,5), situación laboral, valor de la hemoglobina glicosilada (OR:1,9 y 1,6 para valores 7-8 y >8, vs <7), número de antidiabéticos oralesprescritos (ADO) (OR:2,5, 4,1 y 5,7 para 1, 2 ó 3+ ADO vs no tratamiento farmacológico), tipo de ADO (mayor en sulfonilureas y glitazonas) y enfermedad respiratoria crónica (OR:0,5). Controlando el efecto de estos factores...

Diabetes mellitus y enfermedad renal en el anciano

Iglesias,Pedro; Heras,Manuel; Díez,Juan J.
Fonte: Nefrología (Madrid) Publicador: Nefrología (Madrid)
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/01/2014 SPA
Relevância na Pesquisa
27.15%
El manejo del anciano diabético con enfermedad renal crónica presenta peculiaridades que afectan tanto al control metabólico como a las medidas terapéuticas. Los objetivos de control glucémico han de individualizarse en función de la expectativa de vida, la afectación de la función renal, los riesgos de hipoglucemia y la comorbilidad. La metformina puede emplearse en monoterapia o asociada a otros antidiabéticos orales, pero debe suspenderse cuando el filtrado glomerular sea inferior a 30 ml/min. La gliclazida y la glipizida son sulfonilureas que no requieren ajuste de dosis en la enfermedad renal crónica, pero deben evitarse en los casos de enfermedad renal avanzada por el riesgo de hipoglucemia. De las meglitinidas, solo la repaglinida es recomendable en estos pacientes. Los inhibidores de las α-glucosidasas deben evitarse en pacientes con filtrado glomerular inferior a 25 ml/min o en diálisis. La pioglitazona no precisa ajuste de dosis, pero presenta efectos adversos potencialmente desfavorables en esta población. Los inhibidores de la dipeptidil peptidasa-4 son eficaces y bien tolerados. De ellos, la linagliptina no precisa ajuste de dosis. Los agonistas de los receptores del péptido similar al glucagón tipo 1 y los inhibidores del cotransportador sodio-glucosa tipo 2 no se recomiendan en ancianos con enfermedad renal avanzada. Finalmente la insulinoterapia...

Valoración de la función renal en diabéticos tipo 2 y su adecuación al tratamiento antidiabético oral

Carbayo García,José Juan; Tuesta Reina,Roxana; Sastre García,José Félix; Criado Álvarez,Juan José; Gómez González,Carlos; Rodríguez Losáñez,Jesús
Fonte: Revista Clínica de Medicina de Familia Publicador: Revista Clínica de Medicina de Familia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/02/2014 SPA
Relevância na Pesquisa
27.15%
Objetivo: Determinar la función renal mediante filtrado glomerular (FG) en diabéticos tipo 2 y su adecuación al tratamiento antidiabético oral. Material y Método: Estudio observacional transversal realizado en una muestra de diabéticos tipo 2, con una edad de 18 a 75 años, en tratamiento con antidiabéticos orales (ADO), en el Área Sanitaria de Talavera de la Reina (Toledo), en el periodo noviembre 2011 a junio de 2012. Resultados: Se estudiaron 191 pacientes, 103 varones, 88 mujeres, con edad media 62,5 (8,3) años. A 168 (87,96%) de estos pacientes se les pudo calcular el FG, siendo el FG medio de 95,5 (25,1). Siete (3,7%) pacientes en rango 45-60 y uno (0,5%) con FG menor de 30. La prevalencia de enfermedad renal crónica (ERC) fue del 4,8% [IC95% 2,4-9,1]. El fármaco más utilizado fue metformina seguido de IDPP4. En relación al FG en rango 45-60, los más utilizados fueron los inhibidores DPP4 solos o combinados con metformina; en el paciente con FG menor de 30, el medicamento utilizado fue la metformina. Conclusiones:La prevalencia que hemos hallado es inferior a la de otros estudios publicados. Es importante la determinación del FG en pacientes diabéticos. En nuestros pacientes, las indicaciones de tratamiento se adecuan...

Antidiabéticos orales y odontología

González Montero,C.; Manso Platero,F.J.; López Alba,A.J.
Fonte: Avances en Odontoestomatología Publicador: Avances en Odontoestomatología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/10/2014 SPA
Relevância na Pesquisa
37.46%
La diabetes mellitus es un conjunto de trastornos metabólicos caracterizado por la existencia de hiperglucemia. Existen varios tipos de diabetes y por tanto distintos tratamientos farmacológicos. En esta revisión, se describen las interacciones de las insulinas y antidiabéticos orales en el tratamiento de la DM tipo 2, con los principales fármacos utilizados en odontología.

Repaglinida, un nuevo antidiabético oral

Calvo Romero,J. Mª.; Lima Rodríguez,E. Mª.
Fonte: Medifam Publicador: Medifam
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/06/2001 SPA
Relevância na Pesquisa
27.15%
En los últimos años el arsenal de fármacos orales útiles en el tratamiento de la diabetes mellitus tipo 2 se ha ampliado. La repaglinida es el primero de una nueva clase de antidiabéticos orales derivados del ácido benzoico, no pertenecientes al grupo de las sulfonilureas, con acción estimuladora de la secreción de insulina. La repaglinida mejora la regulación de la glucemia prandial, al corregir la secreción disminuida y retrasada de insulina relacionada con las comidas en los diabéticos tipo 2. Utilizada en monoterapia tiene una eficacia similar a las sulfonilureas o a la metformina en reducir la glucemia basal y la hemoglobina glucosilada.

Uso de anti-hipertensivos e antidiabéticos por idosos: inquérito em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Gontijo,Mônica de Fátima; Ribeiro,Andréia Queiroz; Klein,Carlos Henrique; Rozenfeld,Suely; Acurcio,Francisco de Assis
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2012 PT
Relevância na Pesquisa
27.65%
A preocupação com efeitos prejudiciais do uso de medicamentos por idosos tem motivado estudos com o objetivo de identificar problemas nessa utilização. Realizou-se um inquérito domiciliar entre aposentados, com idade > 60 anos, residentes em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil (2003), que declararam ter diabetes ou hipertensão arterial. A qualidade do uso de medicamentos anti-hipertensivos e antidiabéticos foi avaliada com base em redundância, associações medicamentosas e fármacos inapropriados. Entre os 283 (89%) idosos autodeclarados hipertensos, em uso de farmacoterapia, 68,2% utilizavam diuréticos, e 37,8% utilizavam IECA. Entre os 22 (64,7%) autodeclarados diabéticos sob farmacoterapia, 45,5% utilizavam insulina, e 77,3%, antidiabéticos orais. Entre os 89 autodeclarados diabéticos hipertensos, 80 (90%) utilizavam anti-hipertensivos, e 51 (57,3%), antidiabéticos. Observou-se o uso de associações medicamentosas, medicamentos redundantes ou inadequados, o que indica a necessidade de seguimento de protocolos terapêuticos e maior atenção à saúde dos pacientes idosos.

Patrones de prescripción de antidiabéticos en un grupo de pacientes colombianos

Machado Alba,Jorge Enrique; Escobar Moncada,Juan Carlos; Mesa Escobar,Giovanny
Fonte: Organización Panamericana de la Salud Publicador: Organización Panamericana de la Salud
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2007 ES
Relevância na Pesquisa
37.78%
OBJETIVOS: Determinar los patrones de prescripción de medicamentos antidiabéticos en un grupo de personas afiliadas al Sistema General de Seguridad Social en Salud (SGSSS) de Colombia. MÉTODOS: Se incluyeron en el estudio 7 308 afiliados al SGSSS con diabetes de tipo 1 ó 2, de ambos sexos y de todas las edades, tratados durante por lo menos tres meses (de mayo a julio de 2005) en 19 ciudades colombianas. Se diseñó una base de datos de los registros de consumo de medicamentos de la empresa dispensadora de fármacos. Los datos se analizaron con el paquete estadístico SPSS 13 para Windows, empleando la prueba de la t de Student y el análisis de la varianza (ANOVA) para comparar variables cuantitativas y la prueba de la x² para comparar variables categóricas. RESULTADOS: La edad media de los pacientes era de 60,7 ± 12,7 años; el 56,6 % eran mujeres, de edad media significativamente mayor que la de los hombres (P < 0,05). El 48% de las personas recibía monoterapia y el 52%, politerapia con entre dos y cuatro antidiabéticos. Los antidiabéticos prescritos fueron: biguanidas (67,5% de los casos), sulfonilureas (64,9%), insulinas (23,5%) y tiazolidindionas (0,1%). Las asociaciones más empleadas fueron: glibenclamida + metformina (n = 2 847)...