Página 1 dos resultados de 377 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Fatores associados à descontinuação do uso de anticoncepcionais orais combinados; Associated factors with discontinuation use of combined oral contraceptives

BAHAMONDES, Luis; PINHO, Felipe; MELO, Nilson Roberto de; OLIVEIRA, Eliane; BAHAMONDES, María Valeria
Fonte: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Publicador: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.24%
OBJETIVO: Avaliar as razões para descontinuar diversos anticoncepcionais orais combinados entre mulheres brasileiras iniciantes do método, residentes em áreas urbanas. MÉTODOS: Estudo de corte transversal com 400 ginecologistas do Brasil, registrados na Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Cada médico entrevistou 10 mulheres não grávidas, não lactantes, não em amenorreia, com idades entre 18 e 39 anos que consultavam solicitando anticoncepcional oral combinado (ACO), com um questionário no início de uso e aos 6 meses posteriores. O questionário incluiu dados sociodemográficos, tipo de ACO escolhido ou prescrito e razões para descontinuação, caso ocorresse durante o seguimento. A estratégia de seleção permitiu a inclusão de mulheres de diferentes estratos socioeconômicos, mas somente atendidas em consultórios privados ou de convênios. O tamanho da amostra foi estimado em 1.427 mulheres. RESULTADOS: Foram obtidas 3.465 entrevistas na primeira visita e 1.699 aos 6 meses posteriores. As mulheres tinham predominantemente entre 20 e 29 anos, 57,3% eram solteiras e em proporção quase igual de 45% tinham ensino médio ou superior. A maioria (60,7%) era nuligestas e dentre as que tinham usado algum método contraceptivo anteriormente...

Contracepção na adolescência: conhecimento sobre os métodos anticoncepcionais entre alunos de escolas públicas municipais de Ribeirão Preto - SP; Birth Control in Adolescence: Knowledge on Contraceptive Methods among Students in the Municipal School System of Ribeirão Preto- SP

Dib, Silvia Cristina Souza
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.67%
Este estudo teve como objetivo analisar o conhecimento sobre métodos anticoncepcionais (MAC) e identificar as variáveis associados ao conhecimento adequado sobre o tema, em adolescentes de escolas públicas municipais de Ribeirão Preto-SP. Consiste em um estudo do tipo transversal, desenvolvido segundo uma abordagem quantitativa. Foram escolhidas, intencionalmente, duas escolas municipais. A amostra foi constituída por cento e vinte (120) adolescentes, de ambos os sexos, com idade de 13 a 16 anos. A coleta de dados ocorreu no período de 05/03/2007 a 16/03/2007, sendo que o instrumento para a coleta foi um questionário semi-estruturado. Os resultados mostraram que os adolescentes deste estudo pertenciam ao grupo de idade entre 13 - 14 anos (81,7%), sendo que adolescen tes com 15-16 anos represen taram a menor parte (18,3%). O sexo masculino representou 51,6% da amostra e, o feminino, 48,4%. A iniciação sexual ocorreu com 13 anos para ambos ,no sexo feminino com (71,43%)e no sexo masculino (41,18%). Com relação ao uso da camisinha masculina 57,5% dos adolescentes entrevistados não utilizaram a camisinha e 28,3% a utilizaram em suas relações sexuais. Quanto ao uso de métodos anticoncepci onais, para a primeira relação...

Adolescência e anticoncepção: iniciação sexual e uso de métodos anticoncepcionais em adolescentes da Ilha de Santiago, Cabo Verde - África Ocidental; Adolescence and Contraception: the onset of sexual life and use of contraceptive methods among adolescents of Santiago Island, Cape Verde - West Africa

Tavares, Carlos Mendes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 08/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.72%
Objetivo: Descrever a iniciação sexual e o uso de métodos anticoncepcionais e estimar fatores associados a estas condutas, em adolescentes de 13 a 17 anos de idade, de escolas da rede pública de ensino secundário da Ilha de Santiago, Cabo Verde. Métodos: Estudo transversal realizado com amostra probabilística e representativa de 768 adolescentes com idade entre 13 e 17 anos, de escolas secundárias públicas da Ilha de Santiago em 2007. A associação foi testada pelo teste de proporção, qui-quadrado de Pearson ou Fisher e regressão logística. Para estimar os fatores associados ao uso de métodos anticoncepcionais e preservativo, foi analisada a sub-amostra de 368 adolescentes sexualmente ativos. O início da vida sexual, o uso de métodos anticoncepcionais e o uso de preservativo foram analisados como desfechos. Foram consideradas variáveis independentes: características sociodemográficas, afetivo-sexuais e comportamentais. Foi utilizada regressão logística para análise simultânea dos fatores, considerando-se nível de significância de 5%. Resultados: Entre os adolescentes do sexo masculino, os fatores associados ao início da vida sexual foram: idade maior que 14 anos, ser católico e consumir bebidas alcoólicas. Entre as adolescentes do sexo feminino...

Adolescência e anticoncepção: conhecimento e o uso de métodos anticoncepcionais por estudantes da zona urbana de Cruzeiro do Sul, Acre; Adolescence and contraception: knowledge and use of contraceptive methods by students of urban area of Cruzeiro do Sul, Acre

Rocha, Maria José Francalino da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/02/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.41%
Objetivo: Caracterizar o conhecimento e uso de métodos anticoncepcionais entre adolescentes de escolas públicas. Métodos: Estudo transversal, realizado com amostra probabilística e representativa de 363 adolescentes, de ambos os sexos, que não viviam conjugalmente, com idades entre 13 e 17 anos, matriculados no período diurno, de escolas públicas, da zona urbana do município de Cruzeiro do Sul, Estado do Acre, em 2008. A pesquisa contemplou as exigências éticas. A caracterização de conhecimento e uso de métodos anticoncepcionais foi feita, a partir da aplicação de um questionário estruturado, contendo perguntas fechadas e abertas sobre sexualidade e métodos contraceptivos. Dados coletados foram digitados, revisados e processados. O banco de dados foi constituído e analisado, estatisticamente, com a utilização do software Epi Info (version 3.5.8; 2008). Os dados foram descritos, utilizando a estatística descritiva: distribuição de freqüência, medidas de tendência central e medida de dispersão. Para identificação de diferenças entre grupos de adolescentes foi utilizado o teste Quiquadrado de Pearson ou Exato de Fisher. Resultados: Dos 363 adolescentes, 55,4por cento eram do sexo feminino e 44,6por cento...

Anticoncepcionais de ação prolongada : sintese de acidos graxos enoicos, dienoicos, inoicos, diinoicos e esteres de testosterona e nor-etiniltestosterona

Carmen Lucia Paiva Silveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/12/1980 PT
Relevância na Pesquisa
37.41%
A importância dos hormônios esteroidais no controle da natalidade tem sido relevante e, a procura de novos derivados de esteróides naturais para regular a natalidade tem sido intensificada. A substituição da hidroxila da testosterona e da nor-etiniltestosterona conduz a derivados anticoncepcionais de ação prolongada. Alguns desses ésteres foram preparados, a partir da síntese de ácidos graxos insaturados - enóicos, dienóicos, inóicos e diinóicos. O estudo da isomerização das ligações duplas em sistemas 2-enóicos e 2,4-dienóicos a sistemas 3-enóicos e 3,5-dienóicos, em meio básico, na preparação de substâncias modelos, possibilitou a síntese de ácidos E-3-nonenóico e E,E-3,5-nonadienóico. Tentamos também empregar este estudo na síntese de um produto natural biologicamente ativo - o ácido megatomóico - feromôneo sexual de um besouro, Antagenus megatoma (Fabricius). Derivados acetilênicos foram sintetizados e analisados por métodos espectroscópicos e a preparação do ácido 3-octinóico abre perspectivas para a síntese de ácidos diacetilênicos, especialmente do ácido 3,5-nonadiinóico. Uma investigação foi feita para a transformação de um derivado acetilênico em alênico, objetivando a síntese do ácido 7...

Fatores associados à descontinuação do uso de anticoncepcionais orais combinados

BAHAMONDES, Luis; PINHO, Felipe; MELO, Nilson Roberto de; OLIVEIRA, Eliane; BAHAMONDES, María Valeria
Fonte: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Publicador: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.24%
OBJETIVO: Avaliar as razões para descontinuar diversos anticoncepcionais orais combinados entre mulheres brasileiras iniciantes do método, residentes em áreas urbanas. MÉTODOS: Estudo de corte transversal com 400 ginecologistas do Brasil, registrados na Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Cada médico entrevistou 10 mulheres não grávidas, não lactantes, não em amenorreia, com idades entre 18 e 39 anos que consultavam solicitando anticoncepcional oral combinado (ACO), com um questionário no início de uso e aos 6 meses posteriores. O questionário incluiu dados sociodemográficos, tipo de ACO escolhido ou prescrito e razões para descontinuação, caso ocorresse durante o seguimento. A estratégia de seleção permitiu a inclusão de mulheres de diferentes estratos socioeconômicos, mas somente atendidas em consultórios privados ou de convênios. O tamanho da amostra foi estimado em 1.427 mulheres. RESULTADOS: Foram obtidas 3.465 entrevistas na primeira visita e 1.699 aos 6 meses posteriores. As mulheres tinham predominantemente entre 20 e 29 anos, 57,3% eram solteiras e em proporção quase igual de 45% tinham ensino médio ou superior. A maioria (60,7%) era nuligestas e dentre as que tinham usado algum método contraceptivo anteriormente...

Associação de alterações cromáticas e uso de anticoncepcionais orais

Ventura,Roberta; Malta,Juliana Serrano Machado; Lyra,Alessandra Freitas Carneiro; Danda,Diana Maria Rodrigues; Urbano,Lúcia Carvalho de Ventura
Fonte: Conselho Brasileiro de Oftalmologia Publicador: Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.41%
OBJETIVOS: Avaliar, em mulheres em idade fértil, a associação entre o uso de anticoncepcionais (ACO) orais de baixa dosagem e alterações na visão de cores. MÉTODOS: Foram incluídas no estudo 30 mulheres, 16 usuárias de ACO oral há menos de cinco anos (Grupo I) e 14 usuárias de anticoncepcionais orais há mais de cinco anos (Grupo II). Foram utilizados os testes de Ishihara, City University Color Vision Test e D 15 dessaturado. RESULTADOS: Não foram observados padrões característicos de distúrbio da visão cromática em nenhum teste dos dois grupos. CONCLUSÃO: Na amostra estudada, o uso de ACO oral de baixa dosagem não influenciou a visão de cores, independente do tempo de uso.

Relação do tempo de uso de anticoncepcionais hormonais orais e tempo para conceber

Ciari Jr.,Cyro; Santos,Jair L. F.; Castilho,Eucides Ayres de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1972 PT
Relevância na Pesquisa
37.24%
Observou-se um total de 565 mulheres pareadas segundo idade, nível sócio-econômico e estado de saúde, divididas em quatro grupos. Um grupo controle com 155 mulheres e três grupos de estudo sendo: grupo I com 162 mulheres que tomaram anticoncepcional hormonal oral durante um ano; grupo II com 127 mulheres que tomaram o mesmo anticoncepcional por dois anos e o grupo III, com 121 mulheres, repetiu as mesmas condições por três anos. Todas tomaram o mesmo anticoncepcional sob a mesma forma. Feitas as curvas de freqüência relacionando tempo de uso com tempo para conceber, verificou-se uma significativa diferença entre as curvas dos grupos controle e I em relação aos grupos II e III. O material foi submetido à análise de variância que confirmou os resultados das curvas. Conclui-se que o uso de anticoncepcionais hormonais orais, a partir do segundo ano, interfere com o sistema reprodutor determinando um aumento de prazo para conceber em relação aos grupos controle e de um ano de uso.

Emprego de anticoncepcionais por uma população brasileira

Ramos,Célia Leitão; Ogura,Keiko; Souza,Daisy A. C.; Beniczky,Catherine Laura; Bedini,Eliana; Medeiros,Elizabeth Guedes de; Santos,Maria do Carmo Dias dos; Cunha,Maria Eliza Fernandes; Castaldelli,Marilena; Tornante,Miriam Gomes; Pelosini,Regina Helena C
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1974 PT
Relevância na Pesquisa
37.52%
Um grupo de 245 mulheres moradoras em Mogi das Cruzes (Estado de S. Paulo, Brasil) foi questionado com relação ao uso de anticoncepcionais, história obstétrica, mortalidade infantil e atitudes correlacionadas com a limitação da natalidade. As respostas foram classificadas segundo idade e nível de renda da informante. Apenas 49% das mulheres empregavam medidas anticoncepcionais, das quais 42% recorriam aos anovulatórios. Esta prática era mais freqüente entre as mulheres jovens, e aquelas pertencentes às famílias melhores situadas economicamente. Não só era mais baixa a natalidade nas mulheres que se valiam de anticoncepcionais, mas esta prática acompanhava-se de sensível redução no número de abortos e da mortalidade infantil. O efeito foi mais pronunciado entre aquelas que empregavam os anovulatórios.

Características do uso de métodos anticoncepcionais no Estado de São Paulo

Vieira,Elisabeth Meloni; Badiani,Rita; Dal Fabbro,Amaury Lélis; Rodrigues Junior,Antonio Luiz
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.52%
OBJETIVO: Analisar dados coletados pela Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde, de 1996, sobre o uso de métodos anticoncepcionais no Estado de São Paulo, Brasil. MÉTODOS: Os dados obtidos foram analisados comparativamente com os do Brasil e com os de outra pesquisa similar realizada em 1986. Foi examinado o uso de métodos anticoncepcionais entre mulheres não-solteiras (casadas ou em coabitação), focalizando-se idade, número de filhos, escolaridade, idade na esterilização feminina e momento da esterilização. Para análise estatística, utilizaram-se o teste t-Student e o teste não-paramétrico de Kendall. RESULTADOS: Diferentemente do Brasil, houve estabilização dos índices de esterilização feminina no Estado de São Paulo no período estudado. Observou-se um mesmo padrão de uso de métodos no Brasil e em São Paulo: até os 30 anos, o método predominante foi a pílula; e, depois dos 30 anos, predominou a esterilização feminina, que aumenta com o número de filhos e diminui com a escolaridade. O uso de métodos masculinos aumentou nos últimos anos, sendo maior em São Paulo, que também apresenta maior diversidade no uso de métodos reversíveis. CONCLUSÕES: Apesar das diferenças, o uso predominante de apenas dois métodos anticoncepcionais...

Influência do uso de anticoncepcionais hormonais orais sobre o número de células de Langerhans em mulheres com captura híbrida negativa para papilomavírus humano

Uchimura,Nelson Shozo; Ribalta,Julisa Chamorro Lascasas; Focchi,José; Baracat,Edmund Chada; Uchimura,Taqueco Teruya
Fonte: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Publicador: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.24%
OBJETIVO: estudar a influência do uso de anticoncepcionais orais (AO) sobre o número de células de Langerhans em mulheres sem infecção cervical por papilomavírus humano (HPV). MÉTODOS: foram incluídas trinta mulheres com alterações citológicas e biópsia dirigida pela colposcopia com amostras de colo uterino sem sinais de infecção por HPV. A ausência de DNA de HPV foi confirmada pela captura híbrida. As células de Langerhans foram identificadas pela reação de imuno-histoquímica com uso de antígenos anti-S100. As células visualizadas em microscopia de luz foram contadas utilizando o software Cytoviewer. Para análise estatística utilizou-se o teste não paramétrico de soma das ordens de Wilcoxon. RESULTADOS: a média do número de células de Langerhans em mulheres usuárias de AO foi de 320,7/mm² e em não usuárias 190,7/mm², não sendo esta diferença significante. Na camada intermediária do epitélio cervical observou-se tendência ao aumento dessas células, com as médias 192,1/mm² para usuárias e 93,4/mm² para não usuárias de AO (p=0,05). CONCLUSÕES: no presente estudo não se observou diferença significativa no total de células de Langerhans entre as usuárias e não usuárias de AO, porém...

Mulher e anticoncepção: conhecimento e uso de métodos anticoncepcionais

Schor,Néia; Ferreira,Andrea Felicissimo; Machado,Vera L.; França,Ana Paula; Pirotta,Kátia C. M.; Alvarenga,Augusta Thereza de; Siqueira,Arnaldo Augusto Franco de
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.41%
Neste estudo buscou-se fazer uma análise do conhecimento e do uso de métodos anticoncepcionais (MAC) entre mulheres de 10 a 49 anos residentes na Região Sul do Município de São Paulo, no ano de 1992. Foram estudadas 1.157 mulheres em idade reprodutiva, tendo em vista variáveis que pudessem caracterizá-las quanto ao conhecimento de métodos anticoncepcionais (MAC), ao seu uso e ao motivo pelo qual optaram por determinado método. Verificou-se que 86% das mulheres desse universo referiram conhecer algum MAC, sendo a pílula o mais citado (95,3%) e, em segundo lugar, o condom masculino, que obteve 92,6% das respostas. Dentre as mulheres, 14% relataram não conhecer nenhum MAC. Das mulheres pesquisadas, 66,4% têm vida sexual e, dessas, 65,1 % fazem uso de algum tipo de MAC. A pílula é usada por 35,3% das usuárias de MAC, enquanto que 42,9% estão esterilizadas. Quanto ao uso do condom masculino, apenas 5,2% referem o uso. Apesar do alto índice de conhecimento de MAC - sobretudo, a pílula e o condom masculino - constatou-se baixo uso dos mesmos associado à alta freqüência de mulheres esterilizadas, ficando a anticoncepção circunscrita à pílula e à esterilização feminina.

Informações dos adolescentes sobre métodos anticoncepcionais

Guimarães,Alzira Maria d'Ávila Nery; Vieira,Maria Jésia; Palmeira,José Arnaldo
Fonte: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo Publicador: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.41%
Realizou-se estudo de corte transversal, com o objetivo de identificar, em escolares do ensino médio, informações relativas aos métodos anticoncepcionais. A amostra compreendeu 816 adolescentes de ambos os sexos de escolas públicas de Aracaju, Sergipe. Em relação a essas informações, foram investigados também aspectos demográficos, pedagógicos, comportamentais e reprodutivos. Verificou-se que 59% dos adolescentes possuíam vida sexual ativa e 57,7% afirmaram não receber informações sobre métodos anticoncepcionais nas escolas. As fontes de informações, revistas, livros e jornais, alcançaram o percentual de 28% e o condon masculino (84,5%) foi o método mais conhecido. A análise possibilitou identificar a necessidade de maior discussão na escola e a inserção dos pais nesse processo.

ANTICONCEPCIONAIS DE EMERGÊNCIA – POR QUE NÃO USAR?; EMERGENCY CONTRACEPTIVES: WHY NOT USE THEM?

Nogueira, Antonio Alberto; Reis, Francisco José Candido; Poli Neto, Omero Benedicto
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/03/2000 POR
Relevância na Pesquisa
37.41%
Artigo de revisão sobre métodos anticoncepcionais de emergência, abordando seu mecanismo de ação, eficácia e indicações, ilustrado com questionário informal, realizado com estudantes do primeiro ano do Curso de Ciências Médicas da FMRP-USP. O inquérito mostrou ser o método pouco conhecido e os que o conheciam apresentaram dúvidas sobre seu mecanismo de ação e efeitos adversos.; This is a review article concerning emergency contraceptives, with a description of their mechanism of action, efficacy and indications, ilustrated with na informal questionnaire applied to first-year medical studients at FMRP-USP. The questionnaire showed that the method is not well known and those students who knew them had doubt about their mechanisms of action and adverse effects.

Características do uso de métodos anticoncepcionais no Estado de São Paulo; Aspects of anticontraception methods used on São Paulo State, Brazil

Vieira, Elisabeth Meloni; Badiani, Rita; Dal Fabbro, Amaury Lélis; Rodrigues Junior, Antonio Luiz
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2002 POR
Relevância na Pesquisa
37.52%
OBJETIVO: Analisar dados coletados pela Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde, de 1996, sobre o uso de métodos anticoncepcionais no Estado de São Paulo, Brasil. MÉTODOS: Os dados obtidos foram analisados comparativamente com os do Brasil e com os de outra pesquisa similar realizada em 1986. Foi examinado o uso de métodos anticoncepcionais entre mulheres não-solteiras (casadas ou em coabitação), focalizando-se idade, número de filhos, escolaridade, idade na esterilização feminina e momento da esterilização. Para análise estatística, utilizaram-se o teste t-Student e o teste não-paramétrico de Kendall. RESULTADOS: Diferentemente do Brasil, houve estabilização dos índices de esterilização feminina no Estado de São Paulo no período estudado. Observou-se um mesmo padrão de uso de métodos no Brasil e em São Paulo: até os 30 anos, o método predominante foi a pílula; e, depois dos 30 anos, predominou a esterilização feminina, que aumenta com o número de filhos e diminui com a escolaridade. O uso de métodos masculinos aumentou nos últimos anos, sendo maior em São Paulo, que também apresenta maior diversidade no uso de métodos reversíveis. CONCLUSÕES: Apesar das diferenças, o uso predominante de apenas dois métodos anticoncepcionais...

Emprego de anticoncepcionais por uma população brasileira; Use of contraceptive practices by a Brazilian population

Ramos, Célia Leitão; Ogura, Keiko; Souza, Daisy A. C.; Beniczky, Catherine Laura; Bedini, Eliana; Medeiros, Elizabeth Guedes de; Santos, Maria do Carmo Dias dos; Cunha, Maria Eliza Fernandes; Castaldelli, Marilena; Tornante, Miriam Gomes; Pelosini, Regi
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/1974 POR
Relevância na Pesquisa
37.52%
Um grupo de 245 mulheres moradoras em Mogi das Cruzes (Estado de S. Paulo, Brasil) foi questionado com relação ao uso de anticoncepcionais, história obstétrica, mortalidade infantil e atitudes correlacionadas com a limitação da natalidade. As respostas foram classificadas segundo idade e nível de renda da informante. Apenas 49% das mulheres empregavam medidas anticoncepcionais, das quais 42% recorriam aos anovulatórios. Esta prática era mais freqüente entre as mulheres jovens, e aquelas pertencentes às famílias melhores situadas economicamente. Não só era mais baixa a natalidade nas mulheres que se valiam de anticoncepcionais, mas esta prática acompanhava-se de sensível redução no número de abortos e da mortalidade infantil. O efeito foi mais pronunciado entre aquelas que empregavam os anovulatórios.; A group of 245 married women from Mogi das Cruzes (State of S. Paulo, Brazil were questioned about the use of contraceptive practices, past obstetric history, child mortality, and attitude toward birth control. Answers were classified according to age and family earnings. Only 49% of these women practiced contraception, 42% of which used the "pill". There was a positive correlation between the practice of birth control and wage levels...

Informações dos adolescentes sobre métodos anticoncepcionais; Informaciones los adolescentes sobre los métodos anticonceptivos; Teenagers' information about anticonceptive methods

Guimarães, Alzira Maria d'Ávila Nery; Vieira, Maria Jésia; Palmeira, José Arnaldo
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2003 POR
Relevância na Pesquisa
37.41%
Realizou-se estudo de corte transversal, com o objetivo de identificar, em escolares do ensino médio, informações relativas aos métodos anticoncepcionais. A amostra compreendeu 816 adolescentes de ambos os sexos de escolas públicas de Aracaju, Sergipe. Em relação a essas informações, foram investigados também aspectos demográficos, pedagógicos, comportamentais e reprodutivos. Verificou-se que 59% dos adolescentes possuíam vida sexual ativa e 57,7% afirmaram não receber informações sobre métodos anticoncepcionais nas escolas. As fontes de informações, revistas, livros e jornais, alcançaram o percentual de 28% e o condon masculino (84,5%) foi o método mais conhecido. A análise possibilitou identificar a necessidade de maior discussão na escola e a inserção dos pais nesse processo.; Se realizó un estudio de corte transversal, con el objetivo de identificar en estudiantes de enseñanza media, informaciones relacionadas con los métodos anticonceptivos. La muestra comprendió 816 adolescentes de ambos sexos de escuelas públicas de Aracaju Estado de Sergipe. Se averiguaron aspectos demográficos, pedagógicos, comportamentales y reproductivos. Se encontró que 59% de los adolescentes tienen vida sexual activa y 57...

Emprego de anticoncepcionais por uma população brasileira

Ramos,Célia Leitão; Ogura,Keiko; Souza,Daisy A. C.; Beniczky,Catherine Laura; Bedini,Eliana; Medeiros,Elizabeth Guedes de; Santos,Maria do Carmo Dias dos; Cunha,Maria Eliza Fernandes; Castaldelli,Marilena; Tornante,Miriam Gomes; Pelosini,Regina Helena C
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1974 PT
Relevância na Pesquisa
37.52%
Um grupo de 245 mulheres moradoras em Mogi das Cruzes (Estado de S. Paulo, Brasil) foi questionado com relação ao uso de anticoncepcionais, história obstétrica, mortalidade infantil e atitudes correlacionadas com a limitação da natalidade. As respostas foram classificadas segundo idade e nível de renda da informante. Apenas 49% das mulheres empregavam medidas anticoncepcionais, das quais 42% recorriam aos anovulatórios. Esta prática era mais freqüente entre as mulheres jovens, e aquelas pertencentes às famílias melhores situadas economicamente. Não só era mais baixa a natalidade nas mulheres que se valiam de anticoncepcionais, mas esta prática acompanhava-se de sensível redução no número de abortos e da mortalidade infantil. O efeito foi mais pronunciado entre aquelas que empregavam os anovulatórios.

Mulher e anticoncepção: conhecimento e uso de métodos anticoncepcionais

Schor,Néia; Ferreira,Andrea Felicissimo; Machado,Vera L.; França,Ana Paula; Pirotta,Kátia C. M.; Alvarenga,Augusta Thereza de; Siqueira,Arnaldo Augusto Franco de
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.41%
Neste estudo buscou-se fazer uma análise do conhecimento e do uso de métodos anticoncepcionais (MAC) entre mulheres de 10 a 49 anos residentes na Região Sul do Município de São Paulo, no ano de 1992. Foram estudadas 1.157 mulheres em idade reprodutiva, tendo em vista variáveis que pudessem caracterizá-las quanto ao conhecimento de métodos anticoncepcionais (MAC), ao seu uso e ao motivo pelo qual optaram por determinado método. Verificou-se que 86% das mulheres desse universo referiram conhecer algum MAC, sendo a pílula o mais citado (95,3%) e, em segundo lugar, o condom masculino, que obteve 92,6% das respostas. Dentre as mulheres, 14% relataram não conhecer nenhum MAC. Das mulheres pesquisadas, 66,4% têm vida sexual e, dessas, 65,1 % fazem uso de algum tipo de MAC. A pílula é usada por 35,3% das usuárias de MAC, enquanto que 42,9% estão esterilizadas. Quanto ao uso do condom masculino, apenas 5,2% referem o uso. Apesar do alto índice de conhecimento de MAC - sobretudo, a pílula e o condom masculino - constatou-se baixo uso dos mesmos associado à alta freqüência de mulheres esterilizadas, ficando a anticoncepção circunscrita à pílula e à esterilização feminina.

Características do uso de métodos anticoncepcionais no Estado de São Paulo

Vieira,Elisabeth Meloni; Badiani,Rita; Dal Fabbro,Amaury Lélis; Rodrigues Junior,Antonio Luiz
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.52%
OBJETIVO: Analisar dados coletados pela Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde, de 1996, sobre o uso de métodos anticoncepcionais no Estado de São Paulo, Brasil. MÉTODOS: Os dados obtidos foram analisados comparativamente com os do Brasil e com os de outra pesquisa similar realizada em 1986. Foi examinado o uso de métodos anticoncepcionais entre mulheres não-solteiras (casadas ou em coabitação), focalizando-se idade, número de filhos, escolaridade, idade na esterilização feminina e momento da esterilização. Para análise estatística, utilizaram-se o teste t-Student e o teste não-paramétrico de Kendall. RESULTADOS: Diferentemente do Brasil, houve estabilização dos índices de esterilização feminina no Estado de São Paulo no período estudado. Observou-se um mesmo padrão de uso de métodos no Brasil e em São Paulo: até os 30 anos, o método predominante foi a pílula; e, depois dos 30 anos, predominou a esterilização feminina, que aumenta com o número de filhos e diminui com a escolaridade. O uso de métodos masculinos aumentou nos últimos anos, sendo maior em São Paulo, que também apresenta maior diversidade no uso de métodos reversíveis. CONCLUSÕES: Apesar das diferenças, o uso predominante de apenas dois métodos anticoncepcionais...