Página 1 dos resultados de 65 itens digitais encontrados em 0.062 segundos

Contaminações fecundas

Sampaio, Maria de Lurdes
Fonte: Edições Universidade Fernando Pessoa Publicador: Edições Universidade Fernando Pessoa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
76.31%
Neste ensaio procura-se dar conta das repercussões directas e indirectas da leitura de Edgar Allan Poe na obra dos dois autores mais carismáticos da Geração de 70, Antero de Quental e Eça de Queirós, visando sobretudo mostrar como Poe foi um importante contributo para o aperfeiçoamento da arte narrativa de Eça de Queirós. This essay focuses on the direct and indirect influences of the work of Edgar Allan Poe upon Eça de Queirós and Ramalho Ortigão, the most important authors of the so-called “Geração de 70”. One mainly intends to show how Poe played an important role in the development of Eça de Queirós’ writing.

Antero e o futuro da música

Carvalho, Mário Santiago de
Fonte: Itinerarium Publicador: Itinerarium
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
86.38%
Proposta de leitura do artigo de Antero de Quental sobre a futuro da música.

A postura de Eça de Queirós à luz dos debates educacionais em Portugal; Eça de Queirós posture in the presence of educational debates in Portugal

Sousa, Marcio Jean Fialho de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/11/2008 PT
Relevância na Pesquisa
86.32%
A questão educacional sempre foi pauta de debate nos meios intelectuais portugueses do século XVIII e XIX. Muitos se propuseram a escrever e refletir sobre a educação formal em Portugal, porém pouco foi feito de modo efetivo, o que praticamente obrigava os intelectuais a repensarem as suas teorias. Na segunda metade do século XVIII, Ribeiro Sanches e Luís António Verney apresentaram algumas propostas que, posteriormente, acabaram também sendo utilizadas pelo Marquês de Pombal. No século XIX, muitos outros intelectuais colaboraram com esse debate: Mousinho de Albuquerque, Passos Manuel, Castilho, Garrett e Herculano, são alguns dos nomes que trouxeram a questão à baila na primeira metade dos Oitocentos. Já, a partir das Conferências do Casino Lisbonense (1871), outra geração entra em cena e continua fomentando o debate sobre os problemas da instrução pública em Portugal. É a partir dessa época que Eça de Queirós registra seu contributo ao discursar, na famosa conferência, sobre o novo estilo literário e, em seguida, disponibilizar nAs Farpas as suas críticas à educação portuguesa, críticas essas que ganham uma nova roupagem no texto Um gênio que era um santo Antero de Quental, em O francesismo, e nas crônicas destinadas à Gazeta de Notícias do Rio de Janeiro. Dessa forma...

O desejo de inconsciência em poemas de Fernando Pessoa: ortônimo e heterônimos Alberto Caeiro e Alvaro de Campos; The unconsciousness desire in poems of Fernando Pessoa: orthonymous and heteronymous Alberto Caeiro and Álvaro de Campos

Rodrigues, Hélio Valdeci
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
86.6%
Este trabalho registra a trajetória da leitura que fizemos dos poemas do corpus em busca de resolução das questões problematizadas em torno do desejo de inconsciência. Procuramos identificar e estabelecer relações intertextuais entre os poemas Mãe..., de Antero de Quental, O sono do João, de António Nobre e alguns poemas de Fernando Pessoa ortônimo e heterônimos Alberto Caeiro e Álvaro de Campos. Buscamos perceber desdobramentos e representações do estado de inconsciência desejado e recomendado pelos sujeitos poéticos do corpus como rota de fuga às angústias íntimas oriundas do desconcerto entre as disposições anímicas do sujeito consigo mesmo e com o mundo, oriundas do doloroso sentir como fonte, para os sujeitos poéticos, de males: o pensamento reflexivo, a racionalidade, a ciência. Visamos, com a identificação e o estabelecimento de relações intertextuais entre poemas do corpus, perceber Fernando Pessoa inserido numa tradição literária de poetas intimistas portugueses do final do século XIX e início do XX, em cujos poemas reverbera o desejo de inconsciência. Procuramos expor, no capítulo O desejo de inconsciência, através do traço nostálgico e melancólico do homem da modernidade, o que poderia corroborar para uma compreensão mais aprofundada do problema do desejo de inconsciência como busca de paraísos mitológicos...

Reflexão sobre Antero

Fraga, Gustavo de
Fonte: Instituto Universitário dos Açores Publicador: Instituto Universitário dos Açores
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /01/1979 POR
Relevância na Pesquisa
86.51%
“[….]. Antero de Quental, cuja vida se estende entre 1842 e 1891, continua a ser na óptica contemporânea uma das figuras mais dominantes e complexas da sua época. Não cremos que seja possível interpretá-lo linearmente através de processos puros de erudição ou documentação, sem a consideração da sua estrutura anímica e do condicionalismo dos modelos e géneros literários em que se enquadram influências que impelem para uma evolução, influências e motivações incessantes e divergentes, compartimentadas em formas de expressão diferentes: o Antero poeta, o Antero filósofo, o Antero político, o Antero habitual e da correspondência íntima. […]”

A intemporalidade de Antero de Quental

Martins, Ana Maria Almeida
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
96.49%
Naquele tempo, no início de Novembro de 1871, quando as Conferências do Casino, velhas de 4 meses, já eram para o seu principal impulsionador e primeiro conferente: "Uma aurora mas à qual se não seguiu dia, ou só um dia fusco" (engano o seu), Antero de Quental comunicava a Oliveira Martins a intenção de se candidatar ao lugar de Professor de Literatura no Curso Superior de Letras, em Lisboa: "Afinal resolvi definitivamente ir ao concurso (…) Entre mil concorrentes eu serei sempre o último classificado na minha qualidade de homem perigoso; mas, ainda assim, com esta perspectiva de échouer, convém-me tentar, acrescentando-se que nada perco em estudar dez ou doze meses, certos lados da história que conheço mal (…) Que diz Você a isto francamente?" Quase de imediato anunciava também a Jaime Batalha Reis ter tomado a resolução de ir ao concurso e como tinha muito que estudar e não o podia fazer com aproveitamento em Lisboa, retirava para o Porto onde teria sossego e vagar. [...]

Antero de Quental: a sedução do divino

Costa Carvalho, Magda
Fonte: Zéfiro Publicador: Zéfiro
Tipo: Parte de Livro
Publicado em /12/2008 POR
Relevância na Pesquisa
96.59%
No âmbito dos vários enigmas que o leitor ainda hoje pode descobrir por detrás das vivências e da obra de Antero de Quental, ocupa lugar de destaque a relação que, enquanto homem, poeta e filósofo, manteve com o divino. Sobre esta questão se têm pronunciado os especialistas, incidindo sobre determinados aspectos da vida do autor ou simplesmente procurando descortinar a razão íntima que atravessa os vários momentos da sua obra. E de uma e outra vez encontramo-nos perante factos e ideias que nos obrigam a repensar e, por vezes, a redimensionar a personalidade e os objectivos de Antero de Quental.

A natureza em Antero de Quental: o projeto de uma «metafísica positiva»

Costa Carvalho, Magda
Fonte: Imprensa Nacional-Casa da Moeda Publicador: Imprensa Nacional-Casa da Moeda
Tipo: Livro
Publicado em /09/2006 POR
Relevância na Pesquisa
96.63%
Ao longo da história do pensamento, a ideia de natureza tornou-se permeável a uma intrincada e até ambígua complexidade semântica. Esta é uma tendência que se revela na obra de Antero de Quental (1842-1891) e é nesse sentido que aí encontramos a interpretação da natureza em múltiplas perspectivas, num crescente de densidade especulativa. Poeta por vocação íntima e filósofo por opção convicta, Antero de Quental adoptou em todos os seus escritos a missão de abrir as fronteiras do pensamento. Ainda que não seja alvo de uma análise sistemática por parte de Antero, a ideia de natureza constitui-se como um dos núcleos temáticos essenciais da sua obra. O presente trabalho assume o propósito de reconstituir as diversas acepções e contextos explicativos em que se desenvolve o conceito de natureza no perímetro dos textos do poeta-filósofo açoriano, procurando justificar a existência de uma mundividência filosófica própria subjacente ao corpus anteriano.

Poesia e Filosofia: contendas e compromissos no percurso de Antero de Quental

Costa Carvalho, Magda
Fonte: Insulana. Órgão do Instituto Cultural de Ponta Delgada Publicador: Insulana. Órgão do Instituto Cultural de Ponta Delgada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2004 POR
Relevância na Pesquisa
86.39%
A asserção de que Antero teve alma de poeta e vocação de filósofo parece constituir uma posição mais ou menos consensual entre os estudiosos da sua obra. Tal como fica documentado pela nossa epígrafe, é o próprio quem primeiramente reconhece que, no seu espírito, pensamento e emoção se envolvem numa construção espontânea de duradouros laços fraternais.

Antero de Quental e Henri Bergson: notas para uma aproximação

Costa Carvalho, Magda
Fonte: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa Publicador: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
106.49%
Não é inusitada a ideia de aproximar Antero de Quental e Henri Bergson, sobretudo para quem se encontre familiarizado com o pensamento de ambos. Ainda que seja sobejamente conhecida a predileção do primeiro pela filosofia alemã, a presença de autores como Boutroux entre o espólio bibliográfico do poeta-filósofo açoriano anunciam uma sintonia com algumas das preocupações especulativas a que o pensamento francês do século XIX dera voz. Assim, apesar de não ser estruturante no modo de pensar anteriano, a aproximação à filosofia francesa não deixa de se evidenciar ao longo de diversos momentos dos seus textos, "enriquecendo perspetivas, acentuando contornos, forçando orientações".

Diálogo poético entre Antero de Quental e Augusto dos Anjos: a modernidade luso-brasileira

Lima, Neilton Limeira Florentino de
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
126.67%
O objetivo desta pesquisa é estudar possibilidades de diálogo entre os poetas Antero de Quental (1842-1891) e Augusto dos Anjos (1884-1914), cotejando as convergências, e consequentemente as divergências, temáticas e estilísticas, tais como: o uso da forma do soneto, das quadras e sextilhas longas, todas em decassílabos, traçando a ponte entre a estética clássica e a ruptura das linguagens e idéias não tradicionais utilizadas pelos poetas; o eu lírico em crise, desconstruindo os conceitos anteriores e quebrando as expectativas dos leitores; as presenças essenciais da Morte, da Filosofia, do Cientificismo, da Religião e da Metafísica nas referidas liras. Temas recorrentes, retratados de maneira ímpar, crítica, que remetem à Modernidade, evidenciadora da atualidade de suas obras poéticas. Sobre o poeta português Antero de Quental ter-se-á como norteador, a partir dos seus Sonetos Completos (1886), a seleção feita por António Sérgio: Antero de Quental Sonetos, da Coleção de Clássicos Sá da Costa (1968), prefaciada por Oliveira Martins; a respeito do poeta brasileiro Augusto dos Anjos, utilizar-se-á o Eu (1912), em edição organizada por Alexei Bueno: Augusto dos Anjos: Obra completa, volume único, publicado pela Nova Aguilar (1994). Isto posto...

O entrelaçar da poesia de Antero de Quental e Florbela Espanca

Cardoso Carvalho, Elizabeth; Oliveira Farias Coimet, Yaracylda (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
106.48%
O objetivo desta pesquisa foi estudar as diferenças e semelhanças percebidas na lírica de Antero de Quental e Florbela Espanca, com relação às temáticas: Amar e Pensar; dando-se ênfase ao papel do leitor cooperativo, ou seja, aquele que está em constante diálogo com o texto, cedendo aos seus apelos e preenchendo os seus vazios. Os caminhos percorridos foram norteados pelo comparativismo e pela Estética da Recepção, teorias que se afiguraram de grande interesse para o desenvolvimento deste trabalho

História de Portugal contemporâneo : político e institucional : Antero de Quental : o ícaro da Geração de 70

Medina, João
Fonte: Universidade Aberta Publicador: Universidade Aberta
Tipo: info:eu-repo/semantics/lecture; info:eu-repo/semantics/other Formato: application/wmv
Publicado em //1994 POR
Relevância na Pesquisa
86.48%
Académico - Licenciaturas; Descrição da vida de Antero de Quental, no plano da cultura e no plano da política.

Contaminações Fecundas: traços de Edgar Allan Poe em Eça de Queirós e Antero de Quental

Sampaio, Maria de Lurdes Morgado
Fonte: Universidade do Porto Publicador: Universidade do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
86.31%
Neste ensaio procura-se dar conta das repercussões directas e indirectas da leitura de Edgar Allan Poe na obra dos dois autores mais carismáticos da Geração de 70, Antero de Quental e Eça de Queirós, visando sobretudo mostrar como Poe foi um importante contributo para o aperfeiçoamento da arte narrativa de Eça de Queirós. This essay focuses on the direct and indirect influences of the work of Edgar Allan Poe upon Eça de Queirós and Ramalho Ortigão, the most important authors of the so-called quot;Geração de 70. One mainly intends to show how Poe played an important role in the development of Eça de Queirós#8217; writing.

Proudhon e o socialismo anteriano

Rocha, Acílio da Silva Estanqueiro
Fonte: Universidade Católica Portuguesa. Faculdade de Filosofia de Braga Publicador: Universidade Católica Portuguesa. Faculdade de Filosofia de Braga
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //1991 POR
Relevância na Pesquisa
76.41%
Após um breve excurso por alguns dos momentos significativos da actividade política do nosso Filósofo-Poeta, pretende-se então analisar os temas nucleares do socialismo proudhoniano (Revolução, Dialéctica, Propriedade, Estado, Moral), cuja pertinência seja relevante no socialismo de Antero de Quental.; Après un bref excursus par quelques moments significatifs de l'activité politique de notre Philosophe-Poète portugais, on analyse les thèmes fondamentaux du socialisme proudhonien (Révolution, Dialectique, Propriété, État, Morale) dont la pertinence soit éclatante dans le socialisme d'Antero de Quental.; After a brief excursus on some of the most significant aspects of our Philosopher-Poet's political activity, an analysis is made of the main themes of the proudhonian socialism (Revolution, Dialectis, Property, State, State, Ethics) that have strongly influenced Antero's socialism.

O encontro artístico entre Antero de Quental e Mário Eloy

Nunes, Maria do Céu do Monte Neves Roma
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
76.83%
O presente trabalho tem como objetivo a realização de uma análise comparativa nas vertentes artísticas da poesia e pintura. Pretendemos demonstrar que as temáticas da modernidade, humanismo, visualíssimo e expressividade são abordadas de forma comparável por Antero de Quental, enquanto poeta, e Mário Eloy, enquanto pintor. Antero de Quental apresenta, na sua poesia, palavras detentoras de uma forte expressividade. A par da expressividade da palavra, e baseada nela, pode construir-se um cenário da poesia anteriana. O vermelho, o verde e o azul são as cores fortes de Mário Eloy. O tratamento da cor, a distribuição da luz, a diferente pormenorização dada aos rostos, aos desproporcionados corpos das figuras e às suas roupas, evidenciam a autonomia da interiorização dos cânones e técnicas expressionistas. As cores, tal como as formas, transmitem uma forte expressividade, uma mensagem, uma palavra. Nesta dissertação tentaremos provar que os artistas em análise, apesar de pertencerem a épocas distintas, “encontram-se” nalguns tópicos. Para além das temáticas abordadas, este encontro artístico evidencia-se pelo facto de poder existir um visualismo em Antero e expressividade em Eloy. Poderemos ainda escutar a voz de Mário Eloy na poesia de Antero e vermos a plasticidade de Antero nas telas de Eloy. ***/Abstract - The present work has the aim to accomplish a comparative analysis in the artistic slopes of poetry and painting. It intends to demonstrate that the themes of modernity...

Antero de Quental e a geração de 50

Pereira, José Esteves
Fonte: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //1995 POR
Relevância na Pesquisa
76.49%
pp. 313-320; Antero de Quental (1842-1891) toma-se em 1865, e em 1871, arauto de uma geração que define como tendo saído decididamente e conscientemente, da "velha estrada da tradição".*^' Esta geração que, primeiro em Coimbra, com a polêmica do "Bom senso e do Bom gosto", e depois em Lisboa, com as Conferências do Casino Lisbonense se abre às novas correntes de pensamento europeu faz, também, o balanço do liberahsmo político e cultural do país retomando projectos frustrados de uma significativa geração: a de 1850. A geração a que pertencem, José FeHx Henriques Nogueira, Antônio Pedro Lopes de Mendonça e Sousa Brandão foi marcada pelos acontecimentos revolucionários europeus de 1848 e procura superar a crise do liberalismo português, no rescaldo da Patuleia e da intervenção anglo-espanhola que conduz à convenção de Gramido e põe termo à guerra civil. O que pretendo aqui apresentar é a apreciação que Antero de Quental vem a fazer de dois dos mais significativos expoentes da geração de 50: José Felix Henriques Nogueira (1825-1858) e Antônio Pedro Lopes de Mendonça (1826-1865).

Influências de “Causas da decadência dos povos peninsulares” de Antero de Quental na historiografia sobre poderes locais em Portugal e no Brasil no século XX

Ribeiro, Fernando V. Aguiar; Doutorando em História Econômica pela Universidade de São Paulo e mestre em História Econômica pela mesma instituição. Bolsista CNPq. Artigo resultante de etapa de doutorado-sanduíche realizado em Portugal no Instituto
Fonte: Cadernos de História Publicador: Cadernos de História
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 22/03/2015 POR
Relevância na Pesquisa
86.55%
Esse artigo propõe analisar as obras sobre poderes locais e sua relação com o poder central do século XX a partir da influência que essas tiveram da obra Causas da decadência dos povos peninsulares de Antero de Quental.            A ideia é que, tanto as obras ligadas ao Estado Novo quanto às relacionadas com a democratização após 1975, representam respostas, distintas na sua forma e objetivos, à obra de Quental.            Autores como Alexandre Herculano, Gama Barros, Damião Peres, Torquato Brochado, Edmundo Zenha, Maria Helena da Cruz Coelho, Joaquim Romero Magalhães e António Manuel Hespanha, ao tratarem da temática dos poderes locais relacionados com o poder central, sofreram influências do seu contexto político e social. Propomos, portanto, relacionar esses autores e suas obras ao seu momento de produção, bem como quais suas relações com a obra de Antero de Quental, considerada como pioneira na interpretação da história portuguesa e mais de um século após sua produção, ainda é marcante na compreensão da realidade política e social de Portugal.

Antero de Quental: a última palavra da natureza é 'ética'

Costa Carvalho, Magda
Fonte: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa Publicador: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
106.53%
Antero de Quental (1842-1891) is best known for his poetic work. Nevertheless, alongside this literary work, and in close correlation with it, he produced a corpus of philosophical texts of great depth and relevance. Nature composes a unifying thematic core for his work, and is implicit throughout the author’s entire work. In this paper, we seek to establish the main tendencies of his Evolutionism, both from the positive and metaphysical points of view. On his last work (Tendências gerais da filosofia na segunda metade do século XIX), the author talks about "good" as the fundamental principle of all human actions and of nature itself: the last word of nature is written by the human consciousness whenever a good action is performed. This opens the door to a spiritual Evolutionism and explains the moral world view that we can find in Antero de Quental's thought.

LIFE AS FICTION, OR SOME NOTES ON ANTERO DE QUENTAL; DA VIDA ENQUANTO FICÇÃO, OU ALGUMAS NOTAS SOBRE ANTERO DE QUENTAL

Figueiredo, Monica; Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Fonte: NEPA/UFF Publicador: NEPA/UFF
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Peer-reviewed Article; Artigo avaliado por pares Formato: application/pdf
Publicado em 19/08/2008 POR
Relevância na Pesquisa
106.72%
Recovery of essayistic route of Antero de Quental . Analysis of the main ideas of Quental's thought and its relation with the biographical path of the poet. The (re) creation of fictional "A genius who was a saint", according Eça de Queiroz . The biography as a form of fictional writing.; Recuperação do percurso ensaístico de Antero de Quental. Análise das principais idéias do pensamento anteriano e sua relação com o percurso biográfico do Poeta. A (re)criação ficcional de “Um Génio que era um Santo”, segundo Eça de Queirós. A biografia como forma de escritura ficcional.