Página 1 dos resultados de 144 itens digitais encontrados em 0.020 segundos

Estudo dos aspectos psicológicos e sua influência no desenvolvimento da hipertensão gestacional; Study of psychological aspects and its implications for the occurence of hypertension during pregnancy

Okino, Erika Tiemi Kato
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/09/2002 PT
Relevância na Pesquisa
46.37%
A gestação pode ser considerada, dentro das etapas de desenvolvimento, para o homem, mas principalmente para a mulher, como um dos momentos de crise dentro desse processo contínuo e dinâmico. É um momento transitório existencial que envolve necessidade de reestruturações e reajustamentos em várias dimensões, verificando-se necessidade de mudança de identidade e redefinição de papéis. Nesse período, existem alguns estados emocionais que são peculiares, com uma variedade de mudanças e nuances cuja etiologia ainda é bastante discutida, pois envolvem complexas inter-relações entre fatores hormonais e psicológicos. Encontra-se na literatura estreita vinculação entre intercorrências clínico-obstétricas e estados emocionais específicos, o que nos levou, neste trabalho, à investigar o porquê de algumas mulheres desenvolverem o quadro hipertensivo durante a gravidez e outras não. Haveria alguma coisa em seu perfil psicológico que as diferenciasse das grávidas normais? A gravidez acompanhada de hipertensão é uma das principais causas de morte materna em todo o mundo e por constituir-se numa gravidez de alto risco, todas as características peculiares a uma gravidez normal mostram-se exacerbadas. Dentro desse contexto...

Orgulho de pai: cartilha educativa para a promoção do envolvimento paterno na gravidez; Father's pride - educational booklet to promote paternal involvement during pregnancy

Manganiello, Adriana
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
56.22%
A promoção do envolvimento paterno com a gravidez é uma recomendação mundial, considerando o limitado suporte oferecido aos pais no esclarecimento das suas dúvidas para a vivência da paternidade. As mudanças no papel paterno mostram que existe uma busca dos homens pela participação no processo da gestação, o que merece atenção como objeto de pesquisas científicas na área da assistência obstétrica. A exploração das dificuldades e possibilidades de suporte aos homens para a vivência da paternidade são aspectos essenciais a serem estudados. Os objetivos desta pesquisa foram explorar as experiências vividas pelos pais relativas ao processo de gravidez, parto, pós-parto, aleitamento materno e cuidados com o recém-nascido; identificar as dúvidas e necessidades por orientação relativas a este processo e elaborar um material educativo, mediante inclusão de conteúdos que visam sanar as principais dúvidas e suprir as necessidades dos pais. A história oral temática foi utilizada para explorar as experiências e identificar as demandas por orientação de 17 pais que compartilharam com suas esposas do processo de gravidez, parto, pós-parto, aleitamento materno e primeiros cuidados com o recém-nascido. Os dados foram coletados por meio de entrevista não estruturada...

Ansiedade na gravidez : implicações para a saúde e desenvolvimento do bebé e mecanismos neurofisiológicos envolvidos

Conde, Ana; Figueiredo, Bárbara
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 POR
Relevância na Pesquisa
56.31%
O presente artigo é uma revisão da investigação mais relevante no domínio das implicações da ansiedade materna para a saúde e desenvolvimento do recém-nascido. Atende, particularmente, aos mecanismos neurofisiológicos possivelmente responsáveis pelo impacto adverso da ansiedade materna durante a gravidez na saúde e bom desenvolvimento do bebé, tanto durante a gestação, como a médio e longo prazo. Finaliza, alertando para a necessidade de implementar medidas de prevenção e intervenção em situações de alta ansiedade, as quais são fundamentais para garantir uma diminuição da morbilidade associada e dos efeitos adversos que se verificam no desenvolvimento da criança.; The present article is a review of the more recent and relevant research in the field of maternal anxiety implications to the infant’s health and development. It mainly discusses neurophysiologic mechanisms probably responsible for the adverse impact of maternal anxiety during pregnancy in infant’s health and development, during childbearing and also in postpartum and later in life. This article ends alerting to the necessity of prevention and intervention measures for reducing anxiety levels during pregnancy, in order to diminishing the morbidity associated with and the main adverse effects in child’s development.; Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) - SFRH/BD/13768/2003.

Ansiedade, qualidade do relacionamento conjugal e vinculação materna ao feto : estudo com grávidas primíparas e multíparas

Magalhães, Cláudia Sofia Pereira
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 08/04/2013 POR
Relevância na Pesquisa
56.37%
A gravidez é um período caraterizado por várias mudanças na vida da mulher. É nesta fase repleta de sentimentos ambivalentes, que se dá início à formação do vínculo mãe-bebé. Esta vinculação pré-natal materna relaciona-se com diferentes variáveis psicossociais como a ansiedade e qualidade do relacionamento conjugal que influenciam o bem-estar da grávida e do bebé. O objetivo central desta investigação foi comparar uma amostra de mulheres grávidas primíparas com um grupo de mulheres multíparas em relação à vinculação pré-natal materna ao feto, à ansiedade na gravidez e à qualidade do relacionamento conjugal. A investigação foi de natureza observacional, descritivo-transversal. A amostra foi constituída por 62 utentes do ACES Alto Ave. Foram administrados o Antenatal Emotional Attachment Scale, o State- Trait Anxiety Inventory (STAI) e Relationship Questionnaire (RQ). Os resultados mostraram que a qualidade do relacionamento conjugal positivo difere entre as grávidas multíparas e primíparas, evidenciando as últimas mais aspetos positivos na relação conjugal. Constatou-se também que ao nível da subescala ansiedade traço, as grávidas multíparas apresentam maior sintomatologia ansiosa do que as grávidas primíparas. Ao nível da vinculação pré-natal e ansiedade estado não se verificaram diferenças entre as grávidas primíparas e multíparas. Os resultados desta investigação no âmbito da Psicologia da Parentalidade sublinham a necessidade de um maior investimento na prevenção e intervenção durante o período da gravidez com a finalidade de promover uma melhor parentalidade.; Pregnancy is a period characterized by several changes in women’s lives. It is at this stage...

Vinculação paterna ao feto : ansiedade e perceção da qualidade

Gonçalves, Rosália Marina Teixeira
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 05/07/2013 POR
Relevância na Pesquisa
46.39%
O estado de gravidez, fisicamente condicionado à mulher, não exclui o envolvimento do pai, particularmente na gestação. De facto, a vinculação do pai ao feto inicia na gravidez mostrando muitos homens o seu envolvimento através da interação com o feto na barriga, do apoio emocional à gestante e pela presença nas consultas obstétricas. Este vínculo considerado um vínculo de carácter indireto mediado pela mãe, desenvolve-se através das representações internas feitas ao longo da gravidez. O presente estudo, descritivo transversal, teve como objetivo principal caraterizar uma amostra de homens durante o período de gravidez da companheira ao nível da vinculação pré-natal, ansiedade e qualidade do relacionamento conjugal. A amostra foi constituída por 61 homens companheiros de utentes grávidas do ACES do Alto Ave. Foram utilizadas as versões portuguesas do Antenatal Emotional Attachement Scale, State-Trait Anxiety Inventory e Relationshiop Questionnaire. Os resultados indicaram que durante o período gestacional os participantes apresentam vinculação forte e saudável ao feto, níveis de ansiedade estado mais baixos do que ansiedade traço e percecionam mais positivamente a relação conjugal do que negativamente. Verificouse que os participantes mais velhos apresentam uma qualidade de vinculação ao feto inferior e uma perceção mais negativa da relação conjugal do que os mais novos. Estes dados indicam a necessidade de novas investigações neste âmbito para uma melhor compreensão do período pré-natal na perspetiva masculina.; The state of pregnancy...

Experiência de dor e de emocionalidade negativa na gravidez : uma abordagem dialéctica e desenvolvimentista

Luz, Rita Alexandra Freire Fonseca da
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
56.34%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica da Saúde e da Doença), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2010; Não sendo uma doença, a gravidez implica, por vezes, o confronto com sintomatologia associada a um processo patológico. Neste sentido, muitas mulheres relatam a existência de dor e de emocionalidade negativa durante o seu percurso de gravidez. No presente estudo, pretende-se aceder às significações caracterizadoras da experiência de dor durante a gravidez e do controlo da dor e da emocionalidade negativa. Pretende-se também avaliar a adequação da metodologia de auto-monitorização reactiva ao controlo da dor e da emocionalidade negativa na gravidez. Para tal, foram realizadas entrevistas de análise comportamental da experiência de dor e de emocionalidade negativa a um grupo de grávidas, que referiram sentir dor durante a gravidez, e foi implementado um protocolo de auto-monitorização reactiva da intensidade da dor e da percepção de controlo e vulnerabilidade relativamente à dor e às emoções negativas normalmente associadas: tristeza, ansiedade/stress e irritação. Treze grávidas participaram neste estudo. Todas as grávidas responderam às questões da entrevista...

Funcionamento sexual feminino e exposição corporal na gravidez de termo

Veríssimo, Carlos Miguel de Aguiar, 1981-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
56.17%
Tese de mestrado, Sexualidade Humana, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa, 2012; Objectivos: Caracterizar o comportamento e funcionamento sexuais e as atitudes face à exposição corporal durante a actividade sexual na gestação de termo, determinando o impacto da origem geográfica, religião, profissão, escolaridade, duração do relacionamento, planeamento da gestação, paridade, actividade sexual pré-gestacional, aumento ponderal e preocupações acerca das estrias cutâneas. Estabelecer a relação entre o coito vaginal durante a gravidez de termo e o desfecho obstétrico. Metodologia: Foi elaborado um estudo observacional prospectivo que incluiu 200 grávidas de termo, com domínio da língua Portuguesa e idade ≥ 18 anos. Excluiu-se comorbilidade médico-cirúrgica, patologia obstétrica, gravidez múltipla e técnica de reprodução medicamente assistida. Aplicou-se o Female Sexual Function Index (FSFI), o Body Exposure during Sexual Activities Questionnaire (BESAQ), um questionário sociodemográfico e outro referente ao comportamento sexual pré-gestacional e na gravidez de termo. Manteve-se o acompanhamento até ao parto e recolheram-se os dados do desfecho obstétrico e neonatal. Resultados: A idade média foi 28...

Reacções ansiosas na gravidez e comportamento interactivo das mães durante o período neonatal dos filhos

Santos, Pedro Lopes dos
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //1993 POR
Relevância na Pesquisa
56.2%
Neste estudo, examinou-se até que ponto as manifestações ansiosas nas últimas semanas da gravidez estão relacionadas com a qualidade do comportamento interactivo exibido pela mãe nos dias subsequentes ao parto. Para o efeito, estudámos prospectivamente um grupo de 34 primigestas (idade entre os 20 e os 32 anos) junto do qual obtivemos medidas do nível de ansiedade estado na parte terminal da gestação (8."/9." mês) e medidas do seu comportamento interactivo durante um episódio de amamentação observado no 2." ou 3." dia de vida dos bebés. Neste cenário, verificou- -se que a incidência de comportamentos afectuosos e que a quantidade de tempo gasto pelas mães a olharem os filhos variaram em função dos valores da ansiedade na gravidez. Os dados são discutidos i luz de uma formulação teórica geral que entende as manifestações ansiosas do fim da gestação como determinante crucial no desenvolvimento do processo de ligação; ABSTRACT: In this study the relationship between state-anxiety in late pregnancy and maternal interactive behavior was prospectively studied among 34 women (aged 20-32 years). Findings show that levels of state- -anxiety assessed in the last trimester of pregnancy (8th or 9th month) predicted maternal affectionate behavior and the amount of time that mothers spent looking at their infants during a feeding interaction observed at day 2 or 3 after delivery. Discussion of these results stresses the idea that maternal bonding process tends to develop in the last weeks of pregnancy on the ground of some psychic tension.

Estratégias de relaxamento e seus benefícios: uma investigação durante o período de gravidez

Bjorn, Maria Benvinda Nereu
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
46.32%
Dissertação mest., Psicologia da Saúde, Universidade do Algarve, 2009; Este estudo foi-se desenvolvendo durante alguns anos no decorrer da minha prática clínica, na observação de mulheres grávidas em acompanhamento psicoterapêutico de relaxamento, tendo-se verificado transformações positivas psicofisiológicas por parte das futuras mães e pais relativamente à gravidez maternidade e parentalidade. É no âmbito deste enquadramento conceptual que a nossa investigação teve como objectivo, dar continuidade a essa observação no sentido de promover evidência científica através de uma estudo quasi-experimental, do tipo plano com grupo de controlo não equivalente, numa amostra de dois grupos de mulheres no momento da gravidez, em que o primeiro Grupo 1 de investigação é submetido ao estímulo de relaxamento, utilizando instrumentos de validação para medição dos estados de ansiedade, depressão e stresse, e o Grupo 2 é apenas de controlo. Os instrumentos de validação escolhidos foram a Escala de Ansiedade, Depressão e Stresse (EADS) 21 itens, de Lovibond e Lovibond e avaliação relativa a alterações da tensão sistólica e diastólica e medição da frequência cardíaca. Os resultados foram bastante optimistas na significância da Técnica aplicada...

Ansiedade nas grávidas: prevalência e fatores associados

Fonseca, Sara Isabel Rodrigues Pina
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.41%
A ansiedade durante a gravidez é frequente e, em muitos casos, com níveis particularmente elevados podendo comprometer a saúde da gestante e do bebé. Através do método quase experimental procurámos verificar o impacto de alguns fatores identificados em estudos anteriores como mais preponderantes para os níveis de ansiedade durante a gravidez. A amostra é composta por um grupo de 190 grávidas pertencentes a três distritos diferentes de Portugal: Santarém, Castelo Branco e Guarda. Os dados foram recolhidos em seis unidades de saúde diferentes, nomeadamente Hospitais e Unidades de Saúde Familiares. Para elaborar a pesquisa foi utilizado um questionário, constituído por uma parte respeitante a informação sócio-demográfica e outra constituída por dois instrumentos de avaliação psicológica, o Índice de Apgar Familiar de Smilkenstein e o Inventário de Ansiedade Estado - Traço de Spielberger. A partir da investigação realizada foi possível identificar alguns fatores como principais causadores de níveis elevados de ansiedade, como o facto de se tratar de uma gravidez não planeada, a espera pelos resultados dos exames médicos, o aproximar da data provável de parto e a falta de conhecimentos por parte das grávidas acerca da gravidez e do futuro papel enquanto mães. Não se verificou indícios da existência de uma influência significativa entre os níveis de ansiedade estado das grávidas e os trimestres gestacionais...

Ansiedade na gestação, prematuridade e baixo peso ao nascer: uma revisão sistemática da literatura

Araújo,Daniele Marano Rocha; Pereira,Natália de Lima; Kac,Gilberto
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2007 PT
Relevância na Pesquisa
56.18%
O objetivo desta revisão é examinar publicações que investigaram o efeito da ansiedade no maior risco de prematuridade e/ou baixo peso ao nascer. Os bancos de dados MEDLINE versão PubMed, BVS, CINAHL e HEALTHSTAR, referentes aos anos de 1966 a 2006, foram rastreados usando-se a combinação dos seguintes descritores: anxiety, pregnancy, low birth weight e prematurity. Foram localizados 13 estudos: 11 coortes, 1 transversal e 1 caso-controle. A maioria (7/13) dos estudos foi realizado nos Estados Unidos. Quatro estudos foram considerados de excelente qualidade, pois excluíram adolescentes e/ou mulheres acima de 34 anos, aferiram a ansiedade a partir do primeiro e/ou segundo trimestre de gestação, utilizaram escalas validadas para medir ansiedade, apresentaram perdas de seguimento inferiores a 30% e controlaram os mais importantes fatores de confusão. A ansiedade na gestação foi associada à prematuridade e/ou ao baixo peso ao nascer em oito estudos. Os valores de razão de chance e risco relativo variaram de 1,08 a 2,31. São necessários estudos cuidadosamente desenhados para esclarecer a relação entre ansiedade na gestação, prematuridade e baixo peso ao nascer, já que as evidências observadas ainda são contraditórias.

Apego materno-fetal, ansiedade e depressão em gestantes com gravidez normal e de risco: estudo comparativo

SAVIANI-ZEOTI,Fernanda; PETEAN,Eucia Beatriz Lopes
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2015 PT
Relevância na Pesquisa
46.33%
Este estudo teve como objetivo verificar as possíveis diferenças nos comportamentos de apego materno-fetal, bem como nos níveis de ansiedade e depressão apresentados por gestantes com e sem risco na gravidez, durante o segundo trimestre gestacional. Participaram da pesquisa 25 mulheres com gravidez sem risco e 23 com gravidez de risco, sendo que quatro delas tiveram fetos malformados. A Escala de Apego Materno-fetal e os Inventários de Ansiedade e Depressão de Beck foram utilizados. Os resultados mostram que não há diferenças no nível de apego materno-fetal entre os dois grupos de gestantes, os quais apresentaram valores máximos. Os índices de ansiedade e depressão mostraram-se mais elevados, mas não estatisticamente significativos, entre as gestantes de risco, principalmente para aquelas que tinham suspeita de fetos malformados. Conclui-se que a gravidade da realidade vivida por essas mães implica em níveis mais elevados de ansiedade e depressão, porém, não impede a formação da relação de apego entre elas e seus filhos.

Ansiedade na Gravidez: Implicações para a Saúde e Desenvolvimento do Bebé e Mecanismos Neurofísiológicos Envolvidos*

Conde, Ana; Figueiredo, Bárbara
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 29/08/2014 POR
Relevância na Pesquisa
46.31%
ResumoO presente artigo é uma revisão da investigação mais relevante no domínio das implicações da ansiedade materna para a saúde e desenvolvimento do recém-nascido. Atende, particularmente» aos mecanismos neurofisiológicos possivelmente responsáveis pelo impacto adverso da ansiedade materna durante a gravidez na saúde e bom desenvolvimento do bebé, tanto durante a gestação, como a médio e longo prazo. Finaliza, alertando para a necessidade de implementar medidas de prevenção e intervenção em situações de alta ansiedade, as quais são fundamentais para garantir uma diminuição da morbilidade associada e dos efeitos adversos que se verificam no desenvolvimento da criança.Palavras-Chave: ansiedade; gravidez; desenvolvimento do bebé.

Ansiedade na gravidez: factores de risco e implicações para a saúde e bem-estar da mãe

Conde, Ana; Figueiredo, Barbara
Fonte: Clínica Psiquiátrica dos Hospitais Universitários de Coimbra Publicador: Clínica Psiquiátrica dos Hospitais Universitários de Coimbra
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2003 POR
Relevância na Pesquisa
56.31%
O presente artigo é uma revisão da investigação mais relevante no domínio da ansiedade durante a gravidez. Apresenta os resultados dos estudos que apontam para a existência de um grande número de mulheres com níveis significativos de sintomatologia ansiosa durante a gestação, independentemente do seu carácter patológico. Aborda um conjunto de factores que podem ser considerados de risco para a presença de níveis elevados de ansiedade durante a gravidez e analisa as suas principais consequências e implicações para a saúde e bem-estar da mulher. Finaliza, alertando para a necessidade de implementar medidas de prevenção e intervenção em situações de alta ansiedade, as quais são fundamentais para garantir uma adequada prestação de cuidados à mulher grávida, assim como para reduzir a incidência de complicações obstétricas. The present article is a review of the most relevant and recent research about anxiety in pregnancy. The results presented indicate that there is a very large number of women who show high levels of anxiety during childbearing, independently of its pathological character. This article also considers several risk factors for the mother's high levels of anxiety during pregnancy, and analyses its main consequences and implications for her own health and well-being. This review ends alerting to the need of improving preventive and interventive measures for reducing the high anxiety levels of pregnant women...

Representações sociais do diabetes e do cuido de mulheres na gestação

Dias, Heloisa Helena Zimmer Ribas
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 259 p.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
56.11%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2015.; Estudo exploratório-descritivo, com abordagem qualitativa, com o objetivo de conhecer as representações sociais do diabetes para mulheres que o vivenciam na gestação e suas contribuições para o cuidado em Enfermagem e Saúde. A fundamentação teórica baseia-se na Teoria das Representações Sociais na perspectiva de Moscovici. Foi desenvolvido com 30 gestantes, sendo 18 diagnosticadas com diabetes gestacional e 12 com diabetes pré-existente à gestação. Os dados foram coletados em uma maternidade pública de referência terciária para atenção obstétrica no Sul do Brasil, no período de março a setembro de 2014, com utilização de técnica de entrevista semiestruturada em profundidade, gravadas em mídia digital e transcritas. Como procedimento analítico, adotou-se a análise de conteúdo de Bardin, compreendendo as seguintes etapas: pré-análise, exploração do material ou codificação, tratamento dos resultados obtidos e interpretação. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade Federal de Santa Catarina (Parecer nº 550.604) e da instituição onde o estudo foi realizado (Parecer nº 605.218-0). A tese resultou em três manuscritos. O primeiro constituiu-se numa revisão integrativa de literatura que objetivou identificar contribuição de pesquisas em âmbito nacional e internacional sobre representações sociais do diabetes de mulheres que o vivenciam a gestação...

Ansiedade na gravidez : factores de risco e implicações para a saúde e bem-estar da mãe

Conde, Ana; Figueiredo, Bárbara
Fonte: Clínica Psiquiátrica dos Hospitais Universitários de Coimbra Publicador: Clínica Psiquiátrica dos Hospitais Universitários de Coimbra
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2003 POR
Relevância na Pesquisa
46.24%
O presente artigo é uma revisão da investigação mais relevante no domínio da ansiedade durante a gravidez. Apresenta os resultados dos estudos que apontam para a existência de um grande número de mulheres com níveis significativos de sintomatologia ansiosa durante a gestação, independentemente do seu carácter patológico. Aborda um conjunto de factores que podem ser considerados de risco para a presença de níveis elevados de ansiedade durante a gravidez e analisa as suas principais consequências e implicações para a saúde e bem-estar da mulher. Finaliza, alertando para a necessidade de implementar medidas de prevenção e intervenção em situações de alta ansiedade, as quais são fundamentais para garantir uma adequada prestação de cuidados à mulher grávida, assim como para reduzir a incidência de complicações obstétricas.; The present article is a review of the most relevant and recent research about anxiety in pregnancy. The results presented indicate that there is a very large number of women who show high levels of anxiety during childbearing, independently of its pathological character. This article also considers several risk factors for the mother's high levels of anxiety during pregnancy, and analyses its main consequences and implications for her own health and well-being. This review ends alerting to the need of improving preventive and interventive measures for reducing the high anxiety levels of pregnant women...

Atividade física, ansiedade e gravidez

Sousa, Ana Catarina
Fonte: Instituto Politécnico do Porto Publicador: Instituto Politécnico do Porto
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /10/2014 POR
Relevância na Pesquisa
56.46%
Introdução: A gravidez e a prática da atividade física (AF) são temas ainda pouco abordados na nossa sociedade. Muitas mulheres sofrem de ansiedade no período pré-natal e não conhecem os benefícios que a prática da AF tem sobre a mesma. Estudos demonstram que a AF está associada à diminuição da ansiedade, contudo poucos avaliam este efeito na gravidez. Objetivo(s): Os objetivos deste estudo foram classificar o nível de AF das grávidas; avaliar os sintomas de ansiedade e analisar a associação entre os níveis de ansiedade e a AF das gestantes. Métodos: Trata-se de um estudo longitudinal prospetivo, realizado numa amostra de 56 grávidas com idades entre os 18 e os 37 anos (29,14 ±4,641 anos). As participantes foram avaliadas em dois momentos, T1 (10-12 semanas gestacionais) e T2 (20-22 semanas gestacionais), tendo sido mensurada a AF com acelerómetros GTX3 e a ansiedade com a escala de Zung. Resultados: A média da AF leve e moderada não apresentou diferenças entre os dois momentos de avaliação; contudo, verificou-se uma tendência para a AF leve diminuir do primeiro para o segundo trimestre (1283,88 ± 530,37 vs 1098,16 ± 489,72 counts/min total semana; p=0,459) e a AF moderada aumentar (2470,62 ± 404,50 vs 2528...

Ansiedade nas grávidas: prevalência e fatores associados

Fonseca, Sara Isabel Rodrigues Pina
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.41%
A ansiedade durante a gravidez é frequente e, em muitos casos, com níveis particularmente elevados podendo comprometer a saúde da gestante e do bebé. Através do método quase experimental procurámos verificar o impacto de alguns fatores identificados em estudos anteriores como mais preponderantes para os níveis de ansiedade durante a gravidez. A amostra é composta por um grupo de 190 grávidas pertencentes a três distritos diferentes de Portugal: Santarém, Castelo Branco e Guarda. Os dados foram recolhidos em seis unidades de saúde diferentes, nomeadamente Hospitais e Unidades de Saúde Familiares. Para elaborar a pesquisa foi utilizado um questionário, constituído por uma parte respeitante a informação sócio-demográfica e outra constituída por dois instrumentos de avaliação psicológica, o Índice de Apgar Familiar de Smilkenstein e o Inventário de Ansiedade Estado - Traço de Spielberger. A partir da investigação realizada foi possível identificar alguns fatores como principais causadores de níveis elevados de ansiedade, como o facto de se tratar de uma gravidez não planeada, a espera pelos resultados dos exames médicos, o aproximar da data provável de parto e a falta de conhecimentos por parte das grávidas acerca da gravidez e do futuro papel enquanto mães. Não se verificou indícios da existência de uma influência significativa entre os níveis de ansiedade estado das grávidas e os trimestres gestacionais...

Ansiedade e suporte social em grávidas imigrantes

Gonçalves, Sofia Antunes Sabino
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
56.31%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; O principal objectivo deste estudo consiste em avaliar os níveis de ansiedade estado-traço e os níveis de satisfação com o suporte social em grávidas imigrantes e grávidas portuguesas, com base nas suas características sócio-demográficas. Conta com uma amostra de 60 grávidas (30 imigrantes e 30 portuguesas), com idades compreendidas entre os 18 e os 36 anos, utentes de centros de saúde da região de Lisboa. À referida amostra foram administrados os seguintes instrumentos: questionário sócio-demográfico; Inventário de Ansiedade Estado-Traço de Spielberger, traduzido por Silva & Santos (1997); e a Escala de Satisfação com o Suporte Social de Pais Ribeiro (1999), no sentido de caracterizar a amostra e avaliar, respectivamente, a ansiedade-estado, a ansiedade-traço e os níveis de satisfação com o suporte social, nomeadamente, a satisfação com os amigos, a satisfação com a família, a intimidade e as actividades sociais. Os resultados sugerem a presença de níveis elevados de ansiedade estado-traço nas grávidas imigrantes, e níveis inferiores de satisfação com o suporte social, pelo que a gravidez vivida em contexto de imigração...

Ansiedade na gestação, prematuridade e baixo peso ao nascer: uma revisão sistemática da literatura

Araújo,Daniele Marano Rocha; Pereira,Natália de Lima; Kac,Gilberto
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2007 PT
Relevância na Pesquisa
56.18%
O objetivo desta revisão é examinar publicações que investigaram o efeito da ansiedade no maior risco de prematuridade e/ou baixo peso ao nascer. Os bancos de dados MEDLINE versão PubMed, BVS, CINAHL e HEALTHSTAR, referentes aos anos de 1966 a 2006, foram rastreados usando-se a combinação dos seguintes descritores: anxiety, pregnancy, low birth weight e prematurity. Foram localizados 13 estudos: 11 coortes, 1 transversal e 1 caso-controle. A maioria (7/13) dos estudos foi realizado nos Estados Unidos. Quatro estudos foram considerados de excelente qualidade, pois excluíram adolescentes e/ou mulheres acima de 34 anos, aferiram a ansiedade a partir do primeiro e/ou segundo trimestre de gestação, utilizaram escalas validadas para medir ansiedade, apresentaram perdas de seguimento inferiores a 30% e controlaram os mais importantes fatores de confusão. A ansiedade na gestação foi associada à prematuridade e/ou ao baixo peso ao nascer em oito estudos. Os valores de razão de chance e risco relativo variaram de 1,08 a 2,31. São necessários estudos cuidadosamente desenhados para esclarecer a relação entre ansiedade na gestação, prematuridade e baixo peso ao nascer, já que as evidências observadas ainda são contraditórias.